Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Paula D Alincourt Carvalho Assef

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • sequenciamento do genoma total como uma ferramenta para avaliação da disseminação de diferentes mecanismos de resistência e clones circulantes de bactérias multirresistentes oriundos de diferentes estados brasileiros
  • O sequenciamento total do genoma (STG) tem se tornado uma chave poderosa e altamente atrativa para investigações epidemiológicas, pois permite acessar várias informações de forma rápida e eficiente. O Laboratório de Pesquisa em Infecção Hospitalar do Instituto Oswaldo Cruz (LAPIH-IOC) atua como Centro Colaborador na Rede de Monitoramento de Resistência a Antimicrobianos ANVISA e CGLAB/SVS/ MS. A inclusão do STG na vigilância da resistência antimicrobiana entre bactérias de origem hospitalar permitirá maior agilidade e acesso a mais informações sobre os mecanismos de disseminação da resistência entre as bactérias de origem hospitalar no Brasil, pois poderemos fornecer para o SUS, através de uma única metodologia, dados sobre os genes de resistência, elementos genéticos móveis e clones circulantes entre as amostras bacterianas em diferentes estados brasileiros. Assim, este estudo tem como objetivo realizar o sequenciamento de genoma total de bacilos Gram-negativos resistentes aos carbapenêmicos e/ou polimixinas, Staphylococcus aureus resistentes a meticilina e/ou vancomicina e Enterococcus resistentes a vancomicina recebidas pelos LACENs de diferentes estados brasileiros, para a vigilância e o monitoramento da disseminação da resistência microbiana em serviços de saúde, a fim de atender às necessidades do SUS. As amostras bacterianas serão recebidas pelo LAPIH e os bacilos Gram-negativos serão submetidos a testes fenotípicos e moleculares para a detecção de mecanismos de resistência aos carbapenêmicos e polimixinas. As amostras de cocos Gram-positivos serão encaminhadas para a UERJ e serão submetidas a testes fenotípicos e moleculares de detecção de mecanismos de resistência a meticilina e/ou vancomicina. Estes resultados serão encaminhados aos LACENs e CGLAB através do Sistema Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL) e amostras representativas de cada genótipo de resistência recebidas de cada hospital em um mesmo período serão selecionadas para realização do sequenciamento do genoma total através do sistema Illumina MiSeq na UERJ. A presença de genes de resistência, elementos genéticos móveis associados (plasmídios, fagos e transposon) e a avaliação dos clones circulantes serão investigados através de ferramentas disponíveis na internet. Os resultados obtidos através do STG também serão enviados para os LACENs e CGLAB através do GAL. Além disso, os dados obtidos serão utilizados para análises de genômica comparativas entre os plasmídeos e clones circulantes. Estes resultados poderão auxiliar o SUS, assim como a ANVISA no conhecimento e na elaboração de medidas de controle da disseminação desses microrganismos multirresistentes no Brasil.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 05/10/2018-31/10/2021
Foto de perfil

Ana Paula da Rosa

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • projeto de cooperação brasil-argentina: circulação das imagens: permanências, esvaecimentos e novos modos de partilha do visível
  • A relação do homem com as imagens não é recente, está ligada com sua capacidade imaginativa, criativa, mas também e, essencialmente, com os processos de comunicação. Levando-se em conta que desde as escritas pictogrâmicas são encontrados registros de sistemas comunicacionais onde a prática social é “codificada” em imagens, podemos pensar que o fascínio exercido só vem crescendo nos últimos anos, muito em função do aprimoramento dos dispositivos. No entanto, as tecnologias não são capazes, sozinhas, de explicar a complexidade da relação imagem e acionamento de memórias, nem das construções de sentidos. Se cada vez mais há uma oferta significativa de imagens, que chegam através de aparatos tecnológicos, impulsionados pelos processos de midiatização, encurtando tempo e espaço, há, de outro lado, um crescente número de imagens iguais, replicadas, devoradas ou reelaboradas, com sentidos acrescidos. Este projeto de pesquisa adota como perspectiva sobre a midiatização codificações que são concorrentes e complementares. Aqui, entende-se a midiatização (FERREIRA, 2009) como autonomia, unificação e diferenciação dos mercados discursivos a partir de três dimensões que se afetam mutuamente: processos comunicacionais, contextos sociais e dispositivos. Estas dimensões são fundamentais para entender a comunicação realizada na contemporaneidade, que implica em um novo modo de ser no mundo (GOMES, 2013) constituído em uma ambiência, onde consumidores e produtores se revezam na produção de materiais significantes, isto é, rompe-se com as noções clássicas de gramáticas de produção e de reconhecimento, sem que elas desapareçam, para atribuir força ao processo circulatório, que quanto mais assume sua complexidade, mais revela a própria midiatização social (FAUSTO NETO, 2010) e constitui-se em fluxos sempre adiante (BRAGA, 2012). E é exatamente investigar como a imagem é inscrita nestes fluxos que este projeto de pesquisa em cooperação com a Argentina se propõe, uma vez que parte-se da hipótese de que a circulação constitui-se como um espaço de produção de valor, portanto poder simbólico, onde o visível é construído com base na partilha de produções em dispositivos. Entendemos que a figura do receptor cede espaço para os atores sociais midiatizados que, cada vez mais, se colocam na postura de produtores, também participando da construção do sentido social ou como afirma Carlón (2012) como enunciadores mediáticos. No entanto, nos interessa descobrir: que imagens ganham sobrevida nos memes, vídeos, postagens? Que imagens são chanceladas para permanecer na circulação e, portanto, serem visíveis tanto aqui no Brasil como no país vizinho? Calvino (1990) alertava para as imagens que se dissolvem imediatamente, a proposição, aqui, é inversa, quais são as imagens que permanecem ofuscando nossos olhos mesmo diante de ofertas múltiplas? O objeto empírico desta pesquisa é um corpus temático de repercussão internacional e sua inscrição na midiatização de modo a constituir uma coleção de dispositivos midiático-jornalísticos e de atores sociais midiatizados do Brasil e da Argentina. Os casos são os atentados à França de novembro de 2015 e ao jornal Charlie Hebdo de janeiro de 2014 e suas repercussões derivadas, onde se evidencia inscrições em espaços jornalísticos e apropriações múltiplas de atores sociais, inclusive na geração de vídeos e montagens. Pretende-se a partir desse corpus investigar como ocorre o processo de novos fenômenos de circulação das imagens jornalísticas na perspectiva da midiatização sobre três aspectos: a) a circulação intermidiática; b) os dispositivos e c) a fixação de crenças ou símbolos num cenário de expansão semiótica ou de dilatação dos espaços e tempos. Para isso será necessário comparar cenários culturais distintos, caso do Brasil e da Argentina com os originários dos acontecimentos. Questiona-se então: ante a ampliação do número de apropriações das imagens, quais os movimentos de circulação e circularidade que permitem fixar determinadas imagens? Como os processos de midiatização estão sendo consolidados nos dois países? A proposição inicial é de que estamos diante de um processo elástico de multirreferência, onde a figura do clássico receptor cede espaço para atores midiatizados em potência, isto é, atores que se valem dos pluridispositivos a que tem acesso para inscrever na midiatização novos processos comunicacionais e sociabilidades. Isto pode ser perceptível nas montagens e memes que se baseiam na captura de imagens já vistas no cenário do comunicacional, em especial do jornalismo. Tome-se como exemplo a foto de Aylan Kurdi, o menino Sírio encontrado morto na Turquia. A imagem, embora publicada em centenas de veículos de comunicação de massa, transformou-se em meme, charge, ilustrações diversas e até mesmo em pano de fundo para homenagens em vídeo no Youtube. O estatuto da fotografia, e do próprio jornalismo, altera-se no processo, uma vez que a imagem ganha outras proporções quando assumida, inserida, reelaborada no fluxo circulatório. A imagem se autonomiza ao ser reinvestida de valor, revelando uma espécie de movimento de fagia, devorativo, mas a chancela do campo midiático parece manter seu espaço, uma vez que as coberturas internacionais incidem sobre a visão latina, inclusive dos atores sociais.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula da Silva Perez

Ciências Biológicas

Morfologia
  • os efeitos do extrato etanólico da casca de pequi na próstata masculina e feminina de gerbilos (meriones unguiculatus) senis expostos ao etinilestradiol durante o período pré-natal
  • Os disruptores endócrinos (DE) são agentes exógenos, podendo ser de origem esteroide que interferem a função do sistema endócrino. Os xenoestrógenos são estrógenos sintéticos encontrados em produtos, como 17α-etinilestradiol (EE- contraceptivo oral) e, os fitoestrógenos são estrógenos naturais, como os flavonoides. A glândula prostática é sensível aos efeitos dos hormônios esteroides, e estes desempenham importantes papeis durante o desenvolvimento prostático. Estudos mostram que o etinilestradiol exposto durante o período pré-natal é capaz de aumentar o desenvolvimento de lesões na próstata de gerbilos machos e fêmeas na fase adulta e durante envelhecimento. O pequi apresenta um óleo comestível muito utilizado na culinária tradicional que quando extraído de forma etanólica apresenta altas concentrações de flavonoides. Entretanto, pouco se sabe sobre a ação desse composto, tampouco os seus efeitos sobre a saúde da glândula prostática masculina e feminina. Desse modo, o objetivo do presente estudo será de avaliar os efeitos histológicos, morfométricos, imunohistoquímicos e sorológicos da exposição do óleo de Pequi sobre a próstata masculina e feminina de gerbilos senis que serão expostos ao etinilestradiol durante o período pré-natal. Para isso, teremos os seguintes grupos experimentais: 1) Grupo EE- as fêmeas grávidas receberão por meio de gavage 15µg/kg/dia de EE diluído em óleo mineral do 18º ao 22º dia de gestação. 2) Grupo EE/Pe- as fêmeas grávidas receberão a mesma dosagem do grupo EE e, mais 300mg/Kg de extrato etanólico da casca do pequi diluído em veículo oleoso do 18º ao 22º dia de gestação. 3) Grupo Pe/Ve- as fêmeas receberão 1ml do veículo oleoso, no qual foi diluído o óleo de Pequi, durante o mesmo período dos grupos anteriores. 4) Grupo EE/Ve- as fêmeas receberão 1 ml do veículo, no qual foi diluído o EE durante a gestação (18º ao 22º). 5) Grupo Controle- As fêmeas não receberão tratamento durante a gestação. A partir disso, as próstatas dos filhotes machos e fêmeas com 12 meses de vida serão submetidas às análises morfológicas, morfométrico-estereológica, imunohistoquímicas e sorológicas (estradiol e testosterona). Sabe-se que o etinilestradiol altera o padrão morfológico das próstatas masculinas e femininas de gerbilos senis, e como o óleo de Pequi irá atuar sobre essas próstatas, seria ele capaz de intensificar ou amenizar a ação do etinilestradiol. Esse estudo além de ser importante para elucidar os efeitos do óleo de Pequi sobre a glândula prostática. Podemos verificar se a exposição ao óleo de Pequi durante o período pré-natal desencadeia efeitos nos tecidos prostáticos do mesmo tipo e grau em machos e fêmeas durante o envelhecimento, em condições fisiológicas normais ou sobre a exposição ao etinilestradiol.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Dalla Corte

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • aplicação de veículos aéreos não tripulados (vants) para estimativas nos inventários florestais
  • O monitoramento da dinâmica de cobertura florestal em território brasileiro denota-se um grande desafio, devido, principalmente, a sua grande extensão em área. A coleta de variáveis biométricas que caracterizam a dinâmica florestal, seja em plantios comerciais ou em florestas nativas, tem sido feita por meio de inventários florestais, a partir de técnicas de amostragem em campo, muitas vezes onerosas e demoradas. A exigência por procedimentos técnicos que obtenham o máximo de informações com menores custos têm levado à implementação de novas tecnologias às etapas dos inventários florestais. O objetivo desse projeto é desenvolver e aplicar geotecnologias para melhorar a eficiência e acurácia das técnicas tradicionais de inventários florestais. Para isso, pretende-se automatizar a obtenção de variáveis biométricas das árvores em povoamentos florestais comerciais e nativos através de dados coletados a partir de diferentes geotecnologias, como: aeronaves semi-autônomas não tripuladas (Semi-Autonomous Unmanned Aerial Vehicles – SA-UAVs) embarcadas com câmeras passivas (multiespectrais) e sensores ativos como o LiDAR (Light Detection and Ranging). Deve-se, além de desenvolver protocolos de extração e manipulação dos dados, desenvolver ambientes computacionais que permitam a manipulação das informações dos ambientes florestais em realidade virtual e assim, permitir a interação do usuário com a coleta das informações do ambiente florestal. Para estudo de caso, serão selecionadas áreas de manejo florestal sustentável pertencem ao Projeto Paisagens Sustentáveis, uma parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e o Serviço Florestal dos Estados Unidos (US Forest Service), bem como, para os plantios florestais serão selecionadas áreas florestais presentes na região Sul do país (pertencentes a empresas florestais que já autorizaram o acesso), dos gêneros Pinus sp. e Eucalyptus sp. Como principais produtos, destaca-se a elaboração de um protocolo de procedimentos técnicos e tecnológicos a ser adotado por órgãos governamentais, que possibilitarão detectar o impacto e a dinâmica do manejo florestal em florestas nativas; criação de um ambiente de realidade virtual de livre acesso, com ferramentas que permitam a compilação de dados coletados por usuários em plantios florestais; geração de estimativas biométricas acuradas (qualitativas e quantitativas) visando subsidiar um melhor desempenho em nas precisões de inventários florestais. Portanto, a aplicação de geotecnologias e de técnicas de inteligência artificial resultará no desenvolvimento e aperfeiçoamento dos procedimentos tradicionais de inventário florestal, especialmente em grandes áreas ou locais de difícil acesso, de forma implementar a condução de etapas menos onerosas e capazes de gerar estimativas mais acuradas dos recursos florestais, garantindo o seu uso sustentável.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula Dassie Leite

Ciências da Saúde

Fonoaudiologia
  • dose de uso de voz e sua associação com ruído ambiental e dados perceptivo-auditivos e acústicos em professores universitários
  • Os professores constituem a classe profissional considerada de maior risco para desenvolver alterações vocais. Isso ocorre devido às próprias características do trabalho inerentes à docência, as quais favorecem o surgimento de problemas vocais, como: fala em alta intensidade por período de tempo prolongado, fala em ambientes ruidosos, uso de técnicas vocais incorretas, além da grande carga horária de trabalho. Por esse motivo, muitos estudos têm sido desenvolvidos na Fonoaudiologia para buscar uma melhor compreensão sobre o problema de voz do professor. No entanto, a literatura ainda é escassa no que se refere à discussão sobre uma possível influência da dose de uso de voz do professor no desenvolvimento de um possível distúrbio vocal e sobre a associação entre tal dose e algumas características ambientais como o ruído. Estudos existentes na área, os quais buscaram retratar a relação entre dose de fala do professor e ruído de fundo, apontam uma relação direta entre o aumento do ruído ambiental e o aumento da intensidade vocal nessa população. Além disso, tais estudos observaram um aumento concomitante da frequência fundamental da voz e da sensação de esforço vocal, ambos resultados de um processo de hiperfunção da musculatura laríngea – o que coloca o profissional em risco de desenvolver danos vocais. No entanto, a maior parte dos estudos existentes foram realizados em ambientes preparados (laboratórios), e não retratam o comportamento docente em situações da vida real. Além disso, tais estudos foram desenvolvidos em países com situações socioeconômicas distintas das encontradas no Brasil, o que poderia influenciar os resultados no que se refere aos aspectos relacionados à demanda de trabalho docente e quanto à organização das salas de aula. Estudar tais parâmetros é de extrema importância para descrever e interpretar o perfil vocal dessa população, pois permitirá o delineamento de ações de prevenção e promoção de saúde nessa classe, exercendo uma importância social e econômica. Objetivo principal desta proposta é determinar a dose de uso de voz de professores universitários empregando dispositivos que capturem simultaneamente suas vozes em ambiente de trabalho, bem como a intensidade sonora do próprio ambiente, de forma a identificar a influência do ambiente na sua dosagem vocal diária e, ainda, a influência da dose de voz nos dados perceptivo-auditivos e acústicos da voz. Pretende-se também, com o emprego dos dispositivos, compreender aspectos sobre como se definir objetivamente a dose de voz, como sincronizar sinais oriundos de dosímetros e provenientes do conjunto microfone-interface de áudio e como qualificar e quantificar a intensidade acústica dos ambientes de trabalho. Trata-se de estudo observacional e analítico que contará com a participação de professores universitários de uma instituição pública de ensino superior localizada na região sul do Brasil. Tais participantes serão submetidos ao processo de coleta por aproximadamente 10 vezes (10 dias de atuação docente em sala de aula), com captação de amostras vocais antes, durante e após a atuação, e do ruído ambiental durante o uso da voz no ambiente de trabalho. A dose de uso de voz será coletada por microfone de cabeça sem fio (o som é digitalizado por interface de áudio acoplada a tal microfone e processada mais tarde), para obter sinais de voz com amplitude equivalente a do dosímetro, que analisará o ruído ambiental. No que se refere à análise de dados, um procedimento de sincronização entre os sinais do microfone (já calibrado) e do dosímetro será desenvolvido para que os fenômenos capturados em ambos os sinais possam ser relacionados matematicamente. Finalmente, serão desenvolvidos métodos numéricos (baseados em técnicas de processamento digital de sinais) para tratamento de ambos os sinais, tanto no domínio do tempo quanto no domínio da frequência, quanto na determinação de métricas para quantificar objetivamente a dose vocal. As amostras vocais coletadas serão analisadas perceptivo-auditivamente por juízes especialistas, que avaliarão o grau geral da alteração vocal e de outros parâmetros para cada uma delas. Além disso, tais amostras serão analisadas acusticamente, momento em que serão extraídos dados como frequência fundamental e medidas de perturbação do sinal (jitter, shimmer e proporção GNE). Espera-se associar as seguintes variáveis: Dose de uso de voz X Ruído ambiental; Dose de uso de voz X Avaliação perceptivo-auditiva da voz; Dose de uso de voz X Avaliação acústica da voz. Pretende-se, ainda, associar todas as variáveis anteriormente descritas em análise multivariada. A seleção de testes estatísticos dependerá da forma de distribuição de dados e do tipo de variáveis envolvidas. Para todas as análises, será adotado nível de significância de 0,05.
  • Universidade Estadual do Centro-Oeste - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula de Araújo Chaves

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • centralizadores de automorfismos de grupos, álgebras associadas a grafos e equações diofantinas
  • Este projeto, busca fortalecer a pesquisa em Álgebra e Teoria dos Números no Instituto de Matemática e Estatística da Universidade Federal de Goiás (IME/UFG), viabilizando a interação científica com pesquisadores de instituições que são referência nestas áreas, tanto nacionais quanto internacionais, participações em congressos, visitas acadêmicas. Serão desenvolvidas pesquisas nas seguintes áreas: - Teoria de Grupos; - Álgebra de Lie; - Teoria dos Números. Mais especificamente, nosso foco será em Centralizadores de Automorfismos Coprimos de Grupos E Álgebras de Lie, em Álgebras Associadas a Grafos e em Equações Diofantinas Envolvendo Sequências Recorrentes.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula de Carvalho Teixeira

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • utilização de materiais carbonáceos para a remoção de contaminantes emergentes de efluentes aquosos
  • A presença de contaminantes que podem interferir no sistema endócrino, como as substâncias 17 alfa-etinilestradiol, bisfenol A e nonilfenol, têm surgido como um novo problema ambiental relacionado à qualidade da água. Diversos casos pelo mundo têm relatado a ação desses contaminantes, mesmo em baixas concentrações, provocando efeitos de exposição crônica em diversas populações. Em alguns países, como Brasil e Canadá, foram criadas medidas legislativas proibindo ou restringindo o uso de certas substâncias de comprovado poder contaminante. Na última década, pesquisadores tem se dedicado a análise desses contaminantes, e outros contaminantes emergentes, em corpos receptores de água. Uma importante barreira na área de pesquisa desses poluentes é a dificuldade de se analisar a presença dos mesmos em concentrações baixíssimas (ppb ou até mesmo ppt). A técnica mais apropriada para esta detecção é a cromatografia líquida de alta eficiência acoplada à espectroscopia de massas. Tem sido observado que os métodos atuais de tratamento de água não são eficientes para a remoção em baixas concentrações dessas substâncias. Sendo assim, há um grande interesse no desenvolvimento de novos materiais eficientes, de baixo custo e de fácil utilização na área de remoção de contaminantes emergentes, inclusive no Brasil. A presença de contaminantes emergentes como o 17 alfa-etinilestradiol, bisfenol A e nonilfenol têm surgido como um novo problema ambiental relacionado à qualidade da água. Vários grupos de pesquisa têm estudado novas técnicas de remoção desses contaminantes em efluentes aquosos. Entre as técnicas mais estudadas, a adsorção por materiais de carbono tem se destacado como uma das técnicas mais eficientes e de baixo custo. Nanotubos de carbono têm sido recentemente estudados em várias aplicações ambientais e tem mostrado potencial para a remoção de moléculas tóxicas de água. Um dos problemas da utilização dos nanotubos como adsorvente é a baixa dispersão dos mesmos em água. Nanotubos de carbono são hidrofóbicos e em meio aquoso não se dispersam formando agregados. Este processo de agregação diminui fortemente a capacidade de adsorção dos mesmos. Para diminuir a hidrofobicidade dos nanotubos, os mesmos têm sido funcionalizados com grupos polares. Contudo, quando nanotubos de carbono são funcionalizados o caráter hidrofílico dessas nanoestruturas aumenta fortemente e a adsorção de compostos mais hidrofóbicos, como o 17 alfa-etinilestradiol, bisfenol A e nonilfenol diminui significativamente. Sendo assim, materiais anfifílicos magnéticos são interessantes como adsorventes. Materiais anfifílicos magnéticos são compósitos formados por uma parte hidrofílica (uma matriz cerâmica), uma parte hidrofóbica (estruturas de carbono) e uma parte magnética (núcleos metálicos recobertos por estruturas de carbono). A formação desses compósitos anfifílicos permite a dispersão dos mesmos em meios polares, como a água, facilitando a interação das formas carbônicas com substâncias apolares eventualmente presentes no meio, como os contaminantes emergentes. A síntese de nanoestruturas de carbono em uma matriz hidrofílica aumenta a capacidade de dispersão em fases aquosas aumentando assim a eficiência de adsorção desses materiais. Além da vantagem de aumentar a dispersão das nanoformas de carbono, o processo proposto desenvolve nestes materiais estratégicas propriedades magnéticas. A propriedade magnética facilita sua aplicação visto que o material, após o uso, pode ser facilmente removido do meio pela ação de um campo magnético. Além disso, o uso de rejeitos de mineração e materiais de baixo custo, como suporte para a síntese de materiais anfifílicos magnéticos (matriz hidrofílica), permite que seja agregado valor a esses materiais. Outros materiais interessantes para serem utilizados na remoção de contaminantes em meio aquoso são os nitretos de carbono. Esses materiais (g-C3N4) são estruturas poliméricas que podem ser sintetizadas pela condensação térmica de precursores de carbono nitrogenados em temperaturas entre 300 e 600 oC. Essas estruturas têm sido apontadas como promissores candidatos, dentro do grupo de materiais carbonáceos, para várias aplicações tecnológicas. Os nitretos de carbono vêm sendo utilizados como: catalisadores para a produção de H2 a partir de moléculas de água; catalisador ácido, catalisador para a redução de CO2; fotocatalisadores heterogêneos (apresentam um “band gap” de 2,7 eV, que corresponde a um comprimento de onda de 460 nm) e adsorventes de contaminantes ambientais. Sendo assim, os nitretos de carbono representam interessantes materiais para atuarem como adsorventes e fotocatalisadores na remoção de contaminantes emergentes. Sendo assim, esse projeto tem como objetivo geral a síntese de materiais anfifílicos magnéticos, de baixo custo, e a aplicação dos mesmos como adsorventes para a remoção dos contaminantes emergentes, 17 alfa-etinilestradiol, bisfenol e nonifenol, em concentrações em ppm, de efluentes aquosos e a síntese e caracterização de nitretos de carbono para a adsorção e oxidação fotocatalítica dos contaminantes bisfenol e nonilfenol, em concentrações em ppm, em efluentes aquosos. Além disso, os melhores materiais serão utilizados como adsorventes para remoção de pesticidas e antibióticos, em concentrações mais baixas (ppb e ppt), em efluentes aquosos.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula de Melo Loureiro

Ciências da Saúde

Farmácia
  • modulação da concentração intracelular de nad+ e seu efeito na tumorigênese induzida por benzo[a]pireno em células epiteliais bronquiais humanas
  • Importantes avanços no tratamento do câncer podem surgir a partir de uma melhor compreensão das origens moleculares da doença e de alterações celulares chave subjacentes à transformação e à multiplicação das células pré-neoplásicas. O câncer de pulmão é um dos tipos mais comuns e a principal causa mundial de morte por câncer, tendo como principal causa o hábito de fumar. Atualmente tem sido evidenciada a necessidade de se compreender como alterações metabólicas podem contribuir para a modulação da atividade de vias de sinalização, de fatores de transcrição, e para alterações epigenéticas que favoreçam a proliferação celular. Benzo[a]pireno (B[a]P) é um carcinógeno completo presente na fumaça do cigarro e amplamente difundido no meio ambiente, sendo utilizado em nossos estudos como indutor de transformação maligna em células epiteliais bronquiais humanas imortalizadas (BEAS-2B). No modelo de tumorigênese caracterizado no grupo observou-se que: i) as células expostas a B[a]P sofreram alterações no metabolismo intermediário logo na primeira hora de exposição, com queda inicial dos níveis de NAD+, NADH, NADPH, ATP, ADP, piruvato e intermediários do ciclo de Krebs, seguida pelo aumento significativo dos níveis dessas moléculas ao longo de 7 dias de incubação; ii) as alterações metabólicas observadas foram acompanhadas de alterações dos níveis de 5-mdC e 5-hmdC no DNA das células e aumento do crescimento de colônias em soft-agar, sem aumento da taxa de mutação no gene HPRT. Considerando-se a importância de NAD+ e NADH na regulação da atividade de enzimas do metabolismo intermediário, da atividade de fatores de transcrição e da expressão de genes que codificam para proteínas envolvidas no controle do metabolismo e crescimento celular; e que B[a]P induz rapidamente alteração do balanço NAD+/NADH nas células BEAS-2B, com cocomitante alteração dos níveis de outros intermediários do metabolismo e subsequentes alterações epigenéticas, induzindo ao fenótipo tumoral; é pertinente que se verifique como a modulação dos níveis de NAD+ nesse modelo afeta o metabolismo e a transformação celular induzida por B[a]P. Assim, o objetivo deste projeto é avaliar se a modulação dos níveis de NAD+ nas células BEAS-2B expostas a baixas concentrações de B[a]P afeta a formação de colônias em meio semissólido soft-agar e contrabalança as alterações metabólicas, epigenéticas e de expressão de alguns genes controlados pelo co-repressor transcricional CtBP sensível ao balanço redox NAD+/NADH, além da expressão de proteínas envolvidas na alteração do metabolismo em células tumorais. Pretende-se, com isso, avançar na compreensão de como alterações metabólicas induzidas por substâncias carcinogênicas (no caso, B[a]P) contribuem para a tumorigênese. Essa compreensão é importante para que se tenha uma base firme para a adoção de procedimentos efetivos de quimioprevenção do câncer, o que é necessário para que se diminuam os impactos sociais e econômicos desse grave conjunto de doenças que tende a crescer exponencialmente com o envelhecimento da população.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula de Souza Caetano

Ciências Biológicas

Botânica
  • desenvolvimento, estrutura, funcionamento e evolução de anteras rostradas em melastomataceae: uma estratégia adaptativa que potencializa a economia de pólen?
  • Embora a maioria das plantas zoófilas disponibilize o néctar como recurso a seus polinizadores em suas flores, algumas espécies oferecem apenas o pólen como recurso floral, sendo estas chamadas de “flores de pólen”. Este cenário por levar a um conflito evolutivo conhecido como “dilema do pólen”, uma vez que os grãos tem função reprodutiva e de recurso alimentar ao polinizador. Tal conflito pode ser minimizado por algumas estratégias adaptativas, como anteras com deiscência poricida. Estas restringem a coleta de pólen por um pequeno grupo de polinizadores, geralmente abelhas, que precisam vibrar as anteras para que o pólen seja liberado, em um processo denominado polinização por vibração (i.e. buzz pollination). Anteras poricidas podem ainda, apresentar um ápice rostrado, ou seja, estreitado na forma de um tubo (Fig. 1). O rostro afunila a região de saída do pólen, mas seu desenvolvimento, estrutura e funcionamento são desconhecidos entre as angiospermas. Melastomataceae é uma das 65 famílias de angiospermas com ocorrência de anteras poricidas, e destaca-se pela ampla distribuição taxonômica desta condição. No grupo, anteras rostradas são reportadas em diversas espécies de diferentes tribos, o que torna a família um bom modelo para investigar questões relacionadas ao rostro. O presente projeto objetiva esclarecer a ontogenia, a estrutura anatômica e a influência do rostro na liberação do pólen em espécies de diferentes linhagens de Melastomataceae. Ainda, busca-se compreender a evolução dessa estrutura na família. Os resultados poderão esclarecer se a aparente similaridade morfológica do rostro entre linhagens distintas é resultado de padrões de desenvolvimento, estrutura histológica e história evolutiva semelhantes. A distribuição relativamente pouco comum e em grupos não relacionados indica que tal condição deve ter surgimentos independentes em Melastomataceae, podendo refletir em algumas diferenças ontogenéticas e estruturais. Além disso, será possível elucidar se a semelhança morfológica do rostro nos distintos grupos resulta em uma mesma função, o que pode ser resultado de pressões seletivas similares. Uma vez que o rostro afunila a região de saída do pólen, é plausível que ele exerça um papel na regulação da liberação dos grãos, provavelmente limitando sua retirada. Os resultados obtidos neste projeto ajudarão a compreender, de um ponto de vista interdisciplinar, se as anteras rostradas representam um mecanismo que potencializa a restrição ao consumo de pólen em anteras poricidas. Tal condição pode servir como um excelente exemplo de como atributos morfológicos são moldados em resposta a pressão seletiva pela economia de gametas, particularmente em sistemas onde os grãos de pólen são os únicos recursos ofertados, como na maioria das Melastomataceae.
  • Universidade Federal de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula de Souza Faloni

Ciências da Saúde

Odontologia
  • avaliação in vivo da influência do trauma cirúrgico em sítios ósseos distintos após tratamento com antirreabsortivos
  • Medicamentos antirreabsortivos utilizados no tratamento da osteoporose e de outras patologias ósseas tem sido associados à osteonecrose nos maxilares, enquanto os demais ossos raramente são afetados. Considerando que a ocorrência da osteonecrose nos maxilares pode estar relacionada à procedimentos cirúrgicos odontológicos e levando em conta também que osteoclastos de sítios ósseos distintos podem diferir entre si, o propósito do presente estudo consistirá em avaliar a influência do trauma cirúrgico em osteoclastos de sítios ósseos distintos (maxila e tíbia) após o tratamento com três diferentes agentes antirreabsortivos (odanacatibe, denosumabe e alendronato de sódio). Para isto, 56 camundongos serão aleatoriamente divididos em 4 grupos experimentais: odanacatibe (GOdn), denosumabe (GDen), alendronato de sódio (GAle) e veículo (GVeh). No GOdn os animais receberão 3,6 mg/kg do inibidor seletivo de catepsina K – odanacatibe, 1 vez/semana, por gavagem. Os animais do GDen receberão injeção subcutânea de 10 mg/kg do inibidor de RANKL (denosumabe), duas vezes por semana. No GAle os animais serão tratados com 1mg/kg de alendronato de sódio, por via subcutânea, uma vez por semana. No GVeh, os animais receberão apenas o veículo de diluição dos medicamentos (solução salina fisiológica - cloreto de sódio 0,9%), por via subcutânea, duas vezes por semana. Os medicamentos ou o veículo de diluição dos mesmos serão administrados durante 8 semanas. Após esse período, serão promovidos traumas cirúrgicos na maxila e na tíbia. Na maxila será realizada a extração dos primeiros molares superiores, enquanto na tíbia será confeccionado um defeito de 1 mm de diâmetro. Três e 28 dias após as cirurgias, 7 animais de cada grupo serão submetidos à eutanásia e os fragmentos de maxila e tíbia serão fixados por 48 horas. Em seguida, serão lavados em água corrente para análise visual da ocorrência de osteonecrose. As amostras serão, então, descalcificas em solução de EDTA 7% durante cerca de 60 dias e processadas para inclusão em parafina. Cortes corados com Hematoxilina e Eosina serão utilizados para análise morfológica. A partir de cortes submetidos à histoquímica para a enzima TRAP (marcador de osteoclastos) serão realizadas a quantificação do número de células TRAP-positivas, a mensuração da superfície linear das lacunas de reabsorção e da área dos osteoclastos TRAP-positivos, além da quantificação do seu número de núcleos. Serão realizadas também reações imuno-histoquímicas para detecção de RANKL e OPG, (associados à formação, atividade e sobrevivência de osteoclastos), catepsina K (proteína associada à degradação da matriz óssea por osteoclastos) e de caspase-3 clivada (expressa por células em processo irreversível de apoptose). O qPCR será utilizado para análise da expressão gênica de c-FMS, M-CSF, NFATc-1 e DC-STAMP (associados à formação de osteoclastos), além de RANKL e OPG. Os dados obtidos serão submetidos à analise estatística, considerando-se p<0,05.
  • Universidade de Araraquara - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Del Vesco

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • epigenética transgeracional sobre a imunidade inata, capacidade antioxidante e desempenho de frangos de corte
  • Acredita-se que uma das maneiras de o ambiente exercer influência sobre a expressão gênica seja através dos mecanismos epigenéticos de regulação gênica. A forma como os mecanismos epigenéticos são transferidos para as gerações seguintes, a epigenética transgeracional, tem se tornado uma área promissora por atuar na compreensão da variação das respostas fisiológicas dos indivíduos ao meio ambiente, bem como a herança genética destas respostas. Estes processos são baseados em todos os mecanismos que não aqueles relacionados a variações na sequência de DNA. A epigenética transgeracional é o fenômeno pelo qual a informação do ambiente parental, geralmente materno, é traduzida em respostas de memória que prepararão a progênie para seu próprio ambiente. Como consequência, os indivíduos da próxima geração podem mostrar características fenotípicas diferentes, dependendo se as suas mães foram mantidas sob diferentes condições ambientais. Sendo assim, esse projeto visa obter maiores informaçoes a respeito de como o ambiente materno pode influenciar na capacidade antioxidante, imunidade inata, e desempenho de frangos de corte filhos de matrizes submetidas a diferentes condições experimentais: Experimento 1- EFEITO DA TEMPERATURA NO AMBIENTE MATERNO SOBRE A CAPACIDADE ANTIOXIDANTE DE FRANGOS DE CORTE SUBMETIDOS AO ESTRESSE TÉRMICO; Experimento 2- TRANSFERÊNCIA DA MEMÓRIA IMUNE DE MATRIZES SOB RESTRIÇÃO ALIMENTAR PARA A PROGÊNIE SUBMETIDA AO ESTRESSE TÉRMICO APÓS O NASCIMENTO; e Experimento 3- TRANSFERÊNCIA DA MEMÓRIA ALIMENTAR: EPIGENÉTICA TRANSGERACIONAL SOBRE O COSUMO DE RAÇÃO, ABSORÇÃO INTESTINAL E DEPOSIÇÃO PROTEICA EM FRANGOS DE CORTE.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Dias Turetta

Outra

Ciências Ambientais
  • avaliação do impacto de práticas rurais sustentáveis na segurança alimentar, hídrica e energética do entorno do reservatório de ribeirão das lajes – rj
  • Estima-se que a população mundial será de 8,3 bilhões de pessoas em 2030, pressionando ainda mais as fontes de energia, água, alimentos, e o uso da terra e extração mineral, sobretudo no mundo em desenvolvimento. A agricultura precisará produzir globalmente 60% a mais de alimentos, e 100% a mais nos países em desenvolvimento até 2050. Essas estimativas indicam a necessidade imediata de adoção de intervenções capazes de minimizar esses impactos. Muito se fala em sustentabilidade mas ainda é raro a disponibilização de resultados de avaliações integradas em diversos temas. Quando se considera a avaliação integrada Nexus Alimento-Água-Energia (A-A-E), esse fato é ainda mais desafiador. Considerando a relevância do setor agrícola no Brasil e a concentração de áreas em diferentes estágios de degradação em zonas rurais, esse setor torna-se estratégico para intervenções que possam gerar benefícios socioeconômicos e ambientais e impactos positivos ao tripé A-A-E. Dessa forma, a presente proposta terá como área de estudo o entorno da represa de Ribeirão das Lajes (RJ), onde será desenvolvida uma abordagem metodológica que gerará uma ferramenta de avaliação integrada de práticas rurais conservacionistas na abordagem Nexus A-A-E. Será apresentado como resultado, um portfólio com as práticas mais indicadas para a área de estudo, validado por stakeholders. Esse portfólio tem um caráter inovador uma vez que poderá ser utilizado imediatamente pelos tomadores de decisão locais e, assim, beneficiar de forma direta a sociedade. Destaca-se que os riscos dessa proposta serão minimizados uma vez que a mesma conta com o apoio de redes de pesquisa e parcerias institucionais já estabelecidas.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 05/12/2017-31/12/2020
Foto de perfil

Ana Paula Drummond Rodrigues de Farias

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • desenvolvimento de membranas poliméricas contendo nanopartículas de prata para associação de fármacos e aplicação no tratamento de doenças
  • Os avanços na interação entre a nanotecnologia e a liberação controlada de fármacos vem apresentando um crescimento no desenvolvimento de estratégias para o tratamento de diversas doenças infecciosas que acometem milhões de pessoas em todo o mundo, tal como as leishmanioses, doença de Chagas, toxoplasmose, malária, entre outras causadas por agentes patogênicos. Desta forma, o objetivo deste estudo é avaliar os efeitos in vitro das bionanoparticulas de prata (AgNPs) produzidas a partir do cultivo de fungos dos gêneros Aspergillus e Fusarium por biossíntese extracelular e, ainda, sua interação com os polímeros poliuretano e polivinilpirrolidona (PVP), para posterior incorporação de fármacos já utilizados no tratamento de doenças infecciosas. Para determinar o melhor biofilme polimérico, primeiramente será realizada a caracterização das partículas e dos biofilmes por microscopia eletrônica de transmissão (TEM), microscopia eletrônica de varredura (MEV), espectroscopia infravermelho transformada de Fourier (FTIR), espectroscopia de energia dispersiva (EDS) e difração de raios X (XRD), e posteriormente, serão utilizados modelos biológicos para determinar a atividade de cada um dos biofilmes produzidos, tendo como modelo experimental de doença infecciosa, as leishmanioses (Leishmania amazonensis e Leishmania braziliensis). Portanto, neste estudo será feito o uso de técnicas de nanotecnologia com a finalidade de se obter uma compatibilidade ótima entre a AgNPs e seu revestimento com polímeros, afim de obter as seguintes características: menor citotoxicidade, e melhoramento da dispersão de fármacos, para aplicações biomédicas. Além disso, estes compostos serão passíveis de serem modificados com outras macromoléculas o que permitirá sua melhor atuação sobre doenças infecciosas como leishmanioses.
  • Instituto Evandro Chagas - PA - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Farina

Ciências da Saúde

Odontologia
  • biomodificação do colágeno por meio de substância rica em proantocianidinas e longevidade de restaurações adesivas
  • O extrato de semente de uva (GSE) é um agente natural e não tóxico que permite criar novas ligações cruzadas no colágeno e reduzir suas taxas de biodegradação podendo estabilizar restaurações adesivas ao longo do tempo. Dessa forma, o objetivo deste estudo será avaliar o módulo de elasticidade da matriz de colágeno tratada com diferentes concentrações de GSE e a longevidade das restaurações adesivas coronárias e radiculares. A hipótese proposta é que o uso do GSE melhoa as propriedades biomecânicas do colágeno dentinário e consequentemente aumenta a resistência de união imediata e à longo prazo de restaurações adesivas. Para isto, o estudo será dividido em 4 métodos: 1) avaliar o módulo de elasticidade do colágeno (sem a parte mineral) no grupo controle (sem GSE) e nos grupos com diferentes concentrações do GSE (30, 50 e 70%). A mensurações do módulo de elasticidade será realizada após obtenção dos dados do baseline, imediatamente após o tratamento, 3, 6 e 12 e 24 meses; os resultados expressos em MPa; 2) analisar a resistência de união (push out) de pinos de fibra de vidro reembasados com resina composta à dentina radicular tratada com GSE (30, 50 e 70%) e não tratada (controle). Os pinos serão cimentados com cimento RelyX U200 (autoadesivo) e RelyX Ultimate com dois sistemas adesivos (Scotch Bond Multipurpose e Single Bond Universal). O teste de push out será avaliado imediatamente e após 24 meses de armazenamento; 3) analisar a resistência de união (microtração) em dentina coronária, através dos mesmos sitemas adesivos/substâncias/tempos descritos no teste anterior; 4) avaliar a penetração dos materiais adesivos à dentina radicular e coronária com e sem o uso do GSE nas diferentes concentração citadas acima por meio de microsopia confocal e eletrônica de varredura. Os dados de todos os testes serão tabulados e analisados estatisticamente. Se os dados apresentarem normalidade serão avaliados pelos testes de ANOVA e o teste complementar de Tukey.
  • Universidade de Passo Fundo - RS - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Folmer Correa

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • peptídeos bioativos de subprodutos da indústria pesqueira da amazônia
  • Entre as diversas atividades econômicas que causam impactos ao meio ambiente destaca-se o setor pesqueiro. Esta atividade apresenta uma grande geração de resíduos em todas as etapas do seu processo produtivo, desde a captura até a comercialização do pescado. Este fato torna necessárias alternativas para o reaproveitamento dos resíduos gerados pela indústria do pescado, que é rico em proteínas e pode proporcionar produtos de valor para a indústria. Os consumidores estão cada vez mais à procura de alimentos minimamente processados e/ou com propriedades funcionais e que possuam longo tempo de prateleira, porém preparados sem a adição de conservantes químicos, o que leva as indústrias e instituições de pesquisa a buscar novas tecnologias de conservação e processamento. Uma das alternativas para aumentar a segurança e o tempo de prateleira dos alimentos é a bioconservação, na qual uma microbiota protetora e/ou peptídeos bioativos são aplicados. Tais agentes também vêm sendo investigados quanto à produção de alimentos funcionais. Nesse projeto de pesquisa, o resíduo gerado pela indústria pesqueira será hidrolisado através da utilização de duas enzimas, uma comercial (alcalase) e outra obtida a partir da bactéria Bacillus sp. P7, que integra a coleção de micro-organismos do Instituto de Ciência e Tecnologia de Alimentos da UFRGS. Esse resíduo também será avaliado quanto à atividade antioxidante e antibacteriana. A partir destes dados, poderá haver a possibilidade de aplicação destes peptídeos bioativos nas áreas de ciência e tecnologia de alimentos e nutrição, assim como, aumentar potencialmente o valor nutricional, a vida de prateleira e a segurança de produtos alimentícios, além de contribuir com o desenvolvimento de alimentos funcionais.
  • Universidade Federal de Roraima - RR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula Fortuna Perez

Ciências Biológicas

Botânica
  • estudos taxonômicos, filogenéticos e biogeográficos no gênero eriosema (dc.) desv. (leguminosae, papilionoideae, phaseoleae)
  • Eriosema (DC.) Desv. possui distribuição pantropical, apresentando dois principais centros de diversidade para as cerca de 150 espécies, um na África e outro nas Américas, onde é registrada a ocorrência de 38 espécies, das quais 30 ocorrem no Brasil. Está incluído subtribo Cajaninae (Phaseoleae), que tem sido considerada monofilética nas filogenias atuais, apesar da baixa amostragem. Em contraposição, pouco se sabe sobre as relações interespecíficas em Eriosema e até mesmo sobre sua precisa distinção com Rhynchosia, gênero mais relacionado filogeneticamente. Os poucos trabalhos filogenéticos existentes com estes gêneros não amostram mais do que duas espécies, fato este que não esclarece a monofilia deles. A distinção entre estes dois gêneros é, basicamente, a localização do ponto de inserção do funículo da semente em relação ao hilo, sendo terminal em Eriosema e central, subcentral ou terminal em Rhynchosia. Eriosema é uniforme morfologicamente, dificultando a delimitação das espécies, que são circunscritas principalmente por caracteres foliares, que podem ser variáveis de acordo com condições ambientais. O mais recente tratamento taxonômico do gênero foi publicado por Grear em 1970, que tratou apenas as espécies americanas. Considerando a riqueza de táxons de Eriosema existentes no Brasil, a pouca descontinuidade entre os caracteres diagnósticos infragenéricos, a escassez de estudos taxonômicos recentes deste gênero, e o pouco conhecimento sobre as relações filogenéticas em Cajaninae, especialmente de Eriosema com Rhynchosia, este estudo tem por objetivos: realizar um estudo taxonômico das espécies de Eriosema ocorrentes no Brasil; testar o monofiletismo do gênero Eriosema; esclarecer a delimitação de Eriosema com membros de Cajaninae, especialmente com Rhynchosia; estudar a filogenia no intuito de verificar as relações interespecíficas; propor, se pertinente, uma classificação infragenérica para Eriosema de acordo com os padrões filogenéticos observados; determinar tempo de diversificação e compreender a história biogeográfica do gênero; e reconstruir estados ancestrais baseados principalmente nas estruturas secretoras que são peculiares à Eriosema e representantes de Cajaninae.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Furlan

Engenharias

Engenharia Civil
  • contribuição ao estudo do comportamento à deformação permanente e à fadiga de misturas solo-agregado e solo-agregado-cimento
  • A estabilização de solos é um recurso muito utilizado no melhoramento das características e propriedades de materiais geotécnicos para aplicação em pavimentos. Dentre as misturas estabilizadas física e quimicamente utilizadas como camadas de base ou subbase de pavimentos, a mistura solo-agregado-cimento pode ser uma opção interessante para garantir comportamento mecânico equiparado a misturas já consagradas, a custos menores econômica e ambientalmente. No entanto, apesar de muito praticada, estudos sobre essa mistura ainda são escassos, principalmente no que tange ao método de dosagem e ao seu comportamento ao longo do tempo de cura. Desta forma, esta pesquisa experimental busca compreender o material de solo-agregado-cimento, observando seu comportamento mecânico.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula Girol

Ciências Biológicas

Morfologia
  • avaliação da proteína anti-inflamatória anexina a1 em administrações preventiva e terapêutica na uveíte autoimune experimental
  • A uveíte está associada a várias doenças autoimunes e é uma das principais causas da cegueira no mundo. Embora existam diferentes fármacos aplicados no tratamento da uveíte, os efeitos colaterais desses medicamentos limitam seus usos e estimulam a busca por novas alternativas terapêuticas. Nos últimos anos, o papel da proteína anti-inflamatória anexina A1 (AnxA1) nos processos inflamatórios oculares tem sido investigado em estudos in vivo e in vitro e apontam a AnxA1 como um dos mediadores essenciais na homeostasia do processo inflamatório. Recentemente, o mecanismo de ação e o uso potencial da AnxA1 e do peptídeo mimético Ac2-26 foram demonstrados na uveíte induzida por endotoxina em roedores e nas células ARPE-19 ativadas pelo lipopolissacarídeo e mostraram que a AnxA1 interage com o receptor para peptídeos formilados (fpr2) para inibir o processo inflamatório. Diante dessas considerações e devido ao fato de não existirem estudos sobre a ação da AnxA1 na uveíte autoimune, o objetivo desse trabalho será investigar, in vivo, no modelo de uveíte autoimune experimental (EAU), a expressão da proteína endógena AnxA1 e sua interação com o receptor fpr2 nos tecidos oculares, bem como, o possível efeito anti-inflamatório da administração do Ac2-26, em protocolos de prevenção e terapêutico, nessa condição experimental. Para a realização do trabalho serão usados ratos machos da linhagem Wistar (150 a 200g), divididos em quatro grupos (n=10/grupo). A EAU será desenvolvida pela inoculação, na pata direita dos animais, de 100 µg de IRBP bovina em 100 µl de emulsão de adjuvante completo de Freund. Simultaneamente, uma injecção intraperitoneal (i.p.) contendo 0,5 µg da toxina purificada de Bordetella pertussis em 100 µl PBS será administrada como um adjuvante adicional. A eficácia do tratamento com o Ac2-26 será testada por meio da administração i.p. de 200 µg do peptídeo em 200 µl de PBS em 2 grupos EAU. Os animais serão tratados diariamente, do dia 1 até o dia 13 pós-imunização (protocolo de prevenção) e do dia 8 até o dia 13 pós-imunização (protocolo terapêutico). Os animais EAU, tratados ou não, serão sacrificados 14 dias pós-imunização, por dose excessiva de anestésico. Animais sem manipulação serão usados como controle. A severidade da EUA será avaliada clinicamente, por meio da biomicroscopia, diariamente em todos os grupos, a partir do dia 2 pós-imunização até o final do experimento. Após eutanásia, os leucócitos serão quantificados no humor aquoso e serão realizadas análises histopatológicas de olhos esquerdos incluídos em parafina. O método imuno-histoquímico será realizado para verificar a expressão da proteína AnxA1, receptor fpr2 e enzima ciclo-oxigenase-2 (COX-2) e quantificar os macrófagos (ED-1). Os sobrenadantes dos olhos direitos, após maceração, serão usados para as dosagens de proteínas totais pelo método de Bradford, dos mediadores químicos pró-inflamatórios (fator de necrose tumoral-α, interferom-γ, interleucina (IL)-2 e proteína quimiotática para monócitos-1) e anti-inflamatórios (IL-4, IL-10) pelo sistema MAGPIX e expressão da proteína AnxA1 e receptor fpr2 por Western blotting. A significância dos resultados será avaliada estatisticamente. O estudo da proteína AnxA1 na EAU será extremamente importante, complementando os estudos anteriores na busca do entendimento do mecanismo de ação da proteína na modulação do processo inflamatório ocular e, ainda, poderá incluir a AnxA1 como potencial agente preventivo e/ou terapêutico na uveíte não infecciosa.
  • Centro Universitário Padre Albino - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Grotti Clemente

Ciências da Saúde

Nutrição
  • impacto da fortificação da alimentação infantil com micronutrientes em pó na anemia em crianças matriculadas em creches/pré-escolas brasileiras: estudo multicêntrico longitudinal de duas coortes
  • A anemia por deficiência de ferro tem uma das maiores cargas documentadas de doenças dentre as carências de micronutrientes, sendo esta estabelecida como o desvio nutricional mais comum do mundo. No Brasil, dados do último levantamento nacional realizado há 13 anos, a anemia afetava 20,9% das crianças menores de 5 anos. A Estratégia de fortificação da alimentação infantil com micronutrientes em pó – NutriSUS, recomendada pela OMS e mundialmente utilizada, foi implementada recentemente no Brasil como política pública de combate às carências nutricionais específicas junto às creches/pré-escolas pertencentes ao Programa Saúde na Escola – PSE. Dessa maneira, o objetivo deste estudo é avaliar a efetividade da Estratégia de Fortificação da Alimentação Infantil com Micronutrientes (vitaminas e minerais) em Pó – NutriSUS na prevenção da anemia e na deficiência de ferro em crianças de 06 - 48 meses de idade matriculadas em creches/pré-escolas públicas ou conveniadas ao poder público, em cinco cidades, uma de cada macrorregião brasileira. Trata-se de estudo multicêntrico longitudinal com o acompanhamento de duas coortes, uma de crianças matriculadas em creches/pré-escolas que recebem o NutriSUS e outra de crianças matriculadas em creches/pré-escolas públicas ou conveniadas ao poder público que não aderiram a tal estratégia, a ser realizado em cinco cidades brasileira com representatividade de cada macrorregião do país (Região nordeste: Maceió/AL, Região norte: Rio Branco/AC, Região Sudeste: Nova Ponte/MG, Região Centro-Oeste: Aquidauana/MS e Região Sul: Pinhais/PR). A amostra será composta por 912 crianças, totalizando 456 em cada grupo de estudo. A coleta de dados acontecerá em dois momentos: antes do primeiro ciclo e após o segundo ciclo do NutriSUS. A partir de questionários padronizados serão coletados dados: sociodemográficos, participação no PNSF e PNVITA a ser verificado na Caderneta de Saúde da Criança, aplicado a Classificação Econômica Brasil (CCEB) e a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA). As crianças passarão por avaliação antropométrica (peso e altura) e bioquímica para diagnóstico de anemia e das reservas orgânicas de ferro, retinol sérico (vitamina A) e infecção (hemoglobina, ferro sérico, ferritina, retinol sérico e proteína C reativa ultrassensível). Também será avaliado o consumo alimentar por meio da aplicação de registro alimentar de dois dias não consecutivos. Ao final do estudo, a aceitação ao programa será verificada através da aplicação de questionário aos funcionários das creches/pré-escolas responsáveis pela administração da fortificação e oferta dos alimentos as crianças e aos coordenadores municipais e estaduais responsáveis pela estratégia NutriSUS. Os dados serão digitados em dupla entrada no programa Epi-Info 6.04 e analisados com o auxílio do software Stata com nível de significância fixado em 5%. Visto posto, o presente projeto visa uma avaliação inédita, através de um estudo multicêntrico com representatividade das cinco regiões brasileiras, da efetividade do NutriSUS na prevenção da anemia e na deficiência de ferro em crianças de 6-48 meses de idade matriculadas em creches/pré-escolas que aderiram a esta Estratégia, o que o torna de extrema importância social e científica, considerando os recursos investidos para este fim, uma vez que trata-se de uma política pública aplicada nacionalmente, e principalmente, o grande impacto que a anemia traz a saúde da população.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 07/01/2020-31/01/2022
Foto de perfil

Ana Paula Guedes Frazzon

Outra

Ciências Ambientais
  • microbioma, resistência aos antimicrobianos e isolamentos de enterococos de fezes de animais selvagens e de cativeiro
  • A fauna do Brasil possui uma das maiores diversidade em espécies de animais aquáticos e terrestre. Na Zona Costeira do Rio Grande do Sul há registros de diversas espécies de animais marinhos, como lobos-marinhos-sul-americanos (Arctocephalus australis), lobos-marinhos-subantárticos (Arctocephalus tropicalis), pinguim-de-magalhães (Spheniscus magellanicus) e tartarugas marinhas (Eretmochelys imbricata e Chelonia mydas). Já nas matas do Rio Grande do Sul são encontradas diversas espécies de animais selvagens como o macaco-prego (Sapajus nigritus), as borboletas castanha-vermelha (Heliconius erato phyllis), os sapos da barriga vermelha (Melanophryniscus macrogranulosus) e os graxains-do-campo (Lycalopex gymnocercus). Todos estes animais merecem nossa atenção e cuidado, pois grande parte deles está ameaçada de extinção, e outros são espécies raras. As fragmentações das matas, a poluição, a perda de habitats e a proximidade com os homens podem ser consideradas como os fatores negativos para a conservação dos animais selvagens. A contaminação das águas e solo com efluentes urbanos é uma forma de disseminar antibióticos e/ou bactérias resistentes de forma a contaminar os animais que habitam esses ambientes. Como consequência, estas modificações ambientais interferem no equilíbrio hospedeiro-microrganismo. A identificação dos milhões de microrganismos que estão presentes no hospedeiro é definida como microbioma, e a composição e, consequentemente, o funcionamento do microbioma, pode sofrer influências de diferentes fatores: ambiente, alimentação, uso de antibióticos, doenças, senescência, entre outros. Entre os microrganismos que compõe microbioma intestinal dos animais destaca-se o gênero Enterococcus spp. Este gênero é considerado sentinela em relação ao impacto do ser humano na natureza, podendo, por exemplo, servir para avaliar para avaliar os efeitos antropogênicos no ambiente. Sob essa perspectiva, alguns agentes biológicos isolados a partir de animais poderiam ser utilizados como indicadores de perturbação do ecossistema. Sem dúvida, uma importante chave para a ampla distribuição do gênero Enterococcus spp. na natureza e a sua capacidade de suportar uma variedade de condições ambientais. Algumas espécies de enterococos vêm recebendo atenção, devido ao aumento na frequência de resistências aos antimicrobianos, principalmente em infecções nosocomiais. O resistoma, por outro lado, avalia todos os genes de resistência encontrados em bactérias. A resistência aos antibióticos é reconhecida como um sério risco para a saúde pública que continuamente preocupa e desafia a comunidade científica. Em ambiente hospitalar, os mecanismos de disseminação da resistência são bem conhecidos e documentados, entretanto muito pouco ou até mesmo insuficiente informação sobre a disseminação e aquisição de determinantes de resistência, em outros nichos ecológicos, como as comunidades bacterianas que habitam a fauna selvagem, parte da qual em risco de extinção. Esta situação torna-se demasiadamente preocupante no momento em que, são encontradas bactérias comensais resistência aos antimicrobianos em populações de animais selvagens. A caracterização do microbioma, dos genes de resistência e análise de bactérias sentinelas são fundamentais no avanço da compreensão da relação hospedeiros, microrganismos e ações antropogênicas. Nesse sentido, a presente proposta estrutura-se em quatro subprojetos: I) Estudar a microbiota bacteriana intestinal dos animais selvagens capturados nas matas fragmentadas e de cativeiro; II) Avaliar a presença de genes de resistência de importância clínica humana e veterinária nas fezes de animais selvagens e de cativeiro; III) Estudar a disseminação da resistência aos antimicrobianos nos enterococos isolados das fezes de animais selvagens de vida livre capturados nas matas fragmentadas e de cativeiro; e IV) Determinar a relação clonal entre os enterococos isolados de animais selvagens e cativeiro com cepas patogênicas isoladas de humanos.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022