Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Tamy Colonetti

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • terapias nutricionais indicadas para crianças com lesões cerebrais: revisão sistemática e meta-análise
  • A Lesão Cerebral é uma disfunção que pode ser caracterizada por provocar um déficit cognitivo, alterações emocionais e comportamentais, há a possibilidade de acarretar também em deficiências físicas como perda do controle motor, trazendo inúmeras consequências dependente de fatores como o momento, local e extensão do agravo cerebral. No mundo, a incidência da paralisia cerebral é de aproximadamente 2 por 1.000 nascidos vivos. As crianças com paralisia cerebral possuem um grande risco de apresentarem um déficit nutricional e haver uma falha no seu crescimento, tendo o peso e a estatura menor do que o considerado saudável para a idade, podendo ser causado por um consumo inadequado de alimentos, sendo relacionado com a dificuldade em se alimentarem por conta de uma disfunção oromotora e/ou de uma reduzida ingestão de proteínas, vitaminas e minerais na alimentação. Uma revisão sistemática será realizada a fim de identificar as principais terapias nutricionais recomendadas para crianças com lesões cerebrais. Será desenvolvida uma estratégia de busca, utilizando os termos: “Brain Injuries”, “Nutrition” e “Child”. Esta estratégia, será pesquisada nas principais bases de dados, como MEDLINE, EMBASE, Scopus, CENTRAL, LILACS e também na literatura cinza (Google Escolar e British Library). A medida de associação que é esperada para realização da meta-análise será o Risco Relativo (RR) e intervalo de confiança de 95% (IC 95%), o cálculo será feito por meio da diferença de médias coletadas nos estudos que serão incluídos.
  • Universidade do Extremo Sul Catarinense - SC - Brasil
  • 17/02/2020-28/02/2022
Foto de perfil

Tangriani Simioni Assmann

Ciências Agrárias

Agronomia
  • teste biológico para recomendação de adubação nitrogenada em sistemas de plantio direto e integração lavoura-pecuária de longa duração
  • Embora o N tenha sido um dos nutrientes mais estudados nos sistemas modernos de produção agrícola nos Estados Unidos da América e mesmo no Brasil, o conhecimento de seu comportamento em sistemas agrícolas carece de mais informações. Muitos dos testes de recomendação de adubação nitrogenada no EUA e no Brasil não utilizam um teste direto que represente a ciclagem biológica de N, fator este, essencial para estimar a quantidade de N que seria necessária para surpri às demandas nutricionais das culturas. Somado a isto, no Brasil, novas tecnologias de cultivo vêm aumentando a eficiência de uso de N e incrementando os processos de ciclagem de nutrientes, reduzindo desta forma, possíveis perdas do nutriente. Trabalhos realizados anteriormente comprovaram a maior eficiência de uso de adubação nitrogenada quando esta é aplicada sobre a cultura forrageira pastejada em Sistema de Integração Lavoura-Pecuária. Igualmente em sistemas de plantio direto de longa duração pode-se observar menores necessidades de adubação nitrogenada, especialmente quando leguminosas são incluídas leguminosas no sistema. Assim sendo o objetivo geral deste trabalho é desenvolver um teste biológico de solos, em parceria com o pesquisador Dr. Alan Franzluebbers (Universidade Estadual da Carolina do Norte), para melhorar o manejo de adubações nitrogenadas para culturas que apresentam grandes demandas nutricionais de N, reduzindo desta forma as perdas de N para o ambiente, mantendo altas produtividades e aumentando o retorno econômico para os produtores. Dois experimentos de longa duraçao, já instalados, fazem parte deste projeto: (1) Experimento Integração Lavoura-Pecuária (ILP) instalado desde 2012, no Município de Abelardo Luz-SC. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso com três repetições. Os tratamentos foram arranjados em esquema fatorial 2 x 2. Sendo que o primeiro fator foi a Altura de Pasto, caracterizadas por duas alturas de manejo da pastagem (Alta e Baixa). O segundo fator constou de Tempo de Adubação Nitrogenada (N-pastagem ou N-grãos). Os tratamentos denominados N-pastagem recebem aplicação de N em cobertura apenas na fase em que está sendo conduzido o pastejo e os tratamentos denonominados N-Grãos recebem adubação nitrgrogenada de cobertura apenas no momento da condução da cultura produtora de grãos (milho ou feijão). (2) Experimento Plantio Direto Longa Duração (PDLD): O experimento foi instalado no ano de 1986 em um Latossolo na Estação Experimental do IAPAR – Pato Branco. Os tratamentos consistiram de seis culturas de cobertura (azevém, ervilhaca, ervilhaca + aveia preta, aveia, nabo forrageiro e tremoço azul) e solo nu durante o inverno, cultivado sob o sistema de plantio direto e plantio convencional. Durante o período de verão é alternado o cultivo de milho e soja. Em ambos os experimentos serão avaliados:produtividade de grãos e componente de rendimento do milho; feijão e soja; produção de matéria seca para as culturas de cobertura e acúmulo de forragem, no caso das pastagens; teores de nitrato no solo; caracterização da matéria orgânica através espectroscopia de infravermelho por transformada de Fourier; fluxo de CO2 após reidratação de solos secos, em quatro profundidades de solo (0-5; 5-10; 10-20 e 20-40 cm). Serão realizadas correlações entre todas as variáveis avaliadas, especialmente com a produtividade e componentes de rendimento das culturas agrícolas.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Tania Aparecida Tardelli Gomes do Amaral

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • análise comparativa do polimorfismo de espb e espd e sua relação com a capacidade de adesão de cepas de escherichia coli enteropatogênica atípica a células epiteliais
  • Escherichia coli Enteropatogênica (EPEC) compreendem importantes agentes de diarreia infantil grave e até mesmo fatal, em países em desenvolvimento. Esse grupo é subdividido em EPEC típicas (tEPEC) e EPEC atípicas (aEPEC), diferindo, principalmente, quanto à presença do plasmídio EAF (EPEC Adherence Factor) que é encontrado somente nas tEPEC. Os dois grupos de EPEC produzem uma lesão histopatológica característica no epitélio intestinal, denominada lesão attaching-effacing (A/E), e são desprovidos dos genes que codificam as toxinas Shiga. Os genes necessários para o estabelecimento de lesão A/E localizam-se na ilha de patogenicidade LEE (locus of enterocyte effacement). LEE codifica os componentes estruturais de um sistema de secreção do tipo 3 (SST3), bem como as proteínas EspA, EspB e EspD (EPEC secreted protein) e diversas proteínas efetoras e regulatórias. Além disso, LEE codifica as proteínas intimina e Tir (translocated intimin receptor), que estão envolvidas na aderência íntima e cuja interação é imprescindível para o estabelecimento da lesão A/E. Sabe-se que mutantes no gene eae, que codifica intimina, têm sua capacidade aderente in vitro bastante reduzida. No entanto, demonstramos que um mutante em eae da aEPEC 1551-2 mantém sua eficiência de adesão devido ao translocon do SST3, sendo que as proteínas secretadas EspB e EspD (componentes do translocon) dessa cepa ligam-se a células HeLa. Curiosamente, as bandas correspondentes a estas duas proteínas apresentaram pesos moleculares distintos dos de EspB e EspD da cepa protótipo tEPEC E2348/69. Para verificar se o polimorfismo de EspB e EspD poderia resultar em diferenças na eficiência do translocon de aEPEC em aderir às células epiteliais, neste projeto, dez cepas de aEPEC serão mutageneizadas no gene eae e, em seguida, as massas moleculares das proteínas EspB e EspD dessas cepas serão comparadas com as das mesmas proteínas derivadas das cepas tEPEC protótipo E2348/69 e aEPEC 1551-2. Além disso, os genes espB e espD das cepas mutantes aderentes serão sequenciados, para avaliar uma potencial correlação entre o polimorfismo destas proteínas e a eficiência na manutenção da capacidade aderente, na ausência de intimina. Dessa forma, pretende-se avaliar o papel do translocon do SST3 na eficiência da aderência de aEPEC às células epiteliais.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Tania Beatriz Creczynski Pasa

Ciências da Saúde

Farmácia
  • câncer de próstata: identificação de novos biomarcadores
  • No Brasil, a estimativa do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) para o ano de 2016, é de aproximadamente 596 mil novos casos de câncer (INCA - INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER, 2015). Destes 61 mil estão estimados para próstata. O câncer de próstata é o segundo câncer mais incidente entre os homens em todas as regiões do Brasil. Esse alto índice está relacionado principalmente ao aumento da expectativa de vida, melhoria da qualidade dos sistemas de informação, maior disponibilidade de métodos diagnósticos e aos hábitos alimentares. Além disso, o câncer de próstata é a segunda causa de morte entre os homens (13 mil mortes em 2013). Atualmente, os métodos disponíveis para o rastreamento do câncer de próstata são a dosagem sérica do antígeno específico da próstata (PSA) e o estadiamento clínico pelo toque retal acompanhado da análise histológica. A dosagem do PSA consiste em uma metodologia que não apresenta sensibilidade e especificidade suficientes para ser usado isoladamente. Sendo assim, a dosagem do PSA é utilizada em associação ao toque retal. Entretanto, o toque retal também apresenta limitações, uma vez que somente as porções posterior e lateral da próstata podem ser apalpadas, deixando de 40 a 50% dos tumores de fora do seu alcance. As limitações relacionadas a estes testes geram uma elevada proporção de resultados falso-positivos e consequentemente um alto índice de biópsias desnecessárias. Adicionalmente, existem evidências científicas de que o rastreamento do câncer de próstata não reduz a mortalidade pela doença e sim produz danos e ansiedade associados ao diagnóstico. Consequentemente, o rastreamento do câncer de próstata não é mais recomendado. Atualmente, um dos maiores desafios no diagnóstico do câncer de próstata é a detecção específica deste câncer, haja vista a falta de conhecimentos sobre os mecanismos envolvidos no seu desenvolvimento e na indução de metástases. Neste contexto, percebemos a necessidade da geração de dados científicos sobre o câncer de próstata, além de ressaltar a importância da identificação de novos biomarcadores específicos para esta doença, com a finalidade de diagnóstico e maior efetividade no tratamento. Com este projeto pretende então, inovar, obtendo resultados que possibilitem o estabelecimento das redes gênicas celulares, através da identificação de miRNA e de proteínas, presentes em exossomos derivados das células tumorais, utilizando como modelos da doença, diferentes linhagens celulares de câncer de próstata, a fim de detectar novos biomarcadores e/ou alvos terapêuticos para a doença.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Tânia Beatriz Gamboa Araújo Morselli

Ciências Agrárias

Agronomia
  • núcleo de estudos em agroecologia e produção orgânica – neapo/ufpel
  • O Laboratório de Biologia do Solo do Departamento de Solos da Faculdade de Agronomia da Universidade Federal de Pelotas propõe o projeto de criação do Núcleo de Estudos em Agroecologia e Produção Orgânica, enfatizando a formação e fortalecimento da Agricultura Familiar em propriedades rurais da região de Pelotas com atuação em estratégia de ensino, pesquisa e extensão. Estas famílias estão cadastradas junto à Associação Regional dos Produtores Agroecologistas da Região Sul (ARPA-SUL), bem como outras que tenham interesse em iniciar a atividade na área agroecológica. Serão realizadas entrevistas, questionários, seminários, dias de campo, oficinas participativas e feiras de divulgação de produtos para promover o desenvolvimento e o fortalecimento da agricultura familiar, juntamente com a formação dos discentes do ensino básico local e superior, visando nas etapas seguintes do mesmo, administrar cursos de formação inicial e continuada. O projeto irá promover o diálogo, a construção coletiva de novas práticas em produção sustentável, apoiado às organizações envolvidas na inserção agroecológica, sistematização e socialização de experiências dos agricultores familiares. Este tem como objetivo desenvolver, consolidar e ampliar ações educativas, de pesquisa e extensão voltadas para o fortalecimento da agricultura familiar, onde as ações entre educadores, pesquisadores e produtores podem promover a autonomia e a sustentabilidade destas comunidades.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 01/12/2017-31/10/2020
Foto de perfil

Tania Cristina França da Silva

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • o uso da rede social como ferramenta de monitoramento e avaliação das ações de educação na saúde
  • A questão central do estudo é explorar o uso das redes sociais como ferramenta para o monitoramento e avaliação das ações de Educação Permanente em Saúde (EPS) no Brasil. Os desafios e dificuldades que permeiam os processos de implantação, monitoramento e avaliação da EPS, são muitos e merecem estudos mais aprofundados. Além disso, a EPS como uma proposta educativa produtora de sentidos e práticas a partir do que os trabalhadores de saúde fazem em seu cotidiano de trabalho, tem buscado a produção de evidências sobre práticas educativas inovadoras em saúde para subsidiar o avanço das políticas de gestão do trabalho e educação na saúde. A justificativa deste estudo apoia-se em três argumentos: (1)nas “Diretrizes de Política para a Aprendizagem móvel”, divulgada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) em 2014, que incentiva o uso das tecnologias móveis isoladamente ou em combinação com outras tecnologias de informação e comunicação, afim de permitir a aprendizagem em qualquer hora e em qualquer lugar. Visando auxiliar os gestores de políticas públicas a entender melhor o que é aprendizagem e tecnologia móvel, seus benefícios para fazer avançar em direção à Educação para Todos; (2) a importância das tecnologias digitais para uma aprendizagem ativa e inovadora relacionada a transformação que o mundo digital tem trazido para a educação. A maior parte das instituições educacionais está preocupada em fazer mudanças para sair dos modelos conteudistas e incorporar as tecnologias digitais que trazem uma educação mais flexível, híbrida, digital, ativa e diversificada. A aprendizagem ativa ajuda os alunos a desenvolverem competências cognitivas e socioemocionais por meio de estratégias de ensino individuais e compartilhadas em grupo; (3) o desenvolvimento de recursos humanos qualificados para atender às necessidades de saúde da população. Nesse sentido, a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) e da Organização Mundial de Saúde (OMS) OPAS defendem a utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) para apoiar a aprendizagem on-line por meios virtuais como maneira de promover o desenvolvimento de competências técnicas, programáticas, gerenciais e administrativas. Objetivo central: Analisar o uso das redes sociais como ferramenta de monitoramento e avaliação das ações de educação permanente em saúde nas Regiões do Brasil. Desenvolvimento: Trata-se de um estudo exploratório, de abordagem quali-quantitativa, com a proposta de triangulação de métodos apoiados na Etnografia Virtual. Os participantes da pesquisa são gestores das Escolas Técnicas do SUS (ETSUS) e dos órgãos das instâncias gestoras (municipal, estadual ou federal) responsáveis pela EPS nas cinco Regiões do Brasil. O caminho trilhado para compreensão do objeto de estudo será executado em quatro fases: (1) levantamento bibliográfico e revisão de literatura relacionada ao tema da pesquisa; (2) questionário on-line nas ETS e órgãos das instâncias gestoras com o objetivo de coletar informações para um diagnóstico situacional; (3) observação participante dos grupos de discussão on-line mediados pelo aplicativo WhatsApp Mensenger®, em ETSUS e instâncias gestoras, selecionando uma por Região do Brasil. (4) A análise e interpretação de dados será por Análise de Conteúdo realizada por meio de software para análise de dados qualitativos em ambientes digitais. Resultados Esperados: pretende-se contribuir no sentido de explorar as possibilidades das tecnologias digitais colaborando para o desenvolvimento das ações de EPS, com ênfase no monitoramento e avaliação, com estratégias criativas e inovadoras. Do ponto de vista técnico-científico pretende-se publicar os resultados em forma de artigos submetidos a periódicos científicos e ainda divulgá-los no website da Estação de Trabalho da Rede de Observatório de Recursos Humanos do Instituto de Medicina Social da Universidade Estadual do Rio de janeiro (ObservaRH/IMS/UERJ).Do ponto de vista tecnológico e inovação propor-se-á o desenvolvimento de um aplicativo para uso em dispositivos móveis (celulares e tablets) para o monitoramento e avaliação das ações de EPS. A proposta inovadora é de disseminar informações de forma sistemática e contínua para o monitoramento e avaliação das ações de EPS desenvolvidas pelas escolas técnicas do SUS, e pelos órgãos administrativos responsáveis pela EPS, vinculados as Secretarias Estaduais de Saúde no SUS.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tania de Fatima Salvini

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • o efeito da crioterapia no controle da dor, na função e na qualidade de vida em indivíduos com osteoartrite de joelho - ensaio clínico randomizado
  • Introdução: A osteoartrite (OA) é uma das principais causas de incapacidade para adultos e idosos, diminui a qualidade de vida, e é responsável por um oitavo de toda restrição das atividades de vida diária dos indivíduos acometidos. Entre as articulações que suportam peso, o joelho é a mais acometida pela OA. A osteoartrite de joelho (OAJ) causa sintomas como rigidez articular, dor, disfunções físicas e isso acarreta um considerável impacto na qualidade de vida dos indivíduos. Atualmente, diferentes opções de tratamento estão disponíveis para a doença. Uma combinação de tratamentos não farmacológicos, que incluem a educação do paciente, exercícios, mudanças de estilo de vida e fisioterapia, associados aos tratamentos farmacológicos, são os mais indicados. A crioterapia, uma intervenção não farmacológica bastante utilizada nas lesões músculos esqueléticas para controle da sintomatologia dolorosa, tem sido utilizada também na OAJ. No entanto, ainda há carência de evidencias cientificas em relação aos seus efeitos na doença. Poucos estudos avaliaram os efeitos analgésicos e desfechos na qualidade de vida de pacientes com OAJ, após o uso da crioterapia de forma isolada. Além disso, estudos de revisão sistemática apontam para uma fraca evidência científica para o uso da crioterapia na OAJ devido a deficiências no desenho metodológico da maioria dos estudos. Assim, os resultados de um ensaio clínico randomizado e controlado sobre os efeitos da crioterapia na OAJ poderão contribuir com um melhor embasamento científico sobre o papel da crioterapia na OAJ. Objetivos: Avaliar o efeito da aplicação de crioterapia (saco gelo triturado) ao redor do joelho com OA no controle da dor, na função e na qualidade de vida desses indivíduos. Metodologia: Trata-se de um ensaio clínico randomizado e controlado, duplo-cego. Participarão do estudo 46 indivíduos com OAJ, com diagnóstico baseado nos critérios clínicos e radiográficos do American College of Rheumatology, de ambos os sexos, com idade entre 40 e 65 anos. O número total de indivíduos será dividido, aleatoriamente, em dois grupos, com 27 indivíduos cada um. Durante 4 dias consecutivos, por um período de 20 min, cada grupo receberá um tipo de intervenção ao redor do joelho com OA: o grupo crioterapia receberá aplicação de sacos de gelo com compressão e o grupo placebo receberá aplicação de sacos de areia com compressão, sendo o peso e tamanho dos sacos, idênticos. Todos os indivíduos terão as seguintes variáveis avaliadas pré e pós-intervenção: intensidade da dor (Escala Visual Analógica), limiar de dor a pressão (Algometria), e temperatura (Imagens Termográficas). Ferramentas adicionais para complementar os dados do estudo serão utilizadas: Dois questionários de funcionalidade física (WOMAC, KOOS), um questionário de atividade física (IPAQ) e dois testes de função física (teste de sentar e levantar da cadeira em 30s e o Timed Up and Go. Imagens termográficas serão também obtidas para análise mais detalhada da temperatura do joelho com OA. Analise de dados: A normalidade dos dados será avaliada e testes paramétricos ou não paramétricos poderão ser utilizados. Será realizada a comparação entre as médias das variáveis dependentes. Os fatores independentes do estudo serão a crioterapia versus placebo e o fator de medidas repetidas pré- versus pós-intervenção. As possíveis correlações entre as variáveis dependentes do estudo de interesse também serão avaliadas.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Tania Goldbach

Ciências Biológicas

Biologia Geral
  • clube de ciências: projeto irradiador de múltiplas atividades em escolas públicas (foco na temática meio ambiente/sustentabilidade com base na filosofia da agenda 2030 -onu)
  • Vide projeto anexo
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 12/08/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tânia Guimarães Ribeiro

Ciências Humanas

Sociologia
  • território, participação e conservação ambiental
  • O projeto de pesquisa tem como principal objetivo Analisar as dinâmicas sociais decorrentes dos processos de gestão dos territórios definidos como unidades de conservação, enfatiza-se o processo de participação social em duas reservas extrativistas – uma delas marinha – no Estado do Pará, Amazônia Brasileira. A análise do processo de distribuição das políticas públicas considerando seus reflexos na mobilização social dos atores chaves – as populações tradicionais – e o seu potencial para a superação de entraves socioeconômicos e de questões socioambientais será central na pesquisa. Esta proposta estrutura-se a partir dos seguintes questões: como se constroem os acordos, as alianças, os processos comunicativos e de deliberação relativos à apropriação e aos usos e dos principais recursos naturais na Resex nos espaços dos CDs? Quais os impactos da implementação dos acordos de uso pelo ICMBio nas comunidades da RESEX, considerando-se a especificidade das atividades econômicas no território e que podem afetar as regras locais já definidas? Como se dá o funcionamento da participação (modos, regras, acordos) entre os representantes das comunidades e elas mesmas, considerando-se a formas de associação e a produção do associativismo? Quais os impactos das políticas públicas na diminuição da pobreza, na perspectiva dos usuários e moradores dessas unidades de conservação? De que forma os empreendimentos solidários – como as cooperativas locais – podem atuar para estimular a participação criativa e fomentar a sustentabilidade socioeconômica e ambiental? Foram escolhidos como focos privilegiados da pesquisa de campo:as reuniões do Conselho Deliberativo e as Associações-Mães da Reserva Extrativista Marinha de Caeté-Taperaçu, em Bragança e da Reserva Extrativista de São João da Ponta, em São João da Ponta, ambas localizadas no nordeste do Pará, na Amazônia Brasileira; as sedes dos governos locais; comunidades extrativistas das RESEX; as instituições guardiãs e elaboradoras de documentação sobre as políticas de Desenvolvimento e Reservas Extrativistas, na cidade de Belém. As associações cooperativas nos municípios de Bragança e São João da Ponta. As atividades da pesquisa foram previstas para serem desenvolvidas ao longo de 30 meses. A metodologia adotada será predominantemente qualitativa, adotando-se as entrevistas semi-estruturadas que permitem aos pesquisados que descubram a possibilidade de atribuir causas sociais às situações que vivenciam (BOURDIEU, 2003), conhecendo suas origens, a partir das perspectivas sobre o papel que vêm desempenhando nas tomadas de decisão de problemas coletivos da Unidade de Conservação. No entanto, está prevista a aplicação, segundo disponibilidade dos recursos financeiros, de um levantamento quantitativo – survey - nas duas resex, buscando caracterizar o potencial de superação de entraves socioeconômicos e ambientais em decorrência da distribuição dos direitos sociais oriundos das políticas públicas. À priori, foram delimitadas duas comunidades-pólos, um em cada Reserva, o Pólo Cidade, na Resex Caeté-Taperaçu e o Pólo Cidade na Resex de São João da Ponta. Nas duas experiências selecionadas, estão em pauta questões caras à Amazônia, que ganham novos contornos, tais como: o acesso à terra, a apropriação dos recursos naturais, o desenvolvimento endógeno e sustentável, a inclusão dos diferenciados interesses das populações locais marginalizadas – como as populações tradicionais -, a presença do Estado na região, a cidadania, a participação em suas diferentes acepções, conforme vê-se em diversos estudos (MANESCHY, RIBEIRO ET AL, 2017; AQUINO, 2003; CASTRO e PINTON, 1997; BECKER, 2007; CASTRO, HURTIENNE, SIMONIAN, 2007). Portanto, nos dois casos privilegiados deverá se considerar as construções sociais específicas que influenciam sobre a participação, tanto nas redes de relações que se erigem no interior da Resex, quanto àquelas que se constroem com o território do qual fazem parte. Portanto, vai se destacar aqui a atuação das populações tradicionais na construção e manutenção de seus direitos dentro do modelo de gestão participativa pela institucionalização das Reservas em tela. Cabe notar que o olhar sociológico sobre as políticas públicas produz contribuição relevante para esse campo interdisciplinar de conhecimento. Em ampla produção ao longo dos anos, e sobre diferentes contextos sociais, a literatura sociológica tem nos revelado a importância dos diferentes grupos sociais na construção das políticas públicas, notadamente na relação sociedade civil e Estado. Esse conhecimento tem influenciado tanto a construção e formulação de políticas (políticas de cotas; reconhecimento de territórios), como na análise de seus impactos na sociedade (CORTES &LIMA, 2012). Nessa direção, essa perspectiva analítica também se mostra fundamental para discutirmos a pertinência da desigualdade social na realidade brasileira, em particular na região norte, e entre as populações rurais, como as extrativistas. Pois, a essas populações se voltam novos modelos de desenvolvimento (sustentáveis) e de políticas públicas e sociais que visam à distribuição mais equitativa de renda, dos bens e recursos sociais, que podem ampliar as oportunidades para um maior número de indivíduos (SCALON, 2011, p. 64).
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tania Margarida Lima Costa

Outra

Divulgação Científica
  • empreendimento científico cultural em minas gerais na semana nacional de ciência e tecnologia (snct) 2019.
  • O Projeto Empreendimento Científico Cultural em Minas Gerais na SNCT 2019, proposto pelo Museu Itinerante Ponto UFMG foi concebido para ser itinerante, dinâmico, e trabalhar de forma interativa diversas áreas da ciência e tecnologia, sempre considerando a realidade da comunidade a ser visitada. É um espaço dedicado a alunos e professores da Educação Básica, que objetiva desenvolver ações em duas dimensões: formação de professores em espaço de aprendizagem e a promoção de estímulos a favor do conhecimento, dos métodos científicos e das opiniões científicas, em que a ciência seja trabalhada como processo em construção, despertando vocações científicas. As atividades realizadas no projeto englobam: Realização de exposições itinerantes, Oficinas Científicas, Feira de Ciências denominada FEBRAT, Curso a distância de Mediadores de Museus e Curso a distância de Educação Científica para alunos da Educação Básica, oferecidas a diversos municípios mineiros, em sua maioria carentes de acesso às pesquisas e inovações produzidas nos polos tecnológicos como a Universidade Federal de Minas Gerais. Objetivo Geral Promover a divulgação e a popularização da ciência, tecnologia e inovação no Estado de Minas Gerais. Objetivos Específicos 1. Promover o acesso ao conhecimento científico por meio de visitas do Museu Itinerante Ponto UFMG a municípios do Estado de Minas Gerais; 2. Fomentar a capacitação/qualificação de profissionais que atuam na difusão da ciência (professores, comunicadores, agentes científicos, etc.) e de jovens pesquisadores estimulando a troca de saberes populares e tradicionais de suas comunidades e o conhecimento científico produzido no âmbito da UFMG; 3. Diversificar/inovar as formas e as linguagens de comunicação da CT&I, visando a maior abrangência, visibilidade e acesso aos conhecimentos científicos.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 05/10/2019-30/04/2020
Foto de perfil

Tania Margarida Lima Costa

Outra

Divulgação Científica
  • 7ª feira brasileira de colégios de aplicação e escolas técnicas – 7ª febrat
  • A Feira Brasileira de Colégios de Aplicação e Escolas Técnicas – FEBRAT é uma realização do Centro Pedagógico – Escola de Educação Básica e Profissional da Universidade Federal de Minas Gerais e do Museu Itinerante Ponto UFMG, sob a coordenação da Professora Dra. Tânia Margarida Lima Costa, com intuito de integralizar e socializar o conhecimento gerado pelas instituições de ensino Públicas e Privadas de todo o país e aproximar professores e alunos da Educação Básica de debates científicos. Em sua 7º edição, a FEBRAT busca estimular alunos e professores a desenvolver pesquisas em diversas áreas e com temáticas que variam de um ano para outro, em consonância com os temas propostos pela Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), fortalecendo a inovação, a criatividade e a democratização das pesquisas. A programação da Feira abrange diversas atividades como exposições de trabalhos científicos, exposição do Museu Itinerante, oficinas, palestras, cafés científicos, atividades culturais, com o intuito de divulgar e debater temas de interesse da ciência, além de estímulo a cultura e a diversidade. A FEBRAT promove a divulgação dos trabalhos de alunos da Educação Básica e profissional, regularmente matriculados, respectivamente, nos Colégios de Aplicação vinculados às instituições Públicas ou Privadas de Ensino Superior, nas Escolas Técnicas Públicas e Privadas e nas escolas das redes de ensino municipal, estadual e particular de todo o país. O tema adotado na VII FEBRAT será o mesmo da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia de 2019. A Feira ocorrerá em outubro de 2019 e contará com a exposição de 200 trabalhos científicos, além da exposição de trabalhos de alunos de Feiras Parceiras. Ao final do evento os participantes ainda contam com outras atividades de capacitação como cursos a distância (Educação Científica) e palestras virtuais para formação de professores em polo de Educação a distância, e ainda o estreitamento das relações com novos pesquisadores de diferentes áreas. A previsão de atendimento é de aproximadamente 7.500 pessoas. A realização da FEBRAT como um espaço de ensino-aprendizagem proporciona a divulgação cientifica, a disseminação, troca de conhecimentos e uma formação crítica e social. O elevado potencial das Feiras de Ciências como forma de estimular a criatividade, a pesquisa e a observação para temas ligados ao cotidiano relacionando-os aos diversos campos da Ciência e tecnologia é uma estratégia educacional. As feiras proporcionam aos participantes, tantos expositores quanto visitantes, oportunidades de discutir temas científicos e tecnológicos com múltiplas abordagens e profundidades, além de ser um momento de socialização e de desenvolver trabalhos em equipes. A partir disso, a aprendizagem torna-se significativa. Os envolvidos, ao participarem de todo o processo de construção do conhecimento tornam-se capazes de explicar fenômenos e de enfrentar situações desafiadoras (MEZZARI, FROTA & MARTINS, 2011). Participarão do evento alunos e professores selecionados para exporem os trabalhos na Feira, inscritos para os cursos a distância oferecidos, para as oficinas, para visitas às atividades da SNCT 2019 em Belo Horizonte, assim como alunos e professores de escolas públicas e particulares de diversos municípios do Estado de Minas Gerais, a população em geral que serão convidadas a visitarem o evento. Pesquisadores de diversas áreas do conhecimento, artistas e músicos regionais e locais, além de representantes de secretarias, fundações, universidades, escolas, museus e centros de CT&I, dentre outras instituições que atuam na divulgação e popularização da ciência, tecnologia e inovação. A proposta abrangerá comunidades diversas em geral e, em específico, comunidades escolares. Também serão atendidos adultos, idosos e alunos do EJA. Cadeirantes terão acesso a todas as atividades ofertadas na exposição, inclusive aquela interna ao caminhão do Museu, pois o espaço está adaptado com rampas e elevadores. Será priorizado a participação do público feminino através de palestras e oficinas voltadas a esse público específico e através da seleção de um percentual dos trabalhos desse público para exposição no evento. Será criado um Curso a distância sobre Mulheres na Ciência, com duração de 3 meses, voltado para meninas, com abrangência nacional. Dentre as cursistas, serão selecionadas uma representante de cada Estado para expor o trabalho na FEBRAT. Essa representante receberá uma ajuda de custo (hospedagem e passagens) para viabilizar sua participação no evento. Os trabalhos premiados têm a oportunidade de receber bolsas de Iniciação Científica Júnior (ICJ) para darem prosseguimento as suas pesquisas. Nas edições anteriores da FEBRAT foram concebidas 33 bolsas ICJ favorecendo experiências de produção e socialização da ciência, aprofundamento de metodologias e técnicas de pesquisa complementando seu currículo. As bolsas tornam-se um incentivo para fidelizar os alunos na pesquisa, na continuidade da participação da Feira e no desenvolvimento de novos projetos e linhas de pesquisa, formando novos pesquisadores. Refletindo sobre os impactos, acreditamos que o financiamento por instituições de fomento torna-se imprescindível para que cada vez mais alunos de diversas regiões do Brasil tenham condições de desenvolver e apresentar seus projetos em eventos como a FEBRAT. Entre o período de inscrição e o de confirmação de presença muitos dos inscritos relatam dificuldades para conseguir investimentos para seu deslocamento e permanência durante o evento, o que resulta na desistência. Espera-se que, através do conhecimento de novas abordagens do conteúdo científico, estimulem os professores a refletirem sobre a prática pedagógica e sobre o processo de ensino-aprendizagem, assim como a importância que eventos científicos têm para despertar o interesse dos alunos pelas teorias em sala de aula e pela carreira científica.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020
Foto de perfil

Tania Mari Bellé Bresolin

Ciências da Saúde

Farmácia
  • estudos de pré-formulação de fármacos sintéticos, desenvolvimento de micro e nanossistemas de liberação e biomonitoramento
  • Os candidatos a fármacos necessitam de estudos de pré-formulação de forma a se conhecer suas características físico-químicas bem como os dados relacionados à sua estabilidade, como a(s) via(s) de degradação e qual(is) fator(es) externo(s) provoca(m) a sua degradação, visando simular as situações de estresse ao qual serão submetidos durante o processo produtivo, estocagem, bem como no meio fisiológico. Para que a qualidade dos medicamentos desenvolvidos seja garantida, torna-se necessário o estabelecimento de tecnologias e metodologias analíticas apropriadas. Visando à confiabilidade dos resultados gerados, de acordo com normas oficiais, o método deve ser validado por meio de estudos experimentais quanto aos parâmetros de seletividade/especificidade, linearidade, intervalo, precisão, sensibilidade, limite de quantificação, exatidão e robustez. Neste sentido o presente projeto propõe a realização de estudos de pré-formulação de moléculas de origem sintética, inspiradas em produtos naturais, sintetizadas em nosso grupo de pesquisa, com potencial emprego terapêutico e perfil de segurança adequados. Este projeto é uma proposta interdisciplinar, em colaboração com o grupo de Química Farmacêutica, Farmacologia e Tecnologia Farmacêutica do Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas (PPGCF) da Univali, visando o estabelecimento de novos medicamentos. A proposta conta com parceria internacional (Università degli Studi di Perugia-Itália) no desenvolvimento de sistemas de liberação modificada de tais substâncias. Serão desenvolvidas e validadas metodologias analíticas, indicativas de estabilidade dos analitos, bem como serão conduzidos estudos de pré-formulação e de degradação forçada, incluindo caraterização química, física e físico-química dos candidatos a fármaco, com foco em sua estabilidade. A performance de liberação dos fármacos, a partir dos sistemas de liberação desenvolvidos será analisada por meio de metodologias analíticas validadas, as quais serão também aplicadas em estudos de estabilidade, como parte da cadeia de desenvolvimento farmacêutico. Os sistemas serão biomonitorados em modelos in vitro e in vivo, a fim de avaliar a sua segurança e eficácia frente às provas de conceito às quais serão submetidos, visando ao desenvolvimento de novos medicamentos para o tratamento de osteoporose e edema de medula óssea pela via oral e intra-tecal (candidato a fármaco 4-MC) e para o tratamento da dor neuropática, pela via oral (candidato a fármaco glitazona E1), doenças de impacto na saúde pública e para as quais não há opções terapêuticas seguras e eficazes.
  • Universidade do Vale do Itajaí - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tânia Maria de Araújo

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • vigilância e monitoramento de doenças infecciosas entre trabalhadores e trabalhadoras do setor saúde
  • Este estudo encontra-se estruturado em quatro subprojetos que destinam-se, em conjunto, a: (a) estimar a ocorrência de três grupos de doenças infecciosas (hepatites virais, HIV e Sífilis) entre trabalhadores da saúde no Brasil e na Bahia, utilizando dados do SINAN; (b) conduzir estudo epidemiológico para avaliação dessas doenças infecciosas entre trabalhadores da atenção básica e de média complexidade em dois municípios da Bahia, analisando os fatores associados à sua ocorrência, com destaque para as exposições ocupacionais, uma vez que a contaminação de dois dos agravos estudados é determinada ou facilitada pelas características e condições do ambiente de trabalho; (c) avaliar as medidas profiláticas existentes, nível de utilização dessas medidas, bem como conhecer as barreiras de acesso ou outros aspectos que impedem ou favorecem a adoção dessas medidas; (d) propor um sistema de monitoramento e acompanhamento dos trabalhadores da saúde com a finalidade de intensificar as medidas para combate das doenças infecciosas no trabalho em saúde, na rede de atenção à saúde. Este projeto será desenvolvido com a participação de três universidades públicas (UEFS, UFRB e UFBA) e os serviços de saúde dos municípios envolvidos (Atenção Básica, CEREST e CTA). Para cada um desses subprojetos desenhou-se procedimentos metodológicos específicos. O subprojeto 1 utilizará dados de um sistema de informação, o SINAN. No segundo subprojeto será conduzido inquérito para avaliação da situação de saúde dos trabalhadores para as doenças infecciosas de interesse neste estudo (HIV, hepatites virais e sífilis), bem como das características e condições de trabalho. Será utilizado questionário com informações sociodemográficas e ocupacionais e realizados testes rápidos para detecção/triagem das doenças de interesse. No terceiro subprojeto será realizado estudo qualitativo para análise do conhecimento dos trabalhadores sobre as medidas profiláticas existentes para proteção contra as doenças infecciosas e os fatores que determinam, dificultando ou estimulando, o uso dessas medidas. A análise dos aspectos subjetivos será privilegiada neste estudo. O subprojeto quatro tem finalidade aplicada, visando tornar os dados coletados e analisados úteis para a biossegurança e gestão das condições de trabalho nos serviços de saúde estudados. Assim, objetiva contribuir para o esboço de um sistema de informação para monitoramento e acompanhamento das situações de exposição e de ocorrência de doenças no setor saúde. Os resultados deste estudo contribuirão para o adequado dimensionamento de questões relativas às doenças infecciosas, especialmente aquelas relacionadas ao trabalho em saúde, bem como de medidas que poderão ser adotadas para o enfrentamento das doenças infecciosas entre esses trabalhadores.
  • Universidade Estadual de Feira de Santana - BA - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Tânia Maria de Moura

Ciências Biológicas

Botânica
  • estudos taxonômicos, filogenéticos e biogeográficos para os táxons de lupinus l. (leguminosae – papilionoideae) ocorrentes no leste da américa do sul
  • Leguminosae é a terceira maior família de Angiospermas em número de espécies e a segunda maior em importância econômica. É representada por mais de 770 gêneros agrupados em seis subfamílias. Papilionoideae é a maior delas, com mais de 400 gêneros. Dentre estes, Lupinus destaca-se pelo número de espécies (220-230 spp.), por sua ampla distribuição geográfica e pelo alto grau de endemismo. As espécies do gênero apresentam vasta diversidade morfológica e são de problemática delimitação. Diversos estudos sobre Lupinus têm sido publicado ao longo dos anos. No entanto, a delimitação de muitos táxons ainda é imprecisa e tratamentos taxonômicos abrangendo grandes grupos ou amplas áreas geográficas ainda são escassos. Estudos filogenéticos apontam o gênero como monofilético, de origem no velho mundo e subdividido em três linhagens principais: (1) espécies ocorrentes no Mediterrâneo e norte da África, grupo irmão dos táxons unifoliolados da América do Norte; (2) espécies no leste da América do Sul, grupo irmão dos representantes de inflorescências azuladas da América do Norte; e (3) aquelas à oeste do Novo Mundo, representadas pelos táxons distribuídos na região dos Andes e no México, derivados de diferentes linhagens ocorrentes no oeste dos Estados Unidos da América. A maioria dos estudos desenvolvidos até o momento focam nas espécies ocorrentes no oeste do Novo Mundo. Até o momento, 59 táxons, muitos com delimitações problemáticas, são registrados para o leste da América do Sul; apenas 17 espécies foram amostradas em estudos filogenéticos. Portanto, pouco se sabe sobre as relações evolutivas entre os representantes presentes nessa porção do continente. Além disso, hipóteses relacionadas às rotas de colonização das espécies nessa região são escassas. Sendo assim, o presente trabalho tem por objetivo apresentar um tratamento taxonômico para as espécies de Lupinus ocorrentes no leste da América do Sul e elucidar hipóteses filogenéticas e biogeográficas para os táxons ocorrentes nessa região
  • Universidade Estadual do Centro-Oeste - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tânia Maria Figueiredo Braga Garcia

Ciências Humanas

Educação
  • da investigação sobre processos de análise de manuais escolares à produção colaborativa de materiais didáticos em contextos específicos: cultura local e conteúdos de ensino
  • A produção de materiais didáticos escritos ou digitais é atividade de alta complexidade, pois exige a capacidade de articular elementos da Didática Geral, das Didáticas Específicas, com especial atenção à epistemologia das ciências de referência que produzem e sustentam os conhecimentos escolares. Assim, para que os professores possam analisar e produzir materiais com qualidade didática, metodológica e científica é necessário que sejam oferecidos instrumentos conceituais para a realização desse trabalho, o que não tem sido usual nos cursos de formação de professores, seja inicial ou continuada. Por outro lado, a investigação sobre a produção de materiais didáticos também é incipiente, fornecendo ainda poucos elementos científicos para sustentar proposições e apresentando-se, então, como uma lacuna que demanda esforços dos pesquisadores, e em especial, de grupos multidisciplinares de pesquisadores. Com esse escopo, foi elaborada uma proposta, que teve mérito aprovado no Edital CHSSA 2016 mas não foi implementada pela questão de recursos financeiros não disponíveis. A proposta foi readequada ao Edital Universal, mantendo-se o foco e alguns colaboradores, ajustando-se seus objetivos, reduzindo o âmbito quanto às regiões geográficas e grupos envolvidos e também quanto aos recursos solicitados. A proposta é sustentada: a) na pressuposição de que a análise e a produção de materiais é atividade privilegiada para que as ações de pesquisa e formação se articulem, de forma colaborativa e multidisciplinar; b) na intensa e diversificada experiência da proponente com a análise e produção de materiais didáticos, em projetos editoriais comerciais, projetos institucionais e especialmente em projetos de pesquisa e extensão de natureza colaborativa com redes públicas de ensino nas duas últimas décadas; c) nas atividades que vêm sendo desenvolvidas no Núcleo de Pesquisa em Publicações Didáticas/UFPR com outros pesquisadores e grupos de pesquisa sobre a temática da análise e produção de materiais didáticos, em perspectiva multidisciplinar e de forma articulada à formação de professores da educação básica. O Brasil tem mantido, por décadas, o maior programa de distribuição gratuita de livros didáticos para a educação básica – o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). O desenvolvimento desse Programa gerou avanços nos livros destinados ao ensino das disciplinas específicas para todas as etapas da escolarização. Entretanto, apesar de todo esses avanços, constatam-se limites e dificuldades, como a existência de problemas para acessar os recursos digitais disponibilizados, dificuldades com a instalação de programas ou ainda que exigem domínio da língua inglesa, bem como as dificuldades para atender de forma satisfatória, por meio de livros de distribuição nacional, as questões culturais locais e as necessidades de grupos específicos. (GARCIA, 2011). É necessário, portanto, adequar ou complementar os materiais oferecidos pelo Estado brasileiro com ações que dependem prioritariamente do trabalho de professores e coordenadores no âmbito das escolas. Assim, os objetivos da proposta estão dirigidos a atividades de investigação e de formação docente para a análise e produção de materiais didáticos, em uma vertente específica que considera a orientação presente nas normas educacionais brasileiras de que os conteúdos de ensino devem contemplar a realidade dos alunos, sua cultura e a diversidade de situações em que ocorre a escolarização básica. A proposta se estrutura em torno de três eixos que organizam a pesquisa e as ações formativas: 1. Análise de materiais didáticos impressos e digitais; 2. Produção e avaliação de materiais que contemplem a cultura, a diversidade e necessidades de grupos específicos; 3. Análise, proposição e avaliação de modelos de formação de professores na perspectiva colaborativa. O projeto , situado no campo de diálogo entre a Didática Geral e as Didáticas Específicas, será desenvolvido de forma colaborativa. As ações terão início com processos investigativos e formativos de análise e avaliação de materiais, se encaminhará para o desenvolvimento de produtos e, após análises, terá lugar um novo processo de avaliação sobre os produtos e os processos desenvolvidos. Ao lado da perspectiva que privilegia a escola pública, avaliando, propondo, e construindo materiais em diferentes áreas de conhecimento, de forma colaborativa com professores em formação inicial e continuada, a intenção da proposta é também atender demandas específicas de determinados grupos sociais que têm sido dirigidas ao conjunto de pesquisadores participantes e que, neste momento, passam a compor uma proposta articulada. Aponta-se que estão previstas três fases de desenvolvimento metodológico da proposta, relacionadas aos objetivos gerais e específicos: Fase 1: estruturação dos grupos de trabalho e desenvolvimento das ações investigativas e formativas relacionadas à avaliação de materiais; Fase 2: identificação de temas e lacunas para a produção de materiais, realização de estudos e debates sobre as melhores opções para cada situação específica e produção propriamente dita de materiais didáticos; Fase 3: utilização dos materiais em situações reais, para analisar resultados, propor ajustes e finalizar as propostas para sua disponibilização em repositórios públicos. A proposta terá na UFPR sua coordenação central. Os recursos técnicos e humanos dessa instituição e de seu Setor de Educação serão disponibilizados de forma ampla, como Biblioteca, sala digital, laboratório de informática e salas de aula, assim como os recursos dos grupos de pesquisa participantes. Pretende-se ampliar a interação com outras instituições como a Universidade Santiago de Compostela (Espanha) com o INDIRE (Itália), e ainda com o Georg Eckert Institute (Alemanha).
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tania Maria Ruffoni Ortiga

Ciências da Saúde

Medicina
  • novas abordagens translacionais em técnicas de rerpodução assistida
  • Segundo a Organização mundial da saúde (OMS), a infertilidade é uma doença do sistema reprodutivo definida clinicamente pela incapacidade de conseguir uma gravidez clínica após 12 meses ou mais de uma relação sexual regular sem o uso de métodos contraceptivos (Zegers-Hochschild, 2009). Devido ao aumento de casais que procurarm as clínicas de reprodução assistida, tanto no Brasil, quanto no mundo. A identificação de biomarcadores da qualidade oocitária e embrionária são desafios a serem atingidos no campo de reprodução assistida. Além de várias outras razões, a diminuição no número de embriões gerados e congelados sem diminuição na taxa de sucesso da fertilização in vitro evitaria discussões éticas nas clínicas e o estresse psicológico da decisão dos pacientes. Novo no campo, é a possibilidade, ainda inexplorada da vitamina D. A vitamina D, na natureza existem em duas formas, o colecalciferol (D3) e o ergocalciferol (D2). Ambas as isoformas da vitamina D (D2 e D3) são encontradas em alimentos e suplementos diferentes, entretanto, só a D3 pode ser produzida pela pele (Kamen e Tangpricha, 2010). A Pré-vitamina D3 é formada da provitamina D3 na pele em resposta aos raios ultravioleta. A vitamina D sintetizada na pele é inativa e precise ser hidroxilada até sua complete ativação, inicialmente no fígado e depois nos rins onde é convertida em 1, 25-diidroxicolecalciferol. A forma ativa da vitamina D é a 1, 25-diidroxicolecalciferol ou 1, 25(OH)2D3 \ (Walters 1992; Studzinski, McLane et al. 1993; Bouillon, Okamura et al. 1995) e suas ações genômicas são mediadas principalmente pelo seu receptor nuclear específico, o VDR (Holick 2006). Entretanto, os mecanimos moleculares das ações da vitamina D durante o desenvolvimento, assim como os efeitos e impactos dos polimorfismos encontrados no VDR na população são ainda desconhecidos (Morrison, Qi et al. 1994). Camundongo, a produção de folículos pré-ovulatórios encontra-se prejudicada na ausência do VDR. No nos animais knock-out para o receptor VDR, nenhuma alteração importante foi vista durante o desenvolvimento e crescimento dos animais antes do desmame (Yoshizawa, Handa et al. 1997). Entretanto, após o desmame, os animais apresentaram alopecia, má formação ósse a infertilidade (Yoshizawa, Handa et al. 1997). Fêmeas homozigotas apresentam homoplasia uterina e foliculogênese incompleta, apresentando somente folículos primários e secundários após 7-8 semanas de vida. Folículos de Grafafian não foram encontrados, causando diminuição na produção de estradiol que levou, como consequência a hipoplasia uterina desses animais. Resultados de microarray mostraram a presença de genes relacionados ao metabolismo da vitamina D e as enzimas de ativação desse hormônio como a 1hidroxilase além da calbidina, proteína ligadora de cálcio proteína (Brannian, Eyster et al. 2010). Portanto, os dados da literatura sugerem que a Vitamina D tenha papel na foliculogênese. Entretanto, o exato papel, além da relação da vitamina D com a viabilidade oocitária e o resultado da gestação em seres humanos ainda tem que ser investigado. Além do oócito, estudar marcadores de qualidade de embriões e novas técnicas de cultivo dos mesmos, usando tanto suporte de células tronco quanto tecnologias menos invasivas como o INVO também serão abordados neste projeto. Neste projeto, objetivamos: 1) estudar a via de sinalização da vitamina D no ambiente do folículo e oóctio 2) desenvolver modelo animal de carência de vitamina D gestacional, 3) Investigar marcadores de qualidade oocitária através do estudo do fluido folicular e das células da granulosa 4) Estabelecer nova matriz de cultivo embrionário usando células troco humanas e 5) Analisar vários marcadores de qualidade embrionária comparando técnicas de fertilização in vitro tradicionais com a INVO 6) Abordar a função placentária de gestações concebidas pela FIV.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Tania Maria Sarmento da Silva

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • análises químicas e biológicas de produtos apícolas e meliponícolas do nordeste brasileiro
  • A apicultura e meliponicultura tem se destacado por constituir uma das áreas do setor de agronegócios capazes de gerar importantes impactos sociais e econômicos, especialmente em regiões onde vivem populações menos favorecidas economicamente como a região semiárida. Neste sentido as atividades ligadas a apicultura e meliponicultura foram escolhidas devido à grande relevância na região Nordeste do Brasil e por apresentar uma das poucas atividades agropecuárias que, sendo conduzidas de maneira racional, atende aos três requisitos da sustentabilidade: o econômico, o social e o ecológico, fornece renda, ocupa mão de obra familiar ou contratada e contribui para a preservação da flora nativa. No presente projeto serão analisados os constituintes químicos e atividades biológicas dos produtos apícolas (pólen e própolis de Apis mellifera) e meliponícolas (pólen, mel e geoprópolis de Melipona mandacaia, M. subnitida, Trigona spinipes, Frieseomelitta doederleini, Melipona mondury, Tetragonisca angustula Latreielle) coletados na região Nordeste do Brasil. A pesquisa visa ainda a transferência de tecnologia para os produtores sobre técnicas e conhecimentos contextualizados nas demandas dos sistemas em estudo.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tania Regina Tozetto Mendoza

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • caracterização de polimorfismos em regiões codificadoras de microrna no genoma do herpesvírus humano do tipo 8: comparação das variantes de hhv-8 entre grupos de indivíduos sem sarcoma de kaposi e com sarcoma de kaposi associado a aids.
  • Herpesvirus Humano do tipo 8 (HHV-8) é o agente etiológico do sarcoma de Kaposi (SK), a neoplasia mais comum vista em indivíduos vivendo com HIV/AIDS. Até o momento não está clara a relação entre as variações genéticas do HHV-8 e o desenvolvimento do sarcoma de Kaposi. Atualmente, a relação entre as variações no fenótipo e genótipo de micro-RNA (miRNA) em diferentes tipos de câncer está bem documentada. Ainda, a expressão alterada de micro-RNAs foi descrita como um modulador chave do processo patogênico de muitas doenças. Por isso, a descoberta de polimorfismos de um único nucleotídeo (SNPs) localizados em regiões codificadoras de microRNA do genoma do HHV-8 parece ser de grande interesse. A proposta do presente trabalho é estudar o perfil de SNPs em regiões codificadoras de miRNA do HHV-8 (sequencias de DNA ao redor de 3.0 kb) por sequenciamento de nova geração a partir de sangue e saliva de indivíduos infectados por HHV-8 sem e com sarcoma de Kaposi. O estudo se baseará em uma casuística de conveniência bem caracterizada quanto aos fatores relacionados a predisposição ao SK em 750 indivíduos vivendo com HIV. A análise da frequência desses polimorfismos no genoma do HHV-8 no grupo SK-AIDS pode trazer importantes esclarecimentos sobre o papel da variabilidade do HHV-8 na patogênese do tumor.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tania Regina Vieira

Ciências Humanas

Antropologia
  • cultura quilombola do cedro em uma perspectiva intercultural no ensino básico
  • Esta investigação tem como objetivo documentar o conhecimento tradicional de manifestações culturais da comunidade quilombola do Cedro em Mineiros, Goiás e integrar esses saberes e práticas artísticas, corporais e etnobotânicas em propostas pedagógicas sob uma perspectiva intercultural. O Brasil é conhecido por sua importância ambiental e riqueza de ecossistemas, bem como pela sua diversidade sociocultural, motivando a implementação de políticas públicas que garantam direitos às populações tradicionais representativas de 25% do território nacional (FERNANDES-PINTO, 2010). A tradição de cada povo faz parte da cultura universal. Um povo é valorizado pela história segundo a sua contribuição para a cultura de outros povos florescendo em seu tempo e conforme o legado que deixa para as culturas que surgem depois dele. A necessidade de se estabelecer um diálogo entre as culturas diversas da aldeia global tem cada vez mais gerado reflexões teóricas a fim de se estudar e aprimorar essa comunicação. Atualmente, a Comunidade Quilombola do Cedro vive uma situação extremamente preocupante de aculturamento nas novas gerações com a perda do seu teor original de enraizamento como patrimônio cultural da humanidade. Ao longo dos tempos, conseguiram preservar características elementares de agrupamento e traços da cultura que reafirmam a identidade do grupo como comunidade remanescente: jogos, danças, lutas, culinária, uso de plantas medicinais, religiosidade, relação equilibrada no manejo do ecossistema. O reconhecimento desses saberes tradicionais da comunidade valoriza suas origens e legado cultural. Políticas públicas direcionadas à Ciência, Tecnologia e Inovação, assim como o mundo acadêmico-escolar, precisam cada vez mais reconhecer as variadas tipificações e maneiras de usufruto das práticas corporais e artísticas, da importância ambiental e das tradições representativas de cada povo. De acordo com Candau (2008), uma educação que busca o reconhecimento do “outro”, o diálogo entre os diferentes grupos sociais e culturais enfrenta conflitos provocados pela assimetria de poder; contudo, é capaz de favorecer a construção de um projeto comum, pelo qual as diferenças sejam dialeticamente integradas. Diante disso, como promover uma Educação para as Relações Étnico-raciais por meio de propostas pedagógicas sob uma perspectiva intercultural que vá ao encontro do que promulga a Lei 10.639/2003? A educação do futuro deve abranger a interdependência de dimensões socioambientais conduzindo à tomada de consciência da condição do ser humano, da diversidade de indivíduos, povos e culturas sobre nosso enraizamento na Terra (MORIN, 2007). A etnobotânica, nesse sentido, apresenta uma posição privilegiada como ferramenta para elucidar a interrelação homem e ambiente vegetal e esboçar caminhos que levem à sustentabilidade. Nessa perspectiva, esse projeto se justifica na medida em que busca resgatar as histórias culturais locais e a interrelação homem-planta por meio de pesquisa-ação e observação participante a fim de fortalecer a preservação das diversidades culturais e vegetal por meio de publicações e elaboração de material paradidático voltado para a Educação Básica que promova o fomento do diálogo intercultural, haja vista a constatação de Jesus e Miranda (2012) de que uma das principais dificuldades apontadas pelos professores da Educação Básica para o ensino da história e cultura afro-brasileira é a falta de material didático.
  • Instituto Federal Goiano - GO - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Tarcila Souza de Castro Silva

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • qualidade de rações para a engorda de tilápias e suas implicações no desempenho produtivo
  • A criação de peixes possui o maior custo de produção proveniente das rações, assim é evidente a necessidade de conhecer as implicações da falta de padronização e detectar os indicadores de qualidade para garantir uma ração mais bem aproveitada pelos peixes e, com isso, uma diminuição dos custos de produção e emissão de poluentes na água. O projeto proposto associa as principais análises físicas, químicas e biológicas para determinar a qualidade das rações comercializadas para tilápias na fase de engorda. A qualidade física está relacionada ao processamento, sendo considerado o efeito do processando e das interações entre os ingredientes na disponibilização dos nutrientes para os peixes. A qualidade química está relacionada a composição nutricional bruta dos nutrientes e energia, sendo resultado da formulação. A qualidade biológica é afetada diretamente pelas características químicas (formulação) e físicas (processamento), pois está relacionada ao aproveitamento dos nutrientes pelos peixes. A técnica mais comum de mensuração deste aproveitamento é denominada determinação do coeficiente de digestibilidade aparente, com isso serão obtidos valores dos nutrientes digestíveis (como proteína digestível) e disponíveis (como aminoácidos disponíveis). As implicações da qualidade será avaliada pelo acompanhamento da engorda de tilápias. Assim, será definido os indicadores de qualidade das rações que devem ser observados e considerados para melhorar a produtividade da atividade, para priorizar a comercialização de rações com alto aproveitamento de nutrientes para às tilápias e pouco descarte de resíduos ao ambiente.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - MS - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020