Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vania Zanella Pinto

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • uso de extrato de erva mate nanoencapsulado no desenvolvimento de embalgens para alimentos
  • No projeto “Uso de extrato de erva mate nanoencapsulado no desenvolvimento de embalgens para alimentos” objetiva-se encapsular extrato de erva mate (Ilex paraguariensis) usando sistema blow spinning de formação de nanofibras e aplicar as fibras contendo extrato de erva mate como recobrimento em bandejas biodegradáveis e como cobertura ativa em frutas in natura. O projeto está divido em três Estudos a serem executados durante os três anos de vigência. No Estudo I objetiva-se encapsular extrato de erva mate empregando sistema blow spinning e diferentes polímeros como material de parede e, avaliar a eficiência de encapsulação e caracterizar os materiais nanoencapsulados. As variáveis independentes serão tipo de polímero, que apresenta 4 sub-níveis (Amido:PVA, Amido:PEO, PVA, PEO) e concentração do extrato de erva mate com quatro sub-níveis (0, 10, 25 e 50 mL/100g), totalizando 16 tratamentos. As variáveis dependentes (respostas) consistem na avaliação das propriedades da solução polimérica (viscosidade e condutividade elétrica) e solubilidade em água e em ácido das nanofibras obtidas, bem como eficiência de encapsulamento (EE), a sua estabilidade térmica (DSC, TG), estrutura química (FTIR-ATR), morfologia verificada com microscópios, atividade antimicrobiana e concentração inibitória mínima (CIM) e compostos fenóis totais, além da caracterização prévia do extrato. No Estudo II objetiva-se recobrir bandejas expandidas de amido e celulose/nanocelulose com extrato de erva mate nanoencapsulado. A produção das bandejas será estudada variando-se a concentração amido (10, 15, 20 e 25 g/100 mL solução) e a concentração de fibras de celulose (0, 10, 15, 25 e 50 g/g de amido), totalizando 16 tratamentos. As bandejas serão caracterizadas e recobertas com nanofibras contendo extrato de erva mate (Estudo I) empregando o material que apresentou maior teor de compostos fenólicos e atividade antimicrobiana. As respostas serão cor, morfologia, espessura e densidade, absorção de água, propriedades mecânicas, propriedades térmicas (DSC, TG), estrutura química (FTIR-ATR), atividade antimicrobiana e concentração inibitória mínima (CIM) e degradabilidade. No Estudo III objetiva-se aplicar cobertura ativa com nanofibras contendo extrato de erva mate (Estudo I) para ampliar a vida útil de frutas de mamão papaia in natura. As frutas serão caracterizadas, no início e durante 40 dias de armazenamento. As avaliações nas frutas serão massa fresca e incidência de podridão, coloração dos frutos, sólidos solúveis (SS), acidez titulável (AT) e a relação SS/AT, pH, firmeza e compostos fenólicos. Assim ao final, almeja-se instalar uma estação de blow spinning, desenvolver nanofibras ativas e obter produtos tecnológicos, tais como bandejas biodegradáveis de amido expandido e coberturas ativas para frutas.
  • Universidade Federal da Fronteira Sul - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022