Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Wilma de Nazaré Baía Coelho

Ciências Humanas

Educação
  • para além das salas de aula: sociabilidades adolescentes, relações étnico-raciais e ação pedagógica
  • O presente projeto, PARA ALÉM DAS SALAS DE AULA: SOCIABILIDADES ADOLESCENTES, RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS E AÇÃO PEDAGÓGICA, analisar as sociabilidades construídas pelos estudantes dentro do ambiente escolar, atentando para a atenção que despertam nos educadores e, consequentemente, para a ação pedagógica da escola. Ele almeja problematizar o modo pelo qual tais sociabilidades se articulam com os conteúdos de natureza axiológica trabalhados pela Escola. Ele objetiva, sobretudo, analisar de que forma tais sociabilidades lidam com as diferenças (especialmente as de natureza étnico-racial, mas não só), relacionando-as com o trabalho desenvolvido pela escola. O projeto proposto, então, elege os estudantes e os agentes escolares como focos da reflexão, de modo a sopesar, de um lado, o impacto que o conteúdo trabalhado pela escola exerce, pautando comportamentos, e, de outro, analisando os modos pelos quais aquelas sociabilidades se conformam em objeto da atenção e da intervenção docente. Nesse sentido, a pesquisa proposta não considera que a relação entre o conteúdo trabalhado e a formação se limita ao aproveitamento expresso em instrumentos de avaliação. Ela amplia a perspectiva acerca da aprendizagem ao projetar uma análise sobre as formas de sociabilidade vividas no ambiente escolar, considerando-as como indícios importantes da visão que os estudantes apresentam não somente sobre o mundo que os cerca, mas sobre o sistema educacional em si. O projeto de pesquisa pretende, então, explicar de que forma as sociabilidades valorizadas entre os adolescentes reproduzem, articulam ou subvertem os estereótipos que pautam as práticas discriminatórias recorrentes no universo brasileiro. Os conceitos de Dominação, habitus e Violência simbólica, de Pierre Bourdieu, fundamentam uma compreensão das sociabilidades e da ação pedagógica como estruturas construídas socialmente e, não raramente, reproduzidas em função das circunstâncias impostas pela cultura dominante. A pesquisa proposta considerará as preferências relativas à formação de grupos e os comportamentos a ele relacionados como índices de visões de mundo e de identificação social. Por meio desta abordagem, analisar-se-ão as relações de sociabilidades e os significados que lhe são atribuídos, relacionando-os ao cotidiano escolar de forma a examinar o papel exercido pela escola diante de tais relações. Assim, pretende-se verificar como os estudantes e a escola lidam com as diferenças, especialmente as de natureza étnico-racial. Para tanto, o projeto analisará as relações que os adolescentes, estudantes de seis escolas da Rede Pública da cidade de Belém - no Estado do Pará, engendram no ambiente escolar, por meio de três dimensões complementares. Por um lado, a pesquisa realizará uma etnografia do espaço escolar, considerando as relações de poder estabelecidas entre os adolescentes, a partir dos grupos nos quais se inserem; por outro lado, a pesquisa sopesará as representações que os adolescentes formulam sobre as relações vividas dentro do espaço escolar; além disso, analisará os modos pelos quais os educadores (professores, gestores e coordenadores pedagógicos) lidam com tais sociabilidades.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022