Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Koiti Araki

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • sisnano-usp: nanotecnologias em saúde, meio ambiente e energia
  • O SisNANO-USP: Nanotecnologias em saúde, meio ambiente e energia tem como missão “promover a inovação e o avanço sócio-econômico-cultural através da pesquisa e o desenvolvimento de soluções nanotecnológicas capazes de agregar valor aos produtos”, estando focado na expansão contínua de suas competências e de seu portifólio de tecnologias habilitadoras usando nanomateriais e nanoformulações como plataformas tecnológicas. Nesta edição, a rede está sendo expandida para incluir laboratórios dos campi de Ribeirão Preto e de São Carlos. Neste aspecto, agrega-se ao SisNANO-USP o Instituto de Ciências e Tecnologia em Nanotecnologia Farmacêutica (INCT-Nanofarma) e o CNAI - Centro de Nanotecnologia Aplicado a Indústria, ambos localizados no Campus da USP de Ribeirão Preto. A capacidade de articulação e captação de projetos é ainda maior em função das parcerias com o Instituto SENAI de Inovação “Mário Amato”, SUPERA Parque, e Instituto Osvaldo Cruz, além das colaborações internacionais e boa relação com órgãos reguladores como o ANVISA e MAPA. Assim, as facilidades disponibilizadas possibilitam o desenvolvimento de projetos e convênios tecnológicos e de inovação de grande envergadura, voltados para os mais diversos setores, além de prestação de serviços. O SisNANO-USP se consolidou como um dos principais centros de nanotecnologia do País, sendo reconhecido nacional e internacionalmente na pesquisa, no desenvolvimento de nanotecnologias, especialmente nanomateriais, nanocompósitos e formulações para a saúde humana, animal e cosmético, bem como atuação em segmentos, tais como tratamento e monitoramento da qualidade de águas, processos de purificação e remoção de contaminantes, soluções para o setor automotivo, de polímeros, de óleo e gás, têxtil, baterias, materiais para revestimento, dentre outros, com forte inserção regional e nacional. O SisNANO-USP conta com recursos humanos altamente qualificados, com experiência e conhecimentos científicos-tecnológicos na área de nanotecnologia, além de capacitação em segmentos específicos de interesse do grupo e experiência no desenvolvimento de projeto em parceria com empresas, incluindo adaptação de processos e de escalonamento produtivo. Sua infraestrutura laboratorial está organizada em “core facilities” que possuem equipamentos robustos bem como de alta tecnologia para o desenvolvimento e caracterização físico-química, morfológica e biológica (in vitro e in vivo). A gestão do SisNANO-USP será feita por meio de um Comitê Gestor e Comitê de Usuários que serão responsáveis pelas políticas de atuação do laboratório, prospecção de projetos e organização da insfraestrutura laboratorial. Assim, o SisNANO-USP tem competência e capacidade para liderar projetos de maior envergadura em diferentes segmentos, incluindo a construção dos alicerces de indústrias de base nanotecnológica voltadas para a comercialização de nanomateriais e produtos com nanotecnologia embarcada, a nível nacional e internacional, trazendo soluções inovadoras para os setores da saúde (humana e animal), cosméticos, meio ambiente, de águas, polímeros e energia.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/12/2019-31/12/2023
Foto de perfil

Laerte Guimaraes Ferreira Junior

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • estabelecimento de redes de cooperação interinstitucionais para a formação de recursos humanos e o fortalecimento da pesquisa científica e tecnológica em áreas estratégicas na universidade federal de goiás
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 21/01/2020-20/01/2025
Foto de perfil

Laila Leite Carneiro

Ciências Humanas

Psicologia
  • o papel dos recursos pessoais na vivência de emoções morais associadas à percepção de sucesso na carreira
  • O sucesso na carreira se coloca como uma demanda normativa cultivada pela sociedade contemporânea, a qual se embasa em uma lógica meritocrática e de esforços individuais para estimular o alcance da produtividade. Nesse sentido, jovens adultos em idade economicamente ativa se veem pressionados a buscar um ideal de sucesso que exige o envolvimento intenso e contínuo em atividades diversificadas. Sendo o trabalho um elemento central e estruturante na vida dos indivíduos atualmente, a percepção de ser bem ou mal sucedido na carreira pode interferir diretamente na vivência subjetiva de bem-estar, a qual é representada pela balança hedônica resultante da experimentação de estados afetivos agradáveis e desagradáveis. Dentre os possíveis estados afetivos que podem estar associados à percepção de sucesso na carreira, destacam-se aqueles de cunho moral. Uma emoção moral pode ser caracterizada como um conjunto de alterações fisiológicas e/ou processamento cognitivo que apresentam como consequência o estabelecimento e manutenção da integridade das estruturas sociais humanas. Culpa e vergonha seriam exemplos de emoções morais desagradáveis, resultantes de uma percepção de rompimento em relação a tais estruturas, enquanto orgulho seria um exemplo de emoção moral agradável, que acompanharia a avaliação de estar agindo de acordo com as normas sociais constituídas. Diante do exposto, este projeto visa analisar as interrelações estabelecidas entre a percepção de sucesso na carreira e a vivência de emoções morais, buscando compreender, ainda, como recursos pessoais (como o autoconceito, a autoeficácia e as competências socioemocionais) influenciam tais relações. A hipótese principal é: quanto mais desenvolvidos os recursos pessoais, menor a associação entre a percepção de sucesso na carreira e a vivência de emoções morais desagradáveis. Para investigá-la, propõe-se uma pesquisa transversal, quali-quantitativa, através de survey online, com participantes de 18 a 29 anos de todo o país.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Laio Magno

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • testagem rápida para hiv e promoção da saúde entre travestis, mulheres trans e homens que fazem sexo com homens: uma revisão sistemática
  • O teste rápido de detecção de HIV (TR) vem ganhando protagonismo no mundo todo. Entre 2010 e 2014, mais de 600 milhões de pessoas tiveram acesso a essa modalidade de testagem em países de rendas média e baixa. Baseado em tecnologia simples e de fácil manuseio, o TR prescinde da estrutura laboratorial e de serviço de saúde estruturado, podendo alcançar lugares de difícil acesso e acelerar o alcance de campanhas de testagem. O uso do TR pode significar a superação de problemas como o distanciamento entre usuário e serviço devido à espera pelo resultado. No Sistema Único de Saúde (SUS), o TR vem sendo direcionado para a rotina dos serviços na atenção básica à saúde. Entretanto, mesmo com a consolidação do TR sendo executado com segurança na Atenção Básica à Saúde e nas demais instituições de saúde, restam ainda grupos populacionais não alcançados por esses serviços ou campanhas de testagem, como pode ser verificado na alta taxa de diagnóstico tardio do HIV, especialmente entre homens que fazem sexo com homens (HSH), travestis e mulheres transexuais (TrMT). Faz-se importante ampliar não só a quantidade de testagem rápida ofertada, bem como também diversificar os locais de disponibilização e alcançar as populações em maior risco de infecção pelo vírus. Desse modo, a presente pesquisa tem o objetivo de investigar estratégias de oferta de testagem rápida para detecção de HIV efetivas para alcançar travestis, mulheres trans e homens que fazem sexo com homens em alto risco de infecção pelo HIV, bem como estratégias de promoção de saúde e prevenção de HIV para estas populações. Desse modo, será realizada uma revisão sistemática da literature para responder as seguintes questões: 1-Quais estratégias de oferta de testagem rápida para o HIV/aids mais efetivas para alcançar travestis, mulheres trans e homens que fazem sexo com homens? E 2-Quais as estratégias de promoção da saúde e de prevenção do HIV mais efetivas para travestis, mulheres trans e homens que fazem sexo com homens? As revisões seguirão as recomendações da PRISMA (Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses). Os protocolos deste serão cadastrado na base POSPERO - International prospective register of systematic reviews (https://www.crd.york.ac.uk/PROSPERO/), que possibilita a transparência metodologica e ética de todo o processo de condução do estudo. Serão incluídas as bases do PubMed, Bireme, Scopus, Web of Science, Science Direct, SciELO, Lilacs e Google Acadêmico para identificar os estudos. Adicionalmente, serão identificadas teses e dissertações no banco de teses do periódico Capes, bem como na base Proquest, que dispõe de literatura cinzenta “gray literature”. As referências dos artigos e revisões relacionados à temática das revisões serão avaliadas, no sentido de identificar estudos não indexados nas bases de dados, mas que sejam pertinentes para inclusão nesta revisão. Não será adotado recorte temporal ou restrição de idioma nas buscas e seleção. Os descritores (Decs/Mash) serão inseridos nas bases de dados, por revisores independentes, utilizando-se estratégias booleanas para identificação dos estudos potencialmente elegíveis. As publicações serão gerenciadas no Mendeley para remoção das duplicatas e aplicação dos critérios de inclusão. Os estudos serão selecionados independentemente por dois revisores utilizando formulários com os critérios de elegibilidade das publicações. Ao fim da revisão, os artigos divergentes serão selecionados por consenso entre os revisores. Na ausência do consenso um terceiro revisor avaliará a pertinência da elegibilidade do estudo. A concordância entre os revisores será avaliada pelo teste Kappa. Para se definir os critérios de elegibilidade será adotado a estrutura do acrônimo PECO, onde cada letra significa um componente da questão, sendo (P) o problema a ser abordado, (E) a exposição a ser considerada, (C) o comparador, e por fim, (O) sendo o desfecho de interesse, que é derivado da palavra em inglês (outcome).
  • Universidade do Estado da Bahia - BA - Brasil
  • 03/03/2020-31/03/2023
Foto de perfil

Laio Oriel Seman

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • arcabouço de simulação termoelétrico visando qualidade de serviço para pequenos satélites
  • Tão importante quanto o desenvolvimento de novas ferramentas teóricas -- que avancem o estado-da-arte dos algoritmos utilizados em simulações computacionais -- é a devolução dessas ferramentas para a sociedade, fomentando a economia e/ou elevando a qualidade de vida das pessoas. Nesse contexto, esse projeto busca desenvolver a tecnologia nacional por meio do desenvolvimento e aplicação de um software de simulação termoelétrica para CubeSats, capaz de auxiliar no planejamento e otimização de missões CubeSat -- uma categoria de nanossatélite mundialmente difundida. A crescente implementação deste padrão de nanossatélites e a consequente demanda pela melhor extração do valor das missões, aliadas às garantias de qualidade de serviço, abrem espaço para pesquisas nesse contexto. O problema de escalonamento de tarefas em nanossatélites é desafiador dada a disponibilidade limitada de energia elétrica em órbita. Cabe ao projetista obter uma solução que seja adequada do ponto de vista térmico e elétrico, sem prejudicar a operação, e garantindo a manutenção dos objetivos da missão. Simulações computacionais são essenciais para prever o comportamento dos diversos subsistemas de um satélite e evitar falhas de operação, podendo ter um custo significativamente inferior quando comparadas a abordagens experimentais, muitas vezes difíceis de reproduzir em laboratório. Nesse contexto, este projeto busca desenvolver um arcabouço de simulação termoelétrico de um CubeSat, considerando os efeitos da bateria, painéis fotovoltaicos e payloads, para cada instante de tempo em uma determinada órbita e atitude. Espera-se assim maior assertividade nas missões frente aos desafios do ambiente espacial.
  • Universidade do Vale do Itajaí - SC - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Laís Pellizzer Gabriel

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • manufatura aditiva de implantes odontológicos biodegradáveis customizados com adição de hidroxiapatita e óxido de grafeno
  • Há um grande interesse do setor da saúde a produção de implantes processados por Manufatura Aditiva (MA), popularmente conhecida como impressão 3D, em razão da possibilidade de fabricação de implantes customizados. A impressão de ossos representa uma alternativa atrativa quando comparada com as estratégias atuais, possibilitando o planejamento cirúrgico e a produção de materiais tridimensionais com estrutura complexa, de forma similar ao osso nativo. Na odontologia, com o aumento da expectativa de vida da população, ocorre perda dos dentes, comprometendo o sistema mastigatório e digestivo. Uma das técnicas de MA é a bioimpressão, que possibilita a impressão de diversos tipos de materiais, com alto grau de tecnologia, representando um avanço significativo na engenharia de tecidos (ET). O óxido de grafeno (GO) e o óxido de grafeno reduzido (rGO) têm sido considerados materiais promisores para aplicações em implantes dentários e ET, por suas propriedades únicas e superlativas, apresentando afinidade biológica superior ao titânio utilizado nos implantes tradicionais. Estudos recentes mostraram que a modificação superficial de implantes dentários com GO, ou sua utilização em ET para reparos ósseos na região maxilo-facial, aumentam as suas propriedades antibacterianas, a osseointegração, além de promover um aumento das propriedades osteogênicas. O objetivo deste projeto é produzir implantes customizados para aplicações de reparo ósseo odontológico na forma de matriz bioabsorvível tridimensional polimérica que induza o crescimento ósseo. Matrizes tridimensionais serão bioimpressas utilizando o polímero bioabsorvível poli (ácido lactico-co-glicólico) (PLGA) embebido com hidroxiapatita. As matrizes serão recobertas com membrana rotofiada de policaprolactona embebidas de óxido de grafeno reduzido e caracterizadas no tocante as propriedades morfológicas, químicas, térmicas, elétricas, mecânicas e biológicas, conforme norma ASTM F2150.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Laise Cedraz Pinto Matos

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • produtos de reação de maillard: determinação em alimentos do planejamento e consumo familiar e efeitos in vitro na gênese da obesidade
  • O processamento térmico em alimentos contribui para a formação de substâncias de escurecimento conhecidas como Produtos de Reação de Maillard (PRM), os quais estão implicados na promoção e agravamento de doenças crônicas.Os PRM são biologicamente ativos e podem influenciar na adipogênese. Ainda há poucos dados científicos a respeito do papel dos PRM isolados na inflamação e na expressão de genes alvos da obesidade, a qual é uma doença inflamatória crônica de alta prevalência mundial. Um melhor entendimento dos fatores que condicionam a formação dos PRM nos alimentos e dos seus efeitos na inflamação e expressão de genes importantes na diferenciação de adipócitos é um pressuposto para tomada de decisões para o desenvolvimento de estratégias de processamento de alimentos, que possam auxiliar na prevenção e tratamento da obesidade. Este estudo pretende identificar formas de controle da formação dos PRM durante o preparo de alimentos e avaliar seus efeitos na inflamação in vitro e na expressão de genes alvos da regulação celular do tecido adiposo.Os PRM têm ação inflamatória e promovem um maior acúmulo de ácidos graxos durante a diferenciação de adipócitos. A sistematização de informações (teor de PRM e fatores condicionantes em alimentos) em um guia prático irá subsidiar novas orientações nutricionais nas diretrizes de tratamentos dietoterápicos. Alimentos do consumo familiar (carnes e pães) serão padronizados e submetidos a diferentes técnicas de preparo e avaliados quanto aos parâmetros físico-químicos e teor de PRM por HPLC (hidroximetilfurfural/furosina/pentosidina) e ELISA (carboximetil-lisina). Ensaios in vitro com adipócitos expostos ou não ao PRM serão conduzidos para quantificação de citocinas (ELISA) e para análise da expressão de genes alvos por PCR-RT. Metodologias inovadoras de controle da formação e determinação de PRM em alimentos serão validadas e novas atualizações serão fornecidas ao Guia Alimentar da População Brasileira e diretrizes nutricionais.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Larissa Fortunato Araújo

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • guia alimentar para a população brasileira e ambiente alimentar: desenvolvimento e avaliação de um programa de intervenção nutricional para adultos usuários do sus
  • O excesso de peso e a obesidade, além de serem influenciados pelo consumo alimentar e prática de atividade física, possuem outros múltiplos determinantes relacionados a questões demográficas, socioeconômicas, políticas, culturais e ambientais. Desta maneira, fatores individuais e ambientais interagem entre si em uma complexa rede e somente os determinantes individuais não são capazes de explicar a adesão a comportamentos saudáveis (POPKIN; ADAIR; NG, 2012). O Guia Alimentar para a População Brasileira preconiza fazer compras de alimentos em mercados, feiras livres e feiras de produtores e outros locais que comercializam variedades de alimentos in natura ou minimamente processados (BRASIL, 2014). No entanto, apesar do surgimento em grande escala desses locais fornecedores de alimentação, estudos sugerem que há desigualdades no acesso a alimentos saudáveis em uma mesma cidade com uma maior concentração de supermercados, mercados e feiras-livres em áreas de médio e alto nível socioeconômico. Diante do exposto, o objetivo do presente estudo é desenvolver e avaliar um programa de intervenção nutricional, com foco no Guia Alimentar para a população brasileira e de acordo com o ambiente alimentar, para adultos com excesso de peso usuários de Unidades Básicas de Saúde de Fortaleza-CE e Belo Horizonte-MG. Trata-se de um ensaio clínico randomizado e controlado. Para a realização deste estudo serão recrutados homens e mulheres com idade entre 18 e 50 anos, com diagnóstico de sobrepeso (>25 e <30 Kg/m2) e obesidade graus I e II (>30 e <40 Kg/m2), obtido por meio do cálculo do Índice de Massa Corporal. A coleta de dados e intervenção serão realizadas nas dependências de Unidades Básicas de Saúde (UBS) do Sistema Único de Saúde (SUS). Para avaliação do ambiente alimentar, utilizar-se-á de informações fornecidas pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano de Fortaleza e de Belo Horizonte, e outras fontes governamentais relativas aos estabelecimentos de venda de alimentos segundo a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE). A amostra será do tipo não probabilística ou por conveniência. Serão selecionadas 60 pessoas por UBS, 3 em cada município, nas quais 30 pessoas para o grupo de intervenção e 30 para o grupo controle, totalizando 360 pessoas para compor a amostra do estudo. Os participantes serão randomicamente alocados (por sorteio) em dois grupos: Grupo controle (GC) e grupo intervenção (GI). No primeiro encontro responderão a um questionário. Avaliações antropométricas (massa, estatura e circunferência da cintura) e mensuração da pressão arterial serão realizadas em todos os encontros. Já o recordatório alimentar 24 horas precedentes será mensurado no primeiro, terceiro e último encontro (7º encontro). Por fim, a coleta de sangue será realizada no início (1º encontro) e final do estudo (7º encontro) sendo de 30 dias após a 6ª intervenção, totalizando 7 encontros. Ao final das avaliações quinzenais o GC será liberado e o GI participará de palestras expositivas-dialogadas, dinâmicas, oficinas de culinária e jogos, com duração máxima de 120 minutos, sobre o novo Guia Alimentar para a população brasileira, ministradas por uma das pesquisadoras do estudo, sendo o período de intervenção de 6 sessões quinzenais. Utilizaremos modelos de regressão linear de efeitos mistos para avaliar as mudanças longitudinais nos marcadores antropométricos (IMC, CC e RCA), clínicos (Pressão arterial) e bioquímicos (PCR, glicemia jejum, colesterol total, HDL-Colesterol, LDL-colesterol e triglicérides) após cerca de quatro meses de seguimento para a comparação entre GC e GI. Para cada marcador antropométrico, clínico e bioquímico serão construídos 4 modelos de ajustes sucessivos por características sociodemográficas, comportamentos em saúde, uso de medicamentos e condições de saúde. As análises estatísticas serão realizadas com o Stata 15.0. Os resultados da presente proposta de estudo permitirão refletir sobre novas estratégias de intervenções em saúde pública com foco na promoção de práticas alimentares saudáveis. Pretende-se ainda reduzir o impacto da obesidade e suas consequências, com destaque para as doenças crônicas não transmissíveis. A intervenção nutricional planejada objetiva além de nortear quais tipos de alimentos consumir em maiores ou menores quantidades, informar sobre os locais comerciais para acesso facilitado e esclarecer sobre procedimentos que otimizam seu armazenamento e consumo. Assim, este projeto de pesquisa é inovador ao desenhar uma intervenção nutricional que utiliza uma abordagem com foco no Guia Alimentar para a população brasileira em consonância com o ambiente alimentar em que os usuários das Unidades Básicas de Saúde estão inseridos.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 12/01/2021-31/01/2023
Foto de perfil

Larissa Galastri Baraldi

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • ações intersetoriais de prevenção à obesidade infantil: uma intervenção comunitária municipal
  • A literatura mais recente sobre prevenção da obesidade tem evidenciado cada vez mais a necessidade de intervenções de âmbito intersetorial que sejam capazes de agir nas multicausalidade que envolve a etiologia da obesidade. Este projeto tem como objetivo desenvolver, implementar e avaliar o impacto de uma intervenção comunitária intersetorial voltada para a prevenção da obesidade infantil no âmbito da atenção primária à saúde (APS). O projeto, já pactuado com o município, terá como bases teóricas os princípios do Guia Alimentar para a População Brasileira (GAPB) (na esfera da saúde), a abordagem educacional infantil de “Reggio Emilia” (na esfera da pedagogia), e seu planejamento e execução serão guiados pela lógica da ‘Ciência Cidadã’. Será desenvolvido em três fases: I) Capacitação de equipes de saúde e educação sobre o GAPB e planejamento intersetorial de ações de prevenção da obesidade infantil; II) implementação de ações para promoção de mudanças no ambiente alimentar; III) consolidação de ações intersetoriais para prevenção da obesidade infantil e monitoramento do estado nutricional. Para tanto, será conduzido um ensaio comunitário controlado envolvendo equipes NASF, educadores de escolas infantis municipais, seus respectivos alunos de 2 a 5 anos e gestores municipais de Campinas-SP. Será realizado cálculo amostral baseado no número de alunos de 2 a 5 anos matriculados no ano de 2020, segundo Censo Escolar. Para a primeira fase será elaborada multidisciplinarmente uma intervenção educativa para prevenção da obesidade infantil adaptada dos materiais disponibilizados pelo Ministério da Saúde para formação profissional com base no GAPB, a qual resultará em um documento técnico produto deste projeto. A fase II contará com a mobilização de profissionais de saúde da APS, educadores e gestores para implementação do plano de ação para prevenção da obesidade infantil elaborado como resultado da fase I com escolares de 2 a 5 anos. Na fase III ocorrerá a avaliação do projeto. Os desfechos investigados nesse estudo são: fase I – aumento do conhecimento dos profissionais acerca do GAPB e da percepção de auto eficácia dos profissionais para desenvolver ações de prevenção da obesidade infantil após receberam a intervenção educativa baseada no GAPB, mensuradas através escalas autoaplicáveis; fase II: mudanças no ambiente alimentar aferidas mediante observação de modificações nos refeitórios escolares, registro do consumo de água por crianças de 2 a 5 anos e análise da adesão aos princípios do Guia Alimentar; e fase III: consolidação de ações intersetoriais para prevenção da obesidade infantil e monitoramento do estado nutricional de crianças de 2 a 5 anos mediante registro no SISVAN. Os dados quantitativos serão analisados antes e depois da intervenção, mediante comparações inter e intragrupo por meio de testes de Mann-Whitney, t de Student ou Qui-quadrado de Pearson, a depender da natureza das variáveis e a efetividade da intervenção será realizada por regressão do tipo “Differences-in-Differences” ou que considerem a variação no tempo e correlação intra-individual (análises com medidas repetidas -dados em painel). Os dados qualitativos serão analisados mediante análise temática de conteúdo proposta por Bardin. O projeto será submetido para apreciação de Comitê de Ética previamente a entrada em campo. Como principal contribuição científica deste estudo, destaca-se a entrega de uma intervenção comunitária intersetorial voltada para prevenção da obesidade infantil no âmbito municipal da APS, alinhada às recomendações do GAPB. Por fim, cabe registrar que esta proposta está alinhada à campanha de prevenção da obesidade infantil recentemente lançada pelo Ministério da Sáude Brasileiro, e dialoga com os produtos esperados na Linha 7 - Estudos de intervenção para avaliação de estratégias nutricionais para a prevenção da obesidade infantil no contexto da Atenção Primária à Saúde do Edital CNPq/MS/SAPS/DEPROS Nº 27/2020.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 03/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Larissa Loures Mendes

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • manejo da obesidade infantil no contexto da atenção primária à saúde: uma abordagem baseada na intervenção intensiva de múltiplos componentes
  • O aumento significativo da prevalência da obesidade também pode ser atribuído às diversas mudanças sociais, em que o ambiente (político, econômico, social, cultural), e não apenas o indivíduo e suas escolhas, assume um lugar estratégico na análise do problema e nas propostas de intervenções. O ambiente alimentar pode influenciar a escolha e consumo de alimentos que favorecem a obesidade, como os alimentos ultraprocessados (AUP). Sugere-se que para intervir na mudança efetiva do comportamento e dos hábitos alimentares são necessárias intervenções que consideram múltiplos componentes, que incluem a família, a escola e a comunidade. No que se refere ao ambiente familiar, os pais ou responsáveis podem auxiliar na adoção de padrões comportamentais relacionados à obesidade por meio de seus próprios comportamentos e práticas parentais. Sabe-se que o contexto da Atenção Primária à Saúde (APS) é ideal para as ações de prevenção de doenças e promoção da saúde infantil, uma vez que a equipe profissional da APS é a que está mais próxima à realidade de vida da criança, da família e da comunidade. Ressalta-se a importância da presente proposta na perspectiva do tratamento da obesidade infantil, de modo a gerar evidências científicas e subsídios práticos para a execução de intervenções focadas não apenas no indivíduo, mas também no contexto em que ele está inserido. Esta proposta contribuirá para direcionar mudanças no tratamento convencional da obesidade infantil na APS por meio de intervenções individuais e coletivas focadas em múltiplos componentes, destacando-se o papel do ambiente domiciliar, visando a redução do escore Z de Índice de Massa Corporal por Idade, a redução do consumo de AUP e o incentivo às escolhas alimentares saudáveis, contribuindo para adequado estado nutricional e consequentemente para alcance do potencial máximo de desenvolvimento. O estudo também possibilitará que a APS inove na abordagem do tratamento das crianças com obesidade dentro da linha do cuidado da obesidade das Redes de Atenção à Saúde que se fundamenta na compreensão da APS como nível que acolhe, coordena e direciona o cuidado mantendo interconexão com os demais pontos da rede. Os resultados também poderão direcionar ações específicas para promoção de uma alimentação adequada e saudável por meio da redução do consumo de AUP, recomendado pelo Guia Alimentar para População Brasileira, atuando de maneira precoce nos fatores de risco e Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT). A meta geral desta proposta é subsidiar mudanças no tratamento da obesidade infantil na APS por meio do desenvolvimento de uma intervenção intensiva pautada em múltiplos componentes, que será realizada pelos profissionais da APS, previamente capacitados. Propõe-se três metas específicas: (I) Redução do escore Z do Índice de Massa Corporal por Idade, (II) Redução em 10% do consumo calórico de bebidas e AUP e avaliação do consumo de AUP entre as crianças antes e após a intervenção nos grupos controle e intervenção e (III) Promover aumento da atividade física, redução de comportamentos sedentários e melhoria na qualidade do sono. Tratar-se-á de um ensaio clínico randomizado realizado com uma amostra representativa de crianças com obesidade atendidas na APS de Betim, MG. A amostra foi estimada a partir dos dados de crianças com obesidade e idade entre 7 a 10 anos acompanhadas na APS em 2019. O n amostral mínimo estimado para a realização do estudo foi de 204 participantes sendo 102 para grupo intervenção e 102 para grupo controle. A composição dos grupos será realizada por meio de um sorteio aleatório dos participantes e o estudo será realizado em 14 Unidades de Saúde que contam com o Núcleo de Apoio à Saúde da Família, distribuídas nas nove regionais administrativas do município. Serão incluídas as crianças com diagnóstico de obesidade e excluídas do estudo crianças com transtornos mentais graves, uso de medicamentos para a perda de peso e comorbidades, que participam de programas de alimentação e/ou atividade física para a perda ou manutenção de peso. A execução do projeto dar-se-á em cinco etapas: (1) Elaboração de Manual com protocolos para tratamento individual e coletivo de crianças com obesidade com base no Guia Alimentar para a População Brasileira e em teorias de educação em saúde e comportamentais (Terapia Cognitiva Comportamental, Entrevista motivacional, Comer com atenção plena e Comer intuitivo); (2) Capacitação dos profissionais de nível superior e agentes comunitários de saúde, realizada por meio de oficinas presenciais e vídeos informativos; (3) Intervenção, baseada no modelo teórico proposto por Davison (2001) com 30 horas de contato, compostas por atendimentos compartilhados individuais (ACI), intervenções educativas em grupo e atividades direcionadas às famílias. A intervenção nutricional terá duração de sete meses, com encontros semanais; (4) Avaliação, satisfação e percepção do tratamento, a avaliação dos resultados obtidos após a intervenção será realizada por meio de reaplicação dos protocolos do atendimento Baseline e do Inventário de motivação dos pais adaptada para o tratamento da obesidade; (5) Reavaliação, que ocorrerá no mês três e seis a partir do término da intervenção para avaliar os efeitos a curto e médio prazo. Para a análise crítica das atividades realizadas no projeto serão utilizados os pressupostos metodológicos do modelo PDCA (Plan-Do-Check-Act) que possibilitará aprimorar as atividades de formação e intervenção, tendo em vista os desafios e necessidades de mudanças aos quais o projeto está sujeito. O projeto será submetido aos Comitês de Ética em Pesquisa da UFMG e do município de Betim, MG e somente será iniciado após total aprovação. Por fim, deve-se enfatizar que a proposta trará benefícios à sociedade, uma vez que se propõe avançar na temática da obesidade infantil, prevenção de DCNT e melhora da qualidade de vida de crianças.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 02/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Larissa Santos Ciríaco

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • o papel de fatores funcionais no processamento de construções de estrutura argumental em pb - fase 1
  • O modo como combinamos palavras e formamos orações é uma questão central para a tarefa de desvendar a natureza das representações linguísticas e, consequentemente, de explicar como aprendemos e usamos uma língua. Tradicionalmente, essas representações são tratadas como puramente sintáticas (Chomsky 1993, 1995), ou seja, regras imunes ao contexto e à informação semântica. No entanto, outras abordagens enfatizam a função comunicativa e simbólica da linguagem (Pinker 2013; Goldberg 2006, 2019; Langacker 2008; Tomasello 2003), mostrando que construções linguísticas refletem construtos cognitivos motivados pelo uso e, por isso, não podem ser tomadas como regras formais cegas ao significado. Mostram também que o uso da língua depende de uma série de fatores, como frequência, compatibilidade semântica entre itens lexicais, compatibilidade semântica entre verbos e padrões oracionais, contextos convencionalizados de uso, dentre outros. Mais especificamente, saber em que contexto uma construção passiva (o copo foi quebrado) ou uma construção de ação causada (cortei o cabelo ou o pai casou a filha) são usadas revela aspectos importantes do conhecimento linguístico dos usuários. Neste projeto, tomam-se as construções passiva e de ação causada em PB como objeto de estudo para se investigar o papel de fatores funcionais no uso de padrões oracionais. A pesquisa segue as premissas da Linguística baseada no Uso e da Gramática de Construções, segundo as quais o conhecimento linguístico emerge da experiência do usuário com a língua e se organiza de maneira gradiente em sua cognição. O objetivo é mensurar os fatores contextuais observados em estudos anteriores (Santos, Ciríaco e Souza 2019; Ciríaco a sair) por meio da aplicação de testes gradientes de aceitabilidade. Em hipótese, os fatores funcionais atuam como restrições graduais no uso das construções passivas e de ação causada em PB, desempenhando um papel crucial no uso e na aprendizagem de construções de estrutura argumental.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Larruana Ferreira Montanha

Outra

Multidisciplinar
  • i feira de ciências e matemática de amargosa
  • A I Feira de Ciências e Matemática de Amargosa tem por objetivo promover a socialização dos conhecimentos científicos no contexto da iniciação à pesquisa, a partir do protagonismo dos discentes sob orientação dos seus professores, como forma de interação entre as escolas situadas no município de Amargosa, Bahia. Um dos princípios da feira é a forma democrática concebida tanto na divulgação dos projetos por expositores, como na sua visitação, uma vez que o evento será gratuito. Espera-se criar as condições para a interiorização do conhecimento, fundamentadas na cooperação, solidariedade e competitividade saudável. A Feira terá estudantes expositores do ensino fundamental e médio. Na Feira de Ciências, teremos as categorias Ciências Exatas e Engenharia; Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas; Ciências Biológicas, Ciências da Saúde e Ciências Agrárias; Empreendedorismo e Mundo do Trabalho; Energia e Sustentabilidade; Linguística, Letras e Artes; e Cientista Júnior (estudantes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental). A única modalidade dos projetos para a Feira de Ciências será pesquisas científicas concluídas. Na Feira de Matemática, teremos as categorias: anos iniciais do Ensino Fundamental; anos finais do Ensino Fundamental; e Ensino Médio e as modalidades Materiais Didáticos e/ou Jogos; e Matemática Aplicada e/ou Interrelação com outras disciplinas. Todos os expositores e orientadores serão premiados com medalhas de destaque (75% dos projetos) ou menção honrosa (25% dos projetos) e todos os projetos receberão troféus.
  • Prefeitura Municipal de Amargosa - BA - Brasil
  • 09/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

Laszlo Karoly Nagy

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • peld-pecj - mudanças globais e seus impactos no manejo de conservação de biodiversidade e de serviços ecossistêmicos - uma abordagem socioecológica
  • O PELD-PECJ tem como objetivo quantificar os impactos de mudanças climáticas, deposição atmosférica de nitrogênio (N), invasão por espécies de Pinus e pressões de mudança de uso da terra dentro e ao redor do Parque servindo-se de uma equipe interdisciplinar. Os dados oriundos de pesquisa e monitoramento serão processados e fornecerão informações às autoridades do Parque para harmonizar a gestão de conservação e o uso de serviços ecossistêmicos. Mudanças no uso e cobertura da terra e distúrbios por incêndios detectados a partir de imagens de sensoriamento remoto serão usados para estimar a dinâmica dos estoques e sequestro de carbono (C). A diversidade da paisagem, hidrologia, solos e cobertura de terra serão relacionados aos ciclos biogeoquímicos em floresta nativa, plantação e vegetação aberta. Modelagem e estudos experimentais fornecerão informações atualizadas sobre os potenciais impactos da deposição atmosférica de N e de mudanças climáticas na estrutura e função de ecossistemas, e em suas capacidades de prover serviços ecossistêmicos. Os impactos do turismo e as mudanças na cobertura da terra (restauração de plantações de Pinus com vegetação nativa) serão considerados para otimizar os benefícios de serviços ecossistêmicos múltiplos. Os resultados destas pesquisas serão combinados com cenários de manejo de uso da terra e conservação construídos com a colaboração de stakeholders locais e regionais (modelagem de acompanhamento), utilizados para criar ferramentas de auxílio à decisão para os gestores do Parque e para tomadores de decisão nos municípios limítrofes. O sítio PELD serve também como modelo para uma rede de sítios PELD na América do Sul. As pesquisas são organizadas em quatro Núcleos (N1-4). N1 - Dinâmica de vegetação é organizado em função de obter dados para a parametrização e validação do modelo espacialmente explícito 2D-aDGVM, para estudar mosaicos floresta vs. campo (savana). Este núcleo integra trabalho empírico e de modelagem. Quatro subprojetos fornecerão dados / informações para parametrizar e validar o modelo ‘2D-aDVGM-PECJ’: (1) o histórico de incêndios fornecerá informações sobre eventos e frequência de incêndios e mudanças no uso e na cobertura do solo no PECJ desde 1960, para verificar a importância do fogo e do uso do solo na estrutura da paisagem integra (mosaico floresta vs. campo); (2) a modelagem ecoclimática fornecerá informações auxiliares sobre limitações climáticas e hidrológicas (históricas, atuais e previsões futuras) para o crescimento e distribuição potencial de árvores; (3) a experimentação e caracterização ecofisiológica de traços funcionais de espécies arbóreas nativas e exóticas / invasivas contribuirá dados / informações para aprimorar a parametrização do modelo aDVGM (e de outros dois modelos DVGM do N2 - ‘Biogeoquímica); (4) investigações ecohidrológicas contribuirão dados para a parametrização do modelo 2D-aDVGM-PECJ (disponibilidade de água e profundidade de penetração de raízes). N2 - Biogeoquímica se organiza em três subprojetos, acima de dois modelos, o modelo DVGM JULES (Joint UK Land Environment Simulator) e o modelo Biome-BGCMuSo, que serão aplicados, pela primeira vez, em floresta de montanha neotropical. Este núcleo integrará os diversos componentes dos ciclos de C e N tratados em três subprojetos distintos (troca de energia e matéria (CO2 e H2O) entre atmosfera e biosfera e entre solo e atmosfera, entradas atmosféricas de N, armazenamento e fluxos nos ecossistemas – floresta vs. campo, saídas – hidrologia e perdas de gases para a atmosfera). Modelagem biogeoquímica e dinâmica de vegetação serão feitas incorporando os resultados do projeto sintético do N1 (p/ cenários de cobertura da terra), e os resultados dos subprojetos do N2, e avaliarão mudanças em cenários futuros de alterações na deposição de N e mudanças climáticas no ciclo de C. Subprojeto 1: coletará dados micrometeorológicos e de fluxos de energia, CO2 e H2O; Subprojeto 2 fornecerá dados de biomassa, produção de liteira e fluxo de gases entre solo e atmosfera (respiração do solo e fluxo de N2O); Subprojeto 3 fornecerá dados sobre a deposição atmosférica de N, o movimento de N ao longo do perfil do solo e sua saída via cursos de água. N3 - Serviços ecossistêmicos – modelagem do sistema socioecológico O conhecimento oriundo dos N1-2 será utilizado como informação inicial para quantificar os serviços ecossistêmicos e avaliar, com base no plano de manejo e nas percepções dos todos os interessados (stakeholders) se o objetivo desejado de conservação e outros uso de serviços ecossistêmicos está sendo alcançado. Uma equipe inter- e transdisciplinar ‘multi-stakeholder’ identificará todos os interessados envolvidos, os recursos e suas dinâmicas, e as interações entre interessados, seus uso de recursos e os impactos do uso no funcionamento do sistema para propor, por meio de manejo participativo, modelos e implementações de manejo de conservação e de serviços ecossistêmicos, investigados em cinco subprojetos: (1) Diagnóstico geral de serviços ecossistêmicos; (2) Qualidade de habitats e risco a habitats (felídeos); (3) Conservação de biodiversidade e perda de serviços ecossistêmicos durante processo restauração de plantios de Pinus – como minimizar os riscos; (4) Harmonização de manejo de turismo com a priorização de conservação de biodiversidade; (5) Manejo de incêndios. N4 - Biodiversidade e estrutura trófica inclui várias pesquisas em cinco subprojetos autofinanciados: (1) uma investigação experimental do impacto de mudanças climáticas (temperatura e precipitação) na estrutura trófica em ‘tanques’ de bromélias; (2) o estudo de interações entre microrganismos do solo e a espécie foco Araucaria angustifolia; (3) o estudo do uso espaciotemporal de habitat por felídeos; (4) um inventário de borboletas, que se integrará como parte do programa de monitoramento no PECJ; e (5) a dinâmica e transporte aéreo passivo de um patógeno letal p/ anfíbios (Batrachochytrium dendrobatidis).
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 27/02/2021-28/02/2025
Foto de perfil

Laura Alves Scherer

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • mobilidade internacional à luz dos marcadores sociais de desigualdade
  • Novos conceitos e configurações de mobilidade internacional emergem das demandas globais da sociedade contemporânea. Migrante, refugiado, designação internacional, expatriado, repatriado, flexpatriado, patriado, impatriado, gestor global, executivo transnacional, cidadão do mundo, autoexpatriado, talento global, equipe multicultural, equipe virtual global são formas encontradas na literatura para abordar as mobilidades internacionais. Tais conceitos e configurações se mostram em transformação frente aos novos rearranjos organizacionais e sociais após a pandemia em função do COVID-19. As organizações tiveram que aprender a controlar as subsidiárias a distância; enquanto os marcadores sociais de desigualdade - gênero, sexualidade, idade/geração, origem étnica ou geográfica, classe social, corpo, entre outras - acentuaram a precarização e insegurança de grupos menos favorecidos. Frente a esse contexto, o objetivo geral deste projeto é analisar as mobilidades internacionais à luz dos marcadores sociais de desigualdade após a pandemia em função do COVID-19. O projeto desenvolverá dois artigos teóricos (revisão teórica e revisão sistemática) a fim de dar suporte para uma pesquisa empírica de abordagem qualitativa para analisar os conceitos e as configurações de mobilidade internacional nas organizações brasileiras, bem como os marcadores sociais de desigualdade nas (i)mobilidades. Espera-se que os estudos, bem como suas análises e conclusões possam ampliar o conceito de mobilidade internacional; contextualizar e caracterizar a mobilidade internacional no Brasil; caracterizar e analisar as articulações entre marcadores sociais de desigualdade e relações de trabalho; e evidenciar contribuições organizacionais e sociais. O projeto busca, portanto, contribuir com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 5, 8 e 10 da ONU ao discutir a inclusão social, econômica e política de todos, bem como o trabalho decente para todos.
  • Universidade Federal do Pampa - RS - Brasil
  • 21/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Laura Bannach Jardim

Ciências da Saúde

Medicina
  • interaçao de genes modificadores e hábitos de consumo na modulação dos fenótipos da sca2, sca3 e doença de huntington
  • Expansões de sequências repetitivas CAG causam condições neurológicas dominantes conhecidas como poliglutaminopatias (poliQs). Nenhuma tem tratamento modificador conhecido. As mais comuns são as ataxias espinocerebelares tipo 2 (SCA2) e tipo 3, também conhecida como Doença de Machado-Joseph (SCA3/MJD), e a doença de Huntington (HD). Em todas, o tamanho da expansão CAG (CAGexp) explica 55 a 65% da variação na idade de início (AO) dos sintomas. Os 35 a 45% de variação ainda inexplicados denotam que há outros fatores modulando o fenótipo – neuroprotetores, se adiarem a AO. Pretendemos avaliar os hábitos de consumo da cafeína, da nicotina, da carne e do açúcar e seu possível papel sobre a modulação da AO na SCA2, na SCA3/MJD e na HD. Serão convidados a participar sujeitos sintomáticos pertencentes a famílias SCA2 (100 indivíduos), SCA3/MJD (500) e HD (200), e um grupo controle não relacionado e balanceado com os casos (400). Os participantes responderão a um protocolo clínico, realizarão as escalas SARA (para a SCA2 e a SCA3/MJD) e UHDRS (para a HD) e colherão sangue para extração de DNA. A seguir, responderão um questionário sobre hábitos de consumo da cafeína, da nicotina, da carne e do açúcar, já construído pelo grupo local de experts. Ao incluir 25% da amostra, o questionário será validado em relação à sua confiabilidade. Ao completar a amostra, o efeito direto dos hábitos sobre AO e gravidade será averiguado nas doenças em grupos de altos e baixos consumidores. Depois, estratificações serão feitas de acordo com genes modificadores. Por exemplo, ADORA2A, CYP1A1, CYP1B1 e NOS 1, associados à metabolização e sinalização da cafeína; ou ABCB1 e MAOB, associados à nicotina. O estudo será transversal. As comparações serão controladas pela CAGexp e por efeitos familiais, usando modelos mistos, nos quais a CAGexp será tratada como efeito fixo e a família como efeito aleatório.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 21/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Laura Cecilia López

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • equidade de gênero e políticas do cuidado em contexto de pandemia: pesquisa-ação em territórios da cidade de são leopoldo
  • América Latina apresenta profundas desigualdades sociais, que, no contexto da pandemia de COVID-19, estão se potencializando e caracterizando situações distintas às de outras regiões do mundo. Estas situações demandam respostas políticas específicas. Neste projeto, focaremos nas desigualdades de gênero com persistência na região e os desdobramentos no cenário da pandemia, principalmente pautando a relação entre gênero e políticas do cuidado, na dimensão comunitária e na articulação com políticas públicas. Propõe-se uma Pesquisa-Ação, tendo como campo empírico territórios afetados por desigualdades e violências estruturais de longa data, na cidade de São Leopoldo/RS. Objetiva-se analisar como as dinâmicas de gênero permeiam a organização das vidas no território e como incidem na distribuição dos cuidados com a saúde e a manutenção das vidas; a relação de homens e mulheres com sistemas de cuidado e políticas públicas existentes; como gênero permeia a produção de vulnerabilidades sociais e as relações corpo/violência/território. Mergulharemos em experiências localizadas da Atenção Primária à Saúde que exerce o cuidado mais disseminado através da Estratégia de Saúde da Família, com destaque às/os agentes comunitários de saúde. Questiona-se como a dimensão comunitária do cuidado se viu impactada pela pandemia, quais formas comunitárias novas e/ou reformuladas de cuidado estão surgindo, quais problemáticas emergiram, pensando se os impactos da crise sanitária podem ser diferenciados por gênero. Será elaborado um Diagnóstico Participativo de Equidade de Gênero (DPEG), utilizando metodologias que potencializem a participação da comunidade no próprio processo de pesquisa, assim como a reflexão crítica e propositiva sobre suas realidades. O DPEG servirá como base para delinear uma proposta de Rede Comunitária de Cuidados Gênero-Sensível para enfrentamento da pandemia, mas que possa continuar atuando após a crise sanitária.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 14/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Laura De Simone Borma

Engenharias

Engenharia Civil
  • produtoras ou consumidoras de água? o papel das florestas tropicais na recarga hídrica
  • Diante do importante papel das florestas no fornecimento de serviços de regulação do clima e da água, várias ações de conservação e recuperação de florestas tem sido realizadas no Brasil. Embora o valor ambiental das florestas preservadas seja muito alto, ainda há incertezas acerca dos efeitos sobre os recursos hídricos decorrentes da recuperação florestal. Enquanto a maioria dos estudos sugere que altas taxas de evapotranspiração levariam a uma diminuição nas reservas de água, estudos recentes indicam que uma cobertura florestal adequada poderia favorecer o armazenamento de água no solo, necessária para suprir as demandas metabólicas e atmosféricas, e a recarga de águas subterrâneas. Considerando este assunto como uma importante questão científica e de gestão ambiental, esta proposta visa responder às seguintes perguntas: qual é a taxa média de uso da água para quantidade de biomassa produzida em espécies nativas da Mata Atlântica e espécies exóticas pinus e eucalipto? qual é o potencial de que áreas reflorestadas armazenem, e eventualmente excedam, a quantidade de água necessária para a sua manutenção e desenvolvimento, potencialmente contribuindo para recarga de aquíferos? Como essas propriedades variam ao longo de diferentes estágios de regeneração florestal? As respostas a essas e outras questões serão obtidas por meio de medições in situ das variáveis do balanço hídrico e da biomassa acima do solo ao longo de sequências cronológicas da recuperação da Mata Atlântica. Complementados com análises de modelos computacionais das interações solo-planta-atmosfera, os resultados aqui obtidos serão traduzidos em produtos que permitam aos tomadores de decisão estimar quantidades de água requeridas para os diversos projetos de reflorestamento bem como considerar o potencial de acumulo de água na bacia resultante desses projetos, que poderia ser traduzido em termos monetários para aplicação em ações de pagamento por serviços ambientais.
  • Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - SP - Brasil
  • 08/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Laura Helena Vega Gonzales Gil

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • desenvolvimento de plataformas de triagem e descoberta de novos agentes antivirais contra as principais arboviroses circulantes no brasil.
  • Os arbovírus a emergentes e reemergentes tem sido motivo de grande preocupação a saúde pública e animal em todo o mundo. A maior parte dos arbovírus que circulam no Brasil pertencem as famílias Flaviviridae e Togaviridae e até o momento não há uma terapia antiviral efetiva para o tratamento de infecções causadas por estes vírus. Assim, a identificação de agentes antivirais para o tratamento de infecções por flavivírus e togavírus são de prioridade à saúde pública mundial. Uma das principais dificuldades nas pesquisas de antivirais para estes vírus é que os ensaios biológicos são trabalhosos e demorados, o que dificultam a triagem de um grande número de compostos. Porém nas últimas décadas a disponibilidade de sistemas de genética reversa denominados de replicons sub-genômicos, tem possibilitado o desenvolvimento de novas plataformas de triagem. Em princípio, um gene repórter como a luciferase deve ser clonado no replicons sub-genômico. A transfecção de células susceptíveis com o replicon repórter resultam na expressão do gene repórter luciferase. Desde modo, o nível de expressão da luciferase reflete a replicação do RNA viral, e pode ser utilizado para monitorar a supressão da replicação viral por potenciais inibidores. Alternativamente, o replicon também pode ser mantido de forma estável nas células através da introdução de um gene de seleção resistente à droga como o gene da neomicina fosfotransferase. Este tipo de linhagem celular é considerado como uma tecnologia de ponta para a triagem de novas drogas antivirais. Assim, com o objetivo de contribuir para desenvolvimento de antivirais específicos para os flavivírus e os alfavírus circulantes no Brasil, propomos neste estudo desenvolver novas plataformas de triagem com o uso de replicons sub-genômicos para os flavivírus (dengue, febre amarela, zika e Nilo Ocidental) e para os alfavírus (chikungunya e Mayaro), e aplica-las na triagem de diversos compostos naturais e sintéticos em busca de compostos com atividade antiviral contra estes arbovírus. Para o sucesso desta pesquisa contamos com a integração do Departamento de Virologia do Instituto de Pesquisas Aggeu Magalhães, IAM-FIOCRUZ, com ampla experiência em genética reversa e desenvolvimento de replicons de flavivírus e alfavírus, e mais quatro centro de pesquisas com ampla experiência em descoberta e desenvolvimento de novas droga, como o Instituto de Física de São Carlos – IFSC/USP, Universidade de São Paulo, USP - São Paulo, Universidade Estadual Paulista (UNESP) - Campus de São José do Rio Preto e o Centro de Pesquisas René Rachou, FIOCRUZ.
  • Fundação Oswaldo Cruz - PE - Brasil
  • 15/05/2019-31/05/2023
Foto de perfil

Lauro June Queiroz Maia

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • rede de laboratórios integrados em fotônica – lifóton
  • A Rede de Laboratórios Integrados em Fotônica (LIFóton) do Instituto de Física da Universidade Federal de Goiás (IF/UFG) atua, até o momento, majoritariamente nas seguintes linhas de pesquisa que estão diretamente e indiretamente relacionadas aos setores de energia, saúde e comunicação. As linhas de pesquisa atuantes do LIFóton são relevantes e impactantes para o setor econômico e social da região do Centro-Oeste, mas também do Brasil, uma vez que permitem, por exemplo, desenvolver e caracterizar diferentes classes de materiais fotônicos, utilizados nos setores tecnológicos da comunicação óptica e energia. Um exemplo dessa classe de materiais fotônicos são os compostos óxidos produzidos no LIFóton com propriedades ópticas luminescentes, tanto na forma de pós nanométricos quanto na forma de filmes finos ou bulk (cerâmicas, vidros e vitro-cerâmicas). Este tipo de material é usado em diversas aplicações, tais como: guias de ondas, amplificadores ópticos, memórias ópticas, diodos emissores de luz, lasers convencionais do estado sólido, lasers randômicos, células fotovoltaicas, telas de dispositivos opto-eletrônicos (displays), resfriamento a laser e nanotermometria óptica. O LIFóton apresenta também uma linha de pesquisa dedicada à área da saúde, em particular na área da terapia fotodinâmica, explorando a caracterização fotofísica e fotoquímica de moléculas orgânicas. Ainda no setor da saúde, o LIFóton explora o desenvolvimento de sistemas bionanotecnológicos com propriedades teranósticas, com o objetivo de aumentar a eficiência na entrega de fármacos. A última vertente ligada à área da saúde, agora no quesito veterinário, também é explorada pelo LIFóton através da aplicação da terapia fotodinâmica na medicina veterinária, um ramo da saúde com forte impacto e relevante na região Centro-Oeste, devido à forte presença da agroindústria. O LIFóton apresenta-se com resultados extremamente positivos que se expressam, principalmente, através da sua produção científica que contabiliza 86 (oitenta e seis) artigos nos últimos quatro anos. Conta ainda com 4 (quatro) patentes, (2) duas na área da energia e (2) duas na área da saúde, além de dois exemplos de sucesso da integração entre o mundo acadêmico e empresarial, através da cooperação com empresas. As técnicas que serão disponibilizadas pelo LIFóton serão as seguintes: Técnicas de espectroscopia de absorção UV-Vis e espectroscopia de fluorescência estacionária e resolvida no tempo; Técnicas de espectroscopia óptica não linear: varredura-Z, espalhamento hiper-Rayleigh e Raman; Técnicas variadas de caracterização de amostras, tais como, perfilometria, análise térmica, termoluminescência, difração cônica; Técnicas de microscopia óptica; Técnicas de produção de amostras, tais como, deposição de filmes através de spin-coater e dip-coater; Técnica de flash-fotólise e emissão fosforescente no infravermelho; Espectroscopia quântica para caracterização de materiais e Investigação experimental em criptografia quântica. O LIFóton disponibilizará, pelo menos, 30% das horas semanais aos usuários externos em cada equipamento. Ou seja, do total de 40 horas semanais, os usuários externos terão pelo menos 12 horas para uso. Além dos recursos físicos instrumentais, estarão também disponíveis seus recursos humanos para prestar assessorias em diversos domínios da óptica e fotônica, essenciais para contribuir com a formação profissional, dar suporte tecnológico e ampliar as parcerias científicas e tecnológicas. Reunimos nessa proposta uma equipe de pesquisadores que atuam em diversas vertentes na área de Fotônica, desde pesquisa básica à aplicada, que ao longo dos anos conseguiram implantar uma significativa infraestrutura padrão internacional na área de fotônica na UFG em Goiânia/GO. A diversidade e singularidades das técnicas que serão disponibilizadas podem auxiliar na promoção do avanço nacional em ciência, tecnologia, inovação e empreendedorismo de base tecnológica na área de fotônica e que são de interesse de pesquisadores do Brasil e do exterior, bem como empresas/indústrias de diversos segmentos. Acreditamos ainda que será possível estimular a interação entre Instituições Científica, Tecnológica e de Inovação (ICT) e o setor privado, para atuarem no desenvolvimento de processos, produtos e instrumentação, envolvendo tecnologias fotônicas, a formação de recursos humanos e o empreendedorismo de base tecnológica. Gostaríamos de destacar ainda a experiência de membros da nossa equipe na implantação e na gestão de centros multiusuários na nossa Universidade.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 16/07/2021-31/07/2024
Foto de perfil

Lauro Osiro

Engenharias

Engenharia de Produção
  • identificação e análise de barreiras para economia circular em cadeias de suprimentos
  • As estratégias de cadeias de suprimentos (CS) têm priorizado as necessidades do consumidor final e maior eficiência no uso dos recursos para proporcionar maiores retornos econômicos. Entretanto, abordagens estratégicas mais amplas são necessárias envolvendo demais stakeholders e norteadas também por objetivos ambientais e sociais para a transformação para uma economia circular, cujos benefícios devem ser analisados de maneira ampla, não apenas para uma única CS ou empresa. A transição da economia linear para circular nas CSs envolve a eliminação ou mitigação de diversas barreiras, que se interrelacionam e envolvem aspectos tecnológicos, mercadológicos, institucional e cultural. Essas barreiras diferem de acordo com setores econômicos e regiões geográficas, pois comportamento de consumidores, tecnologias empregadas e legislação local são alguns de seus elementos determinantes. Desta forma, o problema de pesquisa é identificar e analisar as relações entre as principais barreiras para economia circular em importantes CSs do triangulo mineiro, como construção civil e mineração. A identificação das barreiras mais importantes e a análise das relações de dependência possibilitaria o desenvolvimento de ações estratégicas focadas e mais eficazes, com melhor coordenação entre as partes interessadas. Pesquisas semelhantes foram desenvolvidas em diferentes CSs para diferentes aspectos da economia circular, por exemplo: Gupta et al. (2020) sobre inovações de CSs sustentáveis na indústria de manufatura indiana e Park e Tucker (2017) sobre reuso de materiais de construção na Austrália. O delineamento do estado da arte por meio de pesquisas em livros, normas e bases de artigos científicos possibilitará a identificação de barreiras potenciais. Coleta de dados junto a especialistas e análise por meio de técnicas estatísticas e multicritérios possibilitarão a identificação das principais barreiras e suas relações de dependência.
  • Universidade Federal do Triângulo Mineiro - MG - Brasil
  • 08/02/2022-28/02/2025