Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alessandra Tomaselli Fidelis

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • monitoramento dos padrões temporais e espaciais dos regimes de fogo e acúmulo de material combustível em unidades de conservação com fisionomias campestres e savânicas: implicações para o desenvolvimento de estratégias de manejo integrado de fogo
  • Monitorar e entender as relações entre o fogo e as formações vegetais das fisionomias campestres e savânicas do Cerrado segue sendo um desafio científico muito importante para ampliar a capacidade de gestão destas áreas. A presente proposta busca caracterizar as mudanças de regime de fogo em unidades de conservação nacionais com diferentes status e históricos de manejo de fogo, combinando métodos de sensoriamento remoto e medições in situ para analisar os efeitos do tipo de manejo e uso no acúmulo de material vegetal combustível e na alteração das condições de susceptibilidade a ocorrência de incêndios. Séries multitemporais derivadas de satélites de média/alta resolução espacial (Landsat e Sentinel 2) serão utilizadas para reconstruir o histórico de cicatrizes de áreas queimadas e para gerar a cartografia de acúmulo de materiais combustíveis em 4 unidades de conservação selecionadas (Quilombo Kalunga, Reserva Natural Serra do Tombador, Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins e Parque Nacional dos Campos Amazônicos). Os regimes de fogo serão comparados em termos de área total anual, densidade de ignições, tamanho médio e distribuição da cicatriz de queima e época do fogo. Se contará ainda com campanhas de campo para a obtenção de medições in situ da carga combustível de cada área selecionada, que permitam validar e fornecer um contexto ecológico para os padrões de acúmulo de biomassa vegetal observados via satélite. Os avanços metodológicos-científicos contribuirão na consolidação de protocolos de pesquisa e monitoramento para a implementação de planos de manejo de fogo, dando suporte a gestão territorial de unidades de conservação nacionais.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 30/11/2018-30/11/2021
Foto de perfil

Alessandro Bersch Osvaldt

Ciências Biológicas

Genética
  • caracterização genômica e epigenômica dos tumores de pâncreas e efeitos da inibição da via de hedgehog
  • Entre os grandes desafios das pesquisas em câncer está a elucidação das alterações genéticas responsáveis pela iniciação e progressão tumoral de cada tipo de câncer e o desenvolvimento de terapias específicas para cada uma dessas etapas. Assim, a medicina personalizada baseia-se no conhecimento profundo e individualizado da biologia tumoral de cada paciente e requer uma combinação de estratégias para determinar corretamente o perfil do paciente, possibilitando não só o diagnóstico seguro e de preferência precoce, como também fornecendo informações essenciais à conduta clínica, como prognóstico e resposta ao tratamento. Nesse contexto, a genômica tem contribuído para a identificação de biomarcadores que possam auxiliar na compreensão dos mecanismos envolvidos na carcinogênese e de alvos moleculares potenciais. Uma barreira para o desenvolvimento da medicina personalidada é a heterogeneidade genética intratumoral, que consiste na existência de diferentes subpopulações de células, com diferentes genótipos e fenótipos, dentro de um mesmo tumor. Como consequência, tais subgrupos celulares apresentam comportamentos diferentes, seja dentro de um mesmo tumor, ou entre o tumor e suas metástases. Os estudos acerca da heterogeneidade tumoral não esclarecem apenas as características da biologia tumoral básica, mas também revelam alvos potenciais que podem ter profundas implicações clínicas no diagnóstico e progressão da doença, além de ser muito relevante para a resposta terapêutica. Além disso, as mutações somáticas alteram o funcionamento de vias moleculares e bioquímicas e são um passo importante na aquisição do fenótipo tumoral. Uma característica observada no adenocarcinoma ductal pancreático é a reativação de vias de sinalização essenciais para o desenvolvimento embrionário, como a via Hedgehog (Hh), Notch e Wnt/β-catenina, as quais desempenham um papel importante na progressão e manutenção das células tumorais. Dentre elas, salientamos a via Hh, a qual encontra-se desregulada nas lesões iniciais de ADP (NIPan), apresentando expressão progressiva dos componentes Sonic Hh, Smoothened, Patched e dos fatores de transcrição GLI, desde NIPan ao adenocarcinoma invasivo. A via Hh ativa os reguladores transcricionais GLI1 e GLI2, os quais são responsáveis por processos celulares como proliferação celular, migração e invasão e, repressão da apoptose. Entretanto, vias não-canônicas como TGF-β, AKT, MAPK, KRAS e EGFR também estão relacionadas à ativação dos fatores de transcrição GLI1/2 em células tumorais. Em 2007 foi descrito pela primeira vez um inibidor dos efetores transcricionais GLI1/2, o composto GANT61, o qual foi capaz de reduzir a proliferação tumoral in vitro. Além deste, outros estudos ressaltam o papel relevante dos efetores transcricionais GLI como possíveis alvos para terapia. Atualmente, o tratamento padrão usado na clínica para o câncer pancreático localmente avançado e metastático é a Gencitabina. Embora muitos ensaios clínicos utilizando uma abordagem de combinação de drogas tenham sido realizados, poucos avanços relevantes foram feitos. Portanto é interessante realizar estudos que possibilitem a combinação das terapias atualmente utilizadas na clínica com potenciais alvos para intervenção, como os fatores transcricionais GLI1/2. Apesar dos avanços na caracterização molecular do ADP, pouco se sabe sobre outros tumores periampolares, como o carcinoma de ampola de Vater (CAV), que é uma neoplasia periampular rara originada a partir da ampola de Vater (AV). Este tumor possui melhor prognóstico quando comparada a outras neoplasias do trato gastrointestinal, em especial o ADP. Análises anatomopatológicas internas da AV tem demonstrado a existência de dois revestimentos epiteliais distintos, o pancreatobiliar e o intestinal. Em virtude disso, há subtipos histológicos tumorais oriundos destes dois epitélios no CAV e possuem comportamentos biológico e prognóstico diferente. O subtipo pancreatobiliar apresenta similaridade histológica com o ADP e em situações que o tumor é extenso é comum haver dúvidas a respeito da origem tumoral e do prognóstico do paciente. As informações moleculares do CAV são muito escassas e a análises do perfil de metilação e variação do número de cópias nunca foi estudado. No presente estudo, propõem-se realizar análises genéticas e epigenéticas no CAV e ADP a fim de identificar alterações específicas desses dois tumores e gerar informações que possam contribuir para, futuramente, definir um modelo de progressão genética e epigenética para o desenvolvimento deste tumor. Este estudo propõe uma abordagem de múltiplos aspectos dos tumores pancreáticos, desde um melhor entendimento da biologia tumoral até novos tratamentos. Nossos resultados irão, em última análise, fornecer uma base para o desenvolvimento de uma nova abordagem diagnóstica, levando em consideração a heterogeneidade do tumor e sua evolução policlonal; elucidar os efeitos da inibição da via de Hedgehog através de uma nova combinação terapêutica, nunca antes avaliada; e melhor caracterizar um raro tumor periampular, avaliando de forma abrangente o perfil de metilação e alterações no número de cópias do DNA de amostras de pacientes com lesões pancreáticas e verificando se os níveis de metilação estão particularmente associados a algum aspecto clínico da doença (auxiliando na previsão do comportamento tumoral). Finalmente, será possível avaliar a capacidade deste perfil molecular na distinção de amostras de diferentes origens, o que facilitaria o diagnóstico diferencial dos tumores pancreáticos.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021