Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Virgínia Oliveira Fernandes

Ciências da Saúde

Medicina
  • chikungunya e diabetes
  • O vírus Chikungunya (CHIKV) é um Alphavirus, pertencente à família Togaravidae. Foi descrito pela primeira vez em 1952, no sul da Tanzânia. Cerca de 2,9 milhões de casos suspeitos de Chikungunya (CHIK) foram registrados na América Central, do Norte e na América do Sul, com 296 óbitos atribuídos a doença em 2016. No Brasil, apenas entre os anos de 2016 e 2017 foram confirmados mais de 300 mil casos e quase 300 óbitos. Após a introdução do CHIKV em uma região infestada por mosquitos estima-se que até 70% da população possa ser infectada. A maioria desses casos é sintomático e alguns evoluem para óbito. A gravidade da doença e prevalência de cronicidade pode estar relacionada com a presença de comorbidades e há fatores de risco não totalmente elucidados. Nesse cenário se destaca a maior gravidade da doença relacionado a preexistência de doenças de base como o diabetes mellitus (DM). O DM é um grave problema de saúde com mais de 300 milhões de casos diagnosticados no mundo. Como a maior parte dos óbitos por CHIK ocorre na população com mais de 70 anos e nessa população a prevalência de doenças metabólicas como o diabetes é elevada e a CHIK pode alterar o metabolismo nos pacientes diabéticos, descompensando os índices glicêmicos, é necessário compreender melhor o impacto da associação CHIK e diabetes mellitus ou outros distúrbios endócrinos e metabólicos. Assim, o objetivo deste estudo será avaliar em pacientes diabéticos e/ou portadores de síndrome metabólica (pelos critérios da Federação Internacional de Diabetes, 2009), o impacto do acometimento pela CHIK, em sua fase aguda e crônica e repercussões sobre morbimortalidade.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022