Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Stefany Grutzmann Arcari

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • ix semana nacional de ciência e tecnologia: “inteligência artificial: a nova fronteira da ciência brasileira"
  • O IFSC é uma instituição vinculada ao Ministério da Educação (MEC) e oferece educação de nível básico, profissional e superior em estrutura multicampi. Atualmente, o IFSC possui 22 Câmpus localizados em diferentes regiões do estado de Santa Catarina, com sede e foro em Florianópolis. O Câmpus São Miguel do Oeste foi implantado em 2009 e possui profissionais capacitados e infraestrutura adequada para a organização e realização do evento de forma online. O Extremo-Oeste Catarinense é uma região que possui população de aproximadamente 260.223 habitantes. A economia é baseada em pequenas e médias propriedades que estão fortemente relacionadas à vocação agropecuária da região, principalmente àquelas voltadas para a produção leiteira. Além disso, é bastante significativa a presença de agroindústrias (laticínios, abatedouros e frigoríficos) e metalmecânica, que contribuem significativamente para o desenvolvimento agroindustrial da região. Diante da crescente demanda da sociedade por profissionais qualificados e que atendam às necessidades das diferentes atividades do setor agroindustrial e metalmecânico, o acesso dos adolescentes, jovens e/ou adultos à educação e qualificação tem sido cada vez mais frequentes nos últimos anos no Extremo-Oeste Catarinense. Assim, diversas escolas e universidades da região, bem como o Instituto Federal de Santa Catarina - Câmpus de São Miguel do Oeste, vem ofertando ensino médio técnico e graduação com o intuito de escolarização, capacitação, qualificação e disseminação de conhecimento entre os estudantes e a comunidade. Acreditamos que o conhecimento adquirido pelos estudantes durante sua formação possa contribuir para o aperfeiçoamento dos sistemas de produção da região. Dessa forma, vimos por meio deste documento anunciar a realização da IX Semana Nacional de Ciência e Tecnologia com o tema central “Inteligência artificial: a nova fronteira da ciência brasileira"” que acontecerá de 17 a 23 de outubro de 2020 de forma online. As informações e inscrições para o público participante estarão disponíveis na página da SNCT (www.ifsc.edu.br/snct/smo). A plataforma a ser utilizada para ofertar as atividades serão Moodle, Facebook, Youtube ou Google Meet. A contabilização do público no evento será realizada por meio de preenchimento de um formulário de participação para as atividades no Moodle e Google Meet ou, o número de visualizações e curtidas dos participantes após a finalização das atividades em redes sociais. Vale ressaltar que algumas atividades realizadas na SNCT 2020 poderão ser novamente replicadas de forma online ou presencial à comunidade no período de novembro de 2020 a agosto de 2021 com o intuito de difundir o conhecimento para as comunidades residentes nos municípios do Extremo Oeste Catarinense. As atividades ofertadas durante a SNCT 2020 serão o III Seminário de Iniciação Científica (III SIC), oficinas, mostras de ciências, apresentação de trabalhos científicos nas formas oral e escrita (ANAIS de publicação online) e palestras. A III SIC, oficinas, mostras de ciências e palestras estarão relacionadas com o tema “Inteligência artificial”. Todas essas atividades serão desenvolvidas para os discentes do ensino médio e/ou técnico de escolas de educação básica e alunos da educação superior da região Extremo Oeste Catarinense. A SNCT 2020 proporcionará a divulgação e a difusão do conhecimento gerado, bem como estimulará a geração de novos conhecimentos para o fortalecimento do empreendedorismo e da inovação tecnológica agroindustrial da região.
  • Instituto Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 22/10/2020-30/04/2021
Foto de perfil

Stela Antas Urbano

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • frequências de suplementação para ovinos de corte manejados em pastagem de capim-massai
  • A melhoria da qualidade da carne ovina que abastece o mercado consumidor pode contribuir com o aumento do consumo per capta brasileiro e refletir direta e positivamente na cadeia produtiva da carne ovina. Para tanto, faz-se mister intensificar a atividade e reduzir a idade de abate dos animais. Os sistemas de produção praticados no Nordeste são majoritariamente desenvolvidos a pasto e, em virtude de fatores múltiplos, dentre os quais a composição das pastagens tropicais se destaca, a expressão máxima do potencial genético animal é limitada. A suplementação concentrada pode contribuir para o incremento do desempenho de ovinos mantidos a pasto, contudo, a adoção da técnica pelo produtor depende da atratividade econômica e da viabilidade. Assim, em virtude da representatividade dos custos com mão-de-obra, especula-se que a redução da frequência de suplementação possa otimizar a logística e favorecer a relação custo:benefício da suplementação. Objetivar-se-á avaliar o efeito da frequência de suplementação sobre o desempenho, o comportamento ingestivo, as características de carcaça, composição tecidual da perna, a qualidade da carne e a taxa de prenhez em ovinos mantidos em pastagem de capim-massai recebendo suplementação concentrada. O experimento será realizado na Unidade Acadêmica especializada em Ciências Agrárias da UFRN e serão utilizados 42 ovinos mestiços de Santa Inês, sendo 21 machos e 21 fêmeas, com peso inicial médio de 16,0 ± 1,5 kg e idade inicial média de 90 ± 10 dias, distribuídos em delineamento experimental inteiramente casualizado, em arranjo fatorial 2x3, sendo duas classes sexuais e três frequências de suplementação. Os animais serão mantidos em pastejo das 08:00h às 16:00h, quando serão recolhidos às baias individuais, onde receberão suplemento conforme a estratégia adotada. As diferentes estratégias de fornecimento do suplemento constituirão os tratamentos experimentais: tratamento SD - suplementação diária; tratamento DA - suplementação em dias alternados (dia sim e dia não); tratamento S2D – suplementação a cada 2 dias. Serão avaliados consumo de matéria seca, desempenho e comportamento ingestivo de machos e fêmeas. Os machos serão mantidos em experimento até que atinjam 28 kg de peso corporal, quando serão abatidos. Serão realizadas avaliações das características de carcaça, corte comerciais, composição tecidual da perna, características físico-químicas e perfil lipídico da carne. As fêmeas, ao atingirem 60% do peso à maturidade, serão submetidas à estação de monta para posterior avaliação da taxa de prenhez. Espera-se disponibilizar informações de cunho técnico-científico que possam nortear os produtores de ovinos de corte – cujos sistemas de produção tenham base em pasto – na aplicação novas práticas de manejo nutricional que reflitam em melhores índices produtivos e econômicos e, ainda, contribuir com a formação de recursos humanos através do envolvimento de alunos de iniciação científica e de pós-graduação na execução do projeto e na publicação de resumos e artigos científicos.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022