Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vanderlei Salvador Bagnato

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • inct de óptica básica e aplicada às ciências da vida
  • Esta é uma proposta para implementação de um Instituto Nacional com o objetivo claro de continuar realizando ciência fundamental mas, principalmente, criar uma rede Nacional com grande poder de traduzir e transformar ciência e capacidade científica em produtos e processos de alto valor tecnológico na área da óptica. O foco principal está na área da saúde e agricultura. Usando o conhecimento básico que geramos com diversos projetos em desenvolvimento, ou já desenvolvidos, e nossa experiência de inovação, queremos dar-lhes relevância, criando soluções envolvendo óptica e espectroscopia para diversos problemas enfrentados por áreas estratégicas. Serão atacados problemas em quatro frentes: APLICAÇÕES EM DIAGNÓSTICO PARA SAÚDE HUMANA, APLICAÇÕES EM BIOESTIMULÇÃO, APLICAÇÕES EM TRATAMENTOS PARA A SAÚDE HUMANA e APLICAÇÕES AGRO-AMBIENTAIS. As plataformas serão criadas com apoio da ciências básicas e com um ambiente de cooperação com o setor produtivo. Está em nossas metas a criação de diversas plataformas de novas e revolucionárias tecnologias, empregando óptica como elemento principal. Para atingir tais objetivos, estamos propondo uma elaborada rede de competências, inclusive com parcerias entre Institutos, e forte colaboração internacional. Parcerias com empresas deverão completar o orçamento para este propósito, além de assegurar o sucesso de transformar tais desenvolvimentos em benefícios para nossa sociedade. Cada tema é composto de vários sub-projetos, todos inter-conectados num programa que deve promover um excelente ambiente científico de alto estímulo e produtividade. Dar relevância social às ciências deve ser um grande estímulo para envolvermos mais jovens neste campo de atuação. O projeto conjuga várias instituições brasileiras, congrega diferentes especialidades e é ousado no sentido de realmente vislumbrar ciência relevante e responsabilidade para impulsionar tecnologia. A proposta conta com a presença de 58 pesquisadores, 18 instituições, mais de 15 colaborações internacionais , 13 empresas associadas e um elevado número de estudantes e Pós-Doutores. Há uma boa contrapartida vinda dos projetos de indústrias, do projeto CEPID-CEPOF em andamento (que dará enorme apoio principalmente às ciências básicas e fundamentais sendo realizadas), e da própria instituição hospedeira. Nosso projeto representa a continuidade de um programa de sucesso com diversos financiamentos e que encontra nesta proposta a oportunidade de criar uma forte rede de tradução de conhecimento em tecnologia. Fato importante é que para poder trabalhar nestas soluções é necessário ter conhecimento básico em óptica e espectroscopia e uma vasta experiência de interdisciplinaridade e atuação junto aos setores mencionados. Isto nossa equipe tem. Ao longo de mais de uma década de apoio CEPID/FAPESP e INCT-CNPq, montamos um excepcional parque de laboratórios e rede de pesquisa, gerando recursos humanos e conhecimento básico em óptica. Um dos importantes ingredientes é que geramos tradição de pesquisa de ponta com caráter interdisciplinar e uma excelente infra-estrutura neste sentido. Este conhecimento e experiência gerados pode, através desta proposta, realizar as aplicações necessárias para preencher necessidades para grande desempenho da saúde e da agricultura. De um modo geral, esta proposta complementa os nossos projetos existentes e cria uma oportunidade única de desenvolvermos um projeto com o propósito claro de traduzir conhecimento básico em novas tecnologias nestas áreas consideradas estratégicas. Para deixar claro como pretendemos atuar, alguns exemplos de tradução de nosso conhecimento em novas tecnologias são: Nossos trabalhos em terapia fotodinâmica de cunho básico e aplicado geraram conhecimento para que possamos agora desenvolver um grande avanço tecnológico, propondo um sistema que realiza clareamento de cataratas por técnicas oxidativas sem a necessidade de cirurgia; Os trabalhos de foto-estimulação geraram a possibilidade de proporcionar um avanço revolucionário na produção de fermentados como cerveja e leveduras; As investigações básicas para diagnóstico de câncer permitiram que pudéssemos propor tecnologia de rastreabilidade e exame na indústria de alimentos, bem como detecção de pragas na lavoura. Nossos experimentos com átomos frios nos tornaram habilitados para o desenvolvimento de técnicas que permitem avaliar teor de açúcar, sensibilidade neurológica, screening de câncer de mama, Doppler meter, dentre outros; Nossa excelente infra estrutura de nanoplasmônica permite entrar agora na nano-fabricação de materiais inteligentes, para a proposta de nova tecnologia em stents inter-coronários pulsantes que auxiliam o bombeamento de sangue, além de impedir o colapso dos vasos sanguíneos; Sensores de alto desempenho são frutos da combinação de conhecimento de estudos em física atômica e metrologia de tempo e freqüência. Nesta proposta estamos envolvendo diversas instituições que, combinadas aos conhecimentos gerados, poderão modernizar seu portfólio de pesquisa e relevância tecnológica.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 26/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Vanderlei Salvador Bagnato

Outra

Divulgação Científica
  • redução da desigualdade: inclusão digital de estudantes de escolas públicas por meio de kits computacionais arduino. clubes e feira de ciências
  • Nossa proposta: O fortalecimento da educação básica, deve ser prioridade, no caminho para a difusão equitativa do conhecimento, devendo permitir o acesso universal a conhecimentos relevantes, sem que haja moderação do pensamento lógico e da criatividade individual. De acordo com o Pacto Nacional para fortalecimento do Ensino Médio, “precisamos estimular os estudantes a refletir, estabelecer relações entre os conhecimentos, a perceber que a ciência está em qualquer lugar, em qualquer fenômeno, seja ele natural ou social. Para isso, precisamos deixar para trás algumas convicções que foram postas em nossa formação escolar e acadêmica, pois os tempos são outros, a demanda é outra, o mundo mudou. Precisamos transformar nossa prática se quisermos atuar como protagonistas no sentido de contribuir para uma mudança em termos de qualidade da educação dos nossos jovens”. A fim de auxiliar às escolas na implementação de ações inovadoras de ensino, o CEPOF/USP, em parceria com a Diretoria de Ensino da região de São Carlos e a Prefeitura Municipal de São Carlos, vêm implementando ações constantes e complementares que incluem: Feiras de Ciências, Clubes de Ciências, minicursos nas escolas, Planetário Itinerante, produção de Programas científicos para TV e internet e capacitação de professores. Já realizamos 5 Feiras de Ciências: uma à nível nacional, na Amazônia. Outra, a nível estadual e outras três a nível regional, envolvendo 7 municípios sob jurisdição da Diretoria de Ensino- Região de São Carlos. Durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2019, pretendemos desenvolver as seguintes atividades: (1) Realização da Feira de Ciência e Tecnologia da USP 2019, com o tema "O Uso da Ciência e Tecnologia na Solução dos Problemas da Sociedade". O evento terá um enfoque tecnológico/computacional. As escolas participantes receberão kits da plataforma computacional Arduino, contendo: placa Arduino, protoboard, conectores e diversos sensores ambientais e desenvolverão experimentos que contemplem soluções para melhoria dos problemas sociais e tecnológicos da sociedade; (2) Criação e acompanhamento de Clubes de Ciências, os quais serão formados por estudantes e um professor orientador. Os Clubes apresentarão os seus experimentos na Feira de Ciências e receberão premiação, na forma de medalhas e troféus; (3) Visitações às Escolas: capacitação dos professores e dos estudantes dos clubes de ciência em experimentos computacionais. Estudantes de pós-graduação do Instituto de Física e da Escola de Engenharia da USP de São Carlos irão até as escolas públicas a fim de auxiliar os membros dos Clubes a montarem seus experimentos com a Plataforma Arduino. (4) Exibição do Planetário do CEPOF, com o tema “O Nascimento do Sistema Solar”; (5) Homenagem aos Professores da Rede Pública de Ensino envolvidos com os Clubes de Ciências; (6) Produção de programas de TV e de vídeos para a internet. Haverá entrevista com professores, pesquisadores, estudantes e sociedade em geral, com o tema com o tema “Ciência para Redução da Desigualdade”; (7) Realização do minicurso “Luz e Cores”, a ser ministrado por estudantes de 3º Ano – Ensino Médio, da E.E. Sebastião de Oliveira Rocha, sob orientação de uma educadora do CEPOF. (8) A exposição Semóptica-Semana da Óptica, que será realizada em espaço compartilhado com a Feira de Ciências. A Semóptica é uma Exposição Científica Itinerante, realizada tradicionalmente pelo CEPOF há 15 anos. A exposição traz experimentos e equipamentos desenvolvidos pela USP, UFSCar e Embrapa. Além disso, traz inovações de ensino, principalmente de Física, desenvolvidos pela área de Ensino do Instituto de Física de São Carlos (IFSC-USP). (9) Acessibilidade: Exposição as Mostra Itinerante “Luz ao Alcance das Mãos”: ensino de Óptica para portadores de deficiência visual. Durante a Feira de Ciência e Tecnologia da USP 2018 iniciamos esse trabalho com o kit computacional Arduino, com certa resistência inicial por parte das escolas, mas com grande sucesso em sua fase final. Foi uma experiência de grande aprendizado para todos nós. Pretendemos agora expandir essa experiência para mais Clubes de Ciências e mais escolas. Estamos dando grande ênfase à inclusão de meninas nessa área computacional e temos tido bastante êxito nessa participação. Quem somos: O Núcleo de Difusão Científica do CEPOF (Centro de Óptica e Fotônica), sediado no Instituto de Física da USP, desenvolve várias atividades na área de Difusão de Ciências. O Professor Vanderlei Salvador Bagnato, proponente deste projeto, tem atuado intensamente na área de difusão científica desde 2001. Fruto deste trabalho recebeu em 2004 o prêmio José Reis de Difusão Científica e em 2014 recebeu o Prêmio Baldacci de Publicação Científica. Dentre seus trabalhos de Difusão de Ciências mais relevantes destacam-se: (1) As Feiras de Ciências de níveis Nacional e Estadual realizadas em escolas, museus, praças e shoppings do Estado de São Paulo e, também, no interior da Amazônia. (2) A ideação e confecção de kits educativos de várias áreas da ciência, os quais estão sendo distribuídos a escolas públicas de todo o país. (3) A ideação e aquisição de um planetário itinerante, que já está sendo exibido em escolas do Estado de São Paulo, levando temas diversos da ciência. (4) A exposição itinerante "Luz ao Alcance das Mãos - Ensino de Física para Pessoas com Deficiência Visual". (5) Workshops científicos, um dos quais trouxe 5 ganhadores de prêmios Nobel, que entregaram medalhas a estudantes de ensino fundamental e médio, pela Olimpíada Brasileira de Física. (6) O intenso trabalho feito com jovens estudantes, por meio do Programa “Fala Jovem” e do projeto “A Usp vai a sua escola”. (7) Gerenciamento de um Canal de TV-24 horas no ar e de programas de rádio, colunas em jornais e pela internet, onde são veiculados programas científicos, tecnológicos e de inovação. (8) Os inúmeros treinamentos realizados com professores de ensino básico e médio de escolas públicas.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020
Foto de perfil

Vanderlei Salvador Bagnato

Ciências Humanas

História
  • reproduzindo as invenções que mudaram o mundo: despertando jovens talentos por meio experimentação em feiras de ciências, clubes de ciências, desafios em escolas e programas de tv/internet
  • Nossa proposta: As invenções que mudaram a história da humanidade são aquelas que causaram grande impacto nos meios sociais, culturais e econômicos. Foram inúmeras as invenções relevantes, mas será que hoje, com todo o nosso conhecimento em ciência e tecnologia, conseguimos reproduzi-las? Conseguimos construir um rádio? Conseguimos produzir energia a partir de uma roda d’água? Conseguimos construir um computador? Realmente aprendemos ciência e tecnologia ou somos meros usuários de tudo o que já foi inventado? O objetivo dessa Feira de Ciência e Tecnologia será reproduzir as grandes invenções. Os estudantes deverão compreender o princípio das grandes invenções para que possam ser futuros inventores. A capacidade inventiva, criadora, é uma excelente ferramenta para a inclusão de jovens no meio científico e tecnológico. De modo contundente, esse tema irá de encontro a nossa meta de fortalecimento do ensino básico nas escolas públicas. Consideramos que o primeiro passo no caminho para a difusão equitativa do conhecimento é o fortalecimento da educação básica, a qual deve permitir o acesso universal a conhecimentos relevantes, sem que haja moderação do pensamento lógico e da criatividade individual. De acordo com o Pacto Nacional para fortalecimento do Ensino Médio, “precisamos estimular os estudantes a refletir, estabelecer relações entre os conhecimentos, a perceber que a ciência está em qualquer lugar, em qualquer fenômeno, seja ele natural ou social. Para isso, precisamos deixar para trás algumas convicções que foram postas em nossa formação escolar e acadêmica, pois os tempos são outros, a demanda é outra, o mundo mudou. Precisamos transformar nossa prática se quisermos atuar como protagonistas no sentido de contribuir para uma mudança em termos de qualidade da educação dos nossos jovens”. A fim de auxiliar às escolas na implementação de ações inovadoras de ensino, o CEPOF/USP, em parceria com a Diretoria de Ensino da região de São Carlos e a Prefeitura Municipal de São Carlos, vêm implementando ações que incluem: minicursos nas escolas, Feiras de Ciências, Clubes de Ciências, Planetário Itinerante, produção de Programas científicos para TV e internet e capacitação de professores. Durante a realização deste projeto, pretendemos desenvolver as seguintes atividades: (1) Realização da Feira de Ciência e Tecnologia da USP 2020, com o tema "As Invenções que Mudaram o Mundo". O evento terá um enfoque inventivo e tecnológico. As escolas participantes receberão capacitação e desenvolverão experimentos que contemplem soluções para melhoria dos problemas sociais e tecnológicos da sociedade; (2) Criação e acompanhamento de Clubes de Ciências, os quais serão formados por estudantes e um professor orientador. Os Clubes apresentarão os seus experimentos na Feira de Ciências e receberão premiação, na forma de medalhas e troféus. Atualmente contamos com mais de 80 Clubes de Ciências criados por nós em escolas públicas; (3) Visitações às Escolas: capacitação dos professores e dos estudantes dos Clubes de Ciências em experimentos inventivos. Estudantes de pós-graduação e professores do Instituto de Física e da Escola de Engenharia da USP de São Carlos irão até as escolas públicas a fim de auxiliar os membros dos Clubes a montarem seus experimentos. (4) Exibição do Planetário do CEPOF, com o tema “O Nascimento do Sistema Solar”; (5) Homenagem aos Professores da Rede Pública de Ensino; (6) Produção de programas de TV e de vídeos para a internet. Haverá entrevista com professores, pesquisadores, estudantes e sociedade em geral, com o tema com o tema “Ciência para Redução da Desigualdade”; (7) Realização do Desafio da Ciência, a ser ministrado por estudantes classificados na Feira de Ciências, a fim lançar desafios em suas próprias escolas e propagar o conhecimento aprendido aos colegas. (8) A execução da exposição Semóptica- Semana da Óptica, que será realizada em espaço compartilhado com a Feira de Ciências. A Semóptica é uma Exposição Científica Itinerante, realizada tradicionalmente pelo CEPOF há 20 anos. A exposição traz experimentos e equipamentos desenvolvidos pela USP, UFSCar e Embrapa. Além disso, traz inovações de ensino, principalmente de Física, desenvolvidos pela área de Ensino do Instituto de Física de São Carlos (IFSC-USP). (9) Acessibilidade: Exposição as Mostra Itinerante “Luz ao Alcance das Mãos”: ensino de Óptica para portadores de deficiência visual. (10) Desafios em robótica: no evento haverá tendas montadas com experimentos de robótica. Haverá parceria com a Diretoria de Ensino-Região de São Carlos, a qual abrange 7 municípios e, também, com a Prefeitura Municipal de São Carlos. O evento será realizado em piso térreo, com acessibilidade por rampas. A exemplo do que ocorre em todos os anos, a participação de jovens do século feminino deverá ser igual ou superior a 50%. Quem somos: O Núcleo de Difusão Científica do CEPOF (Centro de Óptica e Fotônica), sediado no Instituto de Física da USP, desenvolve várias atividades na área de Difusão de Ciências. O Professor Vanderlei Bagnato, proponente deste projeto, tem atuado intensamente na área de difusão científica desde 2001. Fruto deste trabalho recebeu em 2004 o prêmio José Reis de Difusão Científica e em 2014 recebeu o Prêmio Baldacci de Publicação Científica. Em 2018 recebeu o prêmio “Clubes de Ciências – Prêmio de Ciência e Tecnologia”. Dentre seus trabalhos de Difusão de Ciências mais relevantes destacam-se: (1) As Feiras de Ciências de níveis Nacional e Estadual realizadas no Estado de São Paulo e na Amazônia. (2) A confecção de kits educativos, distribuídos a escolas públicas de todo o país. (3) Atividades com o planetário itinerante (4) A exposição "Luz ao Alcance das Mãos - para Pessoas com Deficiência Visual". (5) Workshops científicos, (6) o museu itinerante “A Usp vai a sua escola”. (7) o Gerenciamento de um Canal de TV- científico 24 horas no ar; (8) a capacitação de professores de escolas públicas.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 07/01/2020-31/01/2021
Foto de perfil

Vanderlei Salvador Bagnato

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • viabilidade da implementação em campo da ação fotodinâmica para eliminação de larvas do aedes aegypti
  • O vetor Aedes aegypti é o principal responsável pela transmissão de doenças graves como a febre Zika, dengue, febre amarela e Chikungunya. Em 2015, o Brasil sofreu com o aumento de quinze vezes no número de casos de microcefalia em recém-nascidos, todos relacionados com a transmissão materno-fetal do Zika vírus. Desde o início da presença do vírus em território Brasileiro (março de 2015), o Ministério da Saúde notificou cerca de 2.975 casos suspeitos de microcefalia relacionado ao vírus Zika. Em 2016, os casos suspeitos de febre Zika ultrapassaram 100.000, com taxa de incidência de 67,6 casos/100 mil habitantes. O uso contínuo de inseticidas químicos, como os carbamatos, piretróides e organofosforados, acabou gerando populações resistentes do mosquito, tornando ineficaz o controle através deste método. É sabido que, uma ação conjunta da população com orientações para evitar a formação de criadouros associado ao uso de inseticidas será o caminho para controlar surtos epidemiológicos em todo território nacional. Os pigmentos extraídos da herbácea Curcuma longa (curcumina em específico) são fortes aliados ao controle integrado do vetor Aedes aegypti, por possuir alta atividade larvicida, ovicida e também por apresentar forte ação preventiva de oviposição, impedindo assim o estabelecimento de criadouros em reservatórios de água. Em 2013, o Grupo de Óptica do Instituto de Física de São Carlos, constatou a ação larvicida desses compostos, potencializada na presença de luz solar, onde foram alcançadas taxas de mortalidade larval superiores a 90%. Este fenômeno denominado inativação fotodinâmica (IFD) emprega a combinação de uma fonte de luz visível e uma substância fotossensibilizadora (curcuminóides), induzindo a destruição do alvo biológico (larvas de Ae. aegypti) através da ação oxidativa de espécies reativas de oxigênio (EROs). Os curcuminóides são promissores devido sua alta eficácia larvicida, baixo custo de síntese e rápida degradação, garantindo apenas a morte das larvas sem agredir o meio ambiente.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 10/10/2016-31/10/2020
Foto de perfil

Vanderley Moacyr John

Engenharias

Engenharia Civil
  • tecnologias ecoeficientes avançadas em produtos cimenticios
  • A presente proposta visa a constituição de uma rede de pesquisa (Advanced Eco-Efficient Cement-Based Technologies - AECem) dentro do Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT), tendo como objetivo principal desenvolver e disseminar conhecimento e tecnologias que contribuam para aumentar a ecoeficiência de produtos cimentícios. O principal foco será a redução na emissão de gases do efeito estufa, energia e consumo e água e reduzir a necessidade de recursos naturais, por meio de análise do ciclo de vida. Dada a expectativa de crescimento futuro concentrada em nações em desenvolvimento, estratégias economicamente viáveis para o desenvolvimento sustentável considerando a limitações de renda são essenciais. A rede INCT será constituída por grupos de pesquisa com reconhecida excelência nos temas associados à proposta, sendo que a coordenação do projeto fica a cargo do Prof. Dr. Vanderley M. John da Escola Politécnica da USP, liderança nacional e internacional na discussão de sustentabilidade de materiais de construção, sobretudo cimentícios, além de grupos emergentes com grande potencial de crescimento na área. Os seguintes grupos de pesquisa constituem a rede: - Laboratório de Microestrutura e Eco-Eficiência de Materiais (LME)/Poli/USP - Laboratório de Otimização de Sistemas Multifísicos (MSOL)/Poli/USP - Grupo de Pesquisa em Construção e Bem-Estar (C&A)) - Núcleo de Pesquisa em Materiais para Biossistemas (NAP BioSMat)/FZEA-Pirassununga/ USP - Grupo de Físico-Química de Materiais (GFQM)/UNESP - Laboratório de Aplicações de Nanotecnologia para Materiais de Construção (NANOTEC-Lab)/UFSC - Grupo de Pesquisa em Materiais de Construção e Resíduos (GMAT)/ IFPB - Instituto Federal de Santa Catarina/IFSC - Laboratório de Estruturas e Materiais de Construção da Universidade Federal de Alagoas/UFAL - Grupo de Pesquisa em Materiais de Engenharia/UFAM A sinergia e complementaridade dos grupos de pesquisa na rede foi critério para sua montagem, sendo possível propor uma agenda de pesquisa avançada em torno das metas do projeto, convertidas nos seguintes objetivos específicos: 1.Desenvolver soluções para aumentar a eficiência no uso de ligantes, permitindo o crescimento da demanda de materiais cimentícios, sem aumentar o impacto ambiental. 2.Desenvolver nanopartículas funcionais bem como novas rotas para incorporação destas em materiais cimentícios, melhorando a sua funcionalidade, capacidade e o desempenho em uso. 3.Desenvolver ferramentas para otimizar pozolanas produzidas pela calcinação de diferentes argilas, contribuindo na redução da pegada de CO2 e energia dos ligantes. 4.Desenvolver metodologia para caracterização e seleção de agregados e fíleres, relevantes para a aplicação em produtos de baixa intensidade de ligante e baixo teor de água. 5.Desenvolver ferramentas de otimização topológica e design de materiais a gradação funcional aplicadas a componentes cimentícios, e também, métodos e ferramentas para impressora 3D. 6.Avaliar a durabilidade, a retração e fluência de materiais cimentícios de baixa intensidade de ligante e desenvolver soluções para aumento da vida útil. 7.Desenvolver ferramentas simples, baseadas em avaliação do ciclo de vida, para avaliar a ecoeficiência de materiais cimentícios. 8.Formar recursos humanos qualificados para avanço do conhecimento (pesquisa) e implantação do conhecimento na sociedade. 9.Desenvolver um programa de difusão dos conhecimentos gerados para empresas, ONGs e setor público. 10.Integrar as atividades de pesquisa do INCT no cenário internacional, possibilitando a ampliação da rede de pesquisa incluindo a participação de associações cientificas internacionais como RILEM e CIB. 11.Transferir as soluções desenvolvidas para empresas e setor público maximizando os benefícios econômicos e ambientais deste projeto. A coordenação da rede será estruturada em quatro áreas, envolvendo desenvolvimento de recursos humanos, difusão e comunicação científica, transferência tecnológica e gestão financeira. Diversos mecanismos serão implementados para aprimorar a colaboração entre os grupos, inclusive a montagem de uma estrutura de videoconferência dedicada ao projeto. O projeto tem metas ambiciosas relativas a formação de pesquisadores, treinamento de alunos em graduação, aperfeiçoamento de profissionais de empresas e para desenvolvimento de ferramentas de difusão em massa dos resultados das pesquisas, inclusive através de home-page própria e do uso de mídias sociais na internet como Facebook, twitter, entre outras. Os grupos de pesquisa desenvolverão seus trabalhos em torno de princípios definidos: - Eco-eficiência como um conceito direcionador - Foco na cadeia produtiva - Abordagem multidisciplinar com sinergia entre os grupos - Pesquisa em nível internacional - Colaboração com a indústria - Colaboração com agências governamentais e com a sociedade civil Este projeto INCT tem um grande potencial para inovações tecnológicas, visto que ele acompanha soluções eco-eficientes para enormes ganhos econômicos e impacto direto na sociedade. Alguns possíveis temas de inovação: - Estratégia de negócios para a mitigação das emissões de CO2; - Moderna tecnologia para reduzir a demanda de água em produtos à base de cimento; - Cimentos inovadores de baixo índice de ligantes; - Materiais suplementares inovadores de cimento e agregados; - Software, baseado em metodologia, para formulação de concreto e argamassa; - Formulações otimizadas de concreto e argamassa; - Processamento avançado de materiais de cimento; - Métodos de controle de qualidade com base científica para a produção de cimento; - Materiais leves com propriedades mecânicas e durabilidade melhoradas; - Concretos de alto desempenho com baixo conteúdo de ligante; - Materiais de elevada durabilidade com baixo conteúdo de ligante; - Projeto baseado em otimização topológica; - Produção digital de materiais à base de cimento; - Metodologia avançada da análise do ciclo de vida.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Vanderson Geraldo Rocha

Ciências da Saúde

Medicina
  • estudo da influência de polimorfismos genéticos implicados na imunidade inata e no metabolismo de drogas em infecções e toxicidade em pacientes adultos submetidos a transplante autólogo de células-tronco hematopoieticas
  • Introdução Sabe-se que o risco de infecções em pacientes hematológicos é alto, estando diretamente relacionado ao grau de imunossupressão devido à doença e ao tratamento. Nota-se, entretanto, que pacientes com características demográficas e clínicas similares, mesmo diagnóstico e submetidos a tratamento semelhante apresentam riscos diferentes, sugerindo fator genético de risco para infecções. Neste sentido, numerosos estudos avaliaram o impacto de polimorfismos genéticos de receptores da imunidade inata na susceptibilidade a infecções. Diversos estudos demonstram que variações genéticas dos receptores tool-like (TLRs) , como polimorfismos de nucleotídeos únicos (single nucleotide polymorphisms – SNPs), alteram a sua função, conferindo, por exemplo, maior ou menor susceptibilidade a infecções. Nos últimos anos foram publicados diferentes estudos demonstrando impacto de SNPs em TLRs em pacientes hematológicos, particularmente submetidos a transplante alogênico. A população de pacientes submetida a transplante autólogo de células tronco hematopoiéticas (ATCTH), entretanto, é menos estudada. Embora o ATCTH seja associado a baixa mortalidade relacionada ao tratamento, além de infecções são comuns toxicidades relacionadas ao regime de condicionamento, incluindo mucosite oral, diarreia e disfunções orgânicas. Estudos demonstram que polimorfismos genéticos em genes relacionados a metabolismo de drogas influenciam tanto a eficácia como a toxicidade de uma droga específica. Estudos em TCTH demonstraram a relação entre polimorfismos genéticos e toxicidade, com impacto inclusive em desfechos clínicos como mortalidade. Objetivos. Primário: avaliar a influência de polimorfismos genéticos implicados na imunidade inata e no metabolismo de drogas no risco de infecções e toxicidades em pacientes adultos submetidos ATCTH. Secundário: avaliar o impacto destes polimorfismos em desfechos clínicos, particularmente mortalidade relacionada ao transplante (TRM), TRM precoce e sobrevida global (SG). Métodos: Estudo retrospectivo multicêntrico que avaliará pacientes adultos submetidos a ATCTH de 2008 a 2018 para os quais haja disponibilidade de DNA para estudo dos polimorfismos genéticos. Os dados serão coletados dos prontuários dos pacientes tratados nos diferentes centros incluídos no estudo. Em caso de dados faltosos, será enviado um questionário solicitando as informações ao médico responsável pelo seguimento atual do paciente. Os pacientes que estiverem vivos serão convocados para autorizar a participação neste estudo, a partir de assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido. Todas as amostras serão testadas para as regiões gênicas de interesse para os polimorfismos escolhidos utilizando-se duplex RT-PCR contendo primers e sondas desenhadas para o projeto.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Amaral Mendonça

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • avaliação do perfil sarcopenico, nível de atividade física e força muscular em indivíduos com doença pulmonar obstrutiva crônica
  • A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) representa a quinta principal causa de morte no mundo e, de acordo com estimativas recentes, alcançará a terceira posição até o ano 2030. A doença desencadeia diversas alterações estruturais, locais e sistêmicas, resultando em aumento da inflamação, contribuindo para redução da tolerância ao exercício físico em decorrência da disfunção muscular periférica. Adicionalmente, a perda de massa magra é uma condição que pode estar presente na DPOC, sendo um fator importante para o desenvolvimento e progressão do quadro de sarcopenia em alguns casos. Assim, este estudo tem como objetivo principal investigar a sarcopenia e sua relação com a força muscular, nível de atividade física e concentrações de citocinas em pessoas com DPOC. Para tal, o presente estudo contará com a participação de sujeitos com DPOC, de ambos os sexos. Serão alocados 80 participantes divididos em quatro grupos, sendo eles: DPOC pré-sarcopenicos (PS), DPOC sarcopenicos (S), DPOC sarcopenicos grave (SG) e DPOC não-sarcopenicos (NS). Os participantes serão avaliados quanto à função pulmonar (espirometria) e avaliação prognóstica da DPOC. A composição corporal será avaliada por meio do cálculo do Índice de massa corporal (IMC), mensuração da circunferência abdominal e pelo exame de Absormetria Radiológica de Dupla Energia (DEXA). Adicionalmente, para avaliar o risco de sarcopenia, três testes serão realizados: o teste de velocidade de marcha de 4 metros, o Short Physical Performance Battery (SPPB) e a medida da força de preensão palmar. A avaliação do nível de atividade física será realizada por meio da aplicação do questionário Active Austrália Questionaire (AAQ) e por meio do uso do acelerômetro Polar Loop durante 7 dias. A força muscular respiratória será avaliada por meio da Pressão Inspiratória máxima (PImáx) e a Pressão Expiratória máxima (PEmáx). Secundariamente serão analisadas as concentrações plasmáticas de citocinas pelo método de ELISA sanduíche. Consideramos como hipótese alternativa que indivíduos sarcopenicos com DPOC apresentam menor força muscular e nível de atividade física que indivíduos com DPOC não-sarcopenicos, e que esses parâmetros têm relação com o grau de sarcopenia, bem como com alterações inflamatórias. Além disso, acreditamos que a sarcopenia associada à DPOC tenha relação com a piora da força e nível de atividade física.
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Batista Schramm

Engenharias

Engenharia de Produção
  • metodologia para identificação, estruturação e análise de conflitos ambientais na bacia do rio paraíba do norte
  • Existe uma expectativa de aumento no número de conflitos ambientais em alguns estados da região Nordeste em decorrência do projeto de integração do Rio São Francisco com bacias hidrográficas da porção sul da região Nordeste. Estes conflitos nascerão de disputas decorrentes das novas formas de uso da água que irão ocorrer, com destaque para aqueles envolvendo exploração econômica dos recursos naturais. A identificação e tratamento destes conflitos é uma condição essencial para garantir o desenvolvimento sustentável da região, que é o principal objetivo do Projeto São Francisco. Assim, esta atividade deve estar prevista nas atribuições dos comitês de bacias hidrográficas. O objetivo deste projeto é estudar e testar ferramentas para, com isso, desenvolver uma metodologia para apoiar o Comitê da Bacia do Rio Paraíba do Norte, na identificação, caracterização e análise de conflitos existentes e potenciais ao longo da bacia. A metodologia proposta tem potencial de se tornar um instrumento inovador de apoio à gestão de recursos hídricos no Brasil, que pode ser adotado por todos os comitês de bacias hidrográficas e por organizações de gestão de recursos hídricos no Brasil e no mundo. Além da metodologia em si, o projeto irá realizar um mapeamento dos conflitos existentes na Bacia do Rio Paraíba do Norte.
  • Universidade Federal de Campina Grande - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanessa Bergamin Boralli Marques

Ciências da Saúde

Farmácia
  • da pesquisa básica para a saúde humana: uma abordagem multidisciplinar na busca por novos alvos e estratégias terapêuticas.
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Alfenas - MG - Brasil
  • 06/01/2020-06/01/2025
Foto de perfil

Vanessa Braganholo Murta

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • aceleração de experimentos científicos
  • Experimentos científicos, que anteriormente eram realizados apenas in vivo, hoje são realizados por meio de simulações computacionais, e normalmente envolvem vários programas diferentes que são encadeados de forma a realizarem a simulação desejada. Até que a hipótese experimental seja confirmada ou refutada, o cientista normalmente modifica a estrutura do experimento diversas vezes e testa diferentes parâmetros e algoritmos. A cada uma dessas tentativas, chamamos ensaio (do inglês trial). Um experimento, portanto, é formado por um ou mais ensaios que se sucedem em alguma ordem. Entre um ensaio e outro, há normalmente muita repetição: trechos de código se repetem, ou mesmo dados de entrada se repetem. O foco desse projeto reside em estudar e propor formas de acelerar a execução de um experimento com base em resultados de execuções de ensaios anteriores. Para isso, pretendemos trabalhar em três frentes: (i) mecanismo de cache, para que seja possível aproveitar resultados de partes de experimentos anteriores que sejam comuns ao experimento atual; (ii) recomputação incremental, para que seja possível reexecutar uma parte do experimento usando apenas um delta dos dados (diferença entre os dados antigos e os dados novos); e (iii) colaboração, para que seja possível que cientistas trabalhem em paralelo em uma mesmo experimento e compartilhem suas bases de proveniência. Como resultados, espera-se algoritmos que avancem o estado da arte, ferramentas que auxiliem cientistas de diversos domínios na execução de seus experimentos, além de publicações e formação de alunos de mestrado e doutorado.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022