Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Willy Alvarenga Lacerda

Engenharias

Engenharia Civil
  • instituto geotécnico de reabilitação do sistema encosta-planície e desastres naturais
  • No Brasil, o processo histórico e atual de ocupação das terras tem promovido transformações cada vez mais rápidas no meio urbano-industrial e no meio rural, deixando rastros de degradação sócio-econômica-ambiental e degenerando a qualidade de vida. A integração destas transformações com as mudanças climáticas em curso favorecem não apenas as alterações nos regimes de chuvas com aumento de frequência das chuvas intensas, mas também a elevação do nível do mar. Tais fatos permitem antever a intensificação das ameaças e riscos de desastres relacionados a fenômenos naturais como os movimentos de massa e erosão nas encostas; assoreamento nos rios e inundações nas planícies fluviais e baixadas costeiras, igualmente sujeitas a instabilização dos materiais de superfície. A magnitude destes desastres pode atingir uma dimensão catastrófica em períodos de eventos climáticos extremos, especialmente nas áreas mais habitadas dos centros urbanos e industriais, ou mesmo em áreas rurais de produção florestal, agrícola e pastoril. Estes eventos extremos geralmente catalisam outras formas de instabilidade relacionadas, por exemplo, ao rompimento de dutos (de óleo, gás, etc.) e espraiamento de contaminantes químicos; ou bloqueio de vias de circulação; dentre outras. O atual INCT-REAGEO sustenta uma tradição de pesquisas com foco central nos aspectos geotécnicos associados a encostas e planícies. A continuidade e desdobramento das pesquisas, ora proposta como FASE II, prendem-se a consolidação e desdobramento do conhecimento científico e das inovações metodológicas e tecnológicas alcançadas até o presente. A ênfase atual converge para pesquisas voltadas à previsão, prevenção, mitigação e reabilitação dos sistemas de encostas e planícies/baixadas costeiras frente aos desastres naturais induzidos por chuvas extremas. Isto envolve a geração de conhecimento básico sobre os condicionantes e mecanismos de instabilização, movimentos de massas e erosão dos solos, em ambientes de encostas e planícies, visando o aprimoramento metodológico das cartas de suscetibilidade e de riscos em diferentes escalas de interesse para planejamento e gestão territorial-ambiental. Envolve também o aprimoramento e desenvolvimento de novas técnicas de estabilização e de reforço de solos em zonas de riscos. Acrescentam-se os estudos afins aos desastres em taludes submarinos dentro da realidade de exploração do petróleo na zona do Pré-Sal. Pretende-se em ultima instancia, o desenvolvimento de novos conceitos associados ao reconhecimento, classificação e zoneamento de áreas de riscos, assim como o aperfeiçoamento dos métodos de engenharia existentes e a proposição de novos procedimentos e técnicas de intervenção. Trata-se de uma demanda espontânea relacionada à segurança direta da população, com atenção especial sobre áreas urbanas e rurais, vias de circulação de bens (rodovias e ferrovias) e acessos portuários, contribuindo, portanto, para a integração nacional e a estabilidade sócio-econômica e ambiental do país. Esta proposta dará continuidade a pesquisas em andamento, com procedimentos metodológicos e tecnológicos integrados. A equipe envolvida é formada por pesquisadores com grande experiência nos tópicos ora abordados. São profissionais de dedicação exclusiva da COPPE-UFRJ, IGEO-UFRJ, UERJ, UFPE, UFRGS e UNB, com atuação abrangente em geotecnia, geologia, geomorfologia, geoecologia e hidrologia nos ambientes de encostas, planícies e talude submarino. Vale ressaltar que as instituições envolvidas participam do INCT-REAGEO desde sua fundação em 2009, agregando equipes com um histórico de colaboração anterior. Prioriza-se uma visão integrada dos processos atuantes no sistema encosta-planície. Os resultados pretendidos servirão à sociedade como base de planejamento e gestão territorial-ambiental, fornecendo o suporte técnico-científico para estabelecimento de previsão e monitoramento dos fenômenos em foco, e de medidas inovadoras de mitigação, prevenção, adaptação e reabilitação. O programa do INCT-REAGEO/Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia sobre Reabilitação do Sistema Encosta-Planície: FASE II, foi estruturado de modo a contemplar pesquisas fundamentais e aplicadas, inovadoras, e afins ao melhor entendimento e controle dos mecanismos hidrológicos e mecânicos reguladores da estabilidade de encostas e das planícies fluviais e costeiras. Destaca-se o aprimoramento de metodologias apoiadas em Sistemas de Informação Geográficas (SIG) e aplicadas na construção das cartas de susceptibilidade e de riscos afins aos fenômenos naturais indicados no Projeto e o aprimoramento de tecnologias voltadas à reabilitação de áreas degradadas via revegetação e/ou intervenções geotécnicas apropriadas. Nas planícies costeiras destaca-se ainda o aprimoramento das técnicas de disposição de sedimentos dragados, controle de contaminação e construção em solos moles. Como extensão, busca-se também avaliar e contribuir no aprimoramento dos sistemas de alerta e alarme frente aos desastres naturais em foco, especialmente nas áreas urbanas onde se concentra grande parte da população. O projeto envolve a formação e qualificação de recursos humanos em níveis de doutorado, mestrado e iniciação científica, assim como em nível de pós-doutorado. Estimula-se a articulação e integração entre os Grupos de Pesquisas e a colaboração com Empresas e Órgãos Governamentais. Incluem-se ofertas de cursos de extensão e de publicações voltados à transferência de conhecimento e de tecnologias para grupos técnicos e material didático para a população em geral.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 28/11/2016-30/11/2022