Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Elisa Bressan Smith Lourenzani

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • indicações geográficas de café no brasil e a agricultura familiar: compreendendo as meso-instituições
  • Indicações Geográficas (IGs) são consideradas uma categoria dos direitos de propriedade intelectual coletiva e podem melhorar a coordenação das cadeias dos produtos uma vez que sinalizam características únicas e valores associados a um território particular, reduzindo assim as assimetrias de informação. Para a agricultura familiar, a adoção dessa estratégia representa possibilidade de fortalecimento da atividade, acesso a mercados e agregação de valor à atividade agrícola e mesmo não-agrícola, como o turismo e a gastronomia. As meso-instituições constituem uma lacuna na literatura e necessita de estudos para esclarecê-las. Trata-se do nível intermediário em que as regras gerais e direitos são estabelecidos e o nível em que os arranjos organizacionais e as transações ocorrem. Com vistas a em preencher a lacuna teórica, como apontado por Ménard (2017; 2018), e contribuir para a análise da eficácia das IGs, essa proposta tem como objetivo geral analisar o papel das meso-instituições nas IGs de café no Brasil e seu efeito sobre a participação da agricultura familiar. A metodologia proposta utilizará abordagem qualitativa (pesquisa descritiva utilizando o estudo de caso) e quantitativa (Índice de Condição de Vida). Espera-se que os resultados contribuam para avanços no conhecimento sobre a lacuna teórica a respeito das meso-instituições e para a sociedade no sentido de contribuir para a compreensão dos papeis dos atores envolvidos e da eficácia das IGs no Brasil, especialmente para a agricultura familiar localizada nos territórios.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Elizabeth Santos Alves

Ciências Humanas

Educação
  • trabalho-educação em comunidades tradicionais rurais: saberes escolares e não escolares nos processos de produção da vida social
  • Este projeto de pesquisa é fruto de análises do grupo de estudos História, Trabalho e Educação do Museu Pedagógico da UESB, desenvolvidas em comunidades tradicionais rurais. Investigamos as condições de trabalho e as possibilidades no âmbito educacional de mulheres e homens no núcleo de produção familiar em quatro comunidades rurais do município de Planalto, na Bahia, levando em consideração aspectos relacionados à trajetória de vida produtiva e reprodutiva. Visitamos o núcleo de produção familiar de quatro comunidades localizadas na zona rural daquele município. Essa pesquisa gerou um conjunto considerável de dados: entrevistas semiestruturadas gravadas e transcritas, diário de campo, acervo fotográfico e documentário com 23 grupos familiares, em quatro comunidades de Planalto, BA, no período entre 2012 e 2013. Os dados contêm informações sobre as condições de trabalho e as experiências educativas vivenciadas no dia a dia de trabalho dos sujeitos das comunidades estudadas e as narrativas dos moradores, especialmente as mulheres, sobre a escola. Esses dados serviram de fonte primária da pesquisa “A centralidade do trabalho e da educação nas histórias de vida de mulheres e homens em comunidades rurais”, realizada no período de 2014 a 2016 e financiada pelo CNPq. Nas conclusões dessa última pesquisa e na articulação com os estudos desenvolvidos por Lia Tiriba, consideramos que os sujeitos de comunidades rurais estabelecem um modo de vida vinculado à natureza, mantêm as tradições no estabelecimento das relações de troca com os vizinhos, nos laços de solidariedade implementados nos projetos coletivos de produção associada, com o objetivo de garantir a reprodução ampliada da vida. Contraditoriamente, submetem-se a formas desumanas de trabalho impostas pelo capital e à negação do direito ao saber escolar. A negação do direito de frequentar ou de permanecer em uma escola está presente nos depoimentos dos trabalhadores e trabalhadoras. As narrativas das mulheres e dos homens mostram que eles passaram por experiências educativas em outros espaços de aprendizagem. Em que pesem essas afirmativas, insistimos em chamar atenção para a importância da mediação dessas experiências com a escola. É condição fundamental para essa gente o acesso aos conhecimentos sistematizados pela humanidade, uma forma de ela expressar os seus saberes de modo elaborado e de acordo com os seus interesses, conforme nos ensina o professor Dermeval Saviani. Algumas questões despontaram dessas discussões: Como se configurou a escola na história de vida de trabalhadores e trabalhadoras de comunidades tradicionais rurais? Em que medida a escola incorpora os saberes adquiridos nos processos de produção da vida social desses trabalhadores? Quais fundamentos históricos explicam a negação do direito ao saber escolar? Para responder a essas questões buscaremos analisar de que maneira a escola se entrelaça com os processos de produção da vida social de trabalhadores e trabalhadoras de comunidades tradicionais rurais, no que diz respeito à incorporação de saberes não escolares construídos por meio de experiências educativas em torno da terra, da família e do trabalho. Para tanto, usaremos as referências empíricas da pesquisa de campo realizadas nas comunidades de Planalto, Bahia, uma vez que a riqueza desses documentos ainda pode ser servir de fonte para outros estudos. Pretendemos nos apropriar dos relatos dos trabalhadores sobre as dificuldades em torno do acesso e permanência na escola. As fontes de dados empíricos também serão constituídas por meio de investigação nos grupos familiares das comunidades de Campinhos e Simão (Vitória da Conquista - BA) e do Povoado do Periperi (Belo Campo-BA), por meio do desenvolvimento de pesquisa articulada com o projeto de doutorado de Marisa Santos Oliveira. Faremos observações participantes, produziremos fotografias e entrevistas semiestruturadas com grupos familiares dessas comunidades. A relevância científica da proposta consiste em demonstrar as contradições entre o grande valor que as famílias das comunidades estudadas atribuem à escola, as possibilidades de acesso e permanência e a inter-relação dos saberes escolares e saberes não escolares.
  • Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Gretel Echazú Böschemeier

Ciências Humanas

Antropologia
  • boas práticas sobre a covid-19 no rio grande do norte, paraíba e ceará: tradução e elaboração de materiais nos territórios
  • Nesse projeto propomos um diálogo entre saberes com comunidades locais a partir do olhar da saúde coletiva, a antropologia interseccional e os processos de tradução cultural. Com o intuito de pensar de forma conjunta processos sócio-sanitários e políticas públicas e de controle relativos à pandemia e pós-pandemia da COVID-19, realizaremos pesquisa de intervenção, participativa e inclusiva, visando à sistematização de saberes científicos, técnicos, da experiência e da tradição em diálogo. Nesse intuito, trabalharemos estratégias de educação popular e comunicação em saúde para a formação de multiplicadores(as) em sete comunidades do Rio Grande do Norte, Paraíba e Ceará. Para tal finalidade, formaremos um corpus de textos estratégicos composto por atualizações técnico-científicas, registros de políticas sócio-sanitárias e experiências de sucesso de base comunitária que tiveram lugar em outras latitudes globais e que foram escritos em inglês, francês e/ou espanhol. Depois de traduzidos, os conteúdos serão adaptados a várias linguagens da comunicação popular (gráficos, contos, vídeos) e compartilhados com as comunidades através de um trabalho em rede com suas lideranças. Por sua vez, elas estimularão a construção de novos materiais de primeira mão (diários, mapas, fotografias, mini relatos em vídeo, áudios) que serão sistematizados em registros de diversas naturezas (folhetos, protocolos, manuais, cordéis, cartazes institucionais, podcasts, entre outros) os quais serão colocados para circular dentro e entre comunidades e territórios. Os entrelaçamentos entre olhares diversos sobre o mundo, ciência, técnicas, tecnologias e práticas sociais permitirão a todos(as) agentes envolvidos(as) pensar em “boas práticas” em autocuidado e cuidado comunitário face à uma realidade global urgente. Consideramos que os lugares comunitários são, por excelência, aqueles que possuem as respostas mais criativas, resilientes e resistentes frente à progressiva crise pandêmica e suas consequências, incluindo a possível emergência de outras síndromes respiratórias agudas. Por sua vez, consideramos que um trabalho comunitário de base tem potência para contribuir na diminuição da crescente pressão sobre as instituições e pessoal do Sistema Público de Saúde, preservando as taxas de ocupação de leitos no sistema e ampliando a educação em saúde para fora dos espaços institucionais. São sete as comunidades-territórios que fazem parte da presente proposta: o Movimento de Pessoas em Situação de Rua e Jovens da Periferia Urbana de Natal organizados na Rede Emancipa - ambos grupos de Natal -, a rede de pescadores(as) Mangue Mar, a comunidade indígena do Amarelão - de João Câmara -, a Associação Comunitária Reciclando para a Vida - de Mossoró -, todos em Rio Grande do Norte, a Comunidade Cigana Calon da Paraíba e a Federação Indígena do Ceará. Os materiais traduzidos e adequados segundo as necessidades das comunidades serão disparadores para a criação de registros locais enraizados nos saberes e práticas de cada comunidade local. Nossa proposta observa a necessidade de produzir novas "caixas de ferramentas" para a produção de conhecimento e “boas práticas” sócio-sanitárias, levando em conta a implicação dos sujeitos – individuais e comunitário-territoriais nos processos de produção e análise. Espera-se que o projeto impacte em e entre comunidades locais, facilitando não somente o acesso mas também a própria construção de informações confiáveis ajustadas às realidades de cada comunidade e território, bem como seu alcance em outros contextos de âmbito nacional e global. Nota importante: Anexos I, II e II com materiais relativos aos projetos de tradução e encontro de saberes em curso não foram anexados por motivos de espaço mas se encontram disponíveis para avaliação.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 16/07/2020-15/08/2022
Foto de perfil

Ana Heloisa Maia

Ciências Agrárias

Agronomia
  • núcleo de estudos, pesquisa e extensão em agroecologia (nepea) da unemat nova xavantina: transformando as bases produtivas no vale do araguaia a partir da construção do conhecimento agroecológico
  • Experiências mostram que os sistemas de produção agroecológica têm grande potencial de responder às necessidades de produção, alimentação da família e participação no mercado, sem provocar danos ambientais. Entretanto, ainda são incipientes os incentivos a produção agroecológica na região do Vale do Araguaia, e em muitos casos o agricultor se sente desmotivado em buscar iniciativas voltadas para o desenvolvimento de práticas alternativas nos estabelecimentos, principalmente em função da falta de assistência técnica. Neste aspecto, a criação do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão (NEPEA) da UNEMAT Nova Xavantina, torna-se fundamental para promover ações que valorizem a agricultura familiar e os aspectos inerentes ao processo produtivo com vistas a promoção do desenvolvimento rural local/regional. Assim, visa-se contribuir com as trocas de experiências e a promoção do diálogo entre pesquisadores, acadêmicos e agricultores com o intuito de expandir o conhecimento a partir da democratização dos saberes, sob enfoque interdisciplinar e interinstitucional aproximando as discussões da realidade social dos atores envolvidos.
  • Universidade do Estado de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 01/08/2017-30/11/2021
Foto de perfil

Ana Heloisa Maia

Ciências Agrárias

Agronomia
  • transformando as bases produtivas a partir da construção do conhecimento agroecológico no vale do araguaia-mt
  • Experiências mostram que os sistemas de produção agroecológica têm grande potencial de responder às necessidades de produção, alimentação da família e participação no mercado, sem provocar danos ambientais. Entretanto, ainda são incipientes os incentivos a produção agroecológica na região do Vale do Araguaia - MT, e em muitos casos o agricultor se sente desmotivado em buscar iniciativas voltadas para o desenvolvimento de práticas alternativas nos estabelecimentos, principalmente em função da falta de assistência técnica. Neste aspecto, torna-se fundamental para promover ações que valorizem a agricultura familiar e os aspectos inerentes ao processo produtivo com vistas a promoção do desenvolvimento rural local/regional. Assim, visa-se contribuir com as trocas de experiências e a promoção do diálogo entre pesquisadores, acadêmicos e agricultores com o intuito de expandir o conhecimento a partir da democratização dos saberes, sob enfoque interdisciplinar e interinstitucional aproximando as discussões da realidade social dos atores envolvidos.
  • Universidade do Estado de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Heloneida de Araujo Morais

Ciências da Saúde

Nutrição
  • eficiência, estabilidade e efeito anti-inflamatório do inibidor de tripsina sacietogênico da semente de tamarindo (tamarindus indica l.) nanoencapsulado aplicado sobre cultura de células intestinais e modelo experimental de obesidade
  • A obesidade é um problema mundial de alta prevalência, sendo considerada uma doença inflamatória. Altas concentrações de citocinas inflamatorias secretadas pelo tecido adiposo, como o TNF-α, resultam em numerosos efeitos metabólicos e fisiológicos, a exemplo das alterações na barreira intestinal, causando disfunção e aumento da permeabilidade, o que está associado a uma série de doenças. Assim, compostos sacietogênicos e também anti-inflamatórios, que reduzam as concentrações de TNF-α, como é o caso de proteínas bioativas isoladas da semente de tamarindo (Tamarindus indica L.), poderiam impactar positivamente sobre o ganho de peso e inflamação, respectivamente, inclusive protegendo a integridade da barreira intestinal. Frente à importância dessa temática e para investigar tal hipótese, será estudado o efeito do inibidor de tripsina de tamarindo (ITT) nanoencapsulado em quitosana e proteína do soro do leite (ECW) sobre a saciedade em modelo experimental de obesidade e a integridade e funcionalidade da barreira intestinal em cultura de célula Cacao2. O ITT será obtido da farinha oriunda do processamento da semente do tamarindo e o ECW pela técnica de nanoprecipitação e analisado quanto as suas características físicas, químicas, eficiência de encapsulação, cinética de liberação e estabilidade ao trato gastrointestinal. Ademais, os seus efeitos serão estudados em ratos Wistar com obesidade induzida por dieta de alto índice glicêmico e alta carga glicêmica (HGLI). Esses animais serão alimentados com a dieta HGLI + 1 mL de ECW por gavagem, na concentração de 12.5 mg/kg de peso corporal, por 10 dias, após os quais serão comparados com grupos sem tratamento e a um grupo controle eutrófico alimentado com dieta padrão Labina® + 1 mL de água por gavagem. Os parâmetros estudados serão: consumo alimentar; estado nutricional; esterologia do adipócito; secreção de CCK; concentração plasmática, imunohistoquímica e expressão de mRNA de TNF-α. Além disso, serão feitos ensaios in vitro em células Caco-2 tratadas com ECW e avaliadas quanto à secreção de CCK e análise da estabilidade no trato gastrointestinal e mucoadesividade por fluorescência com derivados de fluoresceína. Espera-se que o ECW apresente efeito sacietogênico e anti-inflamatório, amentando as concentrações plasmáticas de CCK e reduzindo de TNF-α e, consequentemente, resultados positivos sobre a morfologia e esterologia do adipócito de ratos com obesidade e ainda, apresente estabilidade no trato gastrointestinal e mucoadesividade as células intestinais. Essa é uma abordagem inédita do ECW, sendo importante para embasar uma possível aplicação terapêutica dessa molécula e consolidá-la como um produto inovador.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Karina Bezerra Pinheiro

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • vulnerabilidades ao hiv da população lgbt e mulheres em situação de rua e em privação de liberdade
  • A vulnerabilidade se diferencia do risco, pois, ao passo que, esse demonstra quais as chances de adoecimento de um indivíduo ou população, a vulnerabilidade evidencia possíveis fatores de adoecimento, de não adoecimento e as formas de enfrentá-lo. Na área da saúde, vulnerabilidade tem uma maior relação com algumas populações específicas, tais como pessoas em situação de rua, mulheres, população LGBT, população encarcerada e pessoas com HIV/Aids. Diante do exposto, percebe-se que a compreensão das vulnerabilidades de mulheres e da população LGBT em situação de rua e nos presídios ao HIV, torna-se relevante para o planejamento e desenvolvimento de ações de melhoria contínua da qualidade da assistência, superação das barreiras de acesso às instituições de saúde e ações concretas para o redirecionamento dos serviços de atenção à saúde. Objetiva-se analisar as vulnerabilidades pessoais, sociais e programáticas para o HIV de mulheres e da população LGBT em situação de rua e em privação de liberdade. Trata-se de estudo de multimétodos composto por dois subprojetos de pesquisa: (1) Vulnerabilidades pessoais, sociais e programáticas ao HIV de mulheres e população LGBT em situação de rua; (2) Vulnerabilidades pessoais, sociais e programáticas ao HIV de mulheres e população LGBT em privação de liberdade. O recrutamento da amostra acontecerá nos dois centros de referência para população em situação de rua de Fortaleza e em duas unidades prisionais na zona metropolitana do município. Serão coletados dados quantitativos relativos aos fatores de vulnerabilidade e qualitativos relacionados às percepções de risco e significados atribuídos ao HIV. O programa SPSS será utilizado para construção do banco de dados e tratamento estatístico dos dados quantitativos. A primeira fase da análise estatística consistirá na realização de componentes descritivos, por meio dos cálculos das frequências, de medidas de tendência central e de medidas de dispersão. Para as medidas de tendência central, será realizado o teste de Kolmogorov-Smirnov, a fim de identificar a normalidade de distribuição dos dados. Para as inferências estatísticas serão investigadas associações entre as variáveis dependentes e independentes do estudo. Será realizada análise bivariada usando o teste qui-quadrado de Pearson, com adoção do nível de significância menor que 0,05. A análise comparativa das médias será realizada pelo ANOVA e pelo teste t de Student. Posteriormente, os resultados serão apresentados na forma de tabelas ilustrativas, categorizados segundo as sessões do instrumento. A análise dos dados qualitativos se dará a partir da análise de conteúdo utilizando o Software IRAMUTEQ (Interface de R pour analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionneires). Os resultados serão discutidos conforme a literatura pertinente e o conceito de vulnerabilidade. Este estudo respeitará os princípios éticos e legais no Brasil de acordo com o Conselho Nacional de Saúde (CNS) e será submetido à avaliação do Comitê de Ética e Pesquisa (CEP) com base na Resolução 466/12.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 02/01/2020-31/01/2023
Foto de perfil

Ana Karina Teixeira da Cunha França

Ciências da Saúde

Nutrição
  • avaliação da implementação da estratégia de fortificação da alimentação infantil com micronutrientes em pó – nutrisus em creches públicas: um estudo multicêntrico.
  • A infância é uma fase da vida de intensas transformações. Durante os primeiros anos de vida, ocorrem inúmeros processos físicos, motores e neuropsíquicos responsáveis pelo pleno crescimento e desenvolvimento das crianças. Condições ambientais favoráveis e alimentação adequada estão diretamente relacionadas às condições de vida e nutrição das crianças, especialmente das menores de cinco anos de idade, as quais estão mais suscetíveis ao surgimento de carências nutricionais. Dentre estas carências, destaca-se a anemia, especialmente nas crianças menores de cinco anos de idade, tendo em vista o elevado requerimento de ferro para o crescimento acentuado nessa faixa etária, assim como naquelas nascidas em famílias em situação de vulnerabilidade socioeconômica. Não obstante, diversas outras carências nutricionais de micronutrientes podem surgir nesse grupo e provocar efeitos deletérios à saúde. Dessa forma, o Ministério da Saúde do Brasil, a fim de prevenir e controlar as carências nutricionais na infância tem desenvolvido algumas estratégias em âmbito nacional, dentre as quais se destaca a Estratégia Nacional de Fortificação da Alimentação Infantil com Micronutrientes em Pó (NutriSUS), de 2014, que consiste na adição de micronutrientes em pó à alimentação das crianças de seis a 48 meses de idade nas creches públicas que aderiram ao Programa Saúde na Escola. Como a sua execução está relativamente recente e os estudos de avaliação da sua efetividade são escassos e pontuais, faz-se necessário uma avaliação de seu funcionamento desde a distribuição pelo Ministério da Saúde até o destinatário final. Assim, o objetivo desta pesquisa é avaliar a implementação da Estratégia de Fortificação da Alimentação Infantil com Micronutrientes em Pó – NutriSUS em creches públicas nas macrorregiões brasileiras. Para tanto, será desenvolvido um estudo multicêntrico em 90 creches de 30 municípios, distribuídos equitativamente entre os cinco estados das macrorregiões do Brasil, que implementaram a Estratégia NutriSUS, incluindo a capital, um município da região metropolitana e quatro municípios do interior dos estados. Os estados participantes serão: Maranhão, Pará, Goiás, Minas Gerais e Paraná. Dois tipos de amostragem serão utilizados para diminuir o viés de seleção da amostra: a primeira etapa da seleção amostral será por conveniência, em que serão incluídas as unidades federativas e respectivas capitais de cada região brasileira participante do estudo e; a segunda etapa da amostragem para seleção do município da região metropolitana será realizada por sorteio aleatório simples, considerando a heterogeneidade socioeconômica dos municípios do interior. Um formulário semiestruturado será adotado para a coleta das informações sobre: logística e tempo de distribuição dos sachês; parcerias intersetoriais nas esferas estaduais e municipais; adesão dos pais ou responsáveis pelas crianças à Estratégia NutriSUS; aspectos higiênico sanitários do armazenamento dos sachês e do preparo da alimentação escolar; administração dos sachês na alimentação escolar e monitoramento da suplementação. O projeto será submetido à Plataforma Brasil para obtenção de aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa. Com a realização desta pesquisa, informações fidedignas e atualizadas da implementação da estratégia NutriSUS servirão para propor recomendações para contribuir com o aperfeiçoamento do seu planejamento e gestão, potencializando a suplementação das crianças e fundamentando sua possível ampliação em âmbito nacional.
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 01/01/2020-31/12/2021
Foto de perfil

Ana Karine Pereira

Ciências Humanas

Ciência Política
  • capacidades estatais para a implementação de empreendimentos de infraestrutura: um estudo dos setores de transporte e energia
  • A construção de infraestrutura no Brasil recebeu um forte aporte de recursos dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a partir de 2007. A implementação desses projetos é complexa, exigindo instrumentos de monitoramento de políticas públicas, coordenação intersetorial entre os órgãos envolvidos no planejamento e execução, sinergia do Estado com grupos sociais locais, articulação com representantes de entes subnacionais e diálogo com órgãos de controle externo. Dessa forma, a atuação do Estado no setor de infraestrutura requer robustas capacidades administrativas e relacionais. O objetivo deste trabalho, utilizando a metodologia de process-tracing e o método da diferença de Mill, é comparar dois projetos do PAC – a Usina Hidrelétrica de Belo Monte e a ferrovia Transnordestina, rastreando os mecanismos causais de fortalecimento e enfraquecimento dessas capacidades nos setores de energia e transportes. O recorte de análise recai nas fases de planejamento, implementação e operação desses empreendimentos.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Karla Silva Soares

Ciências Humanas

Psicologia
  • atitudes e comportamentos pró-ambientais em crianças: correlatos valorativos da personalidade e perspectiva de futuro
  • As discussões sobre questões ambientais permeiam tanto os contextos acadêmicos, quanto o senso comum, em que a preocupação com as mudanças climáticas, a degradação da natureza e as necessidades do planeta são analisadas por diferentes visões, principalmente quanto ao conhecimento, magnitude dos impactos e a maneira mais adequada de promoção de atitudes e comportamentos ambientalmente mais responsáveis. Por sua vez, a perspectiva do tempo é considerada uma dimensão de suma relevância na construção e compreensão do tempo psicológico, das atividades vivenciadas em termos de presente, passado e futuro, com pesquisadores reconhecendo sua relevância e influência na concepção de mundo dos indivíduos. Seguindo uma tendência de simplificação conceitual, nesta pesquisa dar-se ênfase a perspectiva de futuro, definida como a noção que alguns indivíduos possuem de pensar sobre o futuro com mais frequência, caracterizando-se como a capacidade de planejá-lo, de perceber necessidades individuais futuras e do grau de vínculo estabelecido do presente para com o passado e o futuro. Assim, visto que comportar-se de forma sustentável exige que o indivíduo focalize resultados futuros e comportamentos sustentáveis em detrimento de vantagens imediatas, considera-se importante analisar a relação entre os construtos. Ademais, as atitudes e comportamentos pró-ambientais dos indivíduos podem ser compreendidos e explicados por diferentes variáveis, dentre as quais destacam-se a personalidade e os valores humanos como seus preditores consistentes. Nesta direção, o presente projeto tem por objetivo avaliar em que medida as atitudes e comportamentos pró-ambientais de crianças são explicados pela perspectiva de futuro, valores humanos e personalidade. Especificamente, o projeto em pauta buscará avaliar os correlatos valorativos e da personalidade para com a perspectiva de futuro e atitudes e comportamentos pró-ambientais e elaborar um modelo explicativo com estas variáveis. Participarão da pesquisa um mínimo de 400 crianças, das regiões centro-oeste, nordeste e sul do Brasil, com idades entre 9 e 12 anos (masculino e feminino). Estas responderão o Questionário dos Valores Básicos - Infantil, Questionário de Cinco Fatores para Crianças, Escala de Atitudes Ambientais das Crianças, Escala de Comportamento Ambiental Responsável para Crianças e perguntas de caracterização da amostra. Os dados serão analisados com o programa Mplus, procurando conhecer em que medida e direção as variáveis se correlacionam e elaborar um modelo explicativo das atitudes e comportamentos pró-ambientais partindo da perspectiva de futuro, prioridades valorativas e personalidade. Espera-se que os resultados corroborem as hipóteses elencadas no projeto e contribuam com a construção de conhecimento sobre as temáticas em estudo.
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022