Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Sidney Piochi Bernardini

Ciências Sociais Aplicadas

Planejamento Urbano e Regional
  • expansão urbana e controle: o sistema de ordenamento territorial nas regiões metropolitanas de maior crescimento populacional atual no brasil (2001 – 2017)
  • A Nova Agenda Urbana formulada no âmbito do Habitat III, realizado na cidade de Quito, Equador, em 2016, estabeleceu um conjunto de recomendações vinculadas a princípios estruturantes da sustentabilidade ambiental e urbana na sua base de argumentação. Uma delas associa o problema da expansão urbana à compacidade dos tecidos urbanos, insistindo no planejamento racional das infraestruturas e de “densidades populacionais adequadas” como caminhos necessários para o estabelecimento de cidades mais compactas. A dificuldade em circunscrever a questão e dar prosseguimento a bases de recomendações aparentemente reducionistas está na complexidade da problemática associada ao fenômeno da urbanização contemporânea e seus desdobramentos recentes. Além dos componentes de dispersão e fragmentação já apontados pela literatura, o processo de urbanização brasileiro desigual e injusto combina segregação socio-espacial e crescimento urbano das periferias. Os protocolos dos poderes públicos instituídos no Brasil, nas várias esferas, para lidar com estas questões devem ser melhor investigados, considerando, principalmente, a combinação de novos marcos legais fundamentais para a retomada da reforma urbana no Brasil: O Estatuto da Cidade (Lei Federal 10.257/2001) e o Estatuto da Metrópole (Lei Federal 13.089/2015). O objetivo geral da pesquisa é compreender e analisar a estrutura e os conteúdos introduzidos nos instrumentos de contenção / controle da expansão urbana e de proteção ambiental, em especial, no sistema de macrozoneamento estabelecido nos planos diretores dos municípios pertencentes às regiões metropolitanas brasileiras que tiveram maior crescimento populacional em dois intervalos temporais consecutivos: entre 2001 e 2010 e entre 2010 e 2017. Ainda que se pretenda focalizar os sistemas de macrozoneamento ambiental / rural nestes instrumentos, serão também analisados, além de outros dispositivos na escala municipal atinentes ao objeto, aqueles instituídos em outras esferas, como as Unidades de Conservação, por exemplo. O método a ser desenvolvido tem um caráter eminentemente descritivo, de cunho interpretativo, com base em levantamento e análise documental (survey). Considerando que a pesquisa abarcará o levantamento, organização, sistematização, análise e interpretação de um número grande de dispositivos, os procedimentos metodológicos abrangerão a definição de fatores conceituais que possam auxiliar na sua classificação e a utilização de técnicas estatísticas para realizar a análise dos resultados. Pretende-se que esta pesquisa possa trazer insumos para avançar no campo dos mecanismos de planejamento e gestão relacionados com o ordenamento territorial e controle da expansão urbana e proteção ambiental de forma que seja possível também estabelecer protocolos futuros a serem aplicados pelos poderes públicos em várias esferas governamentais.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sieglinde Kindl da Cunha

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • gestão da transição sociotécnica para energias renováveis a partir de biogás na perspectiva do cooperativismo
  • Alternativas de fontes renováveis como meio para reduzir a emissão de gases do efeito estufa tem sido uma questão relevante em termos mundiais. Grande empenho vem sendo observado na busca pelo desenvolvimento de fontes alternativas como a utilização da biomassa, fonte de energia disponíveis nas áreas rurais e agroindustriais as quais o Brasil possui grande diversidade de insumos. Desta forma, a produção de biogás a partir da biomassa pode ser uma fonte complementar para geração de energia para produtores rurais, além de minimizar danos ambientais e gerar empregos a partir desta atividade. A justificativa para estudar energias a partir do biogás dá-se em virtude de que o Paraná é o maior produtor de frangos e o segundo em relação aos suínos do Brasil, cujos dejetos são insumos para produção de energia renovável. Apesar do Paraná destacar-se na produção de frangos e suínos, em relação ao potencial nacional instalado e em operação de produção de biomassa, a participação paranaense é de apenas 5% no total do Brasil (FIEP, 2017). Destaca-se a importância no Paraná do modelo cooperativo, tendo especial importância no desenvolvimento da indústria da agropecuária. Neste sentido, algumas experiências bem-sucedidas de cooperativismo, são a Cooperativa Frisia (anteriormente, Companhia Hollandeza de Laticínios Batavo) e a cooperativa Castrolanda, com quase 100 anos em operação. A OCEPAR tem sido, ao longo das últimas quatro décadas fundamental no desenvolvimento das cooperativas e dos cooperados. A importância das cooperativas na economia do estado é inegável: 17 delas estão entre as maiores empresas do país e mais da metade das cooperativas do sul do país estão no Paraná. Juntas, são responsáveis por quase 20% da movimentação econômica do estado, envolvendo, direta e indiretamente, mais de 2,5 milhões de pessoas. As cooperativas agropecuárias são fundamentais na governança do sistema pecuário paranaense e desta forma se apresentam como modelo de gestão que podem representar os interesses do sistema paranaense de produção de biogás. Segundo (Bley, 2015), a produção do biogás é realizada por produtores rurais independentes consistindo em atividade secundária e de pequena escala, sendo ainda pouco competitiva e de alto custo. A organização dos produtores em cooperativa permitiria a estruturação de um sistema de produção do biogás com gestão participativa, visão sistêmica e articulada, capaz de construir, organizar e gerir arranjos necessários centrado no planejamento, execução e monitoramento; intermediar interesses conflitantes; articular múltiplos conhecimentos. Considerando o acima exposto, o objetivo geral desta pesquisa é compreender como o cooperativismo pode atuar no processo de transição sociotécnica do sistema de energia do biogás no Paraná. Para atingir este objetivo foram definidos alguns objetivos específicos: a) caracterizar o Sistema Paranaense de Produção de biogás em diferentes regiões do Paraná; b) descrever o processo de transição sociotécnica, na perspectiva multinível, para o sistema de produção do biogás; c) entender como se desenvolvem as práticas sustentáveis na produção de biogás em propriedades rurais do Paraná; d) apontar os pontos de intersecção entre as práticas inovadoras sustentáveis e o sistema sociotécnico de produção do biogás em propriedades rurais do Paraná; e) Compreende com se constitui o sistema de produção do biogás na perspectiva da economia circular; f) identificar os principais estímulos e obstáculos para a produção do biogás em propriedades rurais do Paraná; g) construir modelos de simulação e cenários para o sistema paranaense de biogás; h) dar subsídios para estruturar um sistema cooperativista de produção de biogás no Paraná. Esta pesquisa utilizará como base teórica e metodológica a teoria de Transição Sociotécnica para a sustentabilidade, realizada por meio de entrevista com atores relevantes, reguladores e instituições governamentais centrais neste setor, tais como o Ministério de Energia, ANEEL, Secretaria da Agricultura, EMATER, Itaipu binacional, COPEL, FAEP, FIEP, FETAEP, SENAR entre outros. Para a análise multinível da transição sociotécnica será utilizada análise de conteúdo e documental. Nos estudos de caso a pesquisa utiliza-se os fundamentos ontológicos e epistemológicos das teorias da prática social, com observação participante, diários de pesquisa, entrevistas narrativa. Será utilizada a análise de narrativas que envolve cinco pontos fundamentais: a) sequência temporal,; b) atores focais protagonistas que fazem a história; c) a voz narrativa; d) padrões de referência que carregam valores culturais e significados, que carregam uma moral; e) outros indicadores de conteúdo e contexto que indicam tempo, lugar, atributos dos atores; atributos do contexto (PENTLAND, 1999; RESE, 2017). Para as simulações e cenários de produção do sistema biogás do Paraná serão utilizados dois métodos: o de regressão logística de parâmetro aleatório para realizar simulação de situações reais onde os produtores escolhem entre diferentes tecnologias e o modelo de dinâmica de sistema (SDM), utilizado para simular o crescimento/ declínio de produção de biogás. O alcance dos objetivos estará diretamente associado a subsídiar novas formas de governança do Sistema Biogás bem como subsidiar a indicação de politicas de inovação transformativas. Espera-se ainda subsidiar os produtores de biogás com estratégias inovadora de produção de biogás, indicar formas de organização associativista para melhorar a competitividade e subsidiar os Sistema cooperativista com instrumentos de organização e governança do sistema paranaense de produção do biogás. Espera-se que esta proposta contribua para reduzir os impactos ambientais e melhorar a qualidade de vida dos produtores.
  • Universidade Positivo - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022