Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Victor Marcelo Deflon

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • compostos de coordenação como potenciais agentes quimioterápicos e radiofármacos
  • O progresso no desenvolvimento de novos fármacos contra doenças negligenciadas têm sido muito lento, principalmente devido à falta de investimento por parte das indústrias farmacêuticas. Soma-se a esta situação o fato de muitas drogas estarem se tornando menos eficazes contra certas doenças devido ao desenvolvimento de resistência, além de que a grande maioria dos agentes antineoplásicos não atuam em alvos terapêuticos seletivamente, causando severos efeitos colaterais. Neste sentido, o uso de compostos de coordenação aparece como uma boa estratégia para superar alguns problemas da terapia convencional e também para obtenção de fármacos com maior especificidade. Este projeto consiste desenvolvimento de novos compostos de coordenação baseados em ligantes bioativos do tipo tiossemicarbazonas e ligantes correlatos do tipo ditiocarbazatos, semicarbazonas e hidrazonas, que possuam potencial para uso como quimioterápicos em duas vertentes, sendo estas: I) tratamento de tuberculose, doença de Chagas e/ou tumores resistentes à cisplatina, para os quais serão utilizados complexos com os metais da primeira série de transição como Co, Cu, Fe, Mn, Ni e V, e outros da segunda e terceira séries, como Au, Pd, Pt, Ru e Re, como centros metálicos; II) servir como novos modelos para radiofármacos para uso em diagnóstico e/ou terapia, os quais incluem os radionucídeos 99mTc, 188Re e 68Ga. Deste modo, este projeto visa à obtenção de fármacos mais eficientes e com biodistribuição favorável para uso no tratamento e/ou diagnóstico de doenças como câncer, tuberculose e doença de Chagas.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Victor Martins Maia

Ciências Agrárias

Agronomia
  • cultivo do cacau em regiões não tradicionais: consórcio com macadâmia e controle da floração
  • Apesar do aumento da demanda mundial, as áreas cultivadas com cacau no Brasil têm se limitado a microclimas da região amazônica, as regiões sul da Bahia e norte do Espírito Santo. Esta limitação se dá devido ao conceito preestabelecido que o cacaueiro necessita de sombreamento e ambiente com elevada temperatura e umidade do ar para produzir bem. Porém, algumas áreas experimentais e comerciais estão estabelecidas em regiões mais secas com irrigação, principalmente no Equador e Malásia. As regiões do semiárido brasileiro, que se encontram localizadas na área de atuação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste – SUDENE (incluindo municípios de Minas Gerais conforme Lei Complementar 125, de 03/01/2007), apresentam pluviosidade variando de 200 a 800 mm por ano, 60% de umidade relativa do ar, alta luminosidade e solos férteis. Estas condições associadas à fertirrigação e manejo diferenciado podem favorecer a viabilidade agroeconômica do cultivo do cacaueiro tornando-se mais uma opção para os produtores rurais desta região com potencial de criação de novos polos de produção de cacau no Brasil. Além de servirem como áreas de escape para a maioria das doenças, nestas regiões o cacaueiro apresenta alto potencial de produtividade e qualidade, com maior facilidade de beneficiamento, principalmente na secagem. A possibilidade de expansão da cacauicultura para áreas não tradicionais pode gerar divisas para o país pela redução da importação ou até mesmo, possibilitando ao Brasil retornar a condição de exportador. Algumas iniciativas de produtores e pesquisadores, mesmo que em pequena escala, têm apresentado resultados promissores. Contudo, há necessidade de avaliação científica de longo prazo da viabilidade agroeconômica da implantação do cacaueiro e de tecnologias associadas e/ou modificadas para as condições do semiárido. Portanto, este projeto tem como objetivo avaliar a viabilidade agronômica e econômica da cacauicultura irrigada em região não tradicional e verificar o comportamento fenológico, crescimento, produção e qualidade de clones de cacaueiro produzidos na condição de pleno sol e em consórcio com macadâmia em região de clima semiárido. Serão realizados de forma concomitante 2 experimentos. O primeiro será implantado em área já cultivada previamente a banana ‘Grande Naine’. O Segundo será realizado em área de cacau já implantada com 3,7 anos de idade (considerando o mês de setembro de 2018) onde estão sendo cultivados 8 diferentes clones. Será utilizado, no primeiro experimento, o delineamento em blocos casualizados (DBC) no esquema fatorial 5 x 4, sendo 5 clones de cacau e 4 porta-enxertos e 3 repetições. De forma concomitante ao plantio do cacau, serão plantadas as mudas de macadâmia. A cada três meses, a partir do plantio das mudas de cacau, serão avaliadas as seguintes características: determinação da radiação e índice de área foliar (IAF), índice SPAD nas folhas, trocas gasosas (características fisiológicas), diâmetro de tronco, comportamento fenológico, produção e qualidade dos frutos e das amêndoas. Anualmente será realizada a coleta de folhas para análise laboratorial. Também serão coletadas amostras de solo para análises físicas e químicas, estoque de carbono e nitrogênio no solo e teor de nutrientes nas amêndoas secas e na casca dos frutos. Ao final dos 3 anos de avaliação será realizada a análise econômica e financeira do sistema de produção. No segundo experimento, será utilizado o delineamento em blocos casualizados (DBC) no esquema de parcelas subdivididas (8 x 2), tendo nas parcelas oito tratamentos (clones de cacau) e nas subparcelas duas condições de irrigação relacionadas a ausência de estresse hídrico e estresse hídrico controlado, com três repetições. Serão avaliadas as seguintes características: determinação da radiação e índice de área foliar (IAF), índice SPAD nas folhas, trocas gasosas (características fisiológicas), potencial hídrico do solo e da folha, atividade no tecido foliar das enzimas relacionadas ao estresse, diâmetro de tronco, comportamento fenológico, produção e qualidade dos frutos e das amêndoas. Anualmente será realizada a coleta de folhas para análise laboratorial. Também serão coletadas amostras de solo para análises físicas e químicas, estoque de carbono e nitrogênio no solo e teor de nutrientes nas amêndoas secas e na casca dos frutos. Os dados coletados serão submetidos à análise de variância, e quando significativos pelo teste F (p < 0,05), serão submetidos ao teste de Scott-Knott ao nível de 5% de probabilidade com auxílio do software estatístico R.
  • Universidade Estadual de Montes Claros - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Victor Paulo Barros Gonçalves

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • implicações fenomenológicas da dinâmica das interações fortes no lhc, auger e icecube
  • A Física de Partículas vivencia atualmente uma fase áurea com o funcionamento dos experimentos LHC, AUGER e ICECUBE. Em particular, com o grande conjunto de dados obtidos pelo Grande Colisor de Hádrons (LHC) com alta energia e elevada luminosidade, tem-se a expectativa de em curto prazo possamos observar ou não a existência de uma nova física além do Modelo Padrão, tal como Supersimetria, Dimensões Extras ou Tecnicolor. Além disso, espera-se que o LHC evidencie os efeitos associados ao regime de altas energias e/ou altas temperaturas da Cromodinâmica Quântica (QCD), tais como o Condensado de Vidros de Cor e o Plasma de Quarks e Glúons. Similarmente, os experimentos AUGER e ICECUBE estão provando nossa compreensão do regime de altas energias da Física de Raios Cósmicos e de Neutrinos. A interpretação dos resultados destes experimentos depende fortemente da física hadrônica presente nos simuladores Monte Carlo. Tais temas tem sido objeto de pesquisa por parte do proponente durante os últimos anos. Embora o conjunto de resultados já obtidos seja bastante motivador, vários aspectos permanecem ainda em estágios embrionários ou ainda inexplorados. Pretendemos neste projeto avançar na compreensão da dinâmica das interações fortes para altas energias e estimar os observáveis que podem ser estudados no LHC e nos experimentos AUGER e ICECUBE. A fim de atingir os objetivos previstos no projeto é fundamental que o cluster de computadores do Grupo de Altas e Médias Energias da UFPel seja atualizado, pois este é composto por computadores com mais de 10 anos de uso contínuo, os quais tem apresentado falhas regulares nos últimos meses. Tal projeto visa a obtenção de recursos que viabilizem esta atualização.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Victor Piana de Andrade

Ciências da Saúde

Medicina
  • caracterização genômica e lipidômica dos tumores bifásicos da mama por target sequencing e desi/mass spectrometry
  • As lesões bifásicas da mama são os fibroadenomas e os tumores Phyllodes, estes últimos são classificados como benigno, borderline ou maligno com base em características histopatológicas, porém essas características se sobrepõem, tornando o diagnóstico difícil. Portanto é necessário associar meios diagnósticos a fim de identificar melhor esses tumores. A imunohistoquímica e a biologia molecular são dois métodos que podem auxiliar no diagnóstico diferencial entre esses tumores. A expressão imunohistoquímica de p53 e CD117 está associada ao seu comportamento maligno. Estudos em biologia molecular mostram que esses tumores estão relacionados a mutações no promotor TERT, no éxon 2 do gene MED12 e em outros genes como o TP53 e o RB. A análise de amostras por espectrometria de massas é outro meio diagnóstico que pode auxiliar nesse diagnóstico diferencial. A espectrometria de massas tem alta sensibilidade e especificidade. Alguns autores diferenciaram tecido normal de tumoral em mama, cérebro e pâncreas utilizando DESI/MS. A técnica DESI/MS analisa os lipídeos através de ionização ambiente sem preparo das amostras. Quando esse método é aplicado em cortes histológicos adiciona dados que podem ser correlacionados à topografia, oferecendo novas informações sobre a composição molecular tecidual em cada área diferente da lâmina, permitindo diferenciar áreas normais de áreas tumorais, o que possibilita realizar uma interface com a anatomia patológica. Nesse contexto, esse projeto tem o propósito de estudar a genômica e lipidômica dos tumores bifásicos da mama, a fim de auxiliar patologistas, cirurgiões e oncologistas a decidirem melhor o tratamento desses pacientes.
  • Fundação Antônio Prudente - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Victor Rodrigues Santos

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • estudo do efeito do tratamento com canabidiol (cbd) e drogas antiepilépticas (dae) sobre o desenvolvimento cerebral, comorbidades psiquiátricas e em modelos experimentais de epilepsia.
  • As epilepsias acometem entre 1-2% da população mundial. Estudos populacionais têm demonstrado que crises epilépticas são mais prevalentes em crianças e que crises neonatais podem levar ao desenvolvimento de epilepsia e desordens neurocognitivas na idade adulta. Dentre os pacientes com epilepsia, cerca de 30 a 40% apresentam resistência aos tratamentos farmacológicos atuais. Quanto se tratando de crises infantis, o controle das crises é ainda mais difícil, podendo chegar a 50% do pacientes sem resposta aos tratamentos. Adicionado a isso, as drogas que suprimem as crises na infância, em sua grande maioria, levam a diversos efeitos adversos. Nos tratamentos de crises neonatais, as drogas mais comumente utilizadas (fenobarbital, carbamazepina e fenitoina), provocam efeitos adversos permanentes podendo levar a transtornos de ansiedade, de humor, comprometimento da memória e aprendizado na infância e na idade adulta. Dessa maneira, a descoberta de novos compostos mais eficazes no controle de crises e com menos efeitos colaterais é de suma importância, e tem sido motivo de busca incansável na área de estudos de epilepsia. O canabidiol (CBD) se apresenta como importante alternativa e tem demonstrado resultados promissores em pacientes e em modelos animais de crises. Entretanto os mecanismos moleculares de ação, a sua interação com drogas antiepilépticas e os efeitos adversos provocados pelo tratamento do CBD no cérebro imaturo ainda não estão esclarecidos. Para responder essas perguntas, o objetivo desse projeto é investigar os possíveis efeitos colaterais dos tratamentos agudo e crônico com CBD, levando a alteração na morte neuronal e na neurogênse hipocampal no cérebro de roedores neonatos. Bem como, os efeitos da interação do tratamento do CBD e drogas antiepilépticas sobre a morte neuronal e neurogênese. Juntamente com isso, iremos testar se o tratamento com CBD é capaz de bloquear crises epilépticas em modelos de crises em neonatos. Finalmente, buscamos demonstrar se o tratamento com CBD e DAE na infância pode provocar alterações moleculares, morfológicas e comportamentais a longo prazo.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022