Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Paula Capuano da Cruz

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • uso do sistema de controle gerencial e desempenho sob a perspectiva dos estágios do ciclo de vida
  • Pouca ênfase tem sido dada às pesquisas que buscam compreender a forma como os controles são usados e o subsequente impacto que têm sobre o desempenho das organizações (Su, Baird, & Schoch, 2015). Complementarmente, sabe-se que o desempenho tem sido comprovado como sendo produto de uma série de fatores contextuais (Chenhall, 2003). Assim, fundamentado na ideia de que um sistema de controle gerencial eficaz é resultante de uma análise simultânea de múltiplas variáveis (Auzair & Langfield-Smith, 2005), este estudo explora o efeito moderador do estágio do ciclo de vida organizacional na associação entre o uso de controles gerenciais (usos diagnóstico, interativo, de restrições e de crenças) e o desempenho organizacional. A abordagem do ciclo de vida organizacional utilizada seguirá o modelo de Miller e Friesen (1984) e o uso do sistema de controle gerencial será investigado a partir do modelo teórico de Simons (1995). Para operacionalização desta investigação será realizada uma pesquisa do tipo levantamento, por meio de questionário eletrônico. A proposta consiste em trabalhar com o banco de dados das Melhores & Maiores empresas brasileiras, desenvolvido pela revista Exame, que reúne cerca de 1.000 empresas de grande porte. O questionário deverá ser respondido pelo principal executivo da empresa e/ou pelo principal gestor de controladoria / contabilidade. Com este estudo, espera-se mapear os principais tipos de usos do sistema de controle gerencial que têm sido empregadas para promover o desempenho das organizações estudadas, considerando o estágio do ciclo de vida dessas empresas. Em linhas gerais, busca-se reunir evidências empíricas acerca de duas alavancas de controle gerencial que têm recebido pouca atenção da academia. De forma complementar, pretende-se ampliar a discussão entre uso do sistema de controle gerencial e desempenho explorando-se a associação entre esses dois constructos mediada pelos estágios do ciclo de vida das organizações estudadas. Especificamente, espera-se gerar evidências acerca de como o estágio do ciclo de vida organizacional modera a associação entre as abordagens do uso de controles e o desempenho organizacional.
  • Universidade Federal do Rio Grande - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula Colares de Andrade

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • elaboração de revestimento comestível a base de soro de leite e extrato hidro alcóolico da folha de goiabeira (psidium guajava l.) no controle de staphylococcus aureus e listeria monocytogenes em carne bovina crua
  • A qualidade microbiológica de produtos de origem animal, principalmente as carnes, pode ser considerada um grande desafio por parte dos produtores/industrializadores de alimentos. A necessidade em prolongar a vida útil desse tipo de alimento faz-se necessária com o intuito de reduzir perdas econômicas e minimizar possíveis riscos à saúde. O uso de embalagens, principalmente as embalagens de plástico (ex.: vácuo), permite que a comercialização de carnes seja maior, além de garantir um produto de qualidade e mais seguro. Contudo, observa-se com frequência a remoção das carnes de sua embalagem original com o intuito de reembala-lá em bandejas envoltas por filmes de PVC para facilitar a atração visual pelos consumidores, com consequente comercialização desses produtos. No entanto, a microbiota naturalmente presente em carnes resfriadas, principalmente micro-organismos deteriorantes e patogênicos, e possíveis trocas gasosas que podem ocorrer aceleram as taxas de alterações e contribuem para reduzir a vida útil desse alimento. Uma alternativa para minimizar o uso de embalagens plásticas e a microbiota indesejável seria a utilização de embalagens ativas, tais como os revestimentos comestíveis acrescidos de antimicrobianos naturais, que interagem positivamente com os alimentos e contribuem para uma melhoria na qualidade e ampliação da vida de prateleira dos mesmos. A partir do uso do revestimento comestível a base de soro de leite acrescido com o extrato hidro alcóolico da folha de goiabeira (Psidium guajava L.) pretende-se com este projeto observar a ação antimicrobiana gradual do extrato sob o desenvolvimento dos micro-organismos durante o armazenamento do alimento, e com os resultados obtidos avaliar se haverá uma diminuição dos parâmetros associados as taxas de alterações e um aumento na durabilidade do produto. Espera-se, também, estar contribuindo para diminuir a ocorrência de doenças transmitidas por alimentos e minimizar os possíveis danos à saúde que os alimentos de origem animal podem ocasionar.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula Corrêa Argondizzo

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • vírus oropouche: obtenção de proteínas recombinantes e anticorpos monoclonais como insumos para kits de diagnostico em teste rápido.
  • O vírus Oropouche causa uma doença febril, de surtos esporádicos, e é transmitido através da picada do mosquito C. paraenses. A ampla distribuição do vetor na América do Sul e Central e norte dos EUA, juntamente com distúrbio do equilíbrio ecológico acentuam o potencial do vírus de emergir em outros territórios. Considerando que as mudanças ambientais e demográficas são um fenômeno global, não será surpresa se o vírus se espalhar para fora da América Latina em um futuro próximo Apesar do fato de já ter infectado mais de meio milhão de pessoas no sul da América, a doença foi negligenciada por muitos anos. Assim, dados sobre a distribuição, prevalência e taxas de incidência em humanos e animais estão, possivelmente, subestimadas. A doença é febril aguda, auto-limitada e não é fatal, o que pode explicar a falta de atenção adequada por parte das agências internacionais e formuladoras de políticas de saúde. A doença febril aguda dura de 2 a 7 dias e está associada a uma variedade de sintomas como febre, calafrios, cefaleia, mialgia, artralgia, mal-estar, tontura, náusea, vômito, fotofobia, dor retro-ocular e, em raras ocasiões, erupção cutânea, sinais hemorrágicos e do sistema nervoso central. O período de incubação varia entre 3 a 8 dias e após esse período manifestam-se os sintomas e a viremia. O genoma do vírus é um RNA de fita simples, polaridade negativa composto por três moléculas: S (pequeno), M (médio) e L (grande), que codificam para as proteínas do nucleocapsídeo, duas glicoproteínas externas e a RNA polimerase RNA dependente, respectivamente. Mais duas proteínas não estruturais, NSm e NSs, também são codificadas pelos segmentos M e S, respectivamente. Na literatura já foi demonstrado que a proteína recombinante do nucleocapsídeo purificada é comparável à proteína N viral autêntica em suas características antigênicas e é altamente sensível e específica em ensaios imunenzimáticos. Em relação as glicoproteínas Gn e Gc, não temos conhecimento de sua potencial utilização para ensaios de diagnóstico ou mesmo para o desenvolvimento de vacinas recombinantes. Por serem proteínas expostas na superfície do vírus, provavelmente estes antígenos desempenham papel biológico importante e que permita a utilização destes alvos para desenvolver insumos que possam ser aplicados na área de saúde. Neste contexto, as proteínas apresentam um papel importante em diversas vias celulares e, com o advento da biotecnologia e das técnicas do DNA recombinante, foi possível suprir uma demanda da indústria farmacêutica, com a produção em larga escala de proteínas de interesse. A expressão heteróloga de proteínas na bactéria E. coli é considerada como a mais simples, rápida e barata com níveis de expressão elevados, facilidade de manipulação em cultura e escalonamento, relativamente, fácil. Neste sistema as proteínas recombinantes são direcionadas para o citoplasma ou periplasma e, em menor extensão, são secretadas. Aquelas direcionadas para o citoplasma são expressas de forma mais eficiente, podendo representar até 30% da biomassa produzida. Entretanto, os altos níveis de expressão podem levar ao acúmulo de agregados insolúveis, formando os corpos de inclusão, os quais podem dificultar a obtenção de proteínas solúveis e ativas. Algumas alternativas para reduzir a formação desses corpos podem ser adotadas, como reduzir a temperatura de expressão, co-expressar as chaperonas, mudar algumas condições de cultivo, como o pH, a composição do meio, a concentração do indutor, entre outros. A estratégia normalmente aplicada na área para avaliar os fatores que influenciam o processo é variar um fator por vez mantendo os demais constantes, porém esta estratégia não permite avaliar as interações entre as variáveis do processo e são necessários muitos experimentos. As técnicas de planejamento de experimentos reduzem o número de experimentos envolvidos, diminuem o tempo gasto e o custo final do processo, melhoram a qualidade das informações obtidas, permitem analisar os fatores simultaneamente e suas interações, avaliar os erros experimentais e ainda otimizar mais de uma variável ao mesmo tempo. No que diz respeito aos anticorpos monoclonais, estes são imunoglobulinas que se ligam a um epítopo específico produzido a partir de um único clone de linfócito B. Dentre as diversas aplicações para esse tipo molécula, podemos destacar a utilização na área de imunoterapia e, também, na utilização como insumo para diagnóstico. Atualmente, os Mabs podem ser gerados a partir de diferentes tecnologias. A mais comumente utilizada e descrita na literatura é a técnica de formação de hibridomas e envolve a imunização de camundongos com o antígeno de interesse para obtenção dos linfócitos B do baço do animal. Esses linfócitos são fusionados com uma linhagem celular imortal de mieloma murino deficiente do gene que codifica para hipoxantina-guanina-fosforibosiltransferase (HGPRT). Subsequentemente, após cultura em meio seletivo contendo hipoxantina, aminopterina e timidina, apenas os hibridomas fusionados são capazes de sobreviver, devido à imortalidade do mieloma e seletividade de resistência dos linfócitos B primários, por conter a enzima HGPRT. Dentro deste contexto, acreditamos que este projeto é de extrema importância no cenário epidemiológico atual, e futuro, da arbovirose causada pelo vírus Oropouche no Brasil, representando um potencial para o desenvolvimento de insumos para diagnóstico ou vacinas, os quais não estão comercialmente disponíveis até o momento. Além do desenvolvimento dos insumos propriamente ditos, o projeto permitirá desenvolver e consolidar competências nas áreas de expressão, purificação e caracterização de proteínas recombinantes, bioprocessos e obtenção de anticorpos monoclonais. Entendemos ainda que este projeto apresenta potencial de gerar, efetivamente, novos insumos e, quiçá, até mesmo um produto, totalmente desenvolvido em Bio-Manguinhos.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula D Alincourt Carvalho Assef

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • sequenciamento do genoma total como uma ferramenta para avaliação da disseminação de diferentes mecanismos de resistência e clones circulantes de bactérias multirresistentes oriundos de diferentes estados brasileiros
  • O sequenciamento total do genoma (STG) tem se tornado uma chave poderosa e altamente atrativa para investigações epidemiológicas, pois permite acessar várias informações de forma rápida e eficiente. O Laboratório de Pesquisa em Infecção Hospitalar do Instituto Oswaldo Cruz (LAPIH-IOC) atua como Centro Colaborador na Rede de Monitoramento de Resistência a Antimicrobianos ANVISA e CGLAB/SVS/ MS. A inclusão do STG na vigilância da resistência antimicrobiana entre bactérias de origem hospitalar permitirá maior agilidade e acesso a mais informações sobre os mecanismos de disseminação da resistência entre as bactérias de origem hospitalar no Brasil, pois poderemos fornecer para o SUS, através de uma única metodologia, dados sobre os genes de resistência, elementos genéticos móveis e clones circulantes entre as amostras bacterianas em diferentes estados brasileiros. Assim, este estudo tem como objetivo realizar o sequenciamento de genoma total de bacilos Gram-negativos resistentes aos carbapenêmicos e/ou polimixinas, Staphylococcus aureus resistentes a meticilina e/ou vancomicina e Enterococcus resistentes a vancomicina recebidas pelos LACENs de diferentes estados brasileiros, para a vigilância e o monitoramento da disseminação da resistência microbiana em serviços de saúde, a fim de atender às necessidades do SUS. As amostras bacterianas serão recebidas pelo LAPIH e os bacilos Gram-negativos serão submetidos a testes fenotípicos e moleculares para a detecção de mecanismos de resistência aos carbapenêmicos e polimixinas. As amostras de cocos Gram-positivos serão encaminhadas para a UERJ e serão submetidas a testes fenotípicos e moleculares de detecção de mecanismos de resistência a meticilina e/ou vancomicina. Estes resultados serão encaminhados aos LACENs e CGLAB através do Sistema Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL) e amostras representativas de cada genótipo de resistência recebidas de cada hospital em um mesmo período serão selecionadas para realização do sequenciamento do genoma total através do sistema Illumina MiSeq na UERJ. A presença de genes de resistência, elementos genéticos móveis associados (plasmídios, fagos e transposon) e a avaliação dos clones circulantes serão investigados através de ferramentas disponíveis na internet. Os resultados obtidos através do STG também serão enviados para os LACENs e CGLAB através do GAL. Além disso, os dados obtidos serão utilizados para análises de genômica comparativas entre os plasmídeos e clones circulantes. Estes resultados poderão auxiliar o SUS, assim como a ANVISA no conhecimento e na elaboração de medidas de controle da disseminação desses microrganismos multirresistentes no Brasil.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 05/10/2018-31/10/2021
Foto de perfil

Ana Paula Dalla Corte

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • aplicação de veículos aéreos não tripulados (vants) para estimativas nos inventários florestais
  • O monitoramento da dinâmica de cobertura florestal em território brasileiro denota-se um grande desafio, devido, principalmente, a sua grande extensão em área. A coleta de variáveis biométricas que caracterizam a dinâmica florestal, seja em plantios comerciais ou em florestas nativas, tem sido feita por meio de inventários florestais, a partir de técnicas de amostragem em campo, muitas vezes onerosas e demoradas. A exigência por procedimentos técnicos que obtenham o máximo de informações com menores custos têm levado à implementação de novas tecnologias às etapas dos inventários florestais. O objetivo desse projeto é desenvolver e aplicar geotecnologias para melhorar a eficiência e acurácia das técnicas tradicionais de inventários florestais. Para isso, pretende-se automatizar a obtenção de variáveis biométricas das árvores em povoamentos florestais comerciais e nativos através de dados coletados a partir de diferentes geotecnologias, como: aeronaves semi-autônomas não tripuladas (Semi-Autonomous Unmanned Aerial Vehicles – SA-UAVs) embarcadas com câmeras passivas (multiespectrais) e sensores ativos como o LiDAR (Light Detection and Ranging). Deve-se, além de desenvolver protocolos de extração e manipulação dos dados, desenvolver ambientes computacionais que permitam a manipulação das informações dos ambientes florestais em realidade virtual e assim, permitir a interação do usuário com a coleta das informações do ambiente florestal. Para estudo de caso, serão selecionadas áreas de manejo florestal sustentável pertencem ao Projeto Paisagens Sustentáveis, uma parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e o Serviço Florestal dos Estados Unidos (US Forest Service), bem como, para os plantios florestais serão selecionadas áreas florestais presentes na região Sul do país (pertencentes a empresas florestais que já autorizaram o acesso), dos gêneros Pinus sp. e Eucalyptus sp. Como principais produtos, destaca-se a elaboração de um protocolo de procedimentos técnicos e tecnológicos a ser adotado por órgãos governamentais, que possibilitarão detectar o impacto e a dinâmica do manejo florestal em florestas nativas; criação de um ambiente de realidade virtual de livre acesso, com ferramentas que permitam a compilação de dados coletados por usuários em plantios florestais; geração de estimativas biométricas acuradas (qualitativas e quantitativas) visando subsidiar um melhor desempenho em nas precisões de inventários florestais. Portanto, a aplicação de geotecnologias e de técnicas de inteligência artificial resultará no desenvolvimento e aperfeiçoamento dos procedimentos tradicionais de inventário florestal, especialmente em grandes áreas ou locais de difícil acesso, de forma implementar a condução de etapas menos onerosas e capazes de gerar estimativas mais acuradas dos recursos florestais, garantindo o seu uso sustentável.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022