Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Paula Dalla Corte

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • lid4 - estimativas em inventários florestais: nova era com sensores lidar
  • As florestas ocupam mais de 60% do Brasil sendo distribuídas em diferentes biomas. Na Mata Atlântica, as florestas nativas são fragmentas e, entender suas dinâmicas é essencial para a sua conservação e preservação. O inventário florestal (IF) é a ferramenta para gerar informações quantitativas e qualitativas dos ambientes florestais. No IF, coletadas informações em campo de cada indivíduo presente nas unidades amostrais. No entanto, apesar de fornecerem informações valiosas e necessárias, são trabalhosos, caros e limitados. O LiDAR - Light Detection and Ranging (full-waveform-FW e discrete return-DR), comprovou-se poderoso para aplicação em IF. Incorporar dados de câmeras multiespectrais nestas análises vêm sendo tendência em estudos florestais. Porém, não existem protocolos metodológicos unificados para incorporação destas tecnologias em IF. A hipótese deste projeto é que o LiDAR (FW e DR) podem gerar/substituir as estimativas de área basal, volume, biomassa e carbono, geradas por IF e que, protocolos metodológicos de IF podem ser desenvolvidos. Ainda deve-se avaliar se será possível o reconhecimento de padrões de biodiversidade de florestas nativas. Nas 4 áreas de pesquisa serão usados dados do LiDAR orbital GEDI e de UAV-LiDAR GatorEye. Câmera multiespectral serão integradas visando avaliar a possibilidade de análise da biodiversidade dos fragmentos florestais a partir das mesmas. IF serão realizados para validar as informações produzidas. Algoritmos serão desenvolvidos para o reconhecimento automático de Araucaria angustifolia e a produção de pinhas nas árvores fêmeas. Serão desenvolvidos protocolos metodológicos para predição das variáveis qualitativas e quantitativas que tiveram potencial nas estimativas via sensores remotos.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Paula Del Vesco

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • ambiente materno e inicial sobre a capacitação da progênie para responder aos desafios futuros
  • A produção de pintainhos de boa qualidade depende da genética da matriz e também de condições ambientais que atuam para potencializar ou reduzir o potencial genético. Dessa forma, este trabalho visa possibilitar o melhor entendimento de como o efeito do ambiente materno e inicial pode ser alterado através de mecanismos epigenéticos para produzir efeitos benéficos na progênie, e como estes efeitos podem influenciar na capacidade dos filhos em responder às condições ambientais no futuro. Como os mecanismos epigenéticos são transferidos para as gerações seguintes, a epigenética intergeracional e transgeracional tem se tornado uma área promissora para atuar na compreensão da variação das respostas fisiológicas dos indivíduos ao meio ambiente. Estudos sobre o tema mostram que o transcriptoma das aves pode ser reprogramado pela manipulação de diferentes fatores durante a fase inicial causando alterações de longo prazo. Para atender nossos objetivos serão conduzidos 2 experimentos: Experimento 1- Efeito do grupo materno sobre o desenvolvimento embrionário e inicial de codornas de postura; O experimento 1 será desenvolvido sob a hipótese de que mães que conseguem ser mais produtivas durante o desafio por estresse por calor apresentam genética superior que pode garantir melhor desenvolvimento embrionário e melhor desempenho inicial para sua progênie; e Experimento 2- Efeito da interação entre genética materna e fatores da incubação sobre a capacitação da progênie para responder os desafios de seu ambiente durante a fase de crescimento. Serão testadas as hipóteses: (1) mães mais produtivas apresentam genética superior que pode garantir melhor desenvolvimento embrionário e melhor desempenho para sua progênie mesmo em condição de estresse; (2) A genética da mãe pode interagir com a modulação térmica que ocorre durante a incubação; (3) Os mecanismos de regulação gênica podem ser herdados da mãe e/ou adquiridos durante a incubação e atuar sobre o desenvolvimento da ave adulta.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Paula Dias Turetta

Outra

Ciências Ambientais
  • paisagens funcionais em tempo de mudanças climáticas: co-criação de soluções para o desenvolvimento urbano sustentável em regiões serranas na mata atlântica
  • O processo de urbanização das cidades é considerado um dos maiores processos de mudança no uso da terra, que impacta de forma intensa o ambiente através da crescente demanda por recursos naturais, expondo desafios econômicos, sociais e ambientais para sua gestão. Tais impactos são ainda mais intensos quando consideramos os efeitos das mudanças climáticas relacionados ao número de eventos climáticos extremos, como inundações, secas, tempestades e aumento na propagação de doenças tropicais. Tudo isso tem impactos onerosos sobre os serviços básicos das cidades, tais como infraestrutura, habitação e saúde. No entanto, ao mesmo tempo que as cidades sofrem com os efeitos das mudanças climáticas, elas também contribuem com tais efeitos, uma vez que atividades urbanas são importantes fontes de emissões de gases de efeito estufa (GEE). Estimativas sugerem que as cidades são responsáveis por 75% por cento das emissões globais de CO2. Soma-se a esse cenário outro importante emissor de GEE, a mudança de uso da terra. Um exemplo é a conversão de áreas de uso rural, localizadas no entorno imediato do perímetro urbano, em áreas de uso urbano, como resultado de um dos processos de expansão das cidades pela ampliação do seu perímetro. Isso confere ao processo de expansão das cidades um mosaico de espaços urbanos e rurais, cenários políticos, sociais e culturais. A esse mosaico chamamos de paisagens funcionais múltiplase, assim, ao propor soluções eficazes para a adaptação às mudanças climáticas precisamos considerar essa complexidade de usos da terra e suas interações. A comunidade científica em conjunto com a sociedade civil tem se mobilizado para promover soluções para a adaptação às mudanças climáticas em ambiente urbano. Existe um consenso de que o engajamento dos diversos atores e abordagens transdisciplinares tornam essas soluções mais realistas e eficazes quando construídas de forma participativa. Nesse contexto de paisagens multifuncionais e processos participativos que a presente proposta se apresenta, tendo como estratégia a avaliação integrada de aspectos relacionados à co-criação de soluções para a o desenvolvimento urbano sustentável em regiões serranas da Mata Atlântica. Áreas montanhosas enfrentam uma pressão social crescente devido ao turismo em massa e ao aumento de intensidade e frequência dos desastres naturais desencadeados pelas mudanças climáticas. Portanto, o desenvolvimento de estratégias adequadas à gestão dos riscos socioambientais é fundamental para garantir a sua habitabilidade. A nossa hipótese é de que paisagens funcionais resilientes, que extrapolam os limites urbanos, protegem as cidades de efeitos severos relacionados às mudanças climáticas. Além disso, a partir de sistemas agrícolas sustentáveis é possível garantir serviços essenciais à população urbana/rural relacionados à segurança alimentar e hídrica.Para testar a nossa hipótese trabalharemos no município de Nova Friburgo, região serrana do Estado do Rio de Janeiro de forma integrada a uma potente rede de parceiros que integra representantes de instituições de pesquisa e desenvolvimento, universidades, extensão rural e colegiado de gestão de recursos hídricos, que facilitará o diálogo entre setor técnico-científico e comunidade promovendo o desenvolvimento conjunto de soluções. Alguns parceiros possuem histórico de atuação na área com atores locais como o Núcleo de Pesquisa e Treinamento para Agricultores (NPTA), resultado da parceria entre a Prefeitura Municipal de Nova Friburgo e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Desde 2007 o NPTA aproxima o desenvolvimento de projetos de pesquisa com a realidade agrícola da região serrana fluminense,área de agricultura mais dinâmica no estado e conhecida pela produção de hortaliças, flores e frutas. O núcleo tem sua sede localizada junto a Secretaria Municipal de Agricultura de Nova Friburgo e um espaço físico no meio rural, construído em área cedidapela Associação dos Pequenos Produtores e Moradores de Santa Cruz e Centenário, no Terceiro Distrito deste município. Outra iniciativa que merece destaque e conduzida pelo grupo da UFRJ que compõe essa proposta é a Rede para Gestão de Riscos da Bacia do Córregod’Antas (Reger-CD), que vem sendo estruturada por um grupo de instituições e a comunidades locais (Freitas et al., 2016). A Reger-CD propõe o desenvolvimento e implementação de uma nova cultura de gestão de riscos participativa considerando que a gestão de riscos a desastres socioambientais requer políticas e ações articuladas de diversos setores da sociedade, como universidades, gestores públicos, sociedade civil organizada e comunidades expostas aos riscos.Contamos também com a participação do comitê de bacia Dois Rios, naturalmente um fórum para discussão que engloba vários atores da bacia, e da AGEVAP, sua gerência executiva, que poderá ser um facilitador para o desenvolvimento das soluções indicadas pelo projeto.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - RJ - Brasil
  • 15/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Ana Paula Duarte de Souza

Ciências Biológicas

Imunologia
  • diferenças de susceptibilidade de infeção pelo vsr e sars-cov-2 em crianças: um estudo comparativo da resposta imune de mucosa das vias áreas.
  • O VSR é o principal agente causador de infecções no trato respiratório inferior em crianças menores de 5 anos de idade. A alta taxa de internações devido às infecções originadas por esse vírus em crianças ressalta a importância de entendimento da resposta imune específica ao VSR, para adequado desenvolvimento de intervenções. Em contraste, o vírus SARS-CoV-2, agente causador da COVID-19, apesar de ser capaz de infectar crianças, raramente evolui para doença grave. O conhecimento dos mecanismos de resposta imune nesse período tão crítico da vida, com impacto tão diferente entre VSR e SARS-CoV-2, ainda não são bem definidos. Estudos recentes mostraram que crianças têm uma resposta antiviral nas vias áreas mais efetiva ao SARS-CoV-2 do que se observa em adultos. Entretanto, essa resposta antiviral das crianças não é eficaz para proteção contra o VSR. Entender como ocorre essa diferença de susceptibilidade entre estes dois agentes altamente prevalentes pode auxiliar no desenvolvimento de novas estratégias de tratamento. Nossa hipótese é de que o microambiente do trato respiratório da criança proporciona uma interação patógeno-hospedeiro que controla a resposta imune antiviral protegendo a população pediátrica contra SARS-CoV-2, mas não VSR. Essa hipótese está baseada em dados do nosso grupo que demonstram que células da nasofaringe de crianças com bronquiolite por VSR, quando tratadas com acetato de sódio, um ácido graxo de cadeia curta, são eficientes em controlar a infecção pelo vírus aumentando a resposta antiviral mediada por interferon do tipo 1. Esse efeito do acetato não ocorre em células da nasofaringe de pacientes adultos infectados com SARS-CoV-2. No presente estudo pretendemos fazer uma análise de sequenciamento de RNA de amostras de pulmão de crianças saudáveis infectadas ex vivo com VSR ou SARS-CoV-2 e investigar os mecanismos em um estudo comparativo da resposta imune nas vias áreas de camundongos no período neonatal e adultos infectados com os dois vírus.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Paula Frederico Rodrigues Loureiro Bracarense

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • micotoxinas e sistema reprodutor: modelo ex vivo para avaliação toxicológica
  • O Brasil detém posição de destaque no cenário mundial na produção de bovinos e suínos. Nesse contexto, os índices reprodutivos são de suma importância, já que influenciam diretamente na lucratividade da atividade. Porém um dos problemas enfrentados são os distúrbios reprodutivos que levam a perdas econômicas consideráveis e que podem estar relacionados, à exposição às micotoxinas, contaminantes naturais de grãos, que estão presentes em 80% dos alimentos destinados a animais. Efeitos tóxicos de fusariotoxinas são descritos no sistema digestório e imune, no entanto dados sobre toxicidade reprodutiva são escassos. As fusariotoxinas de maior ocorrência nos cereais têm limites máximos toleráveis estabelecidos, no entanto, a contaminação com múltiplas micotoxinas é frequente, e raros são os estudos com esse foco, o que contribui para a ausência de regulamentação para a multicontaminação. Nosso grupo de pesquisa tem trabalhado ao longo dos anos para o conhecimento dos efeitos da interação de micotoxinas em diferentes sistemas do organismo. Nesta proposta nosso objetivo é avaliar os efeitos da exposição ao desoxinivalenol, fumonisinas e zeralenona isoladamente e em co-contaminação sobre o sistema reprodutivo de bovinos e suínos. Nossa hipótese é que a co-contaminação induza efeitos sinérgicos ou aditivos tanto nos ovários como úteros dos animais de produção. Diferentes interações têm sido observadas no sistema digestório e imune de animais expostos a multicontaminação micotóxica, portanto é provável que o mesmo ocorra no trato reprodutivo. Modelos experimentais in vivo utilizando bovinos e suínos apresentam limitações devido ao custo envolvido. Nossa proposta é utilizar o modelo de explantes teciduais de ovários e úteros de bovinos e suínos, para avaliar alterações morfológicas, morfométricas e na expressão de proteínas de junção, receptores de estrógenos e progesterona. A resposta inflamatória, ao estresse oxidativo, e a viabilidade celular também serão investigadas.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 18/03/2022-31/03/2025