Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alfredo Dias de Oliveira Filho

Ciências da Saúde

Farmácia
  • efeito de um protocolo de revisão da farmacoterapia sobre o controle da pressão e a triagem clínica de pacientes com suspeita de hipertensão resistente
  • Introdução A Hipertensão Arterial Resistente (HAR) é caracterizada por valores valores de pressão arterial (PA) acima de 140x90 mmHg para a pressão arterial sistólica e diastólica, respectivamente, mesmo com o uso de três fármacos anti-hipertensivos com ações sinérgicas, em doses máximas estabelecidas e toleradas, sendo um deles diurético, ou quando o paciente está em uso de quatro ou mais fármacos anti-hipertensivos, mesmo com a PA controlada. Diagnosticos errôneos de HAR podem levar ao uso de medicamentos desnecessários e de alto custo ou até à realizacao de procedimentos invasivos, assim, descartar a pseudorresistência - seja pela obtenção do controle pressórico, seja pela confirmação de HAR - é uma etapa preliminar obrigatório no manejo desses pacientes. Objetivo O objetivo deste estudo é avaliar o efeito de um protocolo de revisão da farmacoterapia sobre a modificação dos valores de PA sistólica e diastólica pacientes com hipertensão arterial resistente e pseudorresistente. Método Será realizado um ensaio clínico controlado randomizado em uma unidade básica de saúde em Maceió-AL e em seis consultórios do ambulatório de cardiologia de um hospital privado em Aracaju-SE, com duração de 24 meses. Serão avaliados como desfechos primários os valores de modificação da PA sistólica e diastólica. Os desfechos secundários serão taxa de pacientes sob controle pressórico, taxa de modificação do status diagnóstico (HAR, hipertensão arterial pseudorresistente e hipertensão com controle pressórico) e a adesão terapêutica. Os valores referentes à PA serão obtidos por meio de Medida Ambulatorial da Pressão Arterial. A adesão terapêutica será determinada por meio da escala de Morisky-Green-Levine. O protocolo de intervenção durará 6 meses e será baseado em um protocolo de otimização da adesão previamente testado em pacientes com doenças cardivasculares pós-ala hospitalar e em pacientes ambulatoriais com hipertensão, e em um protocolo de revisão da farmacoterapia segundo o modelo Medication Appropriateness Index (MAI). Estimou-se que uma amostra de pelo menos 111 pacientes em cada grupo fornecerá 80% de poder para detectar uma diferença de 6 mmHg na PAS com nível de significância de 5%.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 18/02/2019-31/12/2022
Foto de perfil

Alfredo Ribeiro Neto

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • risco associado a eventos extremos hidrometeorológicos e medidas adaptativas no nordeste e amazônia.
  • Os biomas Caatinga e Amazônia são reconhecidamente hotspots diante de cenários do clima futuro. Os impactos nessas regiões serão mais graves devido à provável intensificação do clima e do regime hidrológico, que leva ao aumento da frequência dos eventos extremos de seca e cheia. Além dos dois biomas citados, a pesquisa se propõe a estudar os efeitos da intensificação do clima em cidades da zona costeira como, por exemplo, as localizadas no Estado de Pernambuco. A pesquisa utilizará análise de risco considerando o clima presente e futuro para, em seguida, propor medidas adaptativas que visam o aumento da resiliência dos sistemas estudados. Para isso, as seguintes etapas devem ser realizadas. Seleção de indicadores e índices. Inicialmente, deve-se levantar os indicadores utilizados em trabalhos realizados no âmbito do território brasileiro. Exemplos que podem ser citados são o Plano Nacional de Segurança Hídrica (PNSH) (ANA, 2019) e a Quarta Comunicação Nacional (4CN) (MCTI, 2019). Parte das dimensões dos dois estudos citados acima tem como base indicadores relacionados a eventos extremos. É o caso da disponibilidade hídrica dada pela vazão com 90% de permanência (Q90), resiliência (reservação de água, potencial de armazenamento subterrâneo e variabilidade pluviométrica), ecossistêmica (vazão Q95) e vulnerabilidade a inundações. Processamento dos dados. Os dados básicos para o cálculo dos indicadores consistem de variáveis hidrometeorológicas como precipitação, temperatura do ar, vazão nos rios, armazenamento em aquíferos, umidade do solo, dentre outras. Dados medidos em estações in situ, produtos de sensoriamento remoto, reanálises e Modelos de Circulação Global (MCG) compõem o rol de possibilidades de fontes. Para a avaliação relacionada aos cenários do IPCC, deve-se utilizar os dados provenientes das simulações dos Modelos de Circulação Global (MCG) do Coupled Model Intercomparison Project Phase 6 (CMIP6). Modelagem hidrológica e cálculo dos índices. Após seleção, os indicadores serão calculados com base nas variáveis hidrometeorológicas. A vazão nos rios será uma variável chave na análise de eventos extremos associados à segurança hídrica nas áreas de estudo. Com as séries temporais de descargas nos rios, será possível calcular as vazões de referência Q5, Q10, Q90, Q95 e Q7,10. Para a obtenção das séries de vazões, será selecionado um modelo que permita a representação dos processos hidrológicos tendo como entrada a precipitação, evapotranspiração potencial, mapas de cobertura e uso da terra, tipo de solo, dentre outras informações. Dois modelos são potenciais candidatos para simulação nas áreas de estudo. O Modelo Hidrológico de Grandes Bacias (MGB-IPH) já foi aplicado satisfatoriamente em escalas comparáveis às que o projeto se propõe a estudar (Ribeiro Neto et al., 2016; Brêda et al., 2020). Outra possibilidade é o modelo WRH-Hydro Modelling System (WRF-Hydro) desenvolvido no National Center for Atmospheric Research dos Estados Unidos (NCAR) (Gochis et al., 2014). Risco de impacto. Tomando-se o arcabouço teórico proposto em IPCC (2014), o risco de impacto será estimado com as dimensões de ameaça climática, vulnerabilidade e exposição. Na literatura, as análises de risco seguem normalmente essa tríade e atuam na quantificação da frequência dos eventos e de seus respectivos danos. Consequentemente, análises probabilísticas podem ser executadas para o desenvolvimento de índices e mapeamento do risco. A dimensão da ameaça climática será tratada conforme descrito nos itens anteriores da metodologia (processamento de dados do CMIP6, simulação hidrológica e cálculo dos indicadores). A vulnerabilidade será composta por indicadores capazes de representar os aspectos de sensibilidade dos sistemas e da capacidade adaptativa nas condições atuais das áreas de estudo. A exposição deve seguir estratégia semelhante no que diz respeito à sua caracterização conforme as condições atuais. Estratégias de recuperação hídrica no NEB. É necessário desenvolver ações que garantam o aumento do estoque de água continental no NEB considerando as magnitudes dos impactos já observados na disponibilidade hídrica e também em condição de aquecimento de 2°C na temperatura regional, que para a região é esperado ocorrer entre 2040 e 2050. Medidas de adaptação. IPCC (2014) chama a atenção para a importância da busca de soluções e medidas adaptativas em consonância com o desenvolvimento sustentável. São os casos, por exemplo, de incremento de infraestruturas e consumo que podem trazer consequências para o meio ambiente. Há opções para adaptação que envolvem de um lado, a melhora na gestão da demanda por água e, por outro lado, a ampliação e garantia de serviços ambientais úteis para lidar com os extremos hidrometeorológicos. Em qualquer situação, o fortalecimento do arcabouço responsável pelo gerenciamento dos recursos hídricos é essencial no enfrentamento dos impactos advindos da variabilidade climática do presente e das mudanças futuras. O Plano Nacional de Segurança Hídrica será investigado através da estrutura de análise socioecológica apresentada por Ostrom (2009). Outras estruturas de investigações de sistemas socioecológicos também poderão ser consideradas no decorrer do projeto.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 15/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Alfredo Rodrigues de Sena Neto

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • desenvolvimento de sensores para análise da qualidade de águas através de impressão 3d
  • O estudo e desenvolvimento de novos dispositivos sensores para identificação e quantificação de contaminantes presentes em águas são ações de extrema importância para o avanço das cadeias produtivas onde se tem o consumo de água, por exemplo: na agropecuária, farmacêutica, alimentícia, assim como o consumo doméstico, dentre outras. O projeto versa sobre o desenvolvimento e emprego de materiais eletroativos e nanoestruturados obtidos através da tecnologia de impressão 3D de sensores. Será adotado o foco no desenvolvimento de filamentos poliméricos por extrusão e fiação via úmida, com adição de nanopartículas, partículas metálicas e polímeros condutores; e na caracterização das propriedades de interesse dos materiais desenvolvidos, como propriedades morfológicas, eletroquímicas, elétricas, cristalográficas e térmicas. Também serão abordados tópicos relativos à construção de dispositivos sensores de baixo custo. Os sensores desenvolvidos com auxílio desses materiais serão do tipo língua/nariz eletrônicos e eletroquímicos. Espera-se que os resultados obtidos permitam o advento de novos materiais com potencial para desenvolvimento de sensores para monitoramento da qualidade de águas de consumo.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Algemira de Macêdo Mendes

Lingüística, Letras e Artes

Letras
  • literatura e imprensa piauiense: rastros e memórias
  • Ao revitalizar a memória histórica e cultural da literatura piauiense, por meio de sua imprensa e de outros suportes essenciais, este projeto pretende contribuir para o desenvolvimento de novas visadas acerca da historiografia do Piauí, em especial relacionado ao campo das letras. Para isso, a investigação, diferindo da metodologia tradicional, fará uso de fontes primárias (jornais, revistas, coletâneas, diários, cartas etc.), que ajudarão na compreensão não só do contexto histórico a que estavam inseridos os intelectuais piauienses do século XIX às primeiras décadas do século XX, como também poderão evidenciar os escritores que permanecem, até a presente data, à margem do cânone literário, justamente por não terem publicado livro. Essa tomada de consciência objetiva colocar o estado do Piauí no atual momento de estudos da história da literatura brasileira, cujas bases estão sendo reformuladas, há alguns anos, por nomes como Jacques Le Goff, Roger Chartier, (2001) ,João Hansen(1989), Regina Zilberman (2003), Tânia Regina de Lucca (2008), dentre outros.O desenvolvimento desta pesquisa se dará, em especial, pela inter-relação do campo das letras com os da história e do jornalismo, cujo alcance, nos mais diferentes ambientes (universitário e comunitário) possibilitará, a partir da catalogação e da organização do acervo pesquisado (a ser disponibilizado em suporte específico para esse fim), o surgimento de novas pesquisas, tanto relacionadas às áreas protagonistas da pesquisa, como a outras congêneres.
  • Universidade Estadual do Piauí - PI - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alice Gonçalves Osorio

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • desenvolvimento de fibras de nanotubos de carbono piezoelétricas para aplicação em músculos artificiais
  • Nas últimas décadas, a ciência tem trabalhado na busca por alternativas que ajudem na reconstrução de estruturas do organismo. Recentemente, boa parte dos esforços tem se concentrado no desenvolvimento de músculos artificiais. Para o desenvolvimento destes músculos, no entanto, a nanotecnologia se torna essencial. Esta necessidade tem estimulado pesquisadores a sintetizar materiais em escala nanométrica e, dentre eles, os nanotubos de carbono (NTCs) têm aparecido em destaque. Recentemente surgiram pesquisas onde músculos artificiais são arquitetados com NTCs. Essas fibras mantiveram seu desempenho por mais de 2 milhões de movimentos. No entanto ainda há muito o que se estudar nesta área a fim de compreender e explorar as diferentes possibilidades tecnológicas. Avaliações dínamo-mecânicas também devem ser complementadas a fim de avaliar o comportamento dos músculos artificias frente a situações adversas por longos períodos. Diante deste contexto, o presente projeto visa desenvolver, de forma inovadora, músculos artificiais utilizando fibras de NTCs reforçadas com nanopartículas piezoelétricas. As fibras serão enroladas a partir de florestas de NTCs que, por sua vez, serão reforçadas por spray e/ou imersão em solução rica em nanoestruturas piezoelétricas. As fibras otimizadas serão avaliadas quanto sua resposta piezoelétrica e sua resposta dínamo-mecânica.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022