Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Viviana Borges Corte

Ciências Humanas

Educação
  • iv mostra de biologia: a ciência está em tudo!
  • Em um contexto de pandemia, agravada por correntes de desinformação, o mundo passa por grandes mudanças em todos os setores da atividade humana. A sociedade hoje conectada está cada vez mais diversa e globalizada. Estamos vivendo a quarta revolução industrial que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos (UNESCO, 2018). Não somente o setor industrial, mas como quase todos os setores da economia sofreram mudanças ocasionadas pela automatização, digitalização e desenvolvimento da internet. Além de mudanças econômicas e sociais, a era da digitalização também provocou mudanças profundas na comunicação. Redes sociais e plataformas de divulgação de conteúdo, como YOUTUBE®, blogs, entre outros, provocaram uma revolução na comunicação humana, diminuindo distâncias e democratizando a informação (COUTINHO & LISBÔA, 2011). Nos últimos anos, avanços incríveis aconteceram na ciência, tecnologia e inovações, levando a soluções rápidas para problemas reais, que pensávamos outrora que jamais seriam possíveis. Há, portanto, uma ruptura de paradigma entre as sociedades analógica e digital que mais do que conduzir-nos à Quarta Revolução Industrial, o avanço na ciência, tecnologia e inovações está provocando uma transformação cultural. Estas mudanças na sociedade, afetaram também a educação, desde a escola básica até o ensino universitário, que precisam ressignificar-se para atender às necessidades de crianças, jovens e adultos em um mundo cada vez mais diversificado, digitalizado e globalizado. Além da educação formal, essa realidade também se apresenta em transformação nas diversas formas de veiculação da informação entre as pessoas das diversas classes sociais ou culturais. Há de se pensar em uma forma nova de comunicar ciência à sociedade. Daí podemos refletir sobre ‘como e o que ensinar para nossos jovens e adultos em um mundo onde as mudanças tecnológicas são tão rápidas?’ ‘Como preparar os jovens para um mercado de trabalho e para uma sociedade cada vez mais digitalizada, diversificada, globalizada e altamente conectada?’ As crianças de hoje já nasceram num mundo digital, por isso o uso de celulares, tablets e outras tecnologias está cada vez mais comum em seu cotidiano e consequentemente no espaço escolar. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2018 apontam que 79,1% dos lares brasileiros estão conectados a uma rede de internet, ou seja, 126,9 milhões de pessoas. A facilidade de acesso à informação popularizou-se, nunca houve, na história da humanidade, as mesmas facilidades de propagação de notícias como há agora! Se antes existia uma disputa entre professores e celulares, hoje muitos educadores já criaram formas de unir educação com tecnologia para potencializar a aprendizagem. Pensar em escolas usando recursos como realidade aumentada ou até inteligência artificial, para muitos, já não parece uma cena futurista. Freire (2019) destaca que a situação de aprendizagem deve considerar um problema real do mundo, pois “ensinar exige compreender que a educação é uma forma de intervenção no mundo”, ou seja, a educação deve ser transformadora (FREIRE, 2019, p.96). Apesar de reconhecer que a educação é capaz de intervir no mundo, Paulo Freire destaca que a educação por si não muda o mundo. Ela muda as pessoas, e estas sim, mudam o mundo (FREIRE, 1989). Deste modo, o olhar do professor não deve ser apenas para o conteúdo ou projeto pedagógico, mas sim um olhar mais atento ao desenvolvimento pessoal e integral do aluno. Dessa forma, a IV Mostra de Biologia: ‘A ciência está em tudo!’ visa abordar a transversalidade da ciência, tecnologia e inovações para o futuro do planeta, integrando o mundo natural (real) e o mundo tecnológico (virtual) como forma de despertar nas crianças e jovens a curiosidade em explorar e aprender cada vez mais. Tendo o conhecimento científico e o avanço tecnológico como referência estratégica, a IV Mostra de Biologia, focada na “transversalidade da ciência, tecnologia e inovações para o planeta”, caracteriza-se pela promoção de atividades de educação não formal e de divulgação científica que tem como objetivo principal estimular o aprendizado e a percepção do papel da ciência na sociedade e como instrumento de fortalecimento da educação formal (Ensino Fundamental I e II, Ensino Médio e Educação Tecnológica), não-formal e informal, visando à divulgação do conhecimento científico e tecnológico. Para isso, a Mostra trará um tema que desperta a curiosidade dos públicos de todas as idades: “Tem ciência aqui?” A partir dessa reflexão, queremos aprimorar a formação dos estudantes, unindo as capacidades de “produzir conhecimentos com uma cidadania que sabe pensar” (DEMO, 2010, p. 10) e com isso encontrar soluções que integram natureza e tecnologia para os problemas do dia-a-dia. As atividades serão desenvolvidas por estudantes dos cursos de Ciências Biológicas, Química, Engenharias, Oceanografia, Geografia, Pedagogia, Línguas e Letras e Psicologia. Participam ainda, mestrandos do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Biologia - PROFBio e alunos de Ensino Fundamental e Médio atendidos pelo Núcleo de Atendimento a alunos com Altas Habilidades e Superdotação (NAAHS) da Secretaria de Estado da Educação (SEDU). Em sua quarta edição, a Mostra de Biologia exibirá a ciência, tecnologia e inovações em perspectiva transversal, permeando diversas áreas do conhecimento por diferentes formas - expositivas, interativas, nas modalidades presencial e/ou virtual. As atividades propostas foram pensadas visando estimular a criatividade, o senso crítico, a curiosidade e o espírito científico por meio de Exposição de CT&I, Seminário ou Ciclo de Palestras, Conjunto de Oficinas de CT&I, Mostra de Vídeos.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 05/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Viviana Mendes Lima

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • a relação entre saúde e ambiente em pequenas cidades da amazônia: um estudo dos municipios de ponta de pedras e afuá, pa
  • Este projeto se insere no estudo do rural e urbano na Amazônia na interface Ambiente e Saúde da região e suas conexões socioeconômicas. O estudo propõe compreender a contribuição do Planejamento Urbano e Regional associado à Metodologia PEIR nos estudos dos pequenos municípios de Ponta de Pedras e Afuá do estuário do Delta Amazônico. O objetivo da pesquisa é analisar os efeitos da saúde no urbano e rural das pequenas cidades da Amazônia nesses municípios, e suas repercussões na saúde e ambiente. Pretende-se avaliar a relação Saúde e Ambiente a partir da pesquisa qualiquantitativa, que tem como objetivo considerar os efeitos da ação antrópica no urbano e rural da Amazônia, e propor ações mitigadoras no campo do ambiente e saúde. Como procedimentos metodológicos, será utilizada a metodologia PEIR – Pressão, Estado, Impacto e Resposta, desenvolvida pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), proposta para estudos ambientais e de saúde. A metodologia PEIR será instrumento norteador de análise no projeto de pesquisa aplicado ao Planejamento Urbano e Regional. Os indicadores permitirão análise da relação ambiente e saúde. Serão levantados e analisados dados primários e secundários (Formulários de Campo, Dados Censitários, dados do DATASUS), entre outros. A pesquisa de campo permitirá a aplicação de formulários à população residente e entrevistas com gestores públicos, além de observação de campo e registro fotográficos. Como resultados esperados o presente projeto possibilitará entender o quão as variáveis da PEIR dialogam com outras variáveis da saúde, ambiente, hábitos de consumo, fontes de renda, hábitos de consumo entre outros.
  • Universidade do Vale do Paraíba - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Viviana Possamai Della Sagrillo

Engenharias

Engenharia Civil
  • produção de material cimentante com resíduos industriais
  • O cimento Portland (CP) é um produto essencial para a construção civil. No entanto, seu processo de produção demanda elevado consumo energético, além do alto nível de emissão de CO2 e, por isso, tanto a comunidade científica quanto técnica buscam desenvolver novos materiais cimentantes a partir de matérias-primas secundárias que possam ser usadas como alternativa ao CP. As análises dos resultados dos ensaios de caracterização de alguns resíduos industriais, pesquisados no curso de mestrado em engenharia metalúrgica e de materiais do Ifes Campus Vitória, revelaram que existem diversos resíduos industriais, gerados pelas indústrias do estado do Espírito Santo, que possuem potencial para a produção de materiais cimentantes. Em uma primeira etapa já foi possível obter um material cimentante com 64% da resistência à compressão do CP. Assim, este projeto pretende dar continuidade investigando o potencial de melhorar a formulação obtida adicionando um terceiro resíduo. Pretende-se com isso obter um material cimentante à temperatura ambiente, exclusivamente com resíduos, e posteriormente aplicá-lo na produção de componentes construtivos a base de CP.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Viviane Adriano Falcão

Engenharias

Engenharia de Transportes
  • avaliação da eficiência ambiental do sistema de transporte brasileiro utilizando análise envoltória de dados
  • O desenvolvimento econômico de um país depende diretamente da eficiência do seu sistema de transportes. A importância do bom desempenho do setor de transporte para o crescimento econômico e a redução da pobreza é amplamente reconhecida. Porém, os países não só querem aumentar produtividade e a eficiência das suas economias, como querem reduzir o consumo de energia e a poluição ambiental. O Brasil foi um dos países que mais emitiu CO2 no setor de Transportes nos últimos 40 anos. Há muitos estudos que avaliam os modos de transportes, mas não foi encontrado nenhum que faça uma análise em conjunto de todos os modos e que avalie também as emissões de CO2, dessa forma o projeto pretende preencher uma lacuna da literatura. O objetivo do trabalho é mensurar e analisar a eficiência dos sistemas de transportes do Brasil comparando-os com modelos internacionais por meio da Análise Envoltória de Dados, considerando variáveis ambientais e operacionais. A avaliação da eficiência é crucial para a condução de um planejamento mais adequado ao desenvolvimento dos sistemas de transportes. Essa análise será possível por meio de um ponto de referência, em que, neste trabalho, serão os sistemas de outros países. Desta forma, será possível compará-los e determinar como o Brasil está neste cenário e o quanto se pode melhorar. Ao término desse trabalho, haverá uma melhor compreensão da eficiência dos sistemas de transportes a nível nacional e internacional, além de fornecer informações sobre os fatores que influenciam a eficiência dos sistemas de transportes nacional.
  • Universidade Federal do Triângulo Mineiro - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022