Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alex Verdério

Ciências Humanas

Educação
  • sustentabilidade, educação do campo e agroecologia: organização sócio-produtiva e processos formativos em assentamentos rurais na bahia, no paraná e em santa catarina.
  • A proposta, com caráter interinstitucional e interdisciplinar, mantém fortes vínculos com a Educação Básica e articula pesquisadores da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, da Universidade Federal de Santa Catarina e pós-graduandos de mais três instituições com vínculos nas escolas envolvidas. Tem por objetivo impulsionar a investigação, produção e divulgação científica, por meio da pesquisa básica na área de Tecnologias para o Desenvolvimento Sustentável, aprofundando a compreensão sobre a relação Educação do Campo e Agroecologia para o delineamento de estratégias na promoção da sustentabilidade em assentamentos rurais. O lócus da pesquisa abarca as práticas inovadoras sustentáveis nos agroecossistemas da Escola Técnica de Agroecologia Luana Carvalho na Bahia, do Colégio Estadual do Campo Iraci Salete Strozak no Paraná e da Escola Vinte e Cinco de Maio em Santa Catarina. A questão central volta-se para o levantamento e análise de práticas inovadoras vivenciadas a partir das conexões entre organização sócio-produtiva e processos formativos na relação Educação do Campo e Agroecologia e que podem fomentar a formulação de estratégias de promoção do desenvolvimento sustentável nos agroecossistemas. É crível o potencial de conceber o desenvolvimento sustentável a partir das realidades e contextos. Nesse exercício investigativo, a prática social como ponto de partida traz a tona conhecimentos construídos no trabalho e nas relações, isso passa por compreender os saberes, os valores e a interação social como elementos basilares na organização sócio-produtiva e nas práticas formativas. A inferência sobre as conexões entre essas dimensões têm na escola um espaço fecundo e pertinente no inventário de práticas inovadoras que promovam o desenvolvimento sustentável. Isso impulsiona a viabilidade investigativa e metodológica da pesquisa com participação efetiva dos atores na popularização do conhecimento produzido.
  • Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - BA - Brasil
  • 28/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alexander Christian Vibrans

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • iffsc - estratégias csr e dinâmica da diversidade taxonômica, estrutural e funcional da floresta atlântica subtropical
  • Florestas constituem o maior sumidouro terrestre de carbono atmosférico, o que confere a elas um importante papel na mitigação das mudanças climáticas. Nesse contexto, as florestas secundárias têm participação crescente, especialmente nas regiões (sub)tropicais. No Brasil, a maior parte da Mata Atlântica é atualmente composta por florestas secundárias. Conhecer a dinâmica dessas florestas é fundamental para protegê-las, restaurá-las e manejá-las. Do ponto de vista logístico e financeiro, é um desafio obter estimativas populacionais robustas de mudanças taxonômicas, estruturais e funcionais, visto que para isso é necessária a coleta de dados em parcelas permanentes distribuídas de forma probabilística em toda a população, e não em áreas escolhidas arbitrariamente ou por conveniência. Ainda é incompleto o entendimento das interações ecológicas entre as espécies que moldam o processo sucessional, a acumulação de biomassa e o sequestro de carbono. Desta forma, precisa ser esclarecido quais espécies, atributos e estratégias funcionais estão direcionando o desenvolvimento da Floresta Atlântica subtropical, inclusive frente às mudanças climáticas. Pretendemos investigar, como itens-chave, as taxas de ingressos de indivíduos e espécies, de incremento dos sobreviventes e de mortalidade por espécie, bem como mudanças na diversidade taxonômica, estrutural e funcional das florestas catarinenses. Esta proposta acrescenta a investigação da influência de atributos funcionais das espécies arbóreas no desenvolvimento das florestas. Em especial, hipotetizamos que as análises das estratégias CSR permitirão quantificar o papel de espécies competidoras, tolerantes ao estresse e ruderais na variação da composição de espécies e no processo de acumulação de biomassa nas florestas. O Inventário Florístico Florestal de SC (IFFSC), com 499 parcelas, construiu uma base de dados pública para a execução desta proposta, que consiste na terceira remedição de 36 parcelas instaladas em 2008.
  • Fundação Universidade Regional de Blumenau - SC - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexander Henning Ulrich

Outra

Biomedicina
  • a sinalização purinérgica, cininérgica e a estimulação cerebral profunda como intervenções terapêuticas na doença de alzheimer
  • A Doença de Alzheimer (AD) é a forma mais prevalente de demência, e apresenta no início de seu desenvolvimento um extenso processo neuroinflamatório, que resulta em danos aos neurônios e comprometimento da transmissão e plasticidade sináptica. Um desses danos é a deficiência na neurogênese adulta, que é alterada durante processos de neuroinflamação devido à presença de diversos componentes, como citocinas e quimiocinas liberadas pela microglia e astrócitos, além da invasão de células imunes periféricas. Assim, o estudo de mecanismos que possam prevenir o aumento do processo neuroinflamatório da AD são de extrema importância. Como atualmente não existe cura ou tratamentos eficazes para a AD, o objetivo deste projeto é avaliar se intervenções farmacológicas ou de estimulação cerebral (deep brain stimulation, DBS) podem prevenir/atenuar os danos causados pela AD no sistema nervoso central. As intervenções farmacológicas serão realizadas com agonistas/antagonistas de receptores purinérgicos e cininérgicos (P2Y2, P2Y14 e B2) envolvidos na migração, proliferação e desenvolvimento de neurônios, e quimiotaxia de células imunes periféricas. A DBS já mostrou melhorar processos cognitivos como a memória de curto prazo, e a modulação de circuitos específicos via DBS resultam no aumento da neurogênese, plasticidade sináptica e sobrevivência celular. Além disso, a DBS modula os níveis extracelulares de adenosina, que agem por receptores purinérgicos do tipo A1. O projeto avaliará o efeito da modulação do sistema purinérgico e cininérgico na neuroinflamação e neurogênese, utilizando a transfecção com retrovírus CAG/eGFP+, em modelos de AD: in vivo, com camundongos transgênicos APP/PS1 ou APP/PS1/B2R-/-, e in vitro com o modelo de neuroesferas isoladas destes animais. Visando a aplicação clínica, avaliaremos os efeitos da DBS no fórnix nos processos neuroinflamatórios e de neurogênese de animais APP/PS1 e seu papel na modulação dos níveis de adenosina e atividade do receptor A1.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025