Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alice Simon

Ciências da Saúde

Farmácia
  • preparação, caracterização in vitro e avaliação in vivo de cocristal e inaladores de pó seco de montelucaste para administração pulmonar
  • A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas e está entre as condições crônicas mais comuns, afetando crianças e adultos. É caracterizado por maior capacidade de resposta das vias aéreas a uma variedade de estímulos, resultando em obstrução do fluxo de ar que é tipicamente recorrente e reversível. O tratamento da asma e sua duração desempenham um papel na gravidade das manifestações clínicas supracitadas (isto é, a gravidade da asma). Quanto mais grave as manifestações clínicas da asma, maior a dificuldade em manejo da doença. A prevalência estimada de asma no Brasil é de 10%. Em grandes cidades brasileiras, a prevalência média de asma sintomas é de 24,3% em crianças e 19,0% em adolescentes. Devido ao alto índice de pessoas acometidas e risco de desfecho grave do quadro clínico, essas doenças inflamatórias são consideradas prioridades de atendimento em saúde. O fármaco montelucaste é um antagonista dos receptores de leucotrienos. Os leucotrienos produzem inflamação da parede das vias aéreas, o que desencadeia sintomas tais como dificuldade para respirar, chiado, tosse, falta de ar e dificuldade para realizar atividades diárias normais. O montelucaste atualmente é administrado pela via oral através de comprimidos. A pesquisa e o desenvolvimento no campo terapêutico de aerossóis mostraram notável inovação na última década, na qual importantes novos medicamentos para a ação sistêmica e local foram desenvolvidos. Esse crescimento levou ao desenvolvimento de novos dispositivos e novas tecnologias de formulação, como a engenharia de partículas por spray drying para a obtenção de inaladores de pó seco, conhecidos como DPI (dry powder inhaler). As partículas podem ser manipuladas usando diferentes solventes orgânicos, excipientes com propriedades diferenciadas e modificando os parâmetros do equipamento spray dryer. Uma ampla gama de excipientes podem ser aplicados para encapsular o fármaco para obter um sistemas de liberação na forma de partículas, dentre eles destacam-se a leucina, a inulina, lactose, manitol, polímeros e as ciclodextrinas, os quais já demonstram desempenho promissor na obtenção de formulações DPI para administração pulmonar. Neste projeto é proposto o desenvolvimento de formulações DPI contendo o fármaco montelucaste e/ou co-cristal a ser utilizado na terapia da asma pela via inalatória. Através desta via de administração o fármaco inalado irá atuar diretamente no local de ação, gerando um mecanismo chamado de vetorização/direcionamento (targeting), em função da formulação DPI se depositar diretamente nas regiões mais profundas do trato respiratório. Além disso, as vantagens da terapia inalatória contam com a ausência de efeitos colaterais sistêmicos com as concentrações adequadas do fármaco para a atividade terapêutica, e a depuração lenta do sítio de ação comparando-se com a depuração sistêmica.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alícia Duhá Lose

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • inventário, restauração e edição de documentos escritos por negros na bahia do século xix: o acervo documental da sociedade protectora dos desvalidos (spd)
  • A Sociedade Protectora dos Desvalidos teve como cerne a antiga e já extinta Irmandade de Nossa Senhora da Soledade Amparo dos Desvalidos da Capela de Nossa Senhora do Rosário dos Quinze Mistérios, fundada em 1832, por um grupo de negros, africanos, ex-escravos e que tinham como sustento “o trabalho de ganho”. Embora oficialmente seja datado de 1832, sabe-se que desde 1827 este grupo de homens negros livres já se reunia no bairro de Santo Antônio, Centro Histórico, em Salvador, Bahia, com o propósito de angariar fundos entre seus Irmãos para comprar alforrias, auxiliar viúvas e amparar os doentes. Em 1848, a Irmandade passou a ser a Sociedade Protectora dos Desvalidos existente até hoje no Pelourinho (Salvador, Bahia) a qual tem o propósito de manter a cultura negra. O acervo documental da instituição possui mais de 400 livros atas que datam desde a primeira fundação, 1832, até os dias atuais, todas escritas por negros libertos, mas estes manuscritos carecem de urgente tratamento para que possam ser postos ao alcance dos pesquisadores, pois se encontram em situação iminente de risco e sua perda seria uma lástima para a história dos negros no Brasil e para a história da Língua Portuguesa do Brasil, pois não são documentos escritos sobre negros, mas sim por eles. A proposta aqui apresentada intenciona a recuperação deste precioso acervo através da inventariação, restauração e edição dos documentos mais antigos e mais danificados. Porém, devido ao enorme volume documental do acervo, pretende-se que esta seja apenas a primeira etapa de um longo, delicado e necessário trabalho. Na presente etapa serão trabalhados 5 livros atas os quais passarão pelas seguintes etapas de salvaguarda: inventariação dos documentos utilizando os parâmetros da bibliografia material (tipo documental, tamanho do documento, nº de folhas, análise da escrita, tinta, papel, mancha escrita, tipo de encadernação); higienização e desinfestação dos 5 livros de ata; elaboração do mapa de cadernos e desmonte dos volumes; restauração; digitalização; reencadernação; transcrição e edição.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alicia Juliana Kowaltowski

Ciências Biológicas

Bioquímica
  • dietas, metabolismo energético e cálcio mitocondrial
  • Recentemente, descrevemos o achado inédito de que há mudanças de transporte de cálcio em mitocôndrias de cérebro e fígado em resposta à limitação diárias na ingestão calórica (restrição calórica) quando comparada a uma dieta ad libitum. Trata-se da primeira evidência de que sinalização por cálcio mitocondrial, um fator central na regulação metabólica, é modificado pelo status nutricional do animal. Esse projeto visa explorar a relação entre intervenções dietéticas e homeostase de cálcio mitocondrial, verificando seus mecanismos, consequências fisiológicas e patológicas, bem como possíveis especificidades teciduais.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Aline Alvim Scianni

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • promoção de atividade física em indivíduos pós-ave por meio de programa de exercícios físicos autogerenciados: um ensaio controlado aleatorizado
  • Introdução: Mesmo diante dos resultados reportados na literatura em favor da prática de atividade física, muitos sobreviventes de Acidente Vascular Encefálico (AVE) permanecem fisicamente inativos. Estudos têm investigado se orientações para prática de atividade física são capazes de aumentar o nível de atividade nesta condição de saúde. Objetivos: Investigar a viabilidade e os efeitos de um programa de educação em saúde sobre exercícios físicos autogerenciados para aumentar a prática de atividade física no nível de atividade física, no condicionamento cardiorrespiratório, capacidade para a marcha, qualidade de vida e sintomas depressivos em indivíduos após AVE agudo, considerando as atividades físicas preferenciais destes indivíduos. Métodos: O estudo será realizado em três fases: Fase I - Piloto (estudo de viabilidade), Fase II – Ensaio não controlado (estudo da efetividade e segurança- determinação do tamanho de efeito) e Fase III - Ensaio Controlado Aleatorizado (ECA). Fase I de protocolo para ensaio controlado aleatorizado, com amostra de conveniência na região de Belo Horizonte- MG. Critérios de inclusão: AVE há menos de 6 meses, velocidade de marcha ≥ 0,8 m/s, ausência de outras deficiências neurológicas ou ortopédicas não relacionadas ao AVE e liberação médica para prática de atividade física. Critérios de exclusão: alterações cognitivas e afasia. Os participantes serão avaliados quanto o nível de atividade através do uso de acelerômetros durante 7 dias, velocidade de marcha auto selecionada, desempenho de marcha no teste de caminhada de 6 minutos, qualidade de vida (Euroqol) e sintomas depressivos (GDS). As orientações serão organizadas em seis visitas domiciliares de até 60 minutos cada. Todos os participantes serão avaliados duas vezes, antes de receberem as orientações e ao término das visitas (3 meses depois). Para o cálculo amostral, serão consideradas as recomendações da literatura para cada fase do estudo. Fase I: 20 participantes. Fase II – através da comparação intragrupo (pré-intervenção e pós-intervenção) será estimado o tamanho do efeito da intervenção de educação em saúde através de medidas de autogerenciamento, dessa forma se faz necessário entre 10-20 indivíduos hemiparéticos pós-AVE para compor esta fase. Fase III – será realizado o cálculo amostral baseado no nível de atividade (número de passos/dia) como medida de desfecho primária deste estudo. O tamanho da amostra será calculado para se detectar uma diferença entre os grupos de passos/dia de atividade física moderada (poder estatístico de 80%, em nível de significância de 0,05) e taxa de desistência de 15%. O tamanho do efeito será calculado a partir da população de hemiparéticos que participarão do estudo de viabilidade - fase I. O processo de aleatorização dos participantes para Fase III do estudo levará em conta a distribuição em dois grupos: grupo intervenção e grupo controle. A alocação será através de programa Random Allocation Software. O grupo intervenção participará do programa de educação em saúde sobre exercícios físicos auto gerenciados para aumentar a prática de atividade física realizado em cinco sessões. O grupo controle receberá as orientações apenas da sessão 1, que incluirá questões de educação sobre importância da atividade física, a conclusão de uma atividade física, levantamento das preferências e geração de uma lista de objetivos e barreiras. Para análise dos dados antropométricos, clínicos e demográficos, será utilizada estatística descritiva, como medidas de tendência central e dispersão. A viabilidade do estudo envolverá a análise do recrutamento, da intervenção (participantes que completaram o protocolo, que aceitaram participar e satisfação). As diferenças intragrupo e entre grupos de estudo, respectivamente, na fase II e fase III serão exploradas através testes paramétricos ou não paramétricos correspondentes e resumidas através de media/mediana, desvios-padrão, quartis e amplitude (intervalos de confiança de 95%). As medidas serão realizadas nas semanas -2, 12 e 26. Análise de variância two-way com medidas repetidas será utilizada para determinar se existe um efeito do programa de autogerenciamento nos déficits de estrutura e função, limitação de atividade, e restrição de participação imediatamente após a intervenção (i.e, entre pré e pós-teste) e 12 semanas após o término da intervenção (follow-up). A descrição dos grupos será apresentada como média e desvio padrão e o tamanho do efeito e o intervalo de confiança de 95% (IC) serão reportados. Será utilizada a análise de intenção para tratar. A análise estatística será realizada por um avaliador mascarado na fase III. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CAAE: 65672517.6.0000.5149) e registrado no REBEC número RBR-6bdmsk.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022