Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Aline Ferreira Ourique

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • nanoemulsões contendo óleos essenciais como alternativa para o tratamento de haemonchose
  • A criação de ovinos no Brasil é uma atividade econômica que está sempre em constante crescimento. Esse crescimento foi impulsionado pelos altos valores pagos aos criadores por várias décadas, tornando a atividade atraente e lucrativa. Uma situação relevante é que na produção desses animais as infecções provocadas por nematódeos gastrointestinais, particularmente por Haemonchus contortus, são consideradas as mais prevalentes e patogênicas. As parasitoses constituem a principal adversidade nos rebanhos ovinos. Sem a manipulação adequada dessa patologia, a criação de ovinos pode se tornar inviável do ponto de vista econômico devido à diminuição na produtividade e à mortalidade dos animais. Para combater estes nematódeos, a maioria das fazendas administram anti-helmínticos para os seus animais em intervalos frequentes, e sem levar em consideração os princípios de gestão parasitária integrada e sustentável. Isto desencadeou crescentes problemas devido ao desenvolvimento de populações de nematoides gastrintestinais resistentes em grande parte do mundo, especialmente o parasita Haemonchus contortus. O desenvolvimento da resistência a vários grupos de anti-helmínticos e o problema dos resíduos de fármacos em produtos animais despertou o interesse pelo estudo de plantas medicinais como uma fonte alternativa para combater esses parasitas. Assim, a fitoterapia é uma das alternativas que vem sendo estudada para ajudar no controle das patologias gastrintestinais de pequenos ruminantes. Neste contexto, os óleos essenciais de eucalipto e capim-limão apresentam-se como potenciais soluções para este problema devido as diferentes propriedades já descritas para estes compostos, como atividade antimicrobiana e anti-helmíntica. No entanto, estes óleos essenciais apresentam instabilidade frente a diferentes condições como presença de oxigênio e luz, além da baixa solubilidade aquosa e volatilização, características que dificultam o desenvolvimento de formulações adequadas. Sendo assim, uma alternativa para aumentar a estabilidade e garantir a eficácia destes compostos seria a nanoemulsificação.
  • Universidade Franciscana - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Aline Helena Appoloni Eduardo

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • efeitos mediadores e moderadores de variáveis clínicas e psicológicas na intensidade da dor e recuperação pós-operatórias
  • O completo processo de recuperação cirúrgica resulta quanto a pessoa readquiriu energia suficiente para retornar a completa capacidade em realizar atividades em níveis semelhantes ou melhores que previamente a cirurgia. A recuperação cirúrgica pode ser influenciada por fatores clínicos, psicológicos e ambientais, que promovem desgastes físico e emocional dos pacientes e familiares, prolongamento de hospitalizações, investimentos dos profissionais de saúde e pacientes em terapias para reabilitação, com novas intervenções cirúrgicas e investimentos financeiros de todos os sistemas envolvidos neste processo. Objetivo: identificar as variáveis moderadoras e mediadoras que interferem a recuperação cirúrgica e na intensidade da dor pós-operatória, entre pacientes submetidos a cirurgias eletivas. Métodos: trata-se de estudo observacional com delineamentos de pesquisa de coorte prospectivo e transversal. Será desenvolvido na unidade de clínica cirúrgica de um hospital de ensino, os participantes do estudo serão os pacientes internados para realização de cirurgias eletivas, estima-se uma amostra de 202 participantes. Os participantes serão entrevistados em distintos momentos, período pré-operatório quando responderão aos instrumentos Formulário para caracterização de variáveis sociodemográficas, clínicas e cirúrgicas, a Escala de Medos relacionados à Cirurgia, Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (HADS), a versão brasileira do Quality of Recovery - 40 item (QoR-40) e a Escala de Categoria Numérica (NRS) para avaliação da dor; no período pós-operatório, por três momentos nas primeiras 48 horas após a cirurgia, quando responderão ao Formulário para caracterização de variáveis sociodemográficas, clínicas e cirúrgicas (continuação de informações cirúrgicas), HADS, o QoR-40 e a NRS para avaliação da dor e, por seis meses, serão entrevistados via contato telefônico para avaliação da recuperação cirúrgica e (QoR-40) e da dor (NRS). Será investigada a associação e correlação das médias da EMRC, HADS, NRS para avaliação da dor e QoR-40; a análise empregada (paramétrica ou não paramétrica) dependerá da distribuição dos dados. As análises exploratórias para investigar a influência das variáveis sociodemográficas, clínicas e psicológicas nos efeitos de mediação e moderação acontecerão pela metodologia de regressão, pelo teste linear de efeito de modelos mistos ou efeitos aleatórios. A fidedignidade da EMRC, HADS e QoR-40, entre os pacientes submetidos a cirurgias eletivas, será acessada pela consistência interna, através do Alfa de Cronbach. Resultados esperados: divulgações dos resultados em eventos científicos (5), publicações em periódicos indexados (4), formação de recursos humanos para pesquisa (4 iniciações científicas e 1 mestrado), ampliação da fidedignidade dos instrumentos utilizados, fortalecimento para o cuidado perioperatório e de pesquisas futuras na área.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Aline Lopes Balladares

Outra

Divulgação Científica
  • feira de ciências: difundindo ciência e tecnologia na região da campanha - unipampa - caçapava do sul (rs)
  • O presente projeto consiste na realização de Feira de Ciências em 2019 e 2020, no campus Caçapava do Sul, da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) e de ações visando à formação continuada de professores da Educação Básica, preparando-os para o desenvolvimento dos projetos a serem inscritos no evento. Busca-se dar continuidade a um trabalho já em andamento na região da campanha, difundindo conhecimentos sobre ciência e tecnologia entre estudantes da Educação Básica. Neste âmbito, aconteceram desde 2011, oito Feiras de Ciências no campus Caçapava do Sul, vinculados ao projeto Difundindo Ciência e Tecnologia na Região da Campanha. Nos três primeiros anos o projeto era realizado em parceria com o Campus Bagé, da UNIPAMPA. A partir de 2014, o grupo formado por professores dos cursos do campus Caçapava do Sul optou por investir em projeto próprio, visando a realização de edições de uma Feira de Ciências municipal, as quais foram articuladas com os eventos realizados no campus de Bagé. Nos biênios 2014/2015 e 2017/2018, o projeto contou com financiamento do CNPq. A partir das experiências com as Feiras realizadas nos anos anteriores, observam-se várias mudanças positivas no que concerne ao crescimento pessoal e a ampliação dos conhecimentos de alunos e docentes. Desta forma, os objetivos do projeto são: incentivar a curiosidade e o gosto pelo conhecimento e pela experimentação científica, bem como o interesse pela aplicação tecnológica dos saberes, incluindo a visão ambiental, econômica e social acerca da Ciência e da Tecnologia; despertar o interesse pela investigação científica e contribuir para o desenvolvimento dessas habilidades em sala de aula na Educação Básica; estimular nos estudantes a escolha por profissões na área das ciências naturais e matemática; fortalecer a atual proposta de Feiras na instituição com o intuito da realização de uma feira regional. Esta proposta será desenvolvida em dois anos (2019 e 2020), e está organizada em oito etapas, sendo quatro a cada ano: i) Visitas às escolas no período de março a junho de 2019, para divulgação e orientação ao desenvolvimento dos trabalhos para exposição. Participarão professores de escolas municipais e estaduais de Caçapava do Sul e municípios vizinhos (Lavras do Sul, Santana da Boa Vista e São Sepé); ii) realização da Feira de Ciências do campus Caçapava do Sul com apresentação de trabalhos de escolas municipais e estaduais do município de Caçapava do Sul e cidades vizinhas, podendo reunir até 80 trabalhos; iii) avaliação da Feira de Ciências de 2019 e orientação de projetos de iniciação científica júnior; iv) participação, dos trabalhos destaques da Feira de Ciências do Campus Caçapava do Sul, em outras Feiras de Ciências em nível municipal, regional ou estadual em cidades do Rio Grande do Sul. Em 2018, as etapas descritas serão repetidas, adicionando a etapa iii) a escrita do relatório final. Serão realizados novos encontros de preparação com professores da Educação Básica, visando a atualização da proposta de realização da Feira de Ciências no Campus da UNIPAMPA em Caçapava do Sul. A divulgação da realização dos encontros preparatórios ocorrerá a partir de março, logo após o início do ano letivo nas escolas. Os trabalhos apresentados nas Feiras serão avaliados por docentes universitários envolvidos no projeto, representantes das Secretarias Municipais de Educação, além de acadêmicos e representantes da comunidade externa, devidamente preparados e instruídos para realização desta tarefa. Os trabalhos destaques destas Feiras serão candidatos a participar de outras feiras realizadas no estado do Rio Grande do Sul e/ou realizadas em outros campi da UNIPAMPA.
  • Universidade Federal do Pampa - RS - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020
Foto de perfil

Aline Lopes Balladares

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • feira de ciências: difundindo ciência e tecnologia na região da campanha - unipampa - caçapava do sul (rs)
  • O presente projeto consiste na realização de Feira de Ciências em 2020, no campus Caçapava do Sul, da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) e de ações visando à formação continuada de professores da Educação Básica, preparando-os para o desenvolvimento dos projetos a serem inscritos no evento. Busca-se dar continuidade a um trabalho já em andamento na região da campanha, difundindo conhecimentos sobre ciência e tecnologia entre estudantes da Educação Básica. Neste âmbito, aconteceram desde 2011, oito Feiras de Ciências no campus Caçapava do Sul, vinculados ao projeto Difundindo Ciência e Tecnologia na Região da Campanha. Nos três primeiros anos o projeto era realizado em parceria com o Campus Bagé, da UNIPAMPA. A partir de 2014, o grupo formado por professores dos cursos do campus Caçapava do Sul optou por investir em projeto próprio, visando a realização de edições de uma Feira de Ciências municipal, as quais foram articuladas com os eventos realizados no campus de Bagé. Nos biênios 2014/2015 e 2017/2018, o projeto contou com financiamento do CNPq. A partir das experiências com as Feiras realizadas nos anos anteriores, observam-se várias mudanças positivas no que concerne ao crescimento pessoal e a ampliação dos conhecimentos de alunos e docentes. Desta forma, os objetivos do projeto são: incentivar a curiosidade e o gosto pelo conhecimento e pela experimentação científica, bem como o interesse pela aplicação tecnológica dos saberes, incluindo a visão ambiental, econômica e social acerca da Ciência e da Tecnologia; despertar o interesse pela investigação científica e contribuir para o desenvolvimento dessas habilidades em sala de aula na Educação Básica; estimular nos estudantes a escolha por profissões na área das ciências naturais e matemática; fortalecer a atual proposta de Feiras na instituição com o intuito da realização de uma feira regional. Esta proposta está organizada em cinco etapas, sendo elas: i) Encontro de formação, capacitação e atualização para os professores que participam do evento anualmente. Será organizado pela equipe executora do projeto em conjunto com as Secretarias Municipais de Educação e o Campus Bagé da Unipampa. A previsão é que ocorra no mês de abril de 2020. ii) Visitas às escolas no período de março a junho de 2020, para divulgação e orientação ao desenvolvimento dos trabalhos para exposição. Participarão professores de escolas municipais e estaduais de Caçapava do Sul e municípios vizinhos (Lavras do Sul, Santana da Boa Vista e São Sepé); iii) realização da Feira de Ciências do campus Caçapava do Sul com apresentação de trabalhos de escolas municipais e estaduais do município de Caçapava do Sul e cidades vizinhas, podendo reunir até 80 trabalhos; iv) avaliação da Feira de Ciências de 2020 e orientação de projetos de iniciação científica júnior; v) participação, dos trabalhos destaques da Feira de Ciências do Campus Caçapava do Sul, em outras Feiras de Ciências em nível municipal, regional ou estadual em cidades do Rio Grande do Sul. vi) a escrita do relatório final. Serão realizados novos encontros de preparação com professores da Educação Básica, visando a atualização da proposta de realização da Feira de Ciências no Campus da UNIPAMPA em Caçapava do Sul. A divulgação da realização dos encontros preparatórios ocorrerá a partir de março, logo após o início do ano letivo nas escolas. Os trabalhos apresentados nas Feiras serão avaliados por docentes universitários envolvidos no projeto, representantes das Secretarias Municipais de Educação, além de acadêmicos e representantes da comunidade externa, devidamente preparados e instruídos para realização desta tarefa. Os trabalhos destaques destas Feiras serão candidatos a participar de outras feiras realizadas no estado do Rio Grande do Sul e/ou realizadas em outros campi da UNIPAMPA.
  • Universidade Federal do Pampa - RS - Brasil
  • 03/02/2020-31/01/2021
Foto de perfil

Aline Luanda da Costa Freitas

Outra

Divulgação Científica
  • a ciência como ferramenta no desenvolvimento do conhecimento cientifico na rede municipal de ensino de rorainópolis-rr
  • O projeto visa o desenvolvimento da primeira Feira de Ciências de âmbito Municipal, no municipal de Rorainópolis -RR, como forma de construir uma cultura científica na comunidade escolar, alicerçando os pilares da educação básica.
  • PREFEITURA MUNICIPAL DE RORAINOPOLIS - RR - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020