Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Tânia Guimarães Ribeiro

Ciências Humanas

Sociologia
  • território, participação e conservação ambiental
  • O projeto de pesquisa tem como principal objetivo Analisar as dinâmicas sociais decorrentes dos processos de gestão dos territórios definidos como unidades de conservação, enfatiza-se o processo de participação social em duas reservas extrativistas – uma delas marinha – no Estado do Pará, Amazônia Brasileira. A análise do processo de distribuição das políticas públicas considerando seus reflexos na mobilização social dos atores chaves – as populações tradicionais – e o seu potencial para a superação de entraves socioeconômicos e de questões socioambientais será central na pesquisa. Esta proposta estrutura-se a partir dos seguintes questões: como se constroem os acordos, as alianças, os processos comunicativos e de deliberação relativos à apropriação e aos usos e dos principais recursos naturais na Resex nos espaços dos CDs? Quais os impactos da implementação dos acordos de uso pelo ICMBio nas comunidades da RESEX, considerando-se a especificidade das atividades econômicas no território e que podem afetar as regras locais já definidas? Como se dá o funcionamento da participação (modos, regras, acordos) entre os representantes das comunidades e elas mesmas, considerando-se a formas de associação e a produção do associativismo? Quais os impactos das políticas públicas na diminuição da pobreza, na perspectiva dos usuários e moradores dessas unidades de conservação? De que forma os empreendimentos solidários – como as cooperativas locais – podem atuar para estimular a participação criativa e fomentar a sustentabilidade socioeconômica e ambiental? Foram escolhidos como focos privilegiados da pesquisa de campo:as reuniões do Conselho Deliberativo e as Associações-Mães da Reserva Extrativista Marinha de Caeté-Taperaçu, em Bragança e da Reserva Extrativista de São João da Ponta, em São João da Ponta, ambas localizadas no nordeste do Pará, na Amazônia Brasileira; as sedes dos governos locais; comunidades extrativistas das RESEX; as instituições guardiãs e elaboradoras de documentação sobre as políticas de Desenvolvimento e Reservas Extrativistas, na cidade de Belém. As associações cooperativas nos municípios de Bragança e São João da Ponta. As atividades da pesquisa foram previstas para serem desenvolvidas ao longo de 30 meses. A metodologia adotada será predominantemente qualitativa, adotando-se as entrevistas semi-estruturadas que permitem aos pesquisados que descubram a possibilidade de atribuir causas sociais às situações que vivenciam (BOURDIEU, 2003), conhecendo suas origens, a partir das perspectivas sobre o papel que vêm desempenhando nas tomadas de decisão de problemas coletivos da Unidade de Conservação. No entanto, está prevista a aplicação, segundo disponibilidade dos recursos financeiros, de um levantamento quantitativo – survey - nas duas resex, buscando caracterizar o potencial de superação de entraves socioeconômicos e ambientais em decorrência da distribuição dos direitos sociais oriundos das políticas públicas. À priori, foram delimitadas duas comunidades-pólos, um em cada Reserva, o Pólo Cidade, na Resex Caeté-Taperaçu e o Pólo Cidade na Resex de São João da Ponta. Nas duas experiências selecionadas, estão em pauta questões caras à Amazônia, que ganham novos contornos, tais como: o acesso à terra, a apropriação dos recursos naturais, o desenvolvimento endógeno e sustentável, a inclusão dos diferenciados interesses das populações locais marginalizadas – como as populações tradicionais -, a presença do Estado na região, a cidadania, a participação em suas diferentes acepções, conforme vê-se em diversos estudos (MANESCHY, RIBEIRO ET AL, 2017; AQUINO, 2003; CASTRO e PINTON, 1997; BECKER, 2007; CASTRO, HURTIENNE, SIMONIAN, 2007). Portanto, nos dois casos privilegiados deverá se considerar as construções sociais específicas que influenciam sobre a participação, tanto nas redes de relações que se erigem no interior da Resex, quanto àquelas que se constroem com o território do qual fazem parte. Portanto, vai se destacar aqui a atuação das populações tradicionais na construção e manutenção de seus direitos dentro do modelo de gestão participativa pela institucionalização das Reservas em tela. Cabe notar que o olhar sociológico sobre as políticas públicas produz contribuição relevante para esse campo interdisciplinar de conhecimento. Em ampla produção ao longo dos anos, e sobre diferentes contextos sociais, a literatura sociológica tem nos revelado a importância dos diferentes grupos sociais na construção das políticas públicas, notadamente na relação sociedade civil e Estado. Esse conhecimento tem influenciado tanto a construção e formulação de políticas (políticas de cotas; reconhecimento de territórios), como na análise de seus impactos na sociedade (CORTES &LIMA, 2012). Nessa direção, essa perspectiva analítica também se mostra fundamental para discutirmos a pertinência da desigualdade social na realidade brasileira, em particular na região norte, e entre as populações rurais, como as extrativistas. Pois, a essas populações se voltam novos modelos de desenvolvimento (sustentáveis) e de políticas públicas e sociais que visam à distribuição mais equitativa de renda, dos bens e recursos sociais, que podem ampliar as oportunidades para um maior número de indivíduos (SCALON, 2011, p. 64).
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tania Margarida Lima Costa

Outra

Divulgação Científica
  • “inteligência artificial presente no seu dia a dia”, na semana nacional de ciência e tecnologia (snct) 2020
  • O Projeto “Inteligência artificial presente no seu dia a dia”, evento vinculado à SNCT 2020, proposto pelo Museu Itinerante Ponto UFMG à nível estadual, Linha A – Eventos de Abrangência Estadual ou Distrital, poderá ser realizado de duas maneiras dependendo da situação da Pandemia, virtualmente e/ou presencialmente. Pretendemos fazer desta experiência, ao realizar um evento cientifico, provavelmente com ênfase no modelo virtual, uma oportunidade para refletir sobre como a virtualização de atividades e ações antes propostas para serem presenciais, contribuíram para a comunicação e a divulgação cientifica da temática para o público da Educação Básica. O distanciamento social,provocou uma nova realidade temporária (devido ao COVID-19), os alunos da educação básica estão separados de suas comunidades escolares. Entendemos, que em momentos como esse, precisamos conectar as pessoas principalmente os alunos da educação básica, promovendo situações de aprendizagem que possa ser realizada em outros ambientes além do escolar. Ao propormos a criação de situações virtuais, pretendemos contribuir com a continuidade de aprendizagem e a continuidade de ações para estimular a curiosidade científica, o raciocínio científico e a inovação. Atualmente, dispomos de tecnologia que enriquece os ambientes virtuais e facilita a contextualização dos conceitos e a comunicação amplamente interativa. Neste contexto, a virtualização de algumas atividades museais do Museu Ponto e a criação de outras possibilidades, de interação e contato com o conhecimento científico, estão sendo concebidas para que mesmo sem a interação presencial do público com o museu este continue a ser um espaço de comunicação, de negociação, de sentido e de aprendizagem lúdica, para o público escolar. As atividades a serem realizadas no projeto englobam: realização de exposição presencial do Museu Ponto (a realização desta atividade está condicionada a possibilidade de flexibilização do isolamento social, caso esta aconteça serão tomadas de proteção sanitária para todos os envolvidos); realização de exposição virtual/ passeio científico virtual no Museu Itinerante Ponto UFMG; realização de um Café Científico Virtual e uma live sobre a temática da SNCT (atividade feita por meio de plataforma que permitam a transmissão da palestra e a interação com o público por meio de perguntas que serão respondidas pelos participantes); Realização de atividade lúdicas que promovam a interação dos participantes com a temática da semana por meio da realização de enquetes via redes sociais, envio de vídeos produzidos pelos estudantes; realização de jogos de perguntas e respostas; produção de vídeos pelos alunos da Educação Básica e disponibilização nas redes sociais durante a semana com o titulo: “Onde você vê a presença da Inteligência Artificial no seu dia a dia”?
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 22/10/2020-30/04/2021
Foto de perfil

Tania Mari Bellé Bresolin

Ciências da Saúde

Farmácia
  • estudos de pré-formulação de fármacos sintéticos, desenvolvimento de micro e nanossistemas de liberação e biomonitoramento
  • Os candidatos a fármacos necessitam de estudos de pré-formulação de forma a se conhecer suas características físico-químicas bem como os dados relacionados à sua estabilidade, como a(s) via(s) de degradação e qual(is) fator(es) externo(s) provoca(m) a sua degradação, visando simular as situações de estresse ao qual serão submetidos durante o processo produtivo, estocagem, bem como no meio fisiológico. Para que a qualidade dos medicamentos desenvolvidos seja garantida, torna-se necessário o estabelecimento de tecnologias e metodologias analíticas apropriadas. Visando à confiabilidade dos resultados gerados, de acordo com normas oficiais, o método deve ser validado por meio de estudos experimentais quanto aos parâmetros de seletividade/especificidade, linearidade, intervalo, precisão, sensibilidade, limite de quantificação, exatidão e robustez. Neste sentido o presente projeto propõe a realização de estudos de pré-formulação de moléculas de origem sintética, inspiradas em produtos naturais, sintetizadas em nosso grupo de pesquisa, com potencial emprego terapêutico e perfil de segurança adequados. Este projeto é uma proposta interdisciplinar, em colaboração com o grupo de Química Farmacêutica, Farmacologia e Tecnologia Farmacêutica do Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas (PPGCF) da Univali, visando o estabelecimento de novos medicamentos. A proposta conta com parceria internacional (Università degli Studi di Perugia-Itália) no desenvolvimento de sistemas de liberação modificada de tais substâncias. Serão desenvolvidas e validadas metodologias analíticas, indicativas de estabilidade dos analitos, bem como serão conduzidos estudos de pré-formulação e de degradação forçada, incluindo caraterização química, física e físico-química dos candidatos a fármaco, com foco em sua estabilidade. A performance de liberação dos fármacos, a partir dos sistemas de liberação desenvolvidos será analisada por meio de metodologias analíticas validadas, as quais serão também aplicadas em estudos de estabilidade, como parte da cadeia de desenvolvimento farmacêutico. Os sistemas serão biomonitorados em modelos in vitro e in vivo, a fim de avaliar a sua segurança e eficácia frente às provas de conceito às quais serão submetidos, visando ao desenvolvimento de novos medicamentos para o tratamento de osteoporose e edema de medula óssea pela via oral e intra-tecal (candidato a fármaco 4-MC) e para o tratamento da dor neuropática, pela via oral (candidato a fármaco glitazona E1), doenças de impacto na saúde pública e para as quais não há opções terapêuticas seguras e eficazes.
  • Universidade do Vale do Itajaí - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Tânia Maria de Araújo

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • vigilância e monitoramento de doenças infecciosas entre trabalhadores e trabalhadoras do setor saúde
  • Este estudo encontra-se estruturado em quatro subprojetos que destinam-se, em conjunto, a: (a) estimar a ocorrência de três grupos de doenças infecciosas (hepatites virais, HIV e Sífilis) entre trabalhadores da saúde no Brasil e na Bahia, utilizando dados do SINAN; (b) conduzir estudo epidemiológico para avaliação dessas doenças infecciosas entre trabalhadores da atenção básica e de média complexidade em dois municípios da Bahia, analisando os fatores associados à sua ocorrência, com destaque para as exposições ocupacionais, uma vez que a contaminação de dois dos agravos estudados é determinada ou facilitada pelas características e condições do ambiente de trabalho; (c) avaliar as medidas profiláticas existentes, nível de utilização dessas medidas, bem como conhecer as barreiras de acesso ou outros aspectos que impedem ou favorecem a adoção dessas medidas; (d) propor um sistema de monitoramento e acompanhamento dos trabalhadores da saúde com a finalidade de intensificar as medidas para combate das doenças infecciosas no trabalho em saúde, na rede de atenção à saúde. Este projeto será desenvolvido com a participação de três universidades públicas (UEFS, UFRB e UFBA) e os serviços de saúde dos municípios envolvidos (Atenção Básica, CEREST e CTA). Para cada um desses subprojetos desenhou-se procedimentos metodológicos específicos. O subprojeto 1 utilizará dados de um sistema de informação, o SINAN. No segundo subprojeto será conduzido inquérito para avaliação da situação de saúde dos trabalhadores para as doenças infecciosas de interesse neste estudo (HIV, hepatites virais e sífilis), bem como das características e condições de trabalho. Será utilizado questionário com informações sociodemográficas e ocupacionais e realizados testes rápidos para detecção/triagem das doenças de interesse. No terceiro subprojeto será realizado estudo qualitativo para análise do conhecimento dos trabalhadores sobre as medidas profiláticas existentes para proteção contra as doenças infecciosas e os fatores que determinam, dificultando ou estimulando, o uso dessas medidas. A análise dos aspectos subjetivos será privilegiada neste estudo. O subprojeto quatro tem finalidade aplicada, visando tornar os dados coletados e analisados úteis para a biossegurança e gestão das condições de trabalho nos serviços de saúde estudados. Assim, objetiva contribuir para o esboço de um sistema de informação para monitoramento e acompanhamento das situações de exposição e de ocorrência de doenças no setor saúde. Os resultados deste estudo contribuirão para o adequado dimensionamento de questões relativas às doenças infecciosas, especialmente aquelas relacionadas ao trabalho em saúde, bem como de medidas que poderão ser adotadas para o enfrentamento das doenças infecciosas entre esses trabalhadores.
  • Universidade Estadual de Feira de Santana - BA - Brasil
  • 01/06/2017-31/07/2021
Foto de perfil

Tânia Maria de Moura

Ciências Biológicas

Botânica
  • estudos taxonômicos, filogenéticos e biogeográficos para os táxons de lupinus l. (leguminosae – papilionoideae) ocorrentes no leste da américa do sul
  • Leguminosae é a terceira maior família de Angiospermas em número de espécies e a segunda maior em importância econômica. É representada por mais de 770 gêneros agrupados em seis subfamílias. Papilionoideae é a maior delas, com mais de 400 gêneros. Dentre estes, Lupinus destaca-se pelo número de espécies (220-230 spp.), por sua ampla distribuição geográfica e pelo alto grau de endemismo. As espécies do gênero apresentam vasta diversidade morfológica e são de problemática delimitação. Diversos estudos sobre Lupinus têm sido publicado ao longo dos anos. No entanto, a delimitação de muitos táxons ainda é imprecisa e tratamentos taxonômicos abrangendo grandes grupos ou amplas áreas geográficas ainda são escassos. Estudos filogenéticos apontam o gênero como monofilético, de origem no velho mundo e subdividido em três linhagens principais: (1) espécies ocorrentes no Mediterrâneo e norte da África, grupo irmão dos táxons unifoliolados da América do Norte; (2) espécies no leste da América do Sul, grupo irmão dos representantes de inflorescências azuladas da América do Norte; e (3) aquelas à oeste do Novo Mundo, representadas pelos táxons distribuídos na região dos Andes e no México, derivados de diferentes linhagens ocorrentes no oeste dos Estados Unidos da América. A maioria dos estudos desenvolvidos até o momento focam nas espécies ocorrentes no oeste do Novo Mundo. Até o momento, 59 táxons, muitos com delimitações problemáticas, são registrados para o leste da América do Sul; apenas 17 espécies foram amostradas em estudos filogenéticos. Portanto, pouco se sabe sobre as relações evolutivas entre os representantes presentes nessa porção do continente. Além disso, hipóteses relacionadas às rotas de colonização das espécies nessa região são escassas. Sendo assim, o presente trabalho tem por objetivo apresentar um tratamento taxonômico para as espécies de Lupinus ocorrentes no leste da América do Sul e elucidar hipóteses filogenéticas e biogeográficas para os táxons ocorrentes nessa região
  • Universidade Estadual do Centro-Oeste - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022