Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Anderson Stevens Leonidas Gomes

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • rede de laboratórios de fotônica da ufpe – fotonnetufpe
  • As principais linhas de pesquisa do FotonNetUFPE são nas áreas de Óptica Não Linear, Fotônica Não Linear, Dispositivos Fotônicos, Técnicas de Diagnóstico por Imagem, Sensores ópticos e sistemas de redes e comunicações ópticas. Os laboratórios integrantes (e seus pesquisadores) atuam também em materiais avançados para fotônica, nanofotônica e plasmônica, óptica quântica e espectroscopia atômica e não linear. Os temas acima indicados formam uma base na interface entre a ciência e a tecnologia para aplicações multidisciplinares que vão da indústria automobilística até as áreas de saúde. Exemplos da relevância das linhas de pesquisa podem ser contemplados através de dispositivos tecnológicos amplamente utilizados pela sociedade, como os lasers, lâmpadas LEDs, fibras ópticas, câmeras CCD, etc. Diversos tipos de sensores ópticos, inclusive miniaturizados e usados em aparelhos celulares, usam algumas das tecnologias e conhecimentos indicados acima. O uso de fibras e dispositivos ópticos em sistemas de comunicações ópticos são essenciais e conhecidos da sociedade. O Brasil não dispõe de grande número de indústrias ou empresas de alta tecnologia que atuem diretamente nos temas acima. As poucas que existem, boa parte multinacionais, usam os laboratórios de pesquisa de seus países de origem. Algumas empresas de pequeno e médio porte, particularmente no sudeste do País, atuam nos temas acima. O impacto econômico destas linhas de pesquisa para o País poderia ser enorme, como ocorre em outros países, mas devido à falta ou pequena quantidade destas empresas atualmente o impacto é pequeno. A existência do SISFOTON e seus laboratórios associados pode contribuir para alertar a indústria brasileira do potencial existente no País. O impacto social associado às linhas de pesquisa explicitadas acima pode ser enorme, com especial atenção no momento para a área de saúde, indo desde sensores ópticos até sistemas de telemedicina com base em comunicações ópticas. O FotonNetUFPE é formado por uma rede de laboratórios multiusuários dos Departamentos de Física, de Química Fundamental e de Engenharia Eletrônica e Sistemas da UFPE, com suporte indireto de laboratórios de pesquisa em óptica e fotônica dos mesmos departamentos. No Departamento de Física, os laboratórios indicados abaixo farão parte da rede: Nanofemtolab - Laboratório Multiusuário para aplicações de lasers de femtosegundos de alta potência Biofotônica - Laboratório multiusuário com facilidades para diagnóstico por imagens aplicadas a materiais biológicos e não biológicos, além de estudos pré-clínicos e clínicos. Oficina de Óptica - Oficina de apoio com facilidades na área de corte e polimento de cristais e vidros especiais. Caracterização óptica por luminescência. Medidas de índice de refração. Fornos para preparação de vidros fotônicos. Laboratório multiusuário FIB (Focusing Ion Beam) - MEV, AFM, RX - Laboratórios multiusuários com capacidade de caracterização por microscopia eletrônica, microscopia de força atômica e raios-X. Os laboratórios Nanofemtolab e Biofotônica estão localizados em ala destinada à interação com empresas, construída com apoio da FINEP (CT-INFRA). No Departamento de Química Fundamental, onde o Laboratório de Polímeros está localizado, contamos com a infra-estrutura de apoio à pesquisa da Central Analítica, que, entre outros equipamentos, possui dois espectrômetros de RMN, difratômetro de raios-X, espectrômetros diversos (FT-IR, UV-Vis, massas). A Central Analítica tem há vários anos prestado serviços para o público externo, incluindo diversas empresas. O Laboratório de Polímeros desenvolve ainda pesquisas em colaboração com diversos grupos, como o grupo de Terras Raras (BSTR), que aloca a Central Multiusuário de Espectroscopia do Nordeste (CEMENE) que é uma central de análises espectroscópicas compostas por equipamentos voltados para a caracterização de sistemas complexos no estado sólido e líquido, e o grupo de Química do Estado Sólido (LQES), que gerencia o sistema de ablação laser e AFM do DQF. Atualmente, a estrutura do CEMENE, que inclui diversos equipamentos de medidas espectroscópicas e de caracterização de materiais, apoia trabalhos de grupos de pesquisa de diversas universidades, principalmente em Pernambuco, Sergipe e Paraíba. Tanto CEMENE como o BSTR mantêm colaborações com pesquisadores em outros estados do Brasil e parcerias internacionais. O Programa de Pós-graduação em Ciência de Materiais tem diversos equipamentos voltados para a síntese e caracterização de materiais. Na linha de preparação de materiais, destacam-se uma prensa térmica - para a preparação de materiais sob pressão/atmosfera/temperatura controlada - e um reômetro de torque - para a preparação e estudo de amostras poliméricas. O laboratório de microscopia conta atualmente com um microscópio eletrônico de varredura (FEG) TESCAN, com capacidade para STEM e modo ambiental, e detector de EDS para análise elementar semi-quantitativa. No Departamento de Engenharia Eletrônica e Sistemas os seguintes laboratórios fazem parte do Grupo de Fotônica, grupo de pesquisa que foi instituído em 1997 e tem atuado em ensino (graduação e pós-graduação), pesquisa e inovação na área de fotônica: Laboratório de Redes Ópticas - laboratório dedicado à pesquisa e inovação em temas e tecnologias para sistemas de comunicações ópticas e redes de comunicação por fibra óptica. Laboratório de Sensores e Instrumentação - laboratório de pesquisa e inovação em dispositivos e sistemas sensores ópticos, envolvendo fibras especiais, plasmônica, fibras poliméricas (POFs) e outros. Laboratório de Óptica Biomédica e Imagens - laboratório para a pesquisa em biofotônica, técnicas avançadas de microscopia, OCT e tratamento de imagens, sensores biofotônicos.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 17/07/2021-31/07/2024
Foto de perfil

Andersson Barison

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • desenvolvimento e implementação da espectroscopia de ressonância magnética aliada a métodos de inteligência artificial no diagnóstico e prognóstico de tuberculose no sistema público de saúde
  • A realização de exames clínicos é um dos principais âmbitos da Atenção Primária à Saúde. O sucesso na abordagem terapêutica e prevenção de doenças está diretamente associado ao diagnóstico precoce, que permite maiores possibilidades de tratamento, redução de custos, além de prevenir a evolução de patologias que podem levar o paciente a óbito. A principal forma de contornar essa problemática é conhecer, de forma mais abrangente possível, o perfil metabólico do paciente, uma vez que o surgimento e a evolução de patologias causam alterações em diversos metabólitos, podendo ser utilizados como biomarcadores de doenças. Assim, o desenvolvimento de tecnologias minimamente invasivas e capazes de fornecer informações abrangentes sobre o real estado de saúde do paciente são essenciais para garantir a promoção à saúde. Neste contexto, a Espectroscopia de Ressonância Magnética (ERM) tem se mostrado uma grande aliada na prevenção, monitoramento e diagnóstico de doenças, visto que fornece informações precisas, diretamente de amostras de biofluídos corporais. Por exemplo, em um único espectro de RM de uma amostra de urina de recém-nascido é possível identificar e quantificar até 250 metabólitos, sendo 100 deles já reconhecidos como biomarcadores de patologias. Assim, esta proposta visa desenvolver e implementar no Brasil a plataforma tecnológica de ERM no diagnóstico e prognóstico de tuberculose, através da análise direta de amostras sanguíneas, utilizando espectrômetros de imãs permanente, baixo custo e de fácil implementação em ambientes hospitalares. Com isso, será possível realizar o diagnóstico e prognóstico, não somente de tuberculose, mas de várias doenças, de forma simples, rápida e precisa, e assim, possibilitar o correto tratamento, melhor qualidade de vida e redução de custos de tratamentos futuros. Adicionalmente, visa-se desenvolver algoritmos de inteligência artificial que permitam explorar de forma mais efetiva os espectros de RM e, com isso, encontrar novas correlações entre o perfil metabólico e condições de saúde, ampliando assim a capacidade prognóstica da ERM. Além disso, o desenvolvimento desta proposta fornecerá subsídios para sua possível implementação no Sistema Único de Saúde, e com isso, o monitoramento completo de uma ampla parcela da população, possibilitando estratégias de prevenção de doenças.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 01/02/2020-31/01/2023
Foto de perfil

André Alexandre Guimarães Couto

Ciências Humanas

Filosofia
  • expotec rio'2021: exposição da produção em ciência e tecnologia de alunos de cursos de educação profissional do rio de janeiro
  • A EXPOTEC RIO'2021 - a Exposição da Produção em Ciência e Tecnologia de Alunos de Cursos de Educação Profissional de Nível Médio, é um evento realizado desde 1998, e a partir de 2004, como evento integrante da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT). É um evento aberto, gratuito para apresentadores de trabalhos e para o público visitante. Conta com a participação de estudantes do ensino médio, de cursos regulares deste nível de ensino e/ou de cursos de educação professional de nível médio. O evento, organizado e realizado pelo CEFET/RJ, apresenta a cada ano uma média de 200 projetos, sejam dos alunos da própria instituição organizadora, sejam de outras instituições e redes de ensino (pública estadual, pública federal e privada). Com a rede pública municipal da cidade do Rio de Janeiro, temos a parceria para a promoção da visitação guiada voltada para estudantes do ensino fundamental, com o objetivo de divulgar o conhecimento em Ciência e Tecnologia para um público ainda mais jovem e em formação educacional. Paralelo a este evento, o CEFET/RJ promove o Ciclo Multidisciplinar de atividades acadêmicas como palestras, comunicações livres, seminários, minicursos, mostra de pôsteres e realização de atividades artístico-culturais. O Ciclo, assim como a própria EXPOTEC Rio'2021, é totalmente aberta ao público em geral, seja ele apresentador de trabalhos (estudantes e seus respectivos professores orientadores), seja ele visitante ao evento.
  • Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca - RJ - Brasil
  • 30/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

André Bernardo

Engenharias

Engenharia Química
  • cristalização de moléculas complexas por adição de antissolvente e resfriamento
  • A Cristalização é a operação predominante na formação de partículas sólidas nas indústrias química e farmacêutica. Estima-se que 70% de todo material sólido – e 90% dos princípios ativos farmacêuticos – seja produzido por cristalização. Especificamente nas indústrias de química fina e farmacêutica, emprega-se extensivamente a cristalização por adição de antissolvente, pois é comum que o soluto seja muito solúvel no solvente original ou instável em temperaturas mais altas. Entretanto, os modelos cinéticos da cristalização por adição de antissolvente ainda estão sendo contruídos. Desejam-se parâmetros cinéticos que incluam os efeitos da composição do solvente e permitam a simulação de amplas faixas de operação dos cristalizadores, e modelos de equilíbrio que levem em conta as mudanças estruturais causadas pela composição do solvente, como polimorfismo e solvatomorfismo. Nesse contexto, são propostas deste projeto experimentos para: obtenção de correlações para determinação da composição da solução por medidas simultâneas de índice de refração, condutividade e temperatura; determinação de solubilidade pelo método isotérmico e de caracterização estrutural do sólido em equilíbrio com a solução por difração de raios-X e microscopia óptica; estimação dos parâmetros cinéticos de cristalização pelo monitoramento in-situ e simultâneo das fases líquida e sólida; determinação do equilíbrio líquido-vapor dos sistemas soluto-solvente-antissolvente para permitir a reciclagem dos líquidos e a viabilização econômica dos processos. Serão utilizados como solutos-modelo neste trabalho: ibuprofeno, lactose e lisina; e etanol, propileno glicol e água como solventes ou antissolventes. Os solutos escolhidos são princípio ativo farmacêutico, excipiente ou ingredientes da indústria alimentícia (um açúcar e um aminoácido essencial). Os solventes ou antissolventes são todos líquidos aceitos como ingredientes alimentícios.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 18/03/2022-31/03/2025