Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alexandre Lima Nepomuceno

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • aumento da tolerância à seca em genótipos elite de soja por edição gênica via crispr/cas
  • A commodity mais importante do agronegócio nacional é a soja, sendo que o Brasil se destaca como maior produtor mundial. Apesar dos dados positivos, cenários apontam para o aumento na frequência de fenômenos climáticos extremos como a seca, o que pode afetar não apenas a produtividade, como também a distribuição espacial da cultura. Entre as estratégias para mitigação dos efeitos da seca está o desenvolvimento de genótipos mais tolerantes. A tolerância à seca é governada por um grande número de genes, tornando difícil a obtenção de cultivares com essa característica por meio do melhoramento genético clássico. Ferramentas biotecnológicas podem contribuir nesse sentido. Trabalhos prévios do nosso grupo mostram que a superexpressão de genes de Arabidopsis thaliana responsivos a via do ácido abscísico (ABA) promovem aumento da tolerância à seca em soja. No entanto, por serem plantas transgênicas, aspectos regulatórios dificultam a disponibilização dessas tecnologias no mercado. Técnicas inovadoras de melhoramento de precisão, como a edição gênica por recombinação homóloga dirigida (HDR) via CRISPR/Cas, são ferramentas úteis para superar esse cenário adverso. Assim, pretendemos de maneira inédita engenheirar o promotor de genes endógenos da soja responsivos à via do ABA visando aumentar sua expressão, e com isso, obter plantas mais tolerantes à seca. A edição gênica será realizada nas cultivares elite de soja BRS 573 e BRS 537, via CRISPR/Cas-HDR, utilizando protocolos pré-estabelecidos em nosso laboratório. De maneira mais precisa, vamos inserir os elementos cis regulatórios ABRE, G-box e TATA-box isolados ou em combinações, no promotor dos genes alvos da própria espécie. Ao final do projeto esperamos obter cultivares de soja GM-free adaptadas à seca e que apresentam maior estabilidade de rendimento frente ao estresse. Adicionalmente, o projeto contribuirá para capacitação de estudantes de graduação e pós-graduação na área de biotecnologia vegetal.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - PR - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexandre Magno Alves Diniz

Ciências Humanas

Geografia
  • mistura social em territórios metropolitanos: diálogos interescalares e internacionais.
  • A análise da distribuição dos grupos sociais nas metrópoles brasileiras nas últimas décadas aponta a dispersão territorial dos grupos médios, gerando espaços socialmente mistos e desafiando o modelo centro-periferia. Os estudos, em geral, utilizam unidades de análise espacial amplas, escamoteando dinâmicas intraurbanas, daí a necessidade de análises em unidades espaciais próximas do cotidiano, tendo em vista as tendências a processos como a gentrificação, mais evidentes na microescala. A pesquisa orienta-se pela hipótese central de que na microescala observam-se diferentes processos de segregação social. Diante do imperativo de escrutinar o interior dos espaços heterogêneos e da necessidade de comparar com outras realidades metropolitanas, propõe-se uma abordagem multiescalar e multimétodo, abrangendo as metrópoles de Belo Horizonte, Buenos Aires e Lille, consolidando parcerias internacionais. A partir da comparação da estruturação das três metrópoles, propõe-se o mergulho na realidade de cada uma delas, identificando os bairros onde se destaca a mescla social. Na terceira fase, de natureza qualitativa, a partir de definição de amostras de bairros heterogêneos selecionados na fase anterior, propõe-se a realização de observações de campo e entrevistas com moradores, abordando seu histórico na cidade, percursos cotidianos, formas de viver, mobilidades, tempo de residência no bairro e formas como se apropriam do espaço de moradia segundo distinções sociais, de gênero, cor, educacionais, associativas entre outras. Para tanto a equipe se constitui de pesquisadores com distintas formações e especializações. A pesquisa deverá resultar em novos conhecimentos sobre a estruturação socioespacial nas metrópoles, em particular na microescala da vivência cotidiana, contribuindo internacionalmente com os avanços teóricos/metodológicos na temática, podendo também contribuir para o desenho de políticas públicas.
  • Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025