Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vanessa Amaral Mendonça

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • avaliação do perfil sarcopenico, nível de atividade física e força muscular em indivíduos com doença pulmonar obstrutiva crônica
  • A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) representa a quinta principal causa de morte no mundo e, de acordo com estimativas recentes, alcançará a terceira posição até o ano 2030. A doença desencadeia diversas alterações estruturais, locais e sistêmicas, resultando em aumento da inflamação, contribuindo para redução da tolerância ao exercício físico em decorrência da disfunção muscular periférica. Adicionalmente, a perda de massa magra é uma condição que pode estar presente na DPOC, sendo um fator importante para o desenvolvimento e progressão do quadro de sarcopenia em alguns casos. Assim, este estudo tem como objetivo principal investigar a sarcopenia e sua relação com a força muscular, nível de atividade física e concentrações de citocinas em pessoas com DPOC. Para tal, o presente estudo contará com a participação de sujeitos com DPOC, de ambos os sexos. Serão alocados 80 participantes divididos em quatro grupos, sendo eles: DPOC pré-sarcopenicos (PS), DPOC sarcopenicos (S), DPOC sarcopenicos grave (SG) e DPOC não-sarcopenicos (NS). Os participantes serão avaliados quanto à função pulmonar (espirometria) e avaliação prognóstica da DPOC. A composição corporal será avaliada por meio do cálculo do Índice de massa corporal (IMC), mensuração da circunferência abdominal e pelo exame de Absormetria Radiológica de Dupla Energia (DEXA). Adicionalmente, para avaliar o risco de sarcopenia, três testes serão realizados: o teste de velocidade de marcha de 4 metros, o Short Physical Performance Battery (SPPB) e a medida da força de preensão palmar. A avaliação do nível de atividade física será realizada por meio da aplicação do questionário Active Austrália Questionaire (AAQ) e por meio do uso do acelerômetro Polar Loop durante 7 dias. A força muscular respiratória será avaliada por meio da Pressão Inspiratória máxima (PImáx) e a Pressão Expiratória máxima (PEmáx). Secundariamente serão analisadas as concentrações plasmáticas de citocinas pelo método de ELISA sanduíche. Consideramos como hipótese alternativa que indivíduos sarcopenicos com DPOC apresentam menor força muscular e nível de atividade física que indivíduos com DPOC não-sarcopenicos, e que esses parâmetros têm relação com o grau de sarcopenia, bem como com alterações inflamatórias. Além disso, acreditamos que a sarcopenia associada à DPOC tenha relação com a piora da força e nível de atividade física.
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Batista Schramm

Engenharias

Engenharia de Produção
  • metodologia para identificação, estruturação e análise de conflitos ambientais na bacia do rio paraíba do norte
  • Existe uma expectativa de aumento no número de conflitos ambientais em alguns estados da região Nordeste em decorrência do projeto de integração do Rio São Francisco com bacias hidrográficas da porção sul da região Nordeste. Estes conflitos nascerão de disputas decorrentes das novas formas de uso da água que irão ocorrer, com destaque para aqueles envolvendo exploração econômica dos recursos naturais. A identificação e tratamento destes conflitos é uma condição essencial para garantir o desenvolvimento sustentável da região, que é o principal objetivo do Projeto São Francisco. Assim, esta atividade deve estar prevista nas atribuições dos comitês de bacias hidrográficas. O objetivo deste projeto é estudar e testar ferramentas para, com isso, desenvolver uma metodologia para apoiar o Comitê da Bacia do Rio Paraíba do Norte, na identificação, caracterização e análise de conflitos existentes e potenciais ao longo da bacia. A metodologia proposta tem potencial de se tornar um instrumento inovador de apoio à gestão de recursos hídricos no Brasil, que pode ser adotado por todos os comitês de bacias hidrográficas e por organizações de gestão de recursos hídricos no Brasil e no mundo. Além da metodologia em si, o projeto irá realizar um mapeamento dos conflitos existentes na Bacia do Rio Paraíba do Norte.
  • Universidade Federal de Campina Grande - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Bergamin Boralli Marques

Ciências da Saúde

Farmácia
  • da pesquisa básica para a saúde humana: uma abordagem multidisciplinar na busca por novos alvos e estratégias terapêuticas.
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Alfenas - MG - Brasil
  • 06/01/2020-06/01/2025
Foto de perfil

Vanessa Braganholo Murta

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • aceleração de experimentos científicos
  • Experimentos científicos, que anteriormente eram realizados apenas in vivo, hoje são realizados por meio de simulações computacionais, e normalmente envolvem vários programas diferentes que são encadeados de forma a realizarem a simulação desejada. Até que a hipótese experimental seja confirmada ou refutada, o cientista normalmente modifica a estrutura do experimento diversas vezes e testa diferentes parâmetros e algoritmos. A cada uma dessas tentativas, chamamos ensaio (do inglês trial). Um experimento, portanto, é formado por um ou mais ensaios que se sucedem em alguma ordem. Entre um ensaio e outro, há normalmente muita repetição: trechos de código se repetem, ou mesmo dados de entrada se repetem. O foco desse projeto reside em estudar e propor formas de acelerar a execução de um experimento com base em resultados de execuções de ensaios anteriores. Para isso, pretendemos trabalhar em três frentes: (i) mecanismo de cache, para que seja possível aproveitar resultados de partes de experimentos anteriores que sejam comuns ao experimento atual; (ii) recomputação incremental, para que seja possível reexecutar uma parte do experimento usando apenas um delta dos dados (diferença entre os dados antigos e os dados novos); e (iii) colaboração, para que seja possível que cientistas trabalhem em paralelo em uma mesmo experimento e compartilhem suas bases de proveniência. Como resultados, espera-se algoritmos que avancem o estado da arte, ferramentas que auxiliem cientistas de diversos domínios na execução de seus experimentos, além de publicações e formação de alunos de mestrado e doutorado.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Vanessa Carla Furtado Mosqueira

Ciências da Saúde

Farmácia
  • polímeros fluorescentes biodegradáveis funcionalizados com ligantes em nanoplataformas: imagem celular e in vivo com aplicação no diagnóstico e tratamento de doenças
  • Neste projeto nossa equipe de pesquisa está propondo o desenvolvimento de nanopartículas preparadas a partir de polímeros biodegradáveis derivados do ácido poliláctico (PLA) funcionalizados covalentemente pelo uso de sondas fluorescentes na região do infravermelho próximo e decorados à superfície com análogos do ácido siálico. As nanopartículas poliméricas a serem obtidas possuem amplas aplicações no direcionamento de fármacos para tumores e focos inflamatórios, que podem ser usados na fototermoterapia de tumores, bem como no diagnóstico por imagem in vivo (NIR image) em estudos não clínicos em pequenos animais. A co-funcionalização com sonda e ligante permite melhor controle do direcionamento ao alvo e acompanhamento da eficiência de “targeting” celular ou tecidual sem a transferência da fluorescência para proteínas e lipídeos (“jumping”), evitando-se artefatos durante os estudos de biodistribuição in vivo pela liberação precoce das sondas fluorescentes. Dentro do escopo do projeto propomos a síntese do ligante e dos polímeros, os estudos farmacotécnicos de preparo e caracterização detalhada das nanoestruturas e os estudos interação com proteínas plasmáticas e células, distribuição celular, ligação aos receptores, toxicidade para células tumorais de mama humana em modelo murinho e também efeitos antimetastáticos das partículas decoradas, além de estudos de seletividade e toxicidade frente a células normais (cardiomiócitos e células normais de mama). Os estudos de biodistribuição comparativos em animais sãos e com tumores de mama altamente metastáticos também estão previstos. Como visualizamos esse novo material polimérico como nanoplataforma para múltiplas aplicações em diferentes doenças, estudaremos o comportamento biológico das nanoestruturas e eventualmente poderemos associar diferentes fármacos visando aplicações farmacológicas ao longo do projeto. As sondas fluorescentes a serem utilizadas exibem atividade fotodinâmica e por isso podem também ser usados em terapia fotodinâmica do câncer (PDT) por meio de uso de foto irradiação. Nosso grupo tem experiência na área e é composto por pesquisadores que apresentam expertise complementar e adequada a execução desta proposta. Trata-se de projeto multidisciplinar e translacional que poderá gerar nova tecnologia de detecção por imagem com proteção intelectual, bem como uma plataforma muito útil para estudos pré-clínicos em pequenos animais que pretendemos disponibilizar para os pesquisadores no Brasil interessados no uso da nanomedicina.
  • Universidade Federal de Ouro Preto - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa da Silva Carvalho Vila

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • readmissões hospitalares após o acidente vascular cerebral: estudo misto convergente paralelo
  • Este projeto integrado será desenvolvido sob a coordenação de pesquisadores dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu - Mestrado em Atenção à Saúde, da Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Participarão da equipe executora pesquisadores da Escola de Enfermagem da Universidade British Columbia, Vancouver, Canadá, do Departamento de Estatística da Western University, London, Canadá e da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Goiás. O foco central será analisar e compreender os fatores relacionados a readmissões hospitalares não planejadas de sobreviventes ao acidente vascular cerebral atendidos em serviços de saúde hospitalares públicos e privados da região metropolitana de Goiânia, Goiás, Brasil. Conduzirão o projeto pesquisadores com experientes na condução de estudos científicos e na formação de recursos humanos em nível de mestrado e doutorado. Parte-se do pressuposto de que em casos de acidente vascular cerebral (AVC), o período após a alta hospitalar é reconhecido como de grande vulnerabilidade para pacientes e familiares, que requerem cuidados complexos. Trata-se de um campo fecundo para adoção de intervenções inovadoras destinadas a reduzir as readmissões hospitalares evitáveis. No Brasil, as limitadas informações sobre as frequentes readmissões de sobreviventes ao AVC evidenciam uma lacuna do conhecimento científico que necessita de aprofundamento para melhor redirecionamento de esforços em prol da gestão da segurança e qualidade do cuidado transicional após esse evento. Será desenvolvido um estudo misto do tipo convergente paralelo. Os objetivos serão : analisar as readmissões hospitalares não planejadas de pessoas que sobreviveram ao AVC; e compreender a experiência da readmissão após o AVC, na perspectiva de pacientes, cuidadores familiares e profissionais de saúde que atuam em serviços de saúde hospitalares públicos e privados, da região metropolitana de Goiânia, Goiás, Brasil. Na etapa com delineamento quantitativo será realizada uma análise retrospectiva, consecutiva dos prontuários clínicos e das autorizações de internação hospitalares de pessoas que estiveram internadas com diagnóstico de AVC, no período de janeiro de 2018 a dezembro de 2019, em três hospitais gerais, um centro de reabilitação e um hospital privado especializado em neurologia localizados na região metropolitana de Goiânia. Serão coletados dados relacionados as caraterísticas sociodemográficas e clínicas dos pacientes, as circunstâncias sociais, aos sistemas de saúde, ao processo ou cuidado clínico e aos desfechos em saúde após as readmissões. Nesta fase, além de análise descritiva, serão desenvolvidos teste de correlação, regressão logística e múltipla. A etapa com delineamento qualitativo contemplará uma investigação exploratória sobre a experiência da readmissão após o AVC, conduzido segundo os pressupostos metodológicos descritos por Thorne. Os participantes dessa etapa serão sobreviventes ao AVC readmitidos no período de um ano; seus respectivos cuidadores familiares e profissionais de saúde que participam do processo de alta hospitalar. Os dados serão coletados mediante entrevistas e grupos focais e analisados por meio da análise temática interpretativa, seguindo as seis etapas recomendadas por Braun e Clarke. Os resultados dos dois estudos serão triangulados e interpretados a luz do Modelo de Cuidado Ideal de Transição do Cuidado descrito por Burke e colaboradores. O projeto será submetido ao processo de análise ética conforme o protocolo brasileiro previsto na Resolução 466/2012.
  • Pontifícia Universidade Católica de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Vanessa de Brito Poveda

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • manutenção da normotermia do paciente cirúrgico: métodos de aferição de temperatura e pré-aquecimento
  • A prevenção da hipotermia perioperatória permanece como um desafio, exigindo o aprimoramento de práticas para o alcance do sucesso na manutenção da normotermia. Entre elas, a adequada monitorização e registro da temperatura do paciente durante o perioperatório e a necessidade de prevenir que cheguem hipotérmicos às salas cirúrgicas, diminuindo a efetividade das demais medidas empregadas. Dessa forma, a presente proposta se compõe por dois estudos, com os seguintes objetivos: (1) avaliar um dispositivo de avaliação da temperatura corporal no perioperatório, do tipo termômetro “Zero-Heat-Flux Cutaneous”, em comparação ao cuidado padrão (termômetro temporal no pré e pós-operatório e esofágico no intraoperatório) e (2) determinar o efeito do pré-aquecimento na temperatura corporal dos pacientes submetidos a cirurgias do sistema digestório. Para o alcance do primeiro objetivo pretende-se realizar um estudo longitudinal de medidas repetidas, comparando os resultados obtidos a partir de um termômetro central do tipo “Zero-Heat-Flux Cutaneous”, em relação às medidas de temperatura periférica (temporal) e central (esofágica) atualmente utilizadas. O segundo estudo trata-se de um ensaio clínico randomizado composto por três grupos, a saber: apenas o aquecimento pré-operatório dos pacientes com cobertor e lençol de algodão (controle); aquecimento pré-operatório com sistema de ar forçado aquecido por 20 minutos (Intervenção 1) e participantes submetidos ao aquecimento pré-operatório com sistema de ar forçado aquecido por 30 minutos (Intervenção 2). Acredita-se que este estudo permitirá a aplicação das melhores evidências científicas relativas à manutenção da normotermia perioperatória à prática clínica e seus resultados poderão ser reproduzidas em diversos serviços de saúde.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-31/08/2022
Foto de perfil

Vanessa Fernandes Guimarães

Outra

Divulgação Científica
  • museus e centros de ciência em tempos de pandemia: a mudança no paradigma de público em três instituições do rio de janeiro.
  • As importantes transformações impostas pela pandemia de Covid-19 afetaram extraordinariamente as dinâmicas social, econômica e cultural de centenas de milhões de pessoas, levando ao fechamento ou controle da capacidade de todos os espaços de reunião e concentração de pessoas em diferentes partes do mundo. A área da cultura foi particularmente afetada já que a maioria das atrações e manifestações foi cancelada ou fechada para o público por tempo indeterminado. Os museus não foram a exceção: a partir do início de 2020, a maioria dos museus fechou as portas para visitas presenciais e buscou, desde então, não perder contato com diferentes públicos por meio de iniciativas direcionadas ao ambiente digital. Várias ações de divulgação científica dos museus e centros de ciência (MCCT) migraram do presencial para o virtual e novas ações foram criadas e aprimoradas visando atender e mantê-los conectados com seus públicos e divulgando informações confiáveis e fidedignas. No entanto, a ampliação da presença dos MCCT no ambiente virtual enfrenta dificuldades que não estão apenas restritas ao acesso a uma boa infraestrutura de internet. Outros fatores como o expertise sobre o funcionamento das mídias digitais e na produção de conteúdo, acesso a softwares adequados e disponibilidade de pessoal qualificado para a tarefa são também limitantes, por requererem um nível de investimento que é, por vezes, incompatível com o orçamento dessas instituições. A desigualdade de acesso aos meios digitais, por parte do público, também é um fator preocupante, seja pela falta internet ou de infraestrutura, ou pela falta de recursos de acessibilidade nas plataformas, ou até mesmo por inexperiência das instituições em realizar ações capazes de engajar públicos diversos, a exclusão é uma realidade inegável. Então, mesmo para os MCCT que conseguiram manter contato com o público e são mais ativos nos ambientes digitais, tais circunstâncias colocam algumas questões fundamentais relativas ao impacto deste cenário sobre a constituição dos públicos dos museus e do seu processo de comunicação com eles. Alguns exemplos destas questões são: quem é esse público virtual do museu durante a pandemia? Qual é o seu perfil sociodemográfico e de quais maneiras se afasta ou se aproxima daquele do público presencial? Qual a sua relação com o MCCT? Como o conteúdo disponibilizado da rede é recebido por esse público? E, finalmente, como transformar esse público virtual em público presencial após a reabertura dos MCCT? As respostas a essas perguntas precisam partir de uma base prévia de conhecimentos dos MCCT sobre os seus públicos visitantes. Neste sentido, selecionamos três MCCT participantes do Observatório de Museus e Centros de Ciência e Tecnologia (OMCCT), que dispunham dessa base de conhecimentos e que se mantiveram ativos nas mídias digitais durante a pandemia de Covid-19 - o Museu da Vida da COC/Fiocruz, o Museu Ciência e Vida da Fundação Cecierj e o Espaço Ciência Viva - a fim de realizar um estudo de público visando responder a essas questões.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 29/10/2021-31/10/2024
Foto de perfil

Vanessa Galli

Ciências Biológicas

Botânica
  • mecanismos transcricionais e pós-transcricionais envolvidos na resposta a estresses osmóticos e no amadurecimento de frutos não-climatéricos
  • Os fenilpropanóides são metabólitos secundários produzidos pelas plantas e estão envolvidos em respostas a estresses bióticos e abióticos. Além disso, eles são sintetizados durante o processo de amadurecimento dos frutos. O interesse por estes compostos, especialmente as antocianinas, tem aumentado devido a seus efeitos benéficos à saúde humana. Portanto, o entendimento dos mecanismos envolvidos no acúmulo desses compostos é de extrema importância para o desenvolvimento de plantas com maior resistência/tolerância a estresses bióticos e abióticos e plantas com maior potencial funcional. Neste contexto, o morango se destaca como modelo para estudar os mecanismos envolvidos no acúmulo de antocianinas. Embora as vias de sinalizações envolvidas na síntese destes compostos ainda não estejam elucidadas, existem evidências de que seja dependente do ácido abscísico (ABA), sendo gerada por uma cascata de sinalização envolvendo cálcio (Ca2 +) e proteínas quinases dependentes de Ca2 + (CDPKs). Embora estudos mostrem uma correlação entre o conteúdo de ABA e de fenilpropanóides sob condições de estresse e durante o amadurecimento de frutos não climatéricos, como é o caso do morango, pouco ainda se conhece sobre os mecanismos que determinam o conteúdo de ABA nas células, e como se conecta ao conteúdo de fenilpropanóides. Existem evidências de que o cálcio (Ca2+) possa ser um dos elos conectando estas vias de sinalização, sendo este percebido na célula por proteínas quinases dependentes de cálcio (CDPKs) que traduzem este sinal em uma cascata de fosforilação proteica. Sugere-se que diferentes isoformas desta proteína seriam capazes de perceber diferentes sinais de Ca2+ e fosforilar diferentes substratos. Em Arabidopsis, tem se apontado os fatores de transcrição WRKY (envolvido na resposta a estresses), além da enzima fenilalanina amônia liase (PAL - enzima limitante na rota metabólica de síntese de fenilpropanóides) como possíveis substratos de CDPKs. Estudos prévios realizados pelo nosso grupo de pesquisa mostraram que dentre os genes que codificam para CDPKs em morango, dois (FaCDPK4 e FaCDPK11) são influenciados pelo estresse, por ABA e pelo processo de maturação. No entanto, este resultado precisa ser validado e o efeito sobre o metabolismo de fenilpropanóides determinado. Neste contexto, a técnica de silenciamento gênico usando vetores virais para expressão transiente (vírus-induced gene silencing – VIGS) tem se mostrado efetiva para determinação da funcionalidade de genes em frutos de morango. O crosstalk entre ABA, CDPKs e fenilpropanóide também pode ser regulado por mecanismos pós-transcricionais. Neste contexto, os RNAs circulares tem recebido atenção, podendo atuar com esponjas de miRNAs, ou seja, capturando-os e impedindo-os de regularem seu mRNA alvo. Até o presente momento, nenhum circRNA foi descrito em morango; no entanto, recentemente foi reportado a existência de circRNA afetando a maturação de tomate, um fruto climatérico, sugerindo que este possa ser também um mecanismo de regulação em frutos não-climatéricos. Assim, este projeto tem como objetivo identificar e caracterizar a expressão de fatores de transcrição WRKY e de circRNAs, miRNAs e alvos de miRNAs durante o amadurecimento de frutos de morango e em resposta a estresses osmóticos e aplicação de ABA; e avaliar o efeito do silenciamento transiente de genes FaCDPK4 e FaCDPK11 na expressão de genes associados ao metabolismo de ABA e fenilpropanóides, bem como de WRKY, além do acúmulo de compostos fenilpropanóides, ABA e metabólitos de ABA (ácido abscísico glicosil-ester, ácido faseico e dehidrofaseico). Dessa forma, o conhecimento obtido poderá vir a ser utilizado para o desenvolvimento de plantas com maior conteúdo de compostos funcionais (biofortificados) e tolerantes/resistentes a estresses osmóticos. Estratégias para o controle da maturação de frutos também poderão ser desenvolvidas, seja por meio de engenharia genética ou melhoramento convencional, ou ainda através da aplicação de um produto baseado em ABA ou a base de miRNA ou circRNAs, aumentando a qualidade pós-colheita e o tempo de prateleira destes frutos. A execução deste projeto também permitirá estimular a formação de recursos humanos (graduação, pós-graduação) de alto nível científico, numa interação de conhecimentos de fisiologia vegetal, biologia molecular e bioinformática. Além de consolidar colaborações interdepartamentais e interinstitucionais.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Hatje

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • fontes, sumidouros e processos controladores da distribuição de elementos terras raras (ree) e εnd no atlântico tropical (15ºn-21ºs)
  • Os elementos terras raras (REE) são um conjunto de elementos químicos extremamente coerente, de modo que suas propriedades variam gradualmente ao longo da série. Esta característica faz com que estes elementos sejam ferramentas valiosas na pesquisa oceanográfica, como marcadores de ciclos biogeoquímicos e de diferentes massas de água, proxies para reações de oxirredução e na caracterização de fontes de material particulado em suspensão. Dentro os REE, o Nd devido às aplicações de seus isótopos, é um elemento que merece destaque. A composição isotópica do Nd dissolvido no oceano reflete o balanço entre a composição radiogênica do isótopo originado do intemperismo continental e do derivado do manto, seja por intemperismo do manto ou atividade hidrotermal. A discrepância entre o comportamento não conservativo das concentrações de Nd e o comportamento conservativo da composição isotópica de Nd foi descrita como o “paradoxo do Nd”. Foi proposto que processos de troca entre os sedimentos e a coluna d’água nas margens continentais, chamados de Boundary Exchange Processes, seriam importantes para explicar o “paradoxo do Nd”, uma vez que forneceriam um novo termo de aporte para o balanço global de Nd nos oceanos, permitindo que houvesse alteração da composição isotópica nas margens continentais, sem necessariamente haver enriquecimento em termos de concentração. Os dados de REE e, principalmente, de isótopos de Nd ainda são escassos para o Atlântico Tropical e Sul. Este fato reflete algumas das dificuldades associadas à medida destes elementos e seus isótopos. Neste contexto e em resposta ao Edital UNIVERSAL MCTI/CNPq N⁰ 28/2018, esta proposta tem os seguintes objetivos: 1) Determinação de REE nas águas do Atlântico tropical oeste entre as latitudes 21ºS e 15ºN obtidas no cruzeiro oceanográfico PIRATA XVII/GEOTRACES Apr 10; 2) Testar a hipótese de “Boundary Exchange” para explicar a discrepância entre as concentrações de Nd e epsilon Nd ao longo de transects em 5ºS e 11ºS na plataforma continental durante o cruzeiro a PIRATA XVIII/GEOTRACES a ser realizado entre setembro e outubro de 2018; 3) Capacitar os integrantes do grupo de pesquisa na preparação de amostras de água oceânica visando a determinação de isótopos de Nd, Ba e na utilização de diluição isotópica nas análises de REE por ICP-MS. Para execução deste projeto está prevista a utilização de amostras de água obtidas em duas campanhas oceanográficas: i. cruzeiro oceanográfico PIRATA XVII/GEOTRACES Apr10 e o ii. cruzeiro oceanográfico PIRATA XVIII/GEOTRACES, ambos realizados com o N/Oc. Vital de Oliveira. O cruzeiro PIRATA XVII/GEOTRACES Apr10 foi realizado com sucesso no verão 2017/2018, enquanto o cruzeiro de 2018 se iniciará dia 29 de setembro a partir de Maceió. As amostras para determinação de REE serão pré-concentradas empregando o sistema seaFAST e as concentrações dos elementos determinadas por um ICP-MS (ICAP-RQ, Thermo Finnigan, Alemanha) acoplado a um sistema de desolvatação (Aridus 3, CETAC, USA) que usa uma mistura de gás nitrogênio-argônio para aumentar a sensibilidade do instrumento e diminuir a formação de óxidos. Precisão e acurácia serão verificadas com amostras de referência GEOTRACES (GSC, GSP). Para os isótopos de Nd, as amostras serão pré-concentradas em cartuchos C18 e o Nd será separado da matriz de água cromatografia de troca aniônica. As amostras serão medidas por espectrometria de massa por ionização térmica ou por um ICP-MS multicoletor. Este projeto promoverá a consolidação e ampliação das linhas de pesquisa do Centro Interdisciplinar de Energia e Ambiente da Universidade Federal da Bahia, desenvolvendo expertise, promovendo capacitação laboratorial, formação de alunos e criando condições para subsidiar o crescimento da pesquisa oceanográfica de oceano aberto na região nordeste do Brasil.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022