Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Aldiéris Alves Pesqueira

Ciências da Saúde

Odontologia
  • efeito de diferentes protocolos de polimento e repolimento de consultório (intra-oral) nas propriedades físicas-químicas, mecânicas e biológicas (formação de biofilme) de cerâmica para o sistema cad/cam após simulação in vitro de 3 e 6 anos de uso clínico
  • O melhor método para atingir uma superfície lisa das cerâmicas odontológicas é uma questão de controvérsia, devido à falta de um protocolo estabelecido na literatura. Atualmente, há o questionamento se os kits de polimento para consultório resultam em um acabamento e polimento superior ou semelhante ao obtido com o glaze, sendo esta questão de suma importância. Principalmente para restaurações realizadas por meio do sistema CAD/CAM em consultório, onde cirurgião-dentista fica encarregado do acabamento final e polimento das mesmas, que pode ser realizado antes e após a cimentação. Dessa forma, o presente estudo terá como objetivo avaliar as características físicas, químicas, mecânicas e biológicas (formação de biofilme) da cerâmica de dissilicato de lítio para sistema CAD/CAM, submetida a diferentes protocolos de polimento e após diferentes ciclos de envelhecimento térmico com e sem repolimento. Serão confeccionados 204 espécimes de dimensões 14x4x1,2mm para os ensaios físico-mecânicos e 63 espécimes de dimensões 10x10x1,5mm para os ensaios biológicos, divididos em 07 grupos de acordo com os polimentos realizados em suas superfícies e ciclos de ciclagem térmica (CT). Três sistemas de polimento serão avaliados: (Glaze, Kit de polimento Ceramisté (Shofu) e Kit de polimento OptraFine (Ivoclar)); envelhecidos por meio de diferentes testes: T0 - armazenamento em água destilada por 24 horas (Controle); T1 - após 21.900 ciclos de 5 e 55oC por 30 segundos de CT; T2 - após 43.800 ciclos de CT e T3 - após 21.900 ciclos de CT + repolimento dos espécimes + 21.900 ciclos de CT. Serão consideradas 7 variáveis de resposta: (1) topografia superficial, (2) resistência flexural, (3) módulo de elasticidade, (4) quantificação de células cultiváveis (CFUs) do biofilme, (5) quantificação de biomassa total (CV) do biofilme, (6) atividade metabólica das células do biofilme (XTT) e (7) estrutura do biofilme (MEV). Os dados quantitativos serão submetidos à análise estatística mais apropriada com nível de significância de 5%.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Aldina Maria Prado Barral

Ciências da Saúde

Medicina
  • ferramentas simples para diagnóstico e prognóstico da covid-19 no sus utilizando sintomas e saturação de oxigênio
  • Investigaremos as características clínicas dos pacientes com COVID-19 para desenvolver escores simples de diagnóstico e prognóstico para apoio na triagem dos pacientes com sintomas respiratórios e para orientar o prognóstico. Essas ferramentas serão para ampla utilização no SUS mesmo após curva inicial da epidemia, com a qual deveremos lidar por pelo menos mais dois anos. Aplicaremos métodos modernos e robustos de análise de dados, como rede neural e aprendizado de máquina (machine learning), para criar ferramentas clínicas precisas, repetindo estratégias de sucesso desenvolvidas pela nossa equipe e por outros pesquisadores, em síndromes febris virais. Tal estratégia é de grande importância considerando a rapidez como a COVID-19 propagou-se no mundo, impondo desafios especialmente para identificação precoce dos doentes e, entre esses, daqueles que necessitarão de internamento hospitalar. O diagnóstico laboratorial por PCR para identificar a infecção nos primeiros dias não está sendo realizado em massa pela escassez de kits para detecção molecular e necessidade de equipamento sofisticado. Por outro lado, os testes sorológicos disponíveis atualmente têm melhor desempenho após a segunda semana de sintomas, com pouca vantagem como estratégia para evitar disseminação do vírus. Adicionalmente, afora os fatores de risco de mortalidade, não é possível identificar precocemente o perfil clínico dos casos que irão necessitar de cuidados hospitalares. Para diagnóstico rápido e prognóstico de internamento é preciso criar ferramentas de vigilância que envolvam aspectos clínicos iniciais da doença. Essas ferramentas são factíveis considerando que, embora muitos sintomas de COVID-19 se assemelham a de outros quadros virais, há peculiaridades na apresentação clínica, como as alterações de olfato e de paladar. Com início precoce (em média 4 dias), essas alterações sensoriais foram descritas entre 45% a 86% dos casos de COVID-19, com alta especificidade, por tratar-se de sintomas incomuns em outras viroses. A associação dessas alterações sensoriais com outros sintomas da frequentes de COVID-19 infecção resultará em um escore diagnóstico de boa acurácia. Na avaliação de marcadores de prognóstico, além dos sintomas pretendemos analisar a taxa de oxigenação do sangue utilizando oximetria de pulso, uma medida indireta e simples para acessar a função pulmonar que tem sido utilizada em outros modelos de predição de infecção respiratória. Pretendemos realizar um estudo com 1200 pacientes testados para SARS-CoV-2 e outras viroses por PCR e/ou sorologia, aplicando questionário em dois momentos nos primeiros 30 dias de sintomas. Serão investigados presença e duração da manifestação clínica, condições coexistentes, uso de medicamentos, valor da oximetria e internamento hospitalar relacionado a COVID-19. Adicionalmente, em um grupo de pacientes positivos, pretendemos caracterizar e confirmar as queixas de alterações de olfato e paladar utilizando testes específicos. As características clínicas serão analisadas por árvore de decisão e análise multivariadas para derivação dos escores clínicos de risco de infecção e de internamento. Os escores serão derivados e validados em populações de diferentes estados e submetidas ao mesmo protocolo de avaliação. Os produtos desse estudo, duas ferramentas clínicas simples, de fácil utilização e aplicação sem custo adicional ao sistema de saúde, poderão ser utilizadas no contexto do SUS pela equipe de saúde de atenção primária. Esses escores serão especialmente úteis no período pós-epidemia considerando a necessidade de criar prioridades de atenção à saúde e de vigilância de novos surtos da doença num cenário de a escassez de recursos financeiros.
  • Fundação Oswaldo Cruz - BA - Brasil
  • 17/08/2020-16/09/2022
Foto de perfil

Aldina Maria Prado Barral

Ciências da Saúde

Medicina
  • identificação de biomarcadores e desenvolvimento de teste molecular de prognóstico para artropatia crônica pós-chikungunya.
  • A doença Chikungunya (CHIKD) é uma infecção causada por um alfavirus artritogênico, transmitido pelo Aedes aegypti, com alta capacidade de expansão geográfica e potencial de causar epidemias em larga escala. O Brasil vem notificando números crescentes da doença, que caracteriza-se como bifásica, com sintomas agudos de febre, artralgia, edema articular que podem evoluir para reumatismo inflamatório (semelhante a artrite reumatóide) e manifestações musculoesqueléticas crônicas em cerca de 14,4 a 87,2%. Na fase crônica, que pode durar anos, a artralgia incapacitante e o agravamento de doenças de base aumentam a demanda por assistência à saúde e os custos com absenteismo, causando impacto social e econômico significativo. Sugere-se que idade avançada, presença de artropatia prévia e comorbidades podem aumentar o risco de cronicidade. Entretanto, não se conhecem marcadores de progressão ou de resolução da doença, o que dificulta as ações preventivas de saúde, vigilância e o manejo clínico. Nesse estudo, pretendemos identificar e validar um painel de biomarcadores de prognóstico da CHIKD. Serão avaliados dados clínicos e amostras previamente obtidos de pacientes da Bahia e do Ceará com PCR positivo para CHIKV e PCR ou sorologia negativas para DENV e ZIKAV, além de 10 voluntários normais. Após 12 meses do início dos sintomas, será realizada avaliação clínica e classificação dos casos em: A - artopatia crônica pós- CHIKD, e B - resolução da doença. O estudo será realizado em duas fases. Na Fase 1. Seleção dos biomarcadores. A partir da coorte de 49 pacientes da Bahia serão selecionados 20 casos classificados como A e 20 com características de B. Examinaremos no soro a presença de proteínas marcadoras de doença reumatológica crônica (auto-anticorpos e complemento). Também avaliaremos por RNAsec do sangue total, a presença transcritos relacionados a resposta imune. Após análise de bioinformatica, será identificada uma assinatura molecular da artropatia crônica pós-CHIKD. Fase 2. Validação dos biomarcadores. O painel identificado na fase 1 será validado na coorte de 27 pacientes do Ceará, onde serão selecionados 10 casos classificados como A e 10 como B. Proteínas e RNA serão quantificados por ELISA e RT-qPCR, respectivamente. Será então proposto um protótipo do kit de prognóstico de CHIKD baseado no painel de biomarcadores validados, com análise de potencial tecnológico e econômico. A obtenção desse produto preencherá uma lacuna na avaliação laboratorial dos casos de CHIKD. A identificação precoce dos casos de CHIKD que irão necessitar de atendimento especializado por longos períodos permitirá traçar estratégias para cuidado médico e adequar as politicas de saúde para uma demanda conhecida, reduzindo o impacto da CHIKD sobre o sistema de saúde.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 30/11/2017-30/11/2020
Foto de perfil

Aldo Ângelo Moreira Lima

Ciências da Saúde

Medicina
  • matriz de cartões taqman e cromatografia líquida acoplada a espectrometria de massas aplicadas ao controle e profilaxia de resistência aos antimicrobianos em bactérias gram-negativas no hospital universitário em fortaleza, ce, brasil
  • Este estudo irá desenvolver e inovar novos métodos moleculares para o controle e combate em isolados amostrais de bactérias Gram-negativas (GNB) adquiridas na unidade de terapia intensiva (UTI) e resistentes aos antimicrobianos beta-lactâmicos e fluoroquinolonas em uso no Hospital Universitário em Fortaleza, CE, Brasil. Métodos: Amostras adquiridas na UTI serão utilizadas para culturas automatizadas para GNBs e os isolados serão utilizados para os testes de susceptibilidade aos antimicrobianos (MIC) por micro diluição em caldo de cultura utilizando técnicas do Instituto de Padrões Clínicos e Laboratoriais (CLSI) no período de 2019-2021. As GNBs isoladas e com fenótipos de resistências em Acinetobacter baumannii, Klebsiella spp., Pseudomonas aeruginosa, Escherichia coli e Enterobacter spp. serão examinadas quanto aos genótipos dos genes de resistências para os beta-lactâmicos, incluindo penicilinas, cefalosporinas, monobactâmicos, carbapenemas, e fluoroquinolonas utilizando da tecnologia inovadora de Placa de Micro-Ensaio TaqMan, que pode identificar e quantificar, simultaneamente, a expressão de pelo menos 48 genes de resistência por PCR em tempo real. As linhagens clonais destas cepas de bactérias serão realizadas através da técnica de tipagem de sequência multilocus (MLST). Além disso, os plasmídeos serão analisados por ensaios de conjugação e tipagem de replicações baseados em PCR e sequenciamento. Em adição, temos a intenção de identificar e quantificar as expressões das principais proteínas de resistências através da cromatografia líquida acoplada ao espectro de massas (LC-MS/MS). Todos estes métodos permitirão, na prática, reduzir o tempo dos diagnósticos, caracterizar os fenótipos moleculares e ampliar os conhecimentos qualitativos e quantitativos dos genes e das expressões proteicas relacionadas aos mecanismos de resistências aos antimicrobianos com alta sensibilidade, especificidade e acurácia. Resultados: Antecipamos que estas metodologias integradas irão ajudar nas práticas da vigilância ativa das infecções intra-hospitalares com melhor custo-benefício, fornecendo informações atualizadas e relevantes para o monitoramento de adequações diretrizes terapêuticas, formulários de antimicrobianos, programas de administrações de antimicrobianos, intervenções de saúde públicas, políticas de controles de infecções e desenvolvimentos de antimicrobianos. Conclusões: Os resultados inovadores deste projeto melhorarão os controles e combates às resistências aos antimicrobianos das infecções intra-hospitalares graves possibilitando atuações preventivas dessas colonizações e infecções em UTIs hospitalares.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 05/10/2018-31/10/2021
Foto de perfil

Aldo Ângelo Moreira Lima

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • desenvolvimento de um novo modelo murino de desnutrição infantil e patobiologia da infecção intestinal por escherichia coli enteroagregativa
  • A desnutrição infantil é um problema de saúde pública mundial que afeta principalmente países com baixo e médio poder socioeconômico, resultando no aumento da morbidade por doenças diarreicas e outras doenças infecciosas, enteropatia ambiental, déficit cognitivo e mortalidade infantil. Dentre os agentes etiológicos mais prevalentes na infecção entérica, temos a Escherichia coli enteroagregativa (EAEC). A EAEC causa infecção entérica subclínica e clínica, gerando um processo inflamatório intestinal que pode comprometer a absorção de nutrientes. Neste contexto, a desnutrição e a infecção por EAEC são duas patologias extremamente associadas, que impactam na saúde pública e necessitam da melhor compreensão quanto a sua patofisiologia para o desenvolvimento e aplicação de medidas preventivas e de tratamentos. Este estudo tem como objetivo desenvolver um novo modelo murino de desnutrição fundamentado com base nos dados do estudo coorte-multicêntrico de desnutrição e infecção entérica infantil (MAL-ED; https://www.fic.nih.gov). Neste modelo murino de desnutrição iremos caracterizar as alterações na composição de substratos orgânicos corporal, a disfunção na barreira morfofuncional intestinal, o perfil metabólico e a susceptibilidade a infecção por EAEC. Para isto, iremos reproduzir um modelo de desnutrição em camundongos C57BL/6 com base na dieta dos dados coletados e analisados do recordatório alimentar de 24 horas em crianças (0-24 meses de idade) participantes no estudo coorte MAL-ED em oito países na América do Sul (Peru e Brasil), África (África do Sul e Tanzânia) e Ásia (Bangladesh, Nepal, Paquistão e Índia) com baixo e médio poder socioeconômico. A partir deste modelo, poderemos compreender o impacto da desnutrição infantil e infecção entérica por EAEC no desenvolvimento corporal através de dados como peso, comprimento da cauda e composição corporal, por meio da bioimpedância elétrica; também avaliaremos as alterações desencadeadas na barreira morfofuncional intestinal, como alterações morfológicas através de estudos utilizando a microscopia óptica, eletrônica de varredura e de crio-fratura; alterações na área de absorção, permeabilidade e lesão intestinal através do uso de câmaras de Ussing e teste com biomarcadores moleculares, lactulose e manitol; e alterações de transcritos e expressões proteicas através do uso de PCR em tempo real e Western Blotting. Avaliaremos também o impacto da desnutrição no perfil metabólico através da ressonância magnética nuclear (RMN) de 1H e cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massa (LC-MS/MS). Os resultados deste estudo têm a perspectiva de desenvolver um novo modelo murino de desnutrição e identificar os mecanismos patofisiológicos associados a barreira morfofuncional intestinal, suas influências sobre a determinação do perfil metabólico relacionados ao modelo murino de desnutrição, bem como a susceptibilidade e patobiologia da infecção por EAEC em associação com a desnutrição. Estes resultados contribuirão para o desenvolvimento potencial de medidas preventivas e intervenções clinicas neste importante problema mundial de saúde pública.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022