Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Simone Souza Monteiro

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • testagem rápida para o hiv e promoção da saúde entre mulheres trans/travestis, gays/hsh e trabalhadoras sexuais: uma revisão integrativa
  • Segundo documentos oficiais recentes, a realização do teste de HIV é crucial para o sucesso da estratégia conhecida como “Tratamento para Todas as Pessoas” (TTP) ou “Tratamento como Prevenção” (TcP). Dado o compromisso do Brasil com as políticas globais de Aids, as respostas programáticas para o controle da epidemia vêm se apoiando em variadas iniciativas de ampliação do acesso ao diagnóstico com fins de prevenção. Projetos e programas de promoção da saúde e prevenção do HIV vêm assumindo o compromisso de oferecer o diagnóstico precoce e a remissão oportuna ao tratamento das populações consideradas chave pelas políticas, como mulheres trans/travestis, gays e outros homens que fazem sexo com homens (HSH) e profissionais do sexo. Tais iniciativas, nacionais e internacionais, vêm oferecendo testagem em lugares públicos, privados e em horários variados a fim de alcançar grupos populacionais com maior dificuldade de acesso e acolhimento nas unidades convencionais da rede de saúde. Organizações não-governamentais (ONGs), locais de sociabilidade e de interação sexual e domicílios (por meio do autoteste) tornam-se espaços alternativos para a realização da testagem para o HIV. Embora apresentem relevantes resultados, esses programas e ações de testagem não têm alcançado uniformemente as populações definidas como chave nas políticas de prevenção. Ademais se articulam, de forma diferenciada, com estratégias de prevenção e iniciativas mais amplas de promoção da saúde. Nesse sentido, o presente projeto pretende analisar os desafios implicados na tradução das atuais políticas globais de Aids para as realidades locais, focalizando seus alcances segundo os diferentes universos populacionais aos quais se destinam. Assim, tem-se o intuito de reunir e sistematizar achados da produção acadêmica a respeito do desenvolvimento de ações e programas de promoção da saúde e de controle epidemiológico baseadas na testagem de HIV, por meio de uma revisão integrativa. Tal revisão visa contemplar pesquisas acadêmicas e formativas, nacionais e internacionais, publicadas em bases de dados, durante o período de 2010 a 2019, que abordem estratégias de prevenção e promoção da saúde e de oferta da testagem de HIV junto a mulheres trans/travestis, gays/HSH e trabalhadoras sexuais. A revisão da literatura pretende trazer luzes sobre desdobramentos específicos das políticas globais entre populações sexualmente marginalizadas e mais vulneráveis ao HIV e outras ISTs. A compilação e a análise dessa produção científica têm o potencial de indicar os alcances e limites das estratégias de prevenção apoiadas na testagem do HIV, visando superar seus obstáculos e lacunas
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 06/01/2020-31/01/2023