Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Thonimar Vieira de Alencar Souza

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • mapeamento óptico de materiais bidimensionais
  • As propriedades físicas e eletrônicas de nanomateriais bidimensionais estão altamente relacionadas com sua espessura - determinada pelo número de camadas atômicas empilhadas. Uma forma rápida e precisa de identificação da espessura de estruturas multicamadas é essencial tanto para investigar suas características básicas quanto para aplicações práticas. Neste projeto, propomos a investigação das propriedades de materiais bidimensionais (M2D), como grafeno, MoS$_{2}$, WSe$_{2}$, h-BN e suas heteroestruturas, a fim de explorar a potencialidade destes na produção de dispositivos eletrônicos e optoeletrônicos. A investigação decorrerá a partir da implementação de uma montagem experimental capaz de realizar imagens por microscopia óptica concomitante com medidas dos espectros de reflectância e transmitância. Com esta montagem, acrescido dos resultados obtidos por cálculos de primeiros princípios, obteremos informações sobre as características intrínsecas de M2D como o número de camadas, o nível de dopagem, o ângulo de empilhamento, estados excitônicos, etc. Dessa forma, os resultados desta pesquisa ajudarão no entendimento e domínio de como as propriedades físicas dos M2D dependem do empilhamento vertical entre camadas. Para cumprir com estes objetivos agregaremos as competências de pesquisadores dos departamentos de Física da UFOP e da UFMG. Também esperamos contribuir para o desenvolvimento da infraestrutura do Laboratório de Óptica da UFOP beneficiando, em consequência, os docentes e discentes do Programa de Pós-graduação em Física de Materiais (FIMAT) da UFOP.
  • Universidade Federal de Ouro Preto - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thuane Huyer da Roza

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • avaliação da pressão vaginal de repouso, da dor vulvar e da influência do uso do coletor menstrual no assoalho pélvico em mulheres jovens
  • Os músculos do assoalho pélvico (MAP) localizam-se na parte caudal do corpo, fechando a cavidade pélvica. Dentre as suas principais funções encontramos a manutenção da continência urinária e fecal, da função sexual e do posicionamento das vísceras. Alterações nesses músculos podem levar a disfunções como dor, incontinência urinária e / ou prolapsos. Na prática clínica a posição de litotomia é utilizada para avaliar os MAP, contudo o maior tempo do dia a mulher está na posição ortostática. Desse modo, a primeira pergunta deste estudo é: será que há diferença na pressão vaginal devido a posição durante uma avaliação dos MAP? A dor vulvar, mais conhecida como vulvudinia é definida como uma dor crônica localizada na vulva. Estudos recentes demonstraram uma prevalência que varia de 3 a 18,5% entre mulheres independentemente da idade. A maioria das mulheres que sofrem deste problema são subdiagnosticadas e por isso tratadas inadequadamente. Assim, surge a segunda questão: Qual a prevalência de vulvudia em uma população brasileira jovem? Atualmente existe um dispositivo nomeado como coletor menstrual, o qual deve ser inserido no canal vaginal durante o período da menstruação. Contudo, não se sabe o efeito que este dispositivo pode ter nos MAP. Desse modo, este estudo possui três diferentes objetivos: (1)Estimar a prevalência de vulvodinia numa população jovem brasileira; (2)Examinar a capacidade de contração e a pressão vaginal de repouso dos músculos do assoalho pélvico antes e após um treino físico na posição de litotomia e em pé; e (3)Avaliar o efeito do coletor menstrual nos músculos do assoalho pélvico após 3 meses de utilização. Metodologicamente, este estudo terá uma fase transversal e outra longitudinal. Mulheres com idade acima de 18 anos que não tenham nenhuma cirurgia ginecológica serão inclusas no estudo. Aproximadamente 200 mulheres irão participar do primeiro e segundo estudo, enquanto 30 irão participar do estudo longitudinal. Cada participante responderá a ficha de avaliação, o questionário International Consultation on Incontinence Questionnaire-Vaginal Symptoms (ICIQ-VS), International Consultation of Incontinence Questionnaire-Short Form (ICIQ-UI-SF), e International Physical Activity Questionnaire -Short Form (IPAQ-SF). Os questionários são validados e traduzidos para o português. Deverão ainda realizar a avaliação ginecológica composta por exame bidigital com utilização do teste do cotonete para vulvudinia, da escala PERFECT e modificada de Oxford para avaliar capacidade de contração e do perineometro Peritron para aferir a pressão vaginal de forma objetiva. As mulheres que realizarem o estudo longitudinal irão realizar todos os testes antes e após a intervenção. Todos os dados serão tabulados em uma planilha de exel e depois analisados pelo Software SPSS versão 20.0 (SPSS Inc.,Chicago, Illinois, USA).
  • Universidade do Estado de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thyago Moreira de Queiroz

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • avaliação dos efeitos cardiovasculares do novo doador de óxido nítrico (cis- [ru(bpy)2(etu) (no)]3+ em ratos com hipertensão renovascular
  • O controle da pressão arterial (PA) é uma das funções fisiológicas mais complexas do sistema biológico. Alterações na regulação da PA podem induzir a distúrbios fisiológicos como a hipertensão arterial. Um dos sistemas responsáveis pelo controle da PA é o Sistema Renina Angiotensina que promove liberação de Angiotensina II (Ang II). O aumento nos níveis de Ang II em nível sistêmico quanto no SNC pode desencadear um aumento da atividade simpática com aumento da freqência cardíaca, bem como aumento da resistência vascular periférica. Esta por sua vez, é determinada pelo equílibrio entre fatores vasoconstritores e vasorrelaxantes liberados pelas células endoteliais. A produção endógena de óxido nítrico (NO) permanece como o principal fator liberado pelo endotélio no controle do tônus vascular. Um dos efeitos mais significativos do óxido nítrico baseia-se na ativação da guanilil ciclase solúvel (pela ligação com seu grupo heme), que por sua vez é responsável pela síntese do segundo mensageiro GMPc. Desde o início da sua descoberta em 1980 por Furchgott e Zawadzki, o NO vem sendo estudado e demonstrado ações na neurotransmissão, inibição da agregação plaquetária e controle da PA. Devido às ações promovidas pelo NO, bem como aos efeitos colaterais de fármacos doadores de NO utilizados na clínica, como a tolerância aos nitratos, nosso grupo e outros vem estudando compostos doadores de NO que atuam sobre os sistema cardiovascular promovendo efeito hipotensor, vasorrelaxante, diminuição do estresse oxidativo, entre outros. Sendo assim, fármacos capazes de ativar GCs de maneira independente do NO endotelial foram desenvolvidos para superar o problema da tolerância advindo dos nitratos. Nesse contexto, nossa hipótese é que o tratamento com um novo complexo de rutênio que possui uma molécula de NO em sua estrutura, cis- [Ru(bpy)2(ETU) (NO)]3+ (FOR811B) promova liberação do NO, induzindo um efeito anti-hipertensivo, com melhora da reatividade vascular e função renal em animais com hipertensão renovascular. Dados preliminares do nosso grupo de pesquisa demonstraram que FOR811B melhorou os parâmetros hemodinâmicos renais em ratos wistar. Portanto, o objetivo do presente projeto é Investigar os efeitos cardiovasculares de FOR811B em ratos normotensos e com hipertensão dois-rins-um-clipe, por meio de uma abordagem in vivo e in vitro, procurando elucidar os possíveis mecanismos implicados nestes efeitos. Para isso, pretendemos avaliar o efeito da PA e FC após o tratamento com FOR811B, e a sensibilidade do barorreflexo utilizando ferramentas farmacológicas (NPS e FEN). Com esses primeiros experimentos espera-se observar o efeito anti-hipertensivo do doador de NO. Para verificar se o efeito anti-hipertensivo é realmente devido a liberação de NO pelo FOR811B, confirmaremos sua liberação por meio de citometria de fluxo. Em seguida analisaremos a reatividade vascular frente à agentes vasodilatadores e vasoconstritores utilizando a artéria mesentérica superior isolada de ratos normotensos e hipertensos 2R1C. Além disso avaliaremos o possível dano renal causado pela indução da hipertensão por meio de técnicas de avaliação da função renal (parâmetros sanguíneos e urinários), como também a morfologia renal e de órgãos alvo como coração e aorta. Sendo assim, a realização dessa pesquisa contribuirá para o avanço na investigação de novos compostos doadores de NO para o tratamento da hipertensão, compreendendo melhor sobre a liberação desse vasodilatador nas doenças cardiovasculares.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tiago Albertini Balbino

Engenharias

Engenharia Química
  • microfluídica e intensificação de processos: síntese de nanopartículas poliméricas de plga para aplicações biomédicas
  • Os recentes avanços na nanotecnologia e nanomedicina têm permitido não somente o aumento da eficácia terapêutica de diversos medicamentos, como também a entrega sítio-específica de fármacos. Entretando, os processos de produção desses nanomedicamentos ainda não são capazes de garantir propriedades físico-químicas adequadas quando produzidos em larga escala. Nesse contexto, esse projeto de pesquisa visa desenvolver processos microfluídicos que operem em altas vazões para a síntese de nanopartículas poliméricas destinadas a aplicações biomédicas. As nanopartículas serão compostas por poli(ácido lático-co-ácido glicólico) (PLGA), polímero com ótimas propriedades de biocompatibilidade e biodegradabilidade, além de ser aprovado para testes clínicos. A principal inovação tecnológica desse projeto é referente aos processos microfluídicos para a síntese das nanopartículas. Os dispositivos microfluídicos são plataformas miniaturizadas que permitem controlar precisamente a mistura entre fluidos que escoam continuamente dentro de microcanais. Duas abordagens de microfabricação serão exploradas a fim de desenvolver processos passíveis de amplificação de escala. Dessa forma, espera-se intensificar processos de produção de novos medicamentos baseados em nanopartículas poliméricas, contribuindo com a transposição de estudos laboratoriais para ensaios clínicos em aplicações médicas e biomédicas.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tiago Ancelmo de Carvalho Pires de Oliveira

Engenharias

Engenharia Civil
  • argamassas de alta resistência ao fogo para proteção de paredes de alvenaria
  • Incêndios tem provocado perdas inestimáveis pelo mundo, isto é, prejuízos financeiros, culturais e perdas de vidas humanas. No triênio 2011-2013, o Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco registrou 1600 incêndios/ano em edificações no Estado (CORRÊA et al., 2015). Incêndios recentes na Boate Kiss (2013), no edifício, em São Paulo, Wilton Paes de Almeida (2018) e no Museu Nacional (2018) demonstram a necessidade de um melhor desempenho em situação de incêndios das edificações brasileiras. Paredes de alvenaria, tem papel fundamental na segurança contra incêndio das edificações, sejam para garantir a compartimentação horizontal da edificação, garantindo o isolamento térmico e estanqueidade e, assim, evitando a propagação do fogo para ambientes adjacentes; ou para garantir a resistência ao fogo da edificação, no caso destas serem em alvenaria estrutural (NBR 15575, 2013). Destaca-se que esta solução é comumente adotada para habitações populares na Região Metropolitana do Recife assim como em outras regiões do Brasil. Infelizmente, ainda hoje no Brasil não há normas que orientem projetistas e construtores com especificações para se obter um melhor desempenho ao fogo de paredes de alvenaria e, conseqüentemente, edificações mais seguras no que diz respeito à incêndios. A solução mais trivial adotada pela indústria da construção neste cenário, consiste na proteção passiva dos elementos com a aplicação de revestimentos de argamassa, onde associa-se uma espessura mínima de recobrimento a resistência ao fogo desejada. Embora simples, a solução ainda é pouco utilizada pois, geralmente, induz a espessuras excessivas, de difícil execução e que aumentam o tempo e os custos da construção. Embora escassas na literatura, soluções inovadoras como a proposta por SUTCU (2015), sugerem a melhoria de características térmicas de materiais da construção através da adição de compostos isolantes, como, por exemplo, a vermiculita expandida. No entanto, esta adição altera diversas outras propriedades importantes para a argamassa, tais como, resistência mecânica, absorção de água, porosidade, densidade, entre outras. Dessa forma, torna-se necessário determinar um nível ótimo de adição que não comprometa as demais funções da argamassa. Por fim, os próprios métodos experimentais de verificação da resistência ao fogo de paredes são considerados extremamente conservativos, induzindo a soluções anti-econômicas (BABRAUSKAS, 2009). Pesquisas, tais como, NAHHAS et al. (2007) e NGUYEN et al. (2009, 2012 e 2014) mostram que vários parâmetros ainda precisam ser melhor entendidos para o desenvolvimento de um projeto eficiente de paredes em situação de incêndio. Por exemplo, a influência da rigidez da estrutura circundante no comportamento das paredes em situação de incêndio ainda não foi abordado e tem se mostrado um fator relevante para outros tipos de elementos como mostrado em Pires et al. (2012). Diante destas justificativas, este projeto de pesquisa propõe uma extensiva pesquisa sobre o comportamento em situação de incêndio de paredes de alvenaria, com proteção de argamassas resistentes ao fogo. Destaca-se como maiores inovações desta pesquisa o seguinte: (a) a análise e desenvolvimento de argamassas resistentes ao fogo, obtidas com a adição de vermiculita expandida; (b) a avaliação de seu desempenho aplicado a paredes de alvenaria através de testes de resistência ao fogo considerando variáveis tais como: nível de restrição da estrutura circundante, nível de carga, espessura do revestimento de argamassa e taxa de adição de vermiculita expandida;
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tiago Antônio de Oliveira Mendes

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • desenvolvimento de uma plataforma de produção de glicoproteínas por expressão heteróloga de sialiltransferase e proteínas de interesse biotecnoloógico em leishmania tarentolae
  • Embora glicoproteínas e proteínas oligoméricas apresentem elevado potencial biotecnológico na terapêutica, indústria de alimentos e outras, sua produção em alta escala é comprometida. Os sistemas que se baseiam em organismos geneticamente modificados mais favoráveis para cultivo em escala industrial são bactérias e leveduras. Porém, bactérias não são capazes de realizar glicosilação e leveduras podem produzem perfil de glicosilação diferente de eucariotos superiores. Ambas os sistemas de expressão também falham na formação de proteínas oligoméricas com padrão de mamíferos. Assim as glicoproteínas e proteínas oligoméricas de mamíferos produzidos neste organismo podem falham em atividade biológica e estabilidade. Células de insetos e de mamíferos produzem proteínas com correto perfil de glicosilação e dobramento, porém ambas possuem dificuldade de cultivo em grande escala, longo tempo de cultivo necessário e baixa produtividade de proteínas. Uma boa opção seria a utilização Leishmania tarentolae, um eucarioto apatogênico para humanos quer requer laboratório de segurança NB1 igual a bactérias e leveduras para manipulação, passível de cultivo em larga escala e alto rendimento de produção de proteínas. Além disso, o processo de glicosilação e formação de pontes dissulfeto em L. tarentolae são mais semelhantes ao padrão de mamíferos. Nesta perspectiva, este projete propõe utilização de uma linhagen de L. tarentolae expressando a enzima sialiltransferase humana e otimizadas para produção de glicoproteínas com perfil de glicídios idênticos a mamíferos e proteínas oligoméricas com correto dobramento. Esta linhagem foi previamente desenvolvida e validada pelo grupo preponente e nesta proposta objetiva-se a utilização desta linhagem para produção de proteínas terapêuticas interferon-beta, CNF e anticorpo anti-CD20 como uma alternativa de custo reduzido comparado aos métodos convencias de purificação e produção. Também serão realizadas validações das atividades destes alvos.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tiago Campos Pereira

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • introdução à edição gênica via crispr
  • Vide projeto anexo
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 03/12/2019-31/12/2020
Foto de perfil

Tiago da Silva Medina

Ciências Biológicas

Imunologia
  • impacto de inibidores epigenéticos na modulação in vitro de células t cd8 humanas
  • Células T CD8 possuem como característica principal a capacidade de eliminar células alvo que apresentem antígenos estranhos. Este processo é fundamental para a eliminação antigênica e para o reestabelecimento da homeostase do organismo. De um modo geral, este processo é extremamente eficiente em infecções agudas, em que há ativação e proliferação de clones específicos, eliminação antigênica, contração da resposta de linfócitos e indução de memória imunológica. Entretanto, a persistência antigênica em casos de infecções virais crônicas e cânceres resulta em ativação constante do receptor de células T (TCR). A depender da repetitividade, duração e magnitude da ativação do TCR, as células T CD8 podem adquirir um perfil de exaustão celular. A ativação excessiva e sustentada está intrinsicamente relacionada com a indução da exaustão de linfócitos T. Como consequência, os linfócitos tornam-se funcionalmente ineficazes e incapazes de eliminar infecções virais crônicas ou tumores. Neste sentido, a identificação e a caracterização de drogas capazes de modular positivamente a resposta de linfócitos T CD8 são essenciais para o desenvolvimento de estratégias terapêuticas em cenários complexos como o câncer. Neste projeto, nós avaliaremos a atividade modulatória de diversos inibidores epigenéticos sobre a função efetora de linfócitos T CD8 humanos. Como sustentáculo da nossa hipótese, mostramos recentemente que moduladores epigenéticos influenciam a atividade de linfócitos T CD4 murinos e humanos, alguns favorecendo a resposta regulatória, com o aumento funcional de células T reguladoras, e outros favorecendo a resposta pró-inflamatória, com indução aumentada de mediadores pró-inflamatórios, como IFN-gama e TNF-alfa. Lançamos, portanto, a hipótese de que inibidores epigenéticos possam atuar como reguladores da resposta de linfócitos T CD8 humanos. Acreditamos que os inibidores epigenéticos que serão testados neste projeto têm um enorme potencial para a regulação da resposta efetora de linfócitos T CD8 humanos e poderão ser utilizados como estratégia terapêutica para o controle tumoral.
  • Fundação Antônio Prudente - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tiago Fiorini da Silva

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • uma estrutura laboratorial para estudos de novos desenvolvimentos em detectores gasosos micro-estruturados
  • O Brasil, por meio de colaborações internacionais, tem participado do desenvolvimento de novos detectores e de sistemas de aquisição para atender às novas demandas existentes no campo da física de altas energias. Este projeto se insere neste contexto, e pretende ampliar a participação brasileira por meio da formação de um polo de desenvolvimento e testes de detectores gasosos micro estruturados. A criação da estrutura laboratorial proposta nesse projeto será voltada para o estudo de meios de suprimir o refluxo de íons nos detectores gasosos e também de seus processos de envelhecimento, que levam a perdas de eficiência e de performance. Os dois problemas são relacionados com novas demandas a serem atendidas para o uso de detectores gasosos micro-estruturados nos próximos upgrades nos detectores do LHC e, no futuro, em experimentos no ILC. Desenvolver-se-á uma estrutura laboratorial para testes de detectores gasosos micro-estruturados utilizando feixes de íons de baixa energia. Mesmo sendo voltados à detecção de partículas de altas energias, íons de baixa energia produzem muitas ionizações dentro dos detectores gasosos tornando-os mais adequados para simulações de condições de estresse do detector. A estrutura será instalada no Laboratório de Análises de Materiais com Feixes Iônicos (LAMFI). Este laboratório possui um acelerador de íons capaz de gerar feixes de prótons com energias entre 0,4 e 3,4 MeV, com acurácia melhor que 0.5%. Assim, é possível sintonizar a energia do feixe do LAMFI para se produzir ionizações em profundidades definidas no volume gasoso do detector. A intenção por trás desses ensaios será a de se estudar a relação entre a razão de refluxo de íons positivos em função da profundidade onde são geradas as ionizações primárias. Com isso, pretende-se avaliar quais profundidades são mais suscetíveis à geração de refluxo e com isso se determinar as regiões passíveis de otimizações. Com o controle preciso do fluxo total de íons para dentro do detector, será possível realizar estudos em altas taxas de eventos com a intenção da determinação de limiares de distorção dos campos elétricos e consequente alteração de ganho, além de estudos de limiares de faiscamento. Desta forma, este projeto visa integrar a colaboração RD51 dentro do CERN como uma estrutura laboratorial de testes e de caracterizações de detectores gasosos micro-estruturados, usando feixes de íons de baixa energia. Ademais, espera-se com esta estrutura laboratorial incentivar o intercâmbio de estudantes e de cientistas por meio da atividade laboratorial a ser divulgada dentro da colaboração RD51. Sobre o uso dos recursos: Os recursos serão destinados ao financiamento da construção de um sistema de controle de fluxo dos gases dentro do detector. O sistema será móvel e expansível, permitindo acompanhar as demandas futuras no desenvolvimento de aplicações não restritas ao laboratório.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tiago Gomes de Andrade

Ciências Biológicas

Genética
  • ritmo circadiano, tomada de decisão e perfil transcriptômico do córtex pré-frontal de camundongos expostos ao aumento gradual de fotoperíodo.
  • Suicídio é um sério problema de saúde pública mundial. A cada ano, cerca de 800.000 pessoas cometem suicídio e há um número ainda maior de tentativas. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada 40 segundos uma pessoa morre por suicídio que já é considerada a 2ª causa de morte no mundo em jovens entre 15-29 anos. Neste sentido, a OMS tem como alta prioridade a prevenção do suicídio. Curiosamente, o comportamento suicida apresenta um padrão sazonal, com maior incidência na primavera/verão, independente do hemisfério. Além disto, a taxa de suicídio aumenta em regiões mais distantes da linha do equador. Identificamos este mesmo padrão em um conjunto de 61.824 suicídios registrados ao longo de 6 anos em todo o território brasileiro. O padrão sazonal é detectado apenas nas regiões mais ao sul do país, onde também as taxas são mais elevadas. É esperado que as taxas de suicídio sejam ainda maiores em regiões mais ao sul do continente. De fato, no Brasil, a estimativa da taxa de mortalidade em 2017 foi de 6.04 suicídios por 100mil habitantes. Segundo a OMS, a taxa de suicídio na Argentina foi de 14.2 em 2015, bem acima da média da região (9.2). Esta variação sazonal e o efeito da latitude podem ser decorrentes de uma modulação ambiental do ritmo circadiano em indivíduos com vulnerabilidade. Ritmos circadianos possuem periodicidade de aproximadamente 24h e são gerados endogenamente por um conjunto de genes “relógio” capazes de manter alças transcricionais-traducionais, onde fatores de transcrição reprimem seus próprios ativadores. Este sistema é capaz de se auto-sustentar e, ao mesmo tempo, ativar ciclicamente genes controlados pelo relógio que participam em diversas funções. Estima-se que ao menos 50% do transcriptoma é expresso circadianamente, considerando diversos tecidos. Apesar de endógenos, os ritmos circadianos são modulados por fatores ambientais, principalmente a luz. Os estímulos nervosos induzidos pela luz na retina são transmitidos ao Núcleo Supraquiasmático (NSQ) do hipotálamo, considerado o marcapasso central, sincronizador sistêmico dos diversos osciladores periféricos no organismo, incluindo diversas estruturas cerebrais. Assim, a luz induz a expressão de genes envolvidos com o controle de ritmos circadianos no NSQ, sincronizando os diversos ritmos endógenos ao ambiente. Consequentemente, o regime de exposição à luz interfere nos ritmos biológicos, tendo sido associado a distúrbios metabólicos e comportamentais. Por outro lado, a modulação do ritmo circadiano pela luz tem sido utilizada como tratamento de pacientes com transtorno afetivo sazonal, cuja eficácia pode ser comparada à dos medicamentos antidepressivos e “dark therapy” com filtros para luz azul, tem sido utilizada mais recentemente para transtorno bipolar. Assim, as diferenças de fotoperíodo às quais os indivíduos são expostos em diferentes latitudes podem ser a causa do efeito sazonal e dependente de região observado para o comportamento suicida, através da interferência nos ritmos circadianos no cérebro. Outras evidências do envolvimento de ritmos circadianos no suicídio incluem: uma associação significativa entre vespertinidade e suicidalidade; um polimorfismo no gene clock que modula a tentativa e ideação suicida; indivíduos que tentam suicídio tendem a tomar decisões mais arriscadas nos testes avaliativos e a tomada de decisão, comprometida no paciente de risco, sofre influência direta do ritmo circadiano. Portanto, conhecer as vias de interação entre os ritmos circadianos, fatores ambientais sazonais e o comportamento suicida é relevante para a determinação de susceptibilidade, para o estabelecimento de marcadores biológicos de prognóstico ou mesmo para o desenvolvimento de novas abordagens terapêuticas preventivas. Para que possamos avançar na investigação desses mecanismos neurobiológicos, é importante desenvolver modelos que permitam explorar os possíveis mecanismos subjacentes ao fenômeno observado. Dados preliminares do nosso grupo com camundongos C57J/BL6 expostos à incrementos graduais de fotoperíodo análogos às condições observadas em estudos epidemiológicos, mostram alterações na expressão circadiana do gene relógio Per2 e de Bdnf em estriado e, de forma mais acentuada, em córtex pré-frontal medial (cpfm). Estas alterações poderiam comprometer o funcionamento destas estruturas previamente associadas ao comportamento suicida. De fato, também observamos uma diminuição da imobilidade em teste de nado forçado, indicando um efeito anti-depressivo, considerado um potencial fator de risco para o suicídio. Esta alteração na atividade ocorreu sem comprometer parâmetros importantes do ritmo de atividade e repouso dos animais, que demonstraram aparente sincronização ao incremento de fotoperíodo. Nessa pesquisa, propomos utilizar essa estratégia para: a. avaliar se o ritmo de atividade e repouso sofre sincronização ou mascaramento; b. avaliar o perfil transcriptômico do cpfm nessas condições através de RNAseq; c. avaliar a dinâmica temporal de expressão de genes relógio e outros alvos detectados no RNAseq; d. avaliar a tomada de decisão em teste de 5-Choice Serial Reaction Task (5-CSRT). Metas esperadas da pesquisa incluem: a. Esclarecer, através do teste de mascaramento, se as alterações no ritmo de atividade e repouso são decorrentes da modulação direta do NSQ; b. identificar vias e genes alterados em cpfm; c. determinar como o relógio molecular é afetado em cpmf; d. determinar se a tomada de decisão é comprometida no modelo; d. Validar um aparato e software para 5-CSRT desenvolvido localmente (in home).
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022