Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Sidnei Gonçalves da Silva

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • desenvolvimento de um fotômetro controlado por smartphone para análise de espécies em alimentos
  • O presente projeto é baseado no desenvolvimento de um fotômetro controlado por smartphone para determinação de espécies de interesse em alimentos. Com a construção deste dispositivo será possível obter-se um equipamento portátil, de baixo custo e com possibilidade de ser controlado remotamente à distância, conectando-se à uma rede Wi-Fi, ou via bluetooth. Em ambos os casos será possível controlar o equipamento através de um smarthphone, conferindo maior portabilidade e facilidade de controle do dispositivo. Após o desenvolvimento do equipamento será desenvolvido dois métodos para determinação fotométrica de espécies em alimentos. Em um primeiro trabalho será desenvolvido um procedimento para a determinação de oxalato em amostras de infusões baseado na formação do complexo entre o ácido 1,8-dihidroxi-2-(4-sulfofenilazo)-naftaleno-3,6-dissulfônico e o zircônio em 570 nm. Estudos realizados no laboratório indicaram que a presença de oxalato decompõe este complexo, levando a diminuição do sinal de absorbância no comprimento de onda de medida. É importante salientar que esta reação ainda não foi explorada para a determinação de oxalato em nenhum tipo de amostra. Em um segundo trabalho será explorado um procedimento empregando banho ultrassônico e geração de vapor frio de mercúrio para extração deste metal em amostras de peixes e em seguida, será explorada a determinação espectrofotométrica pela formação do complexo HgI4-2.
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sidnei Moura e Silva

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • bioalcaloídes: extração, identificação, síntese e atividade colinérgica de anéis tropânicos e homotropânicos naturais e sintéticos
  • A acetilcolina esta entre os mais importantes mediadores de sinapses. Presente no sistema nervoso central (SNC) bem como no sistema nervoso periférico (SNP), além de fazer parte do sistema nervoso autônomo, desempenha papel importante nos processos de memória, digestão, controle da frequência cardíaca, pressão arterial, circulação e muitas outras funções. Especificamente, os receptores α4β2 nAChRs tem relação direta com canais iônicos responsáveis por memoria, aprendizado e atenção. Modular a atividade de compostos a esse sistema é um desafio, pois a complexidade do mesmo conduz, na maioria dos casos, a baixa seletividade. Assim, esse projeto se propôs a trabalhar com moléculas ativas desde a modelagem molecular in silico, até a identificação da atividade in vitro e in vivo, passando pelo desenvolvimento de metodologias para síntese destes compostos. Para este desafio, foi formada uma equipe multidisciplinar, com diferentes e complementares expertises. Ainda, conta com a participação da Dra. Françoise Dumas, da Universidade Paris-Sud, que auxiliará em uma parte especifica do projeto, o desenvolvimento de metodologias utilizando altas pressões. Assim, este projeto terá como resultado a formação de recursos humanos de pós-graduação, com uma visão multidisciplinar pela interação entre os parâmetros necessários para o desenvolvimento de novos fármacos. A integração dos conhecimentos permitirá a divulgação dos resultados em periódicos de alto fator de impacto. Do ponto de vista tecnológico e de inovação este projeto propõe estudar possíveis moléculas ativas desde o seu conceito in silico até a avaliação da atividade
  • Universidade de Caxias do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sidnei Paciornik

Engenharias

Engenharia de Minas
  • uso de redes neurais deep learning no reconhecimento e classificação automática de macerais de carvão
  • Diversos processos de fabricação da indústria siderúrgica têm o carvão mineral como matéria-prima, p.ex.: produção de ferro gusa. Os constituintes individuais da matéria orgânica que compõe o carvão, chamados macerais, influenciam a qualidade e eficiência destes processos, podendo ser reconhecidos por análise de microscopia ótica. A caracterização microestrutural do carvão por microscopia ótica permite identificar os macerais pela refletância, cor, morfologia, anisotropia, tamanho e relevo ou dureza de polimento; sendo possível classificar o carvão, de acordo com um catálogo universal, conforme a presença e a quantidade de cada grupo de maceral. Essa descrição é de extrema importância, pois assim pode-se avaliar a qualidade e a origem de um determinado carvão e suas propriedades, como por exemplo, a reatividade do carvão em processos de pirólise e gaseificação, bem como seu comportamento durante a carbonização para a produção de coque. O método tradicional de caracterização de carvão, amplamente usado no mundo, é um processo manual/visual que requer um grande esforço, expertise e tempo do operador. O uso de uma aplicação automática de caracterização do carvão, além de trazer inovação ao usar tecnologia de ponta, também poderá aumentar a confiabilidade e reprodutibilidade dos resultados. Será um processo capaz de disponibilizar informações confiáveis de forma rápida e eficiente, que independe da expertise e do critério de um operador altamente treinado. Métodos baseados em Aprendizado Profundo podem aprender simultaneamente como extrair características complexas e fazer a classificação correta baseada nelas. As redes neurais convolucionais representam uma arquitetura de aprendizagem profunda que vem ganhando proeminência notável no reconhecimento de imagens. Não há, porém, indícios na literatura do uso dessas redes para o problema de classificação do carvão. Assim, a presente proposta visa desenvolver e treinar uma rede convolucional para automatizar a identificação de macerais de carvão. Dada a variedade de classes de macerais envolvidas e a complexidade da rede deep learning necessária, a etapa de treinamento envolve alta complexidade computacional. Portanto, o uso de recursos de cloud computing da Amazon, especialmente máquinas com múltiplas GPU´s, será vital para o desenvolvimento do sistema de classificação.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 31/08/2020-31/08/2022
Foto de perfil

Sidnei Raimundo

Ciências Sociais Aplicadas

Turismo
  • repensando o programa de uso público de unidades de conservação: inclusão social de comunidades locais e educação não formal para visitantes no parque estadual restinga de bertioga e nos núcleos bertioga e padre dória do parque estl da serra do mar (sp)
  • As áreas protegidas, ou unidades de conservação (UCs), têm sido consideradas uma forma bastante adequada, asseguradas pela legislação, de se proteger os conjuntos paisagísticos relacionados ao patrimônio natural e cultural e garantir a conservação e preservação em longo prazo, tanto das espécies de fauna e flora, e de outros recursos naturais, assim como garantir manifestação sociocultural e econômica de povos e comunidades tradicionais inseridas em seu interior ou entorno. Além da proteção da sociobiodiversidade, as unidades de conservação prestam serviços ecossistêmicos socioculturais, com o oferecimento de áreas para lazer, turismo, educação ambiental, cujas ações são sistematizadas em um Programa de Uso Público. Contudo, devido ao histórico do modelo de gestão dessas áreas, ainda muito preservacionista, os Programas de Uso Público frequentemente não conseguem propiciar uma sensibilização do público visitante, pois se embasam numa estrutura de educação formal, apoiadas por palestras e apresentação de conteúdos sem um maior envolvimento dos visitantes e, consequentemente, sem atingir plenamente a formação de uma consciência ambientalista dos visitantes. Não são considerados aportes dos campos do conhecimento do lazer e turismo, apoiados numa educação não formal no momento do tempo livre dos cidadãos. Também ainda é baixa a relação dos órgãos gestores dessas áreas em uma gestão integrada com populações que habitam o interior e/ou entorno das UCs, perdendo a oportunidade de envolvê-las nos processos de planejamento, gestão e monitoramento do uso público das UCs e também aportar nas atividades do programa, seus conhecimentos tradicionais. As áreas de estudo escolhidas para desenvolvimento deste projeto são o Parque Estadual da Serra do Mar – Núcleos Padre Dória e Bertioga -, e o Parque Estadual da Restinga de Bertioga, localizados no litoral centro e Serra do Mar do Estado de São Paulo. Tais UCs apresentam características de sociobiodiversidade e oportunidades para estruturação de um programa de uso público embasado nos pressupostos de uma educação pelo lazer e turismo, por meio de uma animação socioambiental e interpretação da natureza, constituindo-se em importantes áreas para testar novas metodologias de estruturação de Programas de Uso Público. Nesse sentido, o objetivo geral do projeto é analisar as práticas atuais e potenciais de lazer e turismo dessas Unidades de Conservação, construindo com as organizações locais, um programa de uso público a partir dos pressupostos do lazer e turismo enquanto prática cultural. E os objetivos específicos são: a) Inventariar as práticas de lazer da comunidade do interior e entorno dos parques; b) Analisar as atividades e equipamentos de uso público (visitação) dos parques, relacionando-os aos princípios da animação socioambiental e interpretação ambiental; c) Compatibilizar as aspirações de lazer das comunidades e as motivações de visitas dos turistas com as ações de conservação ambiental dos parques; d) Desenvolver, em conjunto com as organizações locais, ações de inclusão social para a comunidade do interior e entorno dos parques baseadas em atividades e ações de uso público; e f) Estruturar serviços e equipamentos voltados ao uso público na unidade de conservação que atendam ao direito ao lazer e aos princípios da animação socioambiental e da interpretação da natureza. Para atingir esses objetivos a metodologia foi dividida em cinco etapas, a saber: 1) Participação nos fóruns de gestão (conselhos consultivos das UCs), para apresentação do projeto e indicação e capacitação de colaboradores locais; 2) Levantamento de campo das práticas de lazer e turismo do interior e entorno das UCs do projeto; 3) Entrevistas com lideranças formais e informais sobre problemas e oportunidades para o uso público nas UCs; 4) Workshop com os membros dos fóruns de gestão. Apresentação dos resultados parciais do levantamento de campo e entrevistas e formulação de um plano de ação para o uso público das UCs; 5) Sistematização dos dados com produção do relatório final do projeto estabelecendo o diagnóstico e prognóstico coletivo dos programas de uso público das UCs. Os resultados esperados do projeto incidem sobre melhorar as formas de inclusão social das comunidades do interior e entorno das UCs, a partir da construção de ações públicas (empoderamento local), garantia de suas territorialidades e geração de emprego e renda (desenvolvimento local). Com relação às formas de visitação para turistas e moradores, permite avançar nas estratégias de uma educação pelo lazer e turismo contribuindo com o fortalecimento de uma consciência ambientalista.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022