Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Fernanda Cristina Bezerra Leite

Ciências Biológicas

Genética
  • expressão de epítopos de zika vírus ancorados na superfície de saccharomyces cerevisiae para o desenvolvimento de imunoreagentes e vacinas do tipo whole cell vaccine.
  • Neste projeto, pretende-se construir linhagens recombinantes de Saccharomyces cerevisae expressando epítopos do Zika vírus ancorados a sua superfície celular. Estas linhagens recombinantes serão submetidas a um screening sorológico buscando a identificação de epítopos virais especificamente responsáveis pela geração de auto-anticorpos associados a complicações neurológicas na infecção por ZIKV. Os dados obtidos nesse trabalho permitirão: i) o desenvolvimento de imunoensaio para detecção de anticorpos associados a complicações neurológicas, com aplicação tanto para o monitoramento epidemiológico como para o diagnóstico precoce de tais complicações; ii) o desenvolvimento de um kit de baixo custo para o diagnóstico sorológico inequívoco de ZIKV, e iii) o desenvolvimento de formulações vacinais seguras anti-ZIKV, que não induzam respostas imunes anômalas responsáveis pelo desenvolvimento de complicações neurológicas. Em conjunto, esses resultados trarão uma contribuição importante no estabelecimento de uma plataforma para síntese de imunorreagentes e estratégias vacinais do tipo whole cell vacines.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda Cristina de Mesquita

Ciências Biológicas

Bioquímica
  • avaliação dos mecanismos neuroprotetores da estimulação medular espinal na doença de parkinson experimental
  • A Doença de Parkinson (DP) é uma afecção neurológica que não tem cura, caracterizada pela degeneração crônica e progressiva dos neurônios dopaminérgicos na via nigro-estriatal, o que ocasiona a diminuição da produção do neurotransmissor dopamina. A falta de dopamina afeta o principal circuito neuronal relacionado à DP, o circuito “córtex - gânglios da base - tálamo - córtex” (CGTC), cujo mal-funcionamento está na base dos sintomas motores e cognitivos característicos da doença. No entanto, estudos apontam que a DP não se caracteriza somente pela deficiência do sistema dopaminérgico, mas também pelo comprometimento do sistema serotonérgico, ambos com efeito sobre os gânglios da base. Em virtude da falta de tratamentos de longo prazo efetivos para DP, estudos que avaliam terapias alternativas, como a neuromodulação por estimulação medular elétrica (EME), são extremamente requeridos. Estudos experimentais recentes sugerem que a EME crônica possui efeito neuroprotetor na DP. Apesar dos resultados positivos, os mecanismos de neuroproteção ainda permanecem desconhecidos. Dessa forma, o presente projeto pretende determinar os mecanismos moleculares neuroprotetores da estimulação medular elétrica crônica em ratos parkinsonianos. Para isso, será realizada a dosagem das concentrações de neurotransmissores dopaminérgicos e serotonérgicos em animais animais engajados em tarefas comportamentais motoras, com e sem EME através das técnicas de microdiálise e cromotografia líquida de alta eficiência. Após esta etapa, será avaliado o papel da EME crônica na expressão de moléculas neurotróficas, inflamatórias e neurogênicas no cérebro desses mesmos animais por meio da reação em cadeia polimerase (da sigla em inglês, PCR) em tempo real. Pretende-se fazer uma varredura da expressão gênica de fatores neurotróficos, como GDNF, BDNF, FGF-2; inflamatórios/anti-inflamatórios, TNF-α, IL-1β, IL-6, IL-4, IL-10, NLRP3; e também moléculas sabidamente relacionados à DP, como alfa-sinucleína e tirosina hidroxilase. A caracterização dos mecanismos neuroprotetores gerados após a EME em animais com DP proporcionará a compreensão dos eventos que ocorrem em consequência dessa intervenção. Esse estudo também possui potencial de identificar novos alvos terapêuticos, e poderá abrir novas perspectivas para os pacientes acometidos por essa desordem neurodegenerativa debilitante que acomete 1-2% dos indivíduos acima de 60 anos.
  • Instituto Santos Dumont - RN - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda de Morais Carnielutti

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • implementação de um emulador de rede para testes de suportabilidade a afundamentos de tensão para inversores conectados à rede elétrica
  • Este projeto propõe a continuidade dos trabalhos em desenvolvimento no Grupo de Eletrônica de Potência e Controle - GEPOC da Universidade Federal de Santa Maria - UFSM com relação a implementação de um conversor multinível em cascata para emulação de faltas na rede elétrica para ensaios de suportabilidade a afundamentos de tensão de inversores conectados a rede. Dentro deste contexto, os trabalhos referentes a este projeto incluem o projeto e implementação de um sistema de instrumentação para o estágio de saída do conversor multinível, permitindo o controle em malha fechada deste, bem como a emulação de faltas na rede e da impedância da rede no ponto de conexão durante faltas. Ainda, uma plataforma Typhoon HIL será empregada para geração das referências de tensão para o conversor, bem como para realizar ensaios automáticos de afundamento de tensão.
  • Universidade Federal de Santa Maria - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda de Oliveira Bustamante

Ciências Agrárias

Agronomia
  • caracterização do germoplasma de vigna spp.: uma abordagem citogenômica comparativa
  • O gênero Vigna contém espécies domesticadas de grande importância socioeconômica, das quais destaca-se o feijão-caupi (V. unguiculata) com 2n = 22 cromossomos. O Brasil é um dos maiores produtores dessa cultura, sendo as regiões Norte e Nordeste responsáveis por mais de 60% da produção nacional. Devido à sua importância socioeconômica, alguns mapas genéticos baseados em marcadores moleculares foram desenvolvidos para V. unguiculata e existem mapas de sequenciamento disponíveis apenas para três das 120 espécies que compõem o gênero Vigna (V. unguiculata, V. angularis e V. radiata), sendo desejável expandir os dados já obtidos para outras espécies. Além disso, os únicos trabalhos envolvendo uma investigação cariotípica por BAC-FISH (hibridização in situ fluorescente de cromossomos bacterianos) entre V. unguiculata e V. aconitifolia e Phaseolus vulgaris são recentes, sendo necessários mais estudos que permitam compreender melhor a organização genômica e a evolução cariotípica nesses grupos. Assim, apesar dos esforços voltados para o estudo citogenômico do gênero e a sensibilidade das técnicas empregadas, os recursos para análise do genoma, bem como a caracterização do germoplasma dessas culturas, estão aquém da maioria das principais culturas destinadas ao consumo humano. Diante desse cenário, o presente projeto objetiva ampliar a caracterização do germoplasma de Vigna spp. mediante a obtenção de um código de barras para a identificação dos 11 pares cromossômicos e análises de sequências cromossomo-específicas de V.unguiculata em espécies de Vigna por oligo-FISH (hibridização in situ fluorescente com sondas de oligonucleotídeos). Ressalta-se que a técnica do código de barras pode atuar como uma varredura, detectando quais cromossomos estão envolvidos em alterações, para que os mesmos possam ser identificados por pintura cromossômica em diferentes espécies, para assim, obter uma análise mais detalhada dos mecanismos envolvidos nas alterações. É importante mencionar que a seleção e montagem dos oligos para a aplicação da técnica do código de barras pode ser direcionada para regiões de interesse, como por exemplo, regiões gênicas. Assim, ambas as técnicas mencionadas, baseadas em oligo-FISH, apresentam resolução e versatilidade superiores quando comparadas às demais técnicas citogenéticas moleculares. A aplicação de tais metodologias em Vigna spp, para as quais há informações escassas, permitirá uma melhor caracterização do germoplasma, identificação de regiões gênicas de interesse agronômico, além de fornecer dados inéditos para compreensão dos mecanismos evolutivos e organização genômica no grupo, ajudando assim, a definir metas e acelerar a criação de variedades melhoradas dessas culturas economicamente importantes. Os resultados serão obtidos por meio de metodologias que ainda não estão disponíveis no país, as quais serão compartilhadas com outros grupos de pesquisa da área através de colaborações e minicursos. Ressalta-se ainda que, as sondas obtidas no presente projeto poderão ser utilizadas em trabalhos futuros envolvendo diversas espécies, inclusive de gêneros relacionados, para as quais há pouca ou nenhuma informação genética disponível, contribuindo assim, para a ampliação das comparações citogenômicas intra e intergenéricas. Assim, os resultados esperados ampliarão a caracterização do banco de germoplasma do feijão-caupi e demais espécies de feijões, constituindo uma etapa importante para a preservação dos recursos genéticos destas culturas de grande importância econômica, além de auxiliar no avanço metodológico na área de pesquisa por meio da implementação de técnicas ainda não desenvolvidas no país.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda de Oliveira Martins

Ciências Biológicas

Zoologia
  • filogenia de hypoptopomatinae (siluriformes: loricariidae)
  • Hypoptopomatinae inclui peixes geralmente de pequeno porte, encontrados frequentemente na vegetação marginal, que se diferenciam dos outros Loricariidae principalmente pela morfologia da cintura peitoral. Existem muitas incertezas sobre as relações filogenéticas entre Hypoptopomatinae e Neoplecostominae, o que está relacionado ao grande número de novos táxons que vêm sendo descobertos e descritos para esses grupos. Nos últimos 10 anos, das 220 espécies novas descritas de Loricariidae, 97 espécies são pertencentes àquelas subfamílias. Apesar do número crescente de descrições de novas espécies, os maiores impedimentos principalmente com relação à sistemática dos Hypoptopomatinae residem no fato de muito gêneros carecerem de uma diagnose bem definida. Dentre esses gêneros estão Hisonotus, Microlepidogaster, Otothyropsis e Parotocinclus, que juntos compreendem 40% das espécies válidas para a subfamília e que são considerados grupos não monofiléticos. Acredita-se, então, que muitas espécies que têm sido descritas têm uma alocação genérica imprecisa. Além disso, apesar do número exponencial de novas descrições, a falta de delimitação taxonômica clara dos gêneros pode estar limitando a descrição de novos táxons. Baseado nisso, o presente projeto tem como objetivo geral realizar uma análise filogenética para Hypoptopomatinae baseada em dados morfológicos, a fim de verificar suas relações evolutivas com as demais subfamílias de Loricariidae, principalmente Neoplecostominae, com a finalidade de se propor uma melhor delimitação taxonômica para os gêneros que compõem a subfamília. Tal análise será baseada em caracteres morfológicos referentes à morfologia externa, osteologia e miologia disponíveis na literatura. Além disso, novos caracteres poderão ser propostos. Serão examinados representantes de todas as subfamílias de Loricariidae, além de uma espécie de Astroblepidae, que será incluída para enraizamento da árvore. No que se refere a Hypoptopomatinae, serão examinados representantes de todos os gêneros válidos, incluindo-se pelo menos a priori suas espécies-tipo, mas também espécies consideradas relevantes filogeneticamente para aqueles gêneros considerados não monofiléticos. A análise filogenética será realizada no software TNT versão 1.5, através de busca heurística usando os mecanismos das novas tecnologias. A partir dos resultados serão propostas diagnoses para os gêneros de Hypoptopomatinae baseadas nas sinapomorfias encontradas. Adicionalmente, durante as observações poderão ser encontradas novas espécies, que serão formalmente descritas de acordo com a metodologia padrão atual para a subfamília.
  • Instituto Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda de Pinho Werneck

Ciências Biológicas

Ecologia
  • computação de nuvem e bioinformática para o entendimento da evolução e genômica da adaptação às mudanças climáticas da biodiversidade neotropical
  • A biodiversidade armazena informações sobre as origens e a história evolutiva da vida na Terra e, portanto, pode também armazenar as respostas para muitos dos principais problemas que a humanidade enfrenta. A análise da distribuição e diversificação biótica através do espaço e do tempo é chave para compreender os processos que governam a diversidade biológica e para prever possíveis respostas às crises ambientas, como as impostas por mudanças climáticas globais e uso da terra. As mudanças climáticas trazem grandes desafios para a conservação da biodiversidade, tendo já afetado os padrões ecológicos e evolutivos em todo o mundo, levando a mudanças consideráveis na distribuição, demografia, comportamento e composição genética de várias espécies e populações. Vários autores sugerem que os trópicos serão a primeira grande região a sofrer as consequências das mudanças climáticas. Em resposta às mudanças climáticas, as espécies podem se mover para rastrear climas favoráveis (range shifts) ou podem se adaptar a novos ambientes através de plasticidade fenotípica ou adaptação evolutiva. No entanto, os processos adaptativos geralmente não conseguem acompanhar a velocidade e a magnitude das mudanças ambientais e, se as espécies não conseguirem passar por esses ajustes, podem sofrer colapsos populacionais que podem causar extinções. Embora essencial para fins de conservação, o potencial das populações naturais em se adaptarem às mudanças climáticas ainda é pouco explorado, especialmente na megadiversa região Neotropical e seus dois maiores biomas: a floresta Amazônica e as savanas do Cerrado. Embora abriguem uma das faunas e floras mais ricas do planeta, esses biomas estão sob pressões socioeconômicas severas e contínuas. Entender as respostas das espécies às mudanças climáticas é extremamente importante para a conservação da biodiversidade, e requer avaliações integrativas que combinem perspectivas ecológicas, moleculares e ambientais. A previsão de respostas é especialmente crucial para organismos ectotérmicos, como os répteis, pois estes são altamente dependentes das condições climáticas locais, particularmente os padrões de temperatura e precipitação. Neste contexto, aqui propomos o uso de computação em nuvem da AWS para a análise de dados genômicos e ecológicos da biodiversidade. Isso irá nos permitir integrar perspectivas ecológicas, moleculares e ambientais baseadas em capacidades fisiológicas e dados genômicos de populações naturais de lagartos com diferentes afinidades ambientais. Ao integrar essas informações, seremos capazes de investigar os padrões espaciais de variação genética adaptativa e demográfica ao longo da distribuição de espécies. Utilizaremos dados genéticos e ecológicos coletados com base em projetos financiados por instituições nacionais (CNPq, Instituto Serrapilheira) para grupos de lagartos na região Neotropical para prever os riscos de extinção e potenciais respostas adaptativas aos cenários de mudanças climáticas. Os resultados esperados ajudarão a apresentar estratégias de conservação aperfeiçoadas que incluirão informações quanto à variação intraespecíficas das tolerâncias climáticas que podem resultar em diferentes respostas às mudanças climáticas abaixo do nível de espécie, diferenciação evolutiva de processos de especiação e adaptação, e a quantificação da vulnerabilidade e valor relativo para conservação de populações e espécies.
  • Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - AM - Brasil
  • 02/09/2020-30/09/2022
Foto de perfil

Fernanda de Pinho Werneck

Ciências Biológicas

Ecologia
  • bases ecológicas e evolutivas da especiação e adaptação às mudanças climáticas na amazônia e no ecótono amazônia-cerrado
  • A biodiversidade armazena informações sobre as origens e a história evolutiva da vida na Terra e, portanto, pode também armazenar as respostas para muitos dos principais problemas que a humanidade enfrenta. A análise da distribuição e diversificação biótica através do espaço e do tempo é chave para compreender os processos que governam a diversidade biológica e para prever possíveis respostas às crises ambientas, como as importas por mudanças climáticas globais. As mudanças climáticas trazem grandes desafios para a conservação da biodiversidade, tendo já afetado os padrões ecológicos e evolutivos em todo o mundo, levando a mudanças consideráveis na distribuição, demografia, comportamento e composição genética de várias espécies e populações. Vários autores sugerem que os trópicos serão a primeira grande região a sofrer as consequências das mudanças climáticas. Em resposta às mudanças climáticas, as espécies podem se mover para rastrear climas favoráveis (range shifts) ou podem se adaptar a novos ambientes através de plasticidade fenotípica ou adaptação evolutiva. No entanto, os processos adaptativos geralmente não conseguem acompanhar a velocidade e a magnitude das mudanças ambientais e, se as espécies não conseguirem passar por esses ajustes, podem sofrer colapsos populacionais que podem, em última análise, causar extinções. Embora essencial para fins de conservação, o potencial das populações naturais em se adaptarem às mudanças climáticas ainda é pouco explorado, especialmente na megadiversa região Neotropical e seus dois maiores biomas: a floresta Amazônica e as savanas do Cerrado. Embora abriguem algumas das fauna e flora mais ricas do planeta, esses biomas estão sob pressões socioeconômicas severas e contínuas. Entender as respostas das espécies às mudanças climáticas é extremamente importante para a conservação da biodiversidade, e requer avaliações integrativas que combinem perspectivas ecológicas, moleculares e ambientais. A previsão de respostas é especialmente crucial para organismos ectotérmicos, como os répteis, porque são altamente dependentes das condições climáticas locais, particularmente os padrões de temperatura e precipitação. Neste contexto, aqui propomos uma abordagem que integra perspectivas ecológicas, moleculares e ambientais mecanísticas baseadas em capacidades fisiológicas e dados genômicos de populações naturais de lagartos com diferentes afinidades ambientais para investigar os padrões espaciais de variação genética e demográfica ao longo da distribuição de espécies. Utilizamos grupos de lagartos distribuídos ao longo do megadiverso gradiente Amazônia-Cerrado (incluindo ecossistemas abertos e florestais na floresta amazônica e o ecotóno Amazônia-Cerrado) para prever os riscos de extinção e potenciais respostas adaptativas aos cenários de mudanças climáticas. Os resultados esperados ajudarão a apresentar estratégias de conservação aperfeiçoadas que incluirão informações quanto à variação intraespecíficas das tolerâncias climáticas que podem resultar em diferentes respostas às mudanças climáticas abaixo do nível de espécie, diferenciação evolutiva de processos de especiação e adaptação, e a quantificação da vulnerabilidade e valor relativo para conservação de populações centrais e periféricas. Os dados e resultados desse projeto serão usados pela equipe de alunos e bolsistas atuando sob supervisão da Dra. Werneck em seus sub-projetos de pesquisa e fomentarão a produção e divulgação de conhecimento através da: (i) publicação de artigos em jornais de alto impacto, dissertações, teses; (ii) apresentações públicas dos resultados para a comunidade científica e sociedade geral em congressos e encontros; (iii) capacitação de pessoal em nível superior e pós-graduação e promoção do conhecimento acadêmico através de orientações, disciplinas de pós-graduação e workshops; (iv) disponibilização de dados básicos de biodiversidade coletados no âmbito desse projeto e depositados na Coleção de Anfíbios e Répteis do INPA (INPA-H), no Sistema de Informação da Biodiversidade Brasileira – Sibbr e portal GBIF; (v) produção de relatórios junto ao CNPq e agências de licenciamento (MMA, Sisbio e secretarias de meio ambiente regionais); (vi) interação com agências governamentais e não-governamentais engajadas na formação de políticas públicas de conservação da biodiversidade; (vii) manutenção do site na internet da Dra. Fernanda Werneck (https://sites.google.com/site/fewerneck/) onde são disponibilizados os resultados das pesquisas (artigos), atualizações quanto a alunos e bolsistas, oportunidades, material de disciplinas, etc.; (viii) matérias de divulgação e entrevistas sobre as pesquisas e resultados para a disseminação do tema de mudanças climáticas globais e seus impactos sobre a biodiversidade para a sociedade geral.
  • Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - AM - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda do Nascimento Thomaz

Ciências Humanas

História
  • entre macuas e tsonga: agência feminina, conflitos de gênero e parentesco em moçambique colonial
  • Várias querelas matrimoniais ocorridas entre os africanos chegaram a ser registradas pela administração colonial portuguesa no início do século do século XX. Muitos desses conflitos eram apresentados por mulheres que desejavam se livrar das regras costumeiras existentes em suas povoações ou intentavam buscar novas condições de vida no que se refere às relações de gênero, sexualidade e parentesco. A proposta desta pesquisa consiste em analisar as relações de gênero e parentesco a partir dos conflitos que envolviam os vínculos matrimoniais dos macuas e tsongas na primeira metade do século XX. Deste modo, pretende-se analisar as ações e reações das mulheres macuas e tsongas a partir das suas experiências de construção de feminilidade, de suas práticas cotidianas e das hierarquias sociais que estavam inseridas, que envolviam duas realidades que até então eram apartadas, mas com o tempo passaram a se imbricar e se sobrepor mutuamente – os mundos local e colonial. Essas realidades eram determinadas, cada vez mais, por um contexto de sobreposição de uma cultura sobre a outra – o próprio colonialismo. Por fim, torna-se impossível pensar nessas mulheres sem estes condicionantes local e colonial, cujas suas reações eram fruto de enfrentamentos diversos em ambas as realidades cada vez menos distintas e estanques.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda dos Santos Paulo

Ciências Humanas

Educação
  • memória e história da educação popular a partir do levantamento e catalogação das cartas de carlos rodrigues brandão: contribuições para a pedagogia latino-americana
  • Este projeto de pesquisa insere-se no campo da história da educação em especial da Educação Popular. Encontra-se alicerçado na área de concentração: Políticas e Processos em Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc) e, mais especificamente, na linha de pesquisa: Processos Educativos e memória pedagógica. O projeto tem como principal objetivo mapear, identificar e analisar a história da educação popular em documentos inéditos (cartas, cadernos, agendas, diários) do acervo pessoal do educador Carlos Rodrigues Brandão, assentado em Poços de Caldas/Minas Gerais. Com esse material apresentaremos contribuições para a pedagogia latino-americana com a pretensão de contribuir com o registro de experiências educacionais ainda silenciadas nas produções intelectuais. Consideramos a necessidade e urgência, além de importante esse tipo de pesquisa para a preservação e difusão da história e memória da educação brasileira. Esperamos que deste trabalho resulte na apresentação de um acervo on-line da produção resultante dessa investigação, além de outras produções científicas e socializações. Os documentos compõem uma relação entre registro político-educativo de uma história que se relaciona entre o educador Carlos Rodrigues Brandão com outros educadores e experiências latino-americanas. A escolha metodológica dando preferência a abordagem qualitativa, parece ser uma estratégia interessante do ponto de vista da relação entre Educação Popular e sistematização de experiências a partir de documentos e entrevistas com o pesquisador, portador dos materiais empíricos. Estudos anteriores (Paulo, 2018, Streck, 2017) colaboram na defesa de que as relações trocadas entre esses educadores, denominados por Paulo (2018) de pioneiros e pioneiras da Educação Popular, podem vir a contribuir não só para o registro histórico e bibliográfico da Educação Popular, mas para as discussões acerca da pedagogia Latino-Americana. Partimos do pressuposto de que as dimensões epistemológicas, política, pedagógica e filosófica da Educação Popular pode ser ampliada através do diálogo entre memória descritiva (presente nos cadernos pessoais do professor Carlos R. Brandão) e memória oral. Suspeitamos que nesses documentos, somados as entrevistas, localizaremos uma história invisibilizada e, quiçá, inédita. O caminho metodológico conta com pesquisa documental, bibliográfica, uso de entrevistas semiestruturadas. As tabulações dos dados dar-se-ão mediante os tempos históricos: OS TEMPOS PIONEIROS (1950-1964), OS TEMPOS DE FOGO (1964 - APÓS abril a 1968), OS TEMPOS DE RESISTIR (1968-1979) e OS TEMPOS DE ABERTURA (1979 até 1990). A análise dos dados será mediante o uso da decodificação e decodificação dos conteúdos presentes nos documentos e dos registros das entrevistas realizadas com Carlos Rodrigues Brandão. As principais referências teórico-metodologias são Paulo Freire (1987), Torres Carrillo (2006), Lüdke e André (1986). Objetiva-se análises destes materiais e publicações cientificas a partir de um grupo de investigadores entre universidades: Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc), Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), e Universidade Comunitária da Região de Chapeco (Unochapecó).
  • Universidade do Oeste de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda Faot

Ciências da Saúde

Odontologia
  • desempenho clínico e funcional de próteses totais fixas implanto retidas na maxila pelo protocolo all-on-four (neoarch): estudo clínico intervencional de 1 ano de acompanhamento
  • A grande maioria dos estudos disponíveis apenas aborda problemas relacionados à falta de retenção e estabilidade da prótese total convencional (PTC) mandibular e pouco se sabe sobre o impacto de uma reabilitação de arco total fixa sobre implantes na maxila. A utilização de implantes na maxila edêntula tem sido uma alternativa confiável, melhorando a instabilidade das PTC superiores, contribuindo assim para uma melhor função mastigatória e qualidade de vida desses indivíduos. Para reabilitação com implantes na maxila, a odontologia tem se concentrado em terapias que minimizem o número de implantes utilizados e diminua a invasividade cirúrgica. Neste sentido, com a adoção da a técnica All-on-4, enxertos ósseos e levantamentos de seio maxilar podem ser evitados ao se utilizar 4 implantes, sendo dois implantes verticais anteriores (região incisivos/caninos) e 2 implantes inclinados. Nesses casos implantes inclinados mais longos são utilizados para aumentar a ancoragem cortical e aumentar a superfície de contato entre osso e implante. Entretanto, a literatura ainda é escassa no que se refere a efetividade clínica da implementação desta técnica cirúrgica, assim ainda é necessário se analisar o potencial sucesso clínico da reabilitação protética fixa maxilar e suas complicações, bem como o impacto no desempenho mastigatório, na força de mordida, na satisfação e na qualidade de vida desses indivíduos. Para tanto, este estudo clinico intervencional prospectivo tem como objetivo acompanhar por 1 ano, 16 pacientes desdentados totais usuários de overdentures mandibulares implanto-retidas que serão selecionados de acordo com a disponibilidade óssea maxilar para serem reabilitados com próteses fixas implanto-retidas segundo o conceito All-on-4 (Neoarch). Desfechos clínicos, imunológicos, funcionais e centrados na satisfação e qualidade de vida dos pacientes serão avaliados durante o primeiro ano de carregamento oclusal. A variáveis de desfecho avaliadas relacionadas aos implantes serão: i) torque de inserção por meio de diagrama de barras binário registrado pelo motor cirúrgico e por meio de registro manual com catraca torquímetro; ii) Índice de placa, inflamação peri-implantar, profundidade e sangramento a sondagem por meio de índices de monitoramento da saúde peri-implantar durante; iii) concentração de citocinas pro e anti-inflamatórias presentes do fluido peri-implantar (IL-1β, IL-6, IL-10, IL-17, TNF-α) pelo teste de imunofluorescência através de ensaio multiplex usando a tecnologia Luminex iv) estabilidade primária e secundaria dos implantes por meio da análise de frequência de ressonância; v) perda óssea marginal e remodelação óssea peri-implantar através de radiografia panorâmica digital. Do ponto de vista funcional, os pacientes serão avaliados pelos testes de performance mastigatória e limiar de deglutição pelo método de fracionamento em peneiras com Optocal; e, pelo registro da força de mordida utilizando gnatodinamômetro. Os desfechos centrados no paciente serão avaliados através dos questionários OHIP-Edent e Impacto Dental na Vida Diária para determinar o impacto do tratamento na qualidade de vida e satisfação do paciente. Após a coleta de todos os dados, estes serão tabulados e as análises estatísticas serão realizadas com o programa Stata® (Versão 11.2, StataCorp LP, CollegeStation, Texas, EUA). Os dados serão testados para sua normalidade, em seguida, o método estatístico será escolhido com base na aderência ao modelo. Para todos os testes será considerado estatisticamente significativo o valor p<0,05.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda Ferreira Cruz

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • células cd11b+ - papel de macrófagos na terapia celular na asma.
  • A asma é uma doença inflamatória aguda pulmonar que cursa com hiper-responsividade das vias aéreas. Acomete cerca de 300 milhões de pacientes mundialmente, sendo considerada um problema de saúde pública pois apresenta alta taxa de morbi-mortalidade. Cerca de 20% dos pacientes asmáticos apresentam asma grave resistente ao uso de corticoide e não possuem tratamento específico adequadamente eficaz. O emprego de terapias celulares em doenças respiratórias apresenta horizontes promissores no mundo, uma vez que possuem potencial imunomodulatório importante e capacidade de promoção de reparo tecidual. A terapia celular com células adultas como as células mesenquimais ou células mononucleares derivadas de medula óssea se mostrou eficaz em controlar o processo inflamatório e bronco-constricção em modelos murinos de asma, inclusive em modelo de asma grave. As células mononucleares são constituídas por um grupo heterogêneo de células que inclui células mesenquimais, monócitos, células dendríticas, linfócitos, células endoteliais, precursores hematopoiéticos, entre outras. Recentemente, foi observado que os efeitos benéficos da terapia com células mononucleares derivadas de medula óssea em um modelo de asma grave é dependente primariamente de células CD11b+ (monócitos/macrófagos) e parcialmente de células Sca-1+ (células mesenquimais), uma vez que quando o pool de células mononucleares era depletado de células CD11b+ e Sca-1+, os efeitos protetores da terapia celular na asma eram perdidos. Assim, a a utilização de terapias avançadas, como o uso de células-tronco ou células adultas, primordialmente o papel de monócitos/macrófagos e células dendríticas ainda necessitam ser melhores estudados. A presente proposta tem como objetivos: 1) Investigar efeitos da terapia celular com monócitos derivados de medula óssea em um modelo pré-clínico de asma grave; 2) Investigar os mecanismos celulares e moleculares envolvidos da terapia celular com monócitos derivados de medula óssea em modelo experimental de asma grave; 3) No intuito de investigar se fontes de obtenção de células menos invasivas que a medula óssea, como o sangue e o BALF podem ser futuramente utilizadas em estudos com terapia com células CD11b+, este estudo inicialmente visa a investigar as propriedades (ativação, polarização, formação de redes extracelulares, capacidade de migração e fagocitose) dos monócitos e células dendríticas provenientes de diferentes fontes: medula óssea, BALF e sangue de animais com asma grave; 4) Visando ainda a utilizar células CD11b+ provenientes do sangue ou BALF, fontes menos invasivas, o presente estudo visa a potencializar tais células, aumentando seu potencial anti-inflamatório, logo neste projeto pretende-se investigar potencial imunomodulatório de células mesenquimais sobre células CD11b+ de diferentes fontes, como alternativa para induzir polarização de células CD11b+ para fenótipo anti-inflamatório e testar efeitos terapêuticos de tais células pré-condicionadas em modelo de asma grave; 5) Investigar através de ensaios in vitro efeito de células mesenquimais humanas sobre propriedades de células CD11b+ extraídas de pacientes com asma grave. Para tal, Fernanda Ferreira Cruz, professora adjunta do IBCCF / UFRJ, coordenará este projeto, supervisionará alunos de graduação e pós-graduação e contará com a colaboração de professores brasileiros e internacionais é candidata ao edital do CNPq: Chamada Universal MCTIC/CNPq Nº 28/2018, reeditando uma associação de cinco anos que implicou na criação de uma atmosfera de pesquisa altamente colaborativa e na otimização do uso de instalações e equipamentos comuns.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda Franzolin

Ciências Humanas

Educação
  • meninas adolescentes e seu envolvimento com as ciências: possibilidades e desafios utilizando o ensino por investigação
  • O objetivo desse projeto é investigar o impacto de uma sequência didática envolvendo ensino por investigação para propiciar a participação de meninas adolescentes, dos Anos Finais do Ensino Fundamental, em situações didáticas de ciências. Trata-se de uma pesquisa qualitativa envolvendo a pesquisa-ação investigando formas de promover a participação das jovens especificamente em uma sequência didática oferecida a estudantes de escolas da Educação Básica por meio de uma atividade extensionista dentro do ambiente universitário. A sequência será executada com várias turmas mistas, sendo que cada turma vivencia duas visitas. Nos encontros os alunos terão uma curta palestra sobre metodologias de construção de conhecimento pela Ciência. Será também planejada uma entrevista com cientistas da UFABC, onde os jovens vão pensar sobre perguntas importantes para perguntar para os pesquisadores (sempre dois pesquisadores, sendo ao menos um deles mulher). Em seguida serão e realizadas atividades investigativas, onde o aluno poderá compreender procedimentos da pesquisa experimental. Na segunda visita ocorrerá a entrevista com os cientistas, conforme planejado no encontro anterior e será dada continuidade para as atividades investigativas. Questionários prévios e posteriores ajudarão a compreender os sentimentos das meninas em torno das atividades e os vídeos propiciarão a análise das possibilidades e desafios para fomentar o envolvimento das meninas: 1) visando envolver a interação das meninas e meninos de maneira equitativa a partir de ações planejadas com embasamento na literatura, 2) promovendo a criação de referências sobre a participação das mulheres nas ciências da natureza, através de entrevista das entrevistas com pesquisadoras; e 3) fomentando a interação a partir de atividades investigativas. A análise dos dados ocorrerá a partir de categorias pré-estabelecidas em pesquisa anterior, que evidenciou o sucesso da sequência para promover a interação de meninas mais jovens dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental.
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda Frizzo Bragato

Ciências Sociais Aplicadas

Direito
  • implementando direitos, qualificando a formação jurídica: a efetivação dos direitos territoriais indígenas no brasil por meio da interface entre pesquisa aplicada e promoção de direitos humanos
  • Trata-se de proposta submetida à Chamada Universal MCTIC/CNPq 2018, com enquadramento na FAIXA C, para execução de projeto de pesquisa desenvolvido pela proponente em parceria acadêmica com a Benjamin B. Ferencz Human Rights and Atrocity Prevention Clinic da Cardozo Law School (Yeshiva Univeristy - Nova Iorque) e com a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). O período de execução, para esta proposta, é de março de 2019 a fevereiro de 2022. Os povos indígenas brasileiros contam, atualmente, com um amplo e protetivo marco jurídico nacional e internacional que lhes garante direitos coletivos e diferenciados baseados no direito de conservar e de manter sua própria cultura, hábitos e costumes, dentre os quais se destacam as terras que tradicionalmente ocupam. Entretanto, muitas destas terras ainda não foram demarcadas e outras encontram-se sob risco de anulação, o que tem gerado frequentes e violentos conflitos entre indígenas e ocupantes não-índios. O território indígena constitui espaços indispensáveis ao exercício de direitos identitários dos povos indígenas e, por isso, é a base para o exercício dos seus direitos humanos. Entretanto, a resposta do Estado Brasileiro às demandas territoriais dos povos indígenas não tem sido consistente com o marco normativo indigenista. Ao contrário, responde, em larga escala, a uma lógica colonial que nega reconhecimento ao status diferenciado destes povos. Este projeto tem como pano de fundo a relação direta entre a garantia do território tradicional e o gozo dos direitos humanos pelos povos indígenas, de um lado, e o cenário de violência e privação de direitos em que vivem, de outro. Utilizando o método clínico, este projeto pretende investigar as diversas dimensões dos conflitos territoriais indígenas no Brasil a partir da realidade concreta de alguns casos e atuar sobre eles por meio do uso das ferramentas jurídicas e com protagonismo supervisionado dos(as) aluno(as), a fim de contribuir para a efetivação dos direitos das comunidades indígenas no Brasil. O método clínico traz três importantes vantagens para a pesquisa jurídica: produção de conhecimento, auxílio aos assistidos na sua busca por justiça e aprendizado profissional crítico e responsável aos alunos(as).
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda Gervasoni

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • gênese e evolução de magmas alcalinos: um estudo geoquímico e experimental a partir dos carbonatitos e kimberlitos brasileiros
  • Carbonatitos e kimberlitos são rochas alcalinas raras e caracterizadas por conter alta concentração de elementos traços e terras raras em sua composição, o que os torna rochas com alto potencial econômico e faz de seus magmas importantes agentes metassomáticos no manto litosférico. Carbonatitos são responsáveis pela maior parte da mineralização de fósforo, titânio, nióbio e elementos terras raras do Brasil. Os kimberlitos brasileiros, por sua vez, são responsáveis por grande parte das mineralizações de diamantes. Seguido pelo contexto econômico, o estudo da gênese e evolução de carbonatitos, kimberlitos e demais rochas alcalinas associadas desperta grande interesse científico. No entanto, este interesse se deve também à complexidade e variedade dos processos petrológicos envolvidos na formação e cristalização dessas rochas. Apesar da grande importância econômica e científica, a origem e evolução de magmas carbonatíticos e kimberlíticos ainda gera grandes discussões e divergências entre inúmeros grupos de pesquisa. Além disso, inexiste um consenso sobre os processos tectônicos que possam estar envolvidos na formação desses magmas. Para a Plataforma Sul-americana, no contexto do território brasileiro, existem teorias as quais sugerem que a pluma mantélica de Trindade possa ter agido como uma influência térmica para a geração do intenso magmatismo alcalino ocorrido no Brasil durante o Cretáceo, e que gerou as conhecidas Províncias Alcalinas Brasileiras. No entanto, alguns autores consideram contraditória o envolvimento de uma pluma mantélica na geração desses magmas alcalinos, dado que muitas rochas alcalinas pertencentes a essas províncias não possuem assinatura isotópica relacionada à pluma. Neste sentido, a presente proposta visa estudar a gênese e evolução de magmas carbonatíticos e kimberlíticos utilizando como ferramenta a química mineral e a petrologia experimental. A partir de carbonatitos e kimberlitos naturais provenientes da Província Alcalina do Alto Paranaíba, serão reconhecidas texturas e reações mineralógicas, assim como analisadas as composições químicas das fases minerais e fragmentos juvenis. O comportamento dos elementos maiores e traços em minerais e fragmentos juvenis podem identificar a composição da fonte e ensejar uma melhor compreensão acerca da evolução magmática dessas rochas. Com a petrologia experimental, serão realizados experimentos de reações entre rocha sintética e líquidos metassomáticos com intuito de simular reações e condições físicas e químicas similares às que possam ocorrer no manto litosférico continental e que possibilitem a geração de magmas carbonatíticos e kimberlíticos. Também serão realizados experimentos de cristalização de minerais em líquidos alcalinos para cálculo da partição de elementos maiores e traços entre mineral e líquido, direcionado ao maior entendimento de como a cristalização de minerais primários modifica a composição dos líquidos juvenis. Os resultados das análises químicas das rochas do Alto Paranaíba, associados aos dados oriundos dos experimentos, levam a uma maior compreensão sobre a fonte, a gênese e a evolução de líquidos carbontíticos e kimberlíticos, e auxiliam o entendimento sobre a possibilidade de feições tectônicas serem responsáveis ou não por desencadear o magmatismo alcalino que formou a Província Alcalina do Alto Paranaíba.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda Glória Bruno

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • mediação algorítmica: megadados, redes sociotécnicas e visibilidade
  • Esse projeto investiga a mediação algorítmica da experiência em ambientes e plataformas digitais, tendo em vista compreender seus regimes de racionalidade e de visibilidade, bem como seus efeitos sobre a subjetividade e a conduta. Para tanto, explora três eixos complementares. No eixo teórico-conceitual, efetua uma revisão das noções de mediação e agência no campo das ciências sociais, propondo a sua atualização para a esfera não humana, especialmente para os procedimentos algorítmicos. Realiza, ainda nesse eixo, uma breve genealogia da racionalidade algorítmica, buscando compreender seus nexos com regimes de visibilidade, subjetividade e governo das condutas. O eixo metodológico propõe pistas para a pesquisa sobre processos de mediação algorítmica no campo das ciências sociais e da comunicação. O eixo empírico, por fim, realiza um mapeamento de características da mediação algorítmica presente na visualização de conteúdos na rede social Facebook e no YouTube, com base em levantamento de fontes secundárias, estudos de caso e artigos corporativos, técnicos e científicos sobre o uso de algoritmos por estas plataformas.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda Guarino De Felice

Ciências Biológicas

Bioquímica
  • desenvolvimento e validação de biomarcadores moleculares minimamente invasivos da infecção do sistema nervoso central por sars-cov-2
  • SARS-Cov-2 (do inglês Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus 2), um coronavírus humano, é responsável pela pandemia de Covid-19 (do inglês Coronavirus disease 2019), que se transformou em uma emergência global na saúde pública sem precedentes. Diversos estudos vêm demonstrando que vários órgãos e sistemas são afetados pela COVID-19, e evidências crescentes indicam que o Sistema Nervoso Central (SNC) é impactado na doença. Em um artigo publicado na Trends in Neuroscience, destacamos observações recentes sugerindo uma associação entre o SARS-CoV-2 e complicações neurológicas [1]. Esse artigo teve grande repercussão nacional e internacional, por alertar para a urgência de estudos que investiguem alterações neurológicas em pacientes com COVID-19 e esclareçam como o SNC pode ser impactado pelo SARS-CoV-2. As doenças cerebrovasculares estão entre as comorbidades dos pacientes com COVID-19 que desenvolvem complicações respiratórias graves [2]. Encefalopatia hipóxico-isquêmica foi relatada em 20% dos 113 pacientes falecidos com COVID-19 em um estudo [3]. Outro estudo avaliou 214 pacientes diagnosticados com COVID-19 na China e constatou que 36% tinham manifestações neurológicas, incluindo doenças cerebrovasculares agudas e perda de consciência [4]. Recentemente, um estudo Francês reportou que 58 de 64 pacientes com quadro severo da COVID-19 apresentaram manifestações neurológicas graves [5]. Estudos adicionais sobre a ocorrência de manifestações neurológicas em pacientes com COVID-19 em outras populações são necessários. Observações crescentes vindas de vários hospitais do mundo descritas pela mídia indicam alterações neurológicas severas em pacientes de todas as idades. Será, portanto, importante determinar se SARS-CoV-2 é detectado no líquido cefalorraquidiano (LCR) de pacientes que desenvolvem alterações neurológicas. Apresenta-se, ainda, como particularmente importante o desenvolvimento de uma abordagem minimamente invasiva e simples que possa determinar em que casos o SNC esta sendo afetado. Utilizando uma abordagem multidisciplinar, envolvendo protocolos estruturados e inovadores (clínico, molecular e de imagem) em uma larga base de pacientes hospitalizados no sistema privado do Estado do Rio de Janeiro, propomos desenvolver biomarcadores moleculares minimamente invasivos que evidenciem a infecção pelo SARS-CoV-2 no SNC. Para isso, iremos inicialmente caracterizar a ocorrência e o padrão das alterações neurológicas e psiquiátricas relacionadas à infecção pelo SARS-CoV-2 durante (1) a fase aguda/subaguda da forma leve da doença em pacientes que recebem atendimento ambulatorial (2) a fase aguda/subaguda da forma grave da doença em pacientes hospitalizados, e (3) a evolução a longo prazo dos pacientes acometidos pela forma grave da doença, analisando-os 3 e 12 meses após a alta hospitalar. Adicionalmente, iremos estabelecer um biobanco de amostras biológicas de pacientes acometidos pela doença, incluindo sangue total, plasma, soro e, quando possível, líquido cefalorraquidiano (LCR). Para o desenvolvimento de biomarcadores da infecção do SNC pelo SARS-CoV-2 de forma minimamente invasiva e nas diversas fases e apresentações da doença, realizaremos o isolamento e caracterização de vesículas extracelulares de origem neuronal obtidas do plasma de pacientes infectados como biomarcadores moleculares da presença do vírus no cérebro, assim como das alterações neuronais associadas à Covid-19. Adicionalmente, iremos correlacionar este biomarcador de infecção cerebral por SARS-CoV-2 com a ocorrência e gravidade dos acometimentos neurológicos, psiquiátricos e de imagem nos pacientes com COVID-19, além do rastreamento ocular para avaliação de processos cognitivos. As vesículas extracelulares (VEs) são secretadas em biofluidos e atuam como carreadoras de sinais moleculares gerados pelas células parentais [6]. Dado que as VEs podem atravessar a barreira hematoencefálica [7, 8], o isolamento de VEs derivados de neurônios a partir do sangue compreende uma nova e promissora abordagem para determinar biomarcadores de doenças do SNC. Proteínas virais tem sido detectadas em vesículas extracelulares, sugerindo a possibilidade de existência de um mecanismo de endereçamento das proteínas virais em vesículas [9-11]. Portanto, acreditamos que o SARs-CoV-2, proteínas do seu capsídeo ou sua molécula de RNA estarão presente nas VEs. Nosso grupo vem trabalhando com VEs nos últimos seis anos, e mais recentemente desenvolveu técnicas para isolar vesículas extracelulares totais e vesículas extracelulares derivadas de neurônios do plasma e soro de humanos, e está plenamente capacitado para realizar a análise proposta. Além disso, nosso grupo já desenvolveu protocolos que permitem o estudo do status inflamatório do SNC através da avaliação dos níveis de citocinas pró-inflamatórias no conteúdo destas VEs neuronais circulantes no plasma. Assim, propomos realizar esses estudos nos pacientes com COVID-19 que participarão desse estudo. Além das alterações agudas e subagudas, com o final da pandemia haverá que se considerar as possíveis consequências de médio e longo prazo para a saúde dos sobreviventes. Os achados descritos até o momento sobre SARS-CoV-2 se assemelham aos de SARS-CoV e do vírus H1N1: vias celulares cruciais são afetadas pela infecção no SNC [1]. Ressaltamos que esses processos inflamatórios também tem similaridades com múltiplas vias relevantes no envelhecimento celular, e em doenças neurodegenerativas como as doenças de Alzheimer e de Parkinson, sugerindo que a neuroinflamação poderá se tornar uma complicação de longo prazo na infecção por SARS-CoV-2 [1].
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 16/07/2020-15/09/2022
Foto de perfil

Fernanda Guarino De Felice

Ciências Biológicas

Bioquímica
  • ações neuroprotetoras dos hormônios glp-1 e irisina em modelos da doença de alzheimer
  • A doença de Alzheimer (DA) é uma patologia neurodegenerativa que tem problemas de memória como principal sintoma inicial, mas que evolui para prejuízos cognitivos graves em estágios mais avançados. Atualmente, mais de 35 milhões de pessoas sofrem de DA em todo mundo e tal incidência tende a aumentar consideravelmente nas próximas décadas, em função do aumento de longevidade das populações e da adoção de hábitos de vida pouco saudáveis. A idade é o principal fator de risco para a DA, embora disfunções metabólicas tais como obesidade e diabetes contribuam para um risco aumentado de desenvolver a DA em estágios tardios da vida. Por outro lado, apesar de intensos esforços em pesquisa, nenhuma terapia ainda se revelou eficaz em atenuar ou reverter a progressão da DA. Evidências recentes apontam que a disfunção da sinalização hormonal no sistema nervoso central pode estar subjacente ao desenvolvimento de condições neurodegenerativas como a DA. Neste sentido, testar o potencial neuroprotetor de hormônios pode abrir novos caminhos para o desenvolvimento de terapias eficazes. Os hormônios GLP-1 e FNDC5/irisina tem atraído considerável interesse pelos seus papeis na homeostase metabólica corporal, mas também por papéis recentemente descritos na neuromodulação de propriedades e moléculas essenciais para o funcionamento cerebral e para a memória. Pode-se hipotetizar, portanto, que GLP-1 e FNDC5/irisina possuam relevância em desordens cognitivas tais como a DA. Este projeto visa investigar o potencial papel neuroprotetor do GLP-1 e de FNDC5/irisina em modelos pré-clínicos da DA. Para tal, utilizaremos abordagens bioquímicas, moleculares e comportamentais em diferentes modelos animais da DA. Os resultados deste projeto tem o potencial de fornecer novas bases moleculares para estratégias de neuroproteção na DA, assim como oferecer novas abordagens com potencial translacional para a prevenção e terapia da disfunção cognitiva na DA.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda Khouri Barreto

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • utilização de dispositivo portátil para sequenciar e caracterizar genomas completos do htlv-1
  • O HTLV-1 é conhecido por ser o agente etiológico da paraparesia espástica tropical/mielopatia associada ao HTLV (TSP/HAM), Leucemia/Linfoma de Células T do Adulto (ATLL), entre outras patologias. A TSP/HAM é caracterizada como uma doença neurológica crônico-degenerativa que atinge o sistema nervoso central, porém muitos pacientes permanecem assintomáticos para TSP/HAM e pouco se sabe sobre os mecanismos patológicos e a sequência e natureza dos eventos que levam ao desenvolvimento das diferentes formas clínicas na infecção pelo HTLV-1. Vale ressaltar que ainda não existe um tratamento específico e eficaz contra essa infecção. Assim, o entendimento do vírus e dos fatores que levam um indivíduo a permanecer assintomático para TSP/HAM ou desenvolver a doença torna-se importante para o desenvolvimento de vacinas e terapias. Para tal, faz-se necessário conhecer o genoma completo do vírus e até o presente momento somente 76 genomas estão disponíveis no GenBank. Destes, a maioria não revela a condição clínica do paciente. Dado este de grande importância para estudos que visam elucidar a patogênese da doença. Assim, o presente projeto tem como objetivo utilizar a tecnologia inovadora desenvolvida pela empresa Oxfoxd Nanopore, e através de um dispositivo portátil (MinION) sequenciar e caracterizar 50 genomas completos do HTLV-1 provenientes de pacientes com diagnóstico positivo para TSP/HAM e 50 genomas completos obtidos a partir de pacientes com diagnóstico negativo para TSP/HAM. Para tal, serão utilizadas técnicas de reação em cadeia da polimerase (PCR), sequenciamento de nova geração utilizando o MinION, além de análises de bioinformática. A publicação de genomas completos em bancos de dados públicos e a disponibilização das informações clínicas e epidemiológicas correspondentes irá fortalecer os diversos grupos que trabalham com HTLV-1, enquanto que a caracterização molecular do genoma completo do vírus poderá favorecer estudos relacionados à patogenicidade desse retrovírus.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda Loureiro de Andrade Orsi

Ciências da Saúde

Medicina
  • caracterização da atividade das células dendríticas plasmocitóides e da assinatura do interferon tipo 1 na síndrome antifosfolípide primária com trombose
  • Síndrome antifosfolípide (SAF) é uma doença trombótica grave, caracterizada pela produção de autoanticorpos contra fosfolípides, ou proteínas ligadoras de fosfolípide, presentes nas membranas externas de células endoteliais, monócitos e plaquetas. Acredita-se que os eventos trombóticos na SAF tenham como base fisiopatogênica a reação imunológica nessas membranas celulares, o queprovoca ativação das células e subsequentemente estímulo pró-coagulante. Os mecanismos pelos quais há perda de tolerância aos fosfolípides de membranae estímulo à produção de autoanticorpos não estão estabelecidos. Células dendríticas plasmocitóides (pDCs) são caracterizadas pela capacidade de produzirem grandes quantidades de interferon (IFN)-1, responsável mediar o início da resposta imune. Estudos em modelos animais demonstraram haver ativação de pDCs no lúpus eritematoso sistêmico (LES). Dados clínicos mostraram que 90% das crianças e mais de 50% dos adultos portadores de LES apresentam atividade imune patológica mediada pelo IFN-1. É possível que ocorrera ativação exacerbada do sistema imune inato na SAF, à semelhança do que já foi descrito no LES. Porém a importância dessas células, e da expressão do IFN-1, na patogênese da SAF primária ainda não está esclarecida. Desta forma, o objetivo desse trabalho é caracterizar a resposta imune por pDCs em pacientes com trombose relacionada a SAF. Esse será um estudo de caso controle, onde compararemos pacientes com SAF primária trombótico, indivíduos com anticorpos antifosfolípides sem trombose ou outra complicação da SAF e indivíduos saudáveis quanto a atividade das pDCs e a presença de assinatura do interferon 1. Utilizaremos métodos de citometria de fluxo para quantificar pDCs no sangue periférico e IFN-alfa no citoplasma dessas células. Avaliaremos também a expressão relativa de quatro genes indutores de IFN-1: Ly6E, OAS1, OASL, ISG15 e MX1. A quantificação das citocinas TNF-alfa, IL-6, IL-8 será realizada por ELISA. Os resultados terão o potencial de identificar se a ativação de pDCs está associada a SAF. O conhecimento sobre o papel do sistema imune inato poderá contribuir para que novos tratamentos contra a SAF sejam testados no futuro.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Fernanda Maciel Canile

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • proveniência das unidades glaciais permo-carboníferas da bacia do paraná baseada em dados isotópicos de u-pb e hf em zircões detríticos: resolvendo a glaciação neopaleozóica no brasil
  • A Bacia do Paraná é uma bacia intracratônica que ocupa uma grande área do continente Sulamericano (1,6 milhões de km2), a maior parte em território brasileiro (1,1 milhões de km2) e está preenchida por rochas sedimentares e vulcânicas que atingiram uma espessura máxima de cerca de 8.000m. Sua litoestratigrafia é dividida em três supersequências transgressivas-regressivas nomeadas Rio Ivaí (Grupo Rio Ivaí, Ordoviciano-Siluriano), Paraná (Grupo Paraná, Devoniano) e Gondwana I (Grupos Itararé, Guatá e Passa Dois, Carbonífero-Triássico Inferior), e duas supersequências com rochas sedimentares continentais e rochas ígneas associadas nomeadas Gondwana II (Grupo Rosário do Sul, Triássico) e Gondwana III (Grupo São Bento, Jurássico-Cretáceo) (Milani et al., 2007). A supersequência Gondwana I registra um grande evento climático que ocorreu nesse paleocontinente, uma glaciação de idade Neopaleozoica que cobriu parte do território brasileiro e que é representada por rochas que afloram ao longo de dois cinturões estreitos bordejando a Bacia do Paraná. Esse importante registro sedimentar faz parte da LPIA, sigla em inglês para Late Paleozoic Ice Age, que foi um dos eventos climáticos mais extensos ocorridos no planeta, onde flutuações no nível do mar e reestruturação biótica foram impulsionadas por oscilações no sistema climático global (Isbell et al., 2018). A extensão do manto de gelo da LPIA já foi reconstruída por diversos modelos, sendo por vezes determinada como uma grande massa polar centrada no Gondwana ou como pequenos e médios mantos de gelo ou calotas, constituindo ainda certa controvérsia. Determinar a verdadeira extensão dos mantos de gelo da LPIA é extremamente importante, visto que a distribuição do gelo continental influencia a circulação oceânica e atmosférica, as condições de superfície, as taxas de intemperismo, a hidroclimatologia e consequentemente a natureza e resiliência dos ecossistemas marinhos e terrestres (Montañez e Poulsen, 2013). Recentemente, Griffs et al. (2018) apresentaram dados sobre proveniências de rochas da borda meridional da Bacia do Paraná (Grupo Itararé), que sugerem um extenso manto de gelo que flutuou desde regiões da Antártica e da África até as regiões centrais do Gondwana. Porém, com relação aos depósitos glaciais da borda setentrional da Bacia do Paraná (Formação Aquidauana), ainda não há estudos sobre sua proveniência. Portanto, esse projeto pretende obter esses dados que serão fundamentais para entendermos a natureza dessa glaciação e seu impacto global durante o LPIA. Identificar a duração e a extensão de mantos de gelo durante as glaciações é importante para entendermos os mecanismos de mudanças climáticas que afetam o clima global. Portanto, o objetivo geral do trabalho é verificar se as rochas glaciais Neopaleozoicas da Bacia do Paraná (Grupo Itararé e Formação Aquidauana) apresentam as mesmas áreas fontes ou se elas são distintas, e assim estabelecer uma correlação definitiva entre as duas unidades e determinar a extensão do manto de gelo durante esse intervalo de tempo.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022