Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Renata Monte

Engenharias

Engenharia Civil
  • avaliação de ensaios de tração indireta para controle de concretos com fibras
  • Vide projeto anexo
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renata Oliveira Batista

Ciências Agrárias

Agronomia
  • resistência genética do feijão comum a fusarium oxysporum f. sp. phaseoli e coleta de isolados da região noroeste de minas gerais.
  • O feijoeiro-comum (Phaseolus vulgaris L.) é uma das espécies cultivadas de maior importância social sendo relevante fonte de proteínas e nutrientes em todo o mundo. Apesar de o Brasil ser um dos maiores produtores e consumidores mundiais, as cultivares comercializadas no país ainda deixam a desejar quanto resistência a doenças. A resistência a doenças se destaca por diminuir tanto o rendimento quanto a qualidade dos grãos, com destaque para a murcha de fusarium, em que não existe controle químico sendo a adoção de cultivares resistentes a medida de manejo mais eficiente. Conhecer a herança da resistência é etapa primordial para a obtenção de cultivares resistentes e consiste em etapa inicial em programas de melhoramento com esse objetivo. Assim, os objetivos com este projeto são estudar a herança da resistência do feijoeiro comum à murcha de fusarium e realizar a coleta de isolados da região noroeste de Minas Gerais. Para isso, cultivares e linhagens elites resistentes serão identificadas e selecionadas para compor blocos de cruzamentos contrastantes quanto a reação à murcha de fusarium visando a obtenção das gerações F1, F2, RC1 e RC2 para o estudo da herança. As plantas destas gerações serão inoculadas e individualmente avaliadas quanto a reação à Fusarium oxysporum f. sp. phaseoli (Fop). Com base nesses dados serão realizadas as análise genético estatísticas para o estudo da herança da resistência a murcha de fusarium em feijoeiro comum. A fim de se formar uma micoteca de Fop, concomitantemente ao estudo de herança, plantas de feijoeiro com sintomas de murcha de fusarium serão coletadas na região noroeste de Minas Gerais visando caracterização da patogenicidade e agressividade desses isolados. Os isolados mais agressivos serão inoculados nos genitores dos cruzamentos visando a identificação dos mais promissores para a região quanto a produtividade de grãos, arquitetura de planta e resistência murcha de fusarium considerados simultaneamente.
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renata Padilha de Souza

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • biofotodegradação de corante têxtil: avaliação da degradação de índigo por bactérias pseudomonas e enzimas oxigenases para possível aplicação como biocatalisador em biofotocatálise
  • Os efluentes têxteis são classificados como um dos efluentes mais poluentes entre todos os setores industriais, devido à presença de grande quantidade de corantes e elevados valores de pH, demanda bioquímica de oxigênio (DBO), demanda química de oxigênio (DQO), turbidez e outros compostos químicos tóxicos ao homem e ao meio ambiente. No Brasil os tratamentos que são aplicados com maior frequência pelas indústrias têxteis se baseiam na tecnologia de lodo ativado, associados a processos físico-químicos para remoção da cor, entretanto, esses tratamentos promovem apenas a transferência de fase do corante. A biodegradação tem se sobressaído por apresentar as vantagens de colaborar com a sustentabilidade e preservação ambiental e produzir menos lodo, além de apresentar baixo custo, mostrando-se como uma alternativa vantajosa tanto para a remoção quanto para a eliminação dos corantes presentes nos efluentes têxteis. Cabe ressaltar que, os processos de oxidação avançada (POAs), entre eles a fotocatálise heterogênea, também apresenta característica sustentável e barata, devido a utilização da luz solar, sendo considerada uma tecnologia “verde” importante para a aplicação na purificação de águas, pois não produzem resíduos sólidos e promovem a total mineralização de compostos recalcitrantes. Nesta perspectiva, partindo-se do fato de que a maioria das indústrias têxteis utilizam processos biológicos para o tratamento de resíduos, a combinação dos processos de degradação biológica com a fotocatálise solar torna-se uma alternativa de estudo viável para a aplicação industrial, contribuindo para a inovação da biotecnologia, promovendo de fato a degradação, bem como, a mineralização do efluente têxtil, colaborando economicamente e ambientalmente para uma industrialização sustentável, reduzindo o uso de materiais e melhorando as condições reacionais. Além disso, ainda não existem na literatura pesquisas que utilizam a bactéria P. putida e a enzima naftaleno oxigenasse como biocatalisador para a biodegradação do corante índigo na presença de luz solar, caracterizando um processo um processo de biodegradação combinado com fotocatálise, denominado de biofotocatálise. Portanto, o objetivo do presente trabalho é realizar a biodegradação do corante têxtil por meio da utilização de bactérias e enzimas, e em condições ótimas, aplicá-las como biocatalisador e avaliar a influência da luz na biofotodegradação do corante têxtil a fim de diminuir sua carga orgânica tóxica.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renata Peregrino de Brito

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • mudanças climáticas, percepção de risco e estratégias de adaptação
  • Os impactos de eventos climáticos extremos resultantes do processo e mudanças climáticas representam uma grande ameaça às operações das empresas e ao desenvolvimento de estratégias de longo prazo. Riscos climáticos são de crucial importância para a produtividade e a expansão dos negócios e as estratégias de adaptação a mudanças climáticas variam entre a inação e a proatividade e inovação. Contudo, estudos sobre adaptação a riscos climáticos ainda são escassos. Este estudo propõe a investigação dos determinantes da percepção do risco climático e o decorrente desenvolvimento de estratégias de adaptação na cadeia de alimentos no Brasil, uma cadeia de grande importância econômica e grande vulnerabilidade climática. O estudo está dividido em duas fases: na primeira fase será feito um survey com empresas buscando testar um modelo de antecedentes de percepção de risco e estratégias de adaptação a mudanças climáticas. A pesquisa foca empresas de médio e grande porte da cadeia de alimentos, produtores e processadores, nas regiões centro-sul do Brasil. Na segunda fase, serão desenvolvidos workshops para a discussão dos resultados, com vistas a gerar recomendações e contribuições para a adaptação das empresas, bem como sugestões para políticas públicas de adaptação a mudanças climáticas. Desta forma a pesquisa busca ir além da relevância acadêmica e trazer contribuição prática para as atividades de gestão. Com os resultados do projeto serão utilizados no desenvolvimento de publicações acadêmicas, bem como o desenvolvimento de conteúdo para workshops e aulas. Futuros desdobramentos desta pesquisa são previstos (i) na colaboração internacional para estudos comparativos e (ii) na investigação de estratégias de adaptação às mudanças climáticas em PMEs.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renata Pereira Alves-Balvedi

Ciências da Saúde

Medicina
  • desenvolvimento de imunossensores modificados com grafeno para eficiente detecção eletroquímica de leishmaniose visceral.
  • As Doenças Tropicais Negligenciadas (DTNs) são representadas por um grupo de diversas doenças transmissíveis prevalentes países tropicais e subtropicais. Caracteriza um sério impedimento à avanços socioeconômicos e cobertura universal de saúde, já que afetam a população carente. No Brasil, observa-se a presença de todas as doenças negligenciadas listadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O diagnóstico precoce garante o tratamento eficaz quanto à Leishmaniose visceral (LV) sintomática, temos no mercado as v várias técnicas , mas somente a detecção microscópica da forma amastigota é considerada como padrão ouro. Sabe-se que indivíduos infectados podem permanecer assintomáticos por décadas, são reservatórios do parasito, colocando em risco pacientes que recebem sangue entre doadores, em regiões endêmicas. É fundamental dispor de métodos diagnósticos sensíveis e específicos, e esforços têm sido realizados na melhoria da confiança diagnóstica. Para este fim propomos otimizar soluções eletrolíticas como ferri/ferrocianeto de potássio para o processo de análise da condutividade x reação de reconhecimento antígeno-anticorpo. A imobilização do antígeno de leishmaniose poderá ocorrer primeiramente por adsorção, método de dissolução da biomolécula em um solvente adequado. No entanto técnicas como ligação covalente, aprisionamento poderão também ser utilizadas. Para isto, serão realizadas análises eletroquímicas por voltametrias cíclicas (VC) e voltametria de pulso diferencial (VPD) ou voltametria de onda quadrada (VOQ) a fim de avaliar o perfil voltamétrico (corrente x potencial) da condutividade. BIOLISA Leishmaniose Visceral k210 (BIOCLIN) e ELISA “in house” antígenos purificados serão realizados para processos comparativos e análises quali e quantitativas frente a especificidade, sensibilidade, repretibilidade e reprodutibilidade. Ressaltamos os seguintes grupos serão avaliados: Pacientes sintomáticos de soros ou tipos específicos (Chagas digestiva, cardíaca, indeterminada/ Leishmaniose Visceral aguda e crônica/ Negativos) e pacientes assintomáticos (Leishmaniose Visceral: pacientes são receptores de sangue (politransfundidos) em áreas endêmicas/ Controle epidemiológico: indivíduos que vivem no mesmo domicílio que o paciente (nunca receberam transfusão) de áreas endêmicas). Dentro desse cenário, o desenvolvimento de um biossensor eletroquímico enrriquecido com grafeno converge nos atributos ímpares no diagnóstico de pacientes assintomáticos de LV. Trata-se de uma técnica de rápida execução, que requer pequena quantidade de amostra, e apresenta excelente seletividade e especificidade para diversos alvos como antígenos totais ou purificados específicos. Os biossensores precisam de receptores altamente seletivos e específicos ao elemento biomolecular existente no soro, além de um transdutor ultra sensível e com reprodutibilidade suficiente para medições confiáveis em tempo real. Nesse contexto, o desenvolvimento de instrumentos de trabalho os quais possam contribuir na otimização de uma plataforma com atributos anteriormente citados, é prioridade em nosso grupo empreendedor. Essa ação vai ao encontro do desenvolvimento da metodologia inovadora para redução do óxido de grafeno, imobilizando-o e reduzido-o eletroquimicamente. O grafeno é um nanomaterial bidimensional composto por átomos de carbono dispostos hexagonalmente, conferindo uma grande área de superfície, capaz de interagir com uma ampla gama de moléculas. Possui alta resistência mecânica, alta condutividade elétrica, alta elasticidade e condutividade térmica. Tais propriedades físicas e eletroquímicas despertaram o interesse em seu uso na construção de sensores e biossensores com uma ampla gama de aplicações diagnósticas para LV. Diversos estudos têm mostrado que o tratamento de dados obtidos através de Redes Neurais Artificiais (RNA) são efetivos para predizer a presença e quantificar substâncias através dos métodos eletroquímicos. As (RNA) permitem que, a partir do aprendizado, a busca pela presença do antígeno possa ser detectada e quantificada. Para validar os resultados, também haverá análise estatística através do software OriginPro versão 8.0 e GraphPad Prism versão 7.04 a um nível de significância de P<0,05.
  • Universidade Federal do Triângulo Mineiro - MG - Brasil
  • 28/10/2020-30/04/2021
Foto de perfil

Renata Santoro de Sousa Lima Mobley

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • sentinelas da amazônia azul: distribuição e abundância de cetáceos entre a costa nordeste do brasil e o arquipélago de são pedro e são paulo.
  • Cetáceos são considerados sentinelas do mar pois atuam tanto na base da teia trófica, quanto como predadores de topo, e ao morrerem suas carcaças são importante fonte alimentar para organismos detritívoros no assoalho oceânico. Assim, sua ocorrência, distribution e abundância denunciam a saúde de todo ambiente marinho. Como estudos sobre cetáceos que ocorrem em regiões oceânicas são escassos, principalmente em águas pelágicas brasileiras. Esta proposta irá aproveitar os cruzeiros da Marinha do Brasil da cidade de Natal (RN) para o Arquipélago de São Pedro e São Paulo (ASPSP) para obter dados sobre a fenologia de ocorrência de cetáceos neste corte do Oceano Atlântico Sul Ocidental, além de estimar a distribuição e abundância destes animais que poderão servir como informação base sobre biodiversidade marinha, sua contaminação e ações para sua conservação. Tecnologias complementares serão utilizadas incluindo desenvolvimento de hardware e software para detecção, classificação e localização de sinais a partir de monitoramento acústico passivo com colaborações inter-institucionais, nacionais e internacionais.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 15/08/2020-31/08/2023
Foto de perfil

Renata Vidor Contri

Ciências da Saúde

Farmácia
  • desenvolvimento de formulações farmacêuticas inovadoras de nanocristais para o tratamento de infecções fúngicas dermatológicas recalcitrantes
  • As doenças fúngicas acometem um grande número de pessoas e apresentam uma mortalidade considerável, sendo um problema de saúde pública. O tratamento para micoses de pele e unha pode ser realizado de forma tópica ou oral. O tratamento tópico evita alguns efeitos adversos e interações medicamentosas advindos do uso oral, porém muitas vezes apresentam baixa eficácia e longo tempo de tratamento, o que mostra a necessidade de novas moléculas e novas formulações. Os nanocristais podem ser uma alternativa de tratamento até então pouco explorada neste contexto. Este tipo de nanopartícula, já bastante estudado para uso oral, recentemente vêm sendo proposto também para aplicação na pele, visando ao aumento da penetração cutânea de ativos com pouca solubilidade em água, tornando o tratamento mais eficaz. Esta proposta de pesquisa tem por objetivo desenvolver e caracterizar nanocristais dos antifúngicos potentes e de amplo espectro (ciclopirox, clioquinol e tioconazol) e estudar a influência destes na penetração/permeação cutânea e ungueal e na atividade antifúngica in vitro e ex vivo dos fármacos, utilizando cepas fúngicas de difícil tratamento. Ainda, o projeto propõe o desenvolvimento de formas farmacêuticas semissólidas e filmes bioadesivos baseados em polímeros inovadores para a aplicação dos nanocristais em pele e em unha.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renata Waleska de Sousa Pimenta

Outra

Divulgação Científica
  • semana nacional de ciência e tecnologia 2020 - “inteligência artificial: a nova fronteira da ciência brasileira”
  • A proposta tem sob seu escopo a realização do evento Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2020 - “Inteligência artificial: a nova fronteira da ciência brasileira”, entre os dias 19 e 23 de outubro do ano corrente, no Instituto Federal de Ciência e Tecnologia (IFSC) – Câmpus Gaspar. Dada a sua localização estratégica, equidistante da região central dos municípios de Blumenau e Gaspar, e sua atuação na microrregião que lhe cabe atender (a microrregião de Blumenau), o câmpus vem atuando de forma integrada a ambos os municípios, com amplo histórico de ações desenvolvidas em parceria com outras instituições de ensino da região, bem como o poder público e os arranjos produtivos locais. Também vem atuando de forma intensa na área de formação de formadores, com programas de formação continuada que atendem, desde 2012, diversos municípios da microrregião. O câmpus atendeu, em 2019, segundo dados da Plataforma Nilo Peçanha, mais de 2500 alunos. Se somarmos a esses alunos os professores envolvidos em programas de formação continuada, chegaríamos a quase 3500 pessoas diretamente atendidas pelo câmpus apenas no ano passado em programas de ensino, para além dos atendidos em programas, projetos e ações de extensão e de pesquisa, inclusive na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que chega, no câmpus, a sua nona edição. Ainda é digno de nota que a expertise do câmpus na área de extensão está vinculada, entre outros fatores, ao fato de que todos os seus cursos superiores possuem a extensão curricularizada desde a sua concepção. Para 2020, o evento que materializa a SNCT, será realizado de forma virtual, mesclando diversas estratégias para alcançar seu público-alvo, composto pela comunidade interna, comunidade externa de forma geral, professores em atuação nas redes públicas de ensino, alunos de outras escolas de educação básica e arranjos produtivos. O evento terá três focos temáticos: Formação de Formadores; Difusão da(s) Cultura(s) e Popularização da Ciência e Tecnologia. Essas temáticas serão recobertas ao longo da semana a partir da oferta de uma diversidade de atividades, que incluem: oficinas, rodas de conversa virtual, palestras oferecidas em forma de lives e webinars, podcasts para rádios locais, mostra de arte e cultura virtual, Cine-debate, Mostra científica (para a exposição de pesquisas de alunos de pós-graduação, graduação, e trabalhos de iniciação científica de cursos técnicos), Mostra Científica Escolar (no modelo Feira de Ciências) para a exposição de trabalhos de estudantes dos diversos níveis da educação básica das redes no entorno.
  • Instituto Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 20/10/2020-30/04/2021
Foto de perfil

Renate Krause Sakate

Ciências Agrárias

Agronomia
  • bemisia tabaci no brasil: transmissão de vírus, competitividade e performance em plantas cultivadas e ervas invasoras sadias e com vírus
  • As moscas-brancas (Bemisia tabaci) são pragas de grande importância no mundo, principalmente por serem vetoras de vírus de plantas. O complexo B. tabaci é classificado em espécies crípticas das quais Middle East-Asia Minor 1, MEAM1 (também conhecida por biótipo B) e Mediterranean, MED, também chamada de biótipo Q são altamente invasivas e estão relacionadas aos grandes prejuízos atribuídos ao inseto. A espécie MEAM1 foi relatada no Brasil em 1992, enquanto que MED foi verificada inicialmente no Rio Grande do Sul em 2013 e em 2014 no Estado de São Paulo e Paraná. Pela introdução recente de MED, pouco se sabe sobre sua capacidade adaptativa às condições brasileiras. Deste modo, o projeto tem como principais objetivos verificar a habilidade competitiva das espécies MED e MEAM1 em plantas de tomateiro, pimentão, feijoeiro, soja e algodão. A performance do inseto também será avaliada pela análise do ciclo, oviposição, viabilidade de ovos e ninfas e emergência de adultos. Estes mesmos parâmetros serão testados em plantas daninhas como Datura stramonium, Nicandra physaloides, Solanum americanum e Euphorbia heterophyla, hospedeiras do principal begomovirus em tomateiro, o tomato severe rugose virus (ToSRV). Plantas de tomateiro sadias e infectadas por ToSRV, bem como de feijoeiro sadias e infectadas por cowpea mild mottle virus e bean golden mosaic virus serão avaliadas quanto ao ciclo de MED e MEAM1, a fim de verificar a influência do vírus sobre o inseto. Além disto será realizado um acompanhamento de áreas onde MED já foi verificada no Estado de São Paulo a fim de monitorar a presença do inseto e de vírus associados. Os dados em conjunto permitirão verificar se há deslocamento da espécie MEAM1 por MED; qual espécie tem maior habilidade competitiva considerando os diversos hospedeiros de importância econômica estudados e quais vírus estão sendo associados à presença deste inseto.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Altobelli Antunes

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • estudo do efeito de parâmetros de anodização sobre o comportamento de corrosão sob tensão da liga de magnésio az61
  • A resistência à corrosão das ligas de magnésio é baixa para uma grande variedade de aplicações industriais. O principal desafio é controlar a velocidade de dissolução da liga de magnésio, pois o material precisa manter sua integridade estrutural durante sua utilização. Neste sentido, o controle da velocidade de corrosão deve ser realizado por meio de tratamentos de superfície. Processos eletrolíticos como anodização podem ser aplicados às ligas de magnésio para aumentar sua resistência à corrosão. Ao mesmo tempo em que os tratamentos de superfície são necessários para aumentar a estabilidade química das ligas de magnésio, a resposta desses materiais aos esforços mecânicos de tração é importante. Ligas de magnésio são susceptíveis à corrosão sob tensão. Esse fenômeno, porém, é pouco compreendido para as ligas de magnésio com aplicações estruturais, especialmente com relação ao material na condição anodizada. Com base neste cenário, o objetivo do projeto aqui apresentado é investigar o efeito de tratamentos de anodização da liga de magnésio AZ61 sobre seu comportamento de corrosão sob tensão. A técnica de microscopia eletroquímica de varredura (SECM) será empregada para identificar os sítios ativos de corrosão localizada na superfície da liga AZ61, estudando sua correlação com o mecanismo de corrosão sob tensão.
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Andreotti e Silva

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • imunoproteção de bovinos contra o carrapato utilizando peptídeos antigênicos desenhados a partir do transcriptoma do carrapato (rhipicephalus microplus).
  • Produtores adotam práticas de controle nas quais a frequência de uso de acaricidas associada à maneira inadequada de aplicação tem levado as populações de carrapatos a tornarem se resistentes aos poucos grupos ou famílias de produtos carrapaticidas existentes no mercado nacional. Isso aumenta os riscos de contaminação ambiental e humana pela intensificação do uso como também eleva os custos do controle do carrapato na produção de bovinos, cuja estimativa gira em torno de 11 bilhões de reais. Métodos alternativos de controle do carrapato R. microplus têm sido estudados como o uso de vacinas. As vacinas comerciais contendo a proteína recombinante Bm86, GavacTM e TickGardPLUS contra o carrapato dos bovinos, R. microplus, têm mostrado eficácia moderada com proteção de 49,2% e 46,4%, respectivamente, desta forma faz-se necessária a disponibilização de novos antígenos com eficácia suficiente para realizar o controle do carrapato. Entre os estudos pós-genômicos factíveis para organismos parasitas destaca-se a busca em larga escala, por meio da bioinformática, em que potenciais antígenos podem ser testados em prol de uma vacina polivalente. A resistência dos bovinos aos carrapatos é multigênica e seus produtos participam de processos metabólicos que contribuem para o desenvolvimento da resposta imune levando ao controle da infestação de carrapato. Desta forma, é necessário relacionar o perfil da resposta ao estímulo dos antígenos apresentados em animais sensíveis e sua relação com os efeitos em animais resistentes durante o desafio com os carrapatos. Assim, serão apresentados os melhores algoritmos dos antígenos potenciais baseados no transcriptoma do carrapato R. microplus e avaliada a resposta dos bovinos por meio da comparação das respostas em raças sensíveis e resistentes. O projeto tem por objetivo comparar o estímulo de peptídeos antigênicos contra o carrapato-do-boi, ao perfil da resposta imune comparando raça sensível e resistente e suas respectivas proteções contra o carrapato.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Carrhá Leitão

Outra

Ciências Ambientais
  • plataforma lignoquímica: mdf e resinas obtidos a partir do bagaço de cana-de-açúcar
  • Considerando a produção de bagaço de cana-de-açúcar de 152 x 106 t de bagaço (safra 2017-2018), pode-se estimar até 38 x 106 t de lignina disponível para utilização pela indústria química, incluindo a produção de resinas. No entanto, o processo de modificação da lignina, de forma a deixá-la adequada a substituir a molécula de fenol em resinas, ainda não está completamente conhecido. Isto porque não se conhece a estrutura exata da lignina in natura, cuja molécula é formada por unidades fenilpropano se ligam formando um arranjo tridimensional aleatório. Além disto, como cada biomassa lignocelulósica contém ligninas com composição distintas, não se conhece a melhor proporção de lignina a ser usada na fabricação de uma resina que seja adequada a fabricação de MDF ou na fabricação de outras resinas de maior valor agregado. Em um projeto anterior, liderado por este proponente, demonstrou-se que a lignina pode substituir parcialmente os fenóis de origem petroquímica na síntese de resinas destinadas a fabricação de MDF. No entanto, verificou-se que, tanto a resina, como o MDF resultante não atenderam completamente às normas da ABNT. Além disto, é possível produzir uma resina de alto valor agregado (polibenzoxazinas) usando os fenóis obtidos da lignina. Testes iniciais mostraram que a lignina pode ser usada em polibenzoxazinas, mas resulta em uma resina com baixa trabalhabilidade (quebradiça e não homogênea). Neste caso, uma alternativa é a despolimerização da lignina, gerando fenóis que podem ser mais facilmente utilizáveis, através de um processo chamado de pirólise rápida, em que a biomassa (bagaço de cana-de-açúcar ou a lignina previamente extraída) é hidrolisada em reator de alta pressão e temperatura (400-500 °C), gerando um óleo rico em fenóis de baixo peso molecular. Estes fenóis serão usados para produção de resinas ligno-fenol-formaldeído ou polibenzoxazina. Assim, os objetivos deste projeto são: (i) desenvolvimento de um processo de produção de lignina, em escala piloto, para ser usada na produção de resinas ligno-fenol-formaldeído adequadas e otimizadas para produção de MDF; (ii) desenvolvimento de um processo de produção de placas de fibra de média densidade (MDF), usando bagaço da cana-de-açúcar como fonte de fibras e de lignina para síntese da resina ligno-fenol-formaldeído, de acordo com as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT NBR 15316-1:2014 e ABNT NBR 15316-2:2014); (iii) Desenvolvimento de processo em escala de laboratório para produção de resinas ligno-fenol-formaldeído e polibenzoxazinas a partir da lignina do bagaço da cana-de-açúcar, usando o bio-óleo, produzido a partir da pirólise rápida do bagaço da cana-de-açúcar, como fonte de fenóis.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Dantas Rocha da Silva

Outra

Ciências Ambientais
  • ensino de ciências aplicadas como proposta de intervenção na rede pública de ensino: o uso de tecnologias adaptadas ao semiárido como tema norteador
  • Vide projeto anexo
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 12/08/2019-30/11/2021
Foto de perfil

Renato de Almeida Sarmento

Ciências Agrárias

Agronomia
  • respostas fisiológicas, moleculares e metabólicas induzidas pela vespa-da-galha-do- eucalipto (leptocybe invasa fisher & la salle (hymenoptera: eulophidae)) em clones de eucalipto, em um contexto de mudanças climáticas
  • O setor florestal brasileiro sofreu grande impacto com a rápida disseminação da vespa-da-galha-do-eucalipto (Leptocybe invasa Fisher & La Salle; Hymenoptera: Eulophidae), que se espalhou por viveiros e plantações em toda a América do Sul, África, Ásia, Oriente Médio e Mediterrânico. Especialmente em áreas com algum déficit hídrico, onde os genótipos mais promissores eram suscetíveis a esta praga. Essa vespa causa graves danos através da indução de galhas em pecíolos e nervuras de folhas e entrenós de ramos jovens. A compreensão dos mecanismos de respostas induzidos por essa praga é essencial para se estabelecer estratégias sustentáveis para seu controle. Nossa proposta permite a exploração da variabilidade genética dos principais materiais em uso no Brasil, com características de resistência à seca, através do estudo de características morfológicas/bioquímicas, de expressão de genes e do perfil metabólico relacionadas com as respostas induzidas pelo ataque da vespa-da-galha-do-eucalipto. A equipe envolvida no projeto possui alta qualificação técnico-científica e formação diversificada e conta ainda com a colaboração de dois centros de pesquisa nacional e um internacional. Pretende-se, portanto, contribuir para interligar informações dos processos envolvidos na indução de respostas defensivas de plantas ao parasitismo de insetos, desde a regulação de genes até a resposta fisiológica. Esta estratégia permitirá reunir uma vasta gama de dados, que incluem a expressão de genes/metabólitos até a performance dos clones. Ademais, nossa proposta fornecerá ferramentas para o desenvolvimento de marcadores para serem usados na seleção precoce de plantas mais tolerantes ao ataque da vespa-da-galha-do-eucalipto ao mesmo em que selecionará plantas que apresentam menor consumo hídrico. Cumpre mencionar também que, até o momento, não foram encontradas quaisquer estratégias de controle eficaz para combater esta praga. Por isso, a seleção de clones menos susceptíveis à vespa-da-galha-do-eucalipto e, ao mesmo tempo, mais tolerantes ao déficit hídrico, é a melhor ferramenta preventiva a médio/longo prazo capaz de garantir a produtividade, qualidade e sustentabilidade do setor florestal em um cenário de mudanças climáticas.
  • Universidade Federal do Tocantins - TO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato de Lima Santos

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • desenvolvimento de protocolos vacinais polivalentes para controle de brucelose em diferentes espécies animais
  • Este projeto tem plena aderência à proposta recentemente aprovada no mérito pelo CNPq, porém não financiada, para o INCT em Saúde Animal e Zoonoses e ampla sustentação nos trabalhos que nosso grupo tem desenvolvido na área de patologia, patogênese e vacinologia de brucelose. Ao estudar uma ilha genômica específica de B. ovis, nosso grupo identificou um sistema transportador ABC necessário para virulência. Embora o substrato desse transportador ainda não tenha sido identificado, demonstramos que sua deleção interfere com a expressão do sistema de secreção do tipo IV codificado pelo operon virB, de forma pós-transcricional, sendo, portanto, necessário para o tráfego intracelular da B. ovis. A cepa mutante B. ovis [delta]abcBA (Bo[delta]abcBA), que tem deleção do transportador ABC, também se mostrou fortemente atenuada em carneiros, hospedeiros naturais da B. ovis, mas provocou resposta imune humoral e celular semelhantes àquelas desencadeadas pela cepa parental. Com base nesses resultados, nosso grupo desenvolveu uma vacina para prevenção da infecção por B. ovis em carneiros baseada na cepa Bo[delta]abcBA, que produziu em imunidade estéril. Os carneiros vacinados com a cepa Bo[delta]abcBA e desafiados experimentalmente com a cepa virulenta de referência não desenvolveram sinais clínicos, não apresentaram neutrófilos no ejaculado, não desenvolveram lesões macro ou microscópicas, não eliminaram a cepa vacinal e nem a cepa virulenta pelo sêmen ou urina e não tiveram colonização pela cepa virulenta em órgãos alvo de B. ovis. Devido a esses excelentes resultados e a ausência de vacinas específicas para B. ovis disponíveis, essa vacina foi objeto de um pedido de patente depositado no INPI (Número de registro: BR1320150324862). As vacinas atualmente utilizadas para prevenção de brucelose em ruminantes (cepas B19 e RB51 para bovinos e Rev1 para pequenos ruminantes) têm alguns inconvenientes, pois: (i) apresentam patogenicidade residual para os animais, podendo causar aborto, (ii) têm potencial zoonótico, havendo diversos relatos de infecção humana por essas cepas e (iii) interferem com as provas sorológicas utilizadas para o diagnóstico de brucelose (com exceção da RB51). Considerando os resultados já alcançados com a cepa vacinal desenvolvida em nosso laboratório (Bo[delta]abcBA), nossa hipótese é que a mesma possa ser um vetor para carreamento de epitopos protetores que possam induzir resposta protetora contra todas as espécies de Brucella spp. de relevância para os animais domésticos. Tal estratégia, absolutamente original, é muito relevante, pois a cepa Bo[delta]abcBA não causa doença no homem, não é patogênica para os animais (como demonstrado por nosso grupo) e possui LPS rugoso, não interferindo com as provas sorológicas de rotina. Portanto, essa cepa pode permitir o desenvolvimento da vacina ideal para o controle de brucelose. O primeiro passo para o desenvolvimento de uma vacina polivalente para brucelose com base nessa tecnologia é a avaliação de proteção em camundongos e de inocuidade e resposta imune em bovinos, que é a principal espécie de interesse econômico e zootécnico no Brasil. Além da brucelose bovina, que tem grande relevância econômica para o Brasil, a brucelose canina tem sido claramente negligenciada e carece de estudos e do desenvolvimento de ferramentas adequadas para seu controle. Recentemente, um estudo realizado por nosso grupo demonstrou que a infecção por Brucella canis em cães é muito freqüente, ultrapassando 20% dos cães neonatos de canis comerciais. Além disso, demonstramos que a B. canis tem distribuição pantrópica em órgãos de cães neonatos, aumentando o risco de infecção humana. Considerando que os genomas de B. ovis e B. canis são muito conservados, que ambas são espécies de Brucella com LPS naturalmente rugoso (sendo este um importante determinante antigênico) e que não há vacinas disponíveis para a prevenção da infecção por B. canis em cães, propomos a hipótese de que a cepa vacinal Bo[delta]abcBA, altamente eficaz para prevenção da infecção por B. ovis em carneiros, seja inócua para cães e indutora de resposta imune protetora contra a infecção por B. canis. Dados preliminares, ainda não publicados, demonstraram que a cepa Bo[delta]abcBA protege camundongos contra o desafio experimental com B. canis, indicando seu potencial protetor para o cão. Nesta etapa, avaliaremos a inocuidade da cepa vacinal em cães, visando posterior estudo de indução de resposta imune protetora. Embora a necessidade do uso de vacinas vivas tenha se tornado um quase dogma na brucelose, recente estudo de meta-análise realizado por nosso grupo, demonstrou que vacinas inativadas têm potencial protetor em hospedeiros naturais vacinados contra Brucella spp. Considerando a incomparável segurança oferecida por vacinas inativadas aos vacinadores, uma vez que há inúmeros casos de infecção humana por cepas vacinais, bem como o surgimento de novos adjuvantes que direcionam a resposta imune para uma resposta celular (tipo Th1), que é protetora no caso da brucelose, os resultados da meta-análise mencionados acima fazem com que a avaliação de protocolos vacinais baseados em vacinas inativadas torne-se atraente. Nosso objetivo geral de longo prazo é o desenvolvimento de novos protocolos vacinais para prevenção da brucelose em diferentes espécies animais, consequentemente mitigando o risco de brucelose humana. A presente proposta nos permitirá avançar em três frentes: (1) utilizar a cepa vacinal Bo[delta]abcBA como vetor superexpressando proteínas sabidamente imunogênicas e conservadas em todas as espécies clássicas de Brucella, para imunização de bezerras visando proteção contra infecção por B. abortus; (2) avaliar a inocuidade e imunogenicidade da cepa vacinal Bo[delta]abcBA para cães, visando proteção contra infecção por B. canis; e (3) avaliação de vacinas inativadas por irradiação associadas a adjuvantes de última geração.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Ferracini

Lingüística, Letras e Artes

Artes
  • angostura: memórias, esquecimentos, presenças, vida
  • A pesquisa é uma iniciativa integrada que, por meio da metodologia cartográfica e da tensão gerada entre a filosofia da diferença e a arte presencial visa a problematização, conceituação e produção sistematizada de um conjunto de práticas cujo foco é a construção de efeitos de presença. Para tanto o projeto divide-se em duas etapas complementares. 1) Uma pesquisa prático-artística que tem como objetivo a ampliação e redimensionamento tanto do conceito como dos procedimentos práticos da Mímesis Corpórea e do chamamos de Treinamento do Ator a partir de um acompanhamento do processo criativo chamado, inicialmente, de "Projeto Angostura" com a participação de 4 atores-pesquisadores do LUME, 2)Uma pesquisa prático-teórica envolvendo pesquisadores de mestrado e doutorado cujo tema básico a ser investigado será o da "Construção de Efeitos de Presença" a partir de pontos de vista variados.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Ferreira de Velloso Vianna

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • subvariedades lagrangianas e teoria de gromov-witten aberta
  • Minha área de pesquisa é em geometria simplética. Meus interesses acadêmicos incluem subvariedades Lagrangianas, homologias de Floer, categoria/álgebras de Fukaya, “Mirror Symmetry”, fenômeno de “wall- crossing” (para discos J-holomórficos com fronteiras em Lagrangianas), fibrações quase-tóricas e teoria de Gromov-Witten (GW) aberta. Os subprojetos descritos a seguir são baseados nos tópicos acima descritos e suas relações: 1) Levantamento de Lagrangianas em divisores de Donaldson e seu superpotencial: Um divisor de Donaldson D pode ser exemplificado como uma subvariedade complexa de uma variedade Fano X, com certa propriedade. Estudamos o relacionamento entre o potencial (parte de invariente de GW aberto) de subvariedade Lagrangiana L em D, com o levantamento de Biran a uma subvariedade Lagrangiana L' em X. Pode-se entender esta como uma versão aberta de um Teorema de Givental-Coates para decendentes gravitacionais, que são invariantes de GW fechados de X relativo a D. 2) Investigar todos decendentes gravitacionais, generalização de invariantes de GW fechados de uma variedade simplética X, em termos de superpotencial de um tóro monótono Lagrangiano em X. 3) Generalização de fibrações quase-tóricas para dimensões maiores que 4: Fibrações quase tóricas, definidas em dimensão 4, mostraram-se extremamente eficazes em descrever a topologia simplética e entender aspectos da Categoria de Fukaya, bem como relações em Mirror symmetry, em particular através dos trabalhos de M. Gross et al. Exemplos avulsos de fibrações que devem ser consideradas quase-tóricas já aparecem na literatura, em particular em trabalho próprio. Uma formalização desta se faz necessária em dimensões maiores, incluindo generalização de operações como `nodal trade' e `nodal slide'. 4) Fibrações ainda mais singulares: Existem restrições topológicas para obter-se fibrações quase-tóricas. Porém, flexibilizando singularidades, pode-se obter fibrações Lagrangianas em diversos tipos de superfícies algébricas. De particular interesse, buscamos fibrações em superfícies de tipo geral, por exemplo, na hipersuperfície quintica de CP^3. 5) Fibrações quase-tóricas em `orbifolds': Estudar fibrações quase-tóricas em superfícies `orbifold' permitindo fibras nodais com singularidade da variedade ambiente X. Analizar mutações correspondentes, invariantes de GW abertos das fibras, fórmula de `wall-crossings' e mais. 6) Não deslocamento de família de tóros Lagrangianos em fibrados de linha positivos: Combinar trabalhos de Abreu-Macarini, Fukaya-Oh-Ohta-Ono, bem como Biran-Khanevsky e Diogo-Tonkonog-Vianna-Wu para estudar não deslocamento de família de tóros Lagrangianos. 7) `Star-shapes' de Lagrangianas em variedades simpléticas não compactas, convexas no infinito: Espandir no trabalho recente com Shelukhin e Tonkonog, que estuda fluxos de isotopias de Lagrangianas para o caso acima mencionado. Gerar o análogo da função invariante \Psi neste caso, considerando cilindros holomórficos assimtopticos ao Lagrangiano e a órbitas de Reeb no infinito. 8) Outros trabalhos: Destaque especial para classificação de tóros Lagrangianos em CP^2 possivelmente usando técnicas de ECH (Embedded Contact Homology).
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Grillo

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • nanocarreadores hibridos para liberação controlada de herbicida: preparo, caracterização e destino no solo
  • O crescente avanço populacional junto a necessidade de produzir maior quantidade de alimentos no planeta, fez com que novas tecnologias pudessem ser exploradas, tornando as práticas agrícolas mais eficientes, sustentáveis e precisas. O desenvolvimento de nanocarreadores para encapsulação de pesticidas, é um exemplo disto, uma vez que vêm aumentando a eficácia e reduzindo a toxicidade de pesticidas no ambiente. Entretanto muitos nanopesticidas são inespecíficos, e pouco se conhece sobre os mecanismos de liberação e o destino deles no ambiente. Neste sentido, o presente projeto visa preparar e caracterizar nanocarreadores híbridos de poli(epsilon)caprolactona revestidos com quitosana, a fim de produzir um sistema de liberação inteligente responsivo ao pH para o herbicida atrazina. Também, nanopartículas de óxido de ferro serão incorporadas aos nanocarreadores para conferir propriedade magnética ao sistema, a fim de facilitar sua identificação no solo. Além disso, será comparado o destino do herbicida associado ou não aos nanocarreadores híbridos em diferentes valores de pH, através de ensaios de cinética de liberação in vitro em membrana artificial, cinética de sorção, mobilidade e lixiviação em coluna de solo. Dessa forma, este projeto poderá trazer avanços importantes para o entendimento da liberação e o destino de nanopesticidas no solo, bem como, contribuir para o desenvolvimento de uma nova formulação inteligente (responsiva ao pH) para a agricultura, proporcionando assim alternativas mais eficientes para o controle de pragas na agricultura.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Leão Rego

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • a ideia de cidades satélites, a região urbana e o crescimento das cidades brasileiras. caracterização das manchas urbanas do norte do paraná, do norte de mato grosso, e do distrito federal.
  • Esta pesquisa trata de analisar a expansão urbana recente de conjuntos de cidades constituídos a partir da adaptação da deia de cidades satélites e reconhecer seus modelos de crescimento. De natureza histórico-interpretativa e baseada em estudo de caso múltiplo, esta contribuirá para a orientação de futuras ações de planejamento ao reconhecer a estrutura ambiental das regiões urbanas estudadas.
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renato Machado Cotta

Engenharias

Engenharia Mecânica
  • projeto aqua vitae: recuperação de calor rejeitado de sistemas térmicos e reaproveitamento em dessalinização de água por destilação com membranas superhidrofóbicas
  • As metas de desenvolvimento sustentável preconizadas pelas Nações Unidas tem estimulado nos últimos anos, no contexto da engenharia térmica, pesquisas científicas e tecnológicas em reaproveitamento de calor rejeitado com altas e baixas exergias, seja da geração de energia ou da indústria de processos em geral, em processos secundários alinhados com esses objetivos. Por outro lado, avanços em nano em micro-tecnologias, tem permitido aumentos de eficiência substanciais em processos de transferência de calor e massa, que sob determinadas condições econômicas e estímulos de conservação ambiental, podem levar a inovações para aproveitamento nesse contexto. O Projeto Aqua Vitae é uma proposta de pesquisa que se dedica à modelagem e análise de processos de destilação por membranas em contato direto (DCMD), visando a dessalinização de água a partir de recuperação de calor rejeitado em diferentes fontes. Além de propor um modelo melhorado para o processo de transferência simultânea de calor e massa em DCMD, a pesquisa pretende modificar membranas comerciais para introduzir características de superhidrofobicidade às superfícies em contato com as correntes quente e fria de água, bem como geometricamente micro-estruturar essas superfícies para intensificação da transferência de calor em cada lado, mitigando portanto o efeito de polarização de temperatura. As membranas modificadas serão então testadas em aparato experimental dedicado à avaliação da eficiência do novo processo e validação do modelo teórico proposto. Finalmente, módulos de membranas superhidrofóbicas serão montados para testes e demonstração na Unidade de Dessalinização por Membranas disponível na COPPE/UFRJ, com recuperação de calor de um coletor solar, de novo visando a validação do modelo matemático construído para todo o conjunto. Por último, análises termodinâmicas serão realizadas para avaliar a viabilidade técnica do emprego do processo DCMD otimizado a partir de diferentes fontes térmicas, como pequenos reatores modulares (SMR´s), motores de combustão interna estacionários ou marítimos, e painéis fotovoltaicos de alta concentração (HCPV´s).
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022