Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Clara Cândido

Ciências Sociais Aplicadas

Ciência da Informação
  • gestão estratégica da informação e criatividade: análise e proposta da inovação aberta em unidades de informação
  • O volume e a diversidade de informações requerida nos processos de inovação reforça a ideia de que, inovar de forma isolada não é a melhor estratégia, reforçando a abordagem colaborativa, por meio da adoção de práticas de Inovação Aberta. A gestão estratégica da informação contribui para o sucesso do desenvolvimento de inovação e tomada de decisão. O uso e o compartilhamento do recurso ‘informação’ constituem desafios atuais quando se refere ao trabalho colaborativo envolvendo atores de diferentes naturezas (clientes, fornecedores, governo, academia, etc). Além da informação, o capital intelectual é aqui assumido como um dos fatores chave para o processo de inovação, representado a partir da inserção do atributo ‘criatividade’ nesta proposta. Pretende-se desenvolver instrumentos para a gestão da informação e a promoção da criatividade na implementação de práticas de Inovação Aberta em Unidades de Informação (bibliotecas, arquivos e museus; centros de informação no âmbito de empresas privadas). Aproximando as pesquisas empíricas já realizadas no âmbito das práticas de Inovação Aberta, bem como o uso da gestão estratégica da informação para amenizar o paradoxo das necessidades percebidas x dificuldades sinalizadas pelas organizações em operacionalizar o modelo de Inovação Aberta na prática. Serão selecionadas inicialmente quinze unidades de informação brasileiras para a realização de capacitação sobre as temáticas do projeto, atendimento de consultoria onde serão trabalhados caso a caso aspectos do projeto organizados em três módulos: informação para inovação, criatividade e estratégia. Cada um destes módulos terá material desenvolvido pela equipe deste projeto e acompanhamento na execução das aplicações práticas que poderão ser adaptadas e aprimoradas a partir do desempenho e feedback das unidades de informação participantes. O projeto integrará atividades docentes no âmbito de pesquisa, ensino e extensão nas instituições colaboradoras.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Clara da Fonseca Leitão Duran

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • selos de sustentabilidade ambiental em rótulos de alimentos e bebidas embalados comercializados no brasil
  • As mudanças climáticas impõem limites ao desenvolvimento sustentável. A relação entre os padrões alimentares e o meio ambiente tem sido explorada em modelos de sistemas alimentares mais sustentáveis. A produção e distribuição de alimentos geram impactos ambientais, os quais podem ser reduzidos através da adoção de práticas ambientalmente favoráveis. Informações socioambientais têm sido consideradas por consumidores nas escolhas alimentares, e os selos ambientais nos rótulos podem alterar a intenção de compra de alimentos. Os objetivos são: Verificar a tendência dos selos de certificação ambiental em alimentos e bebidas comercializados no Brasil entre 2017 e 2021; Verificar as mudanças na qualidade nutricional dos alimentos e bebidas com selos de certificação ambiental comercializados no Brasil entre 2017 e 2021; Verificar se os selos de certificação ambiental são utilizados conjuntamente com outras alegações de apelo ambiental na frente das embalagens como estratégias mercadológicas para atrair o consumidor. Utilizaremos um banco de dados de rótulos com imagens de 39.545 alimentos da empresa MINTEL - Global New Product Database. Uma subamostra com cerca de 30% dos alimentos será calculada considerando os mais consumidos no Brasil segundo a Pesquisa de Orçamentos Familiares de 2017/18 do IBGE e as marcas mais vendidas no Brasil segundo a Euromonitor International para 2020. Nesta amostra, identifcaremos os selos de certificação ambiental; classificaremos todos os alimentos e bebidas segundo nível de processamento utilizando a classificação NOVA; e por fim, avaliaremos a presença de alegações com apelo ambiental na frente das embalagens. Utilizaremos estatísticas descritivas e modelos de regressão ajustados por ano, grupos de alimentos e marcas para verificar se há diferenças na proporção de alimentos com certificação ambiental ao longo dos últimos 5 anos e se as tendências temporais variam por grupo de alimento, marca e segundo nível de processamento.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025