Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Sandra Marcia Muxel

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • regulação pós-transcricional via micrornas e impacto no metaboloma de macrófagos infectados por leishmania amazparticipação dos micrornas na regulação pós-transcricional e o impacto no metaboloma de macrófagos infectados por leishmania amazonensis
  • A infecção por Leishmania leva a um conjunto de manifestações clínicas caracterizadas por lesões tegumentares e/ou viscerais. A leishmaniose é uma doença tropical negligenciada endêmica em 88 países, com incidência anual de 1,5 milhões de casos com manifestações cutâneas e 300 mil com manifestações viscerais. No Brasil, a doença é considerada um importante problema de saúde pública, com incidência estimada de 100.000 casos/ano. A Leishmania é um protozoário parasita que alterna seu ciclo de vida entre os hospedeiros invertebrado (flebótomo) e mamífero. Formas promastigotas metacíclicas são encontradas encontradas na probóscide do inseto vetor e ao serem transmitidas se diferenciam para formas amastigotas no interior de células fagocíticas, entre elas os macrófagos, de hospedeiros mamíferos. As enzimas arginase de L. amazonensis (La-ARG) e arginase 1 (ARG1) do macrófago convertem a L-arginina em ureia e ornitina, este último atua como precursor da via de poliaminas, moléculas essenciais para a proliferação do parasita. Por outro lado, a competição pelo substrato L-arginina pela enzima óxido nítrico sintase 2 (NOS2) pode regular a produção de óxido nítrico (NO) em macrófagos infectados, que leva à morte do parasita. Contudo, a disponibilidade de L-arginina e regulação de seu metabolismo em macrófagos infectados, bem como a disponibilidade de poliaminas para as formas amastigotas do parasita ainda não é compreendida. O projeto pretende investigar o metaboloma em macrófagos murinos e humanos infectados com L. amazonensis, focando na interação parasita-hospedeiro e como a expressão de micro(mi)RNAs/mRNAs interferem na infectividade. Os objetivos do estudo estão focados na função dos miRNAs no metabolismo de poliaminas e na geração da resposta imunológica durante a infecção por L. amazonensis. A descrição desses componentes da resposta imunológica relacionados à disponibilidade e metabolismo de L-arginina na produção de NO versus poliaminas, são importantes para a descoberta de alvos para o diagnóstico e prognóstico da leishmaniose, bem como para o desenvolvimento de drogas para o tratamento. O projeto fará parte da colaboração entre a Universidade de São Paulo e a Universidad de San Pablo-CEU (Madri, Espanha), com o envolvimento de alunos e colaboradores.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sandra Maria Campos Alves

Ciências Agrárias

Agronomia
  • práticas agroecológicas na produção de artesato de palha da carnaúba: revegetação e reaproveitamento sustentável em comunidade quilombola
  • A proposta tem como objeto a construção de tecnologias sociais na produção agroecológica, visando a inovação no manejo e produção sustentável, através das oficinas de Agroecologia. Intencionamos a ampliação da produção do artesanato da palha da carnaúba, como foco principal da proposta para a melhoria da qualidade de vida e erradicação da pobreza. Essa tecnologia é pioneira, inovadora para a condição do semiárido nordestino. Representa uma possibilidade sustentável e de rentabilidade dentro da comunidade para os jovens e mulheres.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 01/12/2018-30/05/2021