Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Erika Batista

Ciências Humanas

Sociologia
  • agroecologia, tecnologias de produção orgânica em assentamentos rurais e educação popular: a contribuição do ifsp para a sustentabilidade ambiental e segurança alimentar na rmc
  • O modelo atual de desenvolvimento econômico vem articulando tecnologia e produtividade na ótica do capital financeiro e da ordem neoliberal, aprofundando a degradação ambiental e dissimulando o que é sustentabilidade na relação entre ecologia e sociedade. Como parte de uma nova fase de reestruturação produtiva do capital, novos mercados e campos de valorização estão sendo explorados a partir da perspectiva dita sustentável, como é o caso da mercantilização da natureza no campo da produção de alimentos. Em contrapartida, a complexa diversidade que compõe as populações da América Latina tem possibilitado um rico debate sobre a agroecologia e dezenas de organizações, particularmente as constituídas por trabalhadores rurais, comunidades originárias e das florestas, reforçaram alternativas de agricultura rumo à transição agroecológica, como é o caso do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). O objetivo geral desta proposta é esclarecer os termos deste debate no Brasil e resgatar as lutas sociais travadas por agrupamentos organicamente comprometidos com a reforma agrária e agricultura familiar a partir da criação de uma Plataforma Sócioeducativa de acesso livre para a produção de conteúdo e divulgação dos princípios de educação ambiental, alimentar e política. Especificamente, difundir a importância da produção orgânica de assentados da reforma agrária para a garantia da sustentabilidade ambiental, segurança alimentar e do desenvolvimento social das comunidades rurais, além de produzir dados relativos à produção agroecológica da Região Metropolitana de Campinas (RMC). O projeto espera beneficiar estudantes, agricultores, pesquisadores e consumidores com a divulgação de estratégias sócioeducativas, além de facilitar a comercialização de alimentos saudáveis e fortalecer ações promotoras de desenvolvimento rural e sustentável. O trabalho de campo da pesquisa partirá dos assentamentos Milton Santos e Elizabeth Teixeira, ambos localizados no interior do estado de São Paulo e integrantes da RMC, localizados nas cidades de Americana e Limeira, respectivamente. Também serão desenvolvidas atividades de ensino, pesquisa e extensão integradas ao Núcleo de Estudos em Agroecologia, Educação e Sociedade (NEAES) a ser instituído nas dependências do IFSP, campus Campinas, de caráter multidisciplinar e interinstitucional, em harmonia com os princípios e diretrizes do Plano Nacional de Produção Orgânica (PLANAPO) e Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (PLANASAN), a fim de ressaltar a importância socioambiental da produção de alimentos saudáveis e reorientar a relação entre ciência, tecnologia e sociedade na direção de um desenvolvimento efetivamente sustentável.
  • Instituto Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 01/02/2018-31/10/2020
Foto de perfil

Erika Cristina Jorge

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • efeitos biológicos de rgma nos precursores musculares nos somitos e nas células satélites: identificação de um novo marcador hipertrófico e hiperplásico da musculatura esquelética
  • O programa miogênico (PM) corresponde a uma sucessão de inúmeros e complexos eventos moleculares e celulares que levam uma célula indiferenciada a se transformar em uma fibra muscular multinucleada, com função contrátil. Nas fases embrionárias, o PM ocorre em um conjunto de células de mesoderma paraxial presente nos somitos, que são inicialmente induzidas a se transformar em mioblastos. Estes mioblastos recebem então um sinal indutor da proliferação celular, para que um número ideal de células seja produzido, suficiente para formar o músculo primário. A retirada do sinal mitogênico promove uma alteração na forma dos mioblastos, que se tornam alongados, fundem-se uns aos outros pelas extremidades das células, formando assim a fibra muscular madura multinucleada. Várias ondas de PM ocorrem para garantir a formação da massa muscular fetal. O mesmo PM é re-ativado após o nascimento, quando o indivíduo precisa passar pela fase de crescimento até a puberdade, ou quando faz exercícios físicos, ou quando recebe estímulos hormonais, ou quando precisa regenerar um músculo lesionado, por exemplo. Nestes casos, apenas um grupo particular e muito restrito de células presentes no tecido muscular adulto consegue ativar o PM: as células satélites. Estas células permanecem quiescentes na musculatura adulta até que sinais de crescimento ou pró-inflamatórios induzem estas células a se transformarem em mioblastos novos, que seguem, nos adultos, os mesmos passos das células mesodérmicas embrionárias, até a formação de novas fibras maduras. Portanto, no caso particular da musculatura esquelética, compreender quais são os mecanismos moleculares e celulares que ocorrem nas fases embrionárias e/ou os mecanismos de crescimento e regeneração a partir de células satélites, poderá revelar os alvos para melhoramento genético de animais domésticos para um maior potencial de ganho de massa muscular (carne). A Molécula Orientadora Repulsiva a (do inglês, Repulsive Guidance Molecule a, RGMa) foi identificada como predominantemente expressa no tecido muscular de aves provenientes de linhagens de corte. As RGMs são proteínas que foram originalmente descritas atuando durante a axonogênese. Atualmente sabe-se que as funções desempenhadas por RGMa são mais amplas, incluindo a supressão da angiogênese, a indução da ossificação endocondral, o processo inflamatório, levando ao aumento da adesão das células T CD4+ aos vasos sanguíneos e, consequentemente, o aumento na infiltração destas células nos parênquimas, e com a gênese e evolução do câncer de cólon retal. Ensaios de hibridização in situ em embriões de galinha revelaram que transcritos de RGMa apresentam um padrão de expressão similar ao marcador Pax7 nos somitos, um marcador de células de mesoderma paraxial que sofrerão o PM e também das células pioneiras que darão origem às células satélites durante os estágios embrionários. Por outro lado, transcritos de RGMb foram detectados nas células musculares em fase de diferenciação muscular, em sobreposição aos marcadores FGFR4 e Myf5. Achados mais recentes do nosso grupo revelaram que o transcrito de RGMa expresso nos somitos sofre splicing alternativo, resultando em uma isoforma de RGMa que tem um início de tradução diferenciado, não contém o domínio RGD (de adesão célula-célula) na sua sequência final e possui essencialmente a porção C-terminal da proteína RGMa (dados ainda não publicados do laboratório). A super-expressão de RGMa1 em células de explantes de somitos de embriões de galinha in vitro foi capaz de induzir a expressão de Pax3, Pax7 e MyoD. Estes resultados sugerem um papel para RGMa1 na origem dos precursores miogênicos e das células satélites. RGMa, RGMb e RGMc também foram detectadas na célula muscular esquelética adulta, com as três RGMs apresentando um padrão sobreposto no sarcolema das células e RGMa também encontrada no sarcoplasma, com um padrão estriado similar ao de proteínas sarcoméricas. Ensaios in vitro demosntraram um papel para RGMa no controle do tamanho e do mecanismo de fusão de mioblastos em miotubos multinucleados. A super-expressão de RGMa em mioblastos resultou ainda em um aumento de três vezes no índice de fusão das células transfectadas, comparadas ao controle. Resultados semelhantes foram ainda obtidos com o uso de RGMa na forma de proteína recombinante, com efeitos surpreendentes na indução da proliferação de mioblastos, mesmo em condições de cultivo indutores de diferenciação miogênica (dados ainda não publicados do laboratório). Estes resultados sugerem um importante papel para RGMa na ativação de células satélites, o que não foi investigado até o momento. A presente proposta pretende dar continuidade aos trabalhos que vem sendo desenvolvidos no laboratório para investigar a possível associação da via RGMa-Neogenina-BMP com o PM em suas duas fases: na fase embrionária nos somitos; e na fase adulta, em células satélites. Pretendemos (i) avaliar os efeitos de RGMa1 nos precursores musculares nos somitos por RNA-seq, para que o perfil transcricional em larga escala auxilie na identificação dos efeitos gerais da super-expressão dessa molécula nestas células; (ii) investigar as possíveis funções de RGMa na proliferação e diferenciação de células satélites isoladas de camundongos e cultivadas in vitro; e (iii) transplantar células satélites tratadas com RGMa na musculatura de camundongos que sofrem algum tipo de condição que causa a perda de massa muscular (como em modelos de doenças neurodegenerativas ou de denervação, por exemplo), para avaliar os seus efeitos in vivo.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Erika Emy Nishi

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • influência da inervação do tecido adiposo branco retroperitoneal sobre as alterações cardiovasculares e renais na obesidade experimental
  • Sabe-se que as doenças cardiovasculares (DCV) são responsáveis pelo maior número de óbitos por ano no mundo, tornando-se, assim, um grave problema de saúde pública. Entre os diversos fatores de risco, o desequilíbrio entre o consumo energético e o gasto calórico, o que caracteriza a obesidade, pode ser considerado um dos mais importantes no prejuízo da função cardíaca e renal, desenvolvimento de diabetes mellitus tipo II, hipertensão arterial e das DCV. As alterações cardiovasculares decorrentes da obesidade ocorrem por diversos mecanismos, como a hiperativação do sistema nervoso simpático (SNS), do sistema renina-angiotensina-aldosterona (SRAA) e ação da leptina, o principal hormônio envolvido na regulação do apetite. Sendo o tecido adiposo branco (TAB) um importante órgão endócrino regulador de processos metabólicos e hormonais, com evidenciada inervação simpática, secretor de todos os componentes do SRAA, de leptina e outras citocinas, dados preliminares do presente projeto mostraram que a inervação do TAB retroperitoneal tem influência sobre parâmetros cardiovasculares em ratos obesos induzidos pela dieta hiperlipídica. Na presente proposta, pretende-se avaliar alterações cardiovasculares e renais e possíveis alterações nos marcadores de inflamação e autofagia nos ratos obesos submetidos ou não à denervação total (DNX) do TAB retroperitoneal. Assim, espera-se uma melhor compreensão dos mecanismos envolvidos nas alterações presentes na obesidade para o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas que contribuam no tratamento da patologia e, consequentemente, evitem o desenvolvimento de DCV.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Erika Reime Kinjo

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • aspectos moleculares, celulares e eletrofisiológicos na sincronização das oscilações neuronais: papel dos canais de junções comunicantes
  • A atividade elétrica de populações de neurônios gera oscilações que refletem o comportamento coletivo destas células. As oscilações dos potenciais elétricos em diferentes faixas de frequências, entre 0,5 até 600 Hz, são muitas vezes utilizadas como marcadores de diversos estados cognitivos e patológicos. O envolvimento dos canais de junções comunicantes (JC, formados por proteínas denominadas conexinas – Cxs) na sincronização das oscilações neuronais tem sido cada vez mais evidenciado, mostrando a importância de sinapses elétricas no modelamento da atividade elétrica neuronal. Ao passo que muitas propriedades relacionadas à plasticidade de sinapses químicas são conhecidas, a quantidade de informações sobre plasticidade de sinapses elétricas é ainda pequena. Utilizando um modelo de ativação neuronal in vivo induzido por pilocarpina, pretendemos avaliar a expressão de Cxs no hipocampo de ratos por meio de técnicas combinadas como PCR em tempo real, Western Blot e imunofluorescência. Por meio de registros eletrofisiológicos in vivo combinados com o uso de drogas que atuam em canais de JC e por RNA de interferência para Cxs específicas, avaliaremos a contribuição destes canais para a sincronização das oscilações neuronais em faixas de frequências específicas. Com auxílio de arranjos de múltiplos eletrodos (multi eletrode array, MEA) pretendemos caracterizar em detalhes a sincronização da atividade eletrofisiológica de campo local no hipocampo in vitro no modelo de ativação neuronal proposto, bem como detalhar a participação dos canais de JC nestes processos. Com este projeto, esperamos avaliar a participação de Cxs específicas e a particular contribuição dos canais de JC nas oscilações neuronais no hipocampo de ratos durante e após indução de alta ativação neuronal por aplicação de pilocarpina. Este projeto contará com a colaboração dos pesquisadores Prof. Dr. Alexandre Hiroaki Kihara (UFABC) e Dr. Guilherme S. Vilar Higa (USP). Todos os equipamentos e reagentes necessários para a realização deste projeto já estão disponíveis, concedidos em auxílio Jovem Pesquisador FAPESP (2008/55210-1), adquiridos por meio de reserva técnica de bolsa de pós-doutoramento (FAPESP 2014/04568-4) ou pela UFABC.
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Erika Valente de Medeiros

Ciências Agrárias

Agronomia
  • biochar e trichoderma spp. provenientes e aplicados em diferentes abordagens no sistema integração lavoura-pecuária-floresta: efeitos na quaidade microbiana e bioquímica dos solos
  • Em regiões semiáridas, as incertezas climáticas resultam em limitações para o pleno desenvolvimento das culturas. Entretanto, moldam cenários potenciais para o surgimento de novas tecnologias voltadas ao aumento da produtividade agrícola. Embora muitas vezes esses habitats estejam assinalados por solos ácidos, com baixa fertilidade natural e rigorosa restrição hídrica, essas tecnologias podem mitigar tais limitações atendendo as demandas nutricionais das plantas e dos micro-organismos do solo. O biochar tem sido cada vez mais estudado como um condicionador capaz de trazer múltiplos benefícios ao solo; provém da decomposição térmica de materiais orgânicos sob baixos níveis de O2, concentrando nutrientes essenciais e carbono devido as suas baixas emissões de CO2. Suas vantagens vão desde melhorias na estrutura, retenção de água e adsorção de metais pesados do solo até ao aumento da atividade microbiana, podendo servir de via de inoculação de Trichoderma spp., fungo promotor de desenvolvimento vegetal e controlador de fitopatógenos. A utilização do biochar no sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) tem o potencial revelado através da grande quantidade de biomassa gerada nesse tipo de exploração. Esse montante asseguraria a disponibilidade de matéria-prima para o processo de pirolise no feitio do biochar, mitigando a demanda de fertilizantes minerais, aumentando a produtividade e a sustentabilidade do sistema ILPF integrado às culturas da mandioca e da palma forrageira. Essas plantas se destacam pela alta adaptabilidade às regiões semiáridas e aos solos arenosos, muitas vezes sendo as únicas alternativas contra as secas em diversas propriedades familiares no Brasil. Nessas condições, os objetivos deste projeto serão: 1. Produzir diferentes tipos de biochar através do aproveitamento de resíduos do sistema ILPF; 2. Avaliar a qualidade e eficiência desses produtos; 3. Testar o biochar nas culturas da mandioca e da palma em sistema ILPF sob duas perspectivas: biofertilizante; e inoculado com Trichoderma spp. para promoção de desenvolvimento vegetal e controle de podridões radiculares (veículo de inoculação). Para tanto, os biochars serão produzidos a partir da decomposição dos resíduos do sistema ILFP em forno de pirolise, cedido pela Unidade Acadêmica de Garanhuns (UAG), campus da UFRPE e sede do presente estudo. O experimento será conduzido por ensaios em campo seguidos de coletas de solo e de material vegetal submetidos as análises em laboratório. Serão avaliados: o desenvolvimento, produtividade e a severidade dos sintomas de podridões nas plantas; e a estrutura/composição das comunidades microbianas, os atributos físico-químicos e as atividades da β-glucosidase, uréase, fosfatases e da FDA nos solos, fundamentais para ciclagem de nutrientes. Além disso, serão feitos isolamentos de fungos Trichoderma spp. a partir do solo rizosférico da palma e da mandioca utilizando meio de cultura semiseletivo e identificação microscópica, visando a criação da primeira coleção especializada nesse gênero fúngico em Pernambuco. Esses isolados serão testados quanto aos potenciais de produção de quitinase e ao antagonismo de agentes de podridão radicular da palma e da mandioca, almejando o controle da doença através da reinoculação de Trichoderma spp. nessas plantas via diferentes tipos de biochar. Este é um projeto multidisciplinar em parceria internacional, principalmente com pesquisadores e instituições da França (INRA/IRD), focado na produção de biochars e de inoculantes com potencial gerador de patentes “verdes”, incentivados pela legislação brasileira. O mesmo busca fortalecer: ao grupo de pesquisa “ECO- SENSORES: atividades enzimáticas e micro-organismos do sistema solo-planta”; a Pós-graduação em Produção Agrícola da UAG (Conceito 4), que atualmente se encontra em processo de migração para se tornar a Universidade Federal do Agreste de Pernambuco; ao Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo da UFRPE (Conceito 5); as atividades dos projetos em rede (INCT, Nexus Caatinga e SISBIOTA Matas secas); e aos arranjos produtivos locais (APLs) do leite e das “casas de farinha” brasileiros
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ériton Egidio Lisboa Valente

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • avaliação da amônia respiratória como bioindicador da nutrição proteica em bovinos
  • A nutrição proteica adequada de bovinos é importante para atingir maior eficiência nutricional e minimizar impactos ambientais. Entretanto, avaliar individualmente a eficiência de utilização de nitrogênio é desafiador. O uso de indicadores metabólicos pode ser uma alternativa interessante. Contudo, a obtenção de indicadores tradicionais é invasiva e eles são difíceis de serem utilizados em condições produtivas. Em estudos com humanos, a amônia respiratória apresenta elevada correlação com a ingestão de proteína. Com o desenvolvimento tecnológico o conceito de alimentação de precisão tem crescido de forma rápida e a amônia respiratória pode ser um indicador metabólico não invasivo com possibilidade de diagnostico em tempo real muito promissor. Deste modo, serão realizados três experimentos com o objetivo de avaliar o potencial da amônia respiratória como indicador da nutrição proteica e o efeito do excesso de proteína sobre o gasto energético para mantença. Com primeiro experimento objetiva-se desenvolver um método colorimétrico simples para mensuração da amônia gasosa. Será testada a eficiência da transferência da amônia gasosa para soluções por três métodos: 1- pelo método do “filter pack”, 2- pelo método da difusão por placas porosas em meio ácido e 3- por borbulhamento em meio ácido. O segundo experimento será realizado com objetivo de avaliar o potencial da amônia respiratória como indicador da nutrição proteica. Será avaliada a concentração de amônia e ureia no sangue e a excreção de nitrogênio na urina e nas fezes de novilhos consumindo dietas com diferentes teores de proteína bruta. Serão testadas as correlações da concentração e da excreção de amônia respiratória com o nitrogênio ureico sérico, com as excreções urinaria e total de nitrogênio em bovinos, e com o balanço de nitrogênio. O terceiro experimento será realizado com objetivo de avaliar o efeito do excesso de proteína sobre o gasto energético para mantença. Será avaliado o efeito da elevação dos teores dietéticos de proteína bruta sobre o gasto energético para mantença. A energia de mantença será obtida por respirometria em circuito fechado com utilização de máscara facial. Com a realização deste projeto espera-se alcançar informações sobre novos indicadores metabólicos do metabolismo proteico e auxiliar a fomentar o desenvolvimento da alimentação de precisão.
  • Universidade Estadual do Oeste do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Erivaldo Antonio da Silva

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • desenvolvimento de metodologia para reconstrução de feições curvílíneas parcialmente detectadas em imagens digitais usando técnicas de inpainting.
  • Processos de extração de feições de interesse cartográfico a partir de imagens digitais têm sido de suma importância na área de Cartografia. Tais processos têm como foco principal a identificação de alvos presentes na superfície terrestre, como, por exemplo, rodovias, drenagens, pistas de aeroportos visando a atualização de produtos cartográficos. A superfície terrestre passa por constantes alterações causadas principalmente por ações antrópicas e da natureza e, a identificação de tais alterações é essencial para a cartografia de um país com as dimensões continentais do Brasil. Várias técnicas de Processamento Digital de Imagens podem ser utilizadas no processo de extração de feições, e, na maioria das vezes, os resultados obtidos por essas técnicas apresentam feições parcialmente detectadas, acarretando prejuízo na qualidade do processo de extração. Existem estudos que envolvem a reconstrução de tais feições, porém suas aplicações em feições curvilíneas produzem efeito de qualidade abaixo do que a esperada. Assim, com base no que foi decorrido, o presente projeto tem por objetivo principal desenvolver metodologia para reconstrução de feições curvilíneas parcialmente detectadas por meio da utilização de técnicas baseadas em inpainting propostas por Marcelo Bertalmio e Guillermo Sapiro [1] , Liang-Jian Deng, Ting-Zhu Huang, Xi-Le Zhao [2] e Bruno Galerne e Arthur Leclaire [3]. Além disso, é proposto ainda, o interfaceamento das técnicas de [1], [2] e [3] com o software CARTOMORPH, com o intuito de que usuários, de forma geral, possam ter maior acesso a sua manipulação. O CARTOMORPH foi desenvolvido pelo grupo de Morfologia da FCT/UNESP, coordenado pelo proponente deste projeto e sempre que há resultados nos projetos de pesquisas vinculados, as rotinas são interfaceadas.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Erivelton Geraldo Nepomuceno

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • investigação da dinâmica caótica em redes complexas usando computação aritmética
  • Caos computacional descreve a geração artificial do comportamento caótico pelo processo de discretização. A situação inversa também tem sido investigada, ou seja, a simulação computacional apresenta resultado periódico, mas se esperava o caótico. Recentemente esse fenômeno tem sido amplamente estudado como degradação do comportamento caótico, com implicações diretas na geração de números pseudo-aleatórios e criptografia. Por computação aritmética, entende-se como a área do saber que estuda a representação dos números e a forma com que as operações aritméticas, e desse modo, todas as demais funções matemáticas, são implementadas em meio digital. Há um expressivo interesse da comunidade cientifica em analisar e compreender o caos computacional. Entretanto, observa-se uma menor atenção para esse fenômeno em redes complexas. Nesse projeto, pretende-se analisar a dinâmica caótica em redes complexas por meio da computação aritmética. Para isso pretende-se empregar a aritmética intervalar para avaliar as simulações computacionais e investigar a degradação em sistemas digitais caóticos arranjados em redes complexas. Serão selecionados exemplos tantos computacionais quanto construídos a partir de circuitos eletrônicos. Por fim, pretende-se avaliar que contribuições a computação aritmética pode oferecer para o conceito de caos, com particular atenção para o efeito chimera.
  • Universidade Federal de São João Del-Rei - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Erlaine Binotto

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • ações coletivas, sucessão e inovação no contexto da gestão rural no brasil e na tailândia
  • As organizações têm enfrentado desafios crescentes fruto da atual economia globalizada, que torna o ambiente mais competitivo. Esta proposta visa dar continuidade aos projetos sobre ações coletivas em arranjos organizacionais desenvolvidos pela equipe, uma vez que os resultados em termos de dados e a publicação relacionada a temática evidenciam a problemática mundial do esvaziamento do meio rural, relacionando a sucessão aos problemas do não preparo dos potenciais sucessores, do não interesse dos jovens em permanecer no campo, do envelhecimento da população rural, de questões de gênero relacionadas a escolha do sucessor, dentre outros aspectos. As ações coletivas pressupõem a reunião de esforços em prol de um objetivo comum. Estas são fundamentais, pois a junção de forças tem potencial para gerar benefícios, dentre eles, o aumento da escala de produção, a redução de custos de transações, a melhoria na capacidade organizacional e a aprendizagem coletiva. Dessa forma, ações coletivas remetem a importância da perspectiva de compartilhamento de conhecimento e de estímulo a processos de inovação, além do suporte social e técnico em muitas situações, mostrando que em alguns casos há maior desenvolvimento em grupos que possuem essa prática. As cooperativas geram emprego e renda, são um fórum de educação e treinamento e criam sistemas de apoio e solidariedade em tempos de dificuldades inesperadas. Dessa forma, o contexto que envolve a sucessão rural é complexo, dinâmico e abarca inúmeros elementos e fatores presentes na propriedade, desde a postura do gestor na condução dos negócios, a capacidade de inovar, incorporação de tecnologias, aspectos culturais da sucessão relacionadas a herança, gênero, dentre tantos outros elementos. A processo de sucessão compreendido como a transferência de liderança ou sucessão gerencial pode ser por herança legal ou pela aposentadoria do gestor. Nessa complexidade, a inovação em processos de gestão na propriedade se mostra uma forma atrativa a jovens permanecerem além da ampliação da perspectiva da sustentabilidade do negócio. Em vista disso, o tema da sucessão rural tem sido estudado de diferentes formas, apresentando correlação entre aspectos da propriedade, não sendo identificadas as relações com processos de inovação na gestão e a presença, ou não, de ações coletivas. Dessa forma a questão de pesquisa é: Quais formas de participação em ações coletivas podem exercer influência nos processos de sucessão e inovação em propriedades rurais? O objetivo geral é analisar de que forma a participação em ações coletivas influencia na sucessão e nos processos de inovação em propriedades rurais em três estados brasileiros e no sul da Tailândia. Especificamente objetiva-se: a) pesquisar a literatura que fundamenta teoricamente a relação entre as temáticas propostas: ações coletivas, sucessão e inovação; b) identificar qual é o perfil de participação em ações coletivas; c) identificar as variáveis relacionados a sucessão rural e a inovação em propriedades rurais; d) destacar elementos relevantes nas realidades brasileira e tailandesa relacionados a temática. A pesquisa se caracteriza como qualitativa e quantitativa. Esta pesquisa tem como foco produtores rurais em diferentes estados brasileiros e no sul da Tailândia. No Brasil a pesquisa será desenvolvida em Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte. Na Tailândia será realizada na região sul. O agronegócio brasileiro representa em torno de 23% do Produto Interno Bruto (PIB), com uma população rural em torno de 16%, enquanto a Tailândia o PIB da agricultura representa em torno de 5,3% e a população residente no meio rural representa 48%. As regiões brasileiras foram escolhidas por duas razões: uma pelas características, por serem regiões diferenciadas; a outra, pela facilidade de acesso devido a parceria existente com pesquisadores nessas regiões em outros projetos. A região da Tailândia segue os mesmos critérios de seleção, uma vez que o pesquisador local, atua em uma universidade na região e desenvolve pesquisas em diferentes comunidades agrícolas. A proposta metodológica para esse estudo é a metodologia Q ou Q Methodology. A adoção desta metodologia envolve cinco etapas: a primeira, é a definição do concourse quando o respondente traz um conjunto de declarações que posteriormente serão ordenadas por ele, analisados e interpretados; a segunda, trata do desenvolvimento da amostra Q, definindo as declarações; a terceira, é a seleção dos participantes (P-set) que vão auxiliar no ordenamento das declarações e realizar o Q-sort, sendo que a Metodologia Q não requer um número grande de participantes, basta que permita a comparação; a quarta, é o Q-sorting quando o Q set (ou Q sample) é apresentado aos participantes sob a forma de uma lista de declarações. Nessa fase de coleta de dados se pede ao respondente que ordene os cartões de acordo as instruções que são construídas pelo pesquisador e é fornecida uma ficha de pontuação. Essa pontuação será distribuída em um continuum cujos extremos são as afirmações “discordo totalmente” e “concordo totalmente”; a quinta, e última, etapa da metodologia Q envolve uma discussão sobre resultados, quando as declarações distintivas são usadas para descrever os principais fatores argumentos e destaca as diferenças e semelhanças entre eles. Os produtores rurais selecionados para a pesquisa deverão ter diferentes perfis de atividades, tamanho de propriedade, etc, nos diferentes estados brasileiros e na Tailândia. Em relação às ações coletivas, em um primeiro momento haverá a tentativa de classificação dos produtores em três grupos: os que estão vinculados formalmente a uma organização e participam da mesma; os que estão vinculados formalmente a uma organização e não participam; e os que não estão vinculados formalmente a uma organização com práticas de ações coletivas (cooperativas e/ou associações). Nessa etapa serão feitas questões abertas antes da aplicação da Metodologia Q.
  • Universidade Federal da Grande Dourados - MS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Erli Schneider Costa

Outra

Ciências Ambientais
  • 1a olimpíada científica nacional sobre oceanos e ambientes polares & 1st hackathon for new technologies for marine and polar research
  • O Objetivo geral da proposta é promover a realização da 1a Olimpíada Científica Nacional sobre Oceanos e Ambientes Polares (1a fase) & 1st Hackathon for new technologies for Marine and Polar research (2a fase). É uma Olimpíada de conhecimentos com proposta inovadora em relação às demais Olimpíadas nacionais e engloba duas fases. A 1a fase tem como objetivo promover a divulgação de conhecimentos científicos sobre os temas chave da proposta - ambientes marinhos e ambientes polares, fazendo com que os estudantes envolvidos e a população como um todo descubram e reconheçam a importância deste ambientes para o desenvolvimento científico, tecnológico e econômico do Brasil. Já a 2a fase é uma maratona que tem como objetivo despertar nos jovens participantes o interesse pela inovação voltada para pesquisa científica nos temas propostos; utilizando a experiência tecnológica, inovadora; e de entretenimento digital, por meio de experimentos ou projetos. Na fase 1 irá ocorrer a Olimpíada de Conhecimentos propriamente dita, envolvendo os diversos níveis de ensino (fundamental e médio) por meio da qual iremos incentivar a busca dinâmica, crítica e criativa de informações sobre os mais diversos projetos de pesquisa sobre ambientes polares e marinhos que vão desde os com enfoque em clima, aspectos básicos da evolução, contaminantes ambientais, aspectos básicos da biologia de organismos marinhos ou polares, biodiversidade, até desenvolvimento de novas tecnologias, biotecnologia, produtos de beleza, saúde e afins; que perpassa pelos campos da inovação impulsionada por dificuldades logísticas, instrumentais, de adaptação dos próprios organismos que são estudados nestas diversidade de ambientes. Já nesta proposta os pesquisadores participantes irão apresentar as principais dificuldades logísticas, científicas ou metodológicas para serem instigadoras da próxima fase. Já na fase 2, a Hackathon (Maratona), teremos a integração entre os estudantes do Ensino Médio mais bem classificados na fase de conhecimentos gerais; pesquisadores que desenvolvem atividades nos ambientes marinhos e polares; e de mentores da área de inovação, incubação de projetos e aceleradoras. Consideramos o público ideal para a esta fase são os alunos do Ensino Médio, para incentivar o interesse destes que em breve irão ingressar no ambiente universitário em temas que envolvem ciência, tecnologia e inovação. A proposta da Olimpíada prevê participação de alunos de escolas públicas, particulares e técnicas em categorias diferentes de forma a incentivar a participação de alunos de insituições públicas e particulares. O incentivo a participação de meninas também está claro entre os propósitos da Olimpíada e a premiação irá considerar sempre os melhores colocados (um menino e uma menina) de cada instituição participante. Para a seleção dos participantes da fase 2 serão considerados os mais bem classificados (considerando um menino e uma menina) em cada categoria proposta de forma a incluir tanto alunos de instituições públicas quanto de instituições privadas e incentivar a participação de meninas na fase mais técnica da Olimpíada. Toda a divulgação ocorrerá de forma ampla para que toda a comunidade, não apenas em idade escolar, seja beneficiada com as informações geradas pelas duas fases da Olimpíada. Os materiais audio-visuais serão inclusivos e na proposta estão previstos custos para legendagem em português e em libras, bem como a ampliação do alcance do material produzido com a legendagem em inglês. Além dos produtos de cunho didático-instrucional direcionado para as escolas, estudantes e professores estamos prevendo pelo menos uma dissertação de mestrado associada a proposta da Olimpíada, além de artigos de comunicação da ciência, tutoriais para replicação das ações por outros órgãos e países; e artigo científico a ser submetido a revista internacional. Participam desta proposta representantes de 28 instituições púbicas ou privadas de ensino superior além de Institutos de ensino e pesquisa, distribuídos por todo o Brasil (Amazônia, Roraima, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul; entre outros); além de colaboradores de instituições de Portugal, da Espanha e da Korea já na tentativa de internacionalizar a ação. Destacamos o apoio institucional do Programa de Escolas Associadas da UNESCO (Coordenação Nacional) e da Secretaria Interministerial para os recursos do Mar, relativamente ao Programa de Mentalidade Marítima para o Brasil. Entendemos que a fase 1 da Olimpíada irá aproximar a ciência das comunidades em geral, promovendo a discussão dos temas relacionados as ciências marinhas e polares. Já a Fase 2 é a proposta mais inovadora e irá gerar empoderamento a partir do momento em que irá oferecer ferramentas e possibilitar o treinamento de habilidades que por vezes permanecem esquecidas pela falta de oportunidade.
  • Universidade Estadual do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 03/12/2018-30/11/2020
Foto de perfil

Erli Schneider Costa

Outra

Ciências Ambientais
  • 2a olimpíada científica nacional sobre oceanos e ambientes polares & 2nd hackathon for new technologiesfor marine and polar research
  • O Objetivo geral da proposta é promover a realização da 2a Olimpíada Científica Nacional sobre Oceanos e Ambientes Polares (1a fase) & 2nd Hackathon for new technologies for Marine and Polar research (2a fase). É uma Olimpíada de conhecimentos com proposta inovadora em relação às demais Olimpíadas nacionais e engloba duas fases. A 1a fase tem como objetivo promover a divulgação de conhecimentos científicos sobre os temas chave da proposta - ambientes marinhos e ambientes polares, fazendo com que os estudantes envolvidos e a população como um todo descubram e reconheçam a importância deste ambientes para o desenvolvimento científico, tecnológico e econômico do Brasil. Já a 2a fase é uma maratona que tem como objetivo despertar nos jovens participantes o interesse pela inovação voltada para pesquisa científica nos temas propostos; utilizando a experiência tecnológica, inovadora; e de entretenimento digital, por meio de experimentos ou projetos. Na fase 1 irá ocorrer a Olimpíada de Conhecimentos propriamente dita, envolvendo os diversos níveis de ensino (fundamental e médio) por meio da qual iremos incentivar a busca dinâmica, crítica e criativa de informações sobre os mais diversos projetos de pesquisa sobre ambientes polares e marinhos que vão desde os com enfoque em clima, aspectos básicos da evolução, contaminantes ambientais, aspectos básicos da biologia de organismos marinhos ou polares, biodiversidade, até desenvolvimento de novas tecnologias, biotecnologia, produtos de beleza, saúde e afins; que perpassa pelos campos da inovação impulsionada por dificuldades logísticas, instrumentais, de adaptação dos próprios organismos que são estudados nestas diversidade de ambientes. Já nesta proposta os pesquisadores participantes irão apresentar as principais dificuldades logísticas, científicas ou metodológicas para serem instigadoras da próxima fase, destancando as principais dificuldades logísticas, científicas ou metodológicas para serem instigadoras da próxima fase. Já na fase 2, a Hackathon (Maratona), teremos a integração entre os estudantes do Ensino Médio mais bem classificados na fase de conhecimentos gerais; pesquisadores que desenvolvem atividades nos ambientes marinhos e polares; e de mentores da área de inovação, incubação de projetos e aceleradoras. Consideramos o público ideal para a esta fase são os alunos do Ensino Médio, para incentivar o interesse destes que em breve irão ingressar no ambiente universitário em temas que envolvem ciência, tecnologia e inovação. A proposta da Olimpíada prevê participação de alunos de escolas públicas, particulares e técnicas em categorias diferentes de forma a incentivar a participação de alunos de instituições públicas e particulares. O incentivo a participação de meninas também está claro entre os propósitos da Olimpíada e a premiação irá considerar sempre os melhores colocados (um menino e uma menina) de cada instituição participante. Para a seleção dos participantes da fase 2 serão considerados os mais bem classificados (considerando um menino e uma menina) em cada categoria proposta de forma a incluir tanto alunos de instituições públicas quanto de instituições privadas e incentivar a participação de meninas na fase mais técnica da Olimpíada. Toda a divulgação ocorrerá de forma ampla para que toda a comunidade, não apenas em idade escolar, seja beneficiada com as informações geradas pelas duas fases da Olimpíada. Os materiais áudio-visuais serão inclusivos e na proposta estão previstos custos para legendagem em português e em libras, bem como a ampliação do alcance do material produzido com a legendagem em inglês. Além dos produtos de cunho didático-instrucional direcionado para as escolas, estudantes e professores estamos prevendo pelo menos uma dissertação de mestrado associada a proposta da Olimpíada, além de artigos de comunicação da ciência, tutoriais para replicação das ações por outros órgãos e países; e artigo científico a ser submetido a revista internacional. Participam desta proposta representantes de 28 instituições púbicas ou privadas de ensino superior além de Institutos de ensino e pesquisa, distribuídos por todo o Brasil (Amazônia, Roraima, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul; entre outros); além de colaboradores de instituições de Portugal, da Espanha e da Korea já na tentativa de internacionalizar a ação. Destacamos o apoio institucional do Programa de Escolas Associadas da UNESCO (Coordenação Nacional) e da Secretaria Interministerial para os recursos do Mar, relativamente ao Programa de Mentalidade Marítima para o Brasil. Entendemos que a fase 1 da Olimpíada irá aproximar a ciência das comunidades em geral, promovendo a discussão dos temas relacionados as ciências marinhas e polares. Já a Fase 2 é a proposta mais inovadora e irá gerar empoderamento a partir do momento em que irá oferecer ferramentas e possibilitar o treinamento de habilidades que por vezes permanecem esquecidas pela falta de oportunidade.
  • Universidade Estadual do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 01/01/2020-30/11/2020
Foto de perfil

Ermeson Carneiro de Andrade

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • modelagem e análise de sistemas ciber-físicos resilientes
  • Os Sistemas Ciber-Físicos (CPSs) estão em todas as partes, de veículos semi-autônomos a dispositivos portáteis. Esses sistemas são caracterizados pela interação estreita entre elementos digitais (a parte ciber) e elementos físicos (a parte física). Assim como a Internet mudou a forma como as pessoas lidam com as informações, os CPSs estão transformando a maneira como interagimos com o mundo físico. No entanto, questões relacionadas à resiliência, desempenho e segurança dos sistemas ciber-físicos desempenham um grande papel na aceitação e no uso desses sistemas hoje e no futuro. Apesar de tais questões não serem novas, os avanços tecnológicos em detecção, computação, atuação e rede dos CPSs fazem com que seja necessário desenvolver novas abordagens para proteger esses sistemas contra consequências indesejadas. Novas ameaças continuarão sendo exploradas e ataques cibernéticos continuarão a surgir, assim como falhas dos CPSs continuarão a acontecer, seja devido às falhas de projeto ou erros administrativos. Desta forma, é necessário desenvolver novas abordagens que maximizem o desempenho e a resiliência através da criação de sistemas ciber-físicos dependáveis e seguros. O projeto proposto endereça esses importantes e novos desafios, desenvolvendo tecnologias (modelos, técnicas e ferramentas) para auxiliar os projetistas e desenvolvedores de CPSs a projetar, analisar e otimizar sistemas ciber-físicos resilientes. O projeto irá trazer impactos significativos para o mercado dos CPSs, fornecendo tecnologias para reduzir o tempo de desenvolvimento e o custo de operacionalidade de tais sistemas, além de protegê-los contra falhas não intencionais ou ataques mal-intencionados.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Erna Geessien Kroon

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • infecções por zika virus: caracterização biológica dos vírus, resposta imune e prospecção de substâncias com atividade antiviral
  • O Zika virus (ZIKV) se tornou uma ameaça global na última década, devido à sua introdução e disseminação nas Américas e Ásia, estando associado a uma variedade de doenças, incluindo manifestações neurológicas graves. A hipótese é de que amostras de ZIKV podem apresentar diversidade fenotípica e genotípica que podem ter impacto na interação vírus- hospedeiro. O objetivo do projeto é estudar as características biológicas do ZIKV das linhagens africana e asiática, bem como de outras amostras circulantes no Brasil, avaliando características fenotípicas, genotípicas, de virulência, tropismo e da resposta imune do hospedeiro à infecção. Para tanto serão feitos estudos em amostras de pacientes com manifestações neurológicas como meningoencefalites causadas por ZIKV. Serão feitos testes “ in vitro” em células susceptíveis ao ZIKV e “in vivo” em camundongos selvagens ou “knockouts”, avaliando o impacto da infecção. Este estudo trará importantes informações sobre a interação virus-hospedeiro principalmente referente ao impacto da diversidade genética do vírus na interação com o hospedeiro e também sobre a transdução de sinal e resposta imune principalmente a imunidade inata. A inibição da multiplicação será avaliada por substâncias naturais de uma extratoteca de plantas e fungos. A compreensão de eventos celulares que ocorrem durante a infecção e de como as infecções por ZIKV desencadeiam a produção de citocinas/quimiocinas são áreas críticas no entendimento do ZIKV e da epidemia que este vem causando. O estudo da resposta ao ZIKV, que é multidisciplinar e multi-institucional poderá ser impactante para futuras terapias, e serão estabelecidos modelos de estudo in vitro e in vivo que contribuirão para estudo de plataformas de avaliação de vacinas e terapêutica.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 03/10/2016-30/09/2021
Foto de perfil

Ernane Ronie Martins

Ciências Agrárias

Agronomia
  • ciência em escolas públicas de bonito de minas: horta inteligente, agrobiodiversidade e o meio ambiente como ferramentas de ensino
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 12/08/2019-30/11/2021
Foto de perfil

Ernani Cesar de Freitas

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • linguagem e discurso: cartografias do ódio e da intolerância em discursos sociopolítico-culturais nas redes sociais
  • Esta pesquisa se propõe a investigar a encenação do ato de linguagem em interações verbais nas redes sociais em um contexto de intensa polarização política. O objetivo geral é discutir a encenação dos atos éticos que levam à não implementação do contrato de comunicação entre os sujeitos ubíquos nas redes sociais. O marco teórico se situa sobre três bases: o ato ético em Mikhail Bakhtin (2012), a comunicação ubíqua em Lucia Santaella (2014) e a Teoria Semiolinguística do Discurso em Patrick Charaudeau (2004). Pretende-se demonstrar que há uma incomunicabilidade entre as oposições da polarização política nacional, explicada em parte pela não implementação do contrato comunicacional entre o enunciador ubíquo (EUu), ocupante de múltiplos espaços sociais simultaneamente, com o seu parceiro da troca linguageira (TUu), localizado no lado contrário, e que discursos altamente polarizados são substanciados por metadiscursos que servem de arcabouço para as teses políticas defendidas pelos extremos da polarização. O estudo será pautado pela pesquisa exploratório-descritiva, bibliográfica e com abordagem qualitativa em relação à Teoria Semiolinguística, à filosofia do ato responsável e à comunicação ubíqua. O corpus será composto por interações travadas em diferentes redes sociais (Twitter e Facebook) em torno do cancelamento da exposição Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira no espaço Santander Cultural, em Porto Alegre, em setembro de 2017.
  • Universidade de Passo Fundo - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ernani Pinto Junior

Ciências da Saúde

Farmácia
  • avaliação da presença de cianopeptídeos em tilapiculturas do brasil e seus potenciais efeitos tóxicos
  • A tilapicultura vem se expandindo no Brasil (4º maior produtor do mundo), principalmente pela utilização de tanques-rede, os quais são sistemas de baixo custo e rápida implantação, sendo uma excelente alternativa à piscicultura convencional. Entretanto, estes sistemas são caracterizados pela produção intensiva de peixes e alta administração de alimentos, os quais podem estimular o crescimento e desenvolvimento de fitoplânctons, principalmente de cianobactérias. A ocorrência de florações de cianobactérias pode trazer graves consequências a esses sistemas, pois algumas espécies podem produzir toxinas e diversos metabólitos secundários com ação distinta. Além das conhecidas cianotoxinas (microcistinas, saxitoxinas, entre outras), alguns compostos de aromas indesejáveis (off-flavours) e cianopeptídeos, cujas estruturas e atividades biológicas são pouco investigadas até o momento, também podem estar presentes. Alguns destes metabólitos podem acumular-se nos consumidores primários e serem transportados através da cadeia alimentar. Nestes sistemas, os peixes estão no topo da cadeia alimentar aquática, sendo os fitoplanctófagos (como as tilápias) consumidores diretos da produção primária dos fitoplânctons, podendo assim serem mais afetados pela presença de cianobactérias na água. As microcistinas, conhecidas por sua ação tóxica, por exemplo, são cianopeptídeos hepatotóxicos e podem se bioacumular em animais aquáticos, como as tilápias, as quais muitas vezes são consumidas. Desta forma, humanos podem estar expostos a esses compostos pela ingestão de tecidos de animais contaminados e por inalação ou contato dérmico com a água durante a colheita na piscicultura. A presença de metabólitos secundários ainda desconhecidos ou pouco investigados produzidos por cianobactérias nestes ambientes poderia causar um grande impacto econômico e ambiental nestes sistemas, além de ser um risco à saúde pública. Assim sendo, é essencial que haja um melhor entendimento das funções e toxicidade desses metabólitos (em especial dos cianopeptídeos) para os organismos aquáticos e para os seres humanos. O objetivo principal deste projeto é investigar a ocorrência de cianopeptídeos em tanques-rede de criação de tilápia em reservatórios de São Paulo e Espírito Santo. Para tanto, será realizada uma avaliação da presença de cianopeptídeos (entre outros metabólitos) na água e em cianobactérias das pisciculturas, analisando possíveis riscos para o consumo humano. Além disso, após identificação e isolamento dos cianopeptídeos, serão realizados estudos toxicológicos com espécimes de Danio rerio em estágio embrio-larval. Espera-se com essa proposta avaliar o potencial de acúmulo desses compostos, bem como sua possível toxicidade para os organismos aquáticos e para os seres humanos. Assim, os resultados deste trabalho subsidiarão as reais condições ambientais de como o pescado de pisciculturas de tanques-rede em reservatórios do Brasil pode ser contaminado não apenas por compostos off flavours e cianotoxinas, mas também por cianopeptídeos ainda pouco investigados.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ernesto Cesar Pinto Leal Junior

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • terapia de fotobiomodulação e terapia farmacológica em modelo experimental de distrofia muscular de duchenne
  • A distrofia muscular de Duchenne é uma doença letal causada pela ausência de distrofina, e afeta um em cada 3.500 homens. O modelo pré-clínico mais utilizado é o camundongo mdx. Esses animais têm completa ausência de expressão da proteína distrofina no seu organismo. Até o presente momento não existe cura para a DMD, entretanto o uso de terapia farmacológica para controle dos sintomas da doença é amplamente utilizado através de glicocorticoides e AINES, a despeito da ocorrência de frequentes efeitos adversos decorrentes com o referido tratamento. Tendo em vista estes aspectos, torna-se fundamental o estudo de terapias alternativas que sejam eficientes em reduzir os sintomas da DMD, sem provocar efeitos indesejáveis. A terapia de fotobiomodulação (com lasers e LEDs) tem sido amplamente utilizada para promover regeneração de tecidos, redução da inflamação e alivio da dor, e também vem apresentando resultados positivos no retardo da fadiga muscular esquelética em animais e seres humanos, melhorando os marcadores bioquímicos relacionados com a recuperação do músculo esquelético quando esta terapia é aplicada previamente ao exercício. A terapia de fotobiomodulação parece, portanto, atuar como uma terapia protetora para o tecido muscular. Com esses fatores em mente, este projeto tem como objetivos analisar os efeitos da TFBM e da terapia farmacológica como tratamentos isolados e combinados sobre a distrofina e utrofina através de imunohistoquímica, bem como analisar a morfologia e a função muscular dos camundongos mdx.
  • Universidade Nove de Julho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Eryvaldo Sócrates Tabosa do Egito

Ciências da Saúde

Farmácia
  • desenvolvimento de cápsulas duras contendo nanopartículas com óleo de copaíba (copaifera langsdorffii desf.) para administração pulmonar: uma potencial forma farmacêutica para tratamento de doenças respiratórias de caráter inflamatório
  • Doenças pulmonares, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, representam a quarta causa de óbito no mundo e são responsáveis pela morte de aproximadamente 64 milhões de indivíduos por ano. A asma, por ser uma doença inflamatória crônica, requer tratamento que apresenta custo elevado e graves efeitos adversos, fatos que comprometem a adesão terapêutica. Por outro lado, o uso de óleo de copaíba (Copaifera langsdorffii Desf) na medicina popular tem sido uma estratégia amplamente difundida para promover o controle de crises asmáticas e redução do processo inflamatório. Entretanto, devido a ausência de controle na dosagem, toxicidade, liberação e biodisponibilidade, o seu uso in natura torna-se inapropriado. Neste contexto, o desenvolvimento de um medicamento fitoterápico sólido simples, como cápsulas duras possibilitaria o tratamento milhões de indivíduos de maneira segura e efetiva. Para a veiculação deste óleo na forma cápsula dura contendo um pó para inalação, o desenvolvimento de um sistema nanoestruturado capaz de veicular nanopartículas por via pulmonar torna-se um atrativo no panorama de inovação e desenvolvimento tecnológico em fitoterápicos. Adicionalmente, a administração pulmonar do óleo de copaíba irá proporcionar uma proteção aos compostos ativos e bioativos ao evitar passagem pelo trato gastro intestinal, além de permitir a redução da dose e números de administração, potencializando de seus efeitos terapêuticos e redução de efeitos adversos. Por conseguinte, este projeto tem como objetivo o desenvolvimento de cápsulas duras contendo nanopartículas de óleo de copaíba. O desenvolvimento deste projeto é um esforço colaborativo entre universidades no Brasil e Estados Unidos. Fará parte do desenvolvimento deste projeto o Núcleo de Pesquisa em Alimentos e Medicamentos (NUPLAM) uma indústria farmacêutica integrante da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Esta indústria conta com um aporte tecnológico e regulatório que facilitará a produção do proposto medicamento fitoterápico.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 01/01/2019-31/12/2021
Foto de perfil

Esper Abrao Cavalheiro

Ciências da Saúde

Medicina
  • estudo da imunossenescência periférica e cerebral em ratos submetidos ao avei experimental
  • Acidente vascular encefálico é uma das principais causas de morte em todo o mundo. Entre os muitos fatores que podem desencadear um derrame, podemos citar hipertensão, tabagismo, diabetes, obesidade e outras doenças crônicas. As consequências de um evento isquêmico cerebral podem incluir hemiparesia, comprometimento cognitivo, perda de atenção entre outros. Evidências mostram que os sistemas nervoso central e imune interagem de forma complexa, e o desencadeamento da cascata inflamatória intravascular, que é potencializada pela resposta imune inata ao dano celular, pode potencializar fatores que resultam em senescência precoce. A partir disso, investigações têm sido focadas em possíveis correlações entre envelhecimento, doenças vasculares e imunosenescência, com o objetivo de elucidar como esses parâmetros influenciariam o resultado do AVC. Nesse sentido, o presente projeto de pesquisa tem como objetivo avaliar o papel da imunossenescência no AVE isquêmico, através da análise de biomarcadores de imunidade inata e adaptativa, expressão de fatores pró-inflamatórios e encurtamento dos telômeros neuronais / gliais em modelo de AVE em ratos.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Esteban Nicolás Lorenzón

Ciências Biológicas

Bioquímica
  • “desenho, síntese e avaliação de peptídeos antimicrobianos análogos da indolicidina. potencial aplicação como agentes desinfectantes de sêmen bovino”
  • O interesse crescente pela inseminação artificial em bovinos tem levado os pesquisadores a estudarem técnicas que viabilizem a conservação de sêmen sem comprometer a sua capacidade de fertilização. A criopreservação do sêmen contaminado é um fator importante que pode afetar a fertilidade, uma vez que o congelamento possibilita a sobrevivência da maioria dos agentes patogênicos, resultando em uma rápida evolução da resistência destes agentes aos antibióticos. Neste sentido, os Peptídeos Antimicrobianos (PAMs) surgem como uma alternativa interessante já que atuam principalmente mediante mecanismos nos quais os microrganismos dificilmente desenvolvem resistência. Pretende-se neste projeto, desenvolver o desenho, síntese e estudos de estrutura–função de PAMs para serem aplicados como aditivo-desinfectante do diluente de sêmen de bovinos. Análogos inéditos baseados no peptídeo Indolicidina serão desenhados e sintetizados. Estudos de estrutura-função serão abordados utilizando principalmente espectroscopia de dicroísmo circular e fluorescência. A atividade antimicrobiana será determinada frente aos principais patógenos contaminantes do sêmen bovino, incluindo bactérias e vírus. No sentido de avaliar a seletividade dos PAMs pelos patógenos, serão desenvolvidos experimentos de inocuidade frente à célula espermática e produção in-vitro de embriões. A minimização da transmissão de patógenos possibilita o aproveitamento de animais que possuem alto valor genético para sua comercialização em mercados internacionais, garantindo a biossegurança. Este projeto está concebido no sentido de iniciar colaborações com pesquisadores nacionais e estrangeiros da área de Saúde Animal. Além disso, parcerias com o setor industrial serão providenciadas, pensando na possibilidade de gerar novos produtos.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022