Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Aline Mendonça dos Santos

Ciências Sociais Aplicadas

Serviço Social
  • tecnologias sociais, economia solidária, agroecologia e desenvolvimento territorial: a ação extensionista do nesic/ucpel junto à comunidade de dependentes químicos em recuperação e seu entorno.
  • O projeto intitulado “Tecnologias Sociais, Economia Solidária, Agroecologia e desenvolvimento territorial: a ação extensionista do NESIC/UCPel junto à comunidade de dependentes químicos em recuperação e seu entorno” visa desenvolver e ampliar as ações de extensão e incubação de Empreendimentos Econômicos Solidários (EES) a partir do trabalho proposto em parceria com o programa de recuperação de dependentes químicos - vinculados a Comunidade Terapêutica do Centro de Tratamento Alcoolismo e Drogadição/ CAEX (Pelotas) - articulando as dimensões associadas a Economia Solidária, Laborterapia, Agroecologia, Segurança e Soberania Alimentar e Nutricional e o desenvolvimento de Tecnologias Sociais junto a populações em situação de vulnerabilidade socioeconômica. A CAEX fica situada em um território do município de Pelotas numa área ruurbano - um espaço de transição entre o rural e o urbano, de aproximadamente 150 hectares de terra. Neste espaço, o NESIC foi desafiado a pensar e executar junto com a comunidade um processo de geração de trabalho e renda de base agroecológica que atendendesse tantos os usuários da comunidade terapêutica, bem como seus familiares e moradores das comunidades do entorno do território. Desta forma, desenvolveu-se uma proposta que envolve produção, comercialização e consumo a partir dos preceitos da economia solidária, agroecologia e desenvolvimento territorial. Desta forma, trata-se de um projeto plural que envolve três frentes principais na proposta da tecnologia social: produção, comercialização e consumo. No âmbito da produção, o projeto implica na constituição de quintal agroecológico de produção orgânica e organização coletiva que deve se constituir em um EES, bem como num processo de laborterapia para os dependentes químicos que estão em processo de recuperação na Comunidade Terapêutica CAEX. No âmbito da comercialização e do consumo, o projeto consiste numa relação estreita entre os sujeitos da produção e a Rede Bem da Terra, uma rede de economia solidária consolidada no município de Pelotas há aproximadamente 12 anos e que envolve produção, distribuição e consumo. Neste caso, a proposta é que os produtos sejam comercializados nas feiras itinerantes, virtual e Rizoma do Bem da Terra. Tendo em vista os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela Organização das Nações Unidas (ONU) e firmados por 193 países, inclusive o Brasil, no âmbito da Agenda 2030 em 2015, pode-se dizer que o projeto que aqui propomos está estreitamente relacionado com três objetivos principais: # ACABAR COM A FOME, ALCANÇAR A SEGURANÇA ALIMENTAR E MELHORARIA DA NUTRIÇÃO E PROMOVER A AGRICULTURA SUSTENTÁVEL Nesta perspectiva, o desenvolvimento do quintal agroecológico e a comercialização e consumos solidários – duas das principais metas deste projeto e compreendem um processo de tecnologias sociais pautadas pela agricultura de base agroecológica, pela soberania alimentar e pela economia solidária. (1) O primeiro consiste no conjunto de conhecimentos sistematizados, construídos na interação entre saber científico e saber tradicional, que defende a incorporação dos princípios ecológicos sustentáveis e dos valores culturais tradicionais do campesinato às práticas agropastoris; (2) O segundo, consiste no direito de produzir, comercializar e consumir alimentos a partir de circuitos locais de abastecimento e distribuição, vinculados à cultura, à diversidade ecológica e ao modo de vida dos territórios, que evitem a dependência em relação aos circuitos internacionais de comércio e que estimulem a produção de alimentos pela agricultura familiar e que sejam ecologicamente sustentáveis (e portanto livres de agroquímicos sintéticos e com baixo custo energético de produção e distribuição); e o (3) terceiro consiste na constituição de empreendimentos econômicos relacionados à produção, distribuição, consumo (de bens e serviços) e de crédito, urbanos e rurais, de caráter permanente e multifamiliar, nos quais a propriedade de seus meios, o trabalho, os resultados econômicos e o poder de decisão são compartilhados entre seus participantes sob os princípios da solidariedade, da autogestão e da cooperação, independentemente da forma jurídica sob a qual estejam registrados. Assim, os processos de produção do alimento a partir do quintal agroecológico e a comercialização e o consumo a partir do Bem da Terra, são processos que visam promover outros modos de produzir e viver garantindo um alimento sustentável não só para os usuários da CAEX e seus familiares, para os moradores do território em torno da Comunidade Terapêutica e, finalmente, para os demais consumidores da Rede Bem da Terra. ASSEGURAR UMA VIDA SAUDÁVEL E PROMOVER O BEM-ESTAR PARA TODOS, EM TODAS AS IDADES: Além da questão da Soberania Alimentar explicitada anteriormente, a questão da garantia de uma vida saudável se relaciona com o fato de ser um projeto que se preocupa com a saúde mental e a importância do bem-estar psicológico e físico através da laborterapia implicada no tripé do tratamento de recuperação de pendentes químicos da Comunidade Terapêutica CAEX. Neste caso, o projeto participa de um processo de conscientização quanto ao uso de álcool e drogas e o esclarecimento cada vez maior em torno da saúde mental. # PROMOVER O CRESCIMENTO ECONÔMICO SUSTENTADO, INCLUSIVO E SUSTENTÁVEL, EMPREGO PLENO E PRODUTIVO, E TRABALHO DECENTE PARA TODOS Finalmente, o projeto implica num processo de consolidação do quintal agroecológico em um empreendimento econômico solidário. Os dependentes químicos em recuperação, usuários da CAEX, são em sua maioria jovens que estão fora do mercado de trabalho. Desta forma, o empreendimento pode se constituir num espaço de reinserção do dependente químico em recuperação no mundo do trabalho.
  • Universidade Católica de Pelotas - RS - Brasil
  • 01/12/2018-30/11/2021
Foto de perfil

Aline Silva da Costa

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • a pressão de tempo no mundo contemporâneo e suas inter-relações com as demandas da vida pessoal e profissional e aspectos da saúde
  • A percepção de disponibilidade de tempo tem mudado nas últimas décadas, devido não só ao engajamento em atividades profissionais e domésticas, mas também em função do avanço das tecnologias. A aceleração tecnológica, com sistemas de transportes mais eficientes e rápidos, processos de produção mais velozes e formas de comunicação que ultrapassam os limites do tempo e do espaço, induz a mudanças sociais que, por sua vez, levam os indivíduos a se sentirem constantemente atrasados. Alguns autores discutem que esses avanços tecnológicos, principalmente aqueles relacionados à comunicação, não trouxeram ganho de tempo, mas pelo contrário, novas demandas. Esta condição pode levar à percepção generalizada de escassez de tempo, ou seja, de que o tempo disponível não é suficiente para o cumprimento das demandas. A sensação de escassez de tempo ou pressão do tempo é avaliada por muitos autores a partir do quanto o indivíduo se sente apressado ou pressionado pela falta de tempo para o cumprimento de suas tarefas cotidianas. Sendo o tempo um aspecto essencial para a satisfação geral com a vida, a percepção de pressão do tempo pode suscitar efeitos adversos à saúde física e mental. As evidências mais fortes na literatura se referem às associações entre sentir-se pressionado pela falta de tempo e os problemas relacionados à saúde mental. No entanto, no Brasil, pouco se conhece sobre demais fatores, sejam eles exposições, desfechos ou mediadores, ligados à pressão do tempo. De forma geral, uma hipótese é a de que a pressão do tempo está relacionada com os comportamentos de saúde não saudáveis - a inatividade física, os hábitos alimentares (por exemplo, escolha por alimentos de fácil acesso e rápido preparo) e sono de curta duração e qualidade ruim - e que ambos, pressão do tempo e comportamentos não saudáveis, estão associados ao estado nutricional e à autopercepção do estado geral de saúde. Nesse contexto, a idade é um importante fator a se considerar, visto que os idosos são geralmente considerados “ricos em tempo”, mas podem enfrentar problemas de morbidade e mobilidade que limitam a forma de utilização do seu tempo. Na perspectiva das diferentes fases da vida, pais com filhos pequenos são especialmente propensos a se sentirem pressionados pela falta de tempo. Sob este ponto de vista, considera-se também que a pressão do tempo e sua relação com os comportamentos e a saúde em geral é potencializada em pessoas sujeitas a longas jornadas de trabalho. Além disso, para o grupo específico de trabalhadores, é plausível supor que a associação tanto da pressão do tempo quanto das jornadas de trabalho profissional e doméstico com as queixas de duração e qualidade do sono podem ser mediadas pela característica de não deixar de pensar nas responsabilidades do trabalho, mesmo em períodos de folga. Ainda em relação aos avanços da tecnologia na comunicação, o uso do celular com acesso à internet (e-mails e redes sociais) ao longo das 24 horas pode provocar um aumento da sensação de escassez de tempo, o que deriva tanto das demandas da vida profissional e familiar, quanto da necessidade individual de manter-se constantemente atualizado e conectado. Cabe destacar que todas as hipóteses acima apresentadas merecem uma avaliação das diferenças de gênero em virtude dos distintos papeis sociais atribuídos aos homens e às mulheres. A fim de atender à demanda por estudos que possam explorar os caminhos que levam à pressão do tempo e desta para os desfechos de saúde, o objetivo geral do presente projeto é mensurar a pressão do tempo e suas inter-relações com as jornadas de trabalho profissional e doméstico, o uso de smartphones e aspectos da saúde (duração e a qualidade do sono, a atividade física, alimentação, qualidade de vida e a saúde em geral) segundo idade, gênero e escolaridade. Para tanto, será realizado em estudo transversal de base populacional com indivíduos adultos, com 18 anos ou mais, de ambos os sexos e residentes na zona urbana do município de Uberaba/MG. O tamanho da amostra foi estimado em 1530 indivíduos. A seleção da amostra foi realizada por conglomerados, sorteando-se os bairros, posteriormente os setores censitários, o domicílio e, por fim, o adulto respondente. A coleta de dados será realizada por entrevistadores treinados por meio de questionário estruturado. A realização deste projeto em colaboração com profissionais qualificados na área possibilitará a consolidação e o aprimoramento dos conhecimentos sobre o tema. Como resultados, espera-se a produção de artigos científicos baseados nos objetivos específicos desta proposta, a apresentação dos resultados em eventos científicos e a formação de alunos nesta área específica do conhecimento. Destaca-se que essa abordagem relacionada à saúde no mundo contemporâneo, pouco explorada no âmbito brasileiro, tem relevante impacto para a saúde pública dada as implicações da percepção de escassez tempo à saúde, que conforme sucintamente exposto acima, merecem ser investigadas segundo gênero, escolaridade e idade.
  • Universidade Federal do Triângulo Mineiro - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Aline Silva Mello Cesar

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • mutações funcionais associadas ao perfil de ácidos graxos, desempenho, qualidade da carne e parâmetros imunológicos a partir do transcriptoma do músculo de suínos
  • Os lipídios são uma classe de moléculas presentes em todos os tipos de células. Contribuem para a estrutura celular, o armazenamento de energia e várias funções biológicas, desde a regulação transcricional até os processos fisiológicos. Essas moléculas também são responsáveis pelo valor nutricional da carne, que são diretamente influenciadas pela dieta animal. A carne tem alto valor nutricional e é uma importante fonte de ácidos graxos insaturados (PUFA), como ácido oleico (AO, C18: 1 cis 9) e ácido linoleico (AL; C18: 2 cis9, 12), os quais apresentam efeitos benéficos à saúde humana. Estudos anteriores relataram uma importante contribuição da ingestão de AO na saúde humana, levando à diminuição dos níveis de colesterol, risco de aterosclerose e ocorrência de diabetes do tipo 2. Além disso, AO tem efeitos protetores contra infecção viral e desenvolvimento de câncer. A carne tem um perfil de ácidos graxos de alta insaturação, e é considerada uma importante fonte de AO na nutrição humana. Nossa hipótese é que o AO incluído na dieta de suínos na fase de terminação pode alterar o perfil transcriptômico e a resposta inflamatória em diferentes tecidos, como músculo esquelético, fígado e cérebro, afetando vários processos biológicos e consequentemente as características fenotípicas dos animais. Assim, nosso objetivo é identificar e validar as mutações funcionais associadas ao perfil de ácidos graxos, desempenho e parâmetros imunológicos a partir do transcriptoma de músculo de suínos da raça Large White submetidos à dietas com diferente perfil de ácidos graxos.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Aline Souza de Paula

Engenharias

Engenharia Mecânica
  • análise e controle de sistemas dinâmicos não-lineares e estruturas inteligentes
  • A natureza está repleta de não-linearidades que são responsáveis pela diversidade de comportamentos dos sistemas naturais. Diversos sistemas mecânicos e biomecânicos são não-lineares em sua essência e uma investigação dinâmica adequada possui papel fundamental no projeto de sistemas, assim como auxiliam na identificação de padrões de respostas, na implementação de técnicas de controle e na previsão de tipos de comportamento. A resposta caótica é uma das possibilidades de resposta de sistemas não-lineares e possui três características importantes: sensibilidade às condições iniciais, presença de inúmeras órbitas periódicas instáveis (OPIs) e ergodicidade. Uma forma de conferir flexibilidade aos sistemas dinâmicos não-lineares é através do controle de caos. O controle de caos se baseia na riqueza de padrões periódicos existentes no comportamento caótico e pode ser entendido como a utilização de pequenas perturbações no sistema para estabilizar uma trajetória dentro desses comportamentos periódicos. No contexto das ciências mecânicas, diversas áreas têm se deparado com questões não-lineares importantes. Neste contexto, o desenvolvimento de sistemas e estruturas inteligentes é uma filosofia de projeto que vem ganhando importância nos últimos anos. Dentre os materiais inteligentes, destacam-se os piezelétricos, as ligas com memória de forma, os magnetoestrictivos e os fluidos reológicos. A piezeletricidade pode ser vista como uma interação entre os estados mecânico e elétrico de um material ocorrendo de duas formas recíprocas: efeitos direto e inverso. Do ponto de vista mecânico, os efeitos direto e inverso da piezeletricidade representam, respectivamente, o uso do dispositivo como sensor e como atuador. Além da utilização do material piezelétrico como sensores e atuadores, a sua utilização para colheita de energia (ou energy harvesting,) vem sendo bastante explorada recentemente. Nos últimos anos, a importância do conceito de colheita de energia de fontes renováveis vem crescendo gradativamente e está relacionada a diversas aplicações. As ligas com memória de forma (SMAs, Shape Memory Alloys) constituem um grupo de materiais metálicos capaz de recuperar a geometria original (ou de desenvolver consideráveis forças de restituição ao se restringir sua recuperação) através da imposição de um campo de temperatura e/ou de tensão, devido a transformações de fase induzidas no material. Devido às suas singulares características, as ligas com memória de forma têm instigado uma série de pesquisas em diversos campos do conhecimento, motivando o surgimento de diversas aplicações. Este projeto propõe o desenvolvimento de pesquisa em dinâmica não-linear e controle, com aplicações em sistemas mecânicos, bio-mecânicos e estruturas inteligentes.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alírio Carvalho Cardoso

Ciências Humanas

História
  • tupi-indianen: a amazônia nas crônicas e cartas holandesas (século xvii).
  • Na primeira metade do século XVII, uma série de relatórios (rapporten), cartas (brieven) e crônicas (Beschrijving) foi enviada ao Heren XIX, o conselho supremo das Províncias Unidas dos Países Baixos. Essa documentação, arquivada em grande parte no Nationaal Archief (Arquivo Nacional de Haia), apresentava o Maranhão e o Grão-Pará como territórios peculiares no processo de domínio neerlandês na América. Em grande parte, essa crônica seguia o mesmo modelo retórico já exercitado por portugueses e espanhóis, ao descrever os índios da região como potenciais aliados e futuros cristãos. Entretanto, há diferenças conceituais importantes entre os escritos ibéricos e os relatos holandeses, principalmente quanto à relativização da clássica oposição entre tapuias e tupis, diferença consagrada na produção missionária do período, condizente com as características da missio moderna católica. O objetivo dessa comunicação é refletir sobre certas singularidades da representação holandesa sobre os índios do Maranhão e Grão-Pará, comparando-a com a crônica luso-espanhola do mesmo período. Ao mesmo tempo, discutiremos o papel das nações indígenas nos projetos oceânicos holandeses das décadas de 1620 e 1630, período que coincide com a etapa mais internacional da guerra hispano-holandesa
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022