Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Uira Kulesza

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • estudos empíricos de avaliação da adoção das práticas de integração, entrega e instalação contínua sob a perspectiva da qualidade do software e respectivas suítes de testes
  • Este projeto propõe o desenvolvimento de estudos empíricos quantitativos e qualitativos de análise e comparação de projetos que adotem as práticas de integração, entrega e instalação contínua com foco específico na qualidade de evolução dos projetos sob a perspectiva de estratégias de testes automatizados elaborados assim como em termos de geração de novos bugs após a integração de novas tarefas em versões de evolução do sistema.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ulisses dos Santos Pinheiro

Ciências Biológicas

Zoologia
  • poríferos do norte e nordeste do brasil: inventário faunístico e distribuição
  • As esponjas (Porifera) são importantes constituintes de comunidades bentônicas, distribuindo-se em quase todos os ambientes aquáticos. Desempenham vários papéis nestas comunidades, servindo de substrato para colonização, abrigo e alimento para diversos grupos de organismos, colaborando significativamente para a manutenção da biodiversidade. Por serem sésseis e se alimentarem das menores frações orgânicas, as esponjas também são boas indicadoras ecológicas e têm sido sugeridas como biomonitoras de poluição. Além disso, elas produzem diversos compostos bioativos com grande interesse farmacológico, o que agrega a elas um alto potencial econômico. Para o Brasil são conhecidas até o momento cerca de 521 espécies de esponjas marinhas sendo que para o Nordeste existem grandes lacunas de conhecimento que dificultam o entendimento da distribuição destas esponjas. O presente trabalho tem como objetivos: (1) Inventariar a espongiofauna do Norte e Nordeste Brasileiro com ênfase nos Estados do Amapá, Pará, Maranhão, Piauí, Ceará e Pernambuco visando a reconhecimento da biodiversidade regional. (2) Analisar o compartilhamento de espécies de esponjas ao longo da costa brasileira após a bifurcação da Corrente Sul Equatorial (latitude de 10oS) em seguimentos Norte e Sul da Corrente do Brasil. (3) Verificar se o Rio Amazonas serve como barreira de dispersão para algumas espécies de esponjas, observando se as esponjas a Oeste de sua foz tem mais afinidade com a espongiofauna das Guianas ou do Nordeste brasileiro.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ulisses Gazos Lopes

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • investigação da resposta celular e a imunidade inata na infecção por leishmania: o papel da resposta ao estresse de retículo
  • A transmissão Leishmania ocorre através da picada de dípteros da subfamília Phlebotominae. Esses vetores flebotomíneos são também transmissores de arboviroses pertencentes às famílias Reoviridae, Rhabdoviridae e Bunyaviridae. Resultados prévios obtidos pelo nosso grupo demonstraram que fleboviroses são capazes de favorecer a infecção de macrófagos por L. amazonensis, de forma dependente dos receptores de IFN1 e dos receptores do tipo TLR3. Além disso, ensaios de qPCR revelaram que a co-infecção flebovírus/L. amazonensis aumenta os níveis do RNA mensageiro para IFN1-beta. Durante o processo de infecção viral, o estresse de Retículo Endoplasmático pode surgir em resposta à exploração da membrana do RE, acúmulo de proteínas mal enoveladas, desequilíbrio da concentração de cálcio intracelular e depleção da membrana do RE durante a liberação de novas partículas virais. Diversos estudos mostraram que a resposta a estresse de Retículo Endoplasmático (UPR) pode ser regulada em infecções virais. Esta regulação é fundamental na modulação da infecção, em decorrência da expressão de importantes citocinas dependentes da ativação destas vias. Dados obtidos pelo nosso grupo revelaram que a UPR ocorre na infecção de macrófagos por Leishmania amazonensis. Observamos que a infecção por L. amazonensis é capaz de induzir as vias de Resposta a Estresse de Retículo, enaltecendo-se a via de IRE1-XBP1 e PERK-ATF4, que parecem estar envolvidas com a expressão de citocinas importantes durante a infecção pelo parasito, como IFNbeta. Deste modo, propomos testar a hipótese de que RNA vírus transmitidos por flebotomíneos favorecem a replicação da L. amazonensis através da potencialização de UPR, levando ao incremento e sustentação da expressão de citocinas no hospedeiro vertebrado
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 03/04/2017-30/04/2021
Foto de perfil

Ulisses Pereira de Mello

Ciências Agrárias

Agronomia
  • ações para a manutenção e o fortalecimento do núcleo de agroecologia do alto uruguai gaúcho
  • Desde a década de 1980 que entidades ligadas aos agricultores familiares já ofereciam resistência ao intenso processo de modernização da agricultura que estava sendo implementado na região no Região do Alto Uruguai gaúcho. Entidades como o CETAP (Centro de Tecnologias Alternativas Populares) e o CAPA (Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia) atuavam na região estimulando a construção de alternativas ao modelo de agricultura orientado pela “Revolução Verde”. Naquela época a Comunidade Vaca Morta, no município de Três Arroios (RS), foi pioneira no trabalho com a agricultura de base ecológica na região. Nesse contexto surgiu a Associação EcoTerra (Associação Regional de Cooperação e Agroecologia), um dos embriões da Rede Ecovida de Agroecologia no Alto Uruguai. Apesar do importante trabalho dessas e de outras entidades que atuavam na região, não foi construído um espaço permanente de articulação que pudesse potencializar as ações da Agroecologia nesse território. Surgiu, então, uma oportunidade de fortalecer esse trabalho a partir do Edital CNPq 058/2010. Como um dos resultados desse edital, foi criado o Núcleo de Agroecologia do Alto Uruguai (NAAU) em 2012, sediado no município de Erechim (RS). O NAAU foi concebido como um fórum de articulação de entidades de ATER, movimentos sociais e universidades que atuam em Agroecologia, contando eventualmente com o apoio de prefeituras municipais da região e atualmente é coordenado pelo CAPA. Desde a sua criação o NAAU tem realizado uma série de atividades, principalmente atividades de formação em Agroecologia, como o Seminário de Agroecologia do Alto Uruguai (SAAU) e a Semana do Alimento Orgânico (SAO). Além de auxiliar na organização de outras atividades relacionadas à Agroecologia como a Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e os Transgênicos e Pela Vida, jantares ecológicos, projetos de agricultura urbana, feiras de agricultura familiar e de economia solidária, entre outros. Embora a realização dessas atividades tenha auxiliado no desenvolvimento na Agroecologia na região, há ainda muitos desafios a serem enfrentados visando dar sequência aos trabalhos. Podemos citar como principais desafios para o NAAU: Fortalecer as ações conjuntas entre as diversas instituições envolvidas visando o desenvolvimento rural sustentável através da Agroecologia; mapear e divulgar as experiências de Agroecologia da região; fortalecer e ampliar as ações em Agroecologia e desenvolvimento local e regional; valorizar os agricultores agroecológicos; disponibilizar alimentos ecológicos à mesa de todas as classes sociais e realizar o 5o Seminário de Agroecologia. Assim, baseado na trajetória do NAAU, consideramos que a Chamada MCTIC/MAPA/MEC/SEAD - Casa Civil/CNPq No 21/2016 poderá nos auxiliar a enfrentar alguns desses desafios a partir da realização de um diagnóstico de experiências agroecológicas, da constituição de unidades e redes de referência em Agroecologia e Produção Orgânica e de atividades de formação. As atividades do projeto têm como público prioritário agricultores, quilombolas, povos indígenas, profissionais da área agrícola, professores, estudantes e juventude.
  • Universidade Federal da Fronteira Sul - SC - Brasil
  • 01/01/2018-31/10/2020
Foto de perfil

Ulisses Pereira dos Santos

Ciências Sociais Aplicadas

Economia
  • sistemas regionalizados de inovação e inserção em cadeias globais de produção e inovação: uma análise para a economia brasileira
  • O processo de reestruturação industrial pelo qual passaram as economias mais desenvolvidas, a partir da década de 1970, gerou uma série de transformações na economia mundial. Dentre estas transformações, é possível mencionar a mudança nas relações econômicas entre países centrais e países periféricos, resultante do aumento na participação dos últimos na produção e no comércio de bens industrializados (DICKEN, 2005; PANITCH; GINDIN, 2012). Esse processo, favorecido pela globalização, teve entre seus catalisadores a ampliação do investimento externo direto e a difusão dos sistemas de subcontratação englobando, sobretudo, as novas economias industrializadas do leste asiático (KIN; NELSON, 2005; THUN, 2008). Com isso, as grandes empresas globais passaram a se caracterizar pela capacidade de coordenar atividades produtivas, e complementares, espalhadas ao redor do mundo, formando, assim, redes globais de produção, compostas por grandes empresas multinacionais (sedes e filiais) e empresas locais de menor porte e especializadas em produzir sob a forma de subcontratadas. A partir dessas redes, a produção passa a se realizar como um processo global, envolvendo diferentes regiões subnacionais em pontos distintos do planeta, com diferentes papeis. Assim, enquanto as sedes das empresas multinacionais se ocupariam de atividades como a pesquisa e o desenvolvimento, o design, o marketing e a logística; as atividades menos complexas de produção ficariam a cargo de suas subsidiárias e de empresas subcontratadas localizadas em economias de industrialização tardia. Nesse sentido, regiões subnacionais localizadas em diferentes países passaram se conectar por meio de canais relativos à produção nessas cadeias, os quais envolveriam, além de matrizes e subsidiárias de empresas multinacionais, as redes de fornecedores e prestadores de serviços alinhadas à produção nos países contemplados por esse processo (ERNST, 2002). Frente a isso, a competição via inovação, principal indutor do crescimento e desenvolvimento econômico nas economias capitalistas, em especial a partir da década de 1970, ganhou um maior grau de complexidade na medida em que o desenvolvimento tecnológico passou a contemplar múltiplas localidades, em menor ou maior escala. Subsidiárias de empresas multinacionais e empresas subcontratadas espalhadas pelo mundo também passariam, portanto, a apresentar algum tipo de participação no desenvolvimento tecnológico de suas empresas líderes. A partir desse processo, se formaram as “Redes Globais de Inovação” (ERNST, 2002). O desenvolvimento tecnológico passaria então a depender de múltiplas interações abarcando sistemas de inovação em diversas escalas, como a subnacional, a nacional, a regional e a global (FREEMAN, 2002). A partir dessa perspectiva, a participação no processo de inovação globalizada se relacionaria às capacitações locais presentes nas regiões em que se encontram as sedes e subsidiárias de empresas multinacionais e as unidades subcontratadas de empresas inovadoras. Em especial para as subsidiárias de EMNs e subcontratadas, a inserção em sistemas regionais e nacionais de inovação com maior grau de desenvolvimento seria um determinante para que tais agentes também possam participar do processo de evolução tecnológica das cadeias globais em que se inserem. Portanto, os participantes das redes globais de inovação localizados em regiões dotadas de ativos de ciência, tecnologia e inovação avançados teriam condições de se integrarem e contribuírem com esse processo global de mudança tecnológica. Desta forma, a participação das regiões subnacionais de países em desenvolvimento nas Redes Globais de Inovação (GINs) estaria atrelado ao grau de maturidade de seus sistemas regionalizados de inovação – SRIs - (LIU; CHAMINADE; ASHEIM, 2013). Logo, aqueles SRIs com maior grau de internacionalização passariam a compor redes internacionais pautadas pelas conexões envolvendo seus atores locais, como empresas e universidades. Esse quadro ilustraria o que Dicken (2005) denominou “redes de redes”, ao constatar as múltiplas conexões locais e globais envolvendo os atores produtivos e inovativos na economia mundial a partir do processo de globalização. Tal perspectiva é diretamente relacionada ao conceito de GINs. Ou seja, os atores globais apresentam tanto conexões e interações internacionais quanto locais, sendo que as interações locais se espalham pelas diversas regiões nas quais é possível observar unidades produtivas alinhadas à sua atividade econômica. No processo de inovação, tais redes locais, estabelecidas em diferentes pontos do mundo, com diferentes realidades geográficas, econômicas e sociais, podem se conectar, intermediadas por redes de subcontratação e EMNs, promovendo a troca de conhecimento e o desenvolvimento tecnológico. Frente aos aspectos apresentados, é possível questionar como se encontram as regiões brasileiras no contexto das GINs. A economia brasileira é marcada pela forte presença de subsidiárias de empresas multinacionais, inclusive, em setores com maior densidade tecnológica. Em alguns segmentos, estas subsidiárias se destacam pela participação no processo de desenvolvimento tecnológico do grupo empresarial a que pertencem, como é o caso do setor automotivo. No entanto, há poucos estudos acerca da participação das regiões brasileiras nas cadeias globais de inovação. O que o presente trabalho propõe é uma avaliação da participação de regiões subnacionais brasileiras nas GINs e a identificação dos principais determinantes para tal, com foco, sobretudo, no grau de desenvolvimento dos SRIs. Espera-se, com isso, identificar a participação das regiões brasileiras no sistema global de produção e inovação, o que pode ser um elemento chave para determinar o papel que a economia brasileira ocupará na economia global ao longo das próximas décadas.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ulrike Agathe Schröder

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • comunicação (inter)cultural em interação: expansão e diversificação do corpus nucoi
  • Este projeto almeja ampliar e diversificar o corpus de interações filmadas e suas transcrições coletado pelo Núcleo de Estudos de Comunicação (Inter)Cultural em Interação (NUCOI/UFMG). A ampliação do corpus será acompanhada pelo aumento do número de interações transcritas a serem disponibilizadas online no site do NUCOI, pela disseminação nacional e internacional do site, assim como pelo número de parcerias a serem estabelecidas com o núcleo, em que se destacam as colaborações em âmbito internacional com as universidades alemãs de Potsdam e de Gießen, e em âmbito nacional com a Universidade Federal do Pará. O aumento de nossa rede de colaboração já nos proporcionará uma diversificação do corpus, tanto com relação à cultura e à língua dos participantes das interações, quanto com relação aos tipos de interações filmadas, uma vez que cada um dos pesquisadores parceiros tem seu foco em um tipo de interação, seja ela eliciada ou natural. Além disso, no NUCOI, promoveremos essa diversificação por meio da revisão e disponibilização online de interações naturais e/ou institucionais já realizadas pelo grupo, assim como pela promoção de novas interações. Para que este projeto possa se realizar, se faz necessário o acesso a um equipamento técnico adequado para filmagem, edição de áudio e vídeo, transcrição multimodal, e ao apoio técnico de especialistas.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Umberto Laino Fulco

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • nanobioestruturas e propriedades críticas em sistemas epidêmicos
  • A NanoBioCiência & NanoBioTecnologia, que se baseia no fato de que todo fenômeno físico/biológico inicia-se a nível molecular, é uma área interdisciplinar que está evoluindo rapidamente no contexto da Física, Química, Biologia, Farmácia, Medicina e Engenharias. Busca-se, nesta área multidisciplinar, a compreensão dos sistemas biomoleculares visando explicar as suas funções físicas/biológicas em termos da sua estrutura molecular, da sua estrutura organizacional e do seu comportamento dinâmico em vários níveis de complexidade, considerando-se desde moléculas simples até estruturas super-moleculares. A presente proposta possui duas vertentes bem definidas, estruturadas em metodologias teóricas nas áreas da Física, Química e Biologia, a saber: • Nanotecnologia de moléculas biológicas; • Sistemas Epidêmicos. Na primeira delas, estudaremos as propriedades eletrônicas e termodinâmicas de moléculas biológicas tipo DNA, RNA e Polipeptídeos, visando aperfeiçoar suas aplicações como dispositivo nanoeletrônico, bem como prover uma base teórica para o desenvolvimento de biosensores. O nosso modelo faz uso de um Hamiltoniano tipo “tight-binding”, juntamente com a utilização da equação de Dyson, a técnica da matriz-transferência e métodos de cálculo baseados na teoria do funcional da densidade (Density Functional Theory - DFT). Estudaremos também o mecanismo de interação entre moléculas com fins terapêuticos e seu receptor alvo, visando o desenvolvimento de fármacos que possuam uma maior seletividade e, consequentemente, menor número de efeitos colaterais. Para tanto, faremos uso do método de Fracionamento Molecular com caps conjugados (Molecular Fragmentation Method with Conjugated Caps - MFCC), dentro do modelo quântico da teoria do funcional da densidade e teoria da perturbação Møller-Plesset (MP2, MP3, MP4, etc.), para obter a energia de interação entre a biomolécula e o receptor. Na segunda vertente, estudaremos aplicações modernas de mecânica estatística incluindo: • Investigação, através de modelos computacionais apropriados, das propriedades críticas de doenças tropicais; • Aplicação de redes complexas ou rede homophilic sem escala em sistemas epidêmicos com ou sem difusão para calcular as propriedades críticas.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Urpi Montoya Uriarte

Ciências Sociais Aplicadas

Planejamento Urbano e Regional
  • o passado (n)o presente: a permanência da tradicional forma de habitar (n)o centro histórico de salvador
  • Este projeto, elaborado a partir do diálogo necessário entre a História, a Antropologia e o Planejamento Urbano, visa desenvolver uma pesquisa documental e etnográfica sobre duas áreas do centro histórico de Salvador (CHS) – a Ladeira da Preguiça e a chamada 7ª Etapa da reforma do Pelourinho (também conhecida como “a 28”). Trata-se de dois resíduos do que fora, até os anos 1990, um centro maiormente habitado pelos setores populares negros. Alguns casarões ocupados, algumas vias como a Rua do Sodré e os becos que restam na Baixa dos Sapateiros se somam a estes resíduos nos quais se reproduz uma forma de habitar que tem na deambulação uma de suas características mais marcantes. Deambula-se em busca da sobrevivência diária, deambula-se de uma habitação a outra, deambula-se para atualizar cotidianamente a rede de relações sociais, de um beco a outro, da casa de um parente a de outro, e deambula-se, também, por prazer. No entanto, nas últimas décadas, vemos esta forma de habitar ser diretamente atingida por uma série de intervenções públicas e projetos corporativos que minam a sobrevivência e a sociabilidade pautadas na deambulação. O objetivo desta proposta é tanto examinar as atuais condições de reprodução desta forma de habitar, quanto enriquecer o olhar do planejamento urbano ao evidenciar as fortes raízes históricas, a plenitude ontológica e a importância antropológica desta particular forma de habitar que deve ser concebida como parte essencial do que se chama de Direito à Cidade.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vagner Antonio Marques

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • o que vem depois? analisando as implicações empíricas das republicações das demonstrações financeiras
  • As demonstrações contábeis possibilitam que os usuários externos avaliem o desempenho das entidades e ajustes suas expectativas acerca do desempenho futuro. Ocorre que em decorrência das fragilidades dos contratos, a natureza dos indivíduos e a flexibilidade das normas, as informações divulgadas podem não corresponder à realidade. Em alguns casos, quando os reguladores, auditores e gestores identificam erros posterior à divulgação das demonstrações contábeis, as mesmas são republicadas. O problema é que anterior a isso, os usuários já tomaram suas decisões a partir do que já foi divulgado, nesse contexto, é possível que as republicações gerem efeitos adversos às diversas partes envolvidas. Diante disso, o objetivo do projeto é analisar as implicações empíricas das republicações nas empresas listadas na [B]³. Especificamente será analisado o efeito das republicações sobre os preços das ações, os honorários do auditor, a troca do auditor, o gerenciamento de resultados e os dividendos pagos. O estudo de natureza descritiva, documental e com abordagem quantitativa analisará dados das empresas listadas na [B]³ do período de 2010 a 2018. Os dados serão analisados a partir da estatística descritiva, testes de diferenças entre as médias e regressão com dados em painel. Os resultados contribuirão com o preenchimento de uma lacuna na literatura nacional, bem como com os investidores, auditores, gestores e reguladores na medida em que apresentará evidências sobre os efeitos adversos das republicações possibilitando ações que mitiguem a ocorrência desse tipo de evento.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vagner Bezerra dos Santos

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • desenvolvimentos de métodos analíticos baseados em cromatografia líquida de alta performance acoplada a espectrometria de massas para estudos estratégicos nas áreas de biodiversidade, ambiental, saúde pública e controle de qualidade na região amazonica
  • O projeto consiste no desenvolvimento de métodos analíticos baseados em cromatografia líquida de alta eficiência acoplado a espectrometria de massas (HPLC-MS) para estudos da biodiversidade Amazônica, anfetaminas em extratos vegetais, e de algumas matrizes comercialmente importantes para a região, como aminas bioativas em pescado e queijo de búfala da região do Marajó-PA. O método também explorará o uso de veículo aéreo não tripulado (VANT) e aparatos impressos em impressora 3D para amostragem de águas da Bacia Amazônica-PA em regiões de difícil acesso, buscando-se métodos mais sustentáveis ou de baixo impacto ao meio ambiente para estudos de substância potencialmente agressivas, como alguns defensivos agrícolas. Acredita-se que esta proposta ao ser implementada possa contribuir com a sociedade em estudos da biodiversidade na Amazônia e/ou auxiliando agricultores familiares e pescadores pela avaliação de substâncias nocivas e/ou comercialmente importantes presentes em águas, plantas, e alimentos da região. O projeto visa estabelecer na região um polo de desenvolvimento de métodos modernos de análises química, forense, ambiental, alimentos, fármacos vislumbrando a formação de uma massa crítica especializada nestas áreas citadas e avaliação da qualidade dos produtos comercializados na região Amazônica.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022