Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Silvina Botta

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • ecologia trófica e espacial de predadores marinhos no contexto de alterações de origem antrópica
  • Os mamíferos marinhos têm um papel importante nos ecossistemas aquáticos, regulando as biomassas de níveis tróficos intermediários e fornecendo matéria orgânica quando seus excretos ou carcaças são recicladas por organismos detritívoros. Entender as relações tróficas entre os mamíferos marinhos e os diferentes componentes das redes tróficas dos hábitats que eles ocupam, os principais fluxos de energia e quais recursos são utilizados pelas diferentes espécies envolvidas, é crucial para compreender o papel que esses animais exercem em seus ecossistemas. No entanto, estudos sobre a ecologia trófica deste grupo é dificultado por serem animais altamente móveis e habitarem ambientes dinâmicos e de difícil acesso. Estudos sobre seus hábitos alimentares são limitados e baseados, principalmente, na análise do conteúdo estomacal de animais mortos encalhados ou capturados em artes de pesca. Neste contexto, alguns traçadores químicos, como a análise de isótopos estáveis (IE) de carbono (δ13C) e nitrogênio (δ15N), vêm sendo cada vez mais utilizados em estudos ecológicos, fornecendo uma visão integrada de tempo e espaço sobre os hábitos alimentares, áreas de forrageio e uso de habitat de mamíferos marinhos. Este tipo de ferramenta possui ainda, a vantagem de proporcionar informações retrospectivas sobre a ecologia trófica e espacial destes organismos, por meio da análise de series históricas de amostras depositadas em coleções científicas. Neste contexto, o objetivo geral da presente proposta é estudar a ecologia trófica e espacial de predadores marinhos, suas mudanças históricas e a relação destas com alterações ambientais de origem antrópica. No Atlântico Sul Ocidental, espera-se atingir os seguintes objetivos: (1) estudar a mudança interdecadal na ecologia trófica de cetáceos de ecossistemas costeiros; (2) verificar a variação espacial na ecologia trófica e uso do hábitat de cetáceos costeiros; (3) investigar as interações tróficas entre mamíferos marinhos costeiros. Já na Península Antártica, objetiva-se (5) identificar mudanças históricas nas composições isotópicas de focas antárticas de regiões da Península Antártica sob efeitos contrastantes das mudanças climáticas globais; e (6) estudar a variação temporal na ecologia trófica de predadores de krill antártico e sua relação com a disponibilidade de presas. O desenvolvimento das atividades previstas para atingir as metas propostas neste projeto terá a participação intensa de alunos de graduação e pós-graduação, na busca pela continua formação de recursos humanos, capacitados para realizar pesquisas ecológicas em ecossistemas marinhos.
  • Universidade Federal do Rio Grande - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvio Alexandre de Araujo

Engenharias

Engenharia de Produção
  • problemas de dimensionamento de lotes: integrações, extensões e aplicações
  • No presente projeto deve-se dar continuidade às pesquisas em desenvolvimento, tanto em relação a problemas de dimensionamento de lotes integrados, quanto relacionadas a extensões envolvendo flexibilidade em problemas de dimensionamento de lotes. Para tanto, deve-se ampliar os estudos que combinam diversos aspectos do planejamento da produção, buscando novos modelos e métodos de otimização inteira aplicados a diversos setores industriais, que estão sendo estudados com o objetivo de avaliar, na prática, a eficiência dos modelos e métodos propostos. O contato com as indústrias deve ser intensificado no decorrer deste projeto, buscando aplicar as pesquisas desenvolvidas.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvio Assis de Oliveira Júnior

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • influência da suplementação com creatina e do exercício físico resistido sobre o metabolismo de glicose e a expressão de proteínas da via de sinalização da insulina na musculatura esquelética de ratos
  • A suplementação com creatina é amplamente utilizada com o propósito de maximizar os efeitos do exercício físico resistido sobre a massa muscular esquelética. Entretanto, recentes estudos têm mostrado que a suplementação com creatina pode desencadear importantes afecções metabólicas, incluindo-se hiperinsulinemia e resistência à insulina. Por sua vez, o exercício físico tem se associado a variadas evidências de benefícios ao metabolismo de glicose e insulina no meio sistêmico e tecidual. Contudo, não foram encontradas informações sobre os efeitos da combinação de suplementação com creatina e exercício físico resistido sobre a expressão de proteínas ativadas pela insulina na musculatura esquelética. A presente proposta foi elaborada para analisar a influência da combinação entre suplementação com creatina e exercício físico resistido sobre o metabolismo de glicose no meio sistêmico e a expressão de proteínas da via de sinalização intracelular de insulina na musculatura esquelética de ratos.
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Sílvio Bitencourt da Silva

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • inteligência artificial, novas tecnologias e eu
  • A inteligência artificial é uma das tecnologias que se situa no contexto da convergência tecnológica geradora da chamada quarta revolução industrial. Os sistemas de comunicação, que integram essa inteligência, oferecem rapidez no processamento de dados e conexões digitais, aproximando as pessoas e tornando possível a reunião de um grande número de informações simultaneamente, abrindo diversas possibilidades para a formação e socialização do conhecimento. No contexto analógico, o trabalho era manual, já no contexto digital, potencializada pela inteligência artificial, a estruturação do conhecimento é quase imediata, abrindo condições de se ter conhecimentos novos de modo mais ágil. Além de viabilizar o compartilhamento do conhecimento por plataformas e outros canais de comunicação. A Inteligência Artificial, portanto, viabiliza o estabelecimento de conexões entre as informações, produzindo mais conhecimento, e ocupando menos espaço para armazenamento, e podendo ser acessado por qualquer pessoa, em qualquer lugar. Com isso, o conhecimento não fica mais depositado nas bibliotecas físicas, mas passa a integrar as redes, popularizando-se o seu acesso. Nesta direção, cada vez mais procuramos sistemas e algoritmos que consigam analisar grandes volumes de dados e que consigam extrair insights e percepções que seres humanos, ou mesmo ferramentas estatísticas, não conseguem. Nesse sentido, Inteligência Artificial (IA) e Aprendizado de Máquina vem atuando forte de maneira horizontal hoje em dia, ou seja, elas são abordadas em praticamente todas as áreas da computação e, por que não dizer, em praticamente todas as áreas do conhecimento. Os métodos de inteligência artificial podem ser classificados em dois grandes grupos, contendo as classificações supervisionado e não supervisionado. Em particular, o primeiro grupo parte do principio de temos informações de aprendizagem que são passadas a priori para o algoritmo, sobre o que é certo ou errado, ou sobre classificações, de modo que possa haver um treinamento e depois disso o algoritmo realiza as inferências calibradas. Hoje em dia, percebe-se o uso de inteligência artificial em 3 métodos principais: predição de dados, correlação de dados e detecção de padrões. Logo, a Inteligência Artificial está gradativamente sendo reconhecida como um elemento que pode apoiar ganhos de competitividade na indústria, melhorias no âmbito dos serviços públicos e também amplos ganhos na Educação e inclusão. Com base na ampliação da capacidade computacional e dos recursos de comunicação e de armazenamento de dados, abordagens de Inteligência Artificial possibilitam atualmente a sua inserção em diversos âmbitos, inclusive em desenvolvendo suporte para atividades cognitivas, gerando ao mesmo tempo interesse e considerações sobre avaliação e regulamentação. Comentando alguns exemplos deste contexto, desde o ano de 2017 é possível observar um grande número de países desenvolvendo e implementando políticas nacionais de suporte e estímulo ao desenvolvimento de iniciativas aplicando Inteligência Artificial, bem como apoio à capacitação de recursos humanos nesta área. Organismos multilaterais, como a OCDE, através do observatório de inovação em políticas públicas, promoveu recentemente a divulgação de relatório descrevendo o potencial positivo de utilização de Inteligência Artificial no âmbito das políticas públicas nacionais, relacionando um grande número de países que já adotaram estes recursos como forma de ampliar a qualidade de decisões governamentais, qualificar a atuação de recursos humanos e estimular melhor comunicação e interação com os cidadãos. Por fim, a UNESCO apresenta recentemente estudos indicando formas pelas quais a Inteligência Artificial pode apoiar a Educação, em especial nas questões de melhoria na qualidade do aprendizado e na inclusão e equidade, como forma de apoio na busca de atendimento de objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU no quesito Educação. Portanto, a comunicação deste cenário, a discussão de implicações e a avaliação de oportunidades de emprego da Inteligência Artificial é um tema relevante e que merece ampla discussão e envolvimento da sociedade. A discussão, em particular passa pelo entendimento da Inteligência Artificial e suas implicações sobre cada indivíduo, seja como um recurso, uma ocupação, a possibilidade de empreender em um novo negócio ou mesmo sua conexão com Tecnologias Convergentes e Habilitadoras, nas áreas de Nanotecnologia, Fotônica, Materiais Avançados e Tecnologias para a Manufatura Avançada.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 04/11/2020-31/05/2021