Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Frederic Jean Georges Frezard

Ciências Biológicas

Biofísica
  • desenvolvimento de vacina de dna para covid-19 usando nanopartículas lipídicas ionizáveis
  • O desenvolvimento de uma vacina segura e eficaz com proteção a longo prazo contra COVID-19 é uma prioridade de saúde global. Até o momento, várias vacinas contra o COVID-19 estão em desenvolvimento e em ensaios clínicos. No entanto, desafios como baixa imunogenicidade, toxicidade sistêmica, reações cruzadas e questões sobre eficácia ainda permanecem como desafios e barreiras ao uso clínico. As vacinas de DNA surgiram como uma alternativa promissora às abordagens de vacinas convencionais devido à sua alta potência, segurança, fabricação de baixo custo e potencial de escalonamento. No entanto, existem limitações para a entrega de vacinas de DNA, uma vez que o DNA possui um tamanho grande e carga negativa, o que dificulta a transfecção em células alvo. Portanto, esforços concentraram-se no desenvolvimento de métodos para fornecer efetivamente DNA plasmidial em células apresentadoras de antígeno (APCs). Tanto a investigação de novos sistemas de entrega quanto a otimização da sequência de DNA são necessárias para aumentar a eficácia da vacinação com DNA. O encapsulamento de ácidos nucléicos em nanopartículas (NPs) é uma abordagem promissora para uma entrega segura e eficaz, capaz de proteger da degradação, proporcionar maior circulação, evitar a depuração renal, além de impedir interações inespecíficas via peguilação das NPs. No contexto do desenvolvimento de vacinas, abordagens recentes têm utilizado NPs tanto como sistemas de entrega de ácidos nucleicos para tecidos do sistema imune (baço, linfonodos e pulmão), como para o recrutamento de células imunes. Vacinas de DNA baseadas em NPs podem ser desenvolvidas para treinar o sistema imunológico a atacar seletivamente o vírus SARS-CoV-2, controlando a apresentação e liberação dos componentes da vacina para as células imunológicas e seu microambiente. Abordagens que facilitem a triagem de NPs in vivo, como o uso de código de barras de DNA (bDNA) e sequenciamento de alto rendimento (deep sequencing), permitem a obtenção de NPs otimizadas e podem melhorar a compreensão fundamental de como a estrutura da NP afeta a entrega de DNA in vivo para células e tecidos alvo. Recentemente, um dos pesquisadores da equipe desenvolveu no MIT/Boston (EUA), nanopartículas lipídicas ionizáveis (LNPs) carregadas com mRNA e/ou DNA (Guimarães et al. 2019). Essas LNPs são neutras em pH fisiológico, o que reduz a toxicidade em relação aos lipídios catiônicos. Quando endocitadas, as LNPs apresentam carga positiva em endossomos que têm pH reduzido (de ~ 6,8 a 4,5), e à medida que se fundem com lisossomos favorecem o escape endossomal e a liberação de mRNA no citosol. Neste estudo inovador, foi desenvolvido um sistema que permite a identificação precisa de formulações de LNP para entrega de mRNA usando código de barras de mRNA personalizados (bmRNAs) ou DNA personalizados (bDNA). Cada bmRNA/bDNA contém uma sequência de código de barras diferente, encapsulada em diferentes LNPs e que foi administrada como um único pool. Mais importante, o bmRNA/bDNA de diferentes tecidos pôde ser isolado para obter contagens de código de barras por meio de deep sequencing. Como resultado, a biodistribuição tecidual de várias LNPs pôde ser avaliada em um único animal, inclusive mostrando, com sucesso, a entrega das LNPs em órgão linfoide, como o baço. Diante dos resultados promissores já obtidos, pequenos ajustes são necessários para uma entrega segura e eficaz de DNA e/ou mRNA para induzir diretamente células apresentadoras de antígeno (APCs) a expressar antígenos implicados no reconhecimento imune. Os resultados dessa proposta serão significativos e irão servir de plataforma para desenvolvimento de vacinas de DNA contra COVID-19 e até outras doenças virais como a síndrome respiratória do oriente médio (MERS), H1N1, dengue e Zika. Nesse contexto, a presente proposta de trabalho visa desenvolver e implementar uma plataforma de nanopartículas lipídicas ionizáveis para entrega segura e eficaz de DNA para induzir diretamente células apresentadoras de antígeno (APCs) a expressar antígenos envolvidos no reconhecimento imune de SARS-CoV-2. Os objetivos específicos da proposta consistem em: (i) identificação de LNPs para a entrega segura e eficaz de DNA; (ii) identificação de LNPs que induzam diretamente APCs a expressar antígenos implicados no reconhecimento imune de SARS-CoV-2; (iii) demonstrar in vitro a expressão de partículas ou proteínas virais usando DNA encapsulado nas LNPs; (iv) avaliar a eficácia e a imunogenicidade ex vivo da vacina de DNA baseada em LNPs contra COVID-19; (v) avaliar a eficácia, imunogenicidade in vivo da vacina de DNA baseada em LNPs contra COVID-19, (vi) demonstrar a cinética da infecção por SARS-CoV-2 em células de camundongos transgênicos hACE2 vacinados (vii) estabelecer um melhor entendimento sobre a contribuição das células T e anticorpos na imunidade e recuperação da memória contra o COVID-19. A sequência de DNA utilizada será correspondente às proteínas do envelope viral, proteínas Spike, membrana e proteínas não estruturais. O projeto proposto encontra-se na fronteira do conhecimento porque consiste em uma proposta de vacina escalonável usando um vetor não-viral e pode estabelecer uma melhor compreensão de questões fundamentais relacionadas ao treinamento do sistema imunológico para atacar seletivamente doenças virais, avaliação de efeitos off-target e potenciais toxicidades. Diferentemente de outras propostas, o desenvolvimento da vacina independe de vírus, sendo que a manipulação do mesmo é necessária somente para etapa final de comprovação da eficácia. Espera-se também, correlacionar a estrutura das LNPs com a biodistribuição e eficácia de transfecção em APCs, tecidos linfóides, tecidos pulmonares e diferentes populações de células imunes, como células dendríticas, macrófagos, neutrófilos e linfócitos B. Além disso, a rede multidisciplinar de pesquisadores na proposta apresenta renomada competência e experiência para o desenvolvimento do projeto.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 16/07/2020-15/09/2022
Foto de perfil

Frederic Jean Georges Frezard

Ciências Biológicas

Biofísica
  • complexos de porfirinas com antimônio(v): uma nova classe de fármacos para o tratamento das leishmanioses
  • A leishmaniose é uma doença parasitária negligenciada que ocupa o segundo lugar em mortalidade e quarto em morbidade no mundo, dentre todas as doenças tropicais. O complexo de antimônio(V) com meglumina é o medicamento de primeira escolha no Brasil para o tratamento das formas visceral e cutânea da doença (Frézard et al., 2009). Entretanto, o arsenal terapêutico atualmente disponível para a leishmaniose apresenta importantes limitações relacionadas à alta toxicidade, ao tratamento prolongado com injeções repetidas, ao aparecimento de resistência e ao número reduzido de medicamentos disponíveis. Nesse contexto, a Organização Mundial da Saúde recomenda fortemente o desenvolvimento de novos fármacos mais eficazes e menos tóxicos, de preferência, ativos por via oral (Alves et al., 2018; Burza et al., 2018). Na busca de novos candidatos a fármacos, o nosso grupo identificou recentemente complexos de antimônio(V) com porfirinas. Relatamos a obtenção de um complexo de antimônio(V) com composto porfirínico que mostrou atividade leishmanicida bem mais elevada que o sal de antimônio(V) ou a porfirina livre, sendo que o complexo da mesma porfirina com bismuto foi inativo (Gomes et al., 2015). Mais recentemente, descrevemos um complexo de antimônio(V) com outro derivado de porfirina, que mostrou atividade em concentração sub-micromolar, em ensaio in vitro contra a forma amastigota intracelular de Leishmania (Neto et al., 2017). Observou-se ainda ausência de resistência cruzada desses complexos em cepas de Leishmania selecionadas pela resistência ao antimônio. Dados preliminares do grupo sugerem também que esses complexos podem inibir a biossíntese de ergosterol, porém outro(s) mecanismo(s) parece(m) contribuir a sua ação leishmanicida (Neto et al., 2017). Portanto, os dados existentes sustentam o conceito de uma nova classe de fármacos antimoniais, se diferenciando dos antimoniais convencionais pelo seu mecanismo de ação, e com grande potencial para o tratamento da leishmaniose. Neste projeto, propomos avançar no desenvolvimento dessa nova classe de fármacos, através do estudo da possível inibição do transportador do heme (LHR1) pelo complexo porfirina-antimônio(V), do desenvolvimento de uma formulação nanoestruturada deste complexo, de estudos farmacocinéticos após administração dessa formulação por via oral e parenteral e da avaliação da sua eficácia terapêutica e toxicidade em modelos murinos de leishmaniose visceral (LV) e cutânea (LC). A hipótese do transportador do heme ser alvo do complexo de porfirina justifica-se pelo fato do parasito depender do aporte exógeno de heme para a sua sobrevivência e dos complexos de porfirina apresentarem estruturas próximas àquela do heme. Para testar esta hipótese, realizaremos ensaios de competição do transporte de um substrato fluorescente do LHR1 pelo complexo porfirina-antimônio(V). O desenvolvimento de uma formulação nanoestruturada torna-se necessário considerando a baixa solubilidade dos complexos de porfirina em água e a capacidade das nanoestruturas atuarem como sistema carreador e entregador do fármaco para os sítios de infecção. Tal estratégia já é bem consagrada com o uso clínico da anfotericina B lipossomal (Alves et al., 2018). Procuremos desenvolver uma formulação com base em lipossomas ou micelas aniônicas, explorando o caráter catiônico do complexo. Selecionaremos a formulação vesicular ou micelar que apresentará a maior taxa de incorporação do complexo nos nanossistemas assim como a estabilidade mais elevada. O caráter anfifílico dos complexos porfirina-antimônio(V) sugere também um possível uso por via oral. A viabilidade dessa via de administração deverá ser confirmada por estudos farmacocinéticos em camundongos. Ensaios de eficácia e toxicidade da formulação selecionada serão realizados em modelos murinos de LV e de LC do Novo Mundo. No modelo de LV, a carga parasitária será avaliada por PCR quantitativa no fígado e baço dos animais infectados, após o tratamento. No modelo de LC, avaliaremos o efeito do tratamento na evolução do tamanho de lesão e na carga parasitária. Serão avaliados ainda marcadores das funções hepática, renal e do sistema hematopoiético e alterações histopatológicas teciduais, para surpreender possíveis efeitos tóxicos do tratamento. As principais forças desta proposta residem no caráter inovador dos complexos porfirina-antimônio que sustentou um pedido de patente (Demicheli et al., 2016) e na alta capacitação da equipe proponente para desenvolver as atividades propostas. Vale destacar as seguintes competências: i) para a obtenção de complexos de antimônio, comprovada pela produção intelectual do grupo na forma de artigos e patentes nos últimos 20 anos; ii) para desenvolver formulações com base em lipossomas, comprovada pela produção intelectual do proponente nos últimos 20 anos e pelo recente lançamento de um produto cosmecêutico baseado em lipossomas oriundo de uma das pesquisas desenvolvidas; iii) para a realização de ensaios pré-clínicos de eficácia em modelos experimentais de leishmaniose. O proponente conta ainda com a colaboração científica do grupo francês da Universite Paris-Saclay dirigido pelo Prof. Philippe Loiseau, que abre perspectivas de avaliação da formulação desenvolvida em modelos de LV e LC do Velho Mundo. O presente projeto contribuirá ao avanço do conhecimento sobre o mecanismo de ação dos complexos porfirina-antimônio(V), ao desenvolvimento de uma nova classe de medicamentos leishmanicida e também à formação de recursos humanos ao nível de pós-graduação. Além de difusão dos resultados do projeto na forma de artigos em periódicos internacionais e de apresentações em congressos, os mesmos e seus impactos serão difundidos em mídias digitais voltados para a divulgação científica.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Frederico Antonio Camillo Camargo

Lingüística, Letras e Artes

Letras
  • plataforma digital de estudos do primeiro modernismo literário brasileiro
  • Este projeto filia-se ao campo de atuação das Humanidades Digitais, e parte do reconhecimento de que, ainda nos dias de hoje, os estudos de literatura brasileira não foram incorporados de forma extensiva e consequente no mundo digital online. Assim, o estudante, o pesquisador ou o interessado avulso que deseja encontrar na Internet informações sobre a literatura e a crítica literária feita no Brasil está forçado a esquadrinhar dados dispersos em múltiplas e numerosas bases de dados e bibliotecas virtuais, ou a coligir e legitimar informações superficiais e incorretas em websites amadores ou voltados ao ensino médio. Queremos, portanto, aproveitar a efeméride próxima da comemoração dos cem anos da Semana de Arte Moderna de 1922 para construir e disponibilizar uma ferramenta digital online interativa para o estudo de autores e obras da Literatura Brasileira pertencentes ao primeiro período do Modernismo brasileiro, e que reúna, de modo integral e confiável, informações bio-bibliográficas sobre esses autores, referências abrangentes a estudos críticos a eles dedicados e verbetes enciclopédicos explicando palavras-chave da literatura e do contexto social do período em foco. Como o interesse pela comemoração irá se amplificar à medida que a data for se aproximando, um portal interativo online rico de informações bio-bibliográficas e enciclopédias sobre esse evento marcante na sociedade e cultura brasileira, será extremamente útil a estudiosos e interessados, e irá contribuir amplamente para um resgate mais facilitado de informações que, por hora, encontram-se espargidas em diferentes arquivos, bibliotecas ou bases de dados não interconectadas. É ainda propósito deste projeto propiciar ao usuário desta ferramenta de estudo e pesquisa – o estudante da educação básica ou o pesquisador de nível universitário – a possibilidade de usar essa plataforma como um “ambiente de trabalho”, agrupando as listagens bibliográficas de seu interesse, armazenando notas de leitura e interagindo com outros usuários. Essa plataforma digital, centrada inicialmente no Modernismo de 1922, servirá ainda de ponta-de-lança para projetos futuros em que novos escritores e períodos da literatura brasileira poderão ser agregados.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Frederico Barros de Sousa

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • estudo eletrônico e estrutural de compelxos de coordenação com propriedades fotocrômicas
  • Reações químicas são definidas como procedimentos que envolvem mudanças em átomos ou moléculas, sendo apresentadas em quase todos os processos. Uma das formas mais evidentes de evidência de reações é baseada na mudança de cor das moléculas. Considerando este fenômeno, pesquisas foram conduzidas em busca de diferentes moléculas capazes de mudar de cor por estímulos externos. Grande parte da inspiração dos cientistas está relacionada à elegância da natureza. Entre muitos tipos de reações, o fotocromismo é definido como uma transformação reversível de moléculas químicas entre duas estruturas diferentes que podem ser induzidas pela irradiação de luz, sendo esta irradiação uma entrada externa que pode influenciar o estado de um material. Esse processo acionado por luz pode levar a sólidos ou soluções com cores diferentes. Não só aplicações práticas podem ser obtidas usando essa classe de moléculas fotocrômicas, mas também estudos científicos fundamentais foram feitos. O fotocromismo geralmente leva a uma modulação da propriedade molecular, que muitas vezes pode regular as propriedades macroscópicas. Assim, materiais fotocrômicos são promissores em diversos campos de pesquisa em ciência de materiais, com aplicações que vão da química à nanotecnologia. Consequentemente, muitas moléculas fotossensíveis foram sintetizadas e sua aplicação prática investigada, incluindo a classe dos Espiropiranos. Os espiropiranos são únicos, sendo a gama de estímulos externos capazes de induzir a sua transformação reversível (isomerização) inclui solvente, íons metálicos, ácidos e bases, temperatura e força mecânica. Assim, o principal objetivo do presente projeto é baseado em como a emissão de luz é capaz de alterar as propriedades moleculares, a fim de impulsionar os efeitos macroscópicos nos materiais. Uma aplicação prática dos espiropiranos pode ser associada à transformação de ambas as estruturas, chamadas formas de espiropirano e merocianina, relacionadas às estruturas fechada e aberta, respectivamente. A forma aberta da matéria tende a se ligar a diferentes íons metálicos. Embora a força de ligação da forma de merocianina aos metais de transição seja mais fraca do que outros ligantes convencionais. A merocianina em tais complexos inorgânicos ainda pode ser convertida na forma de espiropirano, resultando na liberação do íon metálico, sendo este comportamento uma aplicação de interesse. A interação entre os íons metálicos e a forma de merocianina pode ser observada macroscopicamente por alteração de solução ou cor sólida. Uma classe de elementos importantes é aquela localizada na série Lanthanides. Esses elementos apresentam propriedades singulares, incluindo sua emissão semelhante a uma linha, o que resulta em uma alta pureza de cor da luz emitida. Assim, a combinação de merocianina como ligante para compostos de terras raras pode ser útil para controlar a cor de emissão. A associação entre estes complexos inorgânicos em matrizes poliméricas pode apresentar aplicações incluindo dispositivos ópticos, incluindo OLEDs, bem como estabilidade mecânica superior e melhor processabilidade do que os complexos de lantanídeos puros. Além disso, a forma de MC que se liga a metais de transição pode ser útil para a aplicação de catálise e recuperação de metais.
  • Universidade Federal de Itajubá - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Frederico Canuto

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • narrativas democráticas: do cinema ao espaço cotidiano no sul global
  • A presente proposta visa investigar as diversas imagens produzidas pelas mídias audiovisuais - das artes visuais e fotografia ao cinema experimental, autoral e engajado - tanto ao longo de sua história como na contemporaneidade tendo em vista sua capacidade de produzir narrativas políticas a partir de uma abordagem interessada na questão democrática, sendo esta definida pela socióloga Chantal Mouffe no contexto de seu livro “O paradoxo democrático” como prática política que incide tanto sobre questões envolvendo representação política como o agir sobre o espaço material cotidiano. Interessa aqui investigar as políticas e estéticas dessas imagens cujo objeto é espaço cotidiano vivido e produzido nas cidades e no campo no Sul Global (espaço por excelência onde novas formas de fazer político surgem em contraponto a hegemonia do Norte Global, locus do capitalismo e democracia de baixa intensidade) de forma a compreender as formas audiovisuais através das quais uma formas e práticas democráticas são apontadas.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Frederico Fernandes

Lingüística, Letras e Artes

Letras
  • festivais literários e estratégias de inserção social do texto poético
  • Este projeto objetiva analisar estratégias de inserção da poesia no espaço público. Para tanto, ele tem como foco o Londrix – Festival Literário de Londrina e a Fliporto - Festa Literária Internacional de Pernambuco. Baseada na teoria do Polissistema, do crítico israelense Itama Even-Zohar, a metodologia consiste em identificar diferentes sistemas culturais que atuam junto à produção literária. As principais contribuições são: compreender os mecanismos de produção e circulação da poesia brasileira contemporânea em ambientes de festivais poéticos e literários; produzir registros de performances poéticas, de modo a alimentar o Portal de Poéticas orais.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Frederico Jorge Ferreira Costa

Ciências Humanas

Educação
  • políticas públicas de formação de professores para as escolas de ensino médio do campo no ceará: avaliação em processo do plano estadual de educação 2016-2024
  • A pesquisa tem como objeto analisar as políticas de formação continuada de professores das escolas do campo de Ensino Médio do Ceará implementadas pelo Governo Estadual em parceria com os sujeitos e as organizações da educação do campo, no sentido de garantir a execução da estratégia 12 da meta 21 do Plano Estadual de Educação do Ceará (PEE). O estudo ora apresentado inscreve-se no campo da Educação Básica e tem como recorte temporal uma periodização que vai de 2016 a 2024. Tal recorte deve-se à intenção de analisar as políticas estaduais de formação de professores das escolas do campo no Ceará após a aprovação do Plano Estadual de Educação que assumiu como uma de suas metas o desenvolvimento da Educação do Campo, Indígena e Quilombola no estado. No tocante ao desenvolvimento da pesquisa, expressamos que esta será constituída de fases diversas: 1) levantamento e revisão bibliográfica das temáticas: políticas públicas para a educação do campo no Brasil e no Ceará, formação docente e educação do campo; 2) levantamento e análise de fontes documentais nacionais e estaduais referentes à educação do campo; 3) observação dos momentos de formação pedagógica coletiva dos professores das escolas a serem pesquisadas, bem como, caso haja oportunidade, acompanhar formações executadas pela Secretaria de Educação do Estado; 4) realização de entrevistas semiestruturadas com coordenadores pedagógicos das escolas a serem pesquisadas para compreender quais os fundamentos e os objetivos dos momentos de formação pedagógica a serem observados; 5) caso haja necessidade, entrevistas semiestruturadas com alguns professores dessas escolas para compreender de que modo as formações pedagógicas que recebem contribuem para sua práxis pedagógica. Espera-se que os achados deste trabalho possam contribuir para o avanço da pesquisa em educação e em particular, para a reflexão acerca das políticas públicas de formação de professores para a educação do Campo no Brasil, no Ceará. Assim, considera-se fundamental a formação de uma equipe de pesquisadores (professores e alunos) para apreender a totalidade do fenômeno em estudo. Ressalte-se que a realização da pesquisa contribuirá para a formação/consolidação de grupo de estudos e pesquisa sob a coordenação do proponente.
  • Universidade Estadual do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Frederico Pittella Silva

Ciências da Saúde

Farmácia
  • terapia por rna de interferência (rnai) em câncer de mama: o uso de nanopartículas híbridas para o silenciamento do gene hoxb7 in vivo e a co-terapia com tamoxifeno
  • O número de casos de câncer cresce a cada ano mundialmente. Foram estimados 17.2 milhões de novos casos e 8.9 milhões de morte em 2016 devido ao câncer mundialmente. Além disso, entre 2006-2016 houve aumento de 28% de novos casos de câncer no âmbito global. O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais incidente em mulheres, representando 25% dos cânceres em mulheres no mundo e 29,5% no Brasil. Para o biênio 2018-2019 são estimados quase 120 mil novos casos no Brasil, além de ser considerado o tipo de câncer que mais provoca mortes entre mulheres no mundo e no Brasil. O câncer de mama pode ser classificado em quatro principais tipos de acordo com aspectos moleculares: triplo-negativo, hiperexpressor de HER2, Luminal A e B. Os subtipos Luminal apresentam expressão de receptores hormonais e é principalmente por essa via que ocorre a progressão do tumor. O tipo molecular do câncer é uma característica determinante na escolha do tratamento mais eficaz. Atualmente, os principais tratamentos utilizados no combate a esse tipo de câncer são cirurgia, quimioterapia, radioterapia e hormonioterapia. No entanto, todas as opções apresentam muitos efeitos colaterais, minimizando a qualidade de vida do paciente. A terapia por RNA interferente (RNAi) em conjunto com sistemas de entrega de fármacos nanoestruturados se mostra como uma estratégia promissora para o tratamento direcionado do câncer de mama. A terapia por RNAi consiste no silenciamento de genes a partir de pequenas moléculas de RNA interferente (siRNA) complementares aos genes de interesse, degradando seus respectivos RNA mensageiros (mRNA). Para que esse silenciamento ocorra de forma específica ao tecido desejado, é necessária a utilização de nanocarreadores com objetivo de levar o siRNA somente ao tumor. O gene de estudo, HOXB7, codifica uma proteína que age como fator de transcrição que regula processos relacionados à embriogênese. No entanto, alterações na expressão desse gene é conhecida por causar anomalias neoplásicas. É sabido que o HOXB7 age em diversas vias metabólicas do câncer de mama, como proliferação celular, angiogênese, invasão, reparo de DNA e sobrevivência celular, se tornando um gene chave na progressão do tumor. Resultados preliminares in vitro obtidos pelo grupo da UFJF e financiados anteriormente pelo CNPq (processo número 459847/2014-7) mostram que a entrega de siRNA complementar ao HOXB7 utilizando nanopartículas híbridas causam morte celular de células de câncer de mama, possivelmente devido ao silenciamento gênico. Ainda, estudos apontam a relação entre a superexpressão do gene HOXB7 e a resistência de tumores receptor de hormônio positivos ao tamoxifeno, principal droga utilizada na hormonioterapia. Assim, este estudo tem como objetivo a aplicação in vivo do efeito de RNAi contra o gene HOXB7 para terapia anti-câncer. Para tal, o grupo desenvolveu nanopartículas híbridas que serão purificadas para aplicação in vivo. Em adição, o grupo irá avaliar a terapia combinada de concentrações subtóxicas de tamoxifeno após a sensibilização de células de câncer de mama através do silenciamento do gene HOXB7 por siRNA, para verificar se a mesma poderá ser uma alternativa promissora no combate ao câncer de mama expressor de receptores de hormônios.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Frida Marina Fischer

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • retorno ao trabalho após incapacidade por distúrbios musculoesqueléticos: estudo longitudinal com trabalhadores em reabilitação profissional
  • O retorno ao trabalho é um processo complexo influenciado não apenas por fatores ligados às condições de saúde do trabalhador, mas também envolvem fatores múltiplos que são relacionados com aspectos individuais, sociais, econômicos, entre outros. O conhecimento sobre os fatores prognósticos para retomada do trabalho após reabilitação profissional ainda é limitado. Não há consenso na literatura sobre a influência de diversas variáveis associadas ao retorno e pesquisas que explorem fatores psicossociais têm sido recomendadas. Os distúrbios musculoesqueléticos (DME) estão entre os maiores causadores de adoecimento no trabalho mundialmente. No Brasil, os DME são a segunda causa de afastamento do trabalho e, embora se conheça as repercussões desses distúrbios na capacidade funcional do trabalhador e dos encargos socioeconômicos gerados, não há diretrizes oficiais de prevenção de incapacidade no trabalho. Além disso, não há evidências sobre quais pacientes se beneficiarão mais com a reabilitação relacionada ao trabalho. Nesse sentido, esse projeto visa analisar fatores associados ao tempo e a eficácia de retorno para o trabalho de indivíduos com incapacidade por distúrbios musculoesqueléticos inseridos no programa de reabilitação profissional do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). É proposta um estudo com desenho longitudinal e de abordagem quantitativa, dividido em três etapas: a) aplicação de inquérito sobre fatores individuais, da condição de saúde, ocupacionais, sociais e previdenciários; b) coleta de dados sobre o processo de retorno ao trabalho; c) encerramento da coleta de dados finais e análise do status dos participantes após 12 meses de ingresso no programa de reabilitação profissional. Por meio dessa perspectiva longitudinal, é esperado o entendimento sobre os fatores que podem estar associados ao retorno para o trabalho de indivíduos incapacitados por DME. Assim, contribuir no preenchimento de lacunas do conhecimento na área. Por fim, espera-se colaborar com o aperfeiçoamento da avaliação e prevenção da incapacidade laboral, bem como subsidiar novas práticas de intervenção no programa de reabilitação profissional previdenciário brasileiro.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fulvio Alexandre Scorza

Outra

Biomedicina
  • possíveis alterações cardíacas durante a privação de sono na doença de parkinson induzida por 6-hidroxidopamina.
  • A doença de Parkinson (DP) é uma das doenças neurodegenerativas mais comuns relacionados à idade. Além disso, estudos epidemiológicos mostraram que pessoas com DP têm maior probabilidade de morrer prematuramente do que aquelas sem DP, e uma importante categoria de morte relacionada à DP é a morte súbita na doença de Parkinson (SUDPAR). Além disso, a causa da SUDPAR ainda é desconhecida; entretanto, os mecanismos comumente sugeridos são anormalidades cardíacas encontradas nos indivíduos com DP. Apesar da necessidade de estudos translacionais, alguns fatores de risco tem sido relacionados com a SUDPAR, tais como como idade de início, duração da DP, sexo, gravidade motora, doença cardíaca e pulmonar concomitante, tratamento medicamentoso (polifarmácia) e distúrbios do sono. As alterações do sono estão presentes em mais de 50% dos pacientes com DP e causam prejuízo na saúde e qualidade de vida dos pacientes. Nesse sentido, os objetivo desse estudo será investigar diversos parâmetros cardíacos (fisiológicos, inflamatórios e moleculares) através da privação de sono em um modelo da DP induzida por 6-hidroxidopamina.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Gabriel Adolfo Cabrera Pasca

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • funcionalização de nanopartículas magnéticas usando óleos da amazônia
  • O estudo de nanomateriais vem crescendo nas diversas áreas do conhecimento científico devido as promissoras aplicações em medicina, tecnologias, meio ambiente assim como também abre uma gama de novas propriedades físico-químicas associadas ao tamanho reduzido desses materiais. Nos últimos anos, observou-se uma crescente procura por melhorias na qualidade e também na redução de custos para produção de nanopartículas. Por essa razão, componentes naturais estão sendo utilizados nos processos de sínteses de nanopartículas, estes processos são chamadas de "síntese verde". Neste sentido, a floresta amazônica oferece uma infinidade de recursos naturais tais como óleos, resina e manteigas vegetais extraídos de frutas e palmeiras, que ainda não foram totalmente investigados. Logo, um dos objetivos deste projeto é a extração de óleos de bacaba, uxi, palma, palmiste e outros. Em geral, estes óleos são constituídos de diferentes proporções de ácidos graxos, tais como ácido oléico, beênico, láurico e palmítico, tornando estes óleos bons candidatos para melhorar as propriedades catalíticas, para a nucleação e crescimento de partículas, assim como revestimento de nanopartículas, garantindo propriedades físico-químicas importantes para a funcionalização das mesmas. Utilizando tais óleos, pretende-se sintetizar e revestir nanopartículas de Co, CoO (hcp-fcc), Ni, NiO, MFe2O4 (M=Co,Mn), FeCo e FeRh. O método de extração com dióxido de carbono supercrítico será utilizado para extrair os óleos e o perfil de ácidos graxos será obtido por cromatografia gasosa dos ésteres metílicos de ácidos. As nanopartículas serão sintetizadas através de mudanças no protocolo convencional de síntese chamado de método de decomposição térmica e caracterizadas por diferentes técnicas experimentais, como: Difração de Raios X (DRX), Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV), Microscopia Eletrônica de Transmissão (MET) e Resistividade Elétrica. Além disto, os resultados serão correlacionados às medidas de caráter local, via espectroscopia de Correlação Angular Perturbada (CAP), espectroscopia Raman e com medidas magnéticas. As duas primeiras serão realizadas em colaboração com os centros de Pesquisa do IPEN/SP e o multiusuário da UFPA, respectivamente. Já as características magnéticas serão realizadas em conjunto com o Laboratório de Materiais Magnéticos e Laboratório de Baixa Temperatura e Estado Sólido/IFUSP - SP. Assim, o projeto permitirá estreitar e fortalecer o trabalho de colaboração com estes importantes centros de pesquisas, potencializando a formação de recursos humanos especializados, seja na área de pesquisa básica ou em áreas de aplicação para o desenvolvimento tecnológico e industrial da região do baixo Tocantins.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Gabriel da Luz Wallau

Ciências Biológicas

Genética
  • diversidade de culicídeos silvestres e infecção por patógenos humanos
  • Várias espécies de culicídeos (Díptera: Culicidae) são vetores de patógenos entre os vertebrados, incluindo humanos. Os patógenos mais conhecidos são eucariotos unicelulares como o agente etiológico da malária, os vermes filariais causadores da filariose linfática e os arbovírus (vírus transmitidos por artrópodes - arthropod borne-virus) como Dengue, Zika e Chikungunya. Estes últimos são os responsáveis por grandes epidemias em humanos que ocorrem anualmente em diferentes regiões do Brasil e do mundo. No Brasil, a comprovada capacidade vetorial das espécies Aedes aegypti, Aedes albopictus e Culex quinquefasciatus para arbovírus e vermes filariais fizeram com que a maioria dos esforços científicos se concentrassem nessas espécies de ambiente urbano. Comparativamente, há poucos estudos sendo conduzidos sobre a diversidade da fauna de culicídeos silvestres e a sua importância para a transmissão desses patógenos tanto para humanos como para outros vertebrados. Vários patógenos que infectam a população humana, originalmente eram transmitidos por culicídeos silvestres entre diferentes espécies de vertebrados como o vírus Zika e o vírus da Febre Amarela. O objetivo deste projeto é o de caracterizar a fauna de culicídeos da região metropolitana de Recife, que é a mais populosa área do nordeste brasileiro, principalmente em áreas silvestres e de intersecção silvestre/urbana. Para alcançar este objetivo, utilizaremos o sequenciamento de DNA em larga escala acoplado à técnicas moleculares para obter informações sobre as espécies de culicídeos silvestres, seus hábitos alimentares e os patógenos transmitidos pelas mesmas. Coletas sistemáticas de mosquitos serão realizadas mensalmente durante dois anos em diferentes ecótopos próximos à região metropolitana de Recife como remanescentes da floresta atlântica e regiões alagadiças/manguezais próximas às áreas de praias exploradas para o veraneio nessa região. Serão utilizados diversos instrumentos complementares como: puçá, armadilhas CDC, armadilhas de oviposição e coletas de imaturos (ovos e larvas) em reservatórios naturais (ex. ocos de árvores, acúmulo de água na serrapilheira e bambus), ou artificiais (poços e reservatórios de água) a fim de amostrar a diversidade de espécies evitando tipos clássicos de viés amostral pela utilização de apenas uma ou poucas armadilhas. Os espécimes serão inicialmente identificados ao nível de espécie através da taxonomia morfológica, separados por sexo e status alimentar e armazenados no freezer à -80ºC. Estes, serão processados para a extração de DNA/RNA e posterior sequenciamento de alto desempenho. O sequenciamento em larga escala possibilitará a obtenção do genoma mitocondrial e genes nucleares para estudos evolutivos de determinação da posição filogenética dessas espécies dentro da árvore dos culicídeos, datação dos eventos de especiação, bem como estudos de coevolução entre vetores e patógenos que eventualmente carregam. Faremos também, a detecção da fonte alimentar a partir da extração de DNA do abdômen de fêmeas com sinal de alimentação recente para a identificação dos hospedeiros vertebrados (mamíferos, répteis e aves) usados para obter o repasto sanguíneo pelas diferentes espécies. O RNA obtido a partir de pools das diferentes espécies serão analisados utilizando a técnica da PCR (polymerase chain reaction) com primers degenerados para a detecção de arbovírus das duas principais famílias responsáveis por casos de infecção humana (Flaviviridae e Togaviridae). Já o DNA obtido destes mesmos pools, serão processados para a detecção de vermes filariais e diferentes espécies do gênero Plasmodium, também utilizando a técnica de PCR. Todas as amostras positivas para a amplificação serão processadas pelo sequenciamento de Sanger para a caracterização molecular e os estudos evolutivos destes patógenos. Baseado nas sequências obtidas dos diferentes patógenos, primers serão construídos para serem utilizados na PCR quantitativa e assim detectar a carga do patógeno e a variabilidade de infecção ao longo do tempo em todos os pools coletados. O conhecimento básico gerado por este trabalho será primordial para a identificação de espécies silvestres de culicídeos, avaliação dos patógenos que estão sendo transmitidos por estas espécies, identificação das espécies de vertebrados usados como fonte alimentar dos culicídeos, que podem agir como reservatórios para a manutenção e dispersão de patógenos humanos, e ranqueamento das espécies de culicídeos com maior atração antropofílica que possuam a maior probabilidade de transmissão de patógenos ao homem. Este trabalho tem caráter inovador no sentido da compreensão do papel de outras espécies de culicídeos na transmissão dos patógenos que possam vir a infectar à população humana.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 15/05/2019-31/05/2022
Foto de perfil

Gabriel de Souza Macedo

Ciências Biológicas

Genética
  • investigação de novos biomarcadores preditivos de resposta terapêutica e resistência a drogas a partir do dna tumoral circulante de pacientes diagnosticados com adenocarcinoma de pulmão.
  • As neoplasias de traqueia, brônquios e pulmão são os tipos de câncer que mais causam mortes no mundo, levando a cada ano aproximadamente 1,7 milhões de pessoas ao óbito. Estima-se que em 10 anos o número de casos tenha crescido 29%, com 2 milhões estimados somente em 2015. Neoplasias pulmonares são divididas em dois grandes grupos: câncer de pulmão de células pequenas (CPCP) e câncer de pulmão de não-pequenas células (CPNPC), este último responsável por 85% dos diagnósticos. Marcadores moleculares, ou biomarcadores, surgiram como uma nova ferramenta para auxiliar na escolha de tratamento para pacientes com adenocarcinoma de pulmão e alterações moleculares específicas. Por exemplo, deleções do éxon 19 e a substituição L858R do éxon 21 no gene EGFR estão associadas a altas taxas de resposta ao tratamento com inibidores de tirosina quinase (ITQs). Já pacientes positivos para fusões de ALK e ROS1 apresentam uma taxa de resposta de 72% ao tratamento com ITQs. Mesmo com avanços na descoberta de alvos terapêuticos e novos tratamentos específicos, nos últimos anos a taxa de sobrevida em 5 anos foi de apenas 15% para pacientes diagnosticados com CPNPC. Apesar do impacto clínico positivo das novas terapias de alvo molecular, especialmente no aumento da sobrevida livre de progressão, a resistência ao tratamento tem sido reportada como um dos principais desafios clínicos. Resistência primária ocorre quando o clone resistente já está presente antes do início do tratamento. Inserções do éxon 20 e a mutação T790M em EGFR, além de mutações em KRAS, são exemplos de resistência aos tratamentos com ITQs, sendo nestes casos indicado o uso de quimioterapia convencional. Resistência secundária, ou adquirida, em pacientes com adenocarcinoma de pulmão é observada após cerca de 9-14 meses a partir do uso dos inibidores de tirosina quinase de primeira ou segunda geração. Por exemplo, a mutação T790M no gene EGFR explica cerca 60% dos casos observados de progressão da doença. Atualmente, a análise desta mutação específica faz-se relevante, dada a aprovação de uma nova droga de terceira geração, comercialmente conhecida como Osimertinib. O osimertinib é uma droga altamente efetiva para o tratamento de pacientes positivos para mutação somática T790M no gene EGFR. Ademais, trials têm demonstrado que a utilização deste inibidor como primeira linha de tratamento traz ganhos na sobrevida livre de progressão e global, além de estar associado a menos efeitos adversos. No entanto, novos mecanismos de resistência já foram observados e descritos para esta droga, incluindo a mutação C797S em EGFR e mutações no oncogene KRAS. Além das drogas de alvo molecular, mais recentemente foram aprovados novos tratamentos para o CPNPC pertencentes a classe dos imunoterápicos, denominados inibidores de checkpoint imunológicos. Sua prescrição depende da expressão de certos biomarcadores na superfície celular do tumor, como a proteína PD-L1, que se liga ao seu receptor PD-1 em células-T, impedindo sua proliferação. O uso de fármacos anti-PD-1/PD-L1 impede tal ligação, reativando a resposta imune do paciente. Porém, mesmo com uma alta expressão de PD-L1, a resposta a inibidores de checkpoint tem variado de 10% - 45%. Novos estudos demonstraram que tumores hipermutados (>10mt/Mb), os quais possuem uma maior chance de apresentarem neoantígenos, tendem a responder bem ao uso de inibidores de checkpoint, independente da expressão de PD-L1. Apesar do uso promissor da carga mutacional para a seleção de pacientes que se beneficiarão da imunoterapia, o diagnóstico ainda é custoso, uma vez que demanda sequenciamento completo de exoma ou ainda painéis com um número muito elevado de genes. Portanto, biomarcadores com aplicação clinica que sejam indicadores de maior sensibilidade as imunoterapias ainda são escassos. Da mesma forma que os ITQs, resistência primária e secundária a inibidores de checkpoint também são observadas, incluindo mutações em genes das vias MAPK, PI3K, WNT e IFN. Um dos grandes avanços na investigação de biomarcadores tumorais foi o advento da análise em material tumoral circulante, conhecida como biópsia líquida. Esta técnica se baseia na análise de alterações moleculares do tumor em sangue ou outros fluidos corpóreos a partir do DNA livre circulante (ctDNA, do inglês circulating tumor DNA). No ano de 1994 foi demonstrado que mutações identificadas em plasma de pacientes com câncer eram concordantes àquelas identificadas no tecido tumoral. Dentre suas principais vantagens estão a baixa invasividade e a possibilidade de realizar múltiplas coletas ao longo do tratamento do paciente. No contexto do adenocarcinoma de pulmão, a biópsia líquida teve sua primeira aplicação clínica aprovada para casos em que há progressão da doença por um mecanismo de específico de resistência adquirida, como a mutação T790M no gene EGFR. Apesar dos avanços e potenciais aplicações, inúmeras limitações como a carga tumoral, estadiamento, tratamentos utilizados previamente, e metodologia de análise, têm sido descritos como fatores que influenciam diretamente na sensibilidade de detecção de ctDNA. Neste contexto, a evolução das novas plataformas de sequenciamento de nova geração (NGS, do inglês Next Generation Sequencing), foram fundamentais para a evolução do campo da biópsia líquida. O NGS permite a detecção de mutações com frequências inferiores a 1%, e tem sido o principal método para a investigação de biomarcadores circulantes. Diante dos aspectos científicos discutidos acima, fica evidente que a descoberta de mecanismos de resistência primária e secundária as novas drogas, bem como desenvolvimento de metodologias custo-efetivas para a investigação de biomarcadores em pacientes com diagnóstico de adenocarcinoma de pulmão serão fundamentais para uma escolha de tratamento mais precisa e personalizada.
  • Hospital de Clínicas de Porto Alegre - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Gabriel Dequigiovanni

Ciências Agrárias

Agronomia
  • domesticação e melhoramento de urucum (bixa orellana l.): uma abordagem genômica
  • A domesticação é um processo evolucionário contínuo que vem ocorrendo nas plantas cultivadas ao longo dos últimos 12.000 anos. É um fenômeno que envolve pressões seletivas ocasionadas tanto pelos seres humanos como pela própria seleção natural e leva a modificações genéticas para que as plantas melhor se adaptem às condições ecológicas e agronômicas da região onde estão sendo cultivadas. Este projeto tem como principal objetivo o estudo do processo de domesticação e melhoramento de urucum (Bixa orellana L.) através do uso de ferramentas de genética molecular e genômica populacional. Urucum é uma cultura tropical, originaria da região Amazônica que vem demonstrando grande valor econômico pela produção de corantes naturais a partir de suas sementes. Pretendemos entender como e onde ocorreu o início da domesticação do cultivo de urucum elucidando também como ocorreu o processo de dispersão a partir da Amazônia. Além disto, pretendemos identificar regiões do genoma que estejam envolvidas com o processo de domesticação da cultura, e relacionadas com características de interesse agronômico. Para esta abordagem serão utilizados novos marcadores de DNA a partir da técnica de GBS (genotipagem por sequenciamento). Posteriormente, serão desenhados primers específicos para estas regiões a fim de identificar prematuramente plantas com alto potencial produtivo e técnicas de cultivo in vitro serão testadas para fixar os genótipos superiores. Além disso, análises do DNA cloroplastidial (cpDNA) e modelagens de nicho ecológico serão utilizadas para organizar a filogenia do gênero Bixa.
  • Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Gabriel Haeser

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • algoritmos de segunda-ordem em otimização não linear e outros tópicos
  • Neste projeto vamos investigar algoritmos de otimização não linear que tem propriedades de convergência global a pontos estacionários de segunda ordem. Em particular, vamos investigar as condições sequenciais de segunda-ordem recentemente introduzidas AKKT2 e CAKKT2 em conexão com o desenvolvimento de algoritmos com convergência a pontos estacionários de segunda-ordem mais fortes que o usual. Diversos outros temas relacionados também serão abordados.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Gabriel Heerdt

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • modelagem molecular combinada com espectrometria de mobilidade iônica: obtenção de informação estrutural de biomoléculas
  • A técnica de mobilidade iônica acoplada a espectrometria de massas (IM-MS) tem sido amplamente utilizada em laboratórios de pesquisa para obter informação estrutural de biomoléculas, sendo os experimentos de fácil execução e bastante rápidos. A interpretação dos dados obtidos de IM-MS é ainda um grande desafio, dependendo de uma extensiva quantidade de cálculos teóricos da seção de choque transversal (CCS) para a molécula estudada. A princípio, o CCS pode ser calculado para qualquer geometria, basta utilizar um tratamento adequado para posterior comparação com os valores experimentais. Recentemente, apresentamos um novo software, HPCCS – High Performance Collision Cross Section, que realiza os cálculos de CCS, por meio do método de trajetória, usando técnicas de computação de alto desempenho. Nesse projeto de pesquisa pretende-se utilizar toda potencialidade da técnica de IM-MS combinada com Modelagem Molecular para obtenção de informação estrutural de biomoléculas. A técnica experimental surge como uma nova aliada para estudos estruturais de íons moleculares, dando informações ligadas as moléculas em solução, diferentemente das técnicas mais utilizadas de raios-X e RMN.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Gabriel Jubé Uhlein

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • investigação estratigráfica, quimioestratigráfica e paleontológica das formações serra da saudade e três marias do grupo bambuí (ediacarano-cambriano)
  • O presente projeto de pesquisa tem por objetivo geral avaliar as condições biogeoquímicas de deposição das formações Serra da Saudade e Três Marias (parte superior do Grupo Bambuí), e sua influência sobre o desenvolvimento de formas de vida complexa durante os estágios finais de evolução da bacia. Secundariamente, pretende-se também: (1) Investigar a existência de outros registros fósseis do final do Ediacarano e/ou Cambriano no Grupo Bambuí; (2) Avaliar se a deposição do Grupo Bambuí ficou restrita ao Ediacarano ou se ultrapassou o limite Ediacarano-Cambriano. Obtendo-se, assim, uma melhor estimativa do tempo de duração da bacia e correlações globais. (3) Avaliar as condições redox do oceano epicontinental do Grupo Bambuí e testar hipóteses de restrição/conexão bacinal; (4) Avaliar se a escassez de dados paleontológicos do Grupo Bambuí é devido a prospecção fossilífera historicamente insuficiente ou a condições biogeoquímicas particulares durante a deposição. Para tanto, os métodos de pesquisa serão: (1) Levantamento de seções estratigráficas em duas áreas-chave; (2) Prospecção paleontológica focada em macro-organismos e icnofósseis do final do Ediacarano e Cambriano, (3) Investigação quimioestratigráfica utilizando dados de especiação de ferro, isótopos de carbono em carbonato e querogênio, conteúdo de carbono orgânico total (COT) e geoquímica de rocha total. Como produtos, haverá a publicação de artigos científicos em revistas especializadas, participações em congressos nacionais e internacionais com submissão de resumos e a confecção de uma dissertação de mestrado.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Gabriel Limaverde Soares Costa Sousa

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • endostatina humana recombinante oligomerizável (esbr-74) para inibição e regressão de angiogênese patológica
  • A endostatina é um dos mais potentes inibidores endógenos da angiogênese, com amplo espectro de ação e que possui diversos alvos moleculares identificados no processo angiogênico patológico. O entusiasmo com os excelentes resultados em ensaios pré-clínicos realizados por pesquisadores do grupo de Judah Folkman (Children’s Hospital Boston/Harvard Medical School) [1,2] levou à realização de testes clínicos de forma prematura, apenas 3 anos após sua descoberta. Estes testes, realizados em pacientes de câncer avançado, confirmaram a ausência de toxicidade. Contudo, apenas casos de “doença estável” foram observados ao invés da esperada regressão tumoral, que não foi obtida de forma consistente [3]. Evidências sugerem de que os resultados inexpressivos dos testes clínicos podem ser atribuídos à predominância da forma monomérica da proteína na formulação clínica, forma esta com capacidade comprovada de inibir o crescimento de tumores em camundongos, mas incapaz de promover regressão vascular in vitro [4,5]. O pedido de patente PI0605212-6, objeto de desenvolvimento deste projeto, está relacionado a uma preparação de endostatina oligomerizável (aqui denominada ESBR-74), caracterizada pela associação não-covalente entre monômeros da proteína, apresentada de forma solúvel, e compatível com aplicação clínica [6]. O processo de produção proporciona maior rendimento e pureza da forma ativa da proteína. A fração dimérica purificada possui atividade estimada em 50 nM, enquanto a formulação comercial demonstrou-se ineficaz neste ensaio. Referências: [1] O’Reilly, M.S. et al. Science (88), p.277-85, 1997; [2] Boehm, T., et al. Nature (390),p. 404-7, 1997; [3] Herbst, R.S. et al. J Clin. Oncol (20), p. 3792-803, 2002; [4] Sim, B.K. et al. Angiogenesis (3), p. 41-51, 1999; [5] Kuo, C.J. et al. J. Cell Biol (152), p.1233-46, 2001; [6] Limaverde Soares Costa Sousa, G. et al., INPI PI0605212-6 (2006)/PCT-WO2008070943 (2008).
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 01/06/2017-31/07/2021
Foto de perfil

Gabriel Luca Nazar

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • mecanismos de tolerância a falhas para dispositivos de redes e de comunicação em fpgas
  • O avanço das tecnologias de manufatura permite circuitos integrados com mais funcionalidades, melhor eficiência energética e desempenho superior. Especificamente no nicho de sistemas de comunicação de dados, circuitos integrados avançados permitiram o uso de técnicas mais sofisticadas em todas as camadas do sistema, aumentando a eficiência e as taxas de transmissão ao longo de décadas. Esse mesmo avanço tecnológico, entretanto, aumenta a suscetibilidade de circuitos integrados a um conjunto de fenômenos físicos que ameaça seu correto funcionamento. Essas ameaças motivam o uso de mecanismos de tolerância a falhas, de forma a permitir que o sistema seja utilizado em aplicações com requisitos de confiabilidade. De particular relevância para esse projeto é o uso de Field Programmable Gate Arrays (FPGAs), dispositivos reconfiguráveis que encontram grande uso em sistemas de comunicação, devido à sua flexibilidade e alto desempenho para aplicações desse tipo. Embora FPGAs tenham sido usados tradicionalmente para funções como multiplexação de fluxos de dados, o conceito de virtualização de funções de rede (Network Function Virtualization – NFV) tem criado novos nichos para esses dispositivos. NFV objetiva implementar funções de rede forma virtualizada em hardware de propósito geral, oferecendo flexibilidade e reduzindo custos. FPGAs se adequam de forma natural a esse conceito, por serem dispositivos ao mesmo tempo reprogramáveis e que oferecem desempenho superior a processadores de propósito geral. Por esse motivo, tem havido interesse na implementação, em FPGA, de funções de diversas camadas de redes de comunicação. Assim, considerando o cenário de taxas de falhas crescentes para tecnologias atuais e futuras, e as necessidades de alta disponibilidade e confiabilidade encontradas em sistemas de comunicação de dados, nesse projeto propõem-se os objetivos gerais: - Avaliar o impacto de falhas em sistemas de comunicação de dados e de funções de redes implementadas em FPGAs, caracterizando as potenciais ameaças para a correta operação dos mesmos; - Propor mecanismos de tolerância a falhas eficientes para oferecer maior resiliência para esses sistemas, reduzindo as probabilidades de que falhas interfiram na operação dos mesmos, ou reduzindo a duração e/ou severidade de tais interferências.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 01/06/2017-31/01/2021
Foto de perfil

Gabriel Max Dias Ferreira

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • obtenção de novos sistemas aquosos bifásicos mais amigáveis ambientalmente: estudo termodinâmico e pré-concentração de praguicidas
  • A busca por novas tecnologias de monitoramento ambiental eficientes na detecção de poluentes é indispensável a fim de comprovar a presença, no ambiente, de substâncias comprovadamente tóxicas e danosas à fauna, à flora e aos seres humanos. Nos últimos anos, o foco destas tecnologias tem sido direcionado para um grande grupo de poluentes orgânicos cujos danos ao ambiente e ao ser humano se dão mesmo em concentrações muito baixas, como é o caso dos praguicidas. Tais substâncias são amplamente empregadas na agricultura para o controle de pragas e quando aplicadas em algum cultivo podem persistir no solo ou ser transportadas através dos compartimentos terrestres, atingindo diversos níveis tróficos na cadeia alimentar. Por geralmente estarem presentes em pequenas quantidades no meio onde se encontram, o desenvolvimento de metodologias de quantificação e, consequentemente, monitoramento destes poluentes requer etapas de pré-concentração. Para esta finalidade, os sistemas aquosos bifásicos (SABs) se destacam devido às suas características que permitem enquadrá-los dentro de alguns dos Princípios da Química Verde. Esta proposta visa avaliar o potencial de novos SABs mais amigáveis ambientalmente para pré-concentrar praguicidas, buscando contribuir com o desenvolvimento de métodos de monitoramento ambiental desta classe de substâncias. Em um primeiro momento serão obtidos dados de equilíbrio líquido-líquido para novos SABs formados por surfactante não-iônico, líquido iônico à base do cátion colina e água. Os efeitos da mudança do surfactante formador do sistema, do ânion do líquido iônico e da temperatura sobre o comportamento de fase dos SABs também serão avaliados. Em um segundo momento será realizado o estudo da partição de três praguicidas amplamente utilizados em diferentes cultivos no Brasil (imidacloprida, o tiametoxan e o clorpirifós) nos novos sistemas aquosos bifásicos obtidos. A partir da determinação do coeficiente de partição destes praguicidas nos SABs, a viabilidade destes sistemas para pré-concentração destes analitos será investigada.
  • Universidade Federal de Ouro Preto - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022