Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alexandra Valeria Maria Brentani

Ciências da Saúde

Medicina
  • usando um banco de dados de múltiplos poluentes ambientais para estabelecer limites críticos de exposição à poluição do ar na saúde materno-infantil no brasil
  • Por meio do nosso projeto anterior, estabelecemos uma parceria com a Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental – CGVAM, do Ministério da Saúde, que, em conjunto com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE desenvolveu nos últimos anos, um dos bancos de dados nacionais mais completos sobre poluição ambiental. O banco inclui medidas diárias de concentração de PM2.5, CO, O3, NO2 e SO2, além de direção do vento, umidade e temperatura para cada um dos municípios brasileiros no período de 2000-2019. Com 20 anos de dados de 5570 municípios, o banco contém 158 milhões de observações, que podem ser usadas para identificar, de maneira precisa, a relação entre poluentes ambientais e saúde materno-infantil. Para estabelecer tais associações, pretendemos cruzar o banco de exposição aos poluentes ambientais com três bancos de dados que contém informações de saúde materno-infantil: O Sistema nacional de informações sobre hospitalizações (SIHSUS), que contém o registro de todas as hospitalizações financiadas pelo SUS - alta de internação hospitalar - (AIH); O sistema nacional de informações de nascidos vivos - (SINASC), que contém cerca de 3 milhões de nascimentos por ano; e o Sistema de Informações de mortalidade (SIM),que contém todos os registros de óbitos ocorridos no país, incluindo informações sobre a data do óbito, idade do paciente e causa da morte, computados mensalmente. Nosso trabalho será dividido em 3 etapas. Na primeira etapa usaremos identificadores espaciais e administrativos para fazer o linkage de todos os bancos. Na segunda etapa, exploraremos uma serie de modelos de regressões lineares e não lineares para estimar a relação entre exposição única e múltipla dos agentes poluidores e i) efeitos adversos de nascimento; ii) mortalidade infantil; iii) mortalidade materna e do adulto iv) taxas de hospitalizações. De forma similar ao nosso projeto anterior, nós pretendemos estimar limites críticos de exposição à poluição ambiental, através da construção de curvas de modelos exposição-resposta para os desfechos estudados. Para investigar o formato da relação exposição-resposta entre desfechos adversos de saúde e exposição à poluição ambiental, usaremos diversos modelos (modelo linear, polinomial, não linear e spline) e critérios de “goodness to fit” para testar os limites críticos de exposição. Na última etapa, focaremos as queimadas e incêndios florestais, uma das ameaças ambientais mais proeminentes nos tempos atuais, com consequências globais para a biodiversidade, além do comprometimento da qualidade do ar no Brasil, em particular. Nós identificaremos as grandes queimadas florestais no período de 2000-2019 e usaremos desenhos do tipo “caso-cruzado/case-crossover” para estimar o efeito causal destes incêndios na qualidade do ar local e nos desfechos de saúde materno-infantil. Nosso time contém experts em análise de dados e em saúde ambiental, da Universidade de São Paulo e Swiss Tropical and Public Health Institute (Universidade de Basel), com extensa experiência em análise de grandes bancos de dados de poluição do ar, bem como dos bancos populacionais de informações em saúde brasileiros. Os achados deste projeto serão disseminados para a comunidade científica por meio da submissão de artigos à periódicos indexados. Relatórios e workshops serão produzidos para o Ministério da Saúde, para o grupo de vigilância ambiental e outros formuladores de políticas públicas interessados no tema.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 03/12/2020-31/01/2023
Foto de perfil

Alexandre Alves de Andrade

Ciências Biológicas

Biologia Geral
  • feira de ciências da rede municipal de ensino - fecirme: inovação, tecnologia e pensamento científico na educação básica
  • O desenvolvimento e a divulgação do conhecimento científico nas Unidades de Ensino são necessários e relevantes para o empoderamento e transformação social dos indivíduos. Dessa forma, as feiras de ciências nas escolas, principalmente na educação básica, assumem uma função de suma importância para o desenvolvimento do pensamento científico, da comunicação oral e da competência escrita dos discentes, além do fomento à aprendizagem, à inovação e à tecnologia. Nesse contexto, este projeto tem como objetivo geral promover um aprendizado significativo aos alunos do ensino fundamental e Educação de Jovens e Adultos - EJA, pautado na cultura científica, tecnológica e na investigação de problemas da sociedade. Tanto a produção, quanto a exposição e explanação dos projetos usam a metodologia, a linguagem e o conhecimento científico, a partir da realização da Feira de Ciências da Rede Municipal de Ensino - Fecirme. Assim, a Feira ocorrerá num formato híbrido, de forma que atenda as necessidades da realidade que enfrentamos e abrangerá todos os discentes que estão no Ensino Fundamental e EJA do município. Logo, a experiência que a Rede Municipal traz devido às outras edições habilitam a equipe a abordar o saber científico que possibilitará o exercício da cidadania consciente, considerando as especificidades locais.
  • Prefeitura Municipal de Mossoró - RN - Brasil
  • 11/04/2022-30/04/2024
Foto de perfil

Alexandre Balbinot

Engenharias

Engenharia Biomédica
  • identificação e mitigação de contaminantes em sinais de eletromiografia de superfície para fins de controle e diagnóstico
  • O objetivo deste projeto é a elaboração de métodos resilientes para processamento de sinais de eletromiografia de superfície (sEMG). Este sinal de interesse possui aplicações em diversas áreas envolvendo tanto a análise clínica para a elaboração de diagnósticos baseados na morfologia dos sinais quanto a sua utilização como sinais de controle para a ativação de dispositivos assistivos. Apesar de avanços recentes em relação à filtragem e a classificação destes sinais, a obtenção de um sinal confiável para ambas as finalidades permanece uma tarefa árdua devido à natureza estocástica e susceptibilidade a diversos tipos de contaminantes experimentais e fisiológicos ao qual o biosinal geralmente está submetido. Assim, há a necessidade de mitigar os efeitos sofridos pelos diferentes tipos de contaminantes para otimizar a utilização deste biosinal em ambos os casos. As técnicas que têm proporcionado melhores resultados na literatura ainda dependem muito de interferência humana no processo para identificação do contaminante e parametrização das técnicas de filtragem utilizadas. Portanto, existe a necessidade de desenvolver métodos autônomos capazes de lidar com estas contaminações dos sinais e potencializar sua eficiência e representatividade em ambos os casos. Portanto, este trabalho propõe um método de processamento resiliente que seja capaz de identificar e mitigar a influência dos diferentes contaminantes no sinal de eletromiografia e, portanto, disponibilizar sinais mais representativos para a identificação de eventuais miopatias e neuropatias baseadas na morfologia do sinal e também possibilitar o uso eficiente do biosinal no controle de dispositivos assistivos. Os desenvolvimentos focam ainda na elaboração de configuração de arranjos experimentais para a aquisição de bases de sEMG envolvendo os diferentes tipos de contaminantes e a transposição dos métodos desenvolvidos para avaliação em uma plataforma de processamento embarcado visando tecnologias wearable.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025