Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Fernando Zagury Vaz de Mello

Ciências Biológicas

Zoologia
  • atlas dos scarabaeoidea do brasil: distribuição geográfica de scarabaeinae e ferramentas de identificação dos demais grupos
  • Os coleópteros da superfamília Scarabaeoidea, incluindo mais de 30 mil espécies em nível mundial e mais de 2500 conhecidamente ocorrentes no Brasil (ver CTFB). Os pertencentes à subfamília Scarabaeinae (Scarabaeidae) são um importante grupo indicador de biodiversidade e de serviços e funções ambientais, sendo estudado em áreas terrestres tropicais em todo o mundo, e os da família Melolonthidae incluem a maior parte das pragas rizófagas reportadas na América do Sul. Atualmente cerca de 30 diferentes equipes de pesquisa trabalham na América Latina usando o grupo em estudos ecológicos relacionados principalmente a Ecologia de Comunidades e a Funções Ambientais. O principal entrave ao completo entendimento dos padrões encontrados, inclusive em termos econômicos e biogeográficos, é a identidade das espécies envolvidas, sobretudo quanto a trabalhos comparando faunas de diferentes localidades. A presente proposta visa expandir e consolidar os dados para a primeira parte do Atlas dos Scarabaeoidea do Brasil. O Catálogo Taxonômico da Fauna Brasileira será completado em termos de sinonímias e distribuição estatal para todo o grupo (mais de 2000 espécies). A distribuição geográfica dos Scarabaeinae (mais de 800 espécies) será revista e detalhada, e fotografias preparadas representativas das espécies já descritas. Para os demais grupos de Scarabaeoidea serão preparadas e compiladas chaves e outras ferramentas de identificação em nível genérico, e preparadas fotografias representativas dos gêneros presentes no Brasil. Os resultados serão publicados na forma de revisões taxonômicas e preparados para o primeiro volume de um atlas que poderá ser disponibilizado online ou em forma de livro.
  • Universidade Federal de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernão Castro Braga

Ciências da Saúde

Farmácia
  • desenvolvimento de fitoterápico de echinodorus macrophyllus para o tratamento por via oral de artrite reumatoide pelo sus
  • A presente proposta de PD&I refere-se ao desenvolvimento de um produto fitoterápico de partes aéreas de Echinodorus macrophyllus (chapéu-de-couro) para o tratamento da artrite reumatoide pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A artrite reumatoide (AR) é uma doença autoimune sistêmica, de etiologia desconhecida, que leva à destruição das articulações e deformidades por erosão do osso e cartilagem, resultando em limitações severas para o paciente e impacto econômico para a sociedade. Os fármacos biológicos, como os inibidores de TNF-alfa, uma citocina pró-inflamatória importante fisiopatologia da AR, constituem a abordagem terapêutica mais atual para tratar a doença. Todos eles são de administração parenteral e seu uso está associado a efeitos adversos graves, além de apresentarem altos custos, com grande impacto financeiro para os pacientes e para o SUS. Um agravante neste cenário é a expectativa de crescimento no número de pacientes artríticos nos próximos anos, decorrente da epidemia de Chikungunya em algumas regiões do país, especialmente no Nordeste, que deverá aumentar a demanda por fármacos antiartríticos. Portanto, é necessário desenvolver novos agentes antiartríticos para o tratamento de AR por via oral, com custo compatível com sua utilização pelo SUS. A presente proposta baseia-se em dados farmacológicos e de fitoquímica obtidos anteriormente por nosso grupo de pesquisa com espécies de chapéu-de-couro, que atestam a eficácia pré-clínica de extratos e frações em diferentes modelos murinos de artrite. Os resultados obtidos por nós indicam C-glicosídeos flavônicos (como isoorientina, isovitexina e swertisina) e os ácidos cis- e trans-aconítico como os principais constituintes anti-inflamatórios de E. macrophyllus. Alguns desses constituintes, isoladamente ou em mistura, reduziram o recrutamento de neutrófilos para a cavidade articular e/ou tecido periarticular, a produção da quimiocina CXCL-1 e/ou das citocinas TNF-alfa e IL-1beta em modelo murino de artrite aguda e/ou de artrite induzida por antígeno. Com base nesses resultados anteriores, nossa proposta tem como objetivo desenvolver um produto fitoterápico, para administração por via oral, a partir de partes aéreas de E. macrophyllus, baseado em um extrato padronizado enriquecido em C-glicosídeos flavônicos e ácidos aconítico. Para tanto, realizaremos ensaios extrativos para obter extratos enriquecidos em C-glicosídeos flavônicos e ácidos aconíticos com diferentes teores e proporções dos marcadores ativos (isoorientina, isovitexina, swertisina, ácidos cis- e trans-aconítico), os quais serão quantificados por HPLC e por espectrofotometria no UV-Vis (flavonoides totais). Os extratos padronizados serão avaliados em modelos pré-clínicos de artrite de complexidade crescente, a fim de selecionar o extrato com maior atividade. Inicialmente, os extratos serão ensaiados em modelo de artrite aguda induzida por LPS e, posteriormente, os três extratos mais ativos serão avaliados em modelo de artrite crônica induzida por antígeno (AIA crônica). Por fim, o extrato mais ativo no modelo de AIA crônica será avaliado em modelo de artrite induzido por transferência de soro artritogênico. Na sequência, realizaremos o desenvolvimento farmacotécnico do extrato padronizado selecionado. Para tanto, serão avaliadas técnicas de secagem (evaporação sob pressão reduzida associada à liofilização ou spray-drying) e adição de excipientes e/ou estabilizantes para obter a formulação. A formulação obtida (extrato padronizado contendo excipientes e/ou agentes estabilizantes) será incorporada em cápsulas gelatinosas. Em seguida, realizaremos estudos de escalonamento com a formulação, realizando ajustes no processo, caso necessário. O lote piloto da formulação será então obtido, produzido de acordo com GMP internacionais, e terá sua qualidade atestada a partir de análises químicas, físico-químicas e morfológicas, segundo normativos da Farmacopeia Brasileira e da ANVISA. A eficácia do lote piloto da formulação será avaliada em modelo de artrite induzida por transferência de soro artritogênico, bem como suas respostas e mecanismos celulares e moleculares no sistema imunológico. Tendo em vista que E. macrophyllus tem propriedades anti-hipertensivas relatadas, e que pacientes artríticos apresentam maior incidência de doenças cardiovasculares, avaliaremos o efeito do tratamento com o lote piloto da formulação sobre a função vascular e cardíaca de animais artríticos e saudáveis, visando identificar reações adversas e/ou benefícios para o sistema cardiovascular e quadro inflamatório artrítico. Também investigaremos o efeito do lote piloto da formulação em modelo de artrite induzida pela infecção por Chikungunya vírus (CHIKV), já que dados anteriores de nosso grupo de pesquisa indicam similaridades no perfil inflamatório da AR e da artrite por CHIKV. A fim de avaliar a estabilidade dos marcadores ativos, realizaremos estudos de degradação forçada com o lote piloto da formulação. A segurança do lote pilo da formulação será avaliada em estudos de toxicidade pré-clínica aguda, subcrônica e crônica em laboratório certificado, segundo protocolos da ANVISA e de agências internacionais (EMA, OECD). Também investigaremos a farmacocinética dos marcadores ativos (C-glicosídeos flavônicos e ácidos aconíticos), presentes no lote piloto da formulação. Por fim, baseado nos resultados pré-clínicos obtidos, propomos elaborar um protocolo para estudo clínico de fase I para avaliação do lote piloto da formulação em pacientes sadios. O fitoterápico de E. macrophyllus desenvolvido representará um ganho significativo para os pacientes artríticos, devido a via de administração oral, além de redução significativa de custos para o SUS, em substituição aos fármacos biológicos. A proposta se insere nas linhas prioritárias definidas pelo Ministério da Saúde por meio da Agenda Nacional de Prioridades de Pesquisa em Saúde, que lista artrites e artroses não especificadas como prioritárias para estudo.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 02/01/2019-31/01/2022
Foto de perfil

Fernão Castro Braga

Ciências da Saúde

Farmácia
  • produtos naturais de espécies vegetais brasileiras com atividade sobre o zika vírus: estudos integrados de fitoquímica e farmacologia
  • A infecção por Zika vírus (ZIKV) é um dos grandes problemas de saúde pública no mundo, transmitida por mosquitos do gênero Aedes, com graves implicações sociais e econômicas. Apesar de seu impacto adverso na saúde humana, ainda não há vacina ou fármacos disponíveis para tratar as infecções por ZIKV, ou as complicações neurológicas decorrentes como microcefalia de recém-nascidos e síndrome de Guillain-Barré. O Brasil concentra o maior número de casos suspeitos e confirmados de infecção por ZIKV (346.475 casos), sendo que 17% das mulheres infectadas no país estavam grávidas. Por essa razão, a Organização Mundial de Saúde considera a infecção por ZIKV uma “emergência de saúde pública de interesse internacional”. Portanto, é urgente identificar novos agentes antivirais ativos frente ao ZIKV e produtos naturais de plantas apresentam-se como uma estratégia válida para este fim. A revisão da literatura sobre o tema indica um número reduzido de extratos vegetais e produtos naturais já ensaiados frente ao ZIKV. Estudos in silico de ancoragem molecular indicam polifenóis de diferentes classes como os melhores ligantes para as proteínas ZIKV protease, ZIKV helicase e ZIKV metiltransferase. A atividade antiviral dos polifenóis delfinidina, galato de epigalocatequina e soforoflavanona G foi demonstrada em ensaios in vitro frente ao ZIKV. Esteroides são outra classe de produtos naturais potencialmente ativos frente ao ZIKV. O 25-hidroxicolesterol (25-HC), administrado a camundongos prenhes, reduziu a infecção pelo ZIKV no cérebro fetal e protegeu contra a microcefalia induzida pelo vírus. Macacos tratados com 25-HC tiveram carga de ZIKV reduzida no sangue e na urina. Nesse contexto, o objetivo geral do presente projeto é identificar produtos naturais com potencial atividade frente ao Zika vírus, a partir da triagem de extratos vegetais e estudos fitoquímico e farmacológico das espécies ativas selecionadas. Tendo em vista os dados da literatura que indicam polifenóis e esteroides como produtos naturais potencialmente ativos, nosso estudo buscará identificar constituintes dessas classes. Para tanto, iremos obter extratos brutos (etanol 96 °GL) e extratos enriquecidos em polifenóis (acetona / água 7:3) ou triterpenos e esteroides (diclorometano), a partir de espécies vegetais ocorrentes na Estação Ecológica da UFMG e/ou disponíveis em nosso laboratório, fontes das classes de metabólitos supracitadas, para avaliação da atividade frente ao ZIKV. Inicialmente foram selecionadas espécies das famílias Apocynaceae (Hancornia speciosa), Combretacae (Terminalia argentea, Terminalia glabrescens, Terminalia catappa, Combretum fruticosum, Combretum leprosum), Erytroxylaceae (Erythroxylum cuneifolium, Erythroxylum tortuosum, Erythroxylum suberosum, Erythroxylum gonocladum), Malvaceae (Sida acrantha, Sida caudata, Sida glaziovii, Sida linifolia, Sida rhombifolia), Celastraceae (Maytenus floribunda, Maytenus salicifolia), Asteraceae (Baccharis dracunculifolia, Baccharis flexuosa, Baccharis intermixta, Baccharis ramosissima, Baccharis serrulata, Baccharis trimera, Baccharis trinervis) e Myrtaceae (Psidium irmum, Psidium guineense, Psidium rufum), e outras espécies também poderão ser incluídas na triagem. A atividade antiviral dos extratos será avaliada em ensaios de complexidade crescente. Inicialmente avaliaremos a citotoxicidade de todos os extratos em células Vero. Os extratos não citotóxicos serão então avaliados in vitro em cultura de células Vero infectadas por Zika vírus, ensaiados em uma concentração única (30 µg/mL). Aqueles que apresentarem atividade antiviral significativa serão avaliados em concentrações inferiores. Na sequência, avaliaremos a atividade dos extratos ativos no ensaio anterior em cultura primária de neurônios infectados com ZIKV, obtida de embriões de camundongos C57BL/6. Os extratos ativos nesse ensaio serão submetidos a estudos de desreplicação por cromatografia líquida de ultra eficiência acoplada a espectrômetro de massas com ionização por electrospray (UPLC-ESI-MS/MS). Para tanto, buscaremos identificar a presença de constituintes previamente relatados para a espécies e/ou gêneros, a partir dos perfis de fragmentação e comparação com substâncias de referência analisadas nas mesmas condições e/ou com dados da literatura. Em seguida, selecionaremos os três extratos com maior atividade antiviral nos ensaios em cultura de neurônios infectados para avaliação in vivo. Os ensaios serão realizados em camundongos deficientes para o receptor de IFN tipo 1 infectados com ZIKV, sendo a administração dos extratos realizada por via oral, em esquema de tratamento pré- e pós-infecção. A partir dos resultados obtidos nesse ensaio, selecionaremos o extrato com maior atividade in vivo frente ao Zika vírus e realizaremos seu estudo fitoquímico, visando isolar e identificar os constituintes bioativos, utilizando métodos cromatográficos e espectrométricos usuais. A atividade antiviral dos constituintes isolados será avaliada in vitro (cultura de neurônios infectados com ZIKV) ou in vivo (modelo murino de infecção por ZIKV), dependendo da disponibilidade de massa. Todas essas atividades serão realizadas com a participação de alunos de pós-graduação e graduação e, portanto, a proposta também objetiva formar recursos humanos especializados na pesquisa pré-clínica de potenciais agentes anti-ZIKV. Os resultados obtidos no projeto serão divulgados para a comunidade científica e o público leigo. Pelo exposto, os impactos econômico-social, de saúde pública e técnico-científico da proposta são inegáveis, visto que resultará na identificação de potenciais agentes ativos frente ao Zika vírus.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Filipe Camargo Dalmatti Alves Lima

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • estudo computacional de mecanismos de transferência de carga em sistemas nanotecnológicos
  • A literatura vem indicando uma crescente demanda no estudo de novos dispositivos eletrônicos em escala nanométrica, com a finalidade de aplicações nas mais diversas áreas do conhecimento. Dentro desta grande área, um conjunto de sistemas, formado por complexos metálicos e funcionalizados com moléculas orgânicas, tem se mostrado potenciais candidatos por conta de suas propriedades como capacidade de auto-organização, flexibilidade e capacidade de transferência de carga. Entretanto, muitas das propriedades destes sistemas ainda é discutida na literatura. A proposta do presente projeto consiste em investigar tais sistemas por meio de cálculos de primeiros. Os resultados aqui obtidos possuem um potencial para contribuir no entendimento de dispositivos eletrônicos, bioeletroquímica e eletrônica orgânica.
  • Instituto Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Filipe Dantas-Torres

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • detecção e caracterização molecular de riquétsias em carrapatos procedentes de focos de febre maculosa do estado de pernambuco
  • A febre maculosa é uma doença infecciosa grave causada por bactérias do gênero Rickettsia, tais como R. rickettsii e R. parkeri (= Rickettsia sp. cepa Mata Atlântica). Essas bactérias são primariamente transmitidas por carrapatos do gênero Amblyomma, principalmente A. sculptum (principal vetor de R. rickettsii) e A. ovale (principal vetor de R. parkeri). Apesar de ser majoritariamente registrada nas regiões sudeste e sul do Brasil, a febre maculosa tem sido cada vez mais diagnosticada na região nordeste. Contudo, pouco se sabe sobre a epidemiologia da doença nessa região do país. Um caso fatal de febre maculosa foi recentemente relatado em Pernambuco, sendo o primeiro caso fatal da doença no nordeste brasileiro. Contudo, a espécie de riquétsia envolvida, bem como a espécie de carrapato responsável pela transmissão não foram reveladas. Isso reforça a importância de novas pesquisas a fim de identificar as espécies de carrapatos potencialmente envolvidas na transmissão de riquétsias em Pernambuco. Diante do cenário emergente da febre maculosa em Pernambuco, o objetivo geral do presente estudo é investigar a presença de riquétsias do grupo da febre maculosa em carrapatos coletados em áreas onde foram notificados casos de febre maculosa e em uma área onde foi detectada a presença de Rickettsia sp. em A. sculptum.
  • Fundação Oswaldo Cruz - PE - Brasil
  • 15/05/2019-31/05/2022
Foto de perfil

Filipe de Carvalho Victoria

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • brio-tecnologia e myco-tecnologia como alternativa para produção de medicamentos
  • Na busca para atender demanda mundial de alimentos e expansão agrícola, a cobertura de vegetação própria das áreas naturais de todo o planeta estão sendo modificadas. Seja no Pampa, Sibéria e Índia, os impactos antrópicos vêm pondo em risco uma diversidade ainda pouco conhecida, principalmente pelo seu potencial biotecnológico, algo semelhante acontecendo com a Antártica, porém devido a mudanças climáticas. Com o advento da exploração de produtos naturais, incluindo toxinas, enzimas e metabolitos secundários extraídos de animais, bactérias, fungos ou plantas, os cientistas conseguiram compreender fenômenos complexos relacionados à biologia desses organismos. A compreensão de como eles crescem, desenvolvem, se alimentam e se reproduzem é o que motivou os cientistas a aplicar o conhecimento da biologia geral dos seres vivos a uma fonte de recursos biotecnológicos. Desta forma, é possível capturar a informação disponível na natureza e identificar espécies a serem usadas como modelo para a produção de medicamentos. O grande desafio é selecionar aqueles organismos capazes de serem usados nesses processos. O ponto crucial é obter biomassa (quantidade do organismo selecionado) suficiente para o uso do organismo na produção de produtos em grande escala. Muitas das espécies de musgo se desenvolvem em quantidades incríveis para dominar toda a paisagem antártica. Este não é o caso das espécies encontradas no Brasil, na Sibéria ou na Índia, por exemplo. Os cogumelos comestíveis também se destacam neste sentido. A fungicultura hoje é uma das atividades do agronegócio em destaque, principalmente pela facilidade e praticidade do processo produtivo. Cogumelos como Pleurotus spp. e Agaricus spp. estão entre os organismos mais cultivados nas Américas e Ásia. Assim, poderíamos selecionar espécies de musgos e cogumelos adaptados para desenvolver em grande quantidade de biomassa para seu uso no laboratório como vetores de produção de drogas. A produção de medicamentos torna-se uma alternativa interessante porque as plantas e os fungos são reconhecidas por serem facilmente modificadas para a produção de proteínas de qualidade, sendo apenas necessária a transformação do organismo com o gene de interesse, para que ela possa produzir produtos de interesse, esse conceito é chamado de biofábricas. Por exemplo, pode-se aplicar informações genéticas de identidade conhecida, como o gene que expressa insulina humana, e fazer com que uma planta ou cogumelo com grande desenvolvimento de biomassa em laboratório faça todo o trabalho de síntese desta informação, em grande quantidade e baixo custo. Isso implicará produtos mais baratos para a indústria farmacêutica e, conseqüentemente, para a população. Nesta proposta, objetivamos testar espécies distintas de musgos da Antártica e do Pampa brasileiro, e cogumelos do gênero Pleurotus para produção de biomassa utilizando técnicas de cultivo in vitro, utilizando as instalações do Central Siberian Botanical Garden, UniFreiburg e do Núcleo de Estudos da Vegetação Antártica (UNIPAMPA). As espécies escolhidas terão seus genomas seqüenciados em laboratórios UNIPAMPA para permitir estratégias para a expressão heteróloga L-Asparaginase, substância esta de importância para o tratamento de pacientes com leucemia linfoblástica aguda (LLA), utilizando a experiência ICGB INDIA e da Freiburg University em engenharia genética. Assim, a presente proposta visa identificar e selecionar uma espécie de musgos e cogumelos que produzem biomassa suficiente em laboratório para sua aplicação em biofábricas para produção de medicamentos, bem como avaliar a viabilidade dos peptídeos expressos de forma heteróloga no tratamento de doenças como LLA.
  • Universidade Federal do Pampa - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Filipe de Carvalho Victoria

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • brio-tecnologia antártica como alternativa para produção de medicamentos.
  • Na busca para atender demanda mundial de alimentos e expansão agrícola, a cobertura de vegetação própria das áreas naturais de todo o planeta estão sendo modificadas. Seja no Pampa, Sibéria e Índia, os impactos antrópicos vêm pondo em risco uma diversidade ainda pouco conhecida, principalmente pelo seu potencial biotecnológico, algo semelhante acontecendo com a Antártica, porém devido a mudanças climáticas. Com o advento da exploração de produtos naturais, incluindo toxinas, enzimas e metabolitos secundários extraídos de animais, bactérias, fungos ou plantas, os cientistas conseguiram compreender fenômenos complexos relacionados à biologia desses organismos. A compreensão de como eles crescem, desenvolvem, se alimentam e se reproduzem é o que motivou os cientistas a aplicar o conhecimento da biologia geral dos seres vivos a uma fonte de recursos biotecnológicos. Desta forma, é possível capturar a informação disponível na natureza e identificar espécies a serem usadas como modelo para a produção de medicamentos. O grande desafio é selecionar aqueles organismos capazes de serem usados nesses processos. O ponto crucial é obter biomassa (quantidade do organismo selecionado) suficiente para o uso do organismo na produção de produtos em grande escala. Muitas das espécies de musgo se desenvolvem em quantidades incríveis para dominar toda a paisagem das áreas de degelo da Antártica. Este não é o caso das espécies encontradas no Brasil, na Alamenha, na Sibéria ou na Índia, por exemplo. A produção de medicamentos torna-se uma alternativa interessante porque as plantas são reconhecidas por serem facilmente modificadas para a produção de proteínas de qualidade, sendo apenas necessária a transformação do organismo com o gene de interesse, para que ela possa produzir produtos de interesse, esse conceito é chamado de biofábricas. Por exemplo, pode-se aplicar informações genéticas de identidade conhecida, como o gene que expressa insulina humana, e fazer com que uma planta com grande desenvolvimento de biomassa em laboratório faça todo o trabalho de síntese desta informação, em grande quantidade e baixo custo. Isso implicará produtos mais baratos para a indústria farmacêutica e, conseqüentemente, para a população. Nesta proposta, objetivamos testar quatro espécies de musgos mais frequentes na Antártica, para produção de biomassa utilizando técnicas de cultivo in vitro, utilizando as instalações do Central Siberian Botanical Garden, UniFreiburg e do Núcleo de Estudos da Vegetação Antártica (UNIPAMPA). As espécies escolhidas terão seus genomas seqüenciados em laboratórios UNIPAMPA para permitir estratégias para a expressão heteróloga de L-Asparaginase, substância esta de importância para o tratamento de pacientes com leucemia linfoblástica aguda (LLA), utilizando a experiência ICGB INDIA e da Freiburg University em engenharia genética. Assim, a presente proposta visa identificar e selecionar uma espécie de musgos que produzem biomassa suficiente em laboratório para sua aplicação em biofábricas para produção de medicamentos, bem como avaliar a viabilidade dos peptídeos expressos de forma heteróloga no tratamento de doenças como LLA.
  • Universidade Federal do Pampa - RS - Brasil
  • 25/12/2018-31/12/2022
Foto de perfil

Filipe de Carvalho Victoria

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • geno-island: adaptações moleculares das plantas aos ambientes insulares
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Pampa - RS - Brasil
  • 28/11/2019-30/11/2022
Foto de perfil

Filipe Ferreira da Costa

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • impacto de uma formação de profissionais de educação física para atuação nos núcleos de apoio à saúde da família: uma pesquisa-ação
  • A promoção da atividade física tem sido amplamente reconhecida pelo Ministério da Saúde do Brasil como uma das estratégias prioritárias para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT’s). As ações, o aconselhamento e divulgação das práticas corporais e atividade física constituem um dos oito temas prioritários da Política Nacional de Promoção da Saúde. Nesse sentido, a atenção básica em saúde, organizada no Brasil por meio da Estratégia de Saúde da Família (ESF), constitui um contexto privilegiado e estratégico para a promoção de modos de vida saudáveis, dado o seu potencial para atuar sobre os principais fatores de risco modificáveis para as DCNT´s em uma grande parcela da população brasileira, e a crescente cobertura da ESF nos municípios (alcançou aproximadamente 60% da população brasileira em 2015). Idealmente, o profissional de Educação Física dos Núcleos de Apoio Saúde da Família – NASF correspondem atores privilegiados no sentido de ampliar e qualificar as ações de educação e promoção da atividade física na atenção primária em saúde. Contudo, pela deficiência de formação inicial para atuação no SUS segundo a lógica de trabalho própria do NASF, o matriciamento, não tem sido plenamente desenvolvido. Portanto, o presente estudo objetiva desenvolver um processo de educação permanente e avaliar seus impactos nas práticas profissionais de trabalhadores da atenção primária à saúde. Trata-se de uma pesquisa-ação a ser desenvolvida com 16 profissionais de Educação Física do NASF de João Pessoa-PB, e os respectivos profissionais de saúde matriciados por estes. A intervenção educativa está organizada em fases, quais sejam o diagnóstico, planejamento, implementação e avaliação. Todo o processo será pautado a partir do referencial da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde, favorecendo abordagens problematizadoras para o desenvolvimento das ações. O compartilhamento de experiências de pesquisadores e trabalhadores de outras regiões do país será oportunizado por meio de videoconferência. A coleta de dados ocorrerá por meio de gravações dos encontros de formação, grupos focais, entrevistas e observação participante nos cenários de prática. Para análise dos dados, a técnica de análise de conteúdo será utilizada. Para fins de avaliação do impacto da intervenção, um levantamento do tipo senso será realizado no período pré-intervenção e seis meses após a mesma, utilizando questionário padronizado previamente validado. Os dados quantitativos serão avaliados por meio da distribuição de frequências absoluta e relativa. Como resultados, espera-se o desenvolvimento de um processo de educação permanente capaz de provocar mudanças nos processos de trabalho de profissionais da atenção primária à saúde de João Pessoa-PB, com potencial para ser reproduzido em outros locais e em maior escala. Como produtos deste projeto, espera-se que sejam formados dois doutores pelo Programa Associado de Pós-graduação em Educação Física UPE/UFPB.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Filipe Pereira Giardini Bonfim

Ciências Agrárias

Agronomia
  • nea em rede: sistemas agroecológicos de produção vegetal em prol da soberania e segurança alimentar
  • O atual modelo exploratório agrícola vigente põe em risco a soberania alimentar dos cidadãos e os recursos naturais. A cidade de Botucatu faz parte da APA Tejupá, Corumbataí e Botucatu e encontra-se em um território de fragilidade ambiental, tendo em vista a localização em uma área de abastecimento do Aquífero Guarani. A utilização da terra em grande escala para monocultura de cana-de-açúcar, citros e eucalipto, acelera o processo de degradação ambiental. Nesse contexto, a criação de um Núcleo de Estudos em Agroecologia por intermédio da atuação do Grupo Timbó de Agroecologia procura fortalecer o movimento agroecológico e promover a soberania e segurança alimentar de Botucatu e região, levando em consideração o panorama exposto. A rede de trabalho em Agroecologia é formada por diversas instituições, as quais exercem atividades que procuram promover a indissociabilidade e transdisciplinaridade do tripé ensino, pesquisa e extensão. Consideram ainda que a articulação e socialização dos conhecimentos são fundamentais para o progresso e aperfeiçoamento de ferramentas nessa área de atuação e procuram ainda obter avanços nas políticas públicas nos meios rurais e urbanos locais. Para a organicidade interna do Grupo Timbó, serão utilizadas metodologias que buscam ouvir os participantes envolvidos no projeto de modo que o compartilhamento das ideias seja o primeiro passo na realização dos sonhos coletivos. A metodologia participativa camponês a camponês é uma aliada para a execução das atividades de extensão que estão em convergência com as demandas dos agricultores. De modo geral, a consolidação do NEA contribuirá para o empoderamento dos agricultores familiares no acesso ao cultivo de plantas alimentícias, melhoramento dos espaços públicos, inovação das tecnologias provenientes das pesquisas, socialização de conhecimentos para a população à cerca da soberania e segurança alimentar.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 01/12/2017-31/10/2020
Foto de perfil

Filipe Pereira Mesquita dos Santos

Outra

Divulgação Científica
  • realidade virtual e aumentada: tecnologia para espaços não-formais de educação
  • O presente projeto visa estimular a utilização de tecnologias emergentes em espaços formais e não formais de ensino. Atualmente, alguns jogos e aplicativos de telefones utilizam ferramentas tecnológicas avançadas para o entretenimento, e a academia tem sido tímida na apropriação desse conhecimento que pode auxiliar em tarefas de divulgação científica e aulas. Apresentamos um conjunto de possibilidades instrumentais e metodológicas que podem ser construídos e utilizados em salas de aula e espaços não formais de educação. Propomos, de forma objetiva, a construção de dois aparatos: um utilizando realidade virtual, outro realidade aumentada.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Filipe Selau Carlos

Ciências Agrárias

Agronomia
  • pastagens de outono/inverno em terras baixas: alternativa para o aumento da eficiência do uso de nutrientes na cultura do arroz irrigado
  • O arroz irrigado é uma cultura que demanda grandes quantidades de nutrientes para obtenção de satisfatórios níveis de produtividade. Contudo, o sistema de produção de arroz irrigado é um sistema “aberto”, pois, a maior parte das áreas cultivadas com essa gramínea estival permanecem em pousio no outono/inverno. Essa condição poderia ser explorada com o cultivo de plantas de cobertura e/ou pastagens que, dentre várias vantagens, pode contribuir para a maior ciclagem e suprimento de nutrientes para o arroz irrigado cultivado em sucessão. Dessa forma, esse trabalho terá o objetivo de avaliar a contribuição de pastagens para a disponibilidade de nutrientes em solos de terras baixas e os reflexos na nutrição e produtividade de arroz irrigado. O estudo 1 será um experimento de campo que será conduzido na área experimental da Granja Quatro Irmãos, Rio Grande-RS. Este experimento terá como tratamentos as duas coberturas de solo: I) trevo persa e II) pousio em que serão submetidas doses crescentes de N (0, 60, 120 e 180 kg N ha-1) no cultivo de arroz, para avaliar a contribuição do trevo. O segundo estudo será dividido em duas ações de pesquisa. A ação 1 do estudo 2 irá avaliar o impacto de diferentes sistemas integrados de produção agropecuária em terras baixas que vem sendo conduzido na Fazenda Corticeiras, Cristal-RS. Nessa ação os tratamentos são cinco sistemas de produção de arroz no RS: de monocultivo contínuo de arroz até sistemas mais diversificados com a inserção do pastejo e a rotação de cultuas. A ação 2 do estudo 2 será conduzida em casa de vegetação na área experimental da UFPel. Nessa ação irá ser feita a avaliação e nutrição de plantas e produtividade de grãos de arroz e soja dos diferentes sistemas integrados de produção agropecuária do estudo 2, em ambas culturas sem fertilização. Dessa forma, espera-se um maior entendimento dos processos de ciclagem e disponibilidade de nutrientes nestes sistemas em ambientes de terras baixas e os reflexos no desenvolvimento de plantas de arroz. Espera-se com essa pesquisa criar subsídios para o uso de leguminosas e de sistemas integrados de produção agropecuária no sistema de produção de arroz irrigado com vistas a redução dos níveis de fertilização nitrogenada e manutenção de satisfatórios níveis de produtividade de grãos.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Filipe Vieira Santos de Abreu

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • análise da presença e persistência do sars-cov-2 em águas de superfície e ictiofauna da bacia hidrográfica do baixo e médio jequitinhonha, mg
  • A bacia hidrográfica do rio Jequitinhonha abrange uma região com sistemas de saúde e saneamento básico precários, fazendo-se necessário adotar medidas eficientes de controle e prevenção de doenças. Sabe-se que a via fecal-oral é uma rota importante para a transmissão de agentes virais, juntamente com a água e alimentos contaminados. Soma-se a isso, que estudos recentes indicaram que o esgoto pode ser um veículo para transmissão da COVID-19. No presente trabalho, objetiva-se analisar a presença e persistência do SARS-CoV-2 em águas de superfície e em peixes da Bacia Hidrográfica do Baixo e Médio Jequitinhonha, MG. As amostras de água e de muco de peixe serão coletadas durante 2 anos, num período de seis meses consecutivos em cada ano, iniciando-se em pontos de amostragem que contenham elevados índices de contaminação. Cada amostra de água será previamente concentrada por ultrafiltração e posteriormente submetida a filtro bacteriano/viral de eficiência 99,99%. O vírus retido, nesta última etapa, será extraído com meio Dulbecco MEM (DMEM), congelado com nitrogênio líquido e armazenado a -80 °C em frascos esterilizados. Amostras de mucosa da boca e da camada externa da pele do peixe serão capturadas com auxílio de swab tipo Rayon Estéril Stuart e ambos submetidos a ensaios moleculares (RT-qPCR) no departamento de microbiologia da UFMG (Lab vírus), enquanto será montado, paralelamente, laboratório de microbiologia no IFNMG visando-se a filtração das amostras de água e a capacitação da equipe para realização futura de testes. Espera-se identificar o SARS-CoV-2 ou partículas virais tanto na água como no muco de peixes e compreender possíveis mecanismos de transmissão e dispersão naturais desse vírus.
  • Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 27/08/2020-26/09/2022
Foto de perfil

Filippe Elias de Freitas Soares

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • perfil enzimático de fungos entomopatogênicos em resposta a fatores abióticos de estresse
  • O desenvolvimento do setor agrícola brasileiro observado nos últimos anos apresenta uma correlação com o aumento da produção e aplicação de defensivos químicos para o controle de pragas agrícolas. O uso excessivo e não planejado de produtos químicos vem apresentando efeitos negativos, sejam eles do ponto de vista ambiental e de saúde pública, com aumento dos casos de acidente de trabalho, intoxicação, e perda da biodiversidade local, bem como do ponto de vista econômico, com o surgimento de insetos cada vez mais resistentes às formulações existentes no mercado. Metodologias alternativas para o controle de pragas têm sido objeto de estudo, destacando-se entre elas o desenvolvimento de formulações e metodologias de aplicação de fungos entomopatogênicos como agentes de biocontrole. Com o presente trabalho, espera-se avaliar os efeitos de termotolerância e virulência proporcionados pela metabolização da vitamina riboflavina adicionada ao meio de cultura de diferentes espécies de fungos entomopatogênicos. Espera-se também identificar o perfil das enzimas expressas frente a suplementação de riboflavina no meio de cultura e avaliar a sua aplicação in vitro no controle de artrópodes de interesse agropecuário. Para o cultivo dos fungos o meio de cultura terá sua composição otimizada para a produção de biomassa e enzimas. Em seguida, as enzimas serão extraídas e concentradas, por meio de métodos como a liofilização, filtração e centrifugação. A enzimas também serão purificadas utilizando procedimentos como precipitação com sulfato de amônio, cromatografia e eletroforese. Serão utilizadas cromatografias de exclusão molecular, troca iônica, e etc. As enzimas também serão caracterizadas em relação ao pH, temperatura, termoestabilidade e influência de sais. Por fim, será avaliada a atividade das enzimas sobre indivíduos adultos, larvas e ovos de artrópodes de interesse agropecuário, como Tenebrio molitor, Rhipicephalus sanguineus, Rhipicephalus microplus, Musca domestica e Aedes aegypti. O projeto objetiva melhores perspectivas para o desenvolvimento e utilização de micoinseticidas, bem como contribuir para boas técnicas de manejo integrado de pragas.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flábio Ribeiro de Araújo

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • sequenciamento genômico para análise de persistência local e disseminação de focos de tuberculose bovina
  • A tuberculose bovina é uma importante enfermidade infecto-contagiosa, causada pela bactéria Mycobacterium bovis e responsável por consideráveis perdas econômicas. A tuberculose bovina também se constitui uma barreira sanitária e, além dos aspectos econômicos, é um problema de saúde pública, pelo potencial de transmissão ao homem. O sequenciamento genômico apresenta grande potencial para investigação da epidemiologia da tuberculose bovina. A possibilidade de observar mutações no genoma bacteriano permite o rastreio da transmissão da doença a diferentes escalas, ao nível do animal ou do rebanho, e permite a inferência da estrutura de contatos entre populações. Esta estratégia tem sido usada com sucesso visando rastreamento de focos e estudos epidemiológicos no Reino Unido e Estados Unidos. Este projeto tem como objetivo gerar informações genômicas de isolados provenientes de áreas de ocorrência de tuberculose bovina no Brasil, visando gerar marcadores que possam ser usados para avaliação da persistência local e disseminação de focos. Para tanto, serão sequenciados genomas de 60 isolados de M. bovis do Rio Grande do Sul e 15 isolados de Mato Grosso do Sul, provenientes de cultivo de tecidos de bovinos em identificados pelo Serviço Veterinário de cada estado; e 19 isolados de M. bovis do Rio Grande do Sul, provenientes de javalis. Em seguida, serão identificados os polimorfismos de sítio único em cada isolado e determinada a divergência genômica entre isolados de M. bovis de bovinos e de javalis de vida livre em diferentes focos. Também será avaliado se as distâncias genéticas entre isolados se correlacionam com a distância espacial entre as fazendas e/ou com a distância entre fazendas e localização dos javalis, e se as distâncias genéticas entre isolados de M. bovis de bovinos e de javalis se correlacionam com a movimentação de animais. Ainda será determinada a taxa e modo de dispersão dos distintos genótipos de M. bovis, e confirmada se há transmissão entre animais bovinos e javalis.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - MS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Andressa Mazzuco Pidone

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • o papel da apoptose em coração de camundongos infectados com trypanosoma cruzi: relação entre morte celular e cardiopatia chagásica
  • A doença de Chagas é um problema de saúde pública uma vez que afeta milhões de pessoas no Brasil e no mundo. No homem, o Trypanosoma cruzi, agente etiológico da doença, causa graves complicações cardíacas que podem levar o indivíduo à morte súbita, além do aumento progressivo e generalizado do esôfago e cólon e comprometimento hepático severo. Observou-se anteriormente em camundongos, que a resposta imune era extremamente prejudicada quando os animais estavam infectados com T. cruzi. Tal resposta tinha como característica principal linfócitos T CD8+ com perfil pró-apoptótico que impedia um controle eficiente da infecção, levando os animais à cronificação da doença. Por outro lado, quando os animais foram submetidos à imunoterapia, a resposta celular não só era mais rápida, como também mais potente, sem a presença de moléculas que favoreciam a morte precoce dos linfócitos. Outros grupos de pesquisa também têm estudado o papel anti-apoptótico do T. cruzi. Se por um lado, o parasito é capaz de evadir as respostas imunes do hospedeiro com aumento da taxa de apoptose de células T CD8+, por outro lado, ele também possui a habilidade de promover a sobrevida de cardiomiócitos por meio da ação da cruzipaína. Dessa forma, o objetivo do presente projeto será avaliar a expressão de genes envolvidos nas vias da apoptose, em coração de camundongos infectados com a cepa Y do T. cruzi, buscando a correlação destes genes com as alterações histológicas, por meio da técnica de PCR Array. Por fim, realizaremos o ensaio do cometa, a fim de avaliar se as alterações causadas pela presença do parasito são capazes de causar danos ao DNA no coração dos animais infectados. A compreensão de mecanismos complexos de sobrevivência dos quais o parasito se utiliza, contribuirá de forma significativa para o entendimento da relação patógeno-hospedeiro, abrindo perspectivas para o desenvolvimento de novos fármacos e para o entendimento de outros microrganismos. Palavras-chave: T. cruzi, apoptose, coração, expressão gênica.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Caló de Aquino Xavier

Ciências da Saúde

Odontologia
  • influência do colesterol/caveolina-1 nas propriedades de membrana celular e de células-tronco em carcinoma epidermoide de boca.
  • A Caveolina-1 (Cav-1) é a principal proteína que constitue as cavéolas, áreas ricas em colesterol na membrana plasmática. A Cav-1 tem sido implicada como importante biomarcador molecular na progressão tumoral no Carcinoma Epidermoide de Boca (CEB). A depleção de colesterol desestrutura a integridade da membrana, associando-se a alterações na sinalização e na permeabilidade celular. Ainda, pouco se sabe como os componentes da membrana plasmática podem afetar as propriedades e fenótipo das células-tronco tumorais. O presente estudo tem como objetivo avaliar o efeito das alterações na relação colesterol/Cav-1 nas propriedades de membrana celular em linhagem celular de CEB, bem como a sua influência na caracterização de um perfil de células tronco-tumorais. Será determinado o nível de colesterol e a expressão gênica de CAV-1 em 6 grupos experimentais: SCC9 não-tratada (SCC9 parental); SCC9 depleção de colesterol (MbetaCD-SCC9); SCC9 depleção de colesterol sobrenadante (MbetaCD-SCC9 sobrenadante); SCC9 enriquecida de colesterol (Chol-SCC9); SCC9 transfectada com controle, siRNA não-específico (si Ctrl-SCC9); SCC9 transfectada siRNA CAV-1 (si CAV-1-SCC9). A fluidez de membrana será determinada através de marcação por sonda fluorescente seguida de análise por FACS. A adesão e invasão celular serão também determinadas. Adicionalmente, o perfil de expressão de marcadores de células-tronco (ALDH1, OCT4, SOX2, BMI1, CD44/ESA), que será determinado por FACS, e o ensaio de formação de colônia auxiliarão na caracterização do fenótipo dos grupos experimentais. Os resultados do estudo contribuirão no entendimento do complexo colesterol/CAV-1 como possível regulador de eventos moleculares relacionados a proliferação, invasão e resistência tumoral em CEB. Assim, acredita-se que o estudo promova um auxílio direto na caracterização de um fenótipo tumoral que pode ser modulado e beneficiado com terapias alternativas.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Campos Corgosinho

Ciências da Saúde

Nutrição
  • efeitos da suplementação de compostos bioativos na expressão gênica de marcadores inflamatórios e na infiltração de macrófagos em pacientes com obesidade
  • A genômica nutricional representa hoje uma nova ciência dentro da nutrição, que busca compreender como os nutrientes ou compostos bioativos interagem com o nosso genoma modulando a expressão gênica. Nesse sentido, nutrientes ou compostos bioativos com ações anti-inflamatórias podem atuar em vias de sinalização de fatores de transcrição envolvidos na inflamação. Apesar dos esforços globais para promover o emagrecimento, a obesidade ainda é um dos principais problemas de saúde pública. A hipertrofia exacerbada do tecido adiposo, decorrente do balanço energético positivo, leva à um quadro pró-inflamatório que é intensificado pela infiltração de macrófagos. A infiltração de macrófagos tem sido associada ao desenvolvimento de outras doenças como Diabetes Mellitus tipo 2, Hipertensão Arterial, Dislipidemias, Esteatose Hepática Não Alcoólica (EHNA) e consequentemente à síndrome metabólica. Mediante a complexidade da obesidade novas alternativas são necessárias para otimizar a redução do estado inflamatório da doença e consequentemente minimizar o seu impacto na saúde. Atualmente, a curcumina tem sido alvo de estudos por suas diversas propriedades: antioxidante, anti-inflamatória e anticancerígena. Além disso, investigações prévias demonstraram que os ácidos graxos poli-insaturados ômega-3 possuem ação anti-inflamatória e importante papel na modulação metabólica. Embora vários estudos demonstrem os benefícios da curcumina e do ômega 3, os estudos que avaliam os seus efeitos diretamente no tecido adiposo e na infiltração de macrófagos são limitados à modelos experimentais, denotando uma importante lacuna científica na pesquisa clínica a ser investigada. Diante do exposto, o presente estudo tem como objetivo avaliar os efeitos da suplementação da curcumina e do ômega-3 na expressão gênica de marcadores inflamatórios e na infiltração de macrófagos no tecido adiposo. Trata-se de um ensaio clínico, duplo-cego, placebo controlado, composto por uma amostra de indivíduos com obesidade que serão submetidos à cirurgia bariátrica e receberão suplementação prévia de 3g/dia de curcumina, 3g/dia de ômega-3 ou 3g placebo/dia, estabelecida através de estudos prévios, durante 12 semanas. O presente estudo será realizado na cidade de Goiânia, com pacientes do Hospital Estadual Geral de Goiânia Dr. Alberto Rassi (HGG). Serão inclusos 60 pacientes adultos, com índice de massa corporal (IMC) acima de 40kg/m² que não apresentarem doenças inflamatórias agudas, doenças neoplásicas, síndromes genéticas, e que não relatem consumo crônico de álcool e drogas ilícitas ou psicotrópicos. A história clínica, antropometria, consumo alimentar, exames bioquímicos e ultrassonografia abdominal serão avaliados em dois momentos distintos que correspondem aos períodos que anterior e após a suplementação. Durante a cirurgia serão coletadas amostras de tecido adiposo subcutâneo e visceral através da técnica de biopsia, para análise morfológica e expressão gênica do perfil inflamatório. A avaliação nutricional será obtida por antropometria, recordatório habitual de 24 horas, Questionário de Consumos de Frequência Alimentar. A antropometria será avaliada através da medida do peso corporal, estatura, cálculo do IMC, circunferências de cintura, quadril e pescoço. A avaliação hepática será realizada por ultrassonografia abdominal. O sangue será coletado após jejum de 12 horas para dosagem de glicose, lipídeos totais, triacilgliceróis, colesterol total e frações, enzimas hepáticas e proteína C reativa. Alíquotas de soro e plasma serão estocadas adequadamente (-80°C) para posterior análise do perfil inflamatório, por meio de ensaios imunoenzimáticos (ELISA - Enzyme-Linked Immunosorbent Assay). Durante o ensaio clínico, a equipe de pesquisa realizará visitas domiciliares aos voluntários a cada três semanas para orientar quanto ao uso do suplemento, recolhimento dos frascos vazios e distribuição de novas cápsulas. A coleta do tecido adiposo será realizada durante a cirurgia e as amostras destinadas para análise morfológica serão submetidas a formalina (4%). Posteriormente as amostras de tecidos preparados serão encaminhadas ao laboratório de ciências biológicas da Universidade Federal de Goiás e fixadas em parafina para corte histológico. A infiltração de macrófagos será avaliada em parceria com a Università Politecnica Delle Marche (Itália), por imuno-histoquímica, e serão analisados o tamanho dos adipócitos assim como a concentração de macrófagos por área. Um segundo fragmento de cada tecido será colocado em Tubos de reação livres de RNA-ase e DNA-ase e serão congelados instantaneamente com gelo seco e álcool e armazenado a - 80ºC para análises de expressão gênica de marcadores pró-inflamatórios. A análise da expressão dos genes será realizada por reação em cadeia da polimerase em tempo real (qRT-PCR), com o auxílio de ensaios TaqMan Gene Expression inventariados, em parceria com o laboratório de biologia molecular da Universidade Federal de São Paulo. A avaliação do nível de expressão de miRNAs será realizada em amostras de plasma, de tecido adiposo por meio da reação em cadeia da polimerase em tempo real (qPCR). Todos os dados obtidos serão submetidos à análise estatística realizada com testes adequados para distribuição dos dados, com nível de significância fixado à 5%. O presente estudo permitirá o desenvolvimento de uma linha de pesquisa pautada na investigação de novas estratégias nutrigenômicas para aplicação na prática clínica. Sua relevância é destacada pelo fato de que as estratégias desenvolvidas no estudo podem ser facilmente implementadas na rotina clínica, caso seja comprovado os benefícios da suplementação tanto na inflamação quanto no perfil metabólico desses pacientes. Adicionalmente, a execução desse projeto possibilitará a interação e parceria entre professores de diferentes departamentos e instituições, interações entre alunos de graduação de diferentes cursos da área da saúde, em seus diferentes níveis de formação.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Charão Marques

Ciências Humanas

Antropologia
  • cooperação, criatividade e sociobiodiversidade: uma questão de gênero
  • Por meio da sinergia de competências nos estudos do desenvolvimento e da alimentação, o projeto busca identificar e analisar as transformações socioeconômicas produzidas pelo cooperativismo, particularmente em sua interseção crítica entre as demandas contemporâneas de gênero por igualdade e inclusão socioeconômica, e a problemática da alimentação. Assim, esta proposta assume que a incorporação de mulheres em empreendimentos cooperativos traz uma contribuição significativa para a autonomia econômica das mulheres rurais, sendo um processo influencia positivamente o desenvolvimento social e econômico dos territórios. No entanto, considerando que esse processo de organização em cooperativas pode implicar em mudanças nos modos de vida e nas relações familiares, propomos a realização de estudos de cooperativas protagonizadas por mulheres rurais; de maneira a fornecer evidências empíricas para a descrição e análise de práticas, processos de criatividade, novas materialidades e relações sociais associadas a elas. Isso é importante para compreender a incorporação das mulheres às redes sociopolíticas, às cadeias de valor, ao mercado e aos centros de informação. Em nossa visão, essas materialidades contemporâneas estão gerando mudanças que ocorrem dentro e fora da unidade social familiar. A proposta considera as inter-relações entre as esferas da sociobiodiversidade e a geração de renda, uma interface central entre esses dois domínios territoriais existentes para estimular mudanças situadas localmente e ampliar a dinâmica de trocas no mercado. A pesquisa prioriza a busca de dados em experiências de campo, no intuito de transformá-los em informações úteis para organizar cooperativas de mulheres rurais. Serão utilizadas descrições e análises dos elementos e propriedades que territorializam as práticas socio-biológicas orientadas por aspectos de gênero, de modo a compreender como estas estão interligadas com a geração de renda e os empreendimentos cooperativos. Transversalmente, o foco na alimentação é particularmente importante, pois é uma prática generalizada e cotidiana nos níveis familiar, comunitário, territorial e social. O estudo da alimentação e suas práticas podem mostrar o uso criativo das interconexões da sociobiodiversidade, entre o individual, o coletivo e o mercado. O estudo desses envolvimentos de múltiplas dimensões pode contribuir para elucidar como as mulheres cooperativadas, em suas práticas situadas localmente, estão vivenciando mudanças intrafamiliares e comunitárias, ao mesmo tempo em que expandem seu espaço de existência vital individual, através de formas de organização cooperativa e da sua inclusão nos mercados, obtendo reconhecimento seus territórios e de seus produtos como parte de um patrimônio bio-cultural. Para além da produção científica, o projeto prevê a comunicação com a comunidade não acadêmica uso da combinação de imagem e texto para divulgar resultados e informações por meio de diferentes dispositivos e sites, além da organização de uma exposição fotográfica e da elaboração de um catálogo (digital e impresso) para tornar visíveis as propriedades culturais e os produtos da sociobiodiversidade (objetos territoriais). Espera-se que as estratégias de difusão possam promover a visibilidade das cooperativas de mulheres e seus produtos territoriais, destacando suas origens e biografias, enfatizando a importância do cooperativismo e das trajetórias socioeconômicas das mulheres como parte ativas em contextos contemporâneos de empreendedorismo.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 08/09/2018-30/09/2021
Foto de perfil

Flavia Cristina Camilo Moura

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • transformação de rejeitos de mineração em materiais de alto valor agregado para a remoção de antirretrovirais de meio aquoso por processos avançados de oxidação
  • Neste projeto serão desenvolvidos materiais de alto valor agregado a partir de rejeitos de mineração, ricos em ferro, para aplicações na remoção de antirretrovirais de meios aquosos, uma classe de contaminantes muito pouco estudada até então. Este projeto é de extrema importância para o Estado de Minas Gerais que possui intensa atividade mineradora e siderúrgica. As atividades de mineração geram uma quantidade significativa de estéreis e rejeitos, subprodutos inerentes ao processo de lavra e beneficiamento do minério, sendo que a disposição destes materiais afeta de forma qualitativa e quantitativa o meio ambiente. A forma de disposição dos rejeitos está relacionada diretamente ao tipo de minério e de processo empregado para o seu beneficiamento, ou seja, em princípio, seu estado de disposição (pasta, granel ou polpa) estará condicionado às etapas do processo e às características da planta, podendo, posteriormente, ser alterado conforme a metodologia proposta para a sua disposição final. A quantidade de rejeitos produzida é enorme. Uma preocupação desse setor refere-se ao grande espaço na natureza necessário para reter a enorme quantidade de rejeito gerado, configurando em grandes impactos ambientais negativos. Sendo assim, é interessante a busca por soluções que visem à diminuição da quantidade de resíduos gerados ou que permitem o seu aproveitamento como materiais alternativos em diversas áreas do conhecimento. Outra preocupação em relação à contaminação ambiental é a presença de contaminantes orgânicos em ambientes aquáticos. Entre os compostos orgânicos de interesse ambiental destacam-se os antirretrovirais. Nos últimos 20 anos, o aumento do número de pessoas que vivem com HIV e fazem tratamento com antirretrovirais teve um aumento exponencial, sendo que em 2016 a estimativa era que 19,5 milhões de pessoas faziam uso desses medicamentos. Essa grande quantidade de fármaco consumida gera preocupações ambientais já que, como outros medicamentos, os antirretrovirais não são completamente metabolizados ou absorvidos pelo corpo humano, sendo que excretado é dispensado nas águas superficiais. Existem estudos que mostram que a concentração de antirretrovirais em águas superficiais já é bem elevada, como no continente africano onde há maior concentração de pessoas vivendo com o vírus HIV, ou considerável como por exemplo, na China e Alemanha. No Brasil, onde aproximadamente 530 mil pessoas fazem uso do tratamento com antirretrovirais, não existem estudos na literatura que avaliam a presença desses medicamentos nas águas. Como os tratamentos de esgoto convencionais são insuficientes frente à degradação/remoção desses compostos, grande parte é lançada aos corpos d’água, chegando intactos ao meio ambiente. Portanto, a avaliação dos antirretrovirais e seus produtos de degradação é de grande relevância e existem poucos estudos na literatura sobre este tema. Com isso, a proposta deste trabalho é avaliar a remoção de antirretrovirais em sistemas aquosos com o intuito de caracterizar e identificar seus produtos de degradação, sobretudo visando a completa degradação desses medicamentos. Assim, o desenvolvimento de materiais de alto valor agregado a partir de rejeitos de mineração e sua utilização como adsorventes e catalisadores em processos de remoção de antirretrovirais por adsorção e oxidação, especialmente através de Processos Oxidativos Avançados – POAs, são foco deste projeto de pesquisa. Com esta linha de pesquisa central pretendem-se os seguintes impactos: • Criação de novos materiais baseados em rejeitos de mineração de ferro e alumínio de alto valor agregado com aplicações ambientais e tecnológicas; • Contribuir para o desenvolvimento de processos de remoção de contaminantes orgânicos de meios aquosos; • Criar novos materiais magnéticos, ricos em ferro, com caráter anfifílico, podendo atuar em sistemas óleo-água (bifásicos); • Contribuir para o reaproveitamento de rejeitos ricos em ferro, que é especialmente interessante para o Brasil e para o estado de Minas Gerias que possuem uma intensa atividade mineradora; • Estudar uma nova classe de contaminantes ambientais que até hoje pouco estudo tem sido realizado, como a presença dos antirretrovirais que tem tido sua utilização crescente no Brasil e no mundo; • Gerar patentes. O trabalho realizado tem potencial para gerar novas tecnologias e patentes; • Gerar colaboração com o setor industrial. O trabalho realizado já resultou em um projeto de colaboração com uma indústria, podendo gerar outros; • Resultar na transferência desta tecnologia; • Publicações científicas: o trabalho tem o potencial para gerar várias publicações devido ao caráter inovador e ambiental destes compósitos e contaminantes em foco, os antirretrovirais; • Formação de recursos humanos: estão envolvidos no projeto 4 alunos de pós-graduação e 2 alunos de IC.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022