Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Cristina de Almeida Fernandes

Ciências Sociais Aplicadas

Planejamento Urbano e Regional
  • 35 anos da política de informática (1984-2019) uma visão crítica da "modernização sem mudança" no país da desigualdade
  • O progresso técnico traz consigo perigos inerentes que põem em risco a própria reprodução da humanidade e da natureza (a exemplo das tecnologias da guerra, entre tantas outras). Sua “naturalização" por ideologias positivistas no mundo contemporâneo requer, portanto, o enfrentamento do fenômeno numa perspectiva crítica, para a qual as contribuições das ciências humanas são necessárias. Parte do arcabouço teórico em que se sustenta a presente proposta de pesquisa, compreende o “pessimismo revolucionário” de Benjamin (1978), Ellul (1965) e Habermas (1967), o qual pode causar estranhamento aos defensores da “cultura oficial” introjetada na política de CT&I contemporânea, mas a estes não escapará o reconhecimento de que as mudanças disruptivas decorrentes da chamada Quarta Revolução Industrial, cujas tecnologias digitais, de inteligência artificial, automação e robótica, biotecnologia e edição de DNA, novos materiais e a convergência entre várias delas, vêm provocando impactos extraordinários no mundo do trabalho (FREY; OSBORNE, 2013), na produção industrial, nos serviços e na agricultura (WEF, 2018) e mesmo nas formas de vida no planeta (DAS, 2017). Ao longo deste processo de tecnificação, o progresso técnico desenvolveu e aperfeiçoou capacidades e competências, racionalidades, valores e padrões de comportamento que, enfim, produziram um tipo de organização social favorável à sua reprodução ampliada e que transcendem a esfera econômica. É neste contexto avançado do progresso técnico que o termo inovação vai se destacar, assim como o enfoque sistêmico com que tem sido observado pelo olhar do cientista social contemporâneo, e incorporado ao campo das políticas públicas. Nas economias de mercado, o valor atribuído às capacidades inovativas das empresas cresce à medida que são compreendidas como fator primordial da ideia de desenvolvimento (aquela derivada da racionalidade própria do progresso técnico). E como tais capacidades não são igualmente distribuídas no território, sendo intrinsicamente associadas à formação econômico-territorial sobre a qual se forjou e se reproduzem os diferentes contextos socioeconômicos, concentram-se, portanto, em poucos países e regiões. Constitui-se uma divisão de trabalho entre os que lideram a produção continuada de novas técnicas e induzem sua extensiva difusão àqueles outros onde são replicadas e consumidas, como observa Furtado (1977). Tal divisão de trabalho se evidencia particularmente nas chamadas Grandes Ondas Kondratieff que marcam a emergência e difusão de paradigmas tecnológicos de abrangência universal. Definidoras da quinta Grande Onda, ou 5º. Kondratieff, e permanecendo centrais no 6º Kondratieff que já se avizinha na visão de muitos analistas, as tecnologias de informação e comunicação (TIC) podem ser consideradas indutoras da "evolução" desse processo de tecnificação no sentido do aprofundamento da digitalização da sociedade, da economia e mesmo da vida. Sua importância neste processo tem sido traduzida em políticas públicas de CT&I nos quatro cantos do planeta, que as entendem como paradigma tecnológico que, por pervasivo e emergente, abre oportunidades a novos atores econômicos, setores industriais, mobilizando esforços e investimentos públicos e privados, acadêmicos e empresariais (FERNANDES; MELO, 2017). No Brasil não é diferente, observando-se movimento crescente que compreendeu empresários, parlamentares e pesquisadores em torno do desenvolvimento de uma indústria brasileira de informática ainda na primeira metade dos anos 1970, movimento que culmina com a promulgação da "Política Nacional de Informática" (Lei no. 7.232/84), em 1984. Para promoção da indústria de informática no país, de hardware e de software, a política acompanhou originalmente a lógica da industrialização por substituição de importações prevalecente então no Brasil. Em 1991, com a abertura comercial, a PNI é alterada significativamente pela “nova lei de informática” (8.248/91), abolindo qualquer tratamento diferenciado às empresas de capital nacional, retirando as restrições às importações e focando no estímulo fiscal (isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados à indústria de informática e no investimento em pesquisa e desenvolvimento (P&D). Em contrapartida, a empresa devia aplicar o equivalente a, no mínimo, 5% do faturamento bruto em P&D no país. Desse total, a empresa deveria aplicar ao menos 2,3% em projetos com universidades ou institutos de pesquisa, sendo o restante aplicado em projetos internos. A nova lei continha também instrumento de política regional, ao direcionar 0,8% dos 2,3% de recursos destinados a P&D externo a instituições de pesquisa localizadas no Centro-Oeste, Norte e Nordeste. Segundo diversas análises, porém, os resultados têm sido frustrantes. Mesmo tendo naturalizado a tecnificação de todas as esferas da vida, a sociedade está hoje confrontada a desafios éticos e materiais nunca antes colocados pelo progresso técnico, reconhecidos inclusive por seus promotores, como Klaus Schwab, idealizador do Fórum Econômico Mundial. O presente projeto objetiva realizar uma reflexão nesta perspectiva crítica, tomando como estudo de caso a chamada Política Nacional de Informática, criada originalmente em 1984, mas que vem, desde então sendo objeto de diversas alterações que expressam adequação não apenas a mudanças no contexto da globalização desde os anos 1990, mas também a interesses de atores nacionais e estrangeiros que dela se beneficiam. O estudo tem como objetivos específicos construir arcabouço teórico a partir do diálogo entre diferentes contribuições do pensamento nas ciências humanas; caracterizar o contexto espaço-temporal em que ocorre a emergência da política e suas alterações; identificar os principais atores envolvidos, seus interesses e percepções com relação à política de informática brasileira, de modo a levantar neles uma problematização que permita inspirar contribuições ao seu aperfeiçoamento.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Cristina de Souza Vieira

Ciências Sociais Aplicadas

Serviço Social
  • desafios do enfrentamento da aids em pernambuco, em tempos de ajuste neoliberal e desmonte do sistema único de saúde
  • A pesquisa analisa o enfrentamento da epidemia de HIV/Aids em Pernambuco, Nordeste do Brasil, a partir de indicadores de saúde que apontam o crescimento entre homens, a incipiente redução da aids entre mulheres, e o aumento da mortalidade. A tendência mundial aponta para resultados opostos, diante da adoção de diretrizes de prevenção combinada para o enfrentamento da doença e da maior proivisão gratuita de antiretrovirais. Neste estudo, busca-se explorar como as desigualdades sociais e contradições do capitalismo tardio têm implicações no trato da aids em Pernambuco, supondo-se que as variações regionais expressam redução de recursos para HIV/Aids diante do avanço neoliberal, mas também características culturais, socioeconômicas, assimetrias de gênero e raciais, desenho de políticas nacionais, estaduais e municipais, expondo as condições de desigualdade e pobreza da região Nordeste. A pesquisa orienta-se pelo materialismo histórico-dialético, com coleta de dados empíricos sobre as ações desenvolvidas nos serviços públicos voltados para pessoas soropositivas e de prevenção à epidemia entre a população geral e populações-chave. Diante do agravamento da epidemia no Estado, as unidades de análise da pesquisa são os dez municípios com maiores prevalências de HIV/Aids. A reflexão teórico metodológica passa pelas tendências contemporâneas da política social no capitalismo tardio, em que o acesso aos recursos do fundo público destinados às políticas de reprodução social se torna campo de disputa de acumulação de capital, por meio de privatização não-clássica. Para a produção de dados primários serão realizadas entrevistas semi-estruturadas e em profundidade e grupos de discussão. Também será realizada coleta e análise documental de documentos administrativos, técnicos e políticos dos municípios analisados e do Governo do Estado que versam sobre as repostas do Estado. A equipe de pesquisa é formada por pesquisadores situados na academia e trabalhadores dos serviços de referência em HIV/Aids nos municípios, com experiências anteriores de trabalho conjunto, e discentes/pesquisadores em formação de graduação, mestrado, doutorado, pós-doutorado. Pretende-se contribuir para a melhoria dos indicadores de aids em Pernambuco, a partir da discussão dos determinantes do avanço da epidemia, identificando-se os desafios a enfrentar e propondo novas estratégias de enfrentamento à epidemia que, na contramão da história, avança em Pernambuco.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-31/08/2022
Foto de perfil

Ana Cristina Freitas de Vilhena Abrão

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • mães de prematuros sob intervenção de florais de bach: ensaio clínico controlado, duplo cego, randomizado
  • RESUMO: Devido aos altos índices de prematuridade e mortalidade neonatal, o leite humano, por suas qualidades ímpares, é a melhor escolha na alimentação para uma criança prematura, principalmente quando se trata de um recém-nascido com peso inferior a 1.500g. Estudos mostram que ao depararem com a impossibilidade de amamentar seu filho ao seio imediatamente após o nascimento, as nutrizes apresentam um quadro de estresse, ansiedade e dificuldade em manter a amamentação. Alguns estudos mostram que o uso de Florais de Bach contribui para a redução dos sintomas de estresse, no entanto não há estudos clínicos com mães de prematuros doadoras de leite humano. Objetivo: Analisar o efeito do uso de Florais de Bach (Five Flowers) no nível de estresse e produção láctea de mães de prematuros. Método: Trata-se de um ensaio clínico controlado, duplo cego, randomizado com mães de prematuros doadoras de leite humano, cujos filhos tenham sido internados na UTI Neonatal do Hospital Universitário da UNIFESP. O estudo será realizado no posto de coleta do Hospital Universitário da Universidade Federal de São Paulo. A amostra será de 102 mulheres, que estarão distribuídas igualmente em grupo intervenção (mulheres que receberão os Florais de Bach) e grupo placebo (mulheres que receberão placebo). A variável de desfecho primário é o estresse avaliado por meio do Instrumento Parental Stress Scale: Neonatal Intensive Care Unit e por meio da dosagem hormonal de cortisol. A variável de desfecho secundária é a produção láctea que será avaliada por meio do volume lácteo e dosagem do hormônio prolactina. A coleta dos dados será realizada entre 24 e 48 horas após o parto, entre o 5o e 7o dia e entre o 10 o e 12 o dia. Todas as análises serão planejadas e desenvolvidas considerando um nível de significância p=0,05. Espera-se que o uso de florais possa auxiliar na redução do nível de estresse de doadoras de leite humano, mães de prematuros e, consequentemente, no aumento da produção láctea, favorecendo assim o aleitamento materno exclusivo.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Cristina Garcia Dias

Ciências Humanas

Psicologia
  • integração ao ensino superior na transição da adolescência para vida adulta: o papel de estressores, expectativas e estratégias de enfrentamento na adaptação à universidade
  • Este projeto tem como objetivo geral investigar aspectos relacionados à transição para a universidade e à integração do estudante ao contexto universitário. O primeiro estudo tem como foco o estudante de ensino médio, e busca investigar fatores pessoais e contextuais que estão envolvidos na motivação para realizar o ensino superior. É sabido, que, apesar do maior número de oportunidades de ingresso no ensino superior para jovens de baixa renda e minorias, muitos não cogitam entrar na universidade. Assim, esse estudo busca conhecer o papel que a exposição à cultura do ensino superior tem sobre a aspiração (expectativas) aos estudos nesse nível de ensino, sem desconsiderar variáveis de caráter mais individual como autonomia, auto eficácia e a motivação para o crescimento pessoal. Espera-se que os resultados possam auxiliar ao compreender a melhor a importância tanto da motivação para o crescimento pessoal quanto da exposição à cultura do ensino superior como fatores que concorrem para a eleição do ensino superior como um objetivo de vida. Já o segundo estudo busca identificar como variáveis de saúde mental do estudante (depressão, ansiedade e estresse), expectativas referentes ao ensino superior, estratégias de enfrentamento e o desenvolvimento da autonomia afetam o processo de integração e adaptação ao estudo superior. Neste segundo estudo, de caráter longitudinal (1º e 3º semestre) pretende-se avaliar especialmente como as expectativas, o desenvolvimento da autonomia, as estratégias de enfrentamento e os sintomas de transtornos mentais (níveis de ansiedade, depressão e stress) podem emergir durante esse período do desenvolvimento (final da adolescência e início da vida adulta), em um contexto que pode trazer alguns novos estressores (maiores exigências acadêmicas, maior responsabilidade e autonomia frente aos estudos). Acredita-se que estudantes que apresentem maiores níveis de autonomia, apresentaram estratégias de enfrentamento mais funcionais. Esses estudantes também poderão apresentar melhores indicadores de saúde mental (como menores níveis de ansiedade, depressão e stress, e melhores níveis de adaptação/ integração à universidade, além de expectativas mais positivas face ao ensino superior). Pretende-se através desses estudos desenvolver, posteriormente, programas de intervenção que promovam a adaptação do estudante a universidade especialmente para aqueles interessados no estudo superior, que apresentam maiores riscos em termos de saúde mental (maiores indicadores de stress, ansiedade e depressão) e em termos desenvolvimentais (menores níveis de autonomia e suporte social).
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022