Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Carlos Augusto Sommer

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • investigação dos vulcões monogenéticos do altiplano puna, andes centrais como análogo ao vulcanismo máfico cambriano no sul do brasil
  • Os vulcões monogenéticos estão entre as morfologias vulcânicas comuns na Terra e são frequentemente associadas à campos vulcânicos e, como formas parasitas, à vulcões compostos e caldeiras. O Altiplano Puna, Andes Centrais, tem uma história geológica complexa, caracterizada pela predominância de sequências vulcânicas, destacando-se centenas de vulcões monogenéticos e fluxos de lava associados de composição básico-intermediária, de pequeno volume, com idades estimadas entre 8,7 a 0,2 Ma. Apesar da importância deste vulcanismo monogenético na evolução desta parte do terreno andino, ainda não são abundantes os trabalhos que abordem temas fundamentais e relacionadas aos parâmetros morfométricos destes vulcões e sua distribuição espacial. Em termos de analogias, a compreensão deste sistema vulcânico moderno é importante para o estudo do vulcanismo máfico Cambriano no Sul do Brasil que é estratigraficamente vinculado ao Membro Rodeio Velho da Bacia do Camaquã, com idades em torno de 535 Ma. A evolução da Bacia do Camaquã é complexa e associado a eventos pós-colisionais da orogenia Brasiliana-Panafricana. O vulcanismo Rodeio Velho evidencia uma estabilização tectônica da região, destacando-se a formação de sistemas de rifts, onde acumulam-se sedimentos flúvio-eólicos, antecedidos por um importante episódio magmático máfico. Dados preliminares sugerem a presença de antigos cones monogenéticos associados a um vulcanismo fissural. A gênese do magmatismo de ambas regiões vulcânicas também carece de informações mais detalhadas, pois de uma maneira mais complexa, eles são frequentemente associados a eventos de delaminação litosférica. O presente projeto tem como objetivos gerais a investigação da morfometria e distribuição espacial dos vulcões máficos monogenéticos da região de Antofagasta de La Sierra, Puna Austral, Argentina e o estudo petrogenético do magmatismo associado a este sistema vulcânico, como um modelo análogo ao vulcanismo Rodeio Velho da Bacia do Camaquã, no Escudo Sul-rio-grandense.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Basílio Pinheiro

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • produção e estudo de materiais moleculares funcionais
  • O desenvolvimento de materiais “inteligentes” em estado sólido que exibem biestabilidade e podem “alternar” prontamente entre dois estados quando expostos a estímulos externos, como mudanças de temperatura, iluminação e irradiação, é um dos principais desafios da moderna ciência de materiais. Isso ocorre porque tais materiais têm potencial para aplicação como sensores, processadores de sinal ou em dispositivos de armazenamento de informações. Algumas das classes mais promissoras desses materiais são os spin-crossover e os complexos apresentando tautomeria de valência, já que ambos envolvem transições eletrônicas em um único íon metálico ou dentro de um complexo molecular, sem ruptura substancial da estrutura de estado sólido. As propriedades desses materiais podem ser ajustadas através de alterações químicas e por isso, é importante compreender a relação entre os mecanismos de interação das unidades ativas e a estrutura supramolecular. O estudo proposto neste projeto será focado na produção e caracterização de tautômeros de valência contendo Cobalto, Ferro e ligantes s aptos a gerar radicais eletroativos. Neles, a geração eletroquímica de um elétron desemparelhado no ligante (radicalar) é acompanhada pela mudança de spin do centro metálico paramagnético gerando um estado fundamental acoplado. Dito de outra maneira, esses complexos apresentam interconversão do tipo ls-[Me(n+1)R(-)] <=> hs-[Me(n)R] (Me=metal, R=radical, hs=spin alto, ls=spin baixo, n=estado de oxidação) em função de estímulos externos. A variação entre os estados fundamentais não-acoplado e acoplado é o princípio básico de um interruptor molecular. A relevância deste projeto está na produção de novos materiais moleculares funcionais bem como na geração de informações para o entendimento dos mecanismos de transição entre diferentes estados. Em particular, procura-se entender os fatores que levam (i) ao controle da estabilidade térmica e fotoquímica de redox isômeros metaestáveis; (ii) ao entendimento de processos de relaxação controlados e tempos de vida longos para espécies fotoinduzidas; (iii) ao alto rendimento nos processos de fotoconversão de redox isômeros; e (iv) à observação de histerese magnética em temperaturas mais próximas da temperatura ambiente. Portanto, o desenvolvimento do presente projeto pode contribuir com informações relevantes para a engenharia de cristais visando construção de dispositivos moleculares.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Benedito de Campos Martins

Ciências Humanas

Sociologia
  • construção social de um novo modelo de ensino superior em tempos de globalização.
  • A partir das últimas décadas do século passado, o ensino superior e as universidades vêm passando por importantes transformações no contexto internacional, de tal forma que determinadas características com as quais foram identificadas ao longo de sua trajetória histórica alterou-se de forma significativa. De modo geral, tem-se atribuído às universidades uma crescente dimensão utilitária, ou seja, a expectativa de que elas exerçam um papel proeminente no processo de competitividade econômica e tecnológica entre os países. A pesquisa Construção social de um Novo Modelo de Ensino Superior em tempos de Globalização parte do pressuposto que no contexto da globalização está surgindo a elaboração de concepção específica de ensino superior que vem impactando a sua dinâmica no plano internacional. O projeto procura responder determinadas questões tais como: (i) que elementos concretos indicam a emergência de um novo modelo de ensino superior nos dias correntes?; (ii) em caso afirmativo, quais são as características que configuram este modelo específico de ensino superior?; (iii) quais são os atores institucionais e individuais que têm participado direta e/ou indiretamente na sua construção?; (iv) através de que mecanismos este modelo tem se disseminado no plano internacional?; (v) como este modelo tem sido implantado em determinados países?
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Candido da Silva Cyrne

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • leite orgânico no rio grande do sul - brasil, e na galícia - espanha: um olhar sobre os sistemas de produção e consumo
  • No Brasil, desde o fim dos anos 1950, no agronegócio o avanço tecnológico tem sido intenso, repercutindo em saltos nos índices de produtividade agropecuária, tendo sido desenvolvida uma nova visão da agricultura: o agribusiness. Neste contexto tem-se realizado estudos e análises das diferentes cadeias produtivas agroindustriais o que, longe de constituir novidade, permanece importante tendo em vista o impacto econômico, social e ambiental que representam. A atenção desta pesquisa será a cadeia do leite orgânico no Rio Grande do Sul e na Espanha, mais especificamente na Galícia, por ser a região de maior produção neste país e que pode servir de ponto de partida para ações a serem propostas no estado. A demanda por produtos de qualidade e livres de químicos vem crescendo nos últimos 10 anos, pois a visão de que os orgânicos são mais saudáveis tem favorecido o crescimento deste nicho de mercado, o que dentro deste contexto, justifica a investigação que se propõe, sendo que a problemática da pesquisa pode ser assim definida: que ações podem ser propostas para a expansão da produção de leite orgânico e seus derivados no Estado do Rio Grande do Sul a partir da experiência da Galícia - Espanha? Como objetivo maior tem-se: Analisar, de forma sistêmica e ambientalmente orientada, a cadeia produtiva de leite orgânico no Rio Grande do Sul - Brasil, e na Galícia - Espanha com a finalidade de propor ações que viabilizem a expansão da produção de leite orgânico e seus derivados no Rio Grande do Sul. Metodologicamente a pesquisa será descritiva quanto aos fins e bibliográfica, de campo, documental aos meios. O estudo estará restrito aos produtores de leite orgânico, às indústrias de transformação e aos consumidores de leite orgânico e seus derivados no Rio Grande do Sul e na Galícia. Quanto aos meios para a coleta de dados será realizada uma pesquisa bibliográfica, documental e de campo junto aos produtores, a indústria e aos consumidores de leite orgânico e seus derivados no Brasil e na Galícia. Para tanto, serão realizadas visitas in loco para a realização de entrevistas bem como serão utilizados questionários para ir ao encontro dos consumidores. Ao final da pesquisa espera-se viabilizar propostas de ações que permitam a mobilização de produtores para a produção de leite orgânico, bem como a constituição de um grupo de pesquisas sobre a produção de alimentos orgânicos na Universidade do Vale do Taquari – Univates.
  • Universidade do Vale do Taquari - UNIVATES - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Carlos Cesar Bof Bufon

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • fabricação e caracterização de heterojunções moleculares baseadas em nanomembranas
  • A investigação dos mecanismos de transporte e injeção de carga em dispositivos moleculares está intimamente ligada à conexão de moléculas com o mundo macroscópico através de eletrodos, formando junções moleculares. Neste contexto, a natureza desordenada dos conjuntos moleculares, mesmo que ultrafinos (< 10 nm), pode comprometer a integridade da junção de transporte. Em sua grande maioria, os métodos convencionais de deposição de eletrodos acarretam, de maneira imprecisa, (i) danos na superfície da camada molecular, (ii) curto-circuito devido ao contato direto entre eletrodos superiores e inferiores, (iii) danos estruturais ao conjunto molecular devido à penetração de material depositado, (iv) encurtamento do canal de transporte e perda de controle na espessura da junção e (v) migração de aglomerados de material do eletrodo para o interior da junção. Tais peculiaridades dificultam a investigação do transporte eletrônico devido à danos permanentes nas junções, bem como levar a medição de artefatos de condutância já que, na nanoescala, o transporte eletrônico depende exponencialmente da distância entre os eletrodos. Deste modo, a investigação das propriedades magnetoeletrônicas de conjuntos moleculares ultrafinos passa necessariamente pelo desenvolvimento de processos de fabricação que garantam formas efetivas e confiáveis de se estabelecer contatos elétricos a nanomateriais de natureza delicada. Ainda, tendo em vista aplicações em dispositivos funcionais e sensores, faz-se necessária a utilização de uma plataforma versátil e completamente integrável aos processos convencionais de micro/nanofabricação (tecnologias do tipo top-down, como é o caso da miniaturização). O estado da arte da eletrônica baseada em conjuntos moleculares evidencia a superação de tais desafios através de estratégias que se utilizam de nanomembranas (NMs) para compor, de maneira integrada, junções moleculares de transporte eletrônico. É crescente o número de publicações científicas que utilizam junções baseadas em NMs para investigações que envolvem o transporte de carga e também aplicações. Nestas junções, de maneira representativa, a NM toca o conjunto molecular de forma análoga a de uma bandeira que, na macroescala, toca as mãos de uma multidão em um jogo de futebol. Na analogia, o solo faz o papel de eletrodo inferior (finger electrode), a multidão faz o papel de conjunto molecular e a bandeira, ao tocar suavemente a multidão, simula o eletrodo superior (nanomembrane-based top electrode). Portanto, além de promover um contato suave e não invasivo às mãos heterogêneas da multidão, a bandeira dificilmente tocará o chão assim como a junção de transporte na nanoescala estará prevenida de eventuais curtos circuitos elétricos. Em junção baseada em NM é formada por um par de eletrodos separados por um conjunto molecular. Neste tipo de estrutura, o eletrodo baseado em NM contorna as irregularidades intrínsecas do conjunto molecular e preserva a integridade das estruturas de interesse. Contudo, apesar da eficácia da plataforma de junção baseada em NM na caracterização elétrica de nanomateriais, um aspecto ainda em debate pela comunidade científica trata justamente da correlação entre a geometria da plataforma e a resposta elétrica exibida pelas junções moleculares: existiria uma plataforma de dispositivo para eletrônica molecular capaz de traduzir de maneira quantitativa a área geométrica de contato em área efetiva de injeção de corrente elétrica? Apesar de não haver correspondência direta entre a área de contato e a área efetiva de injeção na nanoescala, a plataforma de junção baseada em NM já demonstrou um grande potencial para fornecer à questão em aberto uma resposta afirmativa. Assim este projeto se propõe a investigar a mecânica de contato envolvida na formação de nanodispositivos híbridos baseados em conjuntos moleculares e NMs e suas consequências para o magnetotransporte.
  • Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Cesar Crestani

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • estudo da participação da neurotrasmissão crférgica no hipotálamo lateral no controle das respostas cardiovasculares e comportamentais ao estresse em ratos
  • Estudos em humanos e animais têm fornecido evidências que correlacionam o estresse com o desenvolvimento de diversas complicações cardiovasculares e transtornos psiquiátricos, como a ansiedade e a depressão. Apesar da relevância desses achados, os mecanismos neurobiológicos relacionados com as alterações cardiovasculares e comportamentais induzidas pelo estresse ainda são pouco compreendidos. O hipotálamo lateral (HL) é uma importante área hipotalâmica que vem sendo implicada na integração das respostas fisiológicas e comportamentais ao estresse. De fato, foi demonstrado o envolvimento do HL nas respostas cardiovasculares ao estresse, e no controle de respostas comportamentais relacionadas à ansiedade e depressão. Entretanto, os mecanismos neuroquímicos locais envolvidos no controle dessas respostas pelo HL ainda são pouco compreendidos. A neutransmissão do fator liberador de corticotropina (do inglês, CRF) vem sendo demonstrada ser um importante mecanismo no sistema nervoso central envolvida na etiologia das alterações comportamentais e nos ajustes fisiológicos induzidos pela exposição a situações aversivas. Dados também evidenciaram que a exposição a protocolos de estresse crônico afeta a expressão dos receptores CRFérgicos, além de alterar os níveis de CRF e demais peptídeos do sistema CRFérgico (i.e., urocortinas) em regiões encefálicas envolvidas no controle das respostas ao estresse. A expressão de receptores CRF1 e CRF2, bem como de componentes do sistema CRFérgico (por exemplo, CRF e urucortina 1 e 3) foram identificadas no HL. Além disso, foi reportado que a microinjeção de CRF no HL promove alterações em parâmetros cardiovasculares e comportamentais em animais não-estressados. Entretanto, um possível envolvimento da neurotransmissão CRFérgica no HL nas respostas cardiovasculares e comportamentais induzidas pelo estresse nunca foi investigado. Desse modo, nossa proposta no presente estudo é: 1) investigar o envolvimento da neurotransmissão CRFérgica no HL nas respostas autonômicas, cardiovasculares e ansiogênica induzidas por uma sessão aguda de estresse de restrição em ratos; 2) avaliar o efeito da exposição repetida prévia ao estresse de restrição no controle das respostas autonômicas, cardiovasculares e ansiogênica a esse estressor pela neurotransmissão “CRFérgica” no HL em ratos; 3) investigar o envolvimento da neurotramissão “CRFérgica” no HL nas alterações na atividade autonômica, nos parâmetros cardiovasculares basais e na atividade do barorreflexo, bem como na resposta comportamental anedônica, induzidas pela exposição a um protocolo de estrese crônico variável em ratos; e 4) avaliar o efeito da exposição repetida ao estresse de restrição ou a um protocolo de estresse crônico variável sobre os níveis proteicos dos receptores CRF1 e CRF2, bem como dos peptídeos CRF, urocortina 1 e urocortina 3, no HL de ratos.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Cesar Santejo Saiani

Ciências Sociais Aplicadas

Economia
  • efeitos da descentralização, privatização e regras fiscais nos municípios brasileiros
  • A pesquisa proposta pretende colaborar para o debate sobre finanças públicas, especificamente para os municípios brasileiros. Os objetivos são: i) avaliar se as despesas e o esforço fiscal dos municípios brasileiros são influenciados pela descentralização política, utilizando como proxy as criações de municípios; ii) avaliar como a privatização de serviços públicos (serviços de saneamento básico) afetam a composição dos gastos e o esforço fiscal dos municípios; iii) identificar quais despesas públicas geram crescimento nos municípios, ou seja, são “produtivas” e se existe um nível a partir do qual se tornam “improdutivas” (ou o contrário); e iv) averiguar se o limite de despesas com pessoal da Lei de Responsabilidade Fiscal “acertou”, ou seja, se limitou um gasto que é relativamente “improdutivo” ou que pode se tornar se feito em demasia.
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Costa

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • as características relacionais do trabalho e o bem-estar dos professores da educação básica
  • O contexto do trabalho dos professores envolve estruturas relacionais enriquecedoras, pautadas nas relações que estabelecem com seus alunos e na tarefa de ensinar, com reflexos tanto na vida de um quanto na do outro. As oportunidades que os trabalhadores têm no sentido de contatarem e contribuírem positivamente na vida dos beneficiários do seu trabalho constituem as Características Relacionais do Trabalho (CRT), sendo relevante estudar como as CRT podem constituir-se em uma fonte de bem-estar para os professores das escolas de educação básica, já que se encontram relacionadas a indicadores como o engajamento e o burnout. Este estudo longitudinal objetiva analisar a relação existente entre as características relacionais do trabalho (CRT), job crafting, autoeficácia e os indicadores de bem-estar em uma população de professores de escolas de educação básica no Brasil. Pretende-se identificar como aspectos ligados ao envolvimento, à motivação e ao sofrimento no trabalho dos professores estão ligados às características de relação que estes desenvolvem com os alunos. Os dados para este estudo serão coletados em dois momentos, uma parte por meio do uso de questionários impressos do tipo survey, distribuídos aos participantes em reuniões de professores, previamente agendadas com as escolas e, no segundo momento, por meio de um aplicativo on-line acessado pelos participantes também em reuniões previamente agendadas com as escolas. A análise dos dados dar-se-á através de tratamento estatístico descritivo e inferencial pelo programa MPlus Versão 8.1. Espera-se, como resultados, compreender as vivências dos professores no que tange ao seu trabalho e ao seu bem-estar e fornecer informações para as escolas e entidades vinculadas á educação que auxiliem no desenvolvimento de políticas e ações para garantir a saúde e o bem-estar dos professores.
  • Faculdade Meridional - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos De Marqui Junior

Engenharias

Engenharia Mecânica
  • metamateriais avançados utilizando materiais inteligentes
  • Metamateriais pertencem a uma classe de materiais projetados para exibir propriedades que não ocorrem naturalmente ou não são obtidas de seus materiais constituintes. Os metamateriais elásticos / acústicos podem controlar propagação de ondas elásticas devida a presença de bandgaps, que são o resultado de espalhamento de onda em zonas de variação periódica de impedância (espalhamento de Bragg) ou são geradas por unidades ressonantes. Embora o uso de materiais inteligentes tenha sido explorado por diferentes grupos de pesquisa para obter metarestruturas lineares piezelétricas ressonantes, o desenvolvimento de estruturas inteligentes com características adaptativas ainda merece esforços significativos de pesquisa. Portanto, o objetivo desta proposta é apresentar modelagem, validada experimentalmente, de estruturas inteligentes adaptativas, explorando materiais piezelétricos combinados com circuitos shunts lineares e não-lineares, bem como os diferentes efeitos de ligas com memória de forma. No primeiro caso (piezeletricidade), diferentes tipos de não-linearidades serão adicionadas ao domínio elétrico do problema (não-linearidades polinomiais, energy sinks, densidade de massa negativa e rigidez) para obter atenuação de vibrações em vários modos de vibrar. Circuitos não-lineares analógicos e shunt digitais serão desenvolvidos para obter bandgap adaptativo e também estruturas periódicas que atuam como filtros de ondas, além de quebra de simetria de propagação de ondas. No segundo caso, os metamateriais sintonizáveis serão obtidos pela exploração da temperatura de ativação das molas da SMA e também da pseudoelasticidade. O conteúdo da presente proposta está de acordo com a experiência anterior do Laboratório de Aeroelasticidade e Estruturas Inteligentes (LASS) do EESC USP em colaboração com o Laboratório de Estruturas Inteligentes e Sistemas Dinâmicos (SSDSL) do Georgia Institute of Technology.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Delfin Chávez Olórtegui

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • uso de antígeno recombinante multiepitópico e cultura de células na produção e avaliação pré-clínica de antivenenos contra aranhas do género loxosceles
  •          A proposta intitulada “Uso de antígeno recombinante multiepitópico e cultura de células na produção e avaliação pré-clínica de antivenenos contra aranhas do género Loxosceles” é coordenada pelo Prof. Dr. Carlos Chávez Olórtegui, vinculado ao Departamento de Bioquímica e Imunologia do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais. Seu principal objetivo é utilizar avanços biotecnológicos desenvolvidos ao longo dos últimos 20 anos na produção de antivenenos para tratamento do envenenamento por aranhas do género Loxosceles spp. conhecidos no Brasil como “ARANHAS MARROM”. Em geral os acidentes por animais peçonhentos são reconhecidos pela Organização Mudial de Saúde (OMS) como doenças não atendidas ou negligenciadas, que afetam milhões de pessoas. Usando avanços biotecnológicos como a vacinologia reversa e engenharia genética produzimos proteínas recombinantes multiepitópicas que levan em sua constituição epitopos lineares e conformacionais  das três principais toxinas dos venenos das espécies Loxosceles intermedia e L. laeta.  Foi verificado que a nossa proteína multiepitópica presenta qualquer atividade toxica, porem mantem sua capacidade de produzir anticorpos neutralizantes em coelhos e camundongos. Neste projeto, a proteína multiepitópica será usada como antígeno na imunização de cavalos para produzir o soro policlonal equino e em camundongos para produzir anticorpos monoclonais. Por outro lado, atualmente no Brasil, durante o processo da avaliação pre-clínica ou determinação da potência neutralizante deste antiveneno equino, utiliza e realiza a eutanásia de uma enorme quantidade de animais. Neste projeto essa metodologia será substituída por ensaios in vitro como métodos alternativos ao uso de animais vivos, assim testaremos um ensaio previamente desenvolvido em cultura de células que demonstrou ser eficiente e ter correlação com os ensaios in vivo. Portanto nosso principal objetivo neste projeto será estabelecer alternativas recombinantes ao uso de venenos inteiros como antígenos na imunização de animais, preservando da biodiversidade aracnídica e  seguindo recomendações da OMS se ão usados métodos alternativos ao uso de animais vivos na determinação da potência neutralizante deste antiveneno específico. Ademais, da proposta do projeto de cunho Biotecnológico, apresenta a sua contribuição na formação de recursos humanos introduzindo alunos, nos diferentes níveis, na ciência e tecnológica.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Almeida

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • rastreamento epidemiológico e molecular da doença de chagas em área de surto no rio grande do norte, brasil
  • No nordeste brasileiro, são encontradas duas espécies de vetores da doença de Chagas autóctones e que colonizam os domicílios humanos: Triatoma pseudomaculata e T. brasiliensis. No Rio Grande do Norte (RN), esta última espécie é frequentemente encontrada com altas prevalências de infecção natural por Trypanosoma cruzi. Em 2018, um surto da doença de Chagas foi comunicado, sendo que os casos foram provenientes de quatro municípios deste estado. Os relatos dos pacientes levaram os autores a sugerirem que se tratou infecção oral causado pelo consumo de caldo de cana. Dessa forma, o presente estudo pretende (i) investigar detalhadamente a origem do surto e risco de transmissão chagásica por meio de entrevistas com a população, (ii) avaliar a infecção natural de T. cruzi nos vetores da região, (iii) desenvolver a sorologia em humanos, cães e animais silvestres. Adicionalmente, a (iv) genotipagem do parasito com marcadores de alta resolução (microssatélites) será desenvolvida em diferentes os hospedeiros (vertebrados e invertebrados), com o intuito de rastrear os genótipos que infectaram humanos ou aqueles que circulam em ambientes domiciliares. Com os resultados do rastreamento ecoepidemiológico e molecular pretende-se determinar o vetor e reservatórios de T. cruzi, bem como fatores ecoepiemiológicos que propiciaram o surto da doença de Chagas na região. Os resultados obtidos poderão avançar com o conhecimento básico sobre a epidemiologia da doença de Chagas, bem como apresentar potencial de aplicação na prevenção de novos surtos na região.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Ambrósio

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • desvendando ações terapêuticas das células progenitoras amnióticas
  • Nas últimas décadas, a medicina veterinária e terapias inovadoras teve um crescimento exponencial, usando novas ferramentas terapêutica, sejam com uso de células-tronco ou edição gênica. Neste projeto focamos os estudos em células indiferenciadas com alta capacidade de proliferação e características fetais, de origem das membranas fetais, como o âmnio. A membrana amniótica, descartado na medicina veterinária é considerada uma fonte celular excelente para obtenção de células tronco, visto que não requer procedimentos invasivos para aquisição e oferece uma quantidade significativa para estudos pré-clínicos. Atualmente, na medicina veterinária, existem poucas informações relacionadas às propriedades imunomoduladoras de membrana amniótica. Dessa forma, torna-se relevante que estas células sejam caracterizadas pela sua potencialidade, papel imunomodulador e componentes secretores, tais como vesículas extracelulares. Além disso, a medicina terapêutica está constantemente em avanço, sendo o estudo do desenvolvimento dos órgãos e suas funções moleculares estão em plena progressão. Outro ponto de estudos será focado a comunicação célula-célula através do transporte de componentes epigenéticos (microRNA e mRNA) realizado pelas vesículas extracelulares do âmnio, que são secretadas por diferentes tipos celulares, os exossomos. Temos trabalhado na criação de um banco de células-tronco de fonte animal, que poderá auxiliar diferentes centros de pesquisa na compreensão molecular e clínica e integrar essas informações. Essa é uma das propostas nesse projeto, disponibilizar um banco de células-tronco mesenquimais das membranas placentárias de diferentes fontes animais com vistas a garantir a segurança e qualidade para utilização dessas linhagens celulares, com estabelecimento de protocolos de contaminação “free”, visando a padronização e validação de procedimentos e técnicas analíticas envolvidas na fabricação de produtos de terapias celulares para uso veterinário representando um avanço importante.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Cava

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • filmes finos de perovskita com substituição parcial de átomos como solução para o problema de degradação em dispositivos fotovoltaicos
  • Materiais que convertem eficientemente a energia solar ou até reduzem o custo das células solares são considerados estratégicos para o desenvolvimento de energias limpas e renováveis. Recentemente, uma nova geração de materiais híbridos (orgânicos e inorgânicos), os chamados perovskitas, mostraram que é possível converter energia a taxas competitivas e relativamente baixo custo. Os materiais de perovskita apresentam uma estrutura cristalina de ABX3 que permite a substituição total ou parcial do átomo. Esse recurso permite uma série de combinações de átomos que podem ser usados para obter novos materiais com propriedades aprimoradas. Um aspecto negativo sobre as perovskitas é a rápida degradação quando em contato com a umidade. Este projeto procura encontrar uma solução para a degradação dos filmes finos de perovskita por umidade através da substituição parcial do átomo do material. As novas estruturas criadas por essa substituição de átomos podem apresentar uma maior hidrofobicidade do que a estrutura de perovskita regular. Consequentemente, uma estrutura hidrofóbica elevada pode levar a um dispositivo mais estável que não é afetado pelas condições ambientais. Este novo material pode ser usado em métodos de produção em grande escala para células solares, tais como rolo a rolo, promovendo assim uma redução significativa de custos na sua fabricação.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo de Farias Silva

Engenharias

Engenharia Química
  • tratamento de efluentes agropecuários potenciais por microalgas em mixotrofia: acoplando a remoção de contaminantes e produção de biomassa
  • A preocupação com as questões ambientais tem se tornado cada vez mais nítida, levando à procura por novas tecnologias limpas e sustentáveis. No que se refere à questão energética, apesar da grande produção, as demandas brasileira e mundial por combustíveis e produtos renováveis têm aumentado consideravelmente nos últimos anos, tanto pelo fator econômico quanto por questões socioambientais. As vantagens de se explorar os organismos fotossintéticos para aplicações industriais, alimentar, biocombustíveis, cosmética, fertilizantes, entre outros, está principalmente na área ambiental, são relevantes para alcançar um futuro sustentável desde que eles promovam o ciclo do carbono, ocasionando a renovação das fontes de carbono. No cultivo de microalgas e cianobactérias, quando se utiliza gás carbônico em excesso e meios de cultura sintéticos, os principais gastos do processo estão associados a grande quantidade de água, adição de nutrientes (principalmente sais), e em alguns casos uso de iluminação artificial para evitar fotosaturação/fotoinibição, mesmo que alcançando elevada taxas de produção de biomassa. No entanto, para a valorização dessa biomassa também existem custos envolvidos, isto é, etapas de extração e conversão/recuperação da biomassa/fração da biomassa produzida.Nesse contexto, a utilização de efluentes urbanos e industriais ajudam a eliminar os custos com os nutrientes adicionados nos meios de cultura. Desse modo, a combinação entre o tratamento de efluentes, microalgas e produção de biocombustíveis e/ou biomolèeculas associadas, atualmente podem representar um importante alternativa para recuperação de nutrientes e valorização da biomassa produzida. Logo, esse projeto visa adequar efluentes potenciais alagoanos como por exemplo o soro do leite, a vinhaça, urina animal, biofertilizantes de digestão anaeróbica entre outros no cultivo de microalgas e estudar alternativas de valorização dessa classe de microorganismos. Além disso, esse projeto visa consolidar e ampliar a atuação dessa linha de pesquisa, a qual é única na Universidade Federal de Alagoas, e atuando em conjunto com quatro programas de pós-graduação: doutorados de Química e Biotecnologia e da Renorbio, e mestrados de Engenharia Química e Energia da Biomassa.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Facin Lavarda

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • efeitos cognitivos, motivacionais e do valor de realização da participação orçamentária
  • Estudos voltados ao uso de sistemas de gestão e instrumentos de controles gerenciais têm sido desenvolvidos em diferentes contextos organizacionais. Um destes instrumentos refere-se ao Orçamento Empresarial. O orçamento é um importante instrumento de controle gerencial utilizado para fins de planejamento, comunicação, motivação e avaliação de desempenho junto a gestores e unidades divisionais. Por se tratar de um instrumento utilizado para tal fim, tende a influenciar as cognições e o comportamento humano no trabalho. Apesar de sua importância no contexto gerencial, pouca atenção tem sido dada no Brasil sobre os efeitos da participação dos indivíduos nos processos orçamentários de organizações que atuam no País. Assim, o projeto de pesquisa visa estudar os efeitos cognitivos, motivacionais e do valor de realização da participação de gestores nos processos orçamentários de empresas que atuam no Brasil. Busca-se: a) identificar a configuração orçamentária adotada pelas empresas selecionadas para a realização da pesquisa; b) avaliar os níveis de participação orçamentária de seus gestores; e, c) analisar as relações entre os efeitos cognitivos, motivacionais e do valor de realização da participação desses gestores nos processos orçamentários de suas organizações. Espera-se contribuir para o desenvolvimento dos conhecimentos existentes entre as temáticas centrais abordadas neste projeto de pesquisa, fornecendo evidências consistentes dos fenômenos selecionados para a realização dos estudos. Como produtos do projeto a ser desenvolvido, espera-se a produção, apresentação e publicação de artigos em conferências e periódicos especializados da área de Contabilidade, Gestão e Negócios.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Fonseca Alves

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • investigação morfológica e imuno-histoquímica da associação entre as alterações prostáticas e testiculares em cães adultos intactos
  • O cão é o único mamífero, além do homem, que desenvolve espontaneamente a hiperplasia prostática canina (HP), a atrofia prostática e o carcinoma prostático (CP), associado com a idade, hormônios androgênicos, além das lesões pré-neoplásicas: neoplasia intraepitelial prostática (PIN) e a atrofia inflamatória proliferativa (PIA). A regulação hormonal endógena da próstata é crucial para o correto desenvolvimento e manutenção das funções fisiológicas desta glândula. Os hormônios androgênicos são produzidos principalmente nos testículos, e alterações dos níveis de testosterona (mediada por alterações testiculares) podem induzir atrofia ou hiperplasia da glândula prostática. Além disso, outras alterações prostáticas podem estar associadas com alterações dos níveis de testosterona. No entanto, poucos estudos na literatura avaliariam a associação entre as diferentes alterações prostáticas com as testiculares. Assim, a presente pesquisa tem por objetivo avaliar histologicamente a glândula prostática e os respectivos testículos de cães para identificar e associar as alterações prostáticas com as testiculares. Serão incluídos nesta pesquisa 150 cães (150 glândulas prostáticas e 300 testículos). Serão realizadas análises histológica e imuno-histoquímica para avaliação morfológica da próstata e dos testículos, bem como a avaliação da expressão do receptor de andrógeno (AR). Em 50 animais, serão avaliados os níveis de testosterona que serão correlacionados com as alterações morfológicas e expressão de AR.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Franciscato

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • agências de inovação em jornalismo: estudo de experiências no ecossistema brasileiro e desenvolvimento de modelo para interação entre universidades, empresas e atores sociais
  • O panorama contemporâneo do jornalismo atravessado por discursos de crise institucional, organizacional, mercadológica e profissional do jornalismo é o cenário em que este projeto de pesquisa foi elaborado. A partir do reconhecimento de transformações graves nos modelos jornalísticos, esta investigação direciona-se para pensar o lugar da Universidade como proponente de novos cenários, reconhecendo ser ela um agente relevante desta nova sociedade do conhecimento baseada crescentemente em tecnologias digitais da informação em rede. O objetivo é analisar as experiências de agências de inovação tecnológica, organizacional e social realizadas por universidades brasileiras, assim como as ações de incubação de projetos na área da comunicação e da cultura, com vistas a construir um modelo de agência de inovação em jornalismo que acolha, dê suporte e contribua para o desenvolvimento de projetos inovadores em jornalismo, de base tecnológica e aplicação social, buscando potencializar o surgimento de novas formas, modelos e práticas de atuação jornalística na sociedade. A pesquisa irá se realizar em duas etapas e estará sustentada em dois procedimentos: a) pesquisa exploratória nas universidades brasileiras e uma universidade portuguesa (Universidade do Minho) com o objetivo de descrever ambientes, procedimentos e ferramental teórico e logístico para desenvolvimento de ações inovativas nas universidades, atendendo-se a requisitos de ecossistema de inovação e de interações entre universidade-empresa-atores sociais; b) pesquisa aplicada no desenvolvimento de um modelo de agência de inovação em jornalismo estruturado em universidades.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Leite Ferreira

Ciências Biológicas

Ecologia
  • monitoramento de longa duração das comunidades recifais das ilhas oceânicas brasileiras
  • Os impactos antropogênicos em todo o globo, tanto em ambientes terrestres quanto aquáticos, têm causado grandes perdas em diferentes níveis de biodiversidade, afetando o funcionamento dos sistemas naturais e assim na qualidade e quantidade dos serviços ecossistêmicos providos aos seres humanos. Na busca de sistemas prístinos, as ilhas oceânicas se destacam por apresentarem os melhores indicativos de cadeias tróficas intactas quando comparado aos ecossistemas costeiros. O projeto PELD ILOC monitora a biodiversidade marinha das ilhas oceânicas brasileiras, localizadas entre 250 a 1.100km de distância da costa. Apesar do Brasil possuir mais de 8 mil quilômetros de linha de costa, nosso país tem apenas 4 ilhas oceânicas: Atol das Rocas, Arquipélago de Fernando de Noronha, Arquipélago de São Pedro e São Paulo e Arquipélago de Martim Vaz e Trindade. As ilhas oceânicas são consideradas laboratórios evolutivos únicos devido ao isolamento e altas taxas de endemismo, além disso, Fernando de Noronha tem um importante papel no turismo, graças às suas paisagens únicas. A distância dessas ilhas em relação à costa faz com que as mesmas sofram menos influência de ações humanas, como sobrepesca e poluição, e sejam considerados sítios importantes para avaliação dos efeitos de mudanças climáticas, bem como antrópicos, funcionando como referência do que foi a costa no passado. Duas das ilhas são habitadas, Fernando de Noronha e Trindade, enquanto as outras duas recebem apenas a visita de pesquisadores (Atol das Rocas e Arquipélago de São Pedro e São Paulo), apresentando contrastes diferenciados de impactos humanos. Com o objetivo de monitorar a biodiversidade marinha dessas quatro ilhas e tentar entender como as comunidades marinhas respondem às mudanças climáticas, como o aumento da temperatura do mar, o PELD ILOC realiza expedições anuais desde 2013 a cada uma dessas ilhas para avaliar a abundância de peixes e invertebrados recifais, como corais e algas, além de pesquisar outros indicadores ambientais. As informações levantadas são importantes para o entendimento das variações temporais da biodiversidade marinha brasileira, do estabelecimento de metas de manejo e conservação da biodiversidade, bem como no uso do espaço e recursos marinhos das unidades de conservação existentes e das recém-criadas. Para isso, contamos com uma rede de cerca de 80 pesquisadores de onze (11) universidades e instituições de pesquisa do Brasil. O PELD ILOC divulga as suas ações e a biodiversidade das ilhas através de palestras, exposições, redes sociais (Facebook e Instagram) e em seu website (http://peldiloc.sites.ufsc.br). A rede de pesquisa formada no PELD ILOC (www.sisbiota.ufsc.br) tem continuamente trabalhado com as agências ambientas federais para gerar políticas públicas visando a preservação da biodiversidade marinha e o ordenamento do turismo e outras atividades realizadas dentro das UCs. Nessa nova proposta, além de dar continuidade ao monitoramento da biodiversidade marinha das ilhas oceânicas brasileiras, propormos entender a influência de variáveis ambientais na biota marinha desses sítios, assim como usar os dados obtidos pelo projeto para modelar respostas futuras desses ecossistemas frente a impactos antropogênicos e mudanças climáticas, e desse modo poder fornecer subsídios importantes para os gestores das unidades de conservação.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 03/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Carlos Eduardo Leite Ferreira

Ciências Biológicas

Ecologia
  • efeito sazonal da produção planctônica e bentônica sobre a biomassa de peixes recifais no arquipélago de são pedro e são paulo.
  • Ambientes recifais tropicais provêm diversos serviços ecossistêmicos para populações humanas. Isso é possível devido à alta diversidade de organismos que compõe esses ambientes. Dentre as muitas questões ecológicas envolvendo os ambientes recifais, ainda é pouco compreendido como esses sistemas mantém essa elevada diversidade de espécies estando, geralmente, em águas com baixa produtividade primária na coluna d’água. Conhecido como “Paradoxo de Darwin”, esse é um dos questionamentos primordiais para se entender o funcionamento desses ecossistemas complexos. A cadeia de consumidores, nos recifes rasos, é sustentada por produtores fotossintetizantes em dois compartimentos. O compartimento bentônico é composto por organismos sésseis, como macroalgas, enquanto o compartimento planctônico é composto por microalgas e bactérias na coluna d’água. Devido sua importância, entender a variação de fontes de produção planctônico e bentônicas no tempo e no espaço, é vital de modo a prever impactos antrópicos e climáticos sobre o funcionamento das cadeias tróficas recifais. O grupo dos peixes é um dos mais conhecidos e explorados pelos humanos nos ambientes recifais, são elementos intrínsecos a cadeia trófica interagindo em diversos níveis tróficos de consumidores. Dentre os diferentes grupos tróficos, os peixes planctívoros são aqueles que se alimentam indiretamente do compartimento planctônico de produtores. Esses peixes planctívoros apresentam uma das maiores densidades (indivíduos / área) comparativamente com os outros grupos tróficos. Logo, servem de modelo para entender a entrada e fluxo de energia nesses ambientes. No Brasil, os ambientes recifais ocupam tanto a costa quanto ilhas oceânicas sendo uma dessas ilhas o Arquipélago de São Pedro e São Paulo. Esse arquipélago é caracterizado como o menor e com menos diversidade de espécies devido a escassa área recifal rasa e ao alto isolamento. Essas características fazem com que as funções chaves no sistema sejam realizadas por poucas espécies, caracterizando uma baixa redundância ecológica. Essas características podem tornar o sistema mais frágil a distúrbios de origem humana e climática. Neste sentido, em vista de potenciais e variados impactos antrópicos e consequente perda de espécies, é fundamental estudar processos de base da cadeia (bottom-up), analisando a proporção de contribuição de cada fonte de produção primária para a cadeia trófica recifal. A presente proposta engloba métodos multiespecíficos que visam responder três perguntas principais: 1) Qual é a contribuição sazonal da produção planctônica versus bentônica para o sistema recifal em questão? 2) Qual a relação da produção planctônica sazonal com a biomassa de peixes planctívoros recifais? 3) Existe sobreposição ou partição de nicho trófico e isotópico das espécies de peixes planctívoras? Com os dados gerados serão construídos modelos de teias tróficas capazes de responder quais são as possíveis influências de mudanças climáticas globais e antropogênicas sobre a cadeia trófica recifal desse arquipélago.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 01/01/2020-30/06/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Leite Ferreira

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • padrões latitudinais de seletividade alimentar e redundância funcional em peixes recifais herbívoros
  • O processo de herbivoria é de extrema importância nos mais diversos ecossistemas. Em ambientes recifais, peixes herbívoros são responsáveis por controlar o crescimento e a expansão de diversos tipos de algas, desde algas filamentosas que compõem a matriz de algas epilíticas, até algas típicas de estágios de sucessão mais avançados, como Sargassum. Através da sua intensa atividade alimentar, diferentes espécies de peixes removem uma grande variedade de algas dos recifes, auxiliando dessa forma a manutenção da saúde dos recifes e promovendo sua resiliência. Esse papel-chave desempenhado por peixes herbívoros se torna mais importante na medida em que mudanças climáticas globais estão ameaçando os recifes de coral ao redor do mundo promovendo eventos de branqueamento e um aumento na cobertura de algas. Entretanto, diversas espécies de peixes recifais herbívoros vêm sendo pescados de forma intensa nos últimos anos, em especial budiões (Labridae, Scarini). A soma de mudanças climáticas globais (aumento na temperatura da água do mar promovendo o aumento na frequência e intensidade dos eventos de branqueamento e acidificação dos oceanos) com impactos locais (pesca sem controle de espécies com importantes funções ecológicas) pode gerar uma enorme desestabilização nos ambientes recifais sem precedentes. Nesse cenário, torna-se vital reconhecer o papel que as diversas espécies de peixes herbívoros desempenham nos sistemas recifais de forma manejar e ordenar a pesca sobre tais espécies de forma a minimizar o impacto da pesca na funcionalidade desses ambientes. Esta proposta tem como objetivo quantificar a capacidade das assembleias de peixes recifais controlarem macroalgas, além de avaliar a seletividade alimentar de cada umas das espécies e identificar padrões de redundância funcional ao longo de um gradiente latitudinal em duas regiões biogeográficas distintas: Caribe (Curaçao) e Brasil (RN e RJ). Para isso, serão realizados experimentos de herbivoria em campo utilizando diversas macroalgas associado a filmagens remotas. As algas terão seu peso determinado antes e após os experimentos de forma a quantificar a biomassa consumida em cada ensaio e, a partir dos vídeos, será determinado quais espécies de peixes se alimentam preferencialmente de cada uma das algas. Análises de nutrientes e metabólitos secundários serão realizadas de forma a determinar os fatores que determinam os padrões de seletividade observados. A partir dessas informações será possível determinar o nível de redundância funcional das espécies de peixes herbívoros em cada um dos locais estudados e determinar os fatores que determinam essa redundância em uma ampla escala latitudinal. Os dados gerados a partir deste projeto têm como objetivo ampliar o conhecimento da ecologia dos peixes recifais herbívoros e seus variados papeis funcionais em recifes do Atlântico. Além disso, espera-se que tais informações sejam utilizadas por gestores locais para melhorar o manejo das espécies capturadas nas pescarias, principalmente tendo em vista que muitas dessas espécies apresentam variados níveis de ameaça.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Martins Torcato

Ciências Humanas

História
  • ébrios, loucos e arruaceiros: produção de saberes sobre os usos de substâncias inebriantes na imprensa nordestina (1932-1964)
  • O projeto visa compreender as práticas cotidianas e as relações interpessoais dos sujeitos que utilizavam substâncias inebriantes, assim como a produção de saberes e as ações promovidas pelos poderes públicos dos estados do Rio Grande do Norte, Ceará, Alagoas, Paraíba, Piauí, Pernambuco, Bahia, Sergipe e Maranhão para o enquadramento desses sujeitos nas normativas antidrogas. A historiografia das drogas e da alimentação ainda é recente no Brasil, concentrando-se na região sudeste e sul. Além disso, mesmo em âmbito nacional, são escassos os trabalhos científicos que abordam o período coberto por essa proposta. Os materiais de pesquisa utilizados serão: acervos digitais, mormente, os da Fundação Biblioteca Nacional, por meio da Hemeroteca Digital Brasileira; e digitalização de jornais do estado do Rio Grande do Norte via Núcleo de Documentação e Pesquisa Histórica - NUDOPH, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN. A partir desse mapeamento, será constituído um banco de dados com referências relativas à região nordeste para a produção de materiais críticos com os resultados da pesquisa a fim de incluir a região nordeste no mapa da historiografia e consolidar esse incipiente campo de pesquisa.
  • Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Mounic Silva

Ciências Agrárias

Agronomia
  • mostra de ciências e semana nacional de ciência e tecnologia do ifro/campus ariquemes – 2020: “ciência e tecnologia para o desenvolvimento sustentável do vale do jamari, amazônia ocidental, brasil”
  • Esta proposta pretende trazer ao IFRO/Campus Ariquemes o primeiro evento científico desta instituição, com a realização da I Mostra Científica do IFRO/Campus Ariquemes, que contará com a apresentação dos trabalhos científicos realizados pelos alunos dos cursos técnicos e de graduação deste Campus. Em paralelo à mostra científica ocorrerá o I Ciclo de Palestras do IFRO/Campus Ariquemes intitulado: "Ciência e Tecnologia para o desenvolvimento sustentável do Vale do Jamari, Amazônia Ocidental, Brasil”, com palestras de pesquisadores, professores e profissionais altamente qualificados externos ao IFRO/Campus Ariquemes. O evento ocorrerá entre os dias 21 e 23 de outubro de 2020, em alusão à Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), nas dependências do IFRO/Campus Ariquemes. O objetivo é trazer à comunidade da região do Vale do Jamari, uma região com IDH abaixo da média brasileira, a oportunidade de vivenciar um evento científico e aproximá-la das ações de ensino e pesquisa desenvolvidas pelo IFRO/Campus Ariquemes. A I Mostra Científica do IFRO/Campus Ariquemes terá a apresentação de 40 trabalhos científicos desenvolvidos por alunos dos cursos técnicos do Campus, tanto integrados como subsequentes. Além disso, será realizada a apresentação de 20 trabalhos científicos desenvolvidos por alunos de graduação deste Campus. Os cinco melhores trabalhos de ensino médio técnico e o melhor de graduação serão agraciados com bolsas de pesquisa de Iniciação Científica Júnior (ICJ) para ensino médio técnico e Iniciação Científica (IC) para graduação, com duração de 12 meses, a partir da implantação das bolsas. Em paralelo à I Mostra Científica do IFRO/Campus Ariquemes será realizado o I Ciclo de Palestras do IFRO/Campus Ariquemes com a presença de cinco pesquisadores e/ou profissionais externos ao IFRO/Campus Ariquemes, convidados para contribuir com as cinco temáticas de ensino técnico deste Campus, sendo elas: Agronomia; Aquicultura; Biologia; Ciências dos Alimentos e Informática. Os palestrantes serão convidados a incluir em suas palestras assuntos relacionados à temática do evento (Ciência e Tecnologia para o desenvolvimento sustentável do Vale do Jamari, Amazônia Ocidental, Brasil), trazendo abordagens que a tangencie com suas áreas de atuação. Espera-se que com estes eventos seja criada uma cultura de divulgação científica no Campus Ariquemes, trazendo uma maior aproximação da ciência com os discentes e com toda a comunidade acadêmica desta instituição. Além disso, com a implantação de seis bolsas de iniciação científica (5 ICJ + 1 IC), espera-se um aumento no número de trabalhos científicos e posteriores publicações do IFRO/Campus Ariquemes.
  • Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Rondônia - RO - Brasil
  • 31/01/2021-31/01/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Poli de Figueiredo

Ciências da Saúde

Medicina
  • universal 2018 - hipertensão na gestação e pré-eclâmpsia: aspectos clínicos e fisiopatológicos.
  • A pré-eclâmpsia(PE) é uma das complicações mais frequentes da gestação, é a principal causa de morte materna e tem impacto na taxa de prematuridade no Brasil, sendo importante problema de saúde pública. Há anos o nosso grupo tem estudado pacientes gestantes com e sem pré-eclâmpsia e avaliado vários aspectos originais desta doença buscando entender os aspectos fisiopatológicos e as suas relações com a clínica. Este projeto é uma proposta “guarda-chuva” visando seguir os estudos desta linha de pesquisa e o apoio solicitado é referente a material de consumo. Avalia diversos aspectos da pré-eclâmpsia e demais distúrbios hipertensivos da gestação, e os estudos são realizados para agregar conhecimento aos trabalhos que já fizemos a medida que são viabilizados. Esta estratégia, há anos, tem funcionado com sucesso resultando em várias publicações, projetos, colaborações internacionais e formação de recursos humanos em nível de graduação e pós-graduação. Objetivo geral: Estudar aspectos dos mecanismos fisiopatológicos da pré-eclâmpsia, avaliando o papel destes no seu diagnóstico, manifestação, etiologia e prognóstico. Objetivos específicos: Avaliar potenciais biomarcadores de hipertensão na gestação (especialmente pré-eclâmpsia). Avaliar aspectos clínicos e desfechos materno e fetais nas gestantes com hipertensão na gestação. Relacionar os aspectos fisiopatológicos com os aspectos clínicos. Métodos: Estudo de marcadores (citocinas, fosfodieterases, PlGF (placental growth fator), FullPIERS e outros eventualmente identificados ao longo do projeto. Acompanhamento clínico e identificação de evolução clínica e desfechos materno e fetais. Na parte experimental em animais avaliaremos o modelo RUPP para estudar a pré-eclâmpsia e a PRES. Metas: Produção científica através de publicações, formação de recursos humanos, e a interação com grupos nacionais e internacionais. Resultados: Os dados do nosso trabalho podem auxiliar na melhor diferenciação dos distúrbios hipertensivos (atualmente o diagnóstico é equivocado em uma significativa percentagem das pacientes). É possível que alterações nos sistemas em estudo possam servir como marcadores diagnósticos ou alvos terapêuticos nesta síndrome.
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Schaedler

Ciências Agrárias

Agronomia
  • dispersão endozoocórica de sementes de espécies daninhas resistentes a herbicidas
  • Plantas daninhas causam grandes limitações aos cultivos agrícolas mundialmente, e a principal forma de controle das espécies daninhas tem sido o método químico. O uso contínuo de herbicidas de mesmo mecanismo de ação tem selecionado biótipos de plantas daninhas resistentes aos herbicidas. A constatação da resistência de plantas daninhas traz grande preocupação, pois inviabiliza o controle químico de forma seletiva, forçando o produtor a utilizar diferentes estratégias para manejo. Uma estratégia que vem sendo adotada é o sistema integrado de produção (lavoura e pecuária), em áreas cultivadas com o arroz irrigado e também destinadas à produção animal, especialmente a bovinocultura de corte. Neste caso, os animais são mantidos na resteva da cultura no período pós-colheita, até o preparo do solo para a safra seguinte, ou durante o pousio da área. A presença dos animais na área de arroz após a colheita pode reduzir o banco de sementes de plantas daninhas presentes no solo, e/ou potencializar sua disseminação, através da chamada dispersão endozóica destas espécies. Neste sentido, o objetivo deste projeto será avaliar a dispersão endozoocórica de sementes de arroz daninho (Oryza sativa L.), capim-arroz (Echinochloa crusgalli L.) e azevém (Lolium multiflorum L.) resistentes a herbicidas. Para isso, serão conduzidos quatro estudos, a saber: Estudo 1 - Dispersão endozoocórica, germinação e controle de O. sativa e Echinochloa spp. resistentes aos herbicidas inibidores da enzima ALS; Estudo 2 - Dispersão endozoocórica, germinação e controle de L. multiflorum resistente a herbicida inibidor da enzima EPSPs; Estudo 3 - Germinação de sementes de arroz daninho, capim-arroz e azevém em função da passagem pelo trato digestivo e substrato; e Estudo 4 - Valor adaptativo de biótipos de arroz daninho, capim-arroz e azevém em função da passagem pelo trato digestivo de bovinos. Utilizar-se-á seis novilhos, mantidos em gaiolas para ensaios metabólicos devidamente alimentados e hidratados. A coleta das fezes será realizada em bolsões específico para animais. Cada animal representará uma repetição, sendo fornecida quantidade de sementes estimada em 3,5 plantas para cada novilho, e os tratamentos serão baseados em épocas de recuperação (dias). É possível que sementes de plantas daninhas sobrevivam à passagem pelo trato digestivo dos animais e, posteriormente, sejam dispersas em diferentes áreas. Sendo assim, quantificar e conhecer aspectos relacionados à dispersão de plantas daninhas por ruminantes torna-se necessário, pois a sobrevivência de sementes após passagem pelo trato digestivo dos ruminantes é fator relevante para a dinâmica populacional de plantas daninhas, em mesmas ou diferentes áreas.
  • Instituto Federal Sul-Rio-Grandense - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Soares da Cruz

Lingüística, Letras e Artes

Letras
  • escritoras portuguesas na imprensa periódica do brasil: laços transatlânticos de ação (1890-1930)
  • Trata-se de projeto de pesquisa sobre a presença de escritoras portuguesas na imprensa periódica brasileira durante a primeira onda feminista (1890-1930). Mesmo com a independência (1822) e a república (1889), as relações culturais entre Brasil e Portugal continuaram muito fortes, em parte pela chegada contínua de imigrantes lusos e também por uma presença editorial de escritores portugueses publicando livros e textos variados em jornais de mesma língua. A ascensão da presença de autoras no campo cultural ao longo do século XIX levou a uma maior participação de escritoras portuguesas na imprensa em português, sobretudo com a inserção de muitas delas em associações e lutas femininas e feministas nas primeiras décadas do século XX, mesmo daquelas não declaradas feministas. A vinda de algumas à ex-colônia para morar, trabalhar ou proferir conferências aumentou o intercâmbio entre essas escritoras e o sistema literário brasileiro. Pretende-se resgatar as obras de autoras portuguesas publicadas no Brasil, na imprensa dos imigrantes, mas não só, e também rastrear sua recepção e as redes de sociabilidade que articularam ligando intelectuais, homens e mulheres, nos dois lados do Atlântico.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Velasquez Cabrera

Engenharias

Engenharia Nuclear
  • estudos econômicos para desenvolvimento de energia nuclear e prospectiva futuras
  • A meados dos anos 50, países como Estados Unidos, Grã Bretanha, França e Rússia, começaram a usar a energia nuclear para geração de energia elétrica. Estes países tinham em comum uma grande necessidade de geração de energia elétrica para o desenvolvimento industrial e investiram nessa tecnologia para fornecer energia elétrica. Isto gerou uma necessidade da fonte de energia e o desenvolvimento de diferentes tecnologias de reatores nucleares que foi avançando nas décadas seguintes. Outros países industrializados viram uma forma de produzir energia elétrica de forma confiável e de baixa poluição perante uma demanda crescente de energia. Com a demanda crescente da energia nuclear, nas seguintes duas décadas diferentes propostas de reatores começaram a ser desenvolvidos (PWR, PHWR, BWR, RMBK, GCR, AGR e FBR) considerando a melhor eficiência térmica, a melhoria do ciclo do combustível nuclear e as dimensões, otimizando os custos de construção. A demanda de urânio cresceu, assim como, a prospecção e exploração deste recurso, bem como o domínio dos processos de conversão, enriquecimento e fabricação. Países industrializados, com pouca disponibilidade de recursos de urânio, investiram nessa tecnologia confiando no fator de capacidade das usinas nucleares serem maiores em relação a outras fontes de energia e nos preços do mercado internacional do urânio para continuar com seus programas nucleares. Países com poucos recursos como França e Reino Unido adotaram uma política de ciclo fechado do combustível, enquanto Estados Unidos e Canadáa, países com grandes recursos, optaram por um ciclo aberto. Dentro deste panorama, o Brasil possui reservas de urânio para ser autossuficiente por várias décadas, se agregada a utilização do tório e um ciclo fechado de combustível, até séculos. Neste contexto, a proposta do presente trabalho visa utilizar códigos de planejamento energético com ênfase na parte nuclear fundamentando-se na inserção de reatores nucleares dentro do planejamento energético considerando as políticas, limitações econômicas e de recursos, usando dados obtidos nas pesquisas realizadas no DEN/UFMG e criar diferentes cenários de inserção de reatores nucleares e seus respectivos ciclos de combustível viabilizando o estudo econômico de utilização dos diferentes reatores usados e os que são projetados na IV geração (GIF – Generation IV International Forum) e os aspectos do planejamento das diferentes propostas de reatores de pequeno e médio porte. Os sistemas nucleares seriam modelados no MESSAGE (The Model for Energy Supply Strategy Alternative and their General Environmental impacts), software já utilizado no departamento.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Eduardo Veloso de Almeida

Engenharias

Engenharia Nuclear
  • investigação sobre o uso da dosimetria fricke - padrão primário de dose absorvida na água em feixes de fotons de alta energia
  • A solução Fricke é um dosímetro químico que se baseia na oxidação de íons ferrosos a íons férricos após interação da radiação ionizante com a solução. A dosimetria química, com a solução Fricke, vem mostrando-se um método eficaz para contornar dificuldades clínicas e laboratoriais de dosimetria até então bem resolvidas principalmente com o uso das câmaras de ionização. Primeiramente, os resultados são obtidos com a leitura das absorbâncias após a solução Fricke ser submetida a radiação. A partir dessas leituras, obtém-se a dose na solução Fricke e em seguida, a dose absorvida em água. A fim de auxiliar a dosimetria no Brasil, o Laboratório de Ciências Radiológicas (LCR/UERJ) implementou o dosímetro Fricke com o auxílio de projetos de pesquisa. A solução é produzida no laboratório e para realização das leituras de absorbância, adquiriu-se um espectrofotômetro de alta resolução. Este projeto tem como objetivo realizar a dosimetria Fricke em diferentes áreas: clínicas, acadêmicas e aeroespacial. Desta forma, haverá um aumento da acurácia e diminuição das incertezas envolvidas na realização da grandeza dose absorvida na água gerando resultados de alta qualidade metrológica. Para garantir os resultados propostos, torna-se necessário o uso como testes em diversos feixes e energias no Rio de Janeiro, mas em diversos centros de radioterapia no Brasil. Como resultado final deste projeto, espera-se ampliar o uso do dosímetro Fricke para diferentes energias e aplicações. Este trabalho possibilita o laboratório LCR, e outros, a não mais utilizar o padrão kerma no ar, e sim, como proposto pela Agência Internacional de Energia Atômica, utilizar como padrão de dose absorvida na água. Este padrão será implementado em aplicações clínicas de terapia com fótons e elétrons, dosimetria aeroespacial e para irradiadores de sangue utilizando a dosimetria Fricke com resultados esperados de alta qualidade metrológica.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Emilio Levy

Ciências da Saúde

Medicina
  • resposta imune inata e adaptativa na persistência da infecção pulmonar por pseudomonas aeruginosa produtora de biofilme na fibrose cística
  • A Fibrose Cística (FC) é uma doença genética decorrente da ausência ou disfunção da proteína reguladora da condutância transmembrana (CFTR), levando à desidratação das secreções produzidas em órgãos epiteliais. A maior causa de morbidade e mortalidade na FC é a doença pulmonar, onde boa parte dos pacientes desenvolve infecção crônica por uma série de patógenos, sendo a Pseudomonas aeruginosa o patógeno predominante. A infecção crônica por P. aeruginosa é caracterizada pela formação de biofilme pela bactéria, conferindo-a um aspecto mucoide, protegendo-a da ação de antibióticos e de fagócitos do sistema imune. A infecção crônica é acompanhada por uma resposta exacerbada de anticorpos IgG específicos, porém, sem eliminação da infecção. Isso pode ser devido ao comprometimento da formação de memória imunológica contra o patógeno, apesar da exposição repetida aos seus antígenos. A interação entre resposta imune inata e adaptiva no contexto da infecção crônica por P. aeruginosa e o desenvolvimento de memória imunológica não são relatados na literatura especializada. Aqui, propomos estabelecer um perfil da resposta imune inata e adaptativa em diferentes grupos de pacientes com FC, classificados de acordo com seu perfil de colonização/infecção por P. aeruginosa – nunca colonizados, livres de infecção, colonização intermitente e infecção crônica. Isso ajudará a entender melhor as bases das falhas imunes na FC e, possivelmente, os mecanismos que a P. aeruginosa utiliza para evadir as respostas imunes, podendo servir de base, também, para outros casos de infecções crônicas. Tal conhecimento fornecerá, potencialmente, subsídios para o estudo de abordagens imunoterápicas na infecção pulmonar crônica da fibrose cística, visando a preservação funcional e a melhora da sobrevida. Este projeto faz parte da continuação da cooperação internacional já estabelecida entre os Grupos de Estudos em Fibrose Cística da Unicamp e do Departamento de Microbiologia Clínica, Hospital Universitário de Copenhague (Rigshospitalet), Universidade de Copenhague, Dinamarca.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Ernesto Garrido Salmon

Engenharias

Engenharia Biomédica
  • quantificação de íons paramagnéticos no cérebro humano
  • Algumas doenças neurodegenerativas têm sido associadas com um aumento na concentração de metais em regiões dos núcleos da base a partir de estudos post-mortem. Dessa forma, métodos não invasivos in vivo para quantificar esses metais e seus estados iônicos se tornam necessários para um estudo fisiológico da progressão dessas doenças. Mapas quantitativos de Ressonância Magnética têm sido propostos na literatura como novas abordagens no estudo de tais doenças por fornecerem informações quantitativas do cérebro. A técnica QSM (Quantitative Susceptibility Mapping), especificamente, mostra grande potencial no estudo in vivo por ser capaz de diferenciar sujeitos saudáveis de pacientes. Porém, as origens moleculares do mecanismo de contraste na QSM não têm sido totalmente elucidadas. A técnica espectroscópica EPR (Electron Paramagnetic Resonance) possibilita uma análise mais aprofundada do conteúdo de íons paramagnéticos em estruturas do cérebro (post-mortem), em especial sobre a molécula de ferritina. Nossos estudos preliminares com relativamente poucas amostras e em equipamento de 3T mostram altas correlações entre os valores de susceptibilidade e o conteúdo do íon Fe3+ sob a forma de ferrihidrita nucleada na ferritina. No entanto, estudos com maior número de amostras e em equipamento de campo mais alto são necessários para uma certeira validação in vitro. Neste projeto é proposta a combinação das técnicas de QSM e EPR procurando obter uma maior informação a respeito do conteúdo de metais no cérebro bem como um maior entendimento do contraste subjacente ao mapa obtido no QSM.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Carlos Ernesto Gonçalves Reynaud Schaefer

Ciências Agrárias

Agronomia
  • rede terrantar: permafrost, solos, mudanças climáticas e teleconexões na antártica e andes meridionais
  • Nos últimos cem anos do Antropoceno, a civilização humana passou a ocupar a última fronteira de ecossistemas prístinos, de elevada fragilidade: a Criosfera Antártica, maior repositório de água doce do Planeta. Desde então, a dinâmica da paisagem Antártica passou a ser influenciada por fatores complexos, dependentes das transições climáticas naturais ou induzidas pelo homem, redirecionando processos então existentes para novos cenários. A Criosfera, definida como um subsistema caracterizado pela presença de água congelada (neve, gelo ou permafrost), desempenha um papel-chave nas mudanças ambientais atuais. No PROANTAR, o grupo TERRANTAR, alcançou, na última década, um notável legado de pesquisas e publicações sobre permafrost, solos e mudanças climáticas na Antártica e nos Andes, sintonizado com os objetivos definidos pelo SCAR (programas AntClim, ANTPAS, AntECO). Uma ampla e moderna rede de monitoramento estabelecida nos últimos 12 anos, e pesquisas de ponta derivadas, vêm demostrando a importância crucial do permafrost na Antártica, componente-chave da criosfera, na regulação climática global, elevação do nível dos mares e ciclos de vida e do carbono. Criossolos armazenam cerca de 27 % do total de C orgânico estocado nos ecossistemas terrestres do planeta, e sabe-se que até a década de 70 estes solos funcionavam como depósitos de C, em função da estabilidade do permafrost. Com o aumento da temperatura média global e desestabilização do permafrost, observou-se uma inversão do fluxo de C nas ultimas décadas, transformando-se em áreas fontes de C para a atmosfera. As mais recentes avaliações das alterações climáticas pelo IPCC já incluem as respostas atuais e futuras dos solos com permafrost ao clima, e ressaltam a necessidade urgente de consolidação e ampliação de pesquisas integradas para Antártica, no qual o grupo TERRANTAR é ator qualificado e produtivo. Com a tendência geral de aumento das temperaturas do solo/permafrost de alta montanha e na Antártica, há repercussões significativas no clima (fluxos de carbono), estabilidade geomórfica, ecologia e hidrologia. Estudos sobre ecossistemas terrestres periglaciais, afetados por permafrost, são bem desenvolvidos no hemisfério norte, mas comparativamente menos intensos na região Antártica e nos Andes, onde desenvolvemos as pesquisas brasileiras. Para 2022, o TERRANTAR busca fortalecimento e consolidação como grupo de excelência nacional em pesquisa antártica centrada em estudos de modelagem climática do permafrost, solos, geoecossistemas periglaciais em transição. Há forte destaque na formação de recursos humanos no âmbito do Programa Antártico Brasileiro, e contamos com 13 instituições nacionais já ativamente envolvidas em diferentes fases e eixos do projeto, bem como 10 instituições estrangeiras formando uma rede de parcerias multi-institucionais que mesclam grupos de pesquisa emergentes em ciência antártica com grupos consolidados do mundo todo, visando sinergia e agregação. Desde 2002, o Núcleo TERRANTAR, pioneiro em pesquisas de solos afetados por permafrost e dinâmica climática, ecológica e geoambiental nesse importante setor da criosfera, construiu vasta publicação internacional, e uma rede de monitoramento climático dos solos e permafrost na Antártica Marítima e Peninsular que é parte do programa ANTPAS - Antarctic Permafrost, periglacial environments and soils, do SCAR. Todo esse legado é parte do INCT da Criosfera, e representa a mais sólida e extensa rede atual de monitoramento do permafrost na Antártica, em sitios sob forte impacto de mudanças globais. Em 2018, contamos 32 sítios de monitoramento climático contínuo de solos e permafrost, com utilização de tecnologia de ponta na aquisição e armazenamento de dados horários, na Antártica e nos Andes. São considerados sítios “cold spots”, com prioridade para pesquisa em teleconexões, para a WMO. Alinhados ao Plano de Ações da Ciência Antártica Brasileira para 2022, há forte necessidade de consolidação e aprofundamento dos conhecimentos gerados até o momento pela REDE TERRANTAR, buscando ampliar e consolidar a rede física de monitoramento e estudos de ecossistemas terrestres na Antártica e nos Andes, em todo o gradiente latitudinal do permafrost. Com caracterização detalhada dos solos, geomorfologia e ecossistemas associados, e instalação de novos sítios de monitoramento permanente em locais estratégicos, a estratégia do TERRANTAR é garantir a formação continuada de pesquisadores em nível de pós-graduação e estabelecer sólidas parcerias internacionais para consolidar o patamar de qualidade alcançado. O TERRANTAR é orientado pelo espírito da integração, buscando a sinergia necessária para alavancar a pesquisa de campo, otimizar recursos logísticos e operacionais e potencializar a formação de recursos humanos. Em síntese, o projeto proposto dá suporte, amplia, automatiza e consolida a Rede, justificando todo o esforço humano e financeiro até hoje realizado. A partir de um eixo central (ecossistemas terrestres em transição, permafrost e mudanças climáticas), pretende-se desenvolver e ampliar projetos-satélite já em andamento, conforme a metodologia. Abrangem estudos dos ecossistemas terrestres transientes, associados às mudanças climáticas regionais, papel da ecologia de comunidades, dinâmica de carbono e biogeoquímica terrestre. Há forte integração de diversos egressos do TERRANTAR, hoje docentes e pesquisadores em instituições públicas do Brasil. Com base em todo legado e infraestrutura existente, buscar-se-á incrementar a qualidade da pesquisa antártica no âmbito das instituições associados, com forte inserção da APECS-Brasil na produção de material de divulgação científica do TERRANTAR, sob a forma de videoaulas, monólitos de exposição, livretos e mapas, além de novas técnicas para ampliar a difusão do conhecimento científico para a juventude brasileira, em escolas públicas, com novas formas de sensibilizar o público não especializado.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 25/12/2018-31/12/2022