Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Walter Luiz Carneiro de Mattos Pereira

Ciências Humanas

História
  • fazendeiros negreiros: traficantes e tráfico ilegal de africanos no rio de janeiro (18301 - 1850)
  • Nos limites atlânticos da província fluminense, a ilegalidade no tráfico de africanos aponta para a participação de figuras de declarada fortuna, proprietários de terras, trapiches, barracões e embarcações localizadas ao longo da costa, destinadas a desembarcar e receber africanos do comércio ilegal transatlântico. Destacam-se negociantes negreiros como os irmãos comendadores José e Joaquim de Souza Breves, no litoral sul fluminense; José Gonçalves da Silva, em Cabo Frio; os comendadores Joaquim Thomaz de Faria e André Gonçalves da Graça, no litoral norte fluminense, além de José Bernardino de Sá, atuante na Corte, na província e nos seus limites. Capturados pela ação repressiva decorrente da lei de 1850, combinada com a Lei de 1831, a historiografia pouco se dedicou sobre os negócios do tráfico dirigidos por esses homens, que se desvenda especialmente, a partir de registros policiais e processos judiciais que possibilitam revelar os caminhos da ilegalidade e de seus tratantes. Portanto, busca-se construir uma historia social do tráfico ilegal no Brasil Império, a partir da vinculação desses negociantes de escravos, agentes da reestruturação e da recomposição das redes do tráfico com a logística de desembarques clandestinos na costa atlântica fluminense.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022