Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Rubens Belfort Mattos Junior

Ciências da Saúde

Medicina
  • caracterização de vesículas extracelulares isoladas de pacientes com doenças oculares
  • Vesículas Extracelulares (VEs) são pequenas partículas compostas por lipídios, proteínas e ácidos nucleicos que são liberadas no meio extracelular por diferentes patógenos e praticamente todos os tipos celulares, inclusive tumorais. São encontradas em diferentes fluidos corporais como sangue, urina e fluido cérebro-espinhal. Estão envolvidas em comunicação intercelular à distância, modulando vários tipos de sinais celulares. O Melanoma Uveal (MU) é um tumor ocular que causa a morte de até 50% dos pacientes diagnosticados com a doença. Além disso, de 30 a 50% acabam desenvolvendo metástase hepática com sobrevida menor do que um ano. A Retinopatia Diabética (RD) é uma das complicações mais comuns da diabetes mellitus, e pode afetar mais de 1/4 dos pacientes, levando à cegueira se não for diagnosticada a tempo. Outra importante doença ocular, que é considerada a uveíte posterior mais comum em muitos países, é a Toxoplasmose Ocular (TO), infecção coriorretiniana causada pelo parasita Toxoplasma gondii. As VEs podem apresentar função importante não somente como biomarcadores para diagnóstico e prognóstico de doenças oculares, mas também como possível alvo terapêutico. Desta forma, o objetivo deste estudo, é isolar e caracterizar VEs do humor vítreo (HV), humor aquoso (HA) e plasma de pacientes diagnosticados com MU, RD e TO.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rubens Eduardo Garcia Machado

Ciências Exatas e da Terra

Astronomia
  • simulações numéricas de aglomerados de galáxias
  • Aglomerados de galáxias são as maiores estruturas colapsadas do Universo. As colisões entre aglomerados provocam distúrbios notáveis no gás do meio intra-aglomerado e também na distribuição da matéria escura. Portanto, tais colisões agem como laboratórios onde podemos investigar detalhadamente os fenômenos físicos do gás e também o comportamento dinâmico da matéria escura. Neste projeto, pretendemos modelar aglomerados de galáxias observados através de simulações gravitacionais hidrodinâmicas. A esse esforço de simulações, unem-se as outras duas principais técnicas para o estudo de aglomerados: a análise de dados observacionais em raios-X e a análise de lentes gravitacionais fracas. Este projeto também colabora para reforçar a pesquisa em astrofísica extragaláctica no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Física e Astronomia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rubens Leonardo Panegassi

Ciências Humanas

História
  • permeabilidade entre mundos e a recepção moura do projeto imperial manuelino (séculos xv-xvi)
  • O interesse deste projeto é aprofundar algumas questões que nortearam minha trajetória acadêmica e, também, consolidar uma agenda de pesquisa enquanto docente na Universidade Federal de Viçosa (UFV), Campus de Viçosa. Em linhas gerais, tal agenda articula-se às problemáticas que se desdobram do contexto dos descobrimentos marítimos perpetrados pelas nações ibéricas a partir do século XV, bem como à estruturação dos fundamentos ideológicos do primeiro grande império da Época Moderna. Entretanto, nosso interesse, agora, incide no mapeamento dos vínculos entre a Europa cristã e o islão. Entendemos a mediação ibérica no contato com diferentes povos e religiões, se caracteriza por uma ampla porosidade, em que se expressa um necessário descentramento que pode nos dar a conhecer conexões e interesses que conjugam experiências locais a outras dinâmicas históricas. Entendemos, em suma, que por este projeto se desdobrar do caminho que percorremos unindo a pesquisa à docência, esperamos alcançar resultados satisfatórios e correspondentes ao financiamento pleiteado.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rubens Manoel dos Santos

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • regimes de alagamento e funcionamento de florestas tropicais em várzeas e nascentes (watforfun)
  • A alta biodiversidade, o endemismo biológico, ecológico e funcional dos ecossistemas de florestas sazonalmente inundadas, bem como os serviços ecossistêmicos, têm chamado a atenção da comunidade científica. É a inundação sazonal de grandes rios moldaram esses sistemas, mas a interação entre a duração da inundação e a intensidade dessas florestas e sua composição e estrutura não é bem conhecida. Como resultado, os efeitos das mudanças nos regimes de precipitação e frequência de cheias devido ao clima e mudanças no uso da terra na ecologia e diversidade de plantas e outras espécies terrestres e aquáticas nestes sistemas não são bem conhecidos. O objetivo desta proposta de pesquisa é duplo: 1) investigar características da comunidade arbórea em diferentes freqüências de inundação, compreender sua ecologia (estrutura da comunidade, diversidade e estrutura filogenética, diversidade funcional e estrutura), suas relações com fatores ambientais (solo, hidrologia e clima), e sua dependência da água de inundação para a transpiração, e 2) para determinar se podemos usar o conhecimento sobre a relação entre a vegetação e a extensão da inundação para calibrar os modelos hidrológicos. Para tanto, planejamos estudar várzeas em duas bacias hidrográficas distintas: Rio Grande e Rio São Francisco. A bacia do Rio São Francisco possui grandes áreas de várzea, enquanto o Rio Grande possui uma topografia mais acidentada. Em cada uma delas, planejamos amostrar cinco nascentes (correspondentes à nascente do rio principal e seus quatro maiores afluentes) e a foz de quatro afluentes no total; estabeleceremos locais de pesquisa em 10 locais de nascentes e na foz de 8 afluentes. Em cada local de primavera serão instaladas 25 parcelas de 400 m², totalizando 250 parcelas ou 10 ha de área, e em cada tributário iremos instalar 30 parcelas de 400 m², totalizando 240 parcelas ou 9,6 h. As parcelas serão localizadas ao longo do gradiente de várzea: dique marginal, lagoa marginal, terraço inferior, planície inferior e planície superior. Em cada parcela, mediremos e identificaremos todas as árvores com diâmetro à altura do peito igual ou maior que 5 cm e coletaremos amostras de solo que serão posteriormente analisadas quanto à textura e nutrientes do solo. Levaremos amostras de xilema e amostras de solo quatro vezes por ano para análises de isótopos. Em cada local de pesquisa ao longo do gradiente de várzea, instalaremos câmeras de lapso de tempo e poços rasos para determinar a duração da inundação. Em cada local, também mediremos o estágio do fluxo e o fluxo de fluxo em um número selecionado de dias. Para cada parcela, calcularemos as medidas de diversidade taxonômica e filogenética, estrutura da comunidade, biomassa e características funcionais, e determinaremos a importância relativa da água da enchente e da precipitação local para a transpiração das árvores. Para avaliar os efeitos de variáveis ​​hidrológicas, climáticas e edáficas sobre as comunidades arbóreas, ajustaremos modelos lineares mistos (e / ou aditivos), pois estes são os mais adequados para lidar com a estrutura aninhada das parcelas e dependência espacial. Usaremos modelos de transporte hidrológico para determinar a infiltração de água da enchente no solo e misturar modelos para determinar a importância relativa da água da enchente e da água da chuva local para a absorção de água pelas árvores. Calibramos um modelo hidrológico conceitual para cada um dos rios e tributários usando dados sobre a largura do fluxo e a extensão da inundação (com base nas medições, dados da árvore e dados de satélite) para determinar o valor desses dados para a calibração do modelo. Finalmente, usaremos diferentes cenários climáticos para determinar o efeito da mudança climática na extensão e duração da inundação e com base nas ligações entre duração e frequência das cheias e dependência das árvores na água da enchente para a transpiração determinar os efeitos das mudanças climáticas sobre esses ecossistemas inundados.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 01/04/2019-31/03/2022