Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alessandra Alves de Souza

Ciências Agrárias

Agronomia
  • plantas geneticamente modificadas e melhoramento de precisão para resistência a doenças bacterianas em variedades comerciais de citrus sinensis.
  • Estima-se que até 40 % das safras de alimentos são perdidas anualmente devido a problemas fitossanitários (http://www.fao.org/brasil/noticias/detail-events/pt/c/293049/). Além disso, o uso persistente de defensivos agrícolas tem acarretado em problemas ambientais e levado ao aparecimento de resistência de pragas e fitopatógenos. Desta forma, novas estratégias devem ser adotadas para que, quando aplicadas em conjunto, resultem em um controle mais eficiente e sustentável. Nesse cenário, a citricultura se destaca como de grande importância, uma vez que, o Brasil é o maior produtor mundial de laranja. Entretanto, este setor tem enfrentado dificuldades devido à elevada incidência de pragas e doenças. Dentre as doenças bacterianas que mais afetam a cultura, destacam-se o huanglongbing (HLB), cancro cítrico e clorose variegada dos citros (CVC). A partir dos conhecimentos adquiridos em genômica funcional, transformação genética, e mais recentemente, na edição do genoma, pretendemos, nesse projeto Universal, integrar o melhoramento convencional com técnicas avançadas de melhoramento molecular e abordagens biotecnológicas, para geração de cultivares com alto desempenho e com resistência a fitopatógenos. Para atingir estes objetivos, o projeto será dividido em duas partes; i. Avaliação em condições de campo de cultivares de laranja doce geneticamente modificadas (GM), quanto a resistência a patógenos, fisiologia do desenvolvimento e qualidade do fruto; ii. Uso de melhoramento de precisão por CRISPR, para edição de genes de suscetibilidade visando resistência ao cancro cítrico. Atualmente, cultivares de laranja expressando genes de resistência a patógenos, oriundos de trabalhos prévios da nossa equipe, encontram-se no campo (LPMA 01250.026812/2018-33). Ainda, vetores CRISPR-Cas9 para edição de regiões genômicas de dois genes alvos de suscetibilidade ao cancro cítrico, já foram desenvolvidos pelo nosso grupo, e a tecnologia será aplicada durante o desenvolvimento desse projeto.
  • Instituto Agronômico de Campinas - SP - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alessandra Del Ré

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • a linguagem da criança e suas interfaces
  • Desde 2020, o mundo vem sofrendo com os impactos causados pela pandemia da Covid-19. Dentre tais consequências, muitas e ainda pouco conhecidas, destacam-se aquelas ligadas ao desenvolvimento linguageiro infantil, o que influenciará, sem dúvida, a sociedade e a Educação. Isso porque, neste período, dentre outros fatores, está havendo uma exposição precoce e excessiva das crianças às telas, o que pode afetar igualmente seu desenvolvimento emocional. Soma-se a isso o fato de as crianças terem ficado afastadas, por longo período, da vivência escolar, bem como de amigos e familiares, o que restringiu suas possibilidades de interação com outros interlocutores. Diante desse amplo cenário, o objetivo deste projeto é, em um primeiro momento, refletir sobre a linguagem da criança neste período, com foco em ações para melhor desenvolvimento de sua linguagem (fala e escrita), em diferentes contextos (clínica de linguagem, escola, abrigos, ambiente familiar) e com populações distintas (crianças típicas, atípicas, surdas, autistas, com Síndrome de Down), a partir do estudo de diferentes temas (argumentação, humor, bilinguismo etc.), em um período pós-pandêmico. Para tanto, este projeto conta com a participação de cientistas de diferentes universidades do país, cujas pesquisas agem em uma ou mais ações aqui abordadas, o que amplia o escopo de atuação deste projeto. Vale dizer que essa multiplicidade de olhares será possível graças às pesquisas de docentes de um grupo que, desde 2008, reúne-se para discutir diferentes aspectos do processo de Aquisição da Linguagem falada e escrita: o NALingua (CNPq). Ao eleger-se os temas acima mencionados, pretende-se, em um segundo momento do projeto, levar tais reflexões às comunidades acadêmica e não acadêmica, possibilitando-se a escolas, professores, pais, profissionais de saúde, psicólogos, fonoaudiólogos etc. acesso a informações sobre os impactos da pandemia na linguagem das crianças e sugestões de ações que os minimizem.
  • Universidade Estadual Paulista - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alessandra Gomes Brandão

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • estratégia multidimensional de comunicação pública para o programa peld
  • O Programa de Pesquisas Ecológica de Longa Duração (PELD) tem permitido conhecer cientificamente e avaliar a complexidade dos processos ecológicos, com uma visão integrada e de longa duração, como mecanismo para promover a conservação e gestão de ecossistemas e analisar tendências, perspectivas e cenários. Nos últimos anos, o programa vem se expandindo de diversas formas: seja ao buscar maiores aportes financeiros para o programa; pela entrada de novas propostas de sítios que venham aumentar o entendimentos sobre outros organismos e ecossistemas; na busca pela integração dos estudos realizados pelos PELD´s; como também na capacidade de comunicar essa produção para os diversos públicos, sejam gestores, imprensa, comunidades do entorno e à sociedade como um todo. A preocupação com a formação de equipes multidisciplinares, no entanto, têm estado presente nos editais PELD, inclusive com o estímulo à presença de profissionais de comunicação e educação ambiental nas equipes, visando a alcançar e disseminar o farto conhecimento produzido em cada ambiente de pesquisa. Atualmente, há o entendimento da necessidade dessas pesquisas alcançarem não apenas os ambientes acadêmicos e públicos mais próximos, mas toda sociedade, uma vez que as mesmas são fundamentais para o desenvolvimento de políticas ambientais e para o gerenciamento de recursos naturais, que envolve, de formas distintas, toda sociedade nas várias regiões do país.Contudo, mesmo que sejamos uma sociedade permeada pela cultura científica, ainda há um lamentável distanciamento entre a ciência e sociedade, que precisa ser enfrentado para alcançar tais objetivos. A presente proposta vêm nessa direção, uma vez que propõe uma estratégia multidimensional para construção de possibilidades férteis de comunicação pública da ciência, que alcance os diferentes públicos - que possuem posições e percepções distintas sobre o meio natural. De natureza interdisciplinar, o projeto articula reflexões atuais e ricas sobre comunicação pública da ciência, como: (a) Linguagem capaz de atrair para o diálogo diferentes públicos, uma vez que essa se tornou uma das primeiras barreiras dessa aproximação (b) Respeito ao direito à informação e à apropriação social do conhecimento; c) Compreensão da complexa relação entre ciência, tecnologia, sociedade e ambiente (CTSA), buscando desconstruir visões equivocadas bastante comum sobre a ciência; d) Atenção aos modelos de comunicação adequados à cada atividade proposta, tanto em execução como nas formações proposta aos assessores de comunicação e pesquisadores dos sítios: i (e) foco na capacidade de atender a todos os sítios, por meio de uma proposta robusta em comunicação digital; (f); equilíbrio entre atividades realizadas por esta equipe e nas orientações que serão dadas às equipes de cada sítio PELD, por meio de capacitações e orientações especializadas em comunicação pública da ciência. Diante disso, a presente proposta busca atender as diretrizes previstas, uma vez que visa a potencializar a divulgação da produção científica dos sítios, tanto por meio da execução das atividades, como por meio das formações oferecidas aos PELD´s, de forma a alcançar os tomadores de decisão, também buscando o engajamento da sociedade por meio da aproximação dos cientistas dos sítios com as comunidades locais, como escolas, associações de bairro, eventos como rodas de conversa, apresentação dos mini museus sobre os ecossistemas e pela escuta dos saberes populares, como forma de fazer a comunidade partícipes do processo.
  • Universidade Estadual da Paraíba - PB - Brasil
  • 03/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Alessandra Lamas Granero Lucchetti

Ciências da Saúde

Medicina
  • associação do uso da internet e smartphones com a saúde física e mental de idosos de comunidade: estudo longitudinal populacional
  • Estudos têm demonstrado a influência do uso da tecnologia móvel e da internet na saúde de diversos grupos etários. Entretanto, ainda são escassos estudos envolvendo idosos e que tenham avaliado dependência digital. Objetiva-se com este estudo avaliar a utilização de smartphones e o grau de dependência digital e de que forma esses fatores estão associados à saúde física, mental, social e qualidade de vida de idosos da comunidade. Este é um estudo de coorte, populacional e observacional incluindo a população idosa de 60 anos ou mais, residente no município de Santana do Deserto – MG. O seguimento será de três anos e aferido em dois momentos: baseline (já realizado em 2019) e seguimento (para ser realizado em 2022). Na coleta do baseline, foram incluídos 668 idosos (93.6% da população total do município) e espera-se manter uma alta taxa de respostas em 2022, uma vez que a aplicação é feita por agentes comunitários de saúde que tem contato próximo aos participantes. Estão sendo utilizados questionários sociodemográficos, avaliação cognitiva (Mini-mental, relógio e fluência verbal), saúde mental (DASS-21), qualidade de vida (WHOQOL-bref), sono (Pittsburgh), atividades de vida diária (Lawton), solidão (UCLA), dependência digital (Internet Addiction Test) e uso de tecnologia digital (uso da internet e smartphones), entre outros. Ainda que a temática tenha sido pouco investigada, com limitações no que concerne a associação entre tecnologia/internet e implicações na saúde integral do idoso, os poucos estudos existentes evidenciaram efeitos positivos desta, sobretudo na saúde mental dos idosos, resultados estes diferentes dos obtidos nos jovens, em que os desfechos tendem a ser negativos. Esse projeto visa preencher essa lacuna, compreendendo de que forma a tecnologia pode influenciar longitudinalmente na saúde do idoso, gerando resultados que podem servir de subsídios para gestores, profissionais de saúde e para a divulgação na população leiga.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alessandra Luzia Da Róz

Engenharias

Engenharia Química
  • ii mostra científica e feira de ciências do ifsp itapetininga
  • A II Mostra de Científica e Feira de Ciências do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) Câmpus Itapetininga é um evento idealizado e realizado pelas Coordenadoria de Pesquisa, Inovação e Pós-graduação, Diretoria Adjunta Educacional e Coordenadoria de Extensão do Câmpus Itapetininga do IFSP no âmbito da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Ao promover a II Mostra Científica e Feira de Ciências do IFSP Itapetininga pretende-se possibilitar que estudantes do Ensino Fundamental, Médio e Técnico das redes municipais, estaduais e federal do município de Itapetininga e região possam entrar em contato com um ambiente facilitador e estimulante ligado às ciências, corroborando o trabalho realizado em sala de aula por professores previamente treinados pelo corpo docente do IFSP, via parceria entre Prefeitura Municipal e Diretoria Estadual de Ensino. A II Mostra Científica e Feira de Ciências é um espaço para discussão, apresentação e exposição de trabalhos técnicos e científicos desenvolvidos e os melhores trabalhos serão premiados em diversas categorias, incluindo premiação exclusiva para meninas. No evento, além da apresentação de trabalhos, ocorrerão diversas atividades concomitantes, tais como: mostra de robótica, mostra de protótipos, Congresso Paulista de Ensino de Ciências, experimentos de ciências do projeto Show da Física, também iniciativa do Câmpus Itapetininga, e tour pelo Espaço Giroscópio de Ciências. O Câmpus possui ampla experiência na realização de eventos científicos, técnicos e tecnológicos, pois desde 2010 realiza seu Congresso de Iniciação Científica e o Work Tech Itapê. Em 2019, a I Feira de Ciência teve a participação de cerca de 110 trabalhos de várias cidades da região e ocorreu em outubro na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia com participação de mais de 1000 alunos, incluindo expositores do Ensino Básico e Médio. Devido a pandemia de COBID-19, a Feira não ocorreu no ano de 2020; porém, as atividades base da Feira, como manutenção das parceiras iniciadas, continuaram acontecendo para a implantação adequada da II Mostra Científica e Feira de Ciências do IFSP.
  • Instituto Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 15/04/2021-30/04/2023
Foto de perfil

Alessandra Matte

Ciências Humanas

Sociologia
  • sistemas agroalimentares no brasil: sustentabilidade e práticas culturais em espaços rurais e urbanos
  • A sociedade contemporânea vivencia em todo o mundo o recrudescimento da fome e da pobreza. Por outro lado, há o aumento da produtividade e da produção de alimentos em diferentes contextos globais. Assim, em um contexto de crescentes inequidades, a preocupação não somente com a origem, forma de processamento e qualidade, mas também da acessibilidade dos alimentos fica evidente. Com o intuito de elucidar o decurso desses processos e o seu impacto na segurança alimentar, o objetivo deste projeto consiste em analisar mudanças nos sistemas agroalimentares a fim de compreender aspectos da produção, do processamento, da comercialização e do consumo de alimentos, com ênfase na sustentabilidade e em práticas culturais presentes em espaços rurais e urbanos nas diferentes regiões do Brasil. A análise comparativa entre as diferentes regiões permitirá identificar as singularidades, assim como as semelhanças e diferenças, de maneira a desenhar caminhos para uma transição dos sistemas alimentares mais equitativos e sustentáveis. A equipe interdisciplinar fará uso de método misto, por ser um procedimento de coleta, análise e combinação de técnicas quantitativas e qualitativas em um mesmo desenho de pesquisa. A partir das lições geradas em escala local em cada um dos sítios do estudo, é almejado avançar e consolidar a produção de conhecimentos científicos úteis também para a tomada de decisão em nível regional e global, bem como torná-los acessíveis ao público geral. Participar de uma iniciativa em rede colaborativa, atuando em parceria com diversas instituições, possibilita a identificação de soluções sustentáveis e a capacitação e formação de recursos humanos. A proposta incentiva a produção e o acesso a alimentos de qualidade, a autonomia de famílias de produtores rurais por meio da promoção da comercialização de alimentos e a compreensão de escolhas dos consumidores, promovendo ações direcionadas ao estímulo de sistemas agroalimentares mais equitativos e sustentáveis.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 19/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alessandra Mussi Ribeiro

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • investigação dos mecanismos relacionados a atividade neuroprotetora dos compostos isolados de plantas 1,8 cineol, limoneno e mirtenol em modelo animal da doença de parkinson
  • A incidência de doenças neurodegenerativas teve um aumento expressivo nas últimas décadas. Dentre essas, a Doença de Parkinson (DP) tem um papel de destaque principalmente pelo seu caráter progressivo e limitante. Dessa forma, torna-se cada vez mais importante o desenvolvimento de intervenções terapêuticas mais inovadoras e eficazes para o tratamento da sintomatologia dessa doença. Dentro deste contexto, o Brasil é responsável pela gestão do maior patrimônio de biodiversidade do mundo, essas ricas fauna e flora podem ser fontes de substâncias biologicamente ativas com potencial terapêutico. Estudos demonstram que substâncias de extratos de plantas são potenciais agentes antioxidantes e anti-inflamatórios. que são verdadeiras “armas químicas” com diversos efeitos farmacológicos. Essas moléculas podem ser instrumentos que auxiliam no tratamento de doenças neurodegenerativas. Apesar do extraordinário potencial ainda há pouca utilização clínica desse tipo de bioativo. Recentemente, nós realizamos a bioprospecção de potenciais extratos de plantas que pudessem apresentar uma ação neuroprotetora quando testados em um modelo progressivo da DP em roedores. Nossos principais resultados mostraram que os extratos da Eplingiella fruticosa e Lippia grata apresentam atividade neuroprotetora, em comum ambos extratos tem terpenos. E mais, a manipulação biotecnológica desses extratos através da complexação com beta-ciclodextrina para melhorar a hidrofobicidade promoveu uma potencialização do efeito neuroprotetor, sugerindo um esboço para o desenvolvimento de um método para obtenção de um novo fármaco antiparkinsoniano. Neste contexto, na presente proposta de pesquisa, nosso objetivo é verificar se os terpenos 1,8 cineol, limoneno e mirtenol complexados com beta-ciclodextrina são os responsáveis pelos efeitos neuroprotetores já observados nos extratos de E. fruticosa e L. grata, além de investigar por qual(is) o(s) mecanismo(s) de ação(es) isso ocorre.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alessandra Pio Silva

Ciências Humanas

Educação
  • domas: valores civilizatórios para uma educação decolonial e antirracista
  • A educação decolonial antirracista deve ser protagonizada em nossas escolas o mais urgente possível, pois, apesar de haver leis que orientem que escolas prevejam em seus currículos conhecimentos focados nas afro-brasilidades, isso ainda não é efetivado na maioria das escolas. E, quando o fazem, os conteúdos aparecem de forma desconexa, dissociados da vida dos alunos. Assim, este projeto se enquadra na educação decolonial e antirracista, inserido numa realidade em que o currículo escolarizado ainda se encontra naturalizado pelo viés da colonialidade eurocêntrica. Desse modo, adotaremos um processo formativo para a transformação social, aquisição da consciência política e formação de identidades afrocentradas, tendo-se nos Valores Civilizatórios Afro-brasileiros a sustentação do currículo. Mesmo as Leis 10.639/03 e 11.645/08 sendo sancionadas há mais de 18 anos , muitas escolas não incluíram em seus currículos ações para o estudo da História e Cultura Afro-Brasileira. A questão central desse projeto é refletir junto com professores e alunos, a partir de suas experiências, sobre como, e se, a educação decolonial antirracista é abordada em escolas públicas da Região do Seridó do RN. Elucidar a questão acima é fundamental, pois a temática está em consonância com três objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU: educação de qualidade; redução das desigualdades; paz, justiça e instituições eficazes. Ademais, esse estudo pode formar docentes capacitados para auxiliar os estudantes que respeitem e promovam os direitos humanos, conforme as competências 7 e 9 para a educação básica da BNCC. Esse trabalho será conduzido através de uma metodologia qualitativa, tendo como procedimento a Pesquisa-Ação. Isso é necessário, pois iremos desenvolver uma estreita parceria com os docentes colaboradores do estudo, em uma dinâmica ação-reflexão-ação e assim torná-los protagonistas na busca por alternativas pedagógicas para o ensino de valores civilizatórios na sala de aula.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alessandro Augusto de Barros Façanha

Ciências Humanas

Educação
  • rede de pesquisa em ensino desenvolvimental: uma experiência formativa com professores de ciências da natureza, matemática e suas tecnologias em escolas públicas do nordeste brasileiro
  • Pensar cientificamente é uma das fragilidades dos estudantes da educação básica brasileira, que de acordo com os parâmetros do Exame Nacional do Ensino Médio, demonstram, sobretudo no Nordeste, baixo desempenho em Ciências e Matemática, principalmente decorrentes da fragilidade nas habilidades cognitivas relacionadas à formação de conceitos e suas aplicações. Tal situação se correlaciona ao aspecto formativo no âmbito das licenciaturas que se materializa nas didáticas e no próprio processo de aprendizagem decorrente dos métodos e estratégias da escola (GATTI, 2014, 2020). Em atenção a esse contexto se coadunam as atividades colaborativas da Rede de Pesquisa em questão, a qual, tem sua atuação no campo da Didática Desenvolvimental e Teoria da Atividade com ênfase nos sistemas didáticos do teórico soviético P. Ya Galperin acerca do papel orientador na assimilação dos conceitos através da formação de habilidades cognitivas, a partir do que, se estruturam as seguinte questões de estudo: A formação de habilidades cognitivas em professores de Ciências e Matemática pode influenciar em sua prática e contribuir para a melhoria da aprendizagem em alunos do Ensino Médio? Qual a influência dos sistemas didáticos desenvolvimentais na formação do pensamento científico e sua consequência no ensino da Química e da Matemática? Considerando as pesquisas aplicadas no campo da Teoria da Formação Planejada das Ações Mentais e dos Conceitos, se permite correlacionar que a execução de estratégias e métodos desenvolvimentais no ensino das ciências e matemática (NUNEZ; RAMALHO; OLIVEIRA, 2020; FAÇANHA, 2020, NUNEZ; MELO; GONÇALVES, 2019), não só corroboram para uma reestruturação didática no âmbito da formação dos professores, como possibilitam o desenvolvimento das habilidades do pensamento científico para a tomada de decisão, resolução de problemas e regulação da aprendizagem, coadunando com a melhoria de índices e com as expectativas internacionais relativas ao papel da escola.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alessandro da Cruz Gonçalves

Engenharias

Engenharia Nuclear
  • análise neutrônica e termohidráulica de reatores modulares de pequeno porte
  • O presente projeto tem como objetivo precípuo a especificação técnica e o desenvolvimento pela equipe do projeto de sistemas computacionais específicos para as análises neutrônica e termohidráulica de reatores nucleares do tipo Small Modular Reactor (SMR). O desenvolvimento desses sistemas computacionais é necessário devido às características dos SMRs serem distintas daquelas existentes nos reatores nucleares convencionais. O projeto de pesquisa ora proposto terá como foco a tecnologia dos reatores nucleares modulares de pequeno porte do tipo SMR. O tamanho pequeno dos SMRs pode ser benéfico no fornecimento de energia elétrica para áreas remotas que são deficientes em infra-estruturas de transmissão e distribuição. No projeto será feita a análise técnica de duas das possíveis aplicações de SMRs: a dessalinização de água do mar e a geração de eletricidade para produção offshore de petróleo. No tocante a dessalinização o projeto de pesquisa visa estudar o acoplamento entre reatores modulares de pequeno porte e usinas para dessalinização, utilizando o calor gerado no reator nuclear como fonte de energia. Serão estudadas não apenas as tecnologias de dessalinização convencionais, mas também a tecnologia de dessalinização por membranas. No tocante a geração de eletricidade para produção offshore de petróleo será realizado neste projeto de pesquisa o estudo de viabilidade técnica-econômica e o projeto conceitual de um sistema de geração de energia nuclear usando a tecnologia de SMR, objetivando proporcionar elementos substanciados para uma tomada de decisão quanto à escolha do tipo de sistema nuclear offshore a ser adotado na costa brasileira.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 22/03/2022-31/03/2025