Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Yraima Moura Lopes Cordeiro

Ciências Biológicas

Bioquímica
  • abordagens terapêuticas para as doenças por prions: foco em pequenos compostos orgânicos
  • As encefalopatias espongiformes transmissíveis (EETs) são doenças infecciosas neurodegenerativas para as quais não há tratamentos sintomáticos, curativos ou profiláticos. As EETs surgem como consequência da conversão da proteína príon celular (PrPC) na forma patogênica scrapie (PrPSc), que agrega e acumula no sistema nervoso central. Várias estratégias terapêuticas foram propostas, incluindo o bloqueio da conversão da PrPC em PrPSc, o aumento do clearance da PrPSc, e/ou a estabilização da PrPC. Enquanto diversos compostos se mostraram eficazes in vitro e em modelos animais, nenhum até o momento foi eficaz em estudos clínicos. Além disso, dentre os compostos avaliados em humanos, foi verificada toxicidade e, para alguns, baixa permeabilidade pela barreira hematoencefálica. Nosso grupo vem trabalhando na seleção e caracterização de compostos orgânicos que apresentem baixa toxicidade, elevada eficácia (avaliada in vitro) e perfil farmacocinético adequado. Dentro dessa perspectiva, esta proposta visa aprofundar a busca por compostos terapêuticos contra as EETs. Englobaremos as diferentes expertises da equipe proponente para realizarmos o planejamento e síntese de moléculas bioativas (Dra. Maria Letícia Barbosa) a partir de compostos previamente descritos pelo grupo com atividade anti-scrapie. Além disso, realizaremos a avaliação de eficácia dos novos derivados propostos em cultura de células infectadas com PrPSc, e investigaremos o mecanismo de ação dos compostos mais ativos, usando, para isso, as ferramentas in vitro e in silico disponíveis no Laboratório coordenado pela proponente, Dra. Yraima Cordeiro. A avaliação toxicológica in vivo dos compostos mais promissores será realizada pela Dra. Giselle Passos, especialista em farmacologia. Pretendemos estabelecer na Faculdade de Farmácia modelos in vitro para mimetizar a barreira hematoencefálica (Dr. Lucio Mendes Cabral, Dr. Plínio Cunha Sathler e Dr. Luiz Cláudio Rodrigues da Silva), e, portanto, avaliar a permeação das substâncias que apresentaram atividade anti-scrapie in vitro (em modelos celulares). Ainda, a avaliação farmacocinética in vivo será realizada para as substâncias com melhores valores de IC50 e com melhor perfil farmacocinético in vitro. Em suma, pretendemos obter compostos orgânicos eficazes e seguros para uma futura avaliação in vivo em animais transgênicos modelo para EETs, fornecendo novas perspectivas terapêuticas ao cenário global das doenças neurodegenerativas.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020