Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Carolina Rennó Sodero

Ciências da Saúde

Farmácia
  • planejamento e avaliação biológica de novos agentes antivirais contra o poliomavírus bk
  • O poliomavírus BK (BKPyV) é um agente de infecção oportunista emergente entre transplantados renais. O vírus estabelece um ciclo latente e diante da condição de imunossupressão do hospedeiro, pode sofrer reativação. A reativação viral em transplantados pode se apresentar sob diferentes perfis e estágios, podendo progredir para a nefropatia (NPV) e a consequente perda do enxerto em até 10% dos transplantes renais, assim como para estenose ureteral, que pode atingir até 30% dos transplantados de medula óssea. Além disso, nos últimos dois anos, diversas publicações tem observado a presença do BKPyV em tumores malignos de próstata. Atualmente não existem tratamentos específicos para infecções pelo BKPyV, sendo a redução da imunossupressão a única medida paliativa disponível. Com a crescente transplantação de tecidos e órgãos no mundo, um número crescente de casos de infecções por BKPyV é esperado. Tendo em vista a necessidade de se desenvolver fármacos antivirais específicas contra o vírus, o objetivo final deste trabalho é a obtenção de potenciais agentes anti-BKPyV. Para isso, será utilizada inicialmente a triagem virtual, cujo método está se estabelecendo como a primeira aproximação na busca de fármacos. Ele consiste na realização de estudos de docagem molecular entre uma proteína alvo e os compostos presentes em bancos de dados. Como alvos, serão selecionadas as proteínas Lt-ag (antígeno tumoral maior), proteína multifuncional de todos os poliomavírus, e a VP-1 (proteína viral 1), principal constituinte do capsídeo viral e encarregada do reconhecimento dos receptores celulares. Os compostos mais promissores obtidos serão avaliados quanto a inibição da atividade replicativa viral, além de testes de toxicidade. A nossa equipe conta com ampla experiência no trabalho com o BKPyV, tanto usando técnicas computacionais como experimentais.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Carolina Rodarti Pitangui de Araújo

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • efeito de um programa de educação em saúde sobre o conhecimento do assoalho pélvico e desempenho funcional dos músculos do assoalho pélvico de mulheres com incontinência urinaria de esforço: um estudo randomizado
  • A Incontinência Urinária (IU) é considerada um problema de saúde pública, no entanto, não é uma situação que oferece risco de vida, porém, acarreta consequências importantes, seja no aspecto físico, mental, social e na qualidade de vida de quem apresenta os sintomas, além do aumento dos gastos públicos advindos dos sintomas. O treinamento dos músculos do assoalho pélvico (TMAP) pode ser utilizado para prevenção e tratamento de mulheres incontinentes, que podem ser ensinadas a realizar a contração correta para fortalecer os músculos do assoalho pélvico (MAP). É importante investir em treinamentos à população, no qual profissionais capacitados possam receber as disfunções da MAP e saber intervir corretamente. Ainda existem lacunas quanto à eficácia de programas educacionais voltado para o TMAP em mulheres incontinentes. O objetivo deste estudo será avaliar os efeitos de um programa de educação em saúde sobre o conhecimento do AP e suas disfunções, sintomas e desempenho funcional dos MAP de mulheres com IUE. Será realizado um estudo clínico, randomizado, controlado, com alocação oculta, cegamento de avaliadores e intenção de tratamento. O estudo ocorrerá em cinco fases: avaliação inicial, intervenção, avaliação final, seguimento com seis meses e seguimento com doze meses. A avaliação inicial abordará informações sociodemográficas, dados antropométricos e antecedentes ginecológicos por meio de questionários desenvolvidos para esta pesquisa. Os sintomas urinários e qualidade de vida serão avaliados por meio do questionário International Consultation Incontinense Questionnaire - ICIQ-SF. O conhecimento das mulheres sobre as funções e disfunções da MAP e opções de tratamento será avaliado por meio do Questionário de Conhecimento. A capacidade de realizar a contração da MAP corretamente será avaliada por meio da palpação vaginal bidigital e graduada pela Escala modificada de Oxford. Será realizada a avaliação da função muscular pela ativação mioelétrica por meio da eletromiografia de superficie, usando o Sistema Miotool (Miotec). As participantes serão divididas em dois grupos: grupo controle (GC) e grupo intervenção (GI). As alocadas no GC não receberão intervenção, apenas avaliação e as do GI participarão de um Programa de Educação em Saúde que envolverá atividades semanais com duração de 30 a 40 minutos, durante dois meses. Será oferecido uma vez por semana palestras educativas abordando o conhecimento da MAP, as funções, as disfunções, fatores de riscos, tipos de tratamento, além da orientação para o treinamento desta musculatura. A avaliação final será feita após a intervenção, todas as participantes responderão novamente aos questionários, além de realizar nova avaliação da palpação vaginal bidigital e a EMG. Será realizado seguimento com as participantes após seis e doze meses do Programa de Educação em Saúde. Nesses momentos serão aplicados os questionários e será feita novamente a avaliação da palpação vaginal bidigital e a EMG. Espera-se que o presente estudo contribua com o aumento no conhecimento acerca das funções e disfunções do assoalho pélvico (AP), uma vez que os resultados de intervençções que abordam atividades educativas ainda são controversos a respeito da relação entre conhecimento e disfunções dos MAP.
  • Universidade de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Carolina Scarpel Moncaio

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • avaliação da operacionalização da prevenção e controle da doença do coronavírus pelos aspectos comportamentais no uso dos equipamentos de proteção individual - enfoque nos profissionais de saúde
  • O presente projeto de pesquisa congrega ações colaborativas entre os Departamentos de Enfermagem e Medicina de duas regiões do Brasil (Centro-Oeste e Norte): Goiás, sendo representado pelo Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Catalão e Departamento de Enfermagem da Fundação Universidade Federal de Rondônia, cuja liderança da pesquisa está sendo coordenada e desenvolvida pelo Grupo de Estudos Epidemiológico - Operacionais em Tuberculose, o qual atua de forma articulada à Rede Brasileira de Pesquisas em Tuberculose, voltados ao controle da tuberculose. Objetiva avaliar a operacionalização do uso de Equipamentos de Proteção Individual dos profissionais de saúde na prevenção e controle da COVID-19 nas instituições de nível secundário e terciário de dois municípios nas Regiões Centro-Oeste e Norte. Trata-se de um estudo com método misto com estratégia explanatória sequencial. A população do estudo será constituída por profissionais de saúde (nível técnico de enfermagem, enfermeiros e médicos), os quais responderão um questionário fechado e na etapa qualitativa os dados serão provenientes da aplicação de entrevistas semiestruturadas. Serão incluídos sujeitos acima dos 18 anos, no cumprimento ou exercício de suas funções durante a data da coleta de dados e com no mínimo seis meses de experiência profissional. Serão excluídos os profissionais de saúde em período de férias ou afastados por licença-saúde. Os dados serão inseridos no software SPSS 20.0 e analisados por meio da estatística descritiva. Utilizar-se-á a Análise de Correspondência Múltipla para verificar a relação entre as variáveis sociodemográficas, epidemiológicas e do uso dos Equipamentos de Proteção Individual. As entrevistas serão transcritas e organizadas no software Atlas.ti 7.0 e analisadas pelo referencial metodológico da Análise do Discurso. Os resultados deste estudo poderão oferecer subsídios para aprofundar conhecimentos e compreensão sobre a operacionalização do uso de Equipamentos de Proteção Individual dos profissionais de saúde na prevenção e controle da COVID-19 nas instituições de nível secundário e terciário, contribuindo para o planejamento, organização, monitoramento e avaliação da doença e contribuir para o desenvolvimento de pesquisas e formação de recursos humanos.
  • Universidade Federal de Catalão - GO - Brasil
  • 16/07/2020-15/08/2022
Foto de perfil

Ana Carolina Soliva Soria

Ciências Humanas

Filosofia
  • entre verdade e ilusão: um estudo sobre a concepção de realidade na obra de sigmund freud
  • O problema que o presente projeto visa analisar é: sendo o mundo um constructo erigido no interior de nossos sistemas psíquicos, o que nos permite julgar objetivamente a realidade do mundo? Para respondermos a essa questão, o projeto propõe analisar as grades conceituais que levam Freud, em textos redigidos entre 1890 e 1920, a não se contentar com uma concepção de realidade que atribua a coisas fora do sujeito, encontradas além da percepção sensorial, a causa de suas representações. Tal como entendemos até o momento, a concepção de realidade está ligada à de força psíquica que compõe a própria percepção sensorial e investe e desinveste ativamente as representações. Nossa estratégia será a de abordar o discurso freudiano como uma rede discursiva e investigá-lo a partir do seu próprio interior.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Carolina Sousa de Almeida

Ciências Biológicas

Zoologia
  • caracterização morfológica e molecular das espécies de malacostegina (bryozoa, gymnolaemata) do brasil: uma abordagem integrativa
  • Briozoários são animais coloniais lofoforados predominantemente sésseis, encontrados em virtualmente todos os tipos de substratos e ambientes marinhos. Tratam-se de componentes comuns e importantes da comunidade incrustante e espécies exóticas são historicamente registradas em área portuárias e baías de todo o mundo. Destacam-se os representantes da subordem Malacostegina que, devido a ampla gama de substratos naturais e artificiais habitados e a larva planctotrófica dispersável em água de lastro, possuem reconhecido potencial bioinvasor. A identificação taxonômica, entretanto, é dificultada pela grande variação morfológica apresentada por espécimes de diferentes localidades. A integração das abordagens morfológica e molecular já foi sugerida, mas poucos esforços foram empregados. Considerando que a fauna de Malacostegina do Brasil inclui complexos de espécies, espécies exóticas e até invasoras, determinar a identidade genética, plasticidade morfológica, conectividade entre as diferentes populações e capacidade de dispersão desses táxons são essenciais para detecção de eventuais eventos de bioinvasão. Assim, este projeto tem como objetivo avaliar a diversidade de espécies de Malacostegina do Brasil, por meio de um estudo integrado. Para tal, será analisada a morfologia e morfometria, caracterização genética e da variação intra e interespecífica de 12 espécies. A conectividade das populações das espécies Biflustra arborescens (Canu & Bassler, 1928) e Biflustra tenuis (Desor, 1848) registradas em todo o Oceano Atlântico sobre suportes rígidos; Biflustra marcusi Vieira, Almeida & Winston, 2016 que ocorre em toda a costa do Brasil predominantemente sobre algas, mas ocasionalmente sobre suportes rígidos; e Jellyella tuberculata (Bosc, 1802), habitante de algas e considerada cosmopolita em águas tropicais e temperadas quentes, também será avaliada. Aparentemente, espécies encontradas sobre suportes flutuantes (como algas) possuem maior capacidade de dispersão e, assim, as populações de B. marcusi e J. tuberculata compreendem uma única espécie, enquanto os espécimes identificados como B. arborescens e B. tenuis representam várias espécies. Os estudos morfológicos e morfométricos serão realizados no Laboratório de Estudos de Bryozoa da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e na Plataforma de Microscopia, Subunidade de Microscopia Eletrônica da Fundação Oswaldo Cruz, Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz (FIOCRUZ-BA). Os espécimes serão analisados inicialmente sob microscópio estereoscópio e posteriormente submetidos a microscopia eletrônica de varredura. O estudo molecular será realizado no Laboratório de Genômica Evolutiva e Ambiental da UFPE e na Plataforma de Genômica, Subunidade de Sequenciamento de DNA da FIOCRUZ-BA e da FIOCRUZ-PE (Fundação Oswaldo Cruz, Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães). Os marcadores escolhidos são segmentos dos genes mitocondriais COI (~1500pb) e RNAr 16S (~600pb), e nuclear DNAr 18S (~1700), amplamente utilizados em estudos com briozoários marinhos. Será feita comparação da variação genética dos fragmentos genômicos, inferência filogenética Bayesiana, estimativa da diversidade de haplótipos e nucleotídeos, análise da estrutura das populações com base na análise de variância molecular e delimitação de espécies com base da divergência do DNA barcode. Os principais resultados esperados são: (i) caracterização morfológica, morfométrica e molecular de briozoários Malacostegina do Brasil; (ii) reavaliação de caracteres morfológicos diagnósticos de Malacostegina; (iii) elucidação da identidade molecular das populações de B. arborescens, B. marcusi, B. tenuis e J. tuberculata ao longo do Atlântico Ocidental; (iv) avaliação da conectividade das populações estudadas. Num cenário mundial onde o conhecimento da biodiversidade e de sua perda está entre as metas estabelecidas pela Convenção sobre Diversidade Biológica, o projeto proposto está diretamente relacionado com políticas públicas globais de impacto ambiental. Dessa forma, elucidar a real identidade desses táxons representa o primeiro passo para entendimento da identidade e dos padrões de dispersão do grupo, fornecendo também subsídios para prevenção e eventual manejo de bioinvasores.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022