Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Silvio da Costa Ferreira Junior

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • processos com muitos agentes interagentes em redes complexas e regulares
  • Essa proposta é focada no estudo multidisciplinar de sistemas complexos usando ferramental de Física Estatística e de redes complexas. Vamos estudar processos dinâmicos em redes que permite abordar problemas diversos como o do comportamento crítico observado na dinâmica de atividade do cérebro ou propagação de epidemias. Vamos estudar processos de polarização na formação de opinião e de disseminação de informação sobre assuntos de interesse geral focados em redes sociais como o Twitter. Daremos prosseguimento às atividades de pesquisa que temos desenvolvido proficuamente no últimos anos, envolvendo transições de fases e fenômenos críticos em redes complexas e dinâmica de interfaces auto-afins. Iremos estudar processos de invasão biológica do ponto de vista formação de comunidades estruturadas em espécies alelopáticas. Vale ressaltar aqui, o quanto o cenário atual é favorável para os estudos propostos nesse projeto. Por um lado, a quantidade de informações quantitativas extraídas de dados reais tem crescido exponencialmente nos últimos anos. Por outro, a capacidade de armazenamento e processamento computacional aumentou consideravelmente nas últimas décadas. Uma melhor compreensão das regras que regem sistemas complexos, tais como o funcionamento do cérebro e de fenômenos de polarização em redes sociais, é importante não somente no contexto da neurociência e sociofísica, mas também para desenvolvimento tecnológico, como na inspiração para algoritmos inteligentes e métodos de tratamento e análise para grandes quantidades de informações. Nossa proposta envolve estudantes de graduação e pós-graduação e uma rede colaborações internacionais ambos pontos estratégicos para o desenvolvimento e da inserção do nosso grupo no cenário mundial.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvio José de Lima Figueiredo

Ciências Sociais Aplicadas

Turismo
  • turismo e políticas públicas: campo, agentes do turismo e novas práticas na amazônia
  • A Região Amazônica aparece como território paradigmático no campo do desenvolvimento do turismo. A Região torna-se um dos principais locus para o entendimento do turismo no Brasil, contribuindo com uma parcela da compreensão do fenômeno, pois apresenta-se o tempo todo como potencialidade para vários experimentos, desde o ecoturismo mais tradicional até mesmo parcelas consideráveis de experiências de turismo de base comunitária. Essa situação leva em consideração a região ser possuidora de recursos com possibilidade de conversão em atrações importantes, bem como possuir atrações já consolidadas que carecem de políticas públicas para “deslanchar”. Assim, no encontro com outras análises do turismo no país (nordeste, Rio de Janeiro, São Paulo), a análise da Amazônia indica uma espécie de panorama das formas como o turismo ocorre no Brasil, e como poderá vir a ser, apesar de não ter desenvolvido na sua totalidade os aspectos tradicionais do fenômeno, um bolsão de experiências e alternativas, tanto para esquemas tradicionais, quando o turismo é visto como atividade econômica, quanto para práticas sociais que aliam o turismo à viagem e ao lazer. Por esse contexto, a pesquisa proposta tem como objetivo identificar as chamadas “novas formas de viagem turística” a partir do estudos das práticas do turismo realizadas na Amazônia, identificando o campo, os principais agentes do turismo e as formas de organização e coordenação dessas práticas, implicando ou não em trocas monetárias e contribuindo para a formulação de políticas públicas específicas.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sílvio Luís de Vasconcellos

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • recursos intangíveis como base da internacionalização de empresas da economia criativa
  • Este projeto se propõe a contribuir no entendimento sobre como recursos intangíveis, entre eles a criatividade organizacional, pode dar suporte a capacidades organizacionais – ordinárias ou dinâmicas (TEECE, 2007) – para gerar competência de negócios internacionais e, consequentemente, melhor desempenho internacional. Embora possa ser aplicável a setores maduros, o projeto visa explorar a Economia Criativa. As indústrias inseridas na Economia criativa guardam entre si a peculiaridade de serem extremamente fragmentadas e compostas, em sua grande maioria, por micro, pequenas e médias empresas. Em um contexto em que os recursos tangíveis têm propensão a serem replicados constante e rapidamente, compete aos gestores administrar o conjunto de recursos intangíveis que a empresa é capaz de reter. Especificamente, na economia criativa ser criativo é fundamental. A criatividade organizacional, enquanto recurso, é pressuposto para o desenvolvimento de capacidades cruciais para o desenvolvimento de competências necessárias à integração à economia criativa mundial, tais como a capacidade inovativa, a capacidade empreendedora (VASCONCELLOS, 2016) e a competência de negócios internacionais (KNIGHT; KIM, 2009). Conseguir um desempenho equivalente aos concorrentes globais tornou-se vital para sobreviver mesmo no mercado doméstico, uma vez que as fronteiras perdem cada vez mais o sentido (JOHANSON; VAHLNE, 2009). Tal mudança obriga as empresas a desenvolverem a competência de negócios internacionais antes mesmo de vender no exterior (CAVUSGIL; KNIGHT, 2015). Este estudo será realizado em diferentes etapas, que gerarão diferentes níveis de publicações, desde estudos teóricos até sumários executivos, no intuito de oferecer alternativas tanto às empresas, em termos de desenvolvimento de vantagens competitivas sustentáveis, quanto aos entes públicos, na destinação mais assertiva dos recursos escassos que se valem para a fomentação de setores industriais inseridos na economia criativa. Assim, espera-se que o estudo traga avanços em diferentes níveis: no nível acadêmico, reduzindo a lacuna teórica ao aprofundar a compreensão sobre o processo de desenvolvimento de competência para negócios internacionais, tendo como base a RBV, com foco no papel dos recursos intangíveis no desenvolvimento de vantagens competitivas globais, e a vertente comportamental das teorias de internacionalização; no nível gerencial, reduzindo o tempo necessário para que empresas da economia criativa se internacionalizem, tornando-as globalmente mais competitivas e capazes de enfrentar entrantes no mercado doméstico; e, no nível políticas públicas, otimizando recursos a serem alocados no fomento e na sustentabilidade da internacionalização de empresas da economia criativa, promovendo, em paralelo, o desenvolvimento regional.
  • Fundação Universidade Regional de Blumenau - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022