Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Airton Deppman

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • olimpíadas brasileiras de física 2020
  • Esta proposta tem como finalidade proporcionar o desenvolvimento das atividades programadas para as Olimpíadas Brasileiras de Física (OsBsF),organizadas pela Sociedade Brasileira de Física (SBF) no decorrer do ano de 2020; este programa compreende a Olimpíada Brasileira de Física (OBF)*, destinada a escolas particulares e públicas,e a Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas (OBFEP)** destinada exclusivamente às escolas públicas municipais, estaduais e federais. Ao longo dos anos em que as Olimpíadas de Física (OBF – 21 anos, OBFEP – 09 anos) vêm sendo realizadas em todo o território nacional, estabeleceu-se um formato tanto para as atividades acadêmicas quanto para as atividades de gestão/administração. No que tange a gestão/administração cabe destacar que as Olimpíadas têm cada uma sua coordenação nacional que está sediada na Sociedade Brasileira de Física (campus USP/São Paulo), responsável pelo gerenciamento das atividades administrativas e acadêmicas. Em cada estado da federação um coordenador estadual (professor de Instituição de nível superior) é o responsável pelo desenvolvimento das atividades das Olimpíadas, em nível regional, e a coordenação é sediada numa instituição de ensino superior federal ou estadual. Esta proximidade com a Instituição de Ensino Superior proporciona a efetiva interação entre alunos de graduação, com destaque para os alunos de Licenciaturas, com as diversas atividades das Olimpíadas dentre as quais citamos: i) organização geral do evento, ii) aplicação das provas e iii) correção das provas. Esta participação efetiva dos estudantes é uma parte importante da prática pedagógica. Na OBFEP desde seu início em 2010 e, a partir do ano de 2015, na OBF,resolveu-se adotar a doação do material experimental (kits e roteiros), da fase experimental para as escolas públicas que participaremdas olimpíadas. Isto tem como objetivo auxiliar na formação e interesse pelo estudo da física no ensino médio e fundamental das escolas da rede pública.Criamos também Comitês da OBF, Nacional e Internacional que, juntamente com a Comissão da OBFEP, visam aumentar as interações entre as universidades e escolas de ensino médio, conhecer mais de perto as características do ensino médio em cada uma das 5 regiões do território brasileiro representadas pelo comitê nacional e oferecer treinamentos mais específicos aos alunos selecionados e preparados pelo comitê internacional. Neste ano de 2015 foi o segundo ano do projeto Olimpíadas Brasileiras de Física: OsBsF 2019 onde tivemos um projeto conjunto das duas olimpíadas, OBF e OBFEP. O valor aprovado na chamada CNPq/MCTIC/MEC Nº 20/2018 para OsBsF 2019 foi de 49,1% do valor solicitado. Embora o orçamento solicitado tenha sido delineado para o cumprimento de todas as ações propostas para ano de 2019 dos projetos OBF e OBFEP, estamos tentando cobrir a maior quantidade de ações dentro do projeto aprovado, com cortes onde possíveis. Nesta chamada CNPq/MCTIC/MEC No. .../2019, o projeto OsBsF 2020, considerando que não foi possível em 2019 elaborar kits novos para a parte prática da OBF e a parte prática da OBFEP foi realizada considerando somente análise de dados, ou seja , sem que o estudante pudesse manusear kits o que evidentemente traz prejuízos didáticos - pedagógicos estamos aumentando o valor dos recursos solicitados para que isto não ocorra em 2020.
  • Sociedade Brasileira de Física - SP - Brasil
  • 05/12/2019-31/12/2020
Foto de perfil

Aírton Mendes Conde Júnior

Ciências Biológicas

Morfologia
  • papel de proteinas de proliferação, morte e estrutura celular nas glândulas salivares de camundongos balb/c com leishmaniose visceral
  • O protozoário Leishmania infantum, causador da leishmaniose visceral, se dissemina sistemicamente para propagar-se no macrófago de órgãos internos, principalmente fígado, baço, medula óssea e linfonodos. A leishmaniose está entre as doenças endêmicas negligenciadas prevalentes no Brasil. Diante da importância epidemiológica dos estudos com Leishmania e da necessidade de aprofundar o conhececimento da leishmaniose e sua relação com as glândulas salivares, propõe-se estudar a histologia do parênquima e túbulos das glândulas salivares de camundongos BALB/c experimentalmente infectados com L. infantum chagasi, com enfoque na avaliação da expressão de proteínas de proliferação e morte celular, e matriz extracelular. O projeto encontra-se na fase de apreciação pelo Comissão de Ética do Uso de Animais (CEUA) sob o número de protocolo 506/18. Serão utilizados 64 camundongos isogênicos machos da linhagem BALB/c, provenientes do biotério do Centro Central da Universidade Federal do Piauí/UFPI. Os animais serão divididos aleatoriamente, de forma que haverá a avaliação dos tecidos durante a fase aguda e crônica da doença, concomitantemente aos grupos controles. Após eutanásia dos animais, as glândulas salivares, baço, fígado, linfonodo e medula óssea serão submetidos ao processamento histológico, imunohistoquímica, morfometria e western blotting para a investigação de necrose, expressão de proteínas apoptóticas (Caspase- 3 e Bcl-2), proteínas de proliferação e ativação do ciclo celular (PCNA e Ki-67), e proteínas da matriz extracelular (Colágeno I e clágeno III). Acredita-se na contribuição e ampliação do conhecimento na caracterização da morfofisiologia de glândulas salivares em camundongos BALB/c experimentalmente infectados com leishmaniose visceral, nas diferentes fases de infecção.
  • Universidade Federal do Piauí - PI - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022