Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ângelo de Fátima

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • nbomes e nbohs: síntese de padrões de referências para fins forenses e estudos biofísicos e farmacologógicos
  • As designer drugs, club drugs ou new psychoactive substances (NPS), denominações empregadas para drogas ilícitas de origem sintética, constituem um emorme desafio para as agências de controle (ANVISA, Polícias Cívil e Federal) e são um sério problema de sáude pública mundial. Nos últimos anos, centenas de NPS foram sintetizadas e inseridas ao mercado de drogas para uso recreacional, sendo estas utilizadas principalmente por adolescentes e jovens em boates, raves e bares. De fato, a velocidade com que novas NPS são inseridas no mercado tem exigido, por exemplo, da ANVISA a atualização, quase que semestral, da Portaria SVS/MS nº 344 (12 de maio de 1998), que regula as substâncias entorpecentes, psicotrópicas, precursoras e outras sob controle especial. Porém, neste ano, por exemplo, das três subtâncias conhecidas como NBOHs (25H-, 25I- e 25B-NBOH) aprrendidas em Minas Gerias, apenas a 25I-NBOH consta na lista F2 da portaria supracitada. De fato, não existem padrões de referência comerciais para todas as NBOMEs ou NBOHs conhecidas ou, quando estes padrões estão disponíveis comercialmente, existem grandes entraves na aquisição destes padrões de referência para fins periciais. Somado às problemáticas jurídica e criminal, tem-se que os efeitos à saúde humanda resultantes da utilização dessas novas drogas ainda é bastante insipiente ou inexistente. De fato, a identificação e/ou quantificação das NBOMes/NBOHs e seus derivados para fins de investigação farmacológica e forenses é de extrema relevância acadêmica, científica e tecnológica. Neste cenário, o presente projeto visa, em linhas gerais, a preparação de de padrões de referência de diferentes substâncias das classes NBOMes/NBOHs para fins supracitados.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angelo Fraga Bernardino

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • peld habitats costeiros do espirito santo
  • Ecossistemas marinhos possuem importância econômica, ecológica e social únicas mas poucos ecossistemas costeiros em regiões tropicais e subtropicais se encontram em situações próximas ao seu estado natural. Estuários, florestas de manguezal, recifes costeiros e outros ecossistemas costeiros são amplamente alterados por atividades antrópicas resultantes do rápido crescimento populacional, da urbanização desordenada e mais recentemente, por rápidas mudanças no clima. Esta proposta do PELD Hábitats Costeiros do Espírito Santo (PELD HCES) foi iniciada em 2016 (2016-2020) e propõe continuar seu segundo ciclo de estudos de efeitos climáticos e degradação humana em ecossistemas costeiros localizados no litoral do Espírito Santo em um mosaico de áreas de proteção federal e municipal. Dados do primeiro ciclo do PELD HCES mostraram que oscilações e extremos de temperatura costeiros influenciam os processos de recrutamento e modulação das assembleias bênticas recifais. Períodos prolongados de seca, associados a El Niño em 2015-16, provocaram também drástica mudança em assembleias bênticas estuarinas, e a perda de cerca de 30% de florestas de manguezais nas UC’s do sítio PELD HCES. Esses eventos foram monitorados desde o início do PELD HCES e trouxeram enorme oportunidade para a descrição de seus efeitos na ecologia destes ecossistemas, e mostram o valor dos investimentos em redes de observação de longo prazo. Nesse sentido, o PELD HCES propõe a continuidade da investigação de questões centrais para o monitoramento climático que resultem em melhorias do manejo sustentável de recursos costeiros (Década do Oceano 2021-2030) e no aprimoramento das boas práticas para conservação da vida costeira e marinha. O PELD HCES tem procurado fortalecer as parcerias com a gestão das UC's através de participação em conselhos e fornecendo apoio aos órgãos de gestão municipais e estaduais. Além de produzir dados inéditos sobre a dinâmica do carbono e a vulnerabilidade de florestas de manguezais e recifes tropicais no Brasil frente às mudanças climáticas, os monitoramentos biológicos do PELD HCES utilizam protocolos compatíveis com os utilizados por pesquisadores da ReBentos, e com PELDs já existentes em outras regiões costeiras favorecendo comparações ecológicas latitudinais. O PELD HCES também proporciona a comparação de dados por outros grupos de pesquisa nacionais e internacionais (rede ILTER), pois vem disponibilizando seus dados brutos abertamente em repositórios de dados internacionais (GBIF, OBIS) e na plataforma brasileira do programa PELD no Sibbr (https://ipt.sibbr.gov.br/peld/). O PELD HCES continuará a investigar processos de curto e longo prazo relacionados a impactos na biodiversidade de ecossistemas costeiros, mantendo portanto sua relevância ecológica e socioambiental na região de estudo. Nesse segundo ciclo, iremos intensificar as ações socioambientais através do acesso as transformações na sociedade civil e nas relações com o Estado nos contextos de desastre e riscos ao meio ambiente, identificando as implicações desses padrões de interação para política ambiental no município de Aracruz-ES, com vistas a implementar dinâmicas de participação das comunidades tradicionais no desenvolvimento do PELD. No eixo de comunicação, iremos promover a efetiva integração de outros setores da sociedade ao longo de todo o projeto, promovendo a disseminação das informações geradas e a co-construção de novas perguntas. Esta interação apresenta produtos de impacto de curto prazo, como a disseminação dos resultados; de médio prazo, como a maior participação e reconhecimento da sociedade sobre a importância das pesquisas e uso dos resultados; e longo prazo, como a tomada de decisão em níveis institucionais e individuais que promovam o a conservação, restauração dos ambientes e ações de desenvolvimento sustentável na região do PELD HCES.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 04/01/2021-31/10/2024
Foto de perfil

Angelo Malachias de Souza

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • epitaxia de feixe molecular para filmes orgânicos: estrutura eletrônica em superfícies de materiais bidimensionais e desenvolvimento de dispositivos
  • Esta proposta tem como objetivo estabelecer um equipamento de epitaxia de feixe molecular (MBE – Molecular Beam Epitaxy) para compostos orgânicos que seja pioneiro na comunidade científica brasileira. Não há, no presente momento, a possibilidade de crescer filmes finos de moléculas orgânicas planares com espessura de frações de monocamadas em território nacional. Além de propiciar estudos de propriedades fundamentais de moléculas e superfícies (e suas heterojunções), o crescimento controlado de moléculas orgânicas permite alterar a estrutura eletrônica de novos materiais bidimensionais (WS2, MoS2, Bi2Se3, grafeno, etc.). Pretendemos adquirir um equipamento multi-funcional da empresa Karl-Eberl (Alemanha), que possibilite a deposição (e co-deposição) de moléculas em ultra-alto vácuo com controle refinado de cobertura. O design compacto do equipamento pleiteado permite baixo custo de manutenção, com flexibilidade de escolha dos materiais a serem depositados e uso de substratos extensos com homogeneidade de cobertura. Estamos particularmente interessados em aplicações como transistores orgânicos, células solares híbridas e dopagem superficial de materiais bidimensionais.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angelo Marcio de Souza Gomes

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • estudo de materiais magnetocalóricos aplicados à recuperação de energia
  • Materiais magnéticos quando submetidos à uma variação de campo magnético apresentam uma mudança em sua temperatura, esta propriedade é devido ao efeito magnetocalórico. Este efeito, quando aplicado na forma de um ciclo fechado, com uma variação positiva de campo magnético em temperatura constante e uma variação negativa de campo magnético em regime adiabático, pode resultar numa variação final negativa de temperatura e, desta forma, na obtenção de sistemas para refrigeração e aquecimento. O uso como recuperadores de energia é uma possível nova aplicação dos materiais magnetocalóricos, onde rejeitos térmicos poderiam ser facilmente convertidos em energia aproveitando o efeito magnetocalórico gigante que alguns materiais apresentam ao redor da temperatura ambiente.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ângelo Márcio Leite Denadai

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • biossíntese de gomas xantanas por xanthomonas campestris em reator isotérmico e uso como nanodispositivos de liberação controlada de antimicrobianos catiônicos
  • As xantanas são biopolímeros produzidos por bactérias aeróbias e microaerofílicas do gênero Xanthomonas. São polissacarídeos ramificados, de elevada massa molar (≈ 105-106 g/mol), normalmente constituídos de glicose, manose e ácido glucurônico na relação de 2:2:1. Seus grupos sacarídicos, ricos em hidroxilas, ácidos carboxílicos e ligações éter, são facilmente solvatados por moléculas de água, o que implica em elevada solubilidade aquosa à temperatura ambiente. Por possuírem alta massa molar e ramificações, as xantanas são capazes de aumentar significativamente a viscosidade de líquidos, mesmo em baixas concentrações (a partir de ≈ 0,05 g/L), sendo por isso amplamente utilizadas como espessantes nas áreas farmacêutica e de alimentos. Por serem aniônicas, é possível a formação espontânea de estruturas supramoleculares nanoestruturadas com espécies catiônicas orgânicas contendo por exemplo, grupamentos amino ou piridínio. Considerando o caráter antimicrobiano (antibiótico ou antisséptico) de espécies catiônicas nitrogenadas, tais como cloreto doxiciclina (Dox), cloreto de cetil piridina (CCP) e cloreto de chitosana (Chit), pretende-se no presente trabalho, biossintetizar xantanas a partir de glicose e frutose, bem como estudar seus respectivos complexos supramoleculares com as espécies catiônicas acima descritas. Inicialmente, as xantanas serão biossintetizadas a partir da fermentação de glicose ou frutose em meio de cultura inoculado com Xanthomonas Campestris, seguidas de purificação por precipitação em etanol. Após a identificação da integridade química das gomas por FTIR e TGA/DTA, será avaliado o estado de agregação por medidas de condutividade elétrica, diâmetro hidrodinâmico (DLS), potencial zeta (ZP) e viscosidade, em função da concentração de macromolécula. Pretende-se usar medidas de pressão osmótica em função da concentração de macromolécula para se estimar a massa molar média bem como o 2º coeficiente do virial. A capacidade espessante e o nível de pseudoplasticidade das soluções será investigado por reologia estacionária, com varredura cíclica da taxa de cisalhamento; enquanto que a estimativa de ramificações será investigada por reologia oscilatória, com varredura de amplitude e frequência de cisalhamento. Após a caracterização das macromoléculas livres, serão investigadas suas interações supramoleculares com os antimicrobianos Dox, CCP e Chit no estado sólido por FTIR e TGA/DTA e em solução/suspensão variando suas concentrações por meio de titulações por DLS, ZP, condutividade, viscosidade; além de titulações calorimétricas isotérmicas (ITC) para se avaliar as propriedades termodinâmicas de interação (DGo, DHo, TDSo, K) e estequiometrias (N). Finalmente, as atividades antimicrobianas dos complexos em relação aos seus precursores será avaliada frente à Staphylococcus aureus e Cândia Albicans, por determinação do MIC, DL50; além de estudo cinético de morte celular.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angelo Pallini

Ciências Agrárias

Agronomia
  • resposta de inimigos naturais aos voláteis de plantas em ambientes complexos
  • Em laboratório, inimigos naturais respondem a voláteis associados a suas presas/hospedeiros, mas é pouco claro como isto é afetado pelos voláteis do ambiente do agroecossistema em questão. Aqui são propostos experimentos sobre a resposta de predadores em ambientes com aumento da complexidade de odores tanto em laboratório como em campo. Os resultados irão aumentar o entendimento do comportamento de predadores quando estes estiverem em situação de uma mistura de voláteis de plantas com as suas presas e de voláteis provenientes de um ambiente de misturas mais complexas de odores. Entender este sistema irá auxiliar no planejamento de liberações de inimigos naturais em campos agrícolas, contribuindo, portanto, para o aumento da eficiência do controle biológico de pragas.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Ângelo Ricardo de Souza

Ciências Humanas

Educação
  • análise comparada das políticas educacionais nacionais nas américas: contextos, movimentos e direito à educação
  • Este projeto de pesquisa se propõe a investigar comparativamente os movimentos da macropolítica e suas decorrências no alcance e efetivação do direito à educação básica e superior no Brasil, Argentina, Chile, EUA e Uruguai, considerando as consequências das continuidades e descontinuidades das políticas educacionais elaboradas em contextos democráticos após trocas nas orientações políticas e ideológicas nos governos desses países.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angsula Ghosh

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • estudo teórico de novos materiais usando teoria functional da densidade
  • Neste projeto de pesquisa, estudaremos as propriedades de novos materiais bidimensionais (2D) tipo grafeno as quais são requisitados para várias aplicações como sensores, aparelhos nano elétricos etc. usando cálculos ab initio utilizando métodos de DFT (Density Functional Theory) em condições ambientes e em altas pressões. Esses materiais são de suma importância para empresas de tecnologia que trabalham com microeletrônica, existindo atualmente um interesse crescente em problemas relacionados com o transporte de elétrons em nível molecular, pois a microeletrônica convencional, baseada no chip de silício, está atingindo o seu limite de miniaturização. Chegando abaixo de 100 nm, aparecerão os efeitos quânticos como tunelamento, por exemplo, deixando os dispositivos convencionais numa escala reduzida inoperável. Por essa razão, surgi a procura pelas tecnologias sucessoras no nível de escala nanométrica. O estudo de bandas de energia, densidade de estados e o transporte de carga através desses novos materiais deverá ser útil para caracterizar estes. Recentemente, vários metais, óxidos metálicos e semicondutores foram incorporadas às estruturas dos nanotubos de carbono e nitreto de boro com o objetivo de adquirir propriedades excepcionais em forma composta. Dentro deste contexto, o objetivo deste trabalho é estudar os nanotubos com adsorção das várias moléculas tipo N20, CO2 , CO etc. Além disso, também será estudado nanotubos com adsorção e confinamento de biomoléculas tipo glicina.
  • Universidade Federal do Amazonas - AM - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ani Caroline Grigion Potrich

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • alfabetização financeira em estudantes universitários: o efeito “não sei”
  • Para garantir um futuro melhor de um país e das pessoas que nele vivem, é essencial fomentar a educação financeira entre a população, visto que pessoas mais educadas financeiramente conseguem gerir melhor seus recursos, planejar melhor suas despesas, realizar mais seus sonhos e maximizar seu poder de compra, ajudando no combate à inflação. Diversas pesquisas já demonstraram a existência de uma diferença na educação financeira entre homens e mulheres, sendo as mulheres propensas a ter um score menor do que suas contrapartes do gênero masculino. Mas qual seria a causa dessa disparidade? A hipótese levantada por este estudo é a de que a maior frequência de resposta marcando a alternativa “não sei” deve-se a uma menor autoconfiança das mulheres, sendo assim, o que se propõe nesta pesquisa é analisar o efeito da autoconfiança na diferença da educação financeira entre os gêneros. O estudo utilizará uma amostra não-probabilística de estudantes universitários, os quais responderão a dois questionários, um seguido do outro. O primeiro é destinado a coletar informações referentes ao perfil do respondente, à sua autoconfiança geral e seu conhecimento financeiro. O segundo contará apenas com as questões de conhecimento financeiro, porém, diferindo do primeiro instrumento, sem a opção de resposta “não sei” e com uma escala de autoconfiança após cada pergunta. Para analisar os dados coletados, serão utilizadas estatísticas descritivas e técnicas de análise multivariada. Como resultado, espera-se verificar se o menor nível de educação financeira das mulheres encontrado em diversos países é realmente explicado pela falta deste conhecimento ou descobrir se um menor grau de autoconfiança é o que leva as mulheres a apresentarem um menor grau de educação financeira do que os homens, podendo assim ser desenvolvidas novas estratégias para melhorar o nível de educação financeira da população.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anielle Cristhine de Medeiros Takahashi

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • efeitos do treinamento multicomponente nas funções cognitivas e desempenho de dupla tarefa em idosos pré-frágeis: estudo controlado cego randomizado.
  • Introdução: A síndrome da fragilidade é descrita como um estado clínico de vulnerabilidade ao estresse e está relacionada à redução na capacidade do organismo em manter a homeostase, o que leva a desfechos adversos como hospitalizações, quedas e morte. Atualmente, tem-se verificado uma associação entre a fragilidade física e o declínio cognitivo. O exercício físico, especialmente o treinamento multicomponente, é apontado como peça fundamental na intervenção de idosos que cursam a fragilidade. Porém, ainda não está claro se a melhora da capacidade funcional observada com esta modalidade de treinamento também resulta na melhora da cognição de idosos em risco de fragilização. Objetivo: Avaliar os efeitos de um protocolo de treinamento multicomponente nas funções cognitivas e desempenho em teste de dupla tarefa em idosos pré-frágeis. Métodos: Serão avaliados 46 idosos pré-frágeis, divididos de forma randomizada em grupos intervenção (GI, n = 23) e controle (GC, n = 23). As avaliações ocorrerão em dois momentos distintos (pré-intervenção e pós-intervenção de 16 semanas). Para avaliar as funções cognitivas dos idosos serão realizados o Exame Cognitivo de Addenbrooke versão revisada e adaptada para a população idosa brasileira; Bateria de Avaliação Frontal, Teste de Trilhas; e também será verificado o desempenho em teste de dupla tarefa. Para avaliar as capacidades físicas serão realizados a Short Physical Performance Battery e o teste Timed Up and Go. O GI realizará exercícios relativos aos componentes aeróbico, força, flexibilidade, equilíbrio e agilidade, 3x/semana em dias não consecutivos. Espera-se que os idosos pré-frágeis expostos ao treinamento multicomponente apresentem melhora das funções cognitivas, no desempenho do teste de dupla tarefa e no desempenho físico.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anielson Barbosa da Silva

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • implicações do ambiente de aprendizagem na formação de alunos de cursos de graduação em administração: um estudo comparado entre brasil, espanha e portugal
  • O ambiente de aprendizagem é considerado uma dimensão mediadora do sistema de aprendizagem em ação, que foi desenvolvido e implantado com o apoio financeiro do CNPq no período de 2011 a 2018. Em todos os estudos decorrentes da implantação dos dois projetos, o ambiente de aprendizagem exerceu um papel determinante, seja na dimensão física decorrente da implantação do observatório de pesquisa e prática em administração (OPPA), como também na experiência de alunos e professores durante a utilização de estratégias ativas de ensino, na avaliação dos estilos de aprendizagem ou como um espaço de aprendizagem capaz de estimular a prática reflexiva dos alunos. Entende-se o ambiente de aprendizagem como o local onde a aprendizagem acontece (FRASER, 2002), que abrange recursos de aprendizagem e tecnologias, meios de ensino, modos de aprendizagem (WARGER; SERVE; DOBBIN, 2009), que pode ser analisado a partir de uma perspectiva multidimensional abrangendo as dimensões física, psicológica, social e tecnológica (SILVA; SILVA; COELHO, 2018). Esta proposta tem como objetivo analisar as implicações do ambiente de aprendizagem na formação de estudantes de cursos de Graduação em administração no Brasil, na Espanha e em Portugal. A proposta apresenta as seguintes contribuições: (a) o desenvolvimento e validação de uma escala para analisar o ambiente de aprendizagem e sua validação em três países pode contribuir para ampliar o impacto do ambiente de aprendizagem em vários contextos multiculturais; (b) a caracterização e análise do ambiente de aprendizagem em uma perspectiva multicultural pode indicar como contextos educacionais de vários países impactam na formação de profissionais; (c) a compreensão das especificidades de cada uma das dimensões do ambiente de aprendizagem e suas implicações na formação profissional pode ajudar na inserção de alunos em países diferentes daquele em que o profissional foi formado; (d) a análise do ambiente de aprendizagem, a partir de uma perspectiva multicultural e multidimensional pode auxiliar na delimitação de estratégias de ensino que potencializem o engajamento dos alunos, a sua motivação para aprendizagem e o desenvolvimento de competências sociais e emocionais. A metodologia da pesquisa abrange duas etapas: a primeira envolve o desenvolvimento e validação de uma escala para avaliação do ambiente de aprendizagem numa perspectiva multidimensional e multicultural no Brasil, na Espanha e em Portugal. A segunda etapa da pesquisa envolve a realização de uma survey para analisar a relação entre o ambiente de aprendizagem, o engajamento, a motivação e as competências socioemocionais dos estudantes de cursos de graduação em Administração no Brasil, na Espanha e em Portugal. Além do impacto dos resultados do ponto de vista técnico-científico por meio dos estudos realizados, a pesquisa também impactará na melhoria do ensino, uma vez que serão realizadas ações de formação docente nos três países. Do ponto de vista de inovação, pretende-se desenvolver uma versão do sistema de acompanhamento da aprendizagem discente (www.saad.net.br) em espanhol e incorporação de módulos de engajamento, motivação para aprendizagem e competências socioemocionais como ações específicas deste projeto, que poderá ajudar os alunos em seu processo de formação profissional e auxiliar os professores no planejamento de ações docentes que potencializem a formação dos alunos.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anise de Abreu Goncalves D'Orange Ferreira

Lingüística, Letras e Artes

Letras
  • projetos abertos em letras clássicas digitais: —anotacaoo, traducao alinhada, treebanking e um lexico grego-portugues
  • A proposta aqui apresentada, envolvendo tecnologias digitais, tem, por finalidade u´ltima, fomentar o ensino, a pesquisa, e a formação na língua grega, e incentivar publicações abertas em língua portuguesa em colaborac¸a˜o com projetos internacionais, dos quais discorrerei adiante, Open Philology, do programa de Digital Humanities da Universidade de Leipzig, Perseus Digital Library (PDL) e Perseids Project da Universidade Tufts e com participação no Consórcio Sunoikisis Digital Classics (DC), consórcio que é resultado da parceria entre o consórcio Sunoikisis CHS, do Centro de Estudos Helênicos de Harvard em Washington e o grupo de Humanidades Digitais da Universidade de Leipzig. Concretamente, os projetos abertos envolvem a produção de dados recuperáveis por máquina, na forma de edições digitais específicas, de traduções alinhadas e de anotação de corpora (morfológica, sintática, de nomes, referências, etc) e a implementação online de consulta ao Dicionário Digital Grego-Português (DDGP) em desenvolvimento. Em síntese, a proposta reúne três categorias de produção de dados, propondo, em concomitância com o ensino: a) ampliar as traduções em português abertas paralelas e/ou alinhadas com grego; b) realizar anotações sintáticas em árvore de dependência (treebanking) de textos gregos específicos; c) implementar anotações no corpus do DDGP, com identificação de elementos dentro dos verbetes e com conexão a fontes de dados externos.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anissa Daliry

Ciências da Saúde

Medicina
  • validação de um novo dispositivo diagnóstico portátil (micro espectrômetro) para utilização na determinação do grau de esteatose hepática em tempo real em fígados disponibilizados para transplante.
  • A decisão sobre a disponibilização ou não de um fígado para transplante, muitas vezes recai sobre o cirurgião e sua equipe, que, de forma rápida, realiza uma análise macroscópica do órgão e acessa os dados dos prontuários do indivíduo que veio à óbito para inferir sobre possíveis complicações no transplante associados ao estado de saúde do doador. Em muitos casos não há infraestrutura disponível ou tempo suficiente para coleta e análise de uma biópsia hepática por profissionais experientes. Uma das principais questões em relação à decisão sobre o uso ou não de um órgão está na quantificação da esteatose, considerada um fator de risco para a escolha do enxerto e na cirurgia de transplante. A esteatose leve (<30%) causa pouco ou nenhuma lesão no enxerto/rejeição, enquanto que a esteatose moderada (30–60%) ou alta (>60%) está associada à grande risco de disfunção primária do enxerto. Nesse cenário, nosso estudo propõe validar e desenvolver um dispositivo capaz de assessorar os cirurgiões e sua equipe no diagnóstico pré-operatório da esteatose no fígado de doadores, utilizando a tecnologia de espectroscopia de infravermelho, em um aparelho miniaturizado, que fará a leitura e quantificação de esteatose de forma não invasiva e em tempo real. Apesar de aparelhos miniaturizados apresentarem um uso fácil e intuitivo, a acurácia do método deve ser determinada por estudos clínicos amplos e confiáveis. Esse fator justifica a realização do estudo, visto que se objetiva avaliar a acurácia do micro espectrômetro em determinar o grau de esteatose hepática para propor a sua utilização em clínicas e hospitais não só no Brasil, como no mundo. Para isso, no presente estudo clínico randomizado para validação de dispositivo médico teremos como primeiro objetivo realizar o escaneamento de 140 amostras de fígado humano de indivíduos que vieram ao óbito, em triplicata, e para calibração do aparelho, as leituras serão relacionadas ao grau de esteatose determinadas pelo padrão ouro na determinação de esteatose, que é a biópsia hepática. A biópsia hepática é um procedimento padrão no fluxograma de transplante dos hospitais em que este estudo será conduzido, de forma que, nós não faremos uma nova coleta para o estudo, e sim, nos beneficiaremos da coleta já realizada pela equipe especializada dos hospitais que captam ou realizam o transplante. Em posse da biópsia, conduziremos análises histológicas e ao relacionar com as leituras do micro espectrômetros, será possível construir o modelo de detecção molecular de predição de grau de esteatose hepática. Para a realização do segundo objetivo, etapa de validação, será feita a calibração do aparelho a partir das adaptações propostas e será feito o escaneamento de 60 amostras de fígado humano para testagem do modelo. Além disso, serão feitos ensaios de correlação para avaliação da correspondência dos dados fornecidos pelo micro espectrômetro e pela histologia, determinando a acuraria, sensibilidade e reprodutibilidade do método diagnóstico. A validação do método proposto no presente projeto pode dar origem a um dispositivo médico de baixo custo, não invasivo, e de grande e importante aplicabilidade médica, assessorando a decisão da equipe de cirurgiões na disponibilização de órgãos para transplante e no tamanho da cirurgia de ressecção hepática, assim como beneficiar inúmeros estudos pré-clínicos/experimentais relacionados ao entendimento do impacto da esteatose no transplante hepático, e validação de novas abordagens terapêuticas para obesidade, e doenças hepáticas.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 14/12/2020-30/06/2023
Foto de perfil

Anita Jocelyne Marsaioli

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • zika vírus: desenvolvimento de sondas fluorogênicas para monitoramento da atividade intracelular da protease ns2b-ns3, reconhecimento seletivo do rna do vírus e avaliação de potenciais biomarcadores da infecção
  • Doenças negligenciadas tropicais e tuberculose persistem principalmente por razões socioeconômicas e, embora uma em cada seis pessoas sofra destas doenças, observa-se uma baixa disponibilidade de fármacos para o tratamento das mesmas [1]. Apesar de décadas de pesquisas relacionadas ao descobrimento de novos fármacos e vacinas para estas doenças, poucos produtos chegaram às etapas de testes clínicos ou são acessíveis por, aproximadamente, um bilhão de pessoas que necessitam de tratamento [2]. Fatores comuns às doenças negligenciadas incluem sua prevalência em populações pobres de regiões de climas tropicais e subtropicais, alto impacto de morbidade e mortalidade, infecção simultânea por mais de um parasita e problemas relacionados à discriminação social e de autoestima [3]. Mais de 70% dos países que reportam a presença de doenças tropicais negligenciadas são economias pobres ou em desenvolvimento, sendo que 100% dos países pobres são afetados, simultaneamente, por pelo menos cinco tipos diferentes destas doenças. As infecções podem ser relacionadas a deficiências (ou inexistência) no saneamento básico e no tratamento da água (muitas vezes imprópria para o consumo humano), desnutrição e a falta de acesso a serviços de saúde [4]. A Organização Mundial da Saúde (OMS) possui uma lista com 17 doenças negligenciadas, incluindo dengue e chikungunya, ambas transmitidas pelo mosquito Aedes, o qual também é vetor do vírus Zika [5]. A infecção causada pelo Zika vírus, foi declarada pela OMS como uma situação de emergência de saúde pública internacional, tendo em vista a sua rápida proliferação, magnitude e suas consequências [6]. O Zika vírus foi identificado pela primeira vez em humanos no ano de 1952, no Uganda e na República Unida da Tanzânia, mas o primeiro grande surto foi detectado em 2007 nas ilhas Yap, que na ocasião teve 73% da população infectada [7]. Posteriormente, o vírus continuou a se espalhar rapidamente, sendo surtos da doença notificados na Polinésia Francesa em 2013 e a partir de 2015 em países da América do Sul, América Central e Caribe. O Zika é um vírus do gênero Flavivirus, assim como o causador da dengue e da febre amarela. As manifestações clínicas da infecção pelo Zika vírus não são específicas (febre, erupções cutâneas, conjuntivite, dores nos músculos e articulações, mal-estar e dor de cabeça), podendo ser confundida com outras doenças como dengue e chikungunya [8]. Em 2015, descobriu-se a associação da infecção pelo vírus Zika, com a síndrome de Guillain Barré (SGB) e com casos de microencefalia de neonatos, que tiveram um aumento considerável nos países que apresentaram surtos desta infecção [9]. Na Polinésia Francesa, por exemplo, entre os anos de 2013-2014, foi registrado um número 20 vezes maior de casos de SGB e no Brasil em 2016 foram reportados 1708 casos, além de 5079 casos suspeitos de microencefalia [10]. Como uma doença claramente negligenciada, até a última década pouco se sabia sobre a biologia básica do vírus e da doença, o que representou um sério entrave no diagnóstico, no desenvolvimento de vacinas e na elaboração de estratégias eficientes de prevenção e manejo [11]. O diagnóstico laboratorial do vírus da Zika representa um grande desafio, devido à falta de métodos padrões eficientes [12]. Ademais, estudos apontam para o risco potencial da transmissão sexual, perinatal e via transfusão de sangue, o que pode contribuir para a disseminação da infecção [13]. Todos estes fatores em conjunto apontam para a necessidade do desenvolvimento de metodologias que facilitem o diagnóstico e compreensão da infecção. Assim, a proposta deste projeto é o desenvolvimento de sondas fluorogênicas seletivas a protease NS2B-NS3 e ao RNA do Zika vírus, assim como, avaliar o perfil metabolômico do vírus, a fim de estabelecer biomarcadores por ressonância magnética nuclear (RMN) que poderão auxiliar no diagnóstico e acompanhamento do desenvolvimento da infecção. Referências [1] Hopkins, A. L.; Witty, M. J.; Nwaka, S. Science 2007, 449, 166. [2] Butler, D. Nature 2010, 465, 277. [3] Fehr, A.; Thürmann, P.; Razum, O. BMC Health Serv. Res. 2011, 11, 312. [4] World Helth Organization: “Neglected tropical diseases, hidden successes, emerging opportunities.” 2006 (http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/44214/1/9789241598705_eng.pdf; acesso em 08/2018) [5] http://www.who.int/neglected_diseases/diseases/en/ (acesso em 08/2018). [6] Wikan, N.; Smith, D. R. Lancet Infect. Dis. 2016, 16, 119. [7] Jupille, H; Seixas, G.; Mousson, L.; Sousa, C. A.; Faillox, A.B. PLOS Neglected Trop. Dis. 2016, 1. [8] Moulin, E.; Selby, K.; Cherpillod, P.; Kaiser, L.; Boillat-Blanco, N. New Microbes New Infect. 2016, 11, 6. [9] http://www.who.int/mediacentre/factsheets/zika/pt/ (acesso em 08/2018) [10] www.who.int/wer/2016/wer9107/en/ (acesso em 08/2018) [11] a) Wong, S.S.Y.; Poon, R.W.S.; Wong, S.CY. J. Formosan Med. Assoc. 2016, 115, 226. b) Towers, S.; Brauer, F.; Castillo-Chacez, C.; Falconar, A. K. I.; Mubayi, A.; Romero-Vivas, C. M. E. Epidemics 2016, 17, 50. [12] Musso, D.; Roche, C.; Nhan, T.X.; Robin, E.; Teissier, A.; Cao-Lormeau, V.M. J. Clin. Virol. 2015, 68, 53. [13] a) Musso, D.; Gubler, D. J. Clin. Microbiol. Rev. 2016, 29, 487. b) Musso, D.; Roche, C.; Robin, E.; Nhan, T.; Tesseier, A.; Cao-Lormeau, V.M. Emerging. Infect. Dis. 2015, 359. c) Besnard, M. Lastère, S.; Teissier, A.; Cao-Larmeau, V.M.; Musso, D. Euro Surveill, 2014, 19, pii 20751.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anna Alice Figueirêdo de Almeida

Ciências da Saúde

Fonoaudiologia
  • banco de vozes em diferentes estados emocionais: construção, reconhecimento de padrões e validação transcultural
  • OBJETIVO: Realizar a construção e validação de um banco de vozes com a variação de emoções, em uma amostra de indivíduos provenientes da população brasileira. MÉTODOS: Trata-se de uma pesquisa descritiva, de campo e quantitativa. É um estudo observacional e transversal. Constará de quatro etapas, a saber: 1) Construção de um banco de vozes com a variação de emoções; 2) Avaliação, reconhecimento de padrões e seleção das características das amostras vocais de atores simulando as emoções; 3) Validação oficial do banco de vozes com a variação de emoções; e 4) Validação transcultural do banco de vozes com a variação de emoções. Na Etapa 1, coletará medidas vocais (emissão da vogal /a/ como interjeição, fala automática a partir da contagem de 1 a 10 e de fala semi-espontânea a partir de frase extraída do CAPE-V) e neurofisiológicas (frequência cardíaca, saturação de oxigênio no sangue, temperatura de extremidades, condutância elétrica da pele, eletromiografia de superfície da musculatura supra e infrahióidea e eletroencefalografia) junto a atores da cidade de João Pessoa/PB e estudantes do curso de Artes Cênicas da Universidade Federal da Paraíba. Todas tarefas vocais serão realizadas por cada ator em seis emoções básicas (alegria, tristeza, medo, raiva, surpresa e nojo) e emissão neutra. A Etapa 2 utilizará as amostras vocais coletadas na Etapa 1. O procedimento de avaliação e seleção das amostras vocais será feito por fonoaudiólogos especialistas em voz, depois serão feitas a codificação das amostras vocais. Para a fase de reconhecimento de padrões, será utilizada inteligência artificial a partir de redes neurais, assim, sugere-se realizar a automatização da classificação de emoções a partir da voz humana através de aprendizagem de máquina profunda (deep learning). Serão selecionadas para a etapa de validação as amostras vocais compatíveis com a emoção simulada. As Etapas 3 e 4 remetem a validação oficial e validação transcultural do banco de vozes com a variação de emoções, respectivamente. Nestas, a população será composta por juízes leigos que irão avaliar o julgamento de juízes leigos sobre as amostras vocais de atores simulando as emoções. Na etapa 3, serão juízes leigos da cidade de João Pessoa/PB e, na etapa 4, participarão juízes leigos da cidade de São Paulo/SP. Serão apresentadas as amostras vocais que tiveram maior taxa de acurácia no modelo desenvolvido pelo método deep learning. Os juízes leigos escutarão as amostras de voz e marcarão a emoção expressa naquele estímulo sonoro em sua opinião. A análise de dados contará com análise estatística descritiva e inferencial de acordo com a necessidade inerente aos objetivos de cada etapa. RESULTADOS ESPERADOS: Pretende-se construir e validar de um banco de vozes transcultural com a variação de emoções que possa contribuir para a evidência científica relacionada à voz e emoções, a fim de que haja aplicação do conhecimento para desenvolvimento de melhor competência comunicativa de pacientes e clientes da Fonoaudiologia, além de gerar impacto de inovação tecnológica em diversos tipos de mercado, como em call centers, sistemas de videoconferência e sistemas de acesso por voz a ambientes privativos.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anna Cecília Queiroz de Medeiros

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • cuidar: qualificando o cuidado integral em doenças crônicas não transmissíveis no agreste potiguar
  • As Doenças Crônicas Não-Transmissíveis (DCNT) são um grande problema de saúde pública na atualidade, figurando entre as principais preocupações nas agendas públicas e na organização do serviço do Sistema Único de Saúde. Nesse sentido, a V URSAP vive um momento único, no qual tenta estrutura sua rede de cuidado, para melhor enfrentar esta questão. Diante disto, o presente projeto pretende articular atividades de ensino, pesquisa e extensão com os 21 municípios das regiões do Trairi e Potengi potiguar, visando a organização e qualificação do cuidado e prevenção das doenças crônicas não transmissíveis (diabetes, hipertensão arterial sistêmica e obesidade). Estruturado em quatro etapas, a primeira fase do projeto prevê a realização de um diagnóstico da organização dos serviços e qualidade do cuidado à população com Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), a fim de identificar as necessidades de aperfeiçoamento e lacunas referentes ao processo de trabalho. Na segunda etapa, serão planejados e executados processos formativos nesta temática, com profissionais e gestores, pautados nos protocolos e guias do Ministério da Saúde e contextualizados às necessidades e peculiaridades identificadas na etapa de diagnóstico. Na terceira etapa será realizada a avaliação do impacto e a efetividade das atividades de formação no processo de trabalho das equipes e organização dos serviços de atenção primária dos municípios participantes, em relação ao cuidado às pessoas com DCNT e a fatores de risco evitáveis. Finalmente, a quarta etapa do processo, que permeará as demais etapas, consistirá na condução de atividades de divulgação e popularização do conhecimento sobre os fatores de risco para DCNT, para diversos públicos, em articulação com universidades, conselhos de saúde, governo e sociedade civil.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 22/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Anne Magaly de Paula Canuto

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • investigando o impacto da inclusão da dinamicidade no desempenho dos comitês de classificadores
  • A combinação de vários classificadores surgiu como uma tentativa de criar estruturas de classificação que sejam eficientes para problemas de classificação complexos. Este método de combinar diferentes classificadores individuais é conhecido na literatura como comitês de classificadores. Esses sistemas são compostos por um conjunto de classificadores, organizados em paralelo, que recebe os dados de entrada e fornece sua predição para um método de combinação, que é responsável por apresentar a saída final do sistema. Um dos principais desafios no projeto de comitês de classificadores eficientes é o processo de escolha da sua estrutura. Uma maneira de melhorar o desempenho dos comitês de classificadores é através da seleção dos melhores atributos, classificadores e método de combinação para compor a sua estrutura. Essa seleção pode ser feita estaticamente ou dinamicamente. Na seleção estática, uma vez definida a estrutura do comitê, todas as instâncias de teste serão classificadas pela mesma estrutura. Esta seleção é a mais tradicional e tem sido utilizada desde o início das pesquisas com comitês de classificadores. Recentemente, com base no pressuposto de que toda instância de teste possui particularidades e diferentes níveis de dificuldades no processo de classificação, a abordagem de seleção dinâmica surgiu. Nesta seleção, cada instância é classificada por uma estrutura diferente de comitês (conjunto de classificadores individuais e método de combinação). Existem alguns trabalhos que têm sido propostos na literatura utilizando a abordagem de seleção dinâmica. No entanto, a maioria dos trabalhos encontrados fazem a escolha dinâmica de apenas um componente, atributo, classificador individual ou método de combinação. Uma investigação de qual componente com seleção dinâmica tende a produzir comitês de classificadores eficientes pode ajudar na construção de estruturas de comitês cada vez mais robustos para diferentes problemas de classificação. Portanto, o principal objetivo do projeto aqui apresentado é melhorar a eficácia e desempenho dos comitês de classificadores, visando torná-los mais adequados para cada padrão de teste individualmente, além de manter a eficiência de tais sistemas. Objetiva-se, com este projeto, explorar todo o potencial de comitês de classificadores e torná-los ainda mais eficiente para a classificação de dados.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anne Marie Pessis

Ciências Humanas

Arqueologia
  • instituto nacional de arqueologia, paleontologia e ambiente do semi-árido do nordeste do brasil
  • O Instituto Nacional de Arqueologia, Paleontologia e Ambiente do Semiárido (Inapas - INCT) é uma rede de pesquisa formada por quatro instituições (FUMDHAM, UFPE, FIOCRUZ e URCA) que desenvolve pesquisas nas áreas disciplinares de arqueologia, paleoambiente, paleoparasitologia e paleontologia no semiárido do Nordeste do Brasil. Essa rede tem como objetivo caracterizar e definir cronologicamente a ocupação pré-histórica da região Nordeste do Brasil e seu contexto paleoambiental, visando à integração e inovação das metodologias da pesquisa arqueológica paleoambientais no país. Devido ao seu amplo espectro interdisciplinar de pesquisas, as instituições que participam da rede atuam em diversas etapas da cadeia de inovação. As pesquisas fundamentais do Inapas em arqueologia, paleontologia e ambiente aportam contribuições na geração de conhecimentos para aplicação tecnológica, na conservação do patrimônio cultural e ambiental e ainda, na gestão de recursos naturais e culturais, em transformação com as mudanças climáticas em ambientes semiáridos, cujos temas demandam a criação e utilização de novos métodos e tecnologias. As principais linhas de pesquisa do Inapas, desenvolvidas no semiárido nordestino, são: Povoamento pré-histórico; Paleoparasitologia, ecologia e emergência de infecções parasitárias; Análise gráfica tridimensional dos registros rupestres; Paleoambiente do Quaternário; Paleontologia do Quaternário e das bacias sedimentares e Metrologia arqueológica e patrimonial. A pesquisa desenvolvida pelo Inapas trata de temas relevantes para a ciência brasileira e mundial, entre eles: a origem do homem americano, mudanças paleoclimáticas e seus reflexos sobre a vida e a saúde, fluxos migratórios das primeiras populações humanas da região, paleontologia e metrologia arqueológica patrimonial. A rede consolida pesquisas em curso de instituições parceiras há mais de duas décadas. A sede do Inapas permanecerá na Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM), entidade científica há mais de três décadas responsável pelas pesquisas arqueológicas e pela gestão do Parque Nacional Serra da Capivara, Patrimônio Mundial Cultural da Unesco. A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), por meio dos Departamentos de Arqueologia, Energia Nuclear, Ciências Geográficas e Engenharia de Minas forma um núcleo consolidado de pesquisas interdisciplinares e ensino atuando na região Nordeste. A Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ-RJ), com a participação da Escola Nacional de Saúde Pública pesquisa há trinta anos os parasitos encontrados em material arqueológico, contribuindo para a formação da Paleoparasitologia e das condições de saúde na pré-história e seus reflexos no presente e futuro. A Universidade Regional do Cariri (URCA), por meio do Laboratório de Paleontologia, integra pesquisas em taxonomia e mapeamento paleontológico das bacias sedimentares do semiárido brasileiro. Essas quatro instituições, com laboratórios e grupos de pesquisa envolvidos, partilham um mesmo objetivo, integrando aportes inovadores que permitem a integração regional dos dados e conta ainda com a parceria de grupos de pesquisas de outras renomadas instituições. Além da pesquisa formal, as relações interinstitucionais contribuem para a formação de recursos humanos e de divulgação e difusão científica.
  • Fundação Museu do Homem Americano - PI - Brasil
  • 25/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Anne Priscila Dias Gonzaga

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • flutuações na vegetação em área de ecótono cerrado-floresta na serra do espinhaço, mg
  • O presente projeto visa estudar uma faixa de vegetação de transição (Floresta Estacional Semidecidual e Cerrado) existente na região meridional da Serra do Espinhaço, que é amplamente reconhecida pela sua singularidade ambiental. O que se justifica em virtude da escassez de pesquisas que englobem análises paleoambientais, bem como a determinação dos padrões relacionados à distribuição da vegetação em ambientes ecotonais. A partir deste estudo, pretende-se enfatizar a alteração da paisagem e realizar a caracterização florístico estrutural de uma área transicional, visando a compreensão das mudanças/evolução da flora em tempos pretéritos e atuais. Na área de estudo serão alocadas 50 parcelas de 400 m² (10m × 40m), dispostas ao longo do gradiente fitofisionômico, onde serão mensurados indivíduos arbóreos com (DAP) > 5cm. Serão calculadas as diversidades taxonômica, filogenética e funcional das espécies amostradas. A influencia ambiental nos atuais padrões de distribuição das espécies serão avaliadas a partir de análises topográficas, edáficas (química, textural e de umidade) e rochosidade. A dinâmica paleoambiental será realizada por meio de microvestígios fósseis (fitólitos) e pela comparação dos padrões florísticos atuais com a distribuição pretérita da vegetação. Ainda visando reconstruir possíveis flutuações da vegetação no local de estudo serão realizadas análises de modelagem de distribuição potencial das espécies de maior valor de importância amostradas no ecótone. Espera-se detectar a existência de flutuações nos padrões vegetacionais ao longo do tempo, que refletiram e podem ainda estar atuando na distribuição e composição da flora atual, que na área em questão é mais relevante haja vista, que ecótones são ambientes frágeis e que abrigam elevada diversidade. E dessa forma subsidiando planos de manejo, estratégias de conservação e restauração de áreas degradadas, assim como, norteando estudos de cunho ambiental e biogeográfico na região do Espinhaço Meridional
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Annelise Batista D'Angiolella

Outra

Divulgação Científica
  • a casa da ciência: um olhar para a amazônia
  • A presente proposta trata da criação de um núcleo de extensão “A casa da ciência: um olhar a Amazônia” que objetiva promover a comunicação museológica do conhecimento em Ciências Biológicas produzido no campus da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), campus de Capitão Poço, por meio de palestras, oficinas, exposições, produção de materiais didático-pedagógicos e outras ações pertinentes. Espera-se que A Casa da Ciência represente um espaço científico-cultural que se constitua em uma janela para uma educação científica, colaborando com o ensino formal e informal das ciências por meio de ações capazes de envolver os visitantes em um novo cenário. Acreditamos que a Casa da Ciência atuará como um polo nucleador de conhecimento, permitindo que a UFRA atue de maneira mais efetiva na Mesorregião Nordeste Paraense, fortalecendo e difundindo suas ações de ensino, pesquisa e extensão e contribuindo para melhorias no âmbito social, ambiental e técnico-científico da região.
  • Universidade Federal Rural da Amazônia - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023