Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Aldina Maria Prado Barral

Ciências da Saúde

Medicina
  • ferramentas simples para diagnóstico e prognóstico da covid-19 no sus utilizando sintomas e saturação de oxigênio
  • Investigaremos as características clínicas dos pacientes com COVID-19 para desenvolver escores simples de diagnóstico e prognóstico para apoio na triagem dos pacientes com sintomas respiratórios e para orientar o prognóstico. Essas ferramentas serão para ampla utilização no SUS mesmo após curva inicial da epidemia, com a qual deveremos lidar por pelo menos mais dois anos. Aplicaremos métodos modernos e robustos de análise de dados, como rede neural e aprendizado de máquina (machine learning), para criar ferramentas clínicas precisas, repetindo estratégias de sucesso desenvolvidas pela nossa equipe e por outros pesquisadores, em síndromes febris virais. Tal estratégia é de grande importância considerando a rapidez como a COVID-19 propagou-se no mundo, impondo desafios especialmente para identificação precoce dos doentes e, entre esses, daqueles que necessitarão de internamento hospitalar. O diagnóstico laboratorial por PCR para identificar a infecção nos primeiros dias não está sendo realizado em massa pela escassez de kits para detecção molecular e necessidade de equipamento sofisticado. Por outro lado, os testes sorológicos disponíveis atualmente têm melhor desempenho após a segunda semana de sintomas, com pouca vantagem como estratégia para evitar disseminação do vírus. Adicionalmente, afora os fatores de risco de mortalidade, não é possível identificar precocemente o perfil clínico dos casos que irão necessitar de cuidados hospitalares. Para diagnóstico rápido e prognóstico de internamento é preciso criar ferramentas de vigilância que envolvam aspectos clínicos iniciais da doença. Essas ferramentas são factíveis considerando que, embora muitos sintomas de COVID-19 se assemelham a de outros quadros virais, há peculiaridades na apresentação clínica, como as alterações de olfato e de paladar. Com início precoce (em média 4 dias), essas alterações sensoriais foram descritas entre 45% a 86% dos casos de COVID-19, com alta especificidade, por tratar-se de sintomas incomuns em outras viroses. A associação dessas alterações sensoriais com outros sintomas da frequentes de COVID-19 infecção resultará em um escore diagnóstico de boa acurácia. Na avaliação de marcadores de prognóstico, além dos sintomas pretendemos analisar a taxa de oxigenação do sangue utilizando oximetria de pulso, uma medida indireta e simples para acessar a função pulmonar que tem sido utilizada em outros modelos de predição de infecção respiratória. Pretendemos realizar um estudo com 1200 pacientes testados para SARS-CoV-2 e outras viroses por PCR e/ou sorologia, aplicando questionário em dois momentos nos primeiros 30 dias de sintomas. Serão investigados presença e duração da manifestação clínica, condições coexistentes, uso de medicamentos, valor da oximetria e internamento hospitalar relacionado a COVID-19. Adicionalmente, em um grupo de pacientes positivos, pretendemos caracterizar e confirmar as queixas de alterações de olfato e paladar utilizando testes específicos. As características clínicas serão analisadas por árvore de decisão e análise multivariadas para derivação dos escores clínicos de risco de infecção e de internamento. Os escores serão derivados e validados em populações de diferentes estados e submetidas ao mesmo protocolo de avaliação. Os produtos desse estudo, duas ferramentas clínicas simples, de fácil utilização e aplicação sem custo adicional ao sistema de saúde, poderão ser utilizadas no contexto do SUS pela equipe de saúde de atenção primária. Esses escores serão especialmente úteis no período pós-epidemia considerando a necessidade de criar prioridades de atenção à saúde e de vigilância de novos surtos da doença num cenário de a escassez de recursos financeiros.
  • Fundação Oswaldo Cruz - BA - Brasil
  • 17/08/2020-16/09/2022
Foto de perfil

Aldo Jose Gorgatti Zarbin

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • filmes finos e transparentes de nanomateriais complexos para um desenvolvimento sustentável
  • Um filme fino pode ser definido como uma película contínua de um material com espessura de poucos nanômetros, depositadas sobre um suporte, considerado como uma das formas mais versáteis de processar materiais visando aplicações tecnológicas. Filmes finos correspondem à máxima economia possível de um material, o que tem um grande impacto na sustentabilidade (economia de custo e redução de resíduos). Nosso grupo de pesquisa desenvolveu uma nova rota de sintetizar e processar materiais multi-componentes na forma de filmes finos, baseado em interfaces entre líquidos imiscíveis, conhecido por rota interfacial líquido/liquido (RILL). A grande questão que se pretende responder nesse projeto é: podemos usar a técnica de RILL para preparar supercapacitores e bateriais aquosas e sem lítio, células solares, sensores e catalisadores para degradar poluentes? Trata-se de uma problemática de máxima relevância, pois envolve geração de energia limpa (célula solar); armazenamento de energia em dispositivos seguros, mais baratos, acessíveis e sustentáveis (baterias aquosas de íons sódio ou potássio, mais acessíveis e baratos que o lítio; água substituindo os solventes tóxicos e inflamáveis usados nas atuais baterias de íons lítio); e degradação e sensoriamento de pesticidas, uma problemática de extrema relevância no Brasil. Fundamentado em resultados prévios do grupo, que demonstram a viabilidade da proposta, serão preparados filmes inéditos de materiais multi-componentes (nanocompósitos), baseados em combinações entre materiais bidimensionais (grafeno, MoS2, fósforo negro), nanotubos de carbono, análogos de azul da Prússia, complexos inorgânicos e polímeros condutores. As composições serão cuidadosamente planejadas visando melhor desempenho para cada aplicação. Serão estudados aspectos fundamentais (rotas de síntese, interação entre componentes, propriedades dos filmes, relações estrutura/propriedade), e as melhores amostras serão utilizadas para preparação dos dispositivos.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Aldo Lopes Dinucci

Ciências Humanas

Filosofia
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Aldo Tonso

Engenharias

Engenharia Química
  • tecnologia de produção de biopesticida viral em biorreatores utilizando células de insetos para controle da lagarta do cartucho-do-milho
  • O emprego de agentes microbianos para o controle de pragas agrícolas (Controle Biológico) tem se destacado como excelente opção para substituição de agrotóxicos, permitindo uma agricultura onde fatores essenciais como meio ambiente e a saúde humana são preservados. Baculovírus são importantes agentes de controle com exemplos mundiais de sucesso, principalmente no Brasil. A produção comercial de baculovírus é atualmente feita pela multiplicação destes vírus em larvas (in vivo), onde o processo é laborioso, necessita de insetos criados com dieta artificial e infraestrutura específica. Uma alternativa para o aumento na disponibilização de biopesticidas a base de vírus de insetos é a sua produção em larga escala em cultivos celulares (in vitro). Embora essa estratégia ofereça vantagens por proporcionar um processo totalmente controlado e pela presença de linhagens celulares comercialmente disponíveis, ele necessita ser otimizado. Estudos preliminares do nosso grupo indicaram sua potencial aplicabilidade. Neste projeto, pretende-se desenvolver, em cultivos celulares de larga escala, processos de produção de bioinseticida a base de baculovírus (SfMNPV) patogênico a lagarta do cartucho-do-milho (Spodoptera frugiperda), uma praga agrícola de abrangência mundial. Além de padronização de parâmetros de engenharia química para a produção do vírus SfMNPV em biorreator, amostras serão coletadas em diferentes tempos após a infecção para a determinação da formação de partículas virais por Real-time PCR (qPCR), determinação de seu título viral e pela análise da síntese de proteínas por marcação radioativa. A virulência do produto final será avaliada por bioensaios contra o inseto hospedeiro (S. frugiperda). Além disso, também será realizada melhoramento do meio de cultura pela adição de extratos naturais. A possibilidade de elevar a oferta de biopesticidas a base de baculovírus vai atender ao mercado de insumos biológicos, que se encontra em plena expansão.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 10/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alejandro Germán Frank

Engenharias

Engenharia de Produção
  • desenvolvimento do smart working em cadeias de valor inteligentes: uma arquitetura de trabalho suportada pelos conceitos da indústria 4.0
  • A Indústria 4.0 considera tecnologias digitais como Internet das Coisas (IoT), Cloud Computing, Big Data e Inteligência Artificial, que são aplicadas em diferentes soluções tecnológicas para as operações industriais. Este conceito pode apresentar conflitos com a visão do trabalho nas operações tanto de fábrica como do resto da cadeia de valor industrial, incluindo fornecimento, produção, distribuição e serviços de entrega de valor, sendo muitas vezes visto como uma ameaça para o futuro dos empregos. Pesquisas recentes têm olhado este conceito através do Smart Working (SW) (às vezes denominado de Indústria 5.0). O SW considera a utilização das tecnologias 4.0 para o suporte os trabalhadores, ao invés visão de substituição destes por tecnologias. Contudo, pesquisas publicadas sobre os 10 anos de estudo da Indústria 4.0 apontam uma carência de estudos centrados no trabalhador. O presente projeto visa ampliar os estudos inicialmente desenvolvidos pelo grupo do proponente sobre SW na Manufatura, visando integrar toda a cadeia de valor industrial na qual os trabalhadores estão envolvidos. O projeto propõe analisar como as tecnologias digitais da Indústria 4.0 podem suportar aos trabalhadores das diferentes etapas da cadeia de valor ajudando-os a desenvolver suas atividades de forma mais integrada. O projeto também considera os diferentes conhecimentos e competências tecnológicas necessários para os trabalhadores dessas áreas no novo cenário digital. Como objetivo maior, o projeto propõe o desenvolvimento de uma arquitetura de SW que considere roadmaps tecnológicos para o desenvolvimento do conceito nas diferentes etapas da cadeia de valor industrial. O projeto contempla estudos qualitativos e quantitativos que visam explorar tecnologias 4.0 para o trabalho e analisar as relações das mesmas com a performance operacional da cadeia de valor. Como resultado final será construído um modelo abrangente de SW para a cadeia de valor no contexto da Indústria 4.0.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 07/03/2022-31/03/2025